1 conhecendo o pc

598
-1

Published on

Partes constituintes de um computador.
Usado na disciplina de IMEI - módulo 2 do Curso Profissional de Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos 10º ano

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
598
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
71
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1 conhecendo o pc

  1. 1. Conhecendo o computador
  2. 2.   O processador está instalado dentro de uma caixa metálica denominada “gabinete”. Na parte de trás de cada gabinete existem diversos tipos de conectores. Cada um tem um padrão e formato diferente para que o utilizador não faça confusão sobre os locais onde os periféricos devem ser ligados. A quantidade de conectores varia conforme os periféricos instalados internamente em cada computador. A disposição de cada conector pode variar conforme o modelo de placa-mãe e conforme o tipo de fontes utilizada AT ou ATX.
  3. 3.  1 – Conector para teclado  2 – Porta série secundária  3 – Porta paralela (normalmente usada para impressora)  4 – Saída para monitor de vídeo  5 – Saída usada para scanner de mão ou outro periférico com mesmo padrão de conexão  6 – Ligação de Joystick para jogos  7 – Rede elétrica extensiva  8 – Tomada de Ligação com rede elétrica  9 – Porta série conexão rato  10 – Conexão linha telefónica  11 – Extensão para ligação de telefone  12 – Entrada para linha (chamada de “line in”)  13 – Entrada de microfone  14 – Saída de amplificação  15 – Saída de caixa de som
  4. 4.  1 – Extensão para ligação rede elétrica  2 – Tomada de ligação com rede elétrica  3 – Entradas de rato e teclado tipo PS/2  4 – Portas com tecnologia USB  5 – Porta série - uso de rato ou outro dispositivo / porta secundária  6 – Saída de ventilação da fonte de alimentação  7 – Aqui podem ser conectadas placas de vídeo  8 - Aqui podem ser conectadas placas de som, com saídas diversas microfone, amplificação, entradas de linha  9 – Também, igual à placa AT, pode ser conectado porta série para Joystick  10 – Exemplo de típico conjunto de entradas e saídas PS/2, portas série e USB.
  5. 5.  As partes internas do computador
  6. 6.  Como encaixar as placas periféricas ◦ As placas periféricas devem ser encaixadas de forma adequada, para não haver danos na placa mãe e nem na própria placa controladora. ◦ Toda esta operação de encaixe deve ser feita com o computador desligado, caso contrário a placa mãe e outros componentes poderão queimar.
  7. 7. Local de encaixe de uma placa controladora do tipo PCI
  8. 8. Parte que encaixa na placa controladora
  9. 9.   Após encaixar a placa controladora no seu respetivo local, com o computador desligado, a mesma deverá ser aparafusada, para que não haja remoção indevida ou mesmo mau funcionamento por conexão inadequada. Para retirar a placa controladora, basta fazer o processo inverso: ◦ 1) Desligar o computador ◦ 2) Desparafusar a placa controladora ◦ 3) Retirar a placa periférica colocada ◦ 4) Fechar o gabinete e ligar o computador
  10. 10.  Dentro do computador existem vários cabos que fazem as conexões internas: ◦ HD (Disco Rígido – Hard Disk) ◦ CD-ROM ◦ Unidade de Disquete  Cabos – são utilizados para conectar os vários tipos de hardware existentes no computador à placa-mãe. Estes cabos de conexão são chamados de cabos “flats” ou “flat cable”.
  11. 11.  Os cabos flats, na sua grande maioria são marcados com um pino chamado de “pino 1”. Geralmente este pino é um fio do cabo que tem uma cor diferente dos demais fios. Pode estar na cor azul, vermelha e em alguns casos rosa ou verde. Esse fio deverá, obrigatoriamente, ser encaixado na marcação do “pino 1” do conector a ser ligado.
  12. 12.  O cabo Flat possui três conectores com espaços padronizados. São fabricados de forma a ter fios finos, unidos, e paralelos uns aos outros. Estes fios são denominados de “vias”. O tráfego de dados é feito nestas “vias”. São normalmente utilizados para conectar os leitores/gravadores de CD/DVD e HD na placa-mãe do computador.
  13. 13. Flat Cable de 40 vias e 80 vias.
  14. 14.  Flat Cable de 40 vias ◦ Pode atingir uma velocidade de transferência de dados de 44Mb/s. O plug de conexão será sempre igual, ao de 80 vias. ◦ Este cabo contém 39 furos. Um furo está vedado para evitar que pessoas “menos experientes” conectem o cabo de forma errada. Na placa mãe também faltara este pino de conexão.
  15. 15.  Flat Cable de 80 vias ◦ Foi desenvolvido para substituir o cabo flat de 40 vias. Porém este cabo flat de 80 fios condutores tem os mesmos conectores do cabo de 40 vias. Este cabo de 80 pinos, é compatível com o modelo anterior de 40 vias. Nenhuma troca foi feita nos conectores IDE/ATA, exceto no código de cores. ◦ Os 40 fios adicionais não transportam informações; eles apenas separam os restantes fios que transportam informações, reduzindo as interferências e outros problemas de sinalização, associados com a transferência de dados em alta velocidade.
