Termoterapia

4,618 views
4,353 views

Published on

0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,618
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
102
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Termoterapia

  1. 1. TERMOTERAPIA
  2. 2. Fontes de Calor Fontes Radiantes Raios Infravermelhos
  3. 3. Radiação Infravermelha É um tipo de radiação eletromagnética não ionizante com freqüência inferior a luz vermelha, mas superior às ondas de rádio.
  4. 4. Fontes Condutoras Transmissão de energia por contato.
  5. 5. Fontes Conversivas Emitem ondas mecânicas ou eletromagnéticas, provocando elevação de temperatura nos tecidos biológicos.
  6. 6. Fontes Convectivas Transfere calor por convecção.
  7. 7. Efeitos Físicos do Calor  Elevação de temperatura
  8. 8. Expansão do material
  9. 9. Aceleração das Reações Químicas
  10. 10. Redução da viscosidade
  11. 11. Transferência de Calor Condução:Troca de energia entre regiões de diferentes temperaturas, por meio de colisões. Contato direto com a pele.       Quantidade de calor depende de: • Tempo de fluxo • Área pelo qual ele flui • Gradiente de temperatura • Condutividade térmica • Espessura da camada
  12. 12. Transferência de Calor  Convecção: transferência de calor ocorrente num fluido, decorrente de movimentos de moléculas no fluido.
  13. 13. Mecanismos de Regulação Térmica Hipotálamo
  14. 14. Termorreceptores Cutâneos Termorreceptores cutâneos: -Sinalizam a sensação de temperatura -Contribuem para o controle da temperatura do corpo 45 º DOR
  15. 15. Efeitos Fisiológicos do Calor  Efeitos locais - Metabolismo celular: As reações químicas envolvidas na atividade metabólica são incrementadas por uma elevação de temperatura ( Lei de Van´t Hoff). • A taxa metabólica eleva-se em 13 % para cada 1 º C de temperatura elevada. Conseqüência nos tecidos biológicos? • Vamos elevar a temperatura? Temperatura limítrofe
  16. 16. Metabolismo Celular ↑ Oxigênio Nutrientes Resíduos metabólicos
  17. 17. Efeitos Fisiológicos do Calor • Fluxo sanguíneo: Vasodilatação → aumento do fluxo sanguíneo. Efeito sobre o estado de dilatação das arteríolas e vênulas. Histamina Bradicinina • Transferência nos tecidos
  18. 18. Efeitos Fisiológicos do Calor Colágeno -Aumento da extensibilidade -Degeneração do colágeno a 50º C
  19. 19. Alterações Neuromusculares Tônus Muscular: - Diminuição do tônus → ↓ da rigidez articular. DOR
  20. 20. Alterações Neuromusculares Alteração na velocidade da condução nervosa.
  21. 21. Desempenho Muscular Diminuição do desempenho muscular.
  22. 22. Regeneração dos Tecidos
  23. 23. Sangue e Líquido Tissular
  24. 24. Alívio da dor
  25. 25. Efeitos Fisiológicos do Calor - Alteração nas propriedades específicos. 1- ?????? Tendão 2-  Viscosidade 3- $$$ Dor 4- Músculo 5- Reparo nos tecidos dos tecidos
  26. 26. Novo recurso com efeito térmico!
  27. 27. Radiação Infravermelha Radiação eletromagnética cujo comprimento de onda é maior do que da luz vermelha visível. 760 nm a 1mm. Longos Espectro eletromagnético Médios Curtos
  28. 28. Radiação Infravermelha
  29. 29. Radiação Infravermelha Radiações no comprimento de onda de 0,78 – 1000 μm. Calor superficial Produção de calor: movimentos moleculares no interior de materiais aquecidos. Fontes de radiação infravermelha: Natural = sol. Artificial:  Geradores luminosos: Produzidos por filamentos eletricamente aquecidos (tungstênio) envolvido por vidro com gás, de superfície interna prateada para reflexão. Emite radiações visíveis, com banda de IV curtas. Preteridos para aquecimento
  30. 30. Efeitos Terapêuticos 1) 2) 3) 4) 5) 6) 7) Dor: Alivio da dor aguda e da dor crônica. Espasmo muscular Rigidez articular Reparo nos tecidos ↑ Circulação Edema Lesões Cutâneas
  31. 31. Alivio da dor
  32. 32. Parâmetros Tempo: 15 minutos Distância: 50 a 75 cm Dose: resposta do paciente
  33. 33. Cuidados e Contra-indicações  Sensibilidade  Paciente portadores de doença cardiovascular.  Circulação comprometida  Neoplasia  Testículos  Redução do nível de consciência  Tecido cicatricial desvitalizado
