Your SlideShare is downloading. ×
0
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Trabalho Direito
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Trabalho Direito

850

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
850
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
5
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • TURMA
  • É ISSO MESMO MAGALI...MINHA MÃE ESTÁ ME ENSINANDO ALGO QUE ELA APRENDEU NO TRABALHO.
  • DEPOIS DE ALGUM TEMPO QUE A MONICA EXPLICOU OS MÉTODOS JUST IN TIME, E KANBAN... Que legal monica, mas como podemos usar isso na nossa vida?? Isso é simples...
  • NOSSA...PODEMOS USAR EM VÁRIAS COISAS...VAMOS DAR UMA VOLTINHA QUE VOU TENTAR TE MOSTRAR!
  • HUM...GOSTEI DESSA HISTÓRIA DE ESTOQUE E DE PRODUZIR SOMENTE O QUE VAMOS PRECISAR... ACABO DE BOLAR UM PLANO INFALÍVEL
  • FALA CEBOLINHA!! QUER JOGAR BOLA?? DEIXA DISSO CASCÃO! VEM COMIGO QUE TENHO UM PLANO INFALÍVEL CONTRA A DENTUÇA DA MONICA!
  • ENQUANTO ISSO... PARA QUE ESTA MELANCIA NÃO ESTRAGUE O DONO DA QUITANDA NÃO PODE DEIXAR ELA PARADA LÁ MUITO TEMPO. ELE PRECISA CALCULAR QUANTAS ELE VENDE POR MÊS, E COMPRAR SÓ O QUE, EM MÉDIA, ELE VENDE!
  • PARA MINGAU TOMAR O LEITINHO DELE, SUA MAE VAI AO MERCADO COMPRAR. SE ELA COMPRA 80LITROS SÓ PRO MINGAU, E ELE TOMA 5 LITROS POR MÊS....VAI ACABAR SOBRANDO E ESTRAGANDO.
  • HUM...ENTÃO É QUE NEM NA NOSSA CASA TEMOS QUE CONTROLAR TUDO PARA NÃO TER DESPERDÍCIO DE NADA ISSO MESMO! JÁ ENTENDEU...
  • VÁRIAS HORAS DEPOIS... AMANHÃ É O GRANDE DIA!! VAMOS COLOCAR EM PRÁTICA TUDO SOBRE ADMINISTRAÇÃO! ISSO!! JÁ SEPARAMOS TODOS OS MATERIAIS NECESSÁRIOS!! COMPRAMOS TUDO SEM DEIXAR NADA PRO ESTOQUE!!
  • NO OUTRO DIA... GORDUCHA, BAIXINHA, DENTUÇA
  • CORRE MAIS CASCÃO!!!ELA TÁ QUASE NOS ALCANÇANDO...DEPRESSA!!!!!!!!!
  • PULA AGORA CASCÃO!!! BEM ONDE PLANEJAMOS!! NÃO ADIANTA SE ESCONDEREM AÍ, QUE EU PULO ESSE ARBUSTO!!
  • CONSEGUIMOS CEBOLINHA!! ELA TROPEÇOU, CAIU, E DEIXOU O SANSÃO CAIR LONGE!! AGORA...CORRE MAIS...POIS ELA JÁ VAI VOLTAR E TEMOS QUE FAZER O NOSSO PLANO B!
  • PULA CASCÃO!! A MÔNICA ESTÁ BEM ATRÁS DE VOCÊ!!!
  • VOCÊS ACHARAM QUE EU IA CAIR NO BURACO??? ME DEVOLVE MEU COELHINHO!!!
  • MAS EU TINHA CALCULADO TUDO CERTINHO...É...É DIFÍCIL ESSE NEGÓCIO DE ADMINISTRAR PLANOS.. CEBOLINHAAA!!! PORQUE TU INVENTOU ESSA HISTÓRIA....BUAAA...DEU TUDO ERRADO!!!