  16. 16.  Flat Cable de 80 vias ◦ Qualquer sinal perdido que poderia passar de um fio adjacente para outro será absorvido melhorando a integridade do sinal. ◦ Um cabo flat de 80 vias possui praticamente a mesma largura do cabo flat de 40 vias, graças à utilização de fios mais finos. ◦ Os cabos flat possuem 18 polegadas de comprimento, o que corresponde a 45 centímetros.
  17. 17.  Flat Cable disquete
  18. 18.   O Cabo flat de disquete é feito de 5 conectores, sendo 2 para drivers de 5 ¼ (não usuais atualmente), 2 para unidade de 3 ½ e um para conectar à motherboard. O cabo flat para drivers de disquete possui apenas 34 vias e possui um trançamento junto ao conector de sua extremidade. Em cada um desses cabos existe um conector, que dever ser conectado a placa mãe. Nota-se também que por ter menos cabos (34 vias) ele é ligeiramente mais estreito que os cabos de 40 vias e 80 vias.
  19. 19.  O gabinete é a caixa de metal que comporta o computador e os periféricos internos, tais como: ◦ ◦ ◦ ◦ HD Unidades de disquete Driver Zip CD-ROM
  20. 20.  Gabinete vertical ou minitorre
  21. 21.  Gabinete horizontal
  22. 22. No mercado atual existem 2 tipos de placa-mãe: 1) As que comportam tecnologia AT 2) As que comportam tecnologia ATX  Obviamente o gabinete dever ser compatível com o formato da placa mãe, desta forma, se a placa mãe for do tipo AT o gabinete necessariamente dever ser AT. Todo o gabinete precisa ser alimentado na energia. Vamos ver a fonte de alimentação.
  23. 23.  Fonte de alimentação ◦ Além de ter a função de abrigar todos os componentes internos de um computador, o gabinete ainda comporta também uma fonte de alimentação. Todo o conjunto de hardware para funcionar necessariamente precisa ser alimentado através de energia e a fonte de alimentação tem esta função. ◦ A placa mãe, CD-Rom, unidades de disquete, Hds são alimentados por fios (espécie de conectores) vindo da placa mãe.
  24. 24. ◦ As diversas placas que são conectadas na placa mãe (placa de rede, placa de vídeo e outras) são alimentadas pela placa mãe que por sua vez é alimentada pela fonte de alimentação. ◦ Estas diversas interfaces não precisam ser diretamente alimentadas por energia. Este papel é feito pela placa mãe. ◦ Na parte de trás da fonte de alimentação, existe uma tomada que, normalmente, serve para conectar um monitor de vídeo.
  25. 25. tomada Cabo para chave liga/desliga ou Power on/Power off: Usado para ligar a fonte à chave Liga/desliga, que está na parte da frente do computador. Este cabo é inexistente em fontes do tipo ATX.
  26. 26.  Diferenças entre as fontes ◦ Fontes AT - estas fontes são instaladas em gabinete e placas mãe do tipo AT. Os dois cabos de conexão possuem seis (06) fios cada um para serem encaixados na placa mãe. Um dos fatores problemas é que eles podem ser encaixados de qualquer forma, causando erros no funcionamento. O encaixe correto é os fios pretos dos dois cabos de conexão juntos.
  27. 27.  Diferenças entre as fontes ◦ Fontes ATX - estas fontes são instaladas em gabinete e placas mãe do tipo ATX. Observa que os tipos de fios são diferentes das fontes AT e a peça de encaixe também. Além disso, existe uma pequena guia na própria peça de encaixe que mostra como conectar este tipo de fonte na placa mãe.
  28. 28.   O processamento é o comando feito através de instruções diversas orientadas por um software. Um sistema operativo é na verdade uma sequência ou conjunto de instruções ordenadas que são enviadas para o processador. Cada processador possui uma vasta lista de instruções que executa cada tarefa. Há diversos tipos de instruções, hoje temos processadores que trabalham com instruções de 32 bits, lembrando que todas as instruções são um conjunto de bits (“0” e “1”) e estes são enviados para o processador do computador.
  29. 29.   Existem as instruções de 32 bits, tal como existiram as instruções de 16 bits, que são os computadores anteriores aos pc’s do tipo 386. O barramento de dados – que é o caminho ou canal que faz a comunicação entre o processador do pc e a memória RAM do computador - nos pc’s do tipo Intel, a capacidade de transferência de dados é de 64 MB.
  30. 30.   O barramento é o canal de comunicação de dados entre o processador e a memória RAM. Este é o local mais rápido do computador. Alguns tipos de barramentos: ◦ ◦ ◦ ◦ ISA VLB PCI AGP
  31. 31. 1 – Barramento ISA Os processadores antigos do tipo 8088, que eram usados nos computadores XT (antigo mesmo), comunicavam com os periféricos usando 8 bits. Para isto foi criado o barramento ISA de 8 bits. Já um pouco mais à frente com os processadores 286, o computador comunicava a 16 bits e então foi criado o formato ISA 16 bits.
