• Save
Introdução a Astronomia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Introdução a Astronomia

on

  • 2,244 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,244
Views on SlideShare
1,275
Embed Views
969

Actions

Likes
2
Downloads
0
Comments
0

9 Embeds 969

http://professoraroldotavares.blogspot.com.br 901
http://professoraroldotavares.blogspot.com 29
http://professoraroldotavares.blogspot.ru 17
http://www.professoraroldotavares.blogspot.com.br 14
http://professoraroldotavares.blogspot.com.ar 3
http://webcache.googleusercontent.com 2
http://professoraroldotavares.blogspot.ca 1
http://professoraroldotavares.blogspot.de 1
http://professoraroldotavares.blogspot.nl 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Introdução a Astronomia Presentation Transcript

  • 1. Introdução a Astronomia. Professor Aroldo S. Tavares.
  • 2. Definição de Astronomia: A Astronomia é uma ciência que estuda corpos celestes (como estrelas, planetas, cometas, nebulosas, a glomerados de estrelas, galáxias) e fenômenos espaciais. Ela está preocupada com a evolução, a física, a química, e o movimento de objetos celestes, bem como a formação e o desenvolvimento do universo. A palavra Astronomia vem do grego, chegando até nós pelo latim... Etimologicamente, provém das palavras gregas astron (astro), ligadas ao termo nemo (observação) deram Astronomia (observação, divisão, administração dos astros).
  • 3. Breve Histórico: O ser humano sempre buscou compreender o funcionamento doUniverso. Desde a Antiguidade, os povos observavam as estrelas, cometas eplanetas para tentar desvendar os mistérios do espaço. Por motivospráticos, espirituais ou simplesmente curiosidade. Em diversas civilizações, por exemplo, muitas estrelas e planetasforam transformados em deuses. Muitas lendas contam a origem destesastros e delegam poderes especiais a eles. Mas foi durante o RenascimentoCientífico ( séculos XV e XVI ) que o homem passou a ter uma visão maisdetalhada e científica do Universo. Esse conhecimento vem evoluindo e seampliando até hoje.
  • 4. Elementos Fundamentais: Teoria do Big Bang: Os cosmólogos usam o termo "Big Bang" para se referir à ideia de que o universo estava originalmente muito quente e denso concentrado em um único ponto, que ao se expandir e esfriar vai dar origem a toda matéria e energia que existe. Teoricamente isso ocorreu há 13,5 bilhões de anos, e continua em expansão.
  • 5. As galáxias: são formadas poragrupamentos de vários corpos celestes,principalmente por estrelas, planetas,poeira cósmica e outros elementosastronômicos que ficam em um centrocomum. A força da gravidade é a principalresponsável pela união dos componentesde uma galáxia.• Galáxias espirais – possuem extensosbraços de estrelas e nuvens de poeiracósmica.• Galáxias elípticas – são formadas por umgrande conjunto de estrelas e poucapoeira cósmica.• Galáxias irregulares – recebem essenome por não apresentarem formadefinida.
  • 6. Sistema Solar é um conjunto formado poruma estrela central e objetos que a orbitamatraídos por sua força gravitacional.O Nosso Sistema Solar é constituído pelo Sole pelo conjunto de corpos celestes que oorbitam. Dentre esses corpos, os maiores sãoos planetas, que totalizam oito, seguidospelos cinco planetas anões, vários satélitesnaturais e inúmeros outros objetos comoasteroides e cometas.Formação do Sistema SolarA formação do Sistema Solar remontahá aproximadamente 4,6 bilhões de anos. Deacordo com astrônomos, o Sistema Solar foiformado a partir de uma mesma nuvem depoeira e gás. Esta nuvem é conhecida comoNebulosa Solar Primitiva. Em algum momentoocorreu um colapso desta nuvem, provocando ofim do se equilíbrio gravitacional e gerando suacontração.
  • 7. Estrelas: Cada Estrela é uma gigantesca esfera giratória de gás matéria, luminosa e muito quente (Plasma). A quantidade de gás que uma Estrela contém é muito importante, uma vez que influencia a gravidade, a temperatura, a pressão, a densidade e o tamanho da Estrela. Pelo menos durante uma parte da sua vida, uma estrela brilha devido à fusão nuclear do hidrogênio em hélio no seu núcleo, liberando energia que atravessa o interior da estrela e irradia para o espaço sideral.
