Your SlideShare is downloading. ×
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Conceitos hardware perifericos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Conceitos hardware perifericos

1,215

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,215
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
76
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Prof. Ari Clayton Soares Formiga Tecnologia da Informação ariclayton@gmail.com http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 2. Terminologias de Informática Disciplinas: Informática e Gestão em TI Prof. Ari Clayton Soares Formiga ariclayton@gmail.com www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 3. Histórico das comunicações 1540 – Gutemberg – Impressão 1642 Blaise Pascal – Calculadora Mecanica 1830 Charles Babbage – Calculadora Binaria 1838 Samuel Morse e Thomas Edison – Telegrafo Informações eram transmitidas através de pulsos elétricos, codificadas em código Morse (cadeias de símbolos binários que expressavam dois estados: ligado e desligado / longo e curto - traço e ponto) 1876 Graham Bell – Telefone, conceitos usados posteriormente no RADIO 1908 e TV 1922 1946 – Universidade Pensilvânia – ENIAC –Computador 18000 Válvulas. 1980 Herman Hollerith – Cartões perfurados Criação dos cartões perfurados, foram utilizados no recenseamento dos Estados Unidos . Com a corrida militar armamentista e a indústria surgem as válvulas 1947 – Laboratórios BELL – O invento do transistor 1957 – IBM – Inicia o desenvolvimento de computadores Surge o primeiro computador com armazenamento em disco. IBM 305 RAMAC. 1962 – IBM – Primeira unidade com disco removível
  • 4. Válvula As válvulas funcionavam como relés mais sofisticados. Eram muito mais rápidas que os relés, mas tinham o inconveniente de durarem pouco tempo. Cerca de 1000 horas de uso http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 5. TRANSISTORES Realmente os transistores causaram um grande impacto em todos os aparelhos eletrônicos, como rádios, TVs, vitrolas e tudo o mais que antes utilizava válvulas. Mas foi nos computadores que esses pequenos componentes tiveram a maior repercussão. Isso não é muito difícil de entender. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 6. Transistores, chip e Válvula http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 7. Circuitos integrados Ao mesmo tempo em que os computadores transistorizados eram cada vez mais utilizados em todo o mundo, um outro grande avanço tecnológico ocorria: A corrida espacial. Americanos e soviéticos lançavam seus foguetes rumo ao espaço. A NASA (Agência Espacial Norte-Americana) gastou bilhões de dólares com seu programa espacial, contratou empresas fabricantes de transistores para que realizassem uma miniaturização ainda maior. Uma dessas empresas, até hoje uma líder mundial em microeletrônica, é a TEXAS INSTRUMENTS. Foram então criados os primeiros CIRCUITOS INTEGRADOS, também chamados de CHIPS. Basicamente, um circuito integrado é um pequeno componente eletrônico que possui em seu interior, centenas, ou até milhares de transistores. Origem dos Computadores: Atualmente os concursos em geral não cobram questões relativas à história da informática, entretanto, convém ir às provas lembrando-se ao menos do ENIAC, pois já se cobrou em algumas delas este sendo o representante legítimo ao primeiro computador da história. Aqueles velhos CHIPS dos anos 60 tinham em seu interior, dezenas ou centenas de transistores. Já o microprocessador PENTIUM, um moderno CHIP dos anos 90, contém em http://www.ariclayton.blogspot.com.br seu interior, nada menos que 3.500.000 transistores!
  • 8. ENIAC - Construído na Universidade da Pensilvânia Em 1946 foi inventado o primeiro computador eletrônico de grande porte, o Eniac. Construído na Universidade da Pensilvânia, apresentava aproximadamente 18.000 válvulas se ocupava o espaço de uma sala. O objetivo do ENIAC era ajudar o exército americano durante a 2ª guerra mundial Ainda nessa época, os computadores eram chamados de "calculadoras". Um dos famosos computadores da época era chamado de ENIAC (Electronic Numeric integrator and Calculator).