  32. 32. 2 - VLB Este tipo de barramento foi lançado no mercado em meados de 1993. É um tipo de barramento usado por placas de vídeo e controladores de disco. Uma ótima característica deste barramento é que ele funciona na mesma frequência da placa mãe, assim, se temos um pc 486 DX-4 100, onde a frequência é de 100 MHz, o VLB irá funcionar a 100 MHz. O VLB tem uma velocidade de 32 bits.
  33. 33. 3 – PCI Este tipo de barramento tem a marca “Intel” e possui uma capacidade de rapidez tão boa quanto a VLB. Uma característica é que este barramento não é controlado pela placa mãe, mas sim por um controlador que trabalha de forma dedicada, e está incluída no chipset. Desta forma reduz o trabalho da placa mãe.
  34. 34. 4 – AGP É um barramento feito para placas de vídeo mais recentes e modernas. Este tipo de barramento é relativamente novo e foi projetado para trabalhar com uma velocidade de 66 MHz, com uma transferência de dados na base de 266 MB/s.
  35. 35.  Resumindo: ◦ O barramento divide-se da seguinte forma:  Barramento de controle: Contém informações extras de controle de barramento, é colocado nesta linha de trabalho o “clock”.  Barramento de dados: Local ou canal onde transitam os dados a serem transferidos.  Barramento de endereço: Possui informações gerais sobre a origem e destino dos dados a serem enviados.
  36. 36.  Clock ◦ Para um computador trabalhar organizadamente, há um dispositivo denominado de gerador de clock. ◦ O clock é uma forma de indicar o número de instruções que podem ser executadas a cada segundo de tempo de ciclo pelo processador com que se trabalha. ◦ A medição do clock é feita pela força Hz sendo que kHz corresponde a mil ciclos, MHz equivale a 1000 kHz e GHz corresponde a 100 MHz. ◦ Desta forma um processador Intel do tipo “Pentium II 800” indica que o mesmo pode realizar tarefas a 800 milhões de ciclos por segundo.
  37. 37.  Clock ◦ O clock máximo de um processador, geralmente, está colocado na frente do processador, como no exemplo PIII 800 1000 MHz. ◦ Os processadores trabalham com um esquema de frequência chamado de “multiplicação de clock”, no qual a frequência de operação interna do processador é totalmente diferente da frequência de operação externa do mesmo. Esta frequência externa é usada para que o processador do computador comunique com a memória RAM. ◦ A maioria das pessoas usa a frequência de operação como medida de velocidade do computador, este tipo de pensamento está errado. Processadores com características diferentes não podem ser equiparados pela frequência de operação.
  38. 38.  Nomenclatura de processadores e processador ◦ A nomenclatura dos processadores tem no seu nome o prefixo “80” (oitenta), como:  80 – 386 (80386)  80 – 486 (80486)  80 – 586 (80586) ◦ A empresa Intel a partir do processador Pentium passou a adotar nomes nos seus processadores porque os números não podem ser patenteados.
  39. 39.   Conforme visto, não é somente a Intel a única fabricante de processadores para computadores do tipo PC. A Cyryx e a AMD (conhecidamente como as duas maiores concorrentes diretas da Intel), fabricavam processadores semelhantes aos da empresa Intel. Porém, com o lançamento da Tecnologia “Pentium” da Intel, os concorrentes passaram a trabalhar com produtos diferentes no que toca a tecnologia, porém totalmente compatíveis em nível de hardware.
  40. 40.  Um processador com características “NãoIntel” usam uma nomenclatura denominada “PR” (Abreviação de Performance Rating ou “Avaliação de Desempenho” em português), ao passo que a Intel trabalha no formato frequência de operação.
  41. 41.  Processadores tipo 8086 e 8088 ◦ O computador com tecnologia 8086 foi o primeiro processador no formato 16 bits pertencente à família Intel. A sua velocidade de acesso à memória RAM chegava até 1 MB. ◦ Este processador foi um dos primeiros a ser adotado pela Intel para trabalhar com o computador no formato PC. Entretanto como na época dos 8086 existia muito poucos circuitos para trabalhar com a plataforma de 16 bits, foi adotado o processador 8088 que trabalhava a uma velocidade externa de 08 MB.
  42. 42.  Processadores tipo 8086 e 8088 ◦ De facto, o processador 8088 é um processador de 16 bits e podia trabalhar perfeitamente na plataforma 16 bits, pois foi projetado para tal. ◦ O processador no formato 8088 foi implementado para trabalhar com aproximadamente 29.000 transístores e todos compactados num pacote de 40 pinos.