  • ESSES MENINOS NÃO MUDAM!! BOM...VOU LÁ NA MAGALI VER SE ELA ENTENDEU O QUE CONVERSAMOS SOBRE AS TÉCNICAS DE ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO, ONDE O KANBAN É UMA DAS TÉCNICAS UTILIZADAS NA FILOSOFIA JUST IN TIME.
  • A TÉCNICA JUST IN TIME É AQUELA ONDE DEVE-SE REDUZIR AO MÁXIMO OS ESTOQUES E OS DESPERDÍCIOS. E A TRADUÇÃO DA PALAVRA KANBAN É “CARTÃO” OU “SINAL”. O CARTÃO É RESPONSÁVEL POR TODO SISTEMA DE ORGANIZAÇÃO E FICA ORGANIZADO NOS QUADROS KANBAN
  • BOM...ESPERO QUE EU TENHA AJUDADO VOCÊS... COMO ESTÁ ESCURECENDO, VOU DAR BOA NOITE PARA MAGALI
  • NOSSA MAGALI...O QUE ACONTECEU COM VOCÊ!!!!!!!!!!! VOCÊ FICOU DOENTE??? O QUE HOUVE???
  • POIS É MÔNICA...PARA NÃO TER ESTOQUES NA MINHA CASA, COMI TUDO O QUE TINHA NA GELADEIRA, POIS NÃO QUERIA QUE ESTRAGASSE E TIVESSE DESPERDÍCIO...MAS ACHO QUE EXAGEREI...AI... FIM
  • Transcript

    • 1. Técnicas de Administração de Produção REVISTA “Fique Online” Autores: Alex Ariela Luis Felipe
    • 2.  
    • 3. COLUNAS: 1. De olho no Ambiente 2. História em Quadrinhos 3. Palavras-Cruzadas 4. Conta Mais 5. Comportamento 6. Entrevista 7. Investigação de Mercado 8. Passo a Passo 9. Flagra
    • 4. 1. DE OLHO NO AMBIENTE <ul><li>Produção Mais Limpa: uma ferramenta da Gestão Ambiental aplicada às empresas nacionais </li></ul>O mercado está se tornando cada vez mais exigente. Esse fato demanda não só o oferecimento de produtos com qualidade, como também a implementação de uma administração responsável, que se preocupe tanto com o social quanto com o ambiental. Então, apresentar uma nova técnica que possibilite às empresas nacionais a produzir de modo ambientalmente correto, obtendo vantagens competitivas, é a finalidade desta reportagem.
    • 5. <ul><li>Tópicos encontrados nesta edição: </li></ul><ul><li>O novo ambiente de concorrência (pg.3) </li></ul><ul><li>Gestão Ambiental como fator de concorrência (pg.5) </li></ul><ul><li>Os cinco princípíos de um Sistemas de Gestão Ambiental </li></ul><ul><li>Conceito de Produção Mais Limpa (pg.7) </li></ul><ul><li>Mudanças de Materiais (pg. 8) </li></ul><ul><li>Modificações na Tecnologia de Produção </li></ul><ul><li>Mudanças no Produto (pg. 9) </li></ul><ul><li>As dificuldades de Implantação (pg. 11) </li></ul><ul><li>Principais benefícios da Gestão Ambiental (pg. 12) </li></ul>Veja a Revista Fique Online e fique sabendo de tudo o que acontece
    • 6. 2. HISTÓRIA EM QUADRINHOS
    • 7. TÉCNICAS DE ADMINISTRAÇÃO DE PRODUÇÃO Alex, Ariela e Luis EM... &quot;ESTOQUES PRA QUÊ?&quot; com ajuda dos amigos:
    • 8.  
    • 9.  
    • 10.  
    • 11.  
    • 12.  
    • 13.  
    • 14.  
    • 15.  
    • 16.  
    • 17.  
    • 18.  
    • 19.  