  • 9. Módulo I – Introdução e Hardware Hardware Hardware é toda parte física do computador. 1) Unidade de Processamento; 2) Memória Principal; 3) Memória auxiliar; 4) Dispositivo de entrada; 5) Dispositivo de saída.
  • 10. Módulo I – Introdução e Hardware Processadores Equipamento que funciona como cérebro do computador, realizando o processamento (cálculo) das informações que passam por ele. Há vários processadores atualmente no mercado, e você pode comprar aquele que for mais interessante para você. Os vários processadores encontrados atualmente são, normalmente, fabricados por duas empresas concorrentes: A Intel e a AMD. - CELERON - PENTIUM 4 - PENTIUM M / CELERON M (notebooks) - XEON (servidores) - ITANIUM (servidores) - SEMPROM - ATHLON XP - MOBILE ATHLON XP (notebooks) - ATHLON 64 - OPTERON (servidores)
  • 11. Não confunda : MICROCOMPUTADOR: É um computador pequeno, de tamanho tal que pode ser colocado sobre uma mesa. Quando surgiram os microcomputadores, existiam apenas os computadores de grande porte (que ocupavam salas inteiras) e os minicomputadores, que eram do tamanho de uma geladeira. MICROPROCESSADOR: É um pequeno CHIP, que cabe na palma da mão. Podemos dizer que esse chip é o "cérebro" do computador. É ele que executa os programas, faz os cálculos e toma as decisões, de acordo com as instruções armazenadas na memória. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 12. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 13. CPU, INPUT e OUTPUT Vimos uma evolução da história dos computadores, para entender como tiveram origem os microcomputadores modernos. Todos os computadores possuem uma parte muito importante, chamada de UNIDADE CENTRAL DE PROCESSAMENTO (UCP). Em inglês, usamos a sigla CPU, que é abreviatura de CENTRAL PROCESSING UNIT. Nos computadores de grande porte, a CPU é formada por uma ou várias placas. Cada uma dessas placas contém vários CHIPS. Nos microcomputadores a CPU nada mais é que o próprio MICROPROCESSADOR. É também comum chamar a placa que contém o microprocessador de PLACA DE CPU. Não quer dizer que a CPU seja a placa inteira. A PLACA DE CPU é a placa que contém a CPU, ou seja, que contém o MICROPROCESSADOR. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 14. CPU, INPUT e OUTPUT SAÍDA DE DADOS (OUTPUT). Podemos dizer que o computador é uma máquina que passa o tempo todo realizando três operações: • ENTRADA • PROCESSAMENTO • SAÍDA A entrada de dados é realizada por diversos dispositivos coordenados pela CPU. Entre eles podemos citar o teclado. O processamento é realizado pela própria CPU. Lembre-se que CPU significa "Unidade Central de Processamento". A saída de dados é realizada por vários dispositivos, sob a coordenação da CPU. Entre eles podemos citar o vídeo e a impressora. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 15. Resumindo ... CPU - É a Unidade Central de Processamento. Em computadores de grande porte, a CPU é formada por uma ou mais placas. Nos microcomputadores, a CPU é o próprio MICROPROCESSADOR. PLACA DE CPU - Todo microcomputador possui uma placa principal, chamada de PLACA DE CPU. Esta placa contém o microprocessador, a memória e outros circuitos importantes. PROCESSAMENTO - É a principal função da CPU. Além de realizar o processamento dos dados. A CPU também comanda as operações de ENTRADA e SAÍDA, que são realizadas por circuitos auxiliares chamados de INTERFACES. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 16. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 17. BITS & BYTES BIT - Número que pode representar apenas dois valores: 0 e 1. BYTE - Grupo de 8 bits. Pode representar valores numéricos entre 0 e 255. Pode também ser usado para representar caracteres. Cada caráter ocupa um byte. KB (KILOBYTE) - Um grupo de aproximadamente 1.000 bytes. MB (MEGABYTE) - Um grupo de aproximadamente 1.000.000 bytes. GB (GIGABYTE) - Um grupo de aproximadamente 1.000.000.000 bytes. Estamos acostumados a utilizar o SISTEMA DECIMAL DE NUMERAÇÃO. Esse sistema usa 10 algarismos para formar todos os números: 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, e 9. O sistema de numeração decimal usa exatamente 10 algarismos, devido ao fato dos seres humanos terem 10 dedos. Historicamente o número 10 foi escolhido, pois os números eram usados na vida cotidiana para contar. Contar carneiros, bois, pães, pessoas, etc. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 18. BITS & BYTES Vejamos agora o que é KB, MB e GB. Dissemos anteriormente que 1 KB é aproximadamente 1000 bytes. Na verdade, 1 KB são 1024 bytes. Este número foi escolhido porque sua representação binária é muito mais simples que a representação do número 1000: 1000 = 01111101000 em binário 1024 = 10000000000 em binário Por razões de simplificação de hardware, o número 1024 foi o escolhido para representar o "k" da computação. Na vida cotidiana e na física, o "k" vale 1000: • 1 km = 1000 metros • 1 kg = 1000 gramas • 1 kV = 1000 volts Entretanto, na informática, o multiplicador "k" (lê-se "quilo" ou "ká") vale 1024. Por isso dizemos que 1 KB é aproximadamente 1000 bytes. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 19. BITS & BYTES Da mesma forma, o multiplicador "M" (lê-se "mega"), que normalmente vale 1.000.000, na computação vale: 1 M = 1024 k = 1024x1024 = 1.048.576 Portanto, 1 MB (lê-se "um megabyte") são exatamente 1.048.576 bytes. Mas para efeitos práticos, podemos dizer que 1 MB é aproximadamente 1 milhão de bytes. O multiplicador "G" (lê-se "giga"), que normalmente vale 1 bilhão, na computação vale: 1 G = 1024 M = 1024x1024x1024 = 1.073.741.824 Portanto, 1 GB (lê-se "um gigabyte") são exatamente 1.073.741.824 bytes, mas para efeitos práticos podemos dizer que 1 GB é aproximadamente 1 bilhão de bytes. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 20. Módulo I – Introdução e Hardware Unidades de medida MEDIDA: REPRESENTA O MESMO QUE: Bit (b) 0 ou 1 - menor unidade de dado Byte (B) conjunto de 8 bits ou 1 caractere Kilobyte (KB) 210 ou 1024 bytes Megabyte (MB) 210 ou 1024 Kilobyte Gigabyte (GB) 210 ou 1024 Megabyte Terabyte (TB) 210 ou 1024 Gigabyte
  • 21. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 22. Memória Memória principal A CPU é a parte mais importante de um computador. Essa importância é tão grande, que é comum ouvir pessoas chamando seus computadores pelo nome do microprocessador: "... possuo um computador 486...". Podemos dizer que depois da CPU, a parte mais importante de um computador é a MEMÓRIA. Tanto é assim que ouvimos muitos usuários de micros falarem: "... possuo um 486 com 8 MB de memória...". A MEMÓRIA PRINCIPAL é aquela que é acessada diretamente pelo microprocessador. É formada por diversos tipos de CHIPs. Podemos ver na figura 16 alguns tipos de chips de memória, usados para formar a memória principal de microcomputadores. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 23. Memória RAM - São chips de memória que podem ser lidos e gravados pela CPU a qualquer instante. A CPU usa a RAM para armazenar e executar programas vindos do disco, para lerve gravar os dados que estão sendo processados. Uma outra característica da RAM, é que se trata de uma memória VOLÁTIL. Isso significa que quando o computador é desligado, todos os seus dados são apagados. Por essa razão, é necessário que os programas e dados fiquem gravados no disco, que é uma memória PERMANENTE. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 24. Módulo I – Introdução e Hardware Memória RAM Tipos DRAM (RAM Dinâmica) SRAM (RAM Estática)
