Doquinha    Leixões - Portugal, setembro de 20081
PORTOS DA AMAZÔNIA2
BRASIL Território: 8.514.215 km² População: 189.334.953 habitantes (07/2007) Produto Interno Bruto (PIB): US$ 1.067.325...
O Brasil se destaca hoje no mercado mundial de    minério de ferro com reservas abundantes e de    ótima qualidade, sendo ...
Setores Estratégicos para Atração de Investimentos na Infra-    Estrutura Portuária Brasileira     As 4 Grandes Forças Mot...
Agricultura e Pecuária no Brasil                  A explosão do campo      Produção de grãos      132,9 milhões de tonelad...
Balança comercial brasileira - 2001/07    Valores em US$ milhões     180000     160000     140000     120000     100000   ...
Principais Mercadorias de Exportação (% total) - 2001/07                             19,5%                     12,6%      ...
Principais Mercadorias de Importação (% total) - 2001/07                                        6,9%                      ...
Exportação Brasileira por País e Continente (% total) -     2001/07                                     10,3%             ...
Importação Brasileira por País e Continente (% total) - 2001/07                                        6,6%               ...
12   ESTADO DO PARÁ
Santa Maria de Belém do Grão-Pará, capital do Estado do Pará, foi fundada a 12 de     janeiro de 1616 pelo navegador portu...
O Pará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. É o segundo maior estado     do país com uma extensão de 1.247.689,515...
Crescimento Real do PIB e do Valor Adicionado por Atividade Econômica - 2007                                            20...
COMPOSIÇÃO DO PIB DO PARÁ     ANO DE REFERÊNCIA - 200516                               ESTADO DO PARÁ
EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DO PARÁ     VALORES EM U$ BILHÕES17                                ESTADO DO PARÁ
MATRIZ ENERGÉTICA DOS PRINCIPAS     SEGMENTOS INDUSTRIAIS18                              ESTADO DO PARÁ
PERSPECTIVAS DA INDUSTRIA NO PARÁ                                               PRINCIPAL FATOR DE   PRINCIPAL FATOR      ...
PERSPECTIVAS DA INDUSTRIA NO PARÁ                                                       PRINCIPAL FATOR DE       PRINCIPAL...
PERSPECTIVAS DA INDUSTRIA NO PARÁ                                                        MERCADO NACIONAL E          AUSEN...
Papel da unidade na execução                           das políticas públicas     A Companhia Docas do Pará é a Autoridade...
MISSÃO     Promover o desenvolvimento sócio-econômico da região de sua     influência e em particular do Estado do Pará, a...
100 anos de história – inaugurado em 1909                    Vista da construção do24                 Porto de Belém em 19...
25
Sede da CDP no dia do Círio de26   Nazaré, a maior festa religiosa do Brasil.
Sede da Companhia27                  HOLDING
A Amazônia possui os portos brasileiros mais próximos dos grandes mercados        consumidores. A Companhia Docas do Pará ...
PORTO DE         PORTO DE VILA        PORTO DE     Área de                          SANTARÉM           DO CONDE         S....
Portos e Hidrovias                                                   Complexo Portuário Industrial                        ...
HIDROVIAS TOCANTINS E ARAGUAIA / 3.770 kmOs rios Tocantins, Araguaia e das Mortesatravessam as regiões Centro-Oeste e Amaz...
HIDROVIA TAPAJÓS – TELES PIRES / 1.043 km Com 1043 km de extensão, desde o porto de Santarém, na foz do rio Tapajós, aflue...
Números da CDP                                 10,53                                         8,96                         ...
Números da CDP                                      Evolução de Carga Movimentada                                         ...
Números da CDP                                       Valor em US$ FOB das Principais Cargas Export adas pelo Est ado do Pa...
Números da CDP              Evolução do Movimento de Contêineres no Portos da CDP de 2000 a                               ...
Plano de Desenvolvimento e            Zoneamento           PDZ - Versão 3.037
Zonas de Frentes de Expansão                                        Complexo do Tapajós/Amazonas                          ...
Unidades Portuárias e suas vocações:     As unidades portuárias se complementam no atendimento das necessidades dos     ex...
“Investir no Porto de Belém, significa abrir as portas para     o desenvolvimento social e econômico da região” Porto de  ...
Localização               “41                 Porto de Belém/PA
 Mais de R$80 Milhões de receita em 10 anos;  Mais de 500.000 TEU´S movimentados em 10 anos;  Mais de 10,6 milhões de t...
Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação     e das Operações Portuárias        Estabelecimento do calado         O...
As dez principais cargas mais movimentadas                               PRODUTO                        PRODUTO     PORTO ...
Índice de Conteinerização da Carga Movimentada.     60,00%                                                                ...
Porto x Cidade – Relação Harmoniosa     Av. Marechal Hermes      (Veículos Pesados)           Área de                     ...
REVAP     Programa de Revitalização de Áreas Portuárias47                                                   Porto de Belém...
Porto x Cidade – Relação Harmoniosa        Áreas para Terminal de Contêineres: 62.000m 248                                ...
Arranjo Espacial      Futuro Complexo Urbanístico                                    Futuro Centro Integrado              ...
Estação das Docas                       O Complexo Estação das Docas, com uma área de                                     ...
Projeto Turístico Ver-o-Rio                                            Inaugurado pelo Governo do Povo em outubro         ...
Projeto Turístico Ver-o-Rio52                                 Porto de Belém/PA
Terminal Hidroviário de Passageiros53                         Porto de Belém/PA
Terminal Hidroviário de PassageirosO novo terminal de passageiros terá como principal função dotar a cidade da infra-estru...
“Um gigante na movimentação de graneis líquidos, que se prepara     para crescer ainda mais.”     Terminal de             ...
“ Localização                   Terminal de Miramar56
Parâmetros Técnicos para Segurança da      Navegação e das Operações Portuárias      CALADO: 7,92m      ÁREA DE INFLUÊNC...
2007                     1.922.693 2006                  1.809.412 2005               1.710.149 2004               1.696.2...
PÍER 1     23                             ESSO                                                  IPIRANGA                  ...
60   Terminal de Miramar/PA
Um horizonte promissor para a exportação brasileira Terminal de       Outeiro/PA61
“É a expansão natural do Porto de Belém. O caminho alternativo que     levará nossos produtos       para o mercado externo...
Localização               Terminal de Outeiro63
Parâmetros Técnicos para Segurança da      Navegação e das Operações Portuárias      CALADO: 10,92m      ÁREA DE INFLUÊN...
Acostagem     O sistema portuário é composto por pontes e     píeres, sendo as pontes divididas em dois                   ...
Calado: 12,00m           ÁREA DO TERMINAL:           Terreno de formato aproximado      de um retângulo de 420.911,30 m² d...
Arranjo Espacial          Área de Múltiplo Uso67                               Terminal Portuário de Outeiro
Porto de            Santarém/PA     A melhor e mais barata opção de escoamento dos grãos do     centro-oeste brasileiro68
 Mais de R$26 Milhões de receita em 10 anos;      Mais de 10,2 milhões de toneladas movimentadas em 10       anos, repre...
Localização70             Porto de Santarém/PA
Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação     e das Operações Portuárias          Estabelecimento do calado        ...
As dez principais cargas mais     movimentadas                                  PRODUTO                           PRODUTO ...
Terminal da CARGILL/PA                          Previsão de movimentação de                                               ...
Calado: 11,50m                                                                                 Construção do Píer 200     ...
Arranjo Espacial                            Áreas Disponíveis para                                Arrendamento        Futu...
A possibilidade de implantação de novos terminais portuários, dentro da sua área de Porto Organizado, em harmonia com as m...
O maior e mais moderno complexo portuário de toda eRegião Norte     Complexo Portuário e Industrial de                    ...
Localização78             Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
 Mais de R$241 Milhões de receita em 10 anos;      Mais de 104.000 TEU´S movimentados em 5 anos;      Mais de 97,3 milh...
Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação     e das Operações Portuárias        Estabelecimento do calado         -...
Movimentação por Tipo de Carga (t) Porto de Vila do Conde     2007 1.129.389                                   12.670.499 ...