    • 20.  
    • 21.  
    • 22.  
    • 23.  
    • 24.  
    • 25.  
    • 26.  
    • 27.  
    • 28.  
    • 29.  
    • 30.  
    • 31.  
    • 32. 3. PALAVRAS-CRUZADAS
    • 33. 4. CONTA MAIS <ul><li>FERRAMENTAS GERENCIAS DA QUALIDADE </li></ul><ul><li>O ciclo PDCA é uma proposta de abordagem organizada que tem como </li></ul><ul><li>objetivo solucionar qualquer tipo de problema. Desta forma, pode-se </li></ul><ul><li>orientar de maneira eficaz e eficiente a preparação e a execução de </li></ul><ul><li>atividades planejadas para a solução de um problema. </li></ul><ul><li>O ciclo PDCA tem por princípio tornar mais claro e mais ágeis </li></ul><ul><li>os Processos envolvidos na execução da gestão, começando pelo </li></ul><ul><li>planejamento, em seguida executa-se o conjunto de ações planejadas. </li></ul><ul><li>Posteriormente, compara-se os resultados obtidos com a meta </li></ul><ul><li>estipulada e, por fim, toma-se uma ação para eliminar ou ao menos </li></ul><ul><li>reduzir os defeitos no produto ou processo. </li></ul><ul><li>Algumas ferramentas básicas e gerenciais da qualidade são muito úteis </li></ul><ul><li>durante o uso do ciclo PDCA. Dentre elas, o Diagrama de Causa e </li></ul><ul><li>Efeito e o Método de Análise de Pareto, que serão analisados a seguir. </li></ul>
    • 34. Dicas para montar o Diagrama de Causa e Efeito: a) Reuna os envolvidos e peça sugestões (brainstorming); b) Faça perguntas usando as grandes causas como catalisadores; c) Chegue a um consenso com os envolvidos; d) Defina a causa específica com poucas palavras. Para construção do Diagrama de Causa e Efeito, um caminho é o uso dos “5 por quês”. 5 Por quês A técnica dos 5 por quês faz com que analisemos cada causa em vários níveis, sempre questionando “ por quê” até chegarmos à raiz do problema A análise do problema consiste em conhecer as causas do problema, utilizando para isto o Diagrama de Ishikawa (Causa e Efeito) e os 5 por quês, a fim de conhecer as causas fundamentais (causa raiz) do problema em análise. Deve-se investigar como o problema ocorre e quais os fatores que o afetam, assim como as suas variações. Para conhecer o problema, é necessário estratificá-lo, visitando o local onde o problema ocorre e observando vários fatores, como o desenho ao lado.
    • 35. DIAGRAMA DE PARETO <ul><li>O Diagrama de Pareto é um gráfico de barras que ordena os problemas, identificando os mais importantes e medindo-os em diversas escalas, permitindo usar a teoria de Pareto (poucos essenciais, muito triviais). </li></ul><ul><li>Ou seja, há muitos problemas sem importância diante de outros mais importantes. </li></ul><ul><li>Além disso, o Diagrama de Pareto permite agrupar os dados de diferentes formas, medem o impacto de mudanças no processo e quebra causas genéricas em causas específicas. </li></ul>
    • 36. 5. COMPORTAMENTO <ul><li>5S – MANUAL DE PROCEDIMENTOS: </li></ul><ul><li>OS PRINCÍPIOS PARA SEREM ALCANÇADOS </li></ul>Devido ao novo cenário econômico mundial intensificado pela globalização fica mais intenso o código de defesa do consumidor em função do desenvolvimento da conscientização dos consumidores. Esta conscientização força as organizações de um modo geral a reverem suas posturas frente ao consumidor, aos acionistas e outros membros da sociedade. Segundo Deming – o primeiro homem que ensinou os conceitos de Qualidade no Japão – “Todos querem Qualidade, porém, cada ser humano tem uma visão diferente sobre Qualidade”. Com isto, surgem diversos programas voltados à Qualidade com o objetivo de promover a melhoria contínua dos produtos e dos seus processos. O programa 5S, tem como finalidade fazer com que a