  • 25. Memória ROM É a abreviatura de READ ONLY MEMORY, ou seja, "MEMÓRIA PARA LEITURA APENAS". São chips de memória que podem ser lidos pela CPU a qualquer instante, mas não podem ser gravados. Sua gravação é feita apenas pelo fabricante do computador, ou pelo fabricante de memórias. A outra característica importante de ROM é que se trata de uma memória PERMANENTE. Seu conteúdo nunca é perdido, mesmo com o computador desligado. Nos microcomputadores, existe um programa muito importante chamado de BIOS (Basic Input-Output System - Sistema Básico de Entrada e Saída). O BIOS tem várias funções, entre as quais, a de realizar a "partida" do computador. Quando ligamos o computador, o BIOS realiza a contagem de memória, faz uma rápida checagem do funcionamento do computador e realiza a carga do Sistema Operacional que deve estar armazenado no disco. O BIOS está gravado em uma memória ROM localizada na PLACA DE CPU. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 26. Módulo I – Introdução e Hardware Memória ROM Memória somente de leitura Não-Volátil Os dados não são perdidos. Faz parte do processo de INCIALIZAÇÃO do computador! Tipos PROM (ROM Programável) EPROM (ROM Programável e Apagável) EEPROM (ROM Programável e Apagável Eletronicamente) Flash ROM (Memória Flash)
  • 27. BIOS, POST, BOOT Quando você liga o micro, o primeiro software que é carregado é o BIOS da placa mãe, que faz a contagem da memória RAM, uma detecção rápida dos dispositivos instalados e por fim carrega o sistema operacional principal a partir do HD, CDROM, disquete, rede, ou o que seja. Este procedimento inicial é chamado de POST (Power-on self test). De qualquer forma, depois de fazer seu trabalho, o BIOS carrega o sistema operacional, lendo o primeiro setor do disco rígido o "Master Boot Record" (MBR), também conhecido como trilha zero ou trilha MBR. BOOT, Todo este processo e chamado processo de boot ou booting http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 28. Prova: FCC - 2011 - Banco do Brasil - Escriturário - Ed. 02 Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Hardware; Um tipo de elemento do microcomputador que permite apenas a leitura pelo usuário comum e vem com seu conteúdo gravado durante a fabricação. Tratase de a) disco rígido. b) memória USB. c) memória ROM. d) memória RAM. e) placa-mãe. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 29. Memória CACHE A memória cache surgiu quando percebeu-se que as memórias não eram mais capazes de acompanhar o processador em velocidade, fazendo com que muitas vezes ele tivesse que ficar “esperando” os dados serem liberados pela memória RAM para poder concluir suas tarefas, perdendo muito em desempenho. A memória cache consiste em uma pequena quantidade de memória SRAM embutida no processador. Quando este precisa ler dados na memória RAM, um circuito especial chamado "controlador de cache" transfere blocos de dados muito utilizados da RAM para a memória cache. Assim, no próximo acesso do processador, este consultará a memória cache, que é bem mais rápida, permitindo o processamento de dados de maneira mais eficiente. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 30. Memória A MEMÓRIA SECUNDÁRIA Também é chamada de MEMÓRIA DE MASSA. É uma memória do tipo PERMANENTE (não se apaga quando o computador está desligado), que tem uma alta capacidade de armazenamento, e um custo muito mais baixo que o da memória principal. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 31. Memória Auxiliar Na memória auxiliar, os dados não são acessados instantaneamente pela CPU. Eles precisam ser localizados e lidos ou gravados em locais livres, e de não-volátil, porque o seu conteúdo não se perde ao desligarmos o computador. Ex.: HD´s (ou winchester), disquetes, CD e DVD.