  • 8. Tipos de Estrelas, Segundo a Classificação de Havard Cor da LuminosiTipo Temperatura Peso Tamanho Estrela dade de 30.000 C a 1.400.000O Azul 64 M 16 R 60.000 C L de 10.000 C a Azul-B 18 M 7R 20.000 L 30.000 C Claro de 7.500 C aA Branco 3,1 M 2,1 R 40 L 10.000 C de 6.000 C a Amarelo-F 1,7 M 1,4 R 6L 7.500 C Claro de 5.000 C a AmareloG 1,1 M 1,1 R 1,2 L 6.000 C *sol de 3.500 C aK Laranja 0,8 M 0,9 R 0,4 L 5.000 C de 2.000 C aM Vermelho 0,4 M 0,5 R 0,04 L 3.500 C
  • 9. Buraco Negro:
  • 10. Planetas: Um planeta (do Grego"errante") é um corpo celestial que orbita uma estrela, com massa suficiente para se tornar esférico pela sua própria gravidade, e que tenha limpado de planetesimais a sua região vizinha (dominância orbital).Pelas definições da UAI, há oito planetas noSistema Solar: em ordem crescente dedistância do Sol, são os quatro planetasterrestres Mercúrio, Vênus, Terra e Marte, edepois os quatro gigantes gasososJúpiter, Saturno, Urano e Netuno. Seis dosplanetas são orbitados por um ou maissatélites naturais.Além disso, o Sistema Solar possui tambémpelo menos cinco planetas anões entre eles(Plutão)
  • 11. JÚPITER
  • 12. SATURNO
  • 13. Asteroide são corposrochosos e metálicos quepossuem órbita definida aoredor do Sol. (cinturão deasteroides). Possuigeralmente algunsquilômetros de extensão.A queda de um asteroidepode ter sido a causa degrandes transformações emnosso planeta.
  • 14. Meteoro, chamadopopularmente de estrelacadente, designa-se o fenômenoluminoso observado quando dapassagem de um meteoroide(fragmento composto porminerais) pela atmosfera terrestrenormalmente sendo desintegrado.Se atingir o solo pode ser chamadode meteorito.
  • 15. Cometa é um corpo do sistemasolar que quando se aproxima doSol passa a exibir uma atmosferadifusa, denominada coma, e emalguns casos apresenta tambémuma cauda, ambas causadas pelosefeitos da radiação solar e dosventos solares sobre o núcleocometário. Os núcleos cometáriossão compostos de gelo, poeira epequenos fragmentos rochosos,variando em tamanho de algumascentenas de metros até dezenas dequilômetros.
  • 16. A LUA 49 vezes menor que a TerraApogeu: 406.000 kmPerigeu: 356.000 km Média: 384,000 kmRotaçãoRevolução 27 dias, 7 horas e 43”Translação com a terra: 1 ano MontanhasRelevo: Planicies ou Mares Crateras ou Circos
  • 17. MOVIMENTOS :-TRANSLAÇÃO-ROTAÇÃO-REVOLUÇÃOCOM ISSO TEMOS :-FACE OCULTA-FASES DA LUA :» NOVA CRESCENTE CHEIA E MINGUANTE
  • 18. INFLUÊNCIA DA LUA - AGRICULTURA - MARÉ
  • 19. ECLIPSESECLIPSE :É O ENCOBRIMENTO DE UM ASTRO OCOSIONADO POR OUTRO.ECLIPSE SOLAR : SOL, LUA E TERRAECLIPSE LUNAR : SOL, TERRA E LUA
  • 20. ECLIPSE SOLAR
  • 21. A Terra3ª órbita - entre Vênus e MarteForma: GeóideDiâm.Equat - 12.756 KmDiâm.Polar - 12.713 KmCirc. Equat. - 40.076 KmCirc. Polar - 40.009 KmSUPERFÍCIE DA TERRA : 510.000.000 km2
  • 22. A TERRA NO ESPAÇOFORMAS DA TERRA :-ESFERÓIDE-ELIPSÓIDE-GEÓIDEPROVAS DA ESFERICIDADE DA TERRA :-ECLIPSES LUNARES-APROXIMAÇÃO DE UM NAVIO À COSTA-VIAGENS DE CIRCUNAVEGAÇÃO-FOTOS DE SATÉLITE
  • 23. ESFÉRA
  • 24. MOVIMENTOS DA TERRA- MAS.-ROTAÇÃO +/- 24h.-TRANSLAÇÃO +/- 356 dias.- Outros. »ÓRBITA LEVEMENTE ELÍPTICA.
  • 25. EM RELAÇÃO A DISTÂNCIA :-AFÉLIO TERRESTRE-152.000.000 KM-PERIÉLIO TERRESTRE-147.000.000 KM
  • 26. OBLIQUIDADE DA ECLÍPTICA
  • 27. -SOL DA MEIA-NOITE " 9 horas da noite " em montanhas altas na Noruega.11 horas da noite ! no norte da Noruega.
  • 28. VARIAÇÃO DA INCIDÊNCIA DO SOLFORMAM CINCO ZONASTÉRMICAS/CLIMÁTICAS :-GLACIAL ÁRTICA-GLACIAL ANTÁRTICA-ZONA TEMPERADA DO NORTE-ZONA TEMPERADA DO SUL-ZONA INTERTROPICAL.
  • 29. ESTAÇÕES DO ANO- Solstícios: Iluminação desigual entre hemisf. Norte e Sul. 21/junho - Solstício verão - hemisfério Norte 21/dezembro - Solstício verão - hemisfério Sul- Equinócio - hemisfério N. e S. igualmente iluminados 21/março - Outono no Sul e Primavera no Norte 23/setembro - Primavera no Sul e Outono no Norte
  • 30. 21 de março: N equinócio 21 de dezembro: solstício outono (no sul) S primavera (no norte) verão (no sul) inverno (no norte) N N 21 de junho: solstícioS S verão (no norte) inverno (no sul) 23 de setembro: N equinócio outono (no norte) primavera (no sul)
  • 31. ESTAÇÕES DO ANO :SOLSTÍCIOEQUINÓCIO