organização crie um ambiente favorável na busca desta melhoria contínua. A base do programa 5S esta firmada nos conceitos dos Sensos de utilização, Organização, Limpeza, Saúde e auto disciplina e se faz necessário para avaliar o programa uma auditoria do 5S. O programa 5S, é uma prática muito simples de ser implantada nas organizações publicas e privadas, Quando estes conceitos são praticados ele é capaz de modificar o humor das pessoas, o ambiente de trabalho, a maneira de conduzir todas as atividades rotineiras e sua atitude. mudanças de hábito são lentas, portanto, se faz necessário ter paciência durante a implantação. As organizações que implantam o 5S tem como objetivo de desenvolver comportamento das pessoas, para que tais mudanças possam agregar valor nos processos organizacionais promovendo satisfação de seus clientes, melhoria continua de seus produtos, enfim, criar uma ambiente da Qualidade para que as pessoas possam transformar os seus potenciais em realização mensurável. A pratica nas empresas tem mostrado que o programa 5S representa uma grande oportunidade inigualável de mobilizações dos empregados, preparando caminho para a introdução dos demais programas da Qualidade mais avançados. É impressionante ver como o programa 5S é de fácil aplicação e pode nos trazer diversos benefícios. Na maioria das vezes estamos acostumados com os maus hábitos corriqueiros do dia-a-dia, que não paramos para pensar como tudo seria melhor se nos dedicássemos mais a melhorar nosso próprio ambiente. Sabendo de tantos benefícios é impossível não praticar. o 5S. O 5S surgiu por volta de 1950, logo após a 2º Guerra Mundial e sua finalidade era combater a sujeira das fábricas do Japão. Devido ao grande sucesso alcançado pelo Japão outros países começaram a disseminar sua prática. O Fato é que muitos que o fizeram não tomaram o cuidado de atentar para o real objetivo que estes conceitos tinham que transmitir e algumas implantações não deram certo ou não foram levadas a sério.
    • 37. <ul><li>“ S” Denominação Inicial em JAPONÊS Tradução em INGLÊS Tradução para Português: </li></ul><ul><li>1º Seiri Sorting   =  Senso de Utilização = Arrumação, Organização, Seleção </li></ul><ul><li>2º Seiton Systematyzng = Senso de Ordenação = Sistematização, Classificação </li></ul><ul><li>3º Seisou Sweeping = Senso de Limpeza =  Zelo </li></ul><ul><li>4º Seiketsu Sanitizing = Senso de Asseio = Higiene, Saúde, Integridade </li></ul><ul><li>5º Shitsuke Self - Disciplining = Senso de Autodisciplina = Educação, Compromisso </li></ul>
    • 38.  
    • 39. 6. ENTREVISTA <ul><li>Produção de um Craque </li></ul><ul><li>Em um bate-papo bem descontraído com alguns empresário do meio </li></ul><ul><li>futebolístico sobre princípios básicos para que um menino se torne um </li></ul><ul><li>jogador de sucesso neste tão concorrido mercado. </li></ul>Pergunta - O quê é necessário para a formação de um craque? Resposta: Como em todo o processo de produção o primeiro passo é a captação do material, que no caso é a procura do talento, de preferência em sua fase ainda bruta, pois hoje em dia temos necessidade cada vez maior de iniciar a preparação do atleta o quanto antes. Pergunta - Como é feita esta Procura? Resposta: Efetuando peneiras em diversas localidades, preferencialmente em periferias e regiões de baixa renda, pois em &quot;campinhos“ (cada vez mais escassos), nas vilas mais pobres, podemos localizar talento que podem caso tudo seja feito de forma organizada e séria, tornar uma criança pobre em um jogador de futuro. E também trabalhando com indicações de pessoas ligadas ao ramo que tentam dar um futuro melhor para filhos, sobrinhos,etc.