  • 32. Prova: FCC - 2012 - TCE-SP - Agente de Fiscalização Financeira - Administração Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Memórias; O armazenamento de informações em computadores é feito pela utilização de dispositivos chamados de memória, que as mantêm de forma volátil ou permanente. Entre esses dispositivos, está a memória RAM ou memória a) magnética. b) secundária. c) cache. d) principal. e) de armazenamento em massa. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 33. Módulo I – Introdução e Hardware Memória Auxiliar Tipos de CD e DVD ROM: só pode ser lido, pois já vem gravado de fábrica, como CDs de instalação de softwares. -R: só pode ser gravado uma vez, mas lido inúmeras vezes. Na verdade, podemos gravar um CD-R várias vezes, mas nunca podemos sobrescrever ou apagar algum dado previamente gravado. -RW: distingue-se do -R pela possibilidade de ter o seu conteúdo apagado para posteriormente receber novos dados. Antes de finalizá-lo, o comportamento é igual ao de um -R, porém, podemos apagar todo o seu conteúdo a qualquer momento deixando-o pronto para receber dados novamente.
  • 34. Prova: FCC - 2011 - TRE-RN - Analista Judiciário - Biblioteconomia Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Hardware; Memórias; Nos computadores atuais existe um tipo de memória cuja função é atender as demandas de velocidade do processador. Trata-se da memória a) principal. b) ROM. c) cache. d) RAM. e) EEPROM. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 35. Prova: FCC - 2011 - TRE-TO - Técnico Judiciário - Área Administrativa Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Memórias; A busca antecipada de instruções é uma técnica utilizada nos processadores dos microcomputadores atuais, de forma a acelerar a execução de um programa. As instruções são pré-carregadas da memória a) principal para a memória virtual. b) principal para a memória cache. c) virtual para a memória principal. d) cache para a memória principal. e) cache para a memória virtual. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 36. Prova: FCC - 2012 - TRE-SP - Técnico Judiciário - Área Administrativa Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Hardware; Memórias; Durante a operação de um computador, caso ocorra interrupção do fornecimento de energia elétrica e o computador seja desligado, os dados em utilização que serão perdidos estão armazenados a) no disco rígido e memória RAM. b) em dispositivos removidos com segurança. c) no disco rígido. d) na memória RAM. e) no disco rígido decorrentes de atividades dos programas que estavam em execução. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 37. Sistemas de Arquivos Um sistema de arquivos contém regras e padrões previamente estabelecidos para que o sistema operacional possa gerenciar os dados armazenados. Os sistemas de arquivos mais conhecidos e cobrados são: •FAT (ou FAT16), FAT 32, NTFS (Windows), CDFS (CD/DVD). •Trilhas são os círculos concêntricos que formam o disco e setores são pequenas unidades de armazenamento de dados, organizados nessas trilhas. As trilhas contêm os setores. •Cluster é a menor unidade de armazenamento que um sistema operacional pode reconhecer em um disco http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 38. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 39. SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 Sistemas de Arquivos FAT 16 • Pode gerenciar aproximadamente 65 mil clusters (65.536). • Clusters de 32KB. • Quanto maior o cluster, maior o desperdício de espaço. • Limita o tamanho do disco a 2GB. • Nomes dos arquivos limitados a oito caracteres para o nome e três para a extensão (8.3), como: ―arquivos.txt‖.
  • 40. SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 Sistemas de Arquivos FAT 32 • Criada para resolver o problema de limitação de 2GB da FAT16; • Capacidade para gerenciar aproximadamente 268 mil clusters; • Permite discos de 2 TB; • Permite nomes longos de arquivos com até 255 caracteres; • Tamanho de clusters variado.
  • 41. SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 Sistemas de Arquivos NTFS • Clusters de tamanhos variados (no máximo 4KB). • Menor desperdício de superfície de disco; • Índice de arquivos mais complexo, com mais recursos que a FAT (segurança). • Sistema mais robusto, complexo e seguro que os sistemas FAT.
