Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
No Downloads

Views

Total Views
6,435
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2

Actions

Shares
Downloads
262
Comments
1
Likes
3

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Expressões 10 (ppt adaptado) Pedro Silva Elsa Cardoso Rita Mendes Sónia Costa Rita Correia
  • 2. Coerência e Coesão Textuais
    • COERÊNCIA Semântica
    • (conteúdo)
    • Gramática (morfologia e sintaxe)
    • COESÃO
    • (forma) Lexicologia
  • 3. Diz respeito a todos os meios pelos quais, num texto, se processa a ligação entre os seus componentes (palavras, orações, frases e parágrafos), de modo que transmitam corretamente a ideia apresentada . Coesão Coesão e coerência
  • 4. 1. Coesão gramatical Frásica Interfrásica Temporo-aspectual Referencial Coesão e coerência
  • 5. Coesão frásica Mecanismos que asseguram uma ligação significativa entre os elementos linguísticos que ocorrem a nível sintagmático e oracional . d. Presença de complementos exigidos pelos verbos. a. Ordenação das palavras e das funções sintáticas; b. Concordância; c. Regências; PROCESSOS Coesão e coerência
  • 6.
    • Frase coesa:
    • • ordenação sintática corrente na língua portuguesa;
    • • concordância correta em género e número entre todos os elementos lexicais;
    • respeito pela regência do verbo;
    • • presença do complemento exigido pelo verbo principal transitivo indirecto.
    A nossa televisão corresponde aos anseios dos jovens. Coesão e coerência
  • 7. Frase não coesa: • núcleo verbal não concorda em número com o sujeito composto da frase. * Os meus irmãos e eu fui ao cinema.
    • Frase não coesa:
    • não é respeitada a regência de preposição instituída pelo verbo abdicar que exige a preposição de .
    * Naquela situação, decidiu abdicar ao cargo. Coesão e coerência
  • 8. Coesão interfrásica É assegurada por processos de sequencialização que exprimem vários tipos de interdependência semântica das frases. d. Pontuação. a. Coordenação; b. Subordinação ; c. Conectores e organizadores do discurso; PROCESSOS Coesão e coerência
  • 9. Ainda Eça de Queirós, na cauda da manifestação, tagarelava com Camilo Castelo Branco, na presença da Nudez Forte da Verdade, quando um frémito percorreu o arvoredo da Estefânia. Não chegou a turbilhão, mas foi suficientemente sensível para que um sujeito que comia um bife na Portugália exclamasse: “Ena, pá!” O busto de Cesário Verde convocava o de Guerra Junqueiro e desafiava-o para um desfile. E de busto em busto se transmitiu que não era justo que as estátuas em corpo inteiro se manifestassem e que os bustos se ficassem. Afinal , se nos bustos havia um corpo incompleto, a verdade é que exibiam “mais concentração do espírito”. A frase foi do busto de um poeta, mas não me parece que tenha sido Junqueiro ou Verde. CARVALHO, Mário de, “Corpos incompletos”, in Mealibra , n.º 16, série 3, Verão 2005 Coesão e coerência
  • 10. Coesão temporo-aspectual Mecanismo que coordena os enunciados de acordo com uma lógica de ordenação temporal das situações , numa sequencialização que respeita o conhecimento do mundo partilhado pelos falantes. d. uso de datas e marcas temporais; a. uso correlativo dos modos e tempos verbais ; b. recurso a advérbios e/ou locuções adverbiais ; c. utilização de expressões preposicionais com valor temporal ; PROCESSOS e. recurso a articuladores indicadores de ordenação. Coesão e coerência
  • 11. Frase coesa: • duas situações distintas cuja ordenação é indicada pelos tempos .
    • Frase não coesa:
    • o tempo verbal utilizado não corresponde à marca temporal que abre a frase e que remete para um tempo passado.
    Quando me levou à escola, o meu pai já tinha deixado a minha avó na clínica. * Antigamente, os jovens dedicam-se mais à leitura . Coesão e coerência
  • 12. Coesão referencial Mecanismo que assenta na existência de cadeias de referência ou anafóricas , constituídas por um elemento linguístico – o referente – que é retomado por outro(s) – referente(s) , cujo entendimento só é possível atendendo ao significado do referente. Coesão e coerência
  • 13. a. Anáfora b. Catáfora Coesão e coerência Ao sair da escola, encontrei o Armando e ele disse-me que o seu médico o atendera rapidamente . Após a consulta e o que nela lhe fora dito, o jovem sossegou .
  • 14. c. Elipse d. Co-referência não anafórica Coesão e coerência O Armando foi à consulta e [-] sossegou. O pequeno gato aventurou-se no mundo. A cria ganhou liberdade.
  • 15. e. Deixis
    • Pessoal
    • Temporal
    • Espacial
    • Textual
    A ideia antes exposta... / como se referiu no capítulo anterior… / como se demonstrou acima… / veremos seguidamente… Eu estava em minha casa quando ligaste . Ontem , depois do jantar, vi o Telejornal, como sempre ... Passa-me esse livro que está ao lado da jarra, por favor. Coesão e coerência
  • 16. 2. Coesão lexical Mecanismo que se baseia na repetição da mesma palavra ao longo do texto ou na sua substituição por outras que com ela se relacionam em termos de hierarquia , equivalência ou oposição semântica, de modo a constituir uma rede semântica adequada ao tema desenvolvido. Coesão e coerência
  • 17. PROCESSOS Adoro as lembranças que certos odores me despertam. Os cheiros do mar e da areia, por exemplo, trazem-me imediatamente à memória as férias em família. Ao ver a caixa cheia, desejava no seu íntimo que estivesse já vazia. Coesão e coerência b. Sinonímia / antonímia a. Repetição A criança é a força do futuro. A criança é a expectativa de renovação e é na criança que assenta a esperança de um mundo melhor.
  • 18. d. Holonímia / meronímia Naquela casa tudo a atraía. Os quartos luminosos, as salas coloridas, a cozinha espaçosa e funcional. c. Hiperonímia / hiponímia Certos ossos do nosso corpo são mais vulneráveis às quedas. O fémur , por exemplo, exige atenções redobradas quando se praticam esforços violentos. Coesão e coerência
  • 19. Resulta da interacção entre os elementos cognitivos apresentados pelas ocorrências textuais, enraizados na intenção comunicativa, e o nosso conhecimento do mundo . Coerência Coesão e coerência
  • 20. 1. Coerência lógico-conceptual Existe num texto cujo conteúdo está de acordo com o mundo tal como o concebemos, assente em relações de índole diversa (tempo, espaço, causa, fim, meio…), e que, portanto, respeita princípios referentes à natureza lógica e regular dos conceitos. São estes princípios: a. a regra da não contradição ; b. a regra da não tautologia ; c. a regra da relevância . Coesão e coerência
  • 21. 2. Coerência pragmático-funcional Nasce da intenção comunicativa . Logo, depende dos atos ilocutórios e do objectivo que se pretende atingir com a linguagem. Para se considerar coerente um determinado texto, há que atender à intenção do locutor e ao fim do enunciado , por sua vez associado aos atos de fala dos outros interlocutores. Coesão e coerência