As dez principais cargas mais     movimentadas                                                             Janeiro a agost...
Disposição dos Berços de Atracação                                                       Carga Geral, Contêineres e       ...
Distrito Industrial de Barcarena                                                                         COMPLEXO DE      ...
Terminais Privativos dentro da Área do Porto Organizado                                                           TERFRON ...
Anel Viário                                         V IAL                                     F LU                        ...
ECLUSAS DO TUCURUÍ                    Pólo   TO             Siderúrgico87          Complexo Portuário e Industrial de Vila...
Cadeia Logística do Projeto Siderúrgico no Pará                                 Espadarte                 Vila do Conde   ...
Cadeia Logística do Projeto Siderúrgico no Pará Terminal de Múltiplo Uso de Marabá - TMM     Distâncias:     Porto Vila do...
Cadeia Logística do Projeto Siderúrgico no Pará Demanda da Cadeia Siderúrgica no Pará Esta cadeia produtiva atenderá a usi...
Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ Ampliação do Terminal de Múltiplo Uso 1 e Construção do TM2                   ...
Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ Ampliação do Terminal de Múltiplo Uso 192                   Complexo Portuário...
Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ Ampliação do Terminal de Múltiplo Uso 1                                 Alarga...
Centro de Operações Portuárias      Construção    do    COP    –  Centro      Operacional       Portuário     com      ins...
Portaria Principal95              Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
Ampliação do Terminal de Contêineres     Ocupando uma área de 102 mil m2, o TERMINAL DE     CONTÊINERES dispõe de armazém ...
Arrendamentos de     Áreas e Instalações         Portuárias97
Empreendimentos                                                                                  TOTAL DE ÁREAS: 14       ...
Legislação Constituição Federal – Art 175 Lei nº 8.630/93 – Lei dos Portos Lei nº 8.987/95 – Lei das Concessões/permiss...
Legislação Decreto nº 2.184/97 - Delegar aos Estados e Municípios a  exploração dos portos federais; Resolução nº 055/AN...
Fluxograma do Processo de Arrendamento Portuário               Pedido do Interessado ou Iniciativa da AP em               ...
Aspectos do Estudo de Viabilidade Técnica-Econômica e Financeira   O processo inicia com uma “Manifestação de Interesse” ...
Demais      Unidades      Portuárias103
104   Porto de Óbidos/PA
105   Porto de São Francisco/PA
106   Porto de Altamira/PA
107   Porto de Itaituba/PA
108   Porto de Marabá/PA
As Potencialidades do      Terminal Marítimo Offshore             da Amazônia          ...um terminal a altura da maior pr...
HISTÓRICO      A Construção de um porto oceânico na região da Ponta da Romana, a      jusante do canal de acesso principal...
Potencial de       Movimentação       80 milhões t/ano      O futuro Porto da Amazônia está situado nas coordenadas      0...
Base Física                                                         Ilha dos      Arquipélago formado na foz do rio       ...
Reserva Ambiental      RESEX Mãe Grande de Curuçá - a Ilha dos Guarás (Mariteua) enquadra-se na      RESEX Mãe Grande de C...
Logística Privilegiada                                           Porto da                                           Amazôn...
AMAZÔNIA – ROTTERDAM                             - Distância total (Km)          =8.969                             - Fret...
Principais Vantagens      Localizado na Ponta da Romana na Ilha dos Guarás, com um calado de 25 m, ideal      para descarr...
Ferrovia Norte - Sul                                                                            Projeto Original - A Ferro...
Possibilidades de Acessos                                                             Porto da Amazônia                   ...
LAYOUT DA RETROÁREA – ALTERNATIVA A119                                    Porto da Amazônia
Arranjo Espacial      Potencial de Movimentação:      80.000.000 t/ano      Calado:      16 metros - Píer interno.      25...
Diretrizes Estratégicas      Os tipos de produtos predominantemente transportados por      mais de um modal são commoditie...
Conclusão  Com a conclusão da BR-163 e das Eclusas de Tucuruí  haverá inversão do fluxo dominante de transporte, que  trad...
GESTÃO AMBIENTAL PORTUÁRIA123
Portos da CDP dentro dos Planos      Porto de Santarém      Porto de Belém      Terminal de Miramar      Terminal de Vila ...
Projetos de Educação Ambiental  Porto de Santarém      Programa de sensibilização125                                   Res...
Projetos de Educação Ambiental  Porto de Santarém      Programa de Capacitação                                            ...
CDP na Escola      Porto de Santarém127                          Responsabilidade Ambiental
CDP na Escola      Porto de Santarém       LOCAL: Escola Municipal de Ensino Fundamental “Sofia Imbiriba”       PÚBLICO AL...
Projetos de Educação Ambiental  Porto de Santarém Programa de Capacitação129                           Responsabilidade Am...
Projetos de Educação Ambiental  Porto de Vila do Conde         Curso de Educação Ambiental                                ...
Projetos de Educação Ambiental      Terminal de Miramar                                                       Curso de Ing...
Projetos de Educação Ambiental  Porto de Belém132                           Responsabilidade Ambiental
Planos e Programas      Plano de Ação Mutua - PAM      Objetivo – visa atuação de forma conjunta, na resposta emergencial ...
clythio@cdp.com.br  Diretor Presidente socorro.piramides@cdp.com.br  Diretora de Gestão Portuária  oliviogomes@cdp.com.br ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Companhia Docas do Pará

879

Published on

O Porto de Leixões e a CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) organizaram, a 25 e 26 de Setembro de 2008, o "I Encontro de Portos da CPLP", sob o lema “Estreitando Relações Comerciais e de Cooperação no Espaço da Lusofonia”. O evento decorreu no Auditório Infante D. Henrique, em Leça de Palmeira.
Com o evento pretendeu-se abrir um espaço e um tempo de reflexão comum, estabelecendo ou estreitando laços de conhecimento e amizade e criando meios para uma maior aproximação, cooperação e parceria entre todos na discussão de questões de interesses recíprocos e sob a égide da mesma língua que todos falam.
Os objectivos propugnados neste encontro pioneiro vieram a concretizar-se a 13 de Maio de 2011, com a constituição da Associação dos Portos de Língua Portuguesa - APLOP.

Divulgamos a apresentação de suporte à intervenção de Maria do Socorro Pirâmides Soares, Directora de Gestão Portuária da Companhia Docas do Pará (CDP), Brasil, no I Encontro de Portos da CPLP.
Há mais 8 apresentações disponíveis neste espaço da APLOP no Slideshare, e referentes ao I Encontro de Portos da CPLP.