  • 42. SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 Sistemas de Arquivos
  • 43. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 44. PERIFÉRICOS Existem, portanto no computador, os chamados DISPOSITIVOS DE ENTRADA E SAÍDA, também chamados de PERIFÉRICOS. O termo “ENTRADA E SAÍDA” são abreviados por E/S, ou para quem preferir a língua inglesa, I/O (INPUT/OUTPUT). Dentre os diversos dispositivos de E/S, existem alguns que são especializados apenas em ENTRADA, outros especializados apenas em SAÍDA e outros em ENTRADA E SAÍDA. Podemos citar os seguintes exemplos: ENTRADA: Teclado - Lê os caracteres digitados pelo usuário MOUSE - Lê os movimentos e toque de botões Drive de CD-ROM - Lê dados de discos CD-ROM Microfone - Transmite sons para o computador SCANNER - Usado para o computador "ler" figuras ou fotos SAÍDA: Vídeo - Mostra ao usuário, na tela caracteres e gráficos Impressora - Imprime caracteres e gráficos http://www.ariclayton.blogspot.com.br comunicação com o usuário através de som Alto-falante - Realiza
  • 45. PERIFÉRICOS ENTRADA E SAÍDA: Winchester - Grava e lê dados Drive de disquete - Grava e lê dados em disquetes Unidade de fita magnética - Grava e lê dados em fitas magnéticas MODEM - Transmite e recebe dados pela linha telefônica http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 46. Módulo I – Introdução e Hardware Hardware Exemplos:
  • 47. Exercícios Pretende-se armazenar 15 vídeos de 500MB cada e um outro vídeo de 3GB. Qual a quantidade de memória mínima suficiente para efetuar esse armazenamento? (A)1500KB (B)8GB (C) 80GB (D) 503MB (E) 12000MB
  • 48. Módulo I – Introdução e Hardware Dispositivos de Entrada e Saída Também são conhecidos como PERIFÉRICOS. São dispositivos conectados a um computador que possibilitam a comunicação do computador com o mundo externo. C U I D A D O !!! Touch Pad ou Mouse Touch Mesa Digitalizado ra ou Tablet Monitor Touch Screen
  • 49. Prova: FCC - 2013 - TRT - 1ª REGIÃO (RJ) - Técnico Judiciário - Área Administrativa Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Noções de Informática; Hardware; PC com processador Intel Core i7 3,8 GHz, 8 GB de RAM, 1 TB de HD, Cache L3 de 8 MB, monitor LCD de 18,5", placa de rede de 10/100 Mbps. Estão inclusos o mouse, o teclado e as caixas de som. A definição de alguns dos termos presentes nessa configuração é apresentada a seguir: I. É uma memória volátil para gravação e leitura que permite o acesso direto a qualquer um dos endereços disponíveis de forma bastante rápida. II. É um sistema de armazenamento de alta capacidade que, por não ser volátil, é destinado ao armazenamento de arquivos e programas. III. É normalmente o componente mais complexo e frequentemente o mais caro do computador. Apesar de realizar, dentre outras operações, os cálculos e comparações que levam à tomada de decisão, necessita de diversos outros componentes do computador para realizar suas funções. Os itens I, II e III definem, respectivamente, a) RAM, HD e processador Intel Core i7. b) Cache L3, RAM e processador Intel Core i7. c) HD, RAM e Cache L3. d) HD, Cache L3 e RAM. http://www.ariclayton.blogspot.com.br e) RAM, placa de rede de 10/100 mbps e Core.
