• Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
10,638
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
159
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. República Velha 1889 - 1930
  • 2. O declínio da República 1914 - 1930
  • 3. ::: Crise Política ::: - O sistema político baseado no revezamento entre paulistas e mineiros na presidência da república acabou por gerar insatisfações; - Os governos dos Estados eram comandados por oligarquias rurais e pelas mesmas famílias por décadas; - Aumentavam as dissidências entre as oligarquias; - Novos setores sociais urbanos surgiram e aumentavam sua participação na política nacional, principalmente entre os trabalhadores;
  • 4.  
  • 5.  
  • 6. ::: Transformações sociais e econômicas ::: - A urbanização refletia maior diversificação da economia, bem como o desenvolvimento de uma infraestrutura ligada aos transportes, comércio, bancos e meios de comunicação; - A transformação mais significativa foi o desenvolvimento das indústrias , principalmente no Estado de São Paulo (por causa das condições criadas pela cafeicultura); - Grupos sociais urbanos (burguesia industrial, operariado, classe média) se desenvolveram e passaram a ter importância;
  • 7.  
  • 8. ::: Burguesia Industrial ::: - Além dos cafeicultores, eventualmente comerciantes voltaram-se a atividade industrial; - Presença importante de imigrantes enriquecidos; - A burguesia industrial, mesmo pequena, representava uma alternativa política ao monopólio do poder exercido pelas oligarquias;
  • 9.  
  • 10. ::: O operariado ::: - Tem suas origens ligadas à imigração europeia desde o final do século XIX; - Longas jornadas de trabalho, salários ruins e péssimas condições de trabalho para homens, mulheres e crianças; - A ausência de legislação trabalhista obrigou os trabalhadores a se organizarem em diferentes formas de associações;
  • 11. ::: O operariado ::: - Florescia uma rica imprensa operária, principalmente divulgando as ideias anarquistas; - A ideologia anarquista estimulava a resistência dos trabalhadores e foi responsável pela greve geral de 1917 ; - O impacto da Revolução Russa de 1917 e a expansão da indústria no país, influenciou a fundação e crescimento do PCB (Partido Comunista Brasileiro, 1922) ;
  • 12.  
  • 13.  
  • 14. ::: A classe média ::: - Grupo basicamente urbano, era naturalmente oposto ao regime oligárquico; - Era vítima da inflação, da fraude eleitoral e perdia espaço político para o voto rural; - Conservadora e moralista, a classe média criticava a fraude e defendia o voto secreto, além de repudiar o poder dos coronéis ; - A insatisfação da classe média se transferia para o exército. Na década de 20, o tenentismo atraiu a simpatia da classe média.
  • 15. ::: O Tenentismo ::: - Mesmo apoiados pela classe média, as propostas tenentista iam além das suas pretensões, como a ideia de centralização política; - O baixo oficialato rejeitava os oficiais da velha-guarda, isto é, as altas cúpulas militares ligadas ao governo ; - Os tenentes propunham um processo revolucionário para livrar as Forças Armadas dessas influências; - Propunham a moralização do país, por meio do voto secrete e de maior centralização política, eliminando o poder excessivo das oligarquias.
  • 16. ::: O tenentismo ::: - Defendiam a criação do ensino obrigatório; - Elitismo do movimento: era necessário o homem certo no lugar certo e poucas reformas para os problemas do Brasil estarem solucionados; - A Revolta do Forte de Copacabana (1922); - Revolução Paulista de 1924; - Os movimentos tenentistas abriam mão da participação popular;
  • 17.  
  • 18. ::: Colunas de Miguel Costa e Luís Carlos Prestes : :: - As colunas tenentistas de Miguel Costa (paulista) e Luís Carlos Prestes (gaúchos) se encontraram em Foz do Iguaçu, sempre atacados por forças do governo; - A Coluna Prestes percorreu 11 Estados e caminhou 25 mil quilômetros; - Luís Carlos Prestes se tornou um herói, sendo chamado de “Cavaleiro da Esperança”, pelo menos pelos grupos urbanos;
  • 19.  
  • 20.  
  • 21. ::: A Semana de Arte Moderna - 1922 ::: - Introdução do modernismo no Brasil: jovens artistas e novas ideias; - As duas vertentes do modernismo: ::: futurismo: exaltação da técnica, do movimento, da velocidade e da experimentação, até linguística; ::: primitivismo: busca de uma expressão cultural “pura”. Buscava investigações sobre o inconsciente, aproximando-se do surrealismo.
  • 22.  
  • 23. ::: A Semana de Arte Moderna - 1922 ::: - Contradição: ao mesmo tempo que queria romper com os modelos estéticos importados da Europa, o modernismo brasileiro se inspirava no modernismo europeu, como o futurismo e o surrealismo; - A contradição acabou originando o movimento antropofágico: aceitava a cultura europeia desde que “devorada” e “digerida”, ou seja, reelaborada;
  • 24. ::: A Revolução de 1930 – O Governo Washington Luís (1926 – 1930) ::: - Lei Celerada (1929): aprovada no Governo de Washington Luís, previa inclusive penas de prisão para os responsáveis por “delitos ideológicos”; - Plano de construção de rodovias: “Governar é abrir estradas”; - A Grande Depressão nos EUA, 1929, afetou o Brasil e provocou a queda brutal dos valores do café; - O governo, contudo, não apoiou os cafeicultores, o que reduziu seu apoio nesses setores.
  • 25. ::: A Revolução de 1930 ::: - Júlio Prestes, contrariando os princípios da política café-com-leite, foi indicado por Washington Luís; - Os mineiros queriam o governador do Estado, Antônio Carlos; - Os mineiros formaram a Aliança Liberal, oferecendo a vaga aos gaúchos. Em seguida ofereceram a vice-presidência ao Estado da Paraíba; - A chapa da Aliança Liberal ficou formada por Getúlio Vargas (RS) e João Pessoa (PB);
  • 26.  
  • 27.  
  • 28. ::: A Revolução de 1930 ::: - A Aliança Liberal buscou atrair os votos dos descontentes com o regime oligárquico, como os setores urbanos; - Ao redor da candidatura de Getúlio Vargas se agruparam setores díspares, como os tenentes e as oligarquias rurais de vários Estados; - Ao mesmo tempo, Luís Carlos Prestes se convertia ao comunismo e repudiava a candidatura de Vargas;
  • 29. ::: O desfecho da Revolução de 1930 ::: - Vitória do candidato Júlio Prestes; - A ala jovem da Aliança Libe ral defendia uma revolução armada, proposta que recebia apoio dos tenentistas; - João Pessoa foi assassinado na Paraíba (nenhuma relação com as eleições nacionais), mas tornou-se o estopim da revolução; - A frase do governador Antônio Carlos, apoiando a revolução de 1930: “Façamos a revolução antes que o povo a faça”;
  • 30.  
  • 31. ::: O desfecho da Revolução de 1930 ::: - Diante da inevitabilidade da revolução, as elites assumem o comando da revolução; - Washington Luís foi derrubado e Getúlio Vargas assumiu a liderança do governo provisório; - A revolução, entretanto, estava longe de representar um rompimento, uma vez que permaneciam as oligarquias no comando da nação; - Por outro lado, mudava a base social do novo governo, ganhando expressão política os setores urbanos, principalmente trabalhadores e burguesia industrial.
  • 32.  
  • 33. ::: Bibliografia ::: - www.google.com.br/imagens - VICENTINO, C. História do Ensino Médio: história geral e do Brasil. São Paulo: Scipione, 2008.