  43. 43.  Processadores com tecnologia 286 ◦ Após o lançamento do processador 8088, a Intel finalmente lança um processador bem mais veloz e com ótima performance para a época, o chamado 80286. ◦ No início este processador foi colocado no mercado em versões de 6 MHz. O processador 80286 era aproximadamente 6 vezes mais rápido que 8088 usado em computadores IBM PC. ◦ O 80286 tinha uma configuração avançada, em comparação ao computador XT da época. A memória chegava através de placas de expansão em velocidade de até 16 MB.
  44. 44.  Processadores com tecnologia 286 ◦ Depois foram lançados processadores em versões de 8, 10 e 12 MHz. Este processador foi um verdadeiro sucesso, pois mesmo depois do lançamento do seu sucessor, os fabricantes ainda fabricavam o 80286 em versões mais avançadas.
  45. 45.  Processadores com tecnologia 386 ◦ O lançamento deste processador ocorreu em meados dos anos 80, e chamava-se 80386. ◦ A sua estrutura de funcionamento interna foi tão bem planeada que ele foi lançado com o intuito de ser definitivo. Isto pode ser comprovado na estrutura básica dos atuais processadores, pois utilizam a mesma estrutura básica lançada no 80386. ◦ Este processador era de 32 bits, um avanço de performance muito grande para a época. O 80386 foi lançado em versões 16,20,25,33 e finalmente 40 MHz.
  46. 46.  Processadores com tecnologia 386 ◦ Por volta de 1992 e 1993 era comum existirem no mercado computadores equipados com um processador 386DX-40. ◦ Apesar deste avanço tecnológico, o processador 80386 passou por vários problemas de adaptação, pois a grande parte das arquiteturas de computadores e softwares estavam voltadas para a plataforma de 16 bits. ◦ A solução usada pela Intel foi a mesma utilizada com o processador 8086. Foi lançado uma versão mais simples do 80386, chamada de 80386SX. Por dentro o processador trabalhava como um 386 e externamente com velocidade de um 286.
  47. 47.  Resumo das principais características deste processador: ◦ ◦ ◦ ◦ 1. Memória virtual 2. Multitarefa 3. Barramento Local 4. Início do chamado cache L2. (A partir do 80386, os fabricantes de processadores começaram a trabalhar com circuitos de memória estática na placa mãe, com o intuito de aumentar a performance do computador.)
  48. 48.  Processador 486 ◦ Por volta de 1989, o 80486 foi lançado no mercado. A partir do 486 o que os fabricantes procuravam implementar eram formas do processamento se tornar cada vez mais rápido, pois o 386 como foi dito foi lançado de forma definitiva. ◦ Na primeira versão do 80486, ele trabalhava com uma versão de clock a 25 MHz. ◦ Aproximadamente operava cerca de duas vezes mais rápido que o 386DX-25 o que já era um ganho de performance notável.
  49. 49.  Processador 486 ◦ Interiormente apresentava duas grandes mudanças e inovações:  1. Um coprocessador  2. 8 Kb de memória cache interna ◦ O processador 80486 pode ser considerado como uma versão mais avançada do 80386DX. Executa as mesmas instruções que o anterior e trabalha com barramento de dados e endereços de 32 bits. ◦ Como aconteceu com o processador 386, foi lançado também uma versão mais barata e mais simples chamada de 486SX. O computador 486 passou a ser chamado DX486.
  50. 50.  Variações do 486 ◦ Para criar processadores que trabalhassem de forma mais rápida e eficaz a Intel passou a usar um esquema chamado de “multiplicação de clock” ou “overclock”. Desta forma, foi lançado o processador 486DX2 que faz a multiplicação do barramento externo por 2. O 486DX4 que multiplica o processador por 3 e não por 4, como muitos pensam.
  51. 51.  Processador Pentium ◦ O processador Pentium é de arquitetura de 32 Bits e inicialmente teve alguns problemas de aquecimentos em níveis não normais nas versões lançadas de 60 e 66 MHz. ◦ Apesar de ser de 32 bits ele possui características de 64 bits. Foram realizadas na sua estrutura algumas mudanças para que o Pentium se tornasse mais rápido que o 486.
  52. 52.  Observa algumas mudanças: 1. Possui socket 7: foi o padrão adotado pelo processador Pentium. 2. Tem arquitetura Superescalar: o Pentium possui na sua estrutura mais de uma unidade de execução. Resumidamente isto quer dizer que internamente este processador tem mais de um “processador”. 3. Barramento externo: O processador Pentium acede à memória com 64 bits de cada vez. Além disso, ainda trabalha externamente a 60 ou 66 MHz.
  53. 53.   O Pentium possui uma memória cache interna de 16 Kb e um coprocessador interno de alto desempenho. Este processador apresentava aproximadamente 3.3 milhões de transístores e tinha um poder de execução de 100 milhões de instruções por segundo.