  • 50. Prova: FCC - 2012 - Prefeitura de São Paulo - SP - Auditor Fiscal do Município - Gestão Tributária Prova 4 Disciplina: Noções de Informática | Assuntos: Hardware; Dispositivos de entrada e saída possibilitam introduzir dados externos ao computador para processamento e apresentar dados processados pelo computador. Alguns dispositivos efetuam ambos papéis, servindo de dispositivo de entrada e saída. Um exemplo destes dispositivos é a) a tela sensível ao toque. b) o leitor de código de barras. c) o mouse ótico. d) o scanner. e) a webcam. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 51. Meio de transmissão Na comunicação entre equipamentos, por estarmos num meio chamado elétrico, o meio de comunicação mais comum é o fio de metal, por intermédio do qual o sinal elétrico se propaga, levando consigo a informação. Numa transmissão de dados digitais por meio de fios, a informação é representada por sinais elétricos no formato de pulsos. Além de transmissão por fios e cabos, que são meios sólidos, podemos também transmitir informações por ondas eletromagnéticas que são as transmissões por: radio, microondas e satélite. A transmissão de dados também pode ser feita através de fibras ópticas, utilizando variações na intensidade da luz como sinal, o que permite a transmissão de dados a altíssimas velocidades. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 52. Meio de transmissão Conceitos básicos • Telecomunicação – é um processo de comunicação que utiliza como veículo de transmissão linhas telegráficas, telefônicas, microondas ou satélites. • Teleprocessamento – processamento de dados à distância, utilizando-se de recursos de telecomunicações. Conceito de sinais elétricos bit, byte, caractere e bloco/mensagem Bit (Binary Digit) - é a menor unidade de informação binaria, digital ou do computador: ligado - valor 1 - desligado - valor 0 Byte - conjunto de 8 bits (padrão de armazenamento); Caractere - conjunto de “n” bits representando uma letra, um número ou um símbolo conforme o código de representação utilizado (ASCII, EBCDIC, Baudot, BCD, ANSI) Ex: caracter A (ASCII - 8) = (01000001)2 = (41)16 Bloco/mensagem - conjunto de caracteres representando uma informação http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 53. Meio de transmissão O sinal elétrico analógico possui uma variação constante e estável conhecida como onda senoidal, a onda senoidal possui um padrão que se repete e é chamado de ciclo, possui também uma amplitude que é a altura da onda, medida em volts no caso de ondas elétricas. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 54. Meio de transmissão O sinal elétrico digital ou binário do computador é na verdade um sinal em formato de um trem de pulsos, ou seja, uma sequência de pulsos, 1s ou 0s, saltando de um valor ao outro instantaneamente no formato de uma onda quadrada, que se repetem em uma sequência baseada no tipo de informação palavra ou byte. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 55. Meio de transmissão Outros serviços Wireless Wi-Fi, serviço de rede sem fio, usado em Hot Spots, disponibilizado com varias capacidades de transmissão, de acordo com o padrão utilizado (IEEE 802.11 b – banda de 11 Mbps, IEEE 802.11g – 54 Mbps, IEEE 802.11a – 54 Mbps ou até 108 Mbps com adaptações) BlueThooth, sistema wire-less com capacidade de transmissão de até 720 Kbps, mas com pequena área de cobertura, inferior a um raio de 10 metros. GPRS (GSM), serviço de conexão oferecido pelas operadoras de telefonia celular, com capacidade ou banda de 115 Kbps, oferece a mesma área de cobertura do serviço de telefone celular, mas pode apresentar grande instabilidade em áreas mais afastadas. EDGE (GSM), serviço de conexão oferecido pelas operadoras de telefonia celular, apresenta capacidade ou banda de 384 Kbps, oferece a mesma área de cobertura do serviço de telefone celular, mas pode apresentar grande instabilidade em áreas mais afastadas. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 56. Módulo I – Introdução e Hardware Bluetooth Bluetooth é um padrão para comunicação sem-fio de curto alcance e baixo custo. Ele possibilitar conectar vários equipamentos — telefones celulares, computadores, impressoras, scanners, etc. –, desde que esses aparelhos possuam um chip de Bluetooth. O segredo de funcionamento está em dois pilares básicos: baixa freqüência (de rádio para conexão dos dispositivos) e, conseqüentemente, baixo consumo de energia.