A apresentação do Porto do Lobito (Angola), teve suporte vídeo, encontrando-se disponível no Canal da APLOP no Youtube, em
http://www.youtube.com/watch?v=1jBFIyAAJCU

Programa do I Encontro de Portos da CPLP: http://congresso.aplop.org/sartigo/index.php?x=5945

Historial dos Encontros/Congressos da APLOP: http://congresso.aplop.org/menu/index.php?x=202

Estamos no Facebook: http:// facebook.com/aplop.press
Estamos no Twitter: http://twitter.com/aploppress
A APLOP está no Youtube: http://www.youtube.com/aplop2
Estamos no Linkedin: https://www.linkedin.com/company/aplop

CONSULTE O SITE DO VI CONGRESSO DA APLOP: http://congresso.aplop.org/

Visite também www.portosdeportugal.pt

Published in: Automotive
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
879
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
17
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação da Companhia Docas do Pará

  1. 1. Doquinha Leixões - Portugal, setembro de 20081
  2. 2. PORTOS DA AMAZÔNIA2
  3. 3. BRASIL Território: 8.514.215 km² População: 189.334.953 habitantes (07/2007) Produto Interno Bruto (PIB): US$ 1.067.325 milhões (2006) Reservas Internacionais: US$ US$ 85,8 bilhões (RelatórioAnual 2006 - BACEN) Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): 0,792 (2005) Moeda: Real (R$) Idioma: Português
  4. 4. O Brasil se destaca hoje no mercado mundial de minério de ferro com reservas abundantes e de ótima qualidade, sendo o maior produtor mundial e segundo maior exportador, seguido da Austrália. No cenário nacional, o Estado do Pará ganha grande destaque nesse sentido, sendo a maior província mineral do planeta e situado na maior Bacia hidrográfica do mundo reunindo assim, em seu território, condições naturais bastante favoráveis a prática da exportação.4 Brasil
  5. 5. Setores Estratégicos para Atração de Investimentos na Infra- Estrutura Portuária Brasileira As 4 Grandes Forças Motrizes dos Investimentos: •Infra-estrutura/PAC; •Oportunidades ampliadas de exportação •Expansão do mercado interno; •Expansão necessária dos insumos básicos (indústria pesada e bens de capital). Segundo especialistas, as principais áreas a demandar investimentos e ampla modernização são: •Tecnologia da Informação; •Equipamento pesado de cais; •Equipamento pesado para manobra de carga; •Dragagem, com vistas a possibilitar a atracação da nova geração de navios de grande porte; •Gerenciamento ambiental responsável;5 •Operadoras portuárias. Brasil
  6. 6. Agricultura e Pecuária no Brasil A explosão do campo Produção de grãos 132,9 milhões de toneladas na safra 2007 Área plantada 57,882 milhões/ha na safra 2007 Fonte: IBGE Rebanho bovino 205,9 milhões de cabeças em 2006  O agronegócio representa 34% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional;  Representa 37% de todos os empregos do País;  Responsável por 43% das exportações nacionais;  É o setor superavitário entre todos os setores exportadores do Brasil;  A previsão é que aos atuais 62 milhões de hectares cultivados no país se somarão outros 30 milhões de hectares nos próximos 15 anos, cedidos por áreas de pastagens, graças ao desenvolvimento tecnológico da pecuária de corte e da pecuária de leite.6 Brasil
  7. 7. Balança comercial brasileira - 2001/07 Valores em US$ milhões 180000 160000 140000 120000 100000 80000 60000 40000 20000 0 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 Exportação Importação Saldo Fonte: AliceWeb (1989/julho2007)7 Brasil
  8. 8. Principais Mercadorias de Exportação (% total) - 2001/07 19,5% 12,6% Mat. Transporte Máqs. e equip. Metalurgicos 12,3% Soja 2,2% Quimicos 3,4% Minérios Petróleo e comb. 3,7% Carnes 4,1% 10,5% Açúcar e alcool Calçados e couro 5,2% Papel e celulose 5,3% 9,0% Café 5,8% 6,4% Demais Fonte: AliceWeb (1989/julho2007)8 Brasil
  9. 9. Principais Mercadorias de Importação (% total) - 2001/07 6,9% 2,7% 3,8% Maquinas 30,7% Quimicos 5,2% Combustiveis 5,7% Mat. Transporte Animal e vegetal Metais 7,4% Ap. cientificos Texteis Demais 16,5% 21,0% Fonte: AliceWeb (1989/julho2007)9 Brasil
  10. 10. Exportação Brasileira por País e Continente (% total) - 2001/07 10,3% 3,8% 24,8% Europa 4,3% Est. Unidos Am. do Sul Ásia 14,7% Africa Oriente Médio Demais 22,0% 20,0% Fonte: AliceWeb (1989/julho2007)10 Brasil
  11. 11. Importação Brasileira por País e Continente (% total) - 2001/07 6,6% 3,3% 25,9% Europa 7,7% Ásia Est. Unidos Am. do Sul Africa 17,0% Oriente Médio Demais 19,8% 19,6% Fonte: AliceWeb (1989/julho2007)11 Brasil
  12. 12. 12 ESTADO DO PARÁ
  13. 13. Santa Maria de Belém do Grão-Pará, capital do Estado do Pará, foi fundada a 12 de janeiro de 1616 pelo navegador português Francisco Caldeira Castelo Branco, às margens da baía de Guajará. Belém é conhecida como "Cidade das Mangueiras", porque muitas árvores que compõem sua farta arborização são mangueiras. Em Belém se realiza todos os anos o Círio de Nossa Senhora de Nazaré, festa singular do calendário religioso em todo o mundo, porque é a única procissão a reunir, em um único dia, aproximadamente dois milhões de pessoas.13 ESTADO DO PARÁ
  14. 14. O Pará é uma das 27 unidades federativas do Brasil. É o segundo maior estado do país com uma extensão de 1.247.689,515 km² (pouco maior que Angola) e está situado no centro da região norte e tem como limites o Suriname e o Amapá a norte, o oceano Atlântico a nordeste, o Maranhão a leste, Tocantins a sudeste, Mato Grosso a sul, o Amazonas a oeste e Roraima e a Guiana a noroeste. A capital é Belém e outras cidades importantes são Santarém, Ananindeua, Marabá, Altamira, Itaituba, Castanhal, Abaetetuba, Barcarena e Tucuruí. O relevo é baixo e plano; 58% do território se encontra abaixo dos 200 metros. As altitudes superiores a 500 metros estão nas serras de Carajás, Caximbó e Acari. Os rios principais são os rios Amazonas, Tapajós, Tocantins, Jari e Pará.14 ESTADO DO PARÁ
  15. 15. Crescimento Real do PIB e do Valor Adicionado por Atividade Econômica - 2007 2007 Participação Crescimento (%) Atividades Econômicas (R$ Milhão) (%) 2007/2006 PIB do Pará 35.292 100 4,2 Agricultura 1.063 3,01 9,3 Pecuária 2.095 5,93 2,8 Extrativa Mineral 2.934 8,31 8,3 Transformação 4.349 12,32 -0,9 Construção 2.610 7,39 7,3 Serviços Industriais de 1.803 5,11 1,3 Utilidade Pública – SIUP Comércio 3.994 11,32 4,4 Serviços 16.444 46.60 59.5 Fonte: IBGE; SEPOF Elaboração: FECOMÉRCIO/ Assessoria Econômica Nota: * Estimativa15 ESTADO DO PARÁ
  16. 16. COMPOSIÇÃO DO PIB DO PARÁ ANO DE REFERÊNCIA - 200516 ESTADO DO PARÁ