  34. 34. Indicações      Dor crônica ou suave. Várias manifestações inflamatórias (ex.: artrite). Terapia adjunta à iontoforese, estimulação elétrica, ultra-som, mobilização, cinesioterapia. Aceleração de cicatrização e reparo. Redução do espasmo muscular.
  35. 35. Perigos do tratamento  Queimaduras  Irritação da pele  Pressão sanguínea reduzida  Dano aos olhos  Desidratação
  36. 36. Diatermia por Ondas Curtas É um tipo de radiação eletromagnética que atua numa freqüência de 27,12 MHz.  Geração de um campo eletromagnético.
  37. 37. Ondas Curtas    As Ondas Curtas são produzidas pela transformação de uma corrente de baixa voltagem e freqüência em uma corrente alternada senoidal de alta voltagem e freqüência. A alta freqüência produz uma oscilação ou inversão de polaridades muito rápidas Pela heterogeneidade dos tecidos, um controle de sintonia deverá ser feito.
  38. 38. Produção de Calor nos Tecidos  Moléculas carregadas: íons  Moléculas dipolares: água e proteínas  Moléculas apolares: moléculas de gordura
  39. 39. Tipos de Eletrodos Eletrodos Capacitivos: > Materiais flexíveis recobertos de borracha; > Contato direto; > Método de transferência por condução;  Maior efetividade em tecidos não recobertos por gorduras.
  40. 40. Tipos de Eletrodos Eletrodos Indutivos: > Materiais mais rígidos, em forma de tambor; > Sem contato; > Método de transferência pela radiação; > Maior efetividade em tecidos mais profundos.
  41. 41. Posicionamento dos Eletrodos  Aplicação Longitudinal  para aquecer todo um segmento corporal.  Aplicação Co-planar  para atingir tecidos mais superficiais.  Aplicação Transversal o aumento da temperatura poderá ser maior nos tecidos superficiais.
  42. 42. Diatermia por Ondas Curtas Pulsantes Aplicação de serie de breves rajadas ( pulsos) de DOC. Ligado: 27,12 MHz.
  43. 43. Parâmetros NT Calor não detectável Traumatismo agudo; Inflamação aguda; redução de edema 1 Calor leve Inflamação subaguda; 2 Calor moderado Síndromes dolorosas; espasmo muscular; inflamação crônica; para aumentar a irrigação sanguínea 3 Aquecimento forte Estiramentos dos tecidos ricos em colágenos Tempo: 15 minutos
  44. 44. Efeitos Terapêuticos  Aumenta o fluxo sanguíneo  Ajuda na resolução da inflamação  Aumenta a extensibilidade do tecido colagenoso profundo  Diminui a rigidez articular  Alivia dores e espasmos musculares profundos
  45. 45. Efeitos Clínicos da DOC e DOCP  Cicatrização de tecidos moles  Pos-operatorio  Regeneração de nervos  Osteoartrite  Dor
  46. 46. PRECAUÇÕES  Vestimenta / materiais sintéticos  Sudorese  Gravidez  Operador há 1 metro do aparelho  Cruzamento dos cabos
  47. 47. CONTRA-INDICAÇÕES               Marcapasso Implantes metálicos Sensibilidade térmica alterada Útero gravídico Condições hemorrágicas Deficit vascular / TVP Tumores malignos Lesões tuberculosas Estado febril Epífises de crescimento Aparelhos auditivos Febre Artrite reumatóide Crianças
  48. 48. Cuidados  Tecido com elevada capacidade de divisão: ex: epífises de crescimento, gônadas.  Pacientes hemofílicos.  Pacientes com uso de drogas anticoagulantes.  Osteoporose
  49. 49. TURBILHÃO  Aplicação de calor e frio EFEITOS: - Massageador - Sedação, analgesia e ↑ da circulação. Quente: relaxamento muscular Frio: diminuição do espasmo e espasticidade muscular. - Trabalho proprioceptivo ( térmico e tátil)
  50. 50. TURBILHÃO    Tempo de aplicação: Inicio: 5 a 10 minutos Progressão: 20 a 30 minutos Freqüência: 2 x ao dia Temperatura: 35 º e 5 a 10 º para áreas pequenas e 10 a 15 º C para áreas maiores.
  51. 51. TURBILHÃO CUIDADOS: - Elevação ou diminuição da temperatura x área que esta sendo tratada → hipotermia ou hipertermia. - A área tratada deve estar toda imersa. - Adicionar desinfetante - Ferida aberta (desinfetante: povidona) Limpeza -
  52. 52. TURBILHÃO Indicações: − ↑ de ADM - Doenças inflamatórias Subagudas e crônicas. - Lesões de nervos periféricos
  53. 53. TURBILHÃO  Contra-indicações: Quadros agudos - Febre - Pacientes que necessitem de suporte postural. -

×