  • 57. Meio de transmissão 3G, A tecnologia 3G é a usada pela terceira geração de telefonia móvel. A primeira foi a dos celulares analógicos e a segunda dos digitais. Como proporciona uma transmissão de dados mais veloz, a tecnologia 3G torna possível às empresas oferecer pacotes de serviços complexos a custos acessíveis. Mais de 260 operadoras no mundo já fazem isso. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 58. Módulo I – Introdução e Hardware Barramentos Conjunto de linhas condutoras utilizadas para transferência de dados entre componentes de um computador. Os Barramentos de SISTEMA podem ser: - BARRAMENTO DE DADOS; - BARRAMENTO DE ENDEREÇOS; - BARRAMENTO DE CONTROLE; Além dos Barramentos de Sistema, temos também os Barramentos de EXPANSÃO. Permitem a ligação de componentes para expandir a capacidade do computador.
  • 59. Módulo I – Introdução e Hardware Barramentos de Expansão ISA Muito comum em micros mais antigos para encaixar placas de expansão, como modems, placas de som e placas de vídeo. PCI Substituiu o barramento ISA. Para conectar placas de expansão. Suporta a tecnologia Plug and Play. AGP Para conectar somente placas de vídeo. Suporta também a tecnologia Plug and Play.
  • 60. Módulo I – Introdução e Hardware Barramentos de Expansão PCI Express Veio para substituir o barramento PCI ‘convencional’, podendo ser usado para diversas placas de expansão (modem, rede, etc). Existem vários tipos de barramentos (1x, 2x, 4x e 8x), com velocidades maiores do que a convencional. Importante: Se falarmos em PCI EXPRESS 16x, estaremos falando em barramento para placas de vídeo!
  • 61. Módulo I – Introdução e Hardware Barramentos de Expansão IDE usado para conectar as unidades de armazename nto internas SCSI Próprio para discos, como o IDE, e impressoras e scanners de alta velocidade. Dá pra conectar até 15 equipamentos em um único SCSI. PS/2 Barramento atualmente usado para conectar mouse e teclado. Suporta a tecnologia Plug and Play.
  • 62. Módulo I – Introdução e Hardware Barramentos de Expansão Serial Liga equipamentos de baixa velocidade, como teclado e mouse. É um barramento velho, não mais encontrado nos micros atuais. Paralelo Liga equipamentos de maior velocidade, como impressoras e scanners. USB Conecta qualquer tipo de equipamento , substituindo a serial, PS/2 e paralela.
  • 63. ARQUIVOS http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 64. ARQUIVOS Arquivos "ARQUIVO" é uma das palavras mais importantes em computação. Em inglês, sua tradução é "FILE". ARQUIVO nada mais é que um conjunto de dados gravados na MEMÓRIA SECUNDÁRIA (winchester, disquete, fita magnética, CD-ROM, etc). O nome completo de um arquivo é dividido em duas partes, separadas por um ponto. A primeira parte pode ter até 8 caracteres e é chamada de NOME do arquivo. A segunda parte é chamada de EXTENSÃO, e pode ter até 3 caracteres. Por exemplo: CONTAS.DAT CONTAS é o NOME DAT é a EXTENSÃO É comum nesse caso, dizer que o nome do arquivo é CONTAS, ou então CONTAS.DAT. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 65. http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 66. Referências Bibliográficas: http://pt.wikipedia.org http://www.ariclayton.blogspot.com.br VASCONCELOS, Laércio. (http://www.laercio.com.br). TORRES, Gabriel. (http://www.gabrieltorres.com.br) Redes de Computadores - Andrew S. Tanenbaum - Editora Campus Redes de Computadores - L.F.G.Soares, G.Lemos, S.Colcher - Editora Campus Redes de Computadores - Lindeberg B. Sousa - Editora Erica http://www.williamdouglas.com.br/ http://www.ariclayton.blogspot.com.br
  • 67. O primeiro passo para conseguirmos o que queremos na vida é decidirmos o que queremos. (Ben Stein) http://www.ariclayton.blogspot.com.br

×