    • 40. Pergunta - E como fica após a seleção e localização do Atleta? Resposta - Existe todo um processo de investigação da vida do atleta, como origem da Família, condições de vida, local onde mora, grau de escolaridade e convívio social. Se necessário e de acordo com cada um, são feitas mudanças em hábitos e costumes e até de residência, para que seja implantada em sua rotina diária a cultura e a idéia fixa de ser um Cidadão e posteriormente um atleta. Pergunta - A preparação do Atleta para o mercado, como é feita? Resposta - Existem centros de treinamentos espalhados por todo o Brasil(Ex. Clube Pedras Brancas - Alvorada) que estão se especializando neste tipo de negócio. Fornecem estrutura, alojamentos, alimentação, acompanhamento médico e psicológico para o atleta(se necessário também aos familiares), cuidam da lapidação propriamente dita do atleta, com a garantia de um posterior retorno financeiro após o seu encaminhamento profissional. Pergunta - Após a preparação, qual o próximo passo? Resposta - O próximo passo é a colocação do atleta na &quot;vitrina&quot;. A procura de um Clube, para o atleta poder ganhar visibilidade, almejar e conseguir um contrato. Pergunta - Como é feito o controle dos contratos? E existe após a profissionalização um acompanhamento? Resposta - O controle é feito diretamente pelo empresário que administra a carreira do atleta, sendo o procurador do mesmo. e o acompanhamento é feito com uma vigilância constante sobre o atleta, no sentido de não deixá-lo desamparado nos momentos de dificuldade e lhe impor limites nos momentos de maior euforia.
    • 41. 7. INVESTIGAÇÃO DE MERCADO <ul><li>A Empresa MA Ltda produz dois tipos de grades para janelas residenciais. O </li></ul><ul><li>modelo G1 e o modelo G2. A venda desses produtos é realizada com margem </li></ul><ul><li>de lucro unitário de R$ 10,00 e R$ 6,00, respectivamente. </li></ul><ul><li>Para a grade G1 estão agendadas 35h de trabalho, sabendo-se que, </li></ul><ul><li>tecnicamente, a produção da unidade de G1 requer em média 5h. As </li></ul><ul><li>encomendas em carteira para o produto G2 aconselham que não sejam </li></ul><ul><li>produzidas mais do que 7 unidades. </li></ul><ul><li>A matéria prima utilizada pela MA Ltda é de 40kg de alumínio, sendo que há </li></ul><ul><li>consumo de 5kg de alumínio por unidade produzida G1 e G2. A empresa </li></ul><ul><li>pretende otimizar a produção de G1 e G2, visando a maximização do lucro. </li></ul>Destacando os seguintes elementos : X1 = G1 = 10,00 X2 = G2 = 6,00 Função objetivo : MAX L = 10 x 1 + 6 x 2
    • 42. <ul><li>Funções de restrição? </li></ul><ul><li>Para a produção de G1 são reservadas 35 horas de produção, sendo que são utilizadas 5 horas pró unidade produzida; </li></ul><ul><li>Apresenta-se uma indicação de produção máxima de 7 unidades de G2; </li></ul><ul><li>Cada novo produto consome 5kg do total de 40kg da matéria prima. </li></ul>Sendo assim: Funções de restrições técnicas; * De horas produtivas ↔ 5x1 ≤ 35 * De produção aconselhável ↔ x2 ≤ 7 * De matéria prima ↔ 5x1 + 5x2 ≤ 40 * Função de restrição de não negatividade↔ x1 ≥ 0 , x2 ≥ 0
    • 43. 8. PASSO A PASSO
    • 44. GRÁFICO PERT
    • 45. Exemplo pronto de Gráfico PERT e Caminho Crítico
    • 46. 9. FLAGRA <ul><li>Uma fila é composta por elementos e características que precisam </li></ul><ul><li>ser verificadas. Os elementos chave de um sistema de filas são </li></ul><ul><li>clientes e servidores, chamamos de clientes os usuários do sistema </li></ul><ul><li>de filas e servidores que prestam o serviço. Ao observamos uma fila, </li></ul><ul><li>Três pontos precisam ser verificados: </li></ul><ul><li>1. Regime de chegada: as chegadas dos clientes podem ocorrer em tempos aleatórios ou programados. No caso de máquinas e processos, os tempos podem ser programados e por esse motivo deve ser de conhecimento do Administrador o intervalo de espera para a chegada do cliente, que pode ser, por exemplo, um produto. </li></ul><ul><li>2. Disciplina da fila: o conjunto de regras que determinam a ordem em que os clientes devem ser atendidos é de extrema importância para determinação da forma em que a produção deve ocorrer. </li></ul><ul><li>3. Regime de serviço: nesse ponto, três aspectos devem ser observados: </li></ul><ul><li>- Disponibilidade do serviço: é o tempo em que o serviço pode ser realizado. Como exemplo, podemos citar a carga horária de um funcionário ou o tempo máximo para utilização de determinada máquina. </li></ul><ul><li>- Capacidade do sistema: representa o limite de clientes que o sistema pode atender simultaneamente. Caso tenhamos 4 máquinas, a capacidade do sistema é de atendimento a 4 produtos simultaneamente. </li></ul><ul><li>- Tempo de serviço de cada cliente: tempo utilizado para atendimento aos clientes. Considerando que durante a produção de um determinado produto, a colocação da peça x dura 30 segundos, esse será o tempo de serviço de cada cliente. </li></ul>SISTEMA DE FILAS Sistemas tradicionais • Balcão de check-in em um aeroporto • Caixas automáticos • Restaurantes self-service • Espera numa ligação 0800 • Interseção viária • Cabines de pedágio • Chamados a polícia, bombeiro ou empresas prestadoras de serviços
    • 47. CRITÉRIOS PARA AVALIAÇÃO DE UMA FILA <ul><li>1. PROBABILIDADE DE ESPERA </li></ul><ul><li>2. PROBABILIDADE DE ESPERA MAIOR QUE O TEMPO t </li></ul><ul><li>3. TEMPO MÉDIO DE ESPERA </li></ul><ul><li>4. PROBABILIDADE DE A FILA SER MAIOR QUE UM VALOR DETERMINADO </li></ul><ul><li>5. PERDA DE TEMPO RELATIVA </li></ul>FÓRMULA PARA DEFINIÇÃO DO NÚMERO DE SERVIDORES (NS) VISANDO A REDUÇÃO DAS FILAS. NS = VC x TA CH Na qual: VC corresponde ao volume de clientes TA corresponde ao tempo individual de atendimento CH corresponde à carga horária de um funcionário ou ao tempo de funcionamento de determinada máquina. Obs. TA e CH devem estar na mesma unidade de tempo (segundos, minutos, ou horas)
    • 48. 10. Referências Bibliográficas <ul><li>www.universia.com.br </li></ul><ul><li>www.scielo.org.br </li></ul><ul><li>http://www.deinf.ufma.br/~mario/grad/filas/TeoriaFilas_Cajado.pdf </li></ul><ul><li>http://www.revistaportuaria.com.br/site/?home= artigos&n = CTU&t </li></ul><ul><li>teoria-das-filas-aotimizaco-nas-atividades-transporte-rodoviario- carga </li></ul><ul><li>Karl T. Ulrich ; Steven D. Eppinger . Materiais de ensino para acompanhar. Tradução: Product . Design and Development . Capítulo 14 2a. Edição, Irwin McGraw ,São Paulo, 2000. </li></ul>
    • 49. Muito obrigado pela atenção!!

    ×