  17. 17. EVOLUÇÃO DAS EXPORTAÇÕES DO PARÁ VALORES EM U$ BILHÕES17 ESTADO DO PARÁ
  18. 18. MATRIZ ENERGÉTICA DOS PRINCIPAS SEGMENTOS INDUSTRIAIS18 ESTADO DO PARÁ
  19. 19. PERSPECTIVAS DA INDUSTRIA NO PARÁ PRINCIPAL FATOR DE PRINCIPAL FATOR SEGMENTO INDUSTRIAL PERSPECTIVA ATRATIVIDADE DE INIBIÇÃO INDUSTRIA EXTRATIVA DISPONIBILIDADE DE COMPLEXIDADE DO MINERAÇÃO DO FERRO EXPANSÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL DISPONIBILIDADE DE COMPLEXIDADE DO MINERAÇÃO DA BAUXITA EXPANSÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL DISPONIBILIDADE DE COMPLEXIDADE DO MINERAÇÃO DO COBRE EXPANSÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL DISPONIBILIDADE DE COMPLEXIDADE DO MINERAÇÃO DO NIQUEL EXPANSÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL DISPONIBILIDADE DE COMPLEXIDADE DO MINERAÇÃO DO MANGANÊS EXPANSÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL DISPONIBILIDADE DE COMPLEXIDADE DO CAULIM ESTABILIZAÇÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL19 ESTADO DO PARÁ
  20. 20. PERSPECTIVAS DA INDUSTRIA NO PARÁ PRINCIPAL FATOR DE PRINCIPAL FATOR SEGMENTO INDUSTRIAL PERSPECTIVA ATRATIVIDADE DE INIBIÇÃO INDUSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO METALURGIA BÁSICA PROXIMIDADE DAS COMPLEXIDADE DO REFINO DA BAUXITA - ALUMINA EXPANSÃO RESERVAS LINC. AMBIENTAL PROXIMIDADE DA FONTE DE INDISPONIBILIDADE METALURGIA ALUMINIO ESTABILIZAÇÃO MATERIA PRIMA DE ENERGIA PRODUÇÃO DE DERIVADOS DE PROXIMIDADE DA FONTE DE INDISPONIBILIDADE ESTABILIZAÇÃO ALUMINIO MATERIA PRIMA DE MATERIA PRIMA PROXIMIDADE DAS AUSENCIA DE ORDENAMENTO REDUÇÃO DO FERRO (FERRO GUSA) ESTABILIZAÇÃO AMBIENTAL (ACESSO RESERVAS AO CARBONO) PROXIMIDADE DA FONTE DE INFRAESTRUTURA E SIDERURGIA EXPANSÃO MATERIA PRIMA LOGISTICA20 ESTADO DO PARÁ
  21. 21. PERSPECTIVAS DA INDUSTRIA NO PARÁ MERCADO NACIONAL E AUSENCIA DE DERIVADOS DA PESCA EXPANSÃO POLITICA DE INTERNACIONAL INCENTIVOS AUSENCIA DE POLITICA DE PRODUÇÃO E REFINO DE AÇUCAR ESTABILIZAÇÃO MERCADO REGIONAL INCENTIVOS & ORDENAMENTO AMBIENTAL PRINCIPAL FATOR DE PRINCIPAL FATOR SEGMENTO INDUSTRIAL PERSPECTIVA ATRATIVIDADE DE INIBIÇÃO GRANDE DISPONIBILIDADE DIFICULDADES DE ACESSO AS RESERVAS E PRODUTOS DE MADEIRAS REORDENAMENTO AUSENCIA DE ORDENAMENTO DE RESERVAS FLORESTAIS AMBIENTAL DISPONIBILIDADE DE ÁREAS AUSENCIA DE ALTERADAS COM APTIDÃO CELULOSE ESTABILIZAÇÃO PARA PRODUÇÃO E ORDENAMENTO PROXIMIDADE DO MERCARDO EXTERNO AMBIENTAL21 ESTADO DO PARÁ
  22. 22. Papel da unidade na execução das políticas públicas A Companhia Docas do Pará é a Autoridade Portuária dos portos organizados de Belém, Santarém e Vila do Conde, no Estado do Pará, desempenhando as atividades de exploração, desde a regulamentação das operações, a pré- qualificação de operadores, a fixação das tarifas e a fiscalização das operações portuárias, zelando para que os serviços se realizem com regularidade, eficiência, segurança e respeito ao meio ambiente. A Autoridade Portuária presta, ainda, apoio técnico e administrativo aos Conselhos de Autoridade Portuária - CAP e aos Órgãos Gestores de Mão de Obra – OGMO, além da fiscalização de obras de construção, reforma, ampliação, melhoramento e conservação das instalações portuárias, assegurando, ao comércio e à navegação, o gozo das vantagens decorrentes do melhoramento e aparelhamento dos portos.22 HOLDING
  23. 23. MISSÃO Promover o desenvolvimento sócio-econômico da região de sua influência e em particular do Estado do Pará, através do exercício da função de Autoridade Portuária, promovendo a integração entre os diversos modais de transporte através da oferta de instalações e serviços portuários, buscando a satisfação de seus clientes diretos e indiretos, com Responsabilidade Social e Ambiental.23 HOLDING
  24. 24. 100 anos de história – inaugurado em 1909 Vista da construção do24 Porto de Belém em 1910 HOLDING
  25. 25. 25
  26. 26. Sede da CDP no dia do Círio de26 Nazaré, a maior festa religiosa do Brasil.
  27. 27. Sede da Companhia27 HOLDING
  28. 28. A Amazônia possui os portos brasileiros mais próximos dos grandes mercados consumidores. A Companhia Docas do Pará é responsável por 10 deles. AMÉRICA DO NORTE EUROPA JAPÃO AFRICA OCEANO PACIFICO AMÉRICA DO SUL OCEANO ATLÂNTICO28 HOLDING
  29. 29. PORTO DE PORTO DE VILA PORTO DE Área de SANTARÉM DO CONDE S.FRANCISCO PORTO DA AMAZÔNIA Abrangência PORTO DE BELÉM PORTO DE ÓBIDOS TERMINAL DE MIRAMAR TERMINAL DO PORTO DE OUTEIRO ITAITUBA PORTO DE MARABÁ PORTO DE ALTAMIRA Os quatro estados com território sob a área de influência da Companhia Docas do Pará, com população de cerca de 18 milhões de habitantes, constituem uma Zona de Frente de Expansão em desenvolvimento, que apresenta grande potencial de crescimento econômico.29 HOLDING
  30. 30. Portos e Hidrovias Complexo Portuário Industrial HIDROVIA de Vila do Conde GUAMÁ-CAPIM Porto de Belém Porto de Santarém Porto de Porto da Itaituba Amazônia Terminal do Outeiro HIDROVIA TELES-PIRES/TAPAJÓS Porto de Marabá HIDROVIA ARAGUAIA-TOCANTINS Hidrovia Navegáveis Hidrovia Projetadas30 HOLDING
  31. 31. HIDROVIAS TOCANTINS E ARAGUAIA / 3.770 kmOs rios Tocantins, Araguaia e das Mortesatravessam as regiões Centro-Oeste e Amazônica,influenciando uma área agricultável de mais de 35milhões de hectares, com potencial de produçãoacima de 100 milhões de toneladas/ano de grãos. Aextensão futura dessa hidrovia deverá ser de 3.770km, ligando o Brasil Central aos portos de Belém eVila do Conde e o futuro Porto da Amazônia(PA). Mapa de localização Comboio Araguaiana em Barra do Garças - MT31 HOLDING
  32. 32. HIDROVIA TAPAJÓS – TELES PIRES / 1.043 km Com 1043 km de extensão, desde o porto de Santarém, na foz do rio Tapajós, afluente do rio Amazonas, até cachoeira Rasteira no rio Teles Pires, na fronteira entre Pará e Mato Grosso, é considerada a única rota de exportação que pode viabilizar a produção de grãos de todo o norte de Mato Grosso, importante opção para o incremento do comércio exterior, com influência direta sobre os horizontes sócio-econômicos dos Estados do Pará, Amazonas e Mato Grosso, mercê de regiões de alto potencial produtivo. Mapa de localização32 HOLDING
  33. 33. Números da CDP 10,53 8,96 Vila do Conde Santarém 74,47 5,35 Miramar 0,69 Belém Outros/CDP Participação Percentual dos Portos na Movimentação de Cargas em 200733 HOLDING
  34. 34. Números da CDP Evolução de Carga Movimentada nos Portos da CDP (em milhares de toneladas) 28.000 25000 23.000 21.420 20.984 18.000 15.482 14.541 13.000 12.717 9.872 9.868 9.883 9.000 8.000 3.000 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 Estimativa34 HOLDING
