Descrição aa

2,240 views
1,705 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,240
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
265
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Descrição aa

  1. 1. A DESCRIÇÃO
  2. 2. Descrever um lugar, uma paisagem ou um objeto é dizer como eles são, pormenorizadamente e de forma organizada. A descrição corresponde, ainda, a um momento de pausa incluído na narrativa; pode ser objetiva (identificação rigorosa de um objeto observado com imparcialidade) ou subjetiva (dando conta das sensações e emoções provocadas) e também se pode distinguir descrição estática (referente a um cenário imobilizado) de descrição dinâmica (de um cenário em movimento).
  3. 3. Descrição Estática Dinâmica  coisas imóveis  seres ou objetos animados de movimento  verbos estáticos  verbos dinâmicos ( que exprimem movimento)  sensações visuais, olfativas, gustativas, térmicas, auditivas  predominância de sensações cinéticas (que indicam movimento)
  4. 4.  As sequências descritivas são constituídas por um todo (pessoas, personagens, espaços, fenómenos atmosféricos, objetos) e partes/aspetos que configuram esse tópico (sobre o qual incide a descrição).  Consideram-se dois tipos específicos de textos descritivos:  a descrição técnica  a descrição literária
  5. 5. DESCRIÇÃO TÉCNICA Carácter objetivo – divisão do elemento a descrever em partes (totalidade/partes, externo/interno, etc.); Precisão de vocabulário – objetivo e técnico – linguagem denotativa; Frases, normalmente, curtas; Tempo verbal dominante: presente do indicativo;  Presença de adjetivos qualificativos; Uso de advérbios com valor locativo, embora não tão abundantes como na descrição literária.
  6. 6. DESCRIÇÃO LITERÁRIA Predominantemente construída com o verbo ser e outros verbos caracterizadores de propriedades/qualidades/aspetos de seres e objetos, como estar, continuar, permanecer, ficar e outros; Carácter subjetivo; Vocabulário variado, evitando repetições; Linguagem conotativa; Tempos verbais dominantes: presente e pretérito imperfeito; Recursos expressivos (enumerações enquadradas por relações de hiperonímia/hiponímia e holonímia/meronímia e outras figuras de estilo); Abundância de adjetivos qualificativos; Uso de advérbios com valor locativo.
  7. 7. Características do texto descritivo:  Ordenação (deve selecionar-se a ordem de apresentação dos elementos – do geral para o particular ou vice-versa; de cima para baixo, ou vice-versa, …);  Uso de adjetivos;  Verbos no Pretérito Imperfeito ou Presente do Indicativo; Sensações Exemplos de expressões Verbos Adjetivos visuais Olhar, observar, ver, … Verde, brilhante, escuro, … olfativas Cheirar, aspirar, aromatizar, … Agradável, perfumado, intenso,… auditivas Ouvir, escutar, sussurrar, … Estridente, agudo, surdo, … táteis Tocar, acariciar, apalpar, … Suave, duro, áspero, macio, … gustativas Provar, saborear, adoçar, … Doce, picante, salgado, amargo, …  Recursos estilísticos: dupla, tripla adjetivação, personificação, metáfora, enumeração, gradação, comparação, …  Sensações:
  8. 8. Na Primavera as bétulas cobriam-se de jovens folhas, leves e claras, que estremeciam à menor aragem. Então a neve desaparecia e o degelo soltava as águas do rio que corria ali perto e cuja corrente recomeçava a cantar noite e dia entre ervas, musgos e pedras. in O cavaleiro da Dinamarca, Sophia Mello Breyner Andresen EXEMPLO:

×