  54. 54.  Processador Pentium MMX ◦ Visando aumentar a capacidade de processamento em programas que fazem trabalhos gráficos, imagens e sons, a Intel adicionou aproximadamente 57 novas instruções específicas para execução rápida com este tipo de processamento. ◦ O termo MMX significa “Multimédia Extensions”. Uma única instrução MMX realiza várias instruções comuns. ◦ O Pentium MMX é compatível com o socket 7 do processador Pentium, ou seja, tem o mesmo conjunto de sinais digitais que o Pentium Normal. ◦
  55. 55.  Processador Pentium MMX ◦ Pensando desta forma, muitos utilizadores poderiam querer instalar um Pentium MMX em qualquer placa Pentium normal, mas isso não é possível. O Pentium MMX usava voltagens diferentes das usadas pelo Pentium Comum. ◦ O mesmo ocorre com outros processadores como os fabricantes (AMD ou Cyrix). Embora todos sejam compatíveis com o socket 7, estes apresentam pequenas diferenças, principalmente relacionados com a voltagem. Desta forma, como regra geral, só podemos instalar um processador numa placa CPU, quando no manual da placa mãe faz referência ao mesmo.
  56. 56. • Compreendendo a tecnologia MMX Esta tecnologia é considerada como uma espécie de segundo conjunto de instruções do processador principal. Para usar as instruções MMX o programa deverá ser feito obrigatoriamente para MMX, assim esta tecnologia não aumenta em nada programas que não sejam desenvolvidos para usar o MMX.
  57. 57.  Processador Pentium Pro ◦ Este processador foi lançado em versões 150,180 e 200 MHz e é um processador baseado em 32 bits. ◦ O processador Pentium Pro possui uma cache interna (chamada de cache primária), com 16 Kb e ainda possui uma cache secundária. ◦ Em questão de desempenho não há grande vantagem em relação ao seu antecessor, portanto não houve grande necessidade de mudança de processador.
  58. 58.  Algumas características: ◦ Cache L1 – É exatamente igual ao Pentium Clássico. ◦ Cache L2 – Uma diferença considerável em relação a todos os processadores até a data deste, pois trazia dentro do processador esta melhoria.
  59. 59.  Processador Pentium II ◦ O processador Intel foi lançado em Maio de 1997 e tinha o intuito de aumentar o desempenho do computador. ◦ O Pentium II é um Pentium Pro “piorado”, ou seja, com performance degradada. ◦ Nesta versão de processador por causa de algumas dificuldades técnicas, a Intel decidiu remover a cache L2 do interior do processador e colocá-la numa placa junto com o processador.
  60. 60.  Processador Pentium II ◦ O Pentium II tem instruções para trabalhar com tecnologia MMX e tem processamento de 16 bits. Foi lançado nas velocidades de 300, 266 e 233 MHz. 1. Trabalha com tecnologia MMX. 2. Cache L1: Teve a sua capacidade aumentada de 16 KB para 32 Kb. 3. Cache L2: Com capacidade de 512 Kb. 4. Barramento externo de 66 MHz.
  61. 61. O Pentium II tem um formato diferente dos processadores até então lançados. Tem a aparência no formato de um cartão de vídeojogo. É chamado de SECC e fica dentro de uma espécie de invólucro plástico. O termo SECC - Single Edge Contact Cartridge – (Traduzindo – Cartão de Contato de Borda Simples). Há um número maior de pipelines (10 contra 5 presentes no Pentium MMX), permitindo com isto um aumento da frequência de operação do processador. Com a cache L2 na placa-mãe, a velocidade de comunicação fica restrito ao nível de funcionamento FSB da placa mãe, assim : 66,8 MHz. O Pentium II usa uma espécie de encaixe chamado de Slot 1, apropriado para o Pentium II e incompatível, evidentemente, com o Socket 7.
  62. 62.  Processador Celeron ◦ O processador Celeron é uma espécie de Pentium II de má qualidade. Este processador foi projetado para utilizadores iniciantes ou para utilizadores que não precisam de um desempenho rápido ou com alto poder de instruções. ◦ Existem dois modelos do processador Celeron: • PPGA (Plastic Ping Grid Array) : Este processador usa um socket chamado 370, no lugar da placa, fazendo com que o preço do produto ficasse mais acessível. • SEPP (Single Edge Processor Package). Este tipo de processador é soldado sobre uma placa de circuito. É instalado na placa mãe que tem slot 1.
  63. 63.  Processador Pentium III ◦ O processador Pentium III é um Pentium II com consideráveis melhorias de desempenho e outras características. ◦ Vejamos algumas:      Barramento Dual Independente – chamado (DIB). Barramento com sistema multitransação. Trabalha com tecnologia MMX. Oferece extensões de Internet Streaming (SIMD). Possui cerca de 70 novas instruções em relação ao seu antecessor.
  64. 64. ◦ Mais características:  A grande parte dos processadores Pentium III vem equipado com um sistema chamado “cache de transferência avançada”. Trata-se de um moderno sistema de armazenagem para monitorizar o pedido mais alto de dados em banda larga.  Trabalha com tecnologia SSE. Também conhecida por outros nomes como: FPMMX. Esta tecnologia equivale a “3dNow” da AMD. É um conjunto de instruções novas para trabalhar com MMX. Esta tecnologia somente terá efeito para programas que forem desenvolvidos para tal.  Trabalha com cache primária de 32 K, sendo 16 k para infraestrutura e 16 k para dados. Este é chamado de cache L1 ou nível 1.  Possui cache L2 chamada também de nível 2 com 512 kb.  A partir do Pentium III os processadores usam um número de série único.