  35. 35. Números da CDP Valor em US$ FOB das Principais Cargas Export adas pelo Est ado do Pará Posição Carga 2006 2007 Part icipação % Δ% 2007/ 2006 1 01. Minério de Ferro 1.982.937.043 2.309.013.109 29,14% 16,44% 2 02. Alumínio 1.139.339.009 1.130.776.299 14,27% -0,75% 3 03. Alumina 922.257.946 1.129.598.260 14,25% 22,48% 4 04. Madeira e suas obras 645.201.008 792.820.353 10,00% 22,88% 5 05. Ferro Fundido 481.172.948 550.294.014 6,94% 14,37% 6 06. Sulfeto de Minério de Cobre 502.554.311 342.210.279 4,32% -31,91% 7 07. Caulim 267.778.441 301.088.530 3,80% 12,44% 8 08. Boi Vivo 45.158.432 255.853.142 3,23% 466,57% 9 09. Outros Min. Cobre 16.882.417 241.949.555 3,05% 1333,15% 10 10. Pasta Quim. Madeira 173.011.583 192.429.432 2,43% 11,22% 11 11. Bauxita 143.891.249 187.235.265 2,36% 30,12% 12 12. Manganês 1.463.781 97.747.374 1,23% 6577,73% 13 13. Pimenta 65.630.699 78.418.259 0,99% 19,48% 14 14. Silício 47.084.007 62.436.542 0,79% 32,61% 15 15. Couro Bovino 19.929.074 27.465.849 0,35% 37,82% 16 16.Soja 18.874.537 18.406.861 0,23% -2,48% Sub-t ot al 6.473.166.485 7.717.743.123 97,38% 19,23% outros 234.721.706 207.350.015 2,62% -11,66% Tot al 6.707.888.191 7.925.093.138 100% 18,15% Fonte: Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - Sistema Aliceweb, em 05/03/200835 HOLDING
  36. 36. Números da CDP Evolução do Movimento de Contêineres no Portos da CDP de 2000 a 2007, em unidades. 70.000 61.867 61.155 60.000 51.628 51.852 50.000 40.000 33.192 32.144 30.180 29.555 30.000 20.000 10.000 - 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 200736 HOLDING
  37. 37. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento PDZ - Versão 3.037
  38. 38. Zonas de Frentes de Expansão Complexo do Tapajós/Amazonas Porto de Santarém Porto de Itaituba Porto de Óbidos Complexo do Pará Porto de Belém Porto de São Francisco Complexo de Vila do Conde Terminal de Miramar Complexo do Terminal do Outeiro Complexo do Pará Tapajós/Amazonas Porto da Amazônia (projeto) Complexo do Araguaia/Tocantins Porto de Marabá Complexo do Araguaia/Tocantins38
  39. 39. Unidades Portuárias e suas vocações: As unidades portuárias se complementam no atendimento das necessidades dos exportadores e importadores, sendo cada porto com sua vocação.  Porto de Belém para carga geral, contêineres e grãos (trigo);  Porto de Vila do Conde para atendimento ao pólo alumínico, graneis minerais, contêineres e bens que utilizam a navegação de cabotagem;  Terminal do Outeiro para grãos agrícolas e bens que utilizam navegação de cabotagem;  Terminal de Miramar para granéis líquidos (derivados de petróleo);  Porto de Santarém para grãos agrícolas, carga geral, contêineres e granéis líquidos para atender a região oeste do Pará.39
  40. 40. “Investir no Porto de Belém, significa abrir as portas para o desenvolvimento social e econômico da região” Porto de Belém/PA40 Economia e Sociedade, Navegando na Mesma Direção
  41. 41. Localização “41 Porto de Belém/PA
  42. 42.  Mais de R$80 Milhões de receita em 10 anos;  Mais de 500.000 TEU´S movimentados em 10 anos;  Mais de 10,6 milhões de toneladas movimentadas representando um crescimento de 43%  Mais de 12.400 navios atendidos em 10 anos.42 Porto de Belém/PA
  43. 43. Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação e das Operações Portuárias  Estabelecimento do calado O Calado máximo de entrada/saída no porto de Belém é de 7,30m (24,0 pés),dependendo da altura da maré na ocasião;  Calado de Projeto: 10,0m  Velocidade no Canal de Acesso Entre o Terminal de Miramar e o Porto de Belém, a velocidade máximapermitida será 8 nós.  Comprimento máximo do navio O comprimento máximo é limitado em 180m  Boca do navio A boca dos navios atracados ao porto de Belém não é limitada.  Serviços de rebocadores Não há serviço organizado.  Dimensõesdo Porto Área Total do Porto = 132.435,00 m2 Área de Armazenagem = 59.063,00 m2 Comprimento da cais = 1.295,00 m  ÁREA DE INFLUÊNCIA: Corredor de exportação da hidrovia Araguaia/Tocantins e nordeste paraense.43 Porto de Belém/PA
  44. 44. As dez principais cargas mais movimentadas PRODUTO PRODUTO PORTO ORDEM Importação Peso(t) Exportação Peso(t) 1º Trigo Madeira Serrada 88.625 224.432 2º Coque Gado 38.094 29.403 Madeira Belém 3º Diversos 26.290 Compensada 24.893 Produtos 4º Silício Metálico Químicos 4.473 23.138 5º Bagagem Pimenta do Reino 2.256 6.98144 Porto de Belém/PA
  45. 45. Índice de Conteinerização da Carga Movimentada. 60,00% 53,79% 51,54% 50,00% 48,90% 48,40% 47,51% 44,17% 44,77% 40,00% 40,33% 30,00% 20,00% 10,00% 4,23% 0,00% 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 200845 Porto de Belém/PA
  46. 46. Porto x Cidade – Relação Harmoniosa Av. Marechal Hermes (Veículos Pesados) Área de interesse da - CGM CGA – TROPICAL BRISA Rua Rui Barata REICON TRANSNAV Pátio de Contêineres Rua de Belém (Veículos Leves) Av. Pedro A. Cabral46 Porto de Belém/PA
  47. 47. REVAP Programa de Revitalização de Áreas Portuárias47 Porto de Belém/PA
  48. 48. Porto x Cidade – Relação Harmoniosa Áreas para Terminal de Contêineres: 62.000m 248 Porto de Belém/PA
  49. 49. Arranjo Espacial Futuro Complexo Urbanístico Futuro Centro Integrado de Negócios Futura Ampliação do Pátio de Contêineres Futura Rua de Belém49 Porto de Belém/PA
  50. 50. Estação das Docas O Complexo Estação das Docas, com uma área de 32 mil metros quadrados em 500 metros de orla fluvial de Belém, tornando-se uma referência em cultura, lazer e turismo no município de Belém. Foram restaurados quatro galpões de ferro inglês do antigo porto da capital, em um trabalho minucioso, que preserva o equipamento centenário tombado pelo Patrimônio Histórico e, ao mesmo tempo, o transforma em um dos locais públicos mais confortáveis de Belém. O Complexo tem atrativos inéditos na sua estrutura metálica centenária, da atividade portuária em Belém. REVAP Programa de Revitalização de Áreas Portuárias50 Porto de Belém/PA
  51. 51. Projeto Turístico Ver-o-Rio Inaugurado pelo Governo do Povo em outubro de 1999, o Ver-o-Rio já consolidou-se como um dos pontos turísticos mais visitados de Belém. Numa área de cinco mil metros quadrados de frente para a Baía do Guajará, o projeto alia contemplação à natureza com a praticidade na utilização do espaço urbano. REVAP Programa de Revitalização de Áreas Portuárias51 Porto de Belém/PA
  52. 52. Projeto Turístico Ver-o-Rio52 Porto de Belém/PA
  53. 53. Terminal Hidroviário de Passageiros53 Porto de Belém/PA
  54. 54. Terminal Hidroviário de PassageirosO novo terminal de passageiros terá como principal função dotar a cidade da infra-estrutura necessária para receber embarcações turísticas nacionais einternacionais, além de melhorar os serviços de apoio ao transporte intermunicipal einterestadual. Inicialmente, o terminal compreenderá apenas a área do pavimentotérreo do armazém 9, ao passo em que no pavimento superior estarão localizadosÓrgãos Intervenientes ao Porto de Belém54 Porto de Belém/PA
  55. 55. “Um gigante na movimentação de graneis líquidos, que se prepara para crescer ainda mais.” Terminal de Miramar/PA Um terminal que abastece o desenvolvimento de toda a região.55
  56. 56. “ Localização Terminal de Miramar56
  57. 57. Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação e das Operações Portuárias  CALADO: 7,92m  ÁREA DE INFLUÊNCIA: CORREDOR DE EXPORTAÇÃO DA HIDROVIA ARAGUAIA/TOCANTINS E NORDESTE PARAENSE.57 Terminal de Miramar/PA
  58. 58. 2007 1.922.693 2006 1.809.412 2005 1.710.149 2004 1.696.203 2003 1.405.691 2002 1.395.987 2001 1.340.252 2000 1.329.534 1999 1.366.772 1998 1.562.439 granel líquido58 Terminal de Miramar/PA
  59. 59. PÍER 1 23 ESSO IPIRANGA ESSO SABÁ PÍER 2 CHEVRON PARAGÁS PETROBRAS TRANSPETRO MINASGÁS PÍER 3 LIQUIGÁS TRANSEIXAS Área de interesse da - FOGÁS - Área de interesse portuário ÁREA DE INTERESSE PORTUÁRIO Área da Eletronorte Área de Administração e Serviços Operacionais Área destinada para Arrendamentos59 Terminal de Miramar/PA
  60. 60. 60 Terminal de Miramar/PA
  61. 61. Um horizonte promissor para a exportação brasileira Terminal de Outeiro/PA61
  62. 62. “É a expansão natural do Porto de Belém. O caminho alternativo que levará nossos produtos para o mercado externo com vantagens locacionais e custos cada vez mais competitivos” Potencial de Movimentação 30.000.000 t/ano62 Terminal Portuário de Outeiro
  63. 63. Localização Terminal de Outeiro63
  64. 64. Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação e das Operações Portuárias  CALADO: 10,92m  ÁREA DE INFLUÊNCIA: CORREDOR DE EXPORTAÇÃO DA HIDROVIA ARAGUAIA/TOCANTINS E NORDESTE PARAENSE.64 Terminal Portuário de Outeiro
  65. 65. Acostagem O sistema portuário é composto por pontes e píeres, sendo as pontes divididas em dois ,5m trechos e os píeres para atracação de barcaças =8 e de navios: do 9m la Ca 0, =1 Carga Solta do la Ca PÍER EXTERNO Construído em concreto armado com PÍER INTERNO dois berços sendo um de atracação, medindo 261.00m de comprimento, Construído em concreto armado com dois largura de 16.50m e possuindo berços de atracação, medindo 175.35m de sobrecarga de 4.0 t/m². comprimento, largura de 23.45m e possuindo sobrecarga de 2.5 t/m².65 Terminal Portuário de Outeiro
  66. 66. Calado: 12,00m ÁREA DO TERMINAL: Terreno de formato aproximado de um retângulo de 420.911,30 m² de área e 2.882,90 m de perímetro. Píer 100 (berço interno) Transbordo de Granéis líquidos - TRANSPETRO- Área Reservada para Carga Viva 246.000m2 Área MANIFESTADA PARA FRIGORIFICO Área do Projeto da - WWR -66 Terminal Portuário de Outeiro
  67. 67. Arranjo Espacial Área de Múltiplo Uso67 Terminal Portuário de Outeiro
  68. 68. Porto de Santarém/PA A melhor e mais barata opção de escoamento dos grãos do centro-oeste brasileiro68
  69. 69.  Mais de R$26 Milhões de receita em 10 anos;  Mais de 10,2 milhões de toneladas movimentadas em 10 anos, representando um crescimento de 350%.  Mais de 17.300 navios atendidos em 10 anos69 Porto de Santarém/PA
  70. 70. Localização70 Porto de Santarém/PA
  71. 71. Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação e das Operações Portuárias  Estabelecimento do calado - O canal de acesso ao Porto de Santarém é limitado pela Barra Norte do Rio Amazonas: 11,50m.  Velocidade no canal de acesso - No rio Tapajós a velocidade máxima: 6,0 nós.  Comprimento máximo do navio - Berço 101: 200,0m. Não havendo embarcações  atracadas no berço 102, não haverá restrições de comprimento.  Contudo, fica limitado a navios de até 65.000 TPB.  Boca do navio - Sem restrições  Serviços de rebocadores - Não há serviço organizado f) Manobras recomendadas  Dimensõesdo Porto - ÁreaTotal do Porto = 62.432,00 m2 - Área de Armazenagem = 5.510,00 m3 - Comprimento do Cais = 200,00 m - Área do Píer = 5.000,00 m2 - Número de Berços = 3  ÁREA DE INFLUÊNCIA: Corredor de exportação da br- 163 (Cuiabá/Santarém), hidrovia tapajós tele/pires e região do oeste paraense.71 Porto de Santarém/PA
  72. 72. As dez principais cargas mais movimentadas PRODUTO PRODUTO PORTO ORDEM Importação Peso(t) Exportação Peso(t) 1º Soja Granel 622.601 Soja Granel 636.171 2º Madeira 37.074 Madeira Serrada 71.364 Santarém 3º Diversos 21.365 Diversos 38.837 4º Óleo Diesel 19.573 - - Gasolina 5º Comum 10.032 - -72 Porto de Santarém/PA
  73. 73. Terminal da CARGILL/PA Previsão de movimentação de 800.000 t/ano de grãos 1.819.067 2.000.000 1.593.204 1.500.000 1.258.772 1.000.000 500.000 90.162 0 3.760 3.6712.422 0 0 Soja Milho Arroz 2006 2007 200873 Porto de Santarém/PA
  74. 74. Calado: 11,50m Construção do Píer 200 Terminal para Carga Geral e Área Reservada para Contêineres Terminal de Grãos Terminal de da Cargill Fertilizantes CMA CGM BRISA CARGILL AMAZON LOG 1 28.000 m2 4A 5A 3A 4B 24.064 m2 25.000 m2 2A 37.700 m2 4C 24.074 m2 3B 11.337 m2 2B 20.000 m2 Pátio de Contêineres Áreas disponíveis para Arrendamento Áreas de Reserva a Cargill Sítios Arqueológicos Áreas de administração Áreas de interesse portuário e Serviços Áreas de Revitalização Urbana74 Porto de Santarém/PA
  75. 75. Arranjo Espacial Áreas Disponíveis para Arrendamento Futuro Pátio de Contêineres Futuro Píer 200Futuro Terminal de Grâos A expansão da fronteira agrícola brasileira do centro-oeste têm o Norte como a oferta logística privilegiada para o escoamento da produção, através da Hidrovia Telles Pires/Tapajós ou da Rodovia Cuiabá-Santarém (BR-163), com destino aos portos da CDP.75 Porto de Santarém/PA
  76. 76. A possibilidade de implantação de novos terminais portuários, dentro da sua área de Porto Organizado, em harmonia com as modernas exigências ambientais;76 Porto de Santarém/PA
  77. 77. O maior e mais moderno complexo portuário de toda eRegião Norte Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA “Um porto de vital importância para a economia Brasileira, por onde nossas riquezas brutas escoam e se transformam77 em divisas.”
