Your SlideShare is downloading. ×
0
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Geografia urbana 2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Geografia urbana 2012

11,003

Published on

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
11,003
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Geografia Urbana.Professor: Aroldo Tavares
  • 2. Definições: • A Geografia urbana estuda as áreas urbanas e seus processos de produção do espaço urbano. Ou seja: enquanto fenômeno geográfico, a urbanização se apresenta como um conjunto de processos coordenados pela ação humana e cuja complexidade exige grande aprofundamento dos pesquisadores com vistas a compreender como a cidade se produz e reproduz. • O estudo de uma cidade do ponto de vista geográfico corresponde a um modo particular de encarar o espaço urbano, os seus habitantes e a dinâmica da sua organização, isto é, a cidade como elemento fundamental do espaço. A cidade é considerada como um conjunto morfológico, fisionómico, social e cultural diferenciado, funcionalmente integrado numa rede hierarquizada de complementaridade que permite organizar a sua região envolvente. • Urbanização é o deslocamento de um grande contingente de pessoas que saem da área rural para os centros urbanos (as cidades). Para que um país seja considerado urbanizado, a quantidade de pessoas que vivem nas cidades deve ser superior a quantidade que vive do campo.
  • 3. Histórico: • Durante a pré-antiguidade, os homens eram primariamente nômades, movimentando-se de uma região para outra constantemente, em busca de água e alimentos. Entre 13 a 10 mil anos atrás, várias civilizações começaram a dominar a técnica da agricultura e da pecuária. As civilizações que dominaram estas técnicas passaram a criar centros mais densamente habitados, como centros de comércio e defesa locais. Assim, as primeiras vilas apareceram - quase sempre em torno de rios e lagos, dado a necessidade de irrigação. A grande maioria dos habitantes de vilas neolíticas trabalhavam na agricultura e na criação de animais domésticos. Este processo foi mais acelerado na Mesopotâmia, onde as primeiras vilas neolíticas e áreas urbanas foram criadas.Entre 8000 a.C e 3500 a.C, algumas destas vilas neolíticas haviam prosperado, tendo evoluído em pequenas áreas urbanas com alguns milhares de habitantes. • Antiguidade: As primeiras cidades desenvolveram-se na Mesopotâmia, mais especificamente, em torno do Rio Eufrates, em torno de 3500 a.C. Em torno de 2000 a.C, as primeiras cidades começaram a desenvolver-se em torno do Rio Nilo e na China. Tais cidades eram significantemente maiores do que as vilas neolíticas. Estas cidades também dispunham de estruturas mais complexas, como grandes depósitos para estoque de alimentos e templos religiosos. A maioria dos habitantes destas cidades já não trabalhavam mais na agricultura, e sim no artesanato ou no comércio de produtos e serviços em geral. • Idade média : O intenso medo gerado pelas invasões bárbaras, o colapso comercial e a reduzida produtividade agrícola por parte da população urbana do Império Romano do Ocidente fez com que a vasta maioria dos habitantes destas áreas urbanas na Europa gradualmente migrassem para o campo, mais exatamente em direção aos feudos. As cidades européias da Idade Média eram geralmente muito menores que as cidades romanas, não possuindo mais do que 1 km². A população destas cidades também era muito pequena. Na média, uma cidade medieval típica tinha entre 250 a 500 habitantes.A maioria da população urbana européia viveria dentro de muralhas até o século XV.
  • 4. • Idade Contemporânea: As cidades não haviam mudado muito com a chegada do Renascimento, mesmo com o gradual crescimento populacional das cidades. Porém, durante o século XVIII, a Revolução Industrial teve início, com a invenção da máquina a vapor, e de outros equipamentos industriais. Este período perdurou até o final do século XIX nos atuais países desenvolvidos. Inúmeras cidades européias e norte-americanas mudaram drasticamente por causa da Revolução Industrial, tornando-se grandes centros industriais. A industrialização foi o fator mais importante para o processo de rápida urbanização que ocorreu desde o século XVIII e diante, permitindo pela primeira vez na história da humanidade que uma parcela significante de um dado país vivesse em áreas urbanas.Cidades em industrialização passaram a possuir grandes bairros industriais. O crescimento populacional acelerado nas cidades fez com que o transporte público passasse a possuir um papel essencial no transporte de trabalhadores dentro de cidades. Trilhos de bondes e ferrovias de passageiros e industriais significantemente afetaram o layout das cidades.• As cidades cresceram mais do que nunca no século XX, atualmente, estima-se que 45% da população mundial vivam em cidades. São duas as principais razões deste grande crescimento populacional. A primeira foi a queda nas taxas de mortalidade, gerada após inovações na área da medicina e de leis contra indústrias poluentes, bem como maior reorganização da cidade por meio da implementação de leis de zoneamento e de planejamento urbano. A segunda razão foi a grande migração da população rural para as cidades, provocada por avanços tecnológicos na agropecuária e pela diversificação da economia urbana.
  • 5. Exemplos: Espontânea: *Missões religiosas: São São cidades que surgiram de Paulo - SP; Guarapari - ES. forma natural, sem planejamento. Sua origem se *Mineração: Ouro Preto - dá a partir da expansão das MG; Cuiabá - MT. antigas habitações rurais que formaram as casas e *Núcleo de Colonização: comércios. Londrina, Maringá - PR; Blumenau, Joinville - SC;Origem: Exemplos: Planejada: Teresina (PI) – 1851 São aquelas cidade Aracaju (SE) – 1858 que surgiram a partir Belo Horizonte (MG) de um planejamento e organização prévias. – 1898 Goiânia (GO) – 1937 Brasília (DF) – 1960
  • 6. As cidades também podem ser classificadas de acordo com: • Espaço geográfico: Insulares, litorâneas etc... • Forma: Irregular, circular, linear. • Função: a sua função urbana, baseada na sua atividade econômica mais importante, que é a fonte do seu Produto Interno Bruto. • Exemplos: Comercial, turística, militar, reli giosa, etc..
  • 7. Hierarquia Urbana:O tamanho e o grau de importância das cidades. Metrópole Global São as cidades que possuem uma intensa influência econômica regional e internacional. As cidades globais são caracterizadas por seus modernos centros financeiros e sedes de grandes corporações multinacionais. No Brasil temos São Paulo e Rio de Janeiro como metrópoles globais. Metrópole Nacional São as cidades que apresentam forte influência sobre todas as áreas do território nacional. No Brasil temos Vitória, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Belém, Salvador, Recife, Fortaleza e Brasília como metrópoles nacionais. Metrópole Regional São as cidades que apresentam influências apenas sobre uma região do país. Exemplos: Campinas, Goiânia, São Luís e Florianópolis. Capital Regional A posição hierárquica da capital regional é intermediária, estando entre o centro regional e a metrópole regional. Exemplos: Sorocaba, Santos e São José dos Campos, Londrina. Centro Regional É influenciado pela capital regional. Exemplos: Americana, Itapetinga, Anápolis, Cubatão e Cascavel.
  • 8. 1º. São Paulo – SP: 11.253.5032º. Rio de Janeiro – RJ: 6.320.4463º. Salvador – BA: 2.675.6564º. Brasília – DF: 2.570.1605º. Fortaleza – CE: 2.452.1856º. Belo Horizonte – MG: 2.375.1517º. Manaus – AM: 1.802.0148º. Curitiba – PR: 1.751.9079º. Recife – PE: 1.537.70410º. Porto Alegre – RS: 1.409.351
  • 9. Os agrupamentos Urbanos: • Rede Urbana: São as ligações que as cidades estabelecem entre si, formando naturalmente uma hierarquia, cuja importância é medida de acordo com a área de abrangência de cada uma, estabelecida pela prestação de serviços e pela concentração de atividades que a mesma possui. • Conurbação: Encontro físico sócio-econômico das cidades. Ex: ABCD Paulista. • Metrópoles – são cidades com altas densidades demográficas e que concentram variados tipos de universidades, de estabelecimentos comerciais, alem de bancos, sedes de órgãos públicos, jornais e emissoras de televisão, entre outros. • Regiões Metropolitanas: Conjunto de municípios integrados entre si fisicamente e socioeconomicamente. • Megalópoles: Junção de Metrópoles.
  • 10. Outros • Êxodo rural: O processo de urbanização brasileiro apoiou-se essencialmente no êxodo rural. Aelementos: migração rural-urbana tem múltiplas causas, sendo as principais a perda de trabalho no setor agropecuário - em conseqüência da modernização técnica do trabalho rural, com a substituição do homem pela máquina e a estrutura fundiária concentradora, resultando numa carência de terras para a maioria dos trabalhadores rurais. • Macrocefalia Urbana: Caracteriza-se pelo crescimento acelerado dos centros urbanos, principalmente nas metrópoles, provocando o processo de marginalização das pessoas que por falta de oportunidade e baixa renda residem em bairros que não possuem os serviços públicos básicos, e com isso enfatiza o desemprego, contribui para a formação de favelas, resultando na exclusão social de todas as formas. • Verticalização: È a transformação arquitetônica de uma cidade, ou seja, a mudança da forma horizontal das construções (ex: casas), para a verticalização (construção de prédios). • Segregação Espacial: È o foco do poder público as regiões onde a parcela da população possui
  • 11. Problemas Urbanos:
  • 12. Problemas sociais:• Exemplo: Desigualdade social, criminalidade, desemprego etc...
  • 13. Problemas ambientais:• Exemplo: Poluição do Solo, da água e do ar. Ilha de calor, inversão térmica etc..
  • 14. Problemas estruturais:• Exemplo: Moradia, transporte, trânsito, falta de serviços básicos, etc...
  • 15. DIFERENÇAS NO PROCESSO DE URBANIZAÇÃO a) Desenvolvidos: · Urbanização mais antiga ligada em geral a primeira e Segunda revoluções industriais; · Urbanização mais lenta e num período de tempo mais longo, o que possibilitou ao espaço urbano se estruturar melhor; · Formação de uma rede urbana mais densa e interligada. b) Subdesenvolvidos: · Urbanização mais recente, em especial após a 2ª Guerra mundial; · Urbanização acelerada e direcionada em muitos momentos para um número reduzido de cidades, o que gerou em alguns países a chamada macrocefalia urbana"; · Existência de uma rede urbana bastante rarefeita e incompleta na maioria dos países. Obs. Nas metrópoles dos países desenvolvidos os problemas urbanos como violência, transito caótico, etc., também estão presentes.
  • 16. Posição Cidade População País1 Xangai 13 831 900 China2 Bombaim 13 830 884 Índia3 Karachi 12 991 000 Paquistão4 Deli 12 565 901 Índia5 Istambul 12 517 664 Turquia6 São Paulo 11 316 149 Brasil7 Moscou 10 563 038 Rússia8 Seul 10 464 051 Coreia do Sul9 Pequim 10 123 000 China10 Jacarta 9 588 198 Indonésia11 Tóquio 8 887 608 Japão Cidade do12 8 873 017 México México República Democrática do13 Kinshasa 8 754 000 Congo14 Nova Iorque 8 363 710 Estados Unidos
  • 17. Leia também:A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: agentes e processos, escalas e desafios ,Autores: Ana Fani Alessandri Carlos (Org.), Maria Encarnação Beltrão Sposito(Org.), Marcelo Lopes de Souza (Org.)Manual de geografia urbana, Por Mílton Santos

×