  65. 65. O processador Pentium III usa o mesmo conector slot 1, que se utiliza na placa-mãe usada para o Pentium II com barramento externo com velocidade de 100 MHz. Existe uma versão de processador Pentium III, chamado de versão “B”, que trabalha com velocidade no barramento de 133 MHz, e nestes processadores é necessário que a placa mãe tenha um slot de encaixe que consiga trabalhar na mesma velocidade.
  66. 66. Modelo Pentium III Existe também, um outro modelo lançado no mercado, chamado de Pentium III modelo “E”. Vejamos algumas mudanças neste modelo: • Cache de memória L2 (chamado de nível 2) foi colocado dentro do processador e a sua velocidade foi diminuída de 512 Kb para 256 Kb. • Esta cache trabalha na mesma frequência do processador.
  67. 67.    Há ainda também, um outro modelo lançado no mercado, chamado de Pentium III FCPGA. O termo FCPGA chamado de (Flip Chip Pin Grid Array), que é bem diferente fisicamente do modelo Pentium III “E” . Trabalha também como modelo de cache na frequência da placa-mãe. Este tipo de processador usa a placa-mãe com socket 370, ou seja, o mesmo tipo usado para a placa mãe com processador celeron PPGA. Porém o processador PIII FCPGA pode ser usado em placas-mãe com tecnologia de slot 1, com o auxílio de uma placa controladora.
  68. 68.  Processador Pentium IV ◦ Este processador é a sétima geração dos processadores com arquitetura x86 fabricados pela empresa Intel. O Pentium IV foi totalmente redesenhado desde o processador Pentium Pro do ano de 1995. ◦ Ao contrário dos seus antecessores que herdaram várias características de design do Pentium Pro, o Pentium IV tem poucas características do Pentium Pro, pois foi desenhado e feito a partir de raiz. ◦ Este processador foi lançado inicialmente com o nome “Willamette”, e funcionava a 1.4 e 1.5 GHz no ano de 2000, trabalhando com Socket 423.
  69. 69.  Processador Pentium IV ◦ Em relação ao Pentium III não houve significativas melhoras em questões de velocidade de processamento e em desempenho de pontos flutuantes. Muito pelo contrário, sacrificou o desempenho por ciclo de processamento com intenção de ganhar duas coisas: velocidades de clock mais alto e desempenho de SSE.
  70. 70.  O que é a SSE? ◦ O termo Significa Streaming SIMD Extensions – Extensões SIMD de fluxo. ◦ A tecnologia SSE é uma implementação do conceito SIMD que foi introduzida no processador Pentium III, anteriormente referido. A partir do Pentium III todos os processadores da Intel trabalham com esta tecnologia. ◦ Trata-se de um conjunto de 70 instruções com o objetivo de manipular vários dados pequenos de uma só vez. O diferencial da tecnologia “MMX” para a “SSE” está no facto que o MMX opera com números inteiros (usando registadores de 32 bits), enquanto o SSE consegue operar com números de ponto flutuante (com registadores de 128 bits). ◦
  71. 71.  O que é a SSE? ◦ Para usar esta tecnologia, o processador tem que ter instruções deste tipo e o programa tem que ter sido escrito para usar estas instruções, e assim aproveitar o ganho de desempenho que elas oferecem.
  72. 72.  Algumas características do Pentium IV: ◦ Introduziu-se uma tecnologia chamada de hyperpipelined, aumentando o desempenho do processador e a capacidade de frequência. ◦ Possui um motor de execução rápido que empurra as Unidades de Aritmética Lógica (chamadas de - ALU), com velocidade superior ao dobro da frequência central.
  73. 73.  Algumas características do Pentium IV: ◦ Possui um barramento do sistema com velocidade de 400 MHz, fornecendo três vezes mais a largura de banda que o Processador Pentium III. Isto possibilita uma taxa de transferência de 3.2 gigabytes entre o Processador Intel Pentium 4 e o controlador de memória. ◦ Melhorias nos sistemas de cache L1 e L2.
  74. 74. O processador Pentium IV trabalha passando dados a quatro dados por pulso de clock. A isto damos o termo técnico de QDR (Quad Data Rate). Esta característica faz com que o computador tenha um grau de desempenho quatro vezes superior ao do clock real trabalhado no computador. Observe a tabela abaixo: Aqui é considerada uma velocidade de 400 MHz, aquando do lançamento do Pentium IV.
  75. 75. Tabela evolutiva do Processador Pentium Code name=o nome com que foi lançado no mercado; core clock=velocidade de clock; socket=circuito de encaixe do processador na placa-mãe.