  78. 78. Localização78 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  79. 79.  Mais de R$241 Milhões de receita em 10 anos;  Mais de 104.000 TEU´S movimentados em 5 anos;  Mais de 97,3 milhões de toneladas movimentadas em 10 anos, representando um crescimento de 143%.  Mais de 4.900 navios atendidos em 10 anos79 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  80. 80. Parâmetros Técnicos para Segurança da Navegação e das Operações Portuárias  Estabelecimento do calado - CANAL DO ESPADARTE: 12,20m (40,0 pés) na preamar. - CANAL DO QUIRIRI: 13,70m (45,0 pés).  Velocidade no canal de acesso Sem restrições  Comprimento máximo do navio - Berço 101 = 250,0m - Berço 102 = 200,0m - Berço 201 = 250,0m - Berço 202= 140,0m para navios não convencionais e 100,0m para naviosconvencionais - Berço 301 = 250,0m - Berço 302 = 200,0m  Serviços de rebocadores  Dimensõesdo Porto - ÁreaTotal do Porto = 3.920.347,00 m2 - Comprimento do Cais = 500,00 m - Comprimento do píer nº 1 = 292,00 m - Área do píer nº 1 = 13.140,00 m2 - Comprimento do píer nº 2 = 184,00 m - Área do píer nº 2 = 5.060 m2 - Número de berços = 480 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  81. 81. Movimentação por Tipo de Carga (t) Porto de Vila do Conde 2007 1.129.389 12.670.499 1.815.389 247.475 2006 852.077 13.093.122 1.658.233 267.586 2005 746.354 8.598.710 1.101.767 264.711 2004 682.926 8.198.590 1.110.544 110.832 2003 423.417 7.673.919 1.056.978 22.196 2002 432.931 5.422.535 816.063 0 2001 339.407 5.345.787 753.203 86 2000 447.402 5.334.364 723.746 491 1999 411.913 4.720.049 676.994 85 1998 345.934 4.549.882 634.425 369 0 2.000.000 4.000.000 6.000.000 8.000.000 10.000.000 12.000.000 14.000.000 16.000.000 carga geral granel sólido granel líquido carga em contêiner81 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  82. 82. As dez principais cargas mais movimentadas Janeiro a agosto - 2008 PRODUTO PRODUTO PORTO ORDEM Importação Peso(t) Exportação Peso(t) 1º Bauxita 4.498.229 Alumina 1.871.306 2º Soda Caústica 576.972 Manganês 394.684 Vila do Óleo 3º Conde Combustível 417.392 Alumínio 231.220 Carvão 4º Energético 147.334 Ferro Gusa 167.611 5º Carvão Mineral 122.671 Diversos 97.27382 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  83. 83. Disposição dos Berços de Atracação Carga Geral, Contêineres e Granel Sólido Berço Contêineres, RAMPA RODO FLUVIAL Carga Geral e fertilizantes Contêineres, Alumínio, Alumina, Carga Geral, Gado Hidrato, Coque, Piche, Vivo Blocos Eletrolíticos e -Em Construção- Catódicos Soda Caustica e RAMPA Óleo Combustível 102 302 202 402 502 201 101 301 401 501 Bauxita e Carvão Ferro Gusa, Manganês, Alumina Ferro Níquel83 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  84. 84. Distrito Industrial de Barcarena COMPLEXO DE VILA DO CONDE VIA ALIMENTADORA (RUA 1 ATÉ A PA - 483) CDI Futura Instalações da COSIPAR com previsão de Movimentação de Cargas em 2.000.000 t de PA – 483 Ferro Gusa, através do Porto de com acesso até a alça viária V. Conde a) Área: Aproximadamente 3.200 ha.84 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  85. 85. Terminais Privativos dentro da Área do Porto Organizado TERFRON IRCC TM2 TM1 TGL PPSA85 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  86. 86. Anel Viário V IAL F LU A ALÇ Rampa Rodo-Fluvial IA IÁR D OV RO A ALÇ86 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  87. 87. ECLUSAS DO TUCURUÍ Pólo TO Siderúrgico87 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  88. 88. Cadeia Logística do Projeto Siderúrgico no Pará Espadarte Vila do Conde BELÉM SÃO LUÍS Eclusa Rosário Tucuruí Santa Inês Derrocagem Rio Tocantins Marabá Açailândia Carajás PI Pólo TO Siderúrgico88 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  89. 89. Cadeia Logística do Projeto Siderúrgico no Pará Terminal de Múltiplo Uso de Marabá - TMM Distâncias: Porto Vila do Conde –Tucuruí....310 km Tucuruí – Marabá ......................195 km89 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  90. 90. Cadeia Logística do Projeto Siderúrgico no Pará Demanda da Cadeia Siderúrgica no Pará Esta cadeia produtiva atenderá a usina integrada (com produção de placas de aço) e o abastecimento aos guseiros da região, em 3 fases distintas.90 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  91. 91. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ Ampliação do Terminal de Múltiplo Uso 1 e Construção do TM2 TM_1 TGL TM_291 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  92. 92. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ Ampliação do Terminal de Múltiplo Uso 192 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  93. 93. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento – PDZ Ampliação do Terminal de Múltiplo Uso 1 Alargamento dos Berços 202 e 302 Construção da Área de Rampa Rodo- Dragagem Fluvial Construção do Píer 400 Duplicação da Ponte de Acesso93 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  94. 94. Centro de Operações Portuárias Construção do COP – Centro Operacional Portuário com instalações para orientação de práticos e operadores acerca do posicionamento de embarcações e acompanhamento visual de todas as atividades na área;94 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  95. 95. Portaria Principal95 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  96. 96. Ampliação do Terminal de Contêineres Ocupando uma área de 102 mil m2, o TERMINAL DE CONTÊINERES dispõe de armazém com 7.500 m2. Sua capacidade elétrica está dimensionada para acoplar até 800 contêineres “reefer” (440v), já Lote - A dispondo de mais de 100 tomadas. 60.000M2 Lote B 35.000M2 Lote - C 7.500M2 TECON II EXPANSÃO 130.000M296 Complexo Portuário e Industrial de Vila do Conde/PA
  97. 97. Arrendamentos de Áreas e Instalações Portuárias97
  98. 98. Empreendimentos TOTAL DE ÁREAS: 14 ÁREA TOTAL DO PROGRAMA Soma de todas as áreas:1.437.080 m 2 2 VALE: CONVICON Em hectares : 143,65 VALE CAP SIDERURGICA UTE SIDERURGICA 7 COSIPAR E 53.000m2 BURITIRAMA COOPERATIVAS 2 GRÃOS 72.000m2 ALUNORTE 1 75.000m2 4 10 5 228.000m2 130.000m2 63.000m2 8 ALUBAR/SCS 78.000m2 3 9 131.000m2 14 49.000m2 102.000m2 15 BUNGE 6 108.000m2 PETROBRAS 11 102.000m2 13 ALUBAR 12 208.000m2 34.000m21- Terminal de Graneis Sólidos 6 - Zona de Apoio Logístico 11 - Empreendimentos Industriais2- Terminal de Grãos 7 - Terminal de Graneis Líquidos 12 - Empreendimentos Industriais3- Plataformas Industriais 8 - Terminal de Graneis Líquidos 13 - Empreendimentos Industriais4- Plataformas Industriais 9 - Terminal de Graneis Líquidos 14 - Áreas para Estocagem de Alumínio e Armazém de Carga Geral - Imp/Exp.5 - Terminal de Contêiner e C. Geral 10 - Prod. Siderúrgicos e C. Geral 15 – Zona de Expansão98
  99. 99. Legislação Constituição Federal – Art 175 Lei nº 8.630/93 – Lei dos Portos Lei nº 8.987/95 – Lei das Concessões/permissões Decreto nº 4.391/02 – Arrendamento de áreas e instalações portuárias99 Arrendamento de Áreas e Instalações Portuárias
  100. 100. Legislação Decreto nº 2.184/97 - Delegar aos Estados e Municípios a exploração dos portos federais; Resolução nº 055/ANTAQ/02 e suas alterações– Norma sobre arrendamento portuário; Instrução Normativa TCU nº 27/98 – Fiscalização pelo TCU dos processos de desestatização; Instrução Normativa ANTAQ nº 02/2007; Nota técnica nº 014-2007 GPP/SPO/ANTAQ – Modelagem para estudos de viabilidade de projetos de arrendamento.100 Arrendamento de Áreas e Instalações Portuárias
  101. 101. Fluxograma do Processo de Arrendamento Portuário Pedido do Interessado ou Iniciativa da AP em conformidade com o PDZ e Prog. Arrend. AP contrata um consultor independente para elaborar o Estudo de Viabilidade de acordo com a Modelagem para arrendamento/ANTAQ AP encaminha o Estudo de Viabilidade Econômica para análise da ANTAQ Havendo alienação Se receita mensal de ativos e > R$ 5 milhões inferior a R$ 50 mil enviar para o CND enviar doc. para o TCU101 Arrendamento de Áreas e Instalações Portuárias
  102. 102. Aspectos do Estudo de Viabilidade Técnica-Econômica e Financeira  O processo inicia com uma “Manifestação de Interesse” apresentada pelo interessado à Autoridade Portuária.  Em seguida, a Autoridade Portuária realiza estudos de viabilidade técnica- econômica e financeira sobre o objeto da Manifestação de Interesse.  De forma geral a Autoridade Portuária licita serviços de Consultoria para a realização desses estudos.  Com o objetivo de oferecer maior transparência e importância ao processo de arrendamento é recomendável que a Autoridade Portuária crie, institucionalmente, uma Comissão Interna para acompanhar e fiscalizar os serviços de consultoria.  Os trabalhos de Viabilidade devem atender, plenamente, às solicitações contidas no Documento “Modelagem para Estudos de Viabilidade de Projetos de Arrendamento da Agência Nacional de Transportes Aquaviários – ANTAQ”.102 Arrendamento de Áreas e Instalações Portuárias
  103. 103. Demais Unidades Portuárias103
  104. 104. 104 Porto de Óbidos/PA
  105. 105. 105 Porto de São Francisco/PA
  106. 106. 106 Porto de Altamira/PA
  107. 107. 107 Porto de Itaituba/PA
  108. 108. 108 Porto de Marabá/PA
  109. 109. As Potencialidades do Terminal Marítimo Offshore da Amazônia ...um terminal a altura da maior província mineral do mundo.109
  110. 110. HISTÓRICO A Construção de um porto oceânico na região da Ponta da Romana, a jusante do canal de acesso principal ao estuário do Rio Pará, foi objeto de estudo conduzido pelo Professor Lima Paes da UFPA e pelo então Departamento Nacional de Portos e Vias Navegáveis (DNPVN), no ano de 1972, como alternativa de escoamento de minério de ferro da recém descoberta “Província Mineral da Serra dos Carajás”. Pelo estudo em menção, através dessa alternativa seria construída uma hidrovia constituída pelos rios Parauabepas – Itacaiúnas – Tocantins, numa extensão de cerca de 1.000 km, até um porto de águas profundas no estuário do rio Pará, posteriormente indicado pelo GEIPOT – Empresa Brasileira de Planejamento de Transportes, como sendo um embarcadouro a ser construído na região da Ponta da Romana.110 Porto da Amazônia
  111. 111. Potencial de Movimentação 80 milhões t/ano O futuro Porto da Amazônia está situado nas coordenadas 00º 33’ 17” S e 47º’53’ 51” W. Localiza-se na Ilha dos Guarás na costa norte do município de Curuçá a 70 km da cidade de Castanhal e 140 Km de Belém.111 Porto da Amazônia
  112. 112. Base Física Ilha dos Arquipélago formado na foz do rio Guarás Curuçá, composto das ilhas dos Ilha Ipemonga Guarás, Ipemonga e Mutucal com aproximadamente 5.111 ha Ilha do Mutucal Cargas Projetadas Grãos Minério de ferro Minério de manganês Ferro gusa112 Porto da Amazônia
  113. 113. Reserva Ambiental RESEX Mãe Grande de Curuçá - a Ilha dos Guarás (Mariteua) enquadra-se na RESEX Mãe Grande de Curuçá apresentada no decreto do dia 13 de dezembro de 2002 (D.O.U. de 16/12/2002) que criou esta RESEX, no Município de Curuçá, no Estado do Pará.113 Porto da Amazônia
  114. 114. Logística Privilegiada Porto da Amazônia Terminal da Ponta da Madeira Carajás/PA Distâncias: Carajás/PA  Ponta da Madeira/MA = 892 Km Carajás/PA  Porto da Amazônia/PA = 520 Km114 Porto da Amazônia
  115. 115. AMAZÔNIA – ROTTERDAM - Distância total (Km) =8.969 - Frete Total ($) =48,00 - Combustível ($) =6,91 - Tempo de viagem (dias) =16 AMAZÔNIA – SHANGAI - Distância total (Km) =21.549 - Frete Total ($) =68,00 - Combustível ($) =8,56 - Tempo de viagem (dias) =35 P. MADEIRA – ROTTERDAM - Distância total (Km) =9.351 - Frete Total (Dólar) =73,00 - Gastos c/combustível($) =10,68 - Tempo de viagem (dias) =16 P. MADEIRA – SHANGAI - Distância total (Km) =22.798 - Frete Total (Dólar) =93,00 - Gastos c/combustível($) =12,41 - Tempo de viagem (dias) =35 SANTOS – ROTTERDAM - Distância total (Km) =11.835 - Frete total (Dólar) =63,00 - Gastos c/combustível ($) =9,68 - Tempo de viagem (dias) =16 SANTOS – SHANGAI -Distância total (Km) =24.212 - Frete total (Dólar) =81,00 - Gastos c/combustível($) =11,30115 Porto da Amazônia - Tempo de viagem (dias) =35
  116. 116. Principais Vantagens Localizado na Ponta da Romana na Ilha dos Guarás, com um calado de 25 m, ideal para descarregamento do minério da Serra do Carajás no Pará; Uma opção para desafogar o Terminal da Ponta da Madeira no Maranhão, por possui uma frente acostável maior, possibilitando assim um número superior de atracações de navios; Calado de 25 metros em toda a extensão do píer acostável e canal de acesso superior a 25 metros; Distância menor em relação ao Terminal da Ponta da Madeira, com cerca de 520 Km de Parauapebas ; Permitirá atracação de navios acima de 350.000 TPB; Um terminal localizado na maior província mineral do planeta. Ideal para movimentar o minério paraense no Pará;116 Porto da Amazônia
  117. 117. Ferrovia Norte - Sul Projeto Original - A Ferrovia Norte-Sul – FNS, é um projeto ferroviário que contempla a construção de uma ferrovia de aproximadamente 2.100 km atravessando as regiões Centro-Oeste e Norte do País, conectando-se ao norte com a Estrada de Ferro Carajás e ao sul com a Ferrovia Centro Atlântica, buscando com isso reduzir o custo do frete para longas distâncias na região, assim como incentivar o desenvolvimento. Preposição de escoamento do minério de Carajás pelo modal ferroviário Porto da Amazônia Ramal de 70 Km117 Porto da Amazônia
  118. 118. Possibilidades de Acessos Porto da Amazônia Ferrovia Ramal = 70km Ponta da Madeira Belém Curuçá Castanhal BarcarenaFerrovia Norte-Sul São Luís Eclusas de Tucuruí Santa Inês Açailância Ferrovia Carajás PA Marabá MA Ferrovia Norte - Sul Carajás Xambioá Hidrovia PA150 Hidrovia R. Araguaia Rodovias R. Tocantins Ferrovias TO Cidades Portos118 Porto da Amazônia
  119. 119. LAYOUT DA RETROÁREA – ALTERNATIVA A119 Porto da Amazônia
  120. 120. Arranjo Espacial Potencial de Movimentação: 80.000.000 t/ano Calado: 16 metros - Píer interno. 25 metros - Píer externo. Ponte de acesso: 1.840 metros. Frente acostável: 600 metros. Retroárea: 5.110 hectares.120 Porto da Amazônia
  121. 121. Diretrizes Estratégicas Os tipos de produtos predominantemente transportados por mais de um modal são commodities, como minério de ferro, grãos, celulose e cimento, todos caracterizados como produtos de baixo valor agregado. Portanto, para que estes produtos sejam competitivos é indispensável um sistema de transporte eficiente, pois o custo de transporte é uma parcela considerável do valor destes produtos.121 Porto da Amazônia
  122. 122. Conclusão Com a conclusão da BR-163 e das Eclusas de Tucuruí haverá inversão do fluxo dominante de transporte, que tradicionalmente é no sentido Norte-Sul e conseqüente avanço das fronteiras agrícolas para o Centro-Oeste, Norte e parte do Nordeste. Este sentido de transporte torna-se dispendioso e irracional, considerando as hidrovias e portos existentes.122 Porto da Amazônia
  123. 123. GESTÃO AMBIENTAL PORTUÁRIA123
  124. 124. Portos da CDP dentro dos Planos Porto de Santarém Porto de Belém Terminal de Miramar Terminal de Vila do Conde Terminal de Outeiro O meio ambiente é uma questão prioritária. Não se trata apenas de preservar a atmosfera e os rios, ou de manter um ambiente de trabalho seguro e saudável. A CDP aplica na questão ambiental os princípios de Segurança e Controle de Perdas, além de respeitar rigorosamente a legislação ambiental.124 Responsabilidade Ambiental
  125. 125. Projetos de Educação Ambiental Porto de Santarém Programa de sensibilização125 Responsabilidade Ambiental
  126. 126. Projetos de Educação Ambiental Porto de Santarém Programa de Capacitação Curso de Reciclagem de Papel para o grupo de artesãs, participaram 30 Curso de Reciclagem a partir do jornal, para a pessoas. associação do bairro do Mapiri com 30 participantes. Curso de Turismo cultural para 20 taxistas. Curso de Aperfeiçoamento de Embalagem126 Responsabilidade Ambiental
  127. 127. CDP na Escola Porto de Santarém127 Responsabilidade Ambiental
  128