  76. 76.  Processador com tecnologia Cyrix e AMD  Processador 5x86 ◦ Não é aconselhável fazer comparações entre as tecnologias dos processadores do tipo Intel e AMD, pois eles trabalham de forma diferente e possuem tecnologia interna distintas. ◦ Este processador nada mais é do que o processador 486DX4 “melhorado e turbinado”. ◦ A empresa AMD e Cyrix produziram um processador chamado de 5x86, usando o mesmo padrão de socket e de pinos do 486 (utiliza o socket 3). Portanto usam o mesmo tipo de placa-mãe. ◦ Obviamente que internamente o 5x86 da AMD é diferente da Cyrix.
  77. 77.  5x86 da AMD  5x86 da Cyrix
  78. 78. O AMD 5x86 opera internamente com um clock de 133 MHz, e externamente usa um clock com a quarta parte deste valor: 33 MHz. Possui barramentos de dados e de endereços com 32 bits, uma cache interna de 16 KB, e um coprocessador matemático interno compatível com o da Intel. Ao ser chamado de 586 de 133 MHz, os utilizadores menos informados tendem a pensar que é equivalente a um Pentium-133, o que não é verdade. Equivale em termos de velocidade de processamento a um Pentium-75.
  79. 79.  Processador K5 ◦ A sigla AMD significa Advanced Micro Devices e é uma empresa americana, fabricante de processadores e circuitos integrados. Os seus produtos aparecem no mercado para fazer concorrência aos processadores da Intel. ◦ Inicialmente a primeira tecnologia feita pela AMD foi o processador K5. A letra “K” significa Kryptonite ou Krypton. Este processador foi lançado em meados de 1995, e apareceu para concorrer com o famoso Pentium (586).
  80. 80.  Processador K5 ◦ A arquitetura do 5k era mais parecida com a do Cyrix 6x86 do que com a do seu concorrente Pentium (586). Quando os utilizadores faziam um “boot” na máquina achavam estranho, pois aparecia um clock menor do que era oferecido na compra do mesmo. ◦ É claro que muitos utilizadores não entendem que o desempenho do processador não pode ser medido somente pela velocidade do clock, porém este facto desagradou ao mercado consumidor e por muito tempo a AMD sofreu por causa deste facto.
  81. 81.  Alguns recursos do Processador K5 ◦ Compatibilidade com os vários sistemas existentes de categoria 586 e projetos que os suportam. ◦ Múltiplos de clock de 1,5x e 2x selecionáveis por pino. ◦ Barramento de 64 bits totalmente compatível com Pentium em encapsulamento SPGA de 296 pinos. ◦ Núcleo de 4 estágios com execução e conclusão completas e fora de ordem.
  82. 82.  Alguns recursos do Processador K5 ◦ Cache de instruções de 16 KB e unidade de prédecodificação. ◦ Cache de dados de 8 KB write-back compatível com MESI. ◦ Pipeline semelhante ao do RISC, de 5 estágios. ◦ 6 unidades funcionais paralelas ◦ FPU de grande performance
  83. 83.  Alguns recursos do Processador K5 ◦ Controle de clock estático com circuitos Digital Phase Lock Loop (DLL) patenteados pela empresa AMD. ◦ Padrão socket 7 (Desta forma usa a mesma placamãe do Pentium Clássico da Intel) Tabela do processador K5
  84. 84.  Processador K6 ◦ Este processador da AMD apanhou boleia da tecnologia MMX da Intel e então lançou o processador K6. Este tem arquitetura totalmente diferente do projeto AMD k5, e claro apresenta um desempenho muito superior ao seu antecessor. ◦ Foi lançado nas versões 166, 200 e 233 MHz e todos trabalham em velocidades bem satisfatórias.
  85. 85.  Características do Processador K6 ◦ Cache L1 de 64 Kb. Esta cache é dividida em duas de 32 Kb, sendo uma para dados e outra para instruções. ◦ Possui um núcleo RISC com descodificador CISC. ◦ Instruções de tecnologia MMX (segundo a fabricante compatível com o da Intel). ◦ Tem alimentação de energia de 2,9 V, exceção ao modelo k6-233 que deve ser alimentado com 3,2 V. ◦ Totalmente compatível com socket 7.
  86. 86. Tabela do Processador K6
  87. 87.  Processador K6-II ◦ O Processador AMD K6-II estabelece precisamente duas diferenças básicas sobre o seu antecessor K6.  Uso da tecnologia 3DNow! Este recurso é nada mais do que um segundo nível de instruções da tecnologia MMX. Vale sempre a pena lembrar que esta tecnologia somente tem funcionalidade com programas que são feitos para trabalhar com a mesma.  Uso de barramento de 100 Mhz Este recurso faz com que os computadores equipados com este barramento tenham um ganho real no desempenho. Os modelos que passaram a trabalhar com este barramento foram a partir do 300 Mhz.
  88. 88.  Algumas características internas ◦ Núcleo RISC com descodificador CISC, semelhante ao K5 (5K86) e ao 6x86. ◦ Cache L1 de 64 KB, dividido em duas de 32 KB, uma para dados e outra para instruções. ◦ Descodificador funciona bem tanto para código de 16 bits quanto para o código de 32 bits. ◦ O sistema de descodificação CISC/RISC consegue descodificar até duas (2) instruções por pulso de clock, dependendo da complexidade da mesma.
  89. 89.  Algumas características internas ◦ Conjunto de Instruções MMX (De acordo com a fabricante AMD, compatível com o MMX da Intel). ◦ O Coprocessador integrado do K6 não é tão bom quanto o do Pentium Pro ou o do Pentium II. ◦ Outras características internas iguais ao Pentium Pro: execução em desordem, previsão de desvio (bem melhor que o Pentium Pro), execução especulativa, etc.
  90. 90.  Características externos ◦ Alimentação a 2,9 V, com exceção do modelo K6233 que deve ser alimentado com 3,2 V. A tendência é que os próximos processadores K6 utilizem 2,8 V ou menos. ◦ Compatível com socket 7, ou seja, usa a mesma placa-mãe do Pentium.
  91. 91. OBS.: Alguns modelos variam a voltagem e são diferenciadas conforme a nomenclatura abaixo: Modelos que variam (400,450,475 Mhz) As siglas no final das versões dos processadores significam: AFQ = Voltagem do núcleo de 2,20V e temperatura máxima do gabinete de 60ºC AHX = Voltagem do núcleo de 2,40V e temperatura máxima do gabinete de 65ºC AFX = Voltagem do núcleo de 2,20V e temperatura máxima do gabinete de 65ºC AGR = Voltagem do núcleo de 2,30V e temperatura máxima do gabinete de 70ºC Tabela do processador K6-II
  92. 92.  Processador K6-III ◦ O processador K6-III vem com a tecnologia 3DNow! Combinado com o recurso Trilevel Cache (cache de 03 níveis), o qual fornece um desempenho bem mais rápido em aplicativos. ◦ Um computador baseado no processador AMD K6III pode oferecer até 2.368 KB e cache total do sistema e de quatro vezes o tamanho máximo de 544 KB baseado em tecnologia concorrente. ◦ Oferece barramento frontal de 100 Mhz para uma cache de nível 3. Trabalha na plataforma Super 7.
  93. 93.  Processador K6-III ◦ Possui previsão avançada de desvio de dois níveis de execução, e também uma ótima reclassificação de registos e passagem de dados. ◦ Possui cache interna de 320 KB e uma cache interna de 64 KB de Nível 1 (Cache de instruções de 32 KB e cache write-back de 32 KB). ◦ Possui uma cache interna de Nível 2 de 256 KB com velocidade máxima e permitindo leitura/gravações simultâneas de 64 bits das caches L1 e L2.
  94. 94.  Processador K6-III ◦ Suporta barramento de processadores de 100 Mhz com alta velocidade e alto desempenho. ◦ Possui aproximadamente 21,3 milhões de transístores e um empacotamento do tipo (CPGA) Ceramic Pin Grid Array com 321 pinos.
  95. 95. Tabela do processador K6-III OBS.: Os modelos variam a voltagem e são diferenciadas conforme nomenclatura abaixo: (V) Arquitetura AHX = Voltagem do núcleo de 2,40V e temperatura máxima no encapsulamento do processador de 65ºC AFR = Voltagem do núcleo de 2,20V e temperatura máxima no encapsulamento do processador de 70ºC AFX = Voltagem do núcleo de 2,20V e temperatura máxima no encapsulamento do processador de 65ºC
  96. 96.  Processador Athlon (K7) ◦ Este processador da ADM que também pode ser chamado de K7 foi feito e moldado para ter um desempenho de alta performance. ◦ Características principais são:  Cache de memória L1 dividida em 128 Kb, dividida em duas de 64 KB, sendo uma para transmissão de dados e outra para instruções.
  97. 97. ◦ Características principais são:  Usa um cartucho similar aos processadores Pentium II e Pentium III, conectado a um Slot chamado “slot A”. Apesar de serem semelhantes tanto os slots quanto as formas físicas dos processadores, eles não são compatíveis, portanto, torna-se impraticável fazer a instalação na placa-mãe que não seja compatível com o mesmo.  Cache de memória L2 com 512 Mb.  Possui barramento externo com velocidade de 200 Mhz, aumentando consideravelmente o ganho de desempenho deste processador.
  98. 98. Tabela do processador Athlon Obs. Alguns modelos acima variam a voltagem, são eles: Tipo “A” e Tipo “C” (Exemplo: Athlon 550 A e Athlon 500 C), nos seguintes processadores: Athlon 500 ao Athlon 700. A partir do modelo 750 não há diferença de voltagem.
  99. 99. Vai à plataforma Moodle e faz a ficha de trabalho 1 .
  100. 100. Bibliografia • • http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/jorgeasantos/montagemconfigura caopc025.asp Sua Oficina Virtual – http://www.waytech.hpg.com.br http://sites.uol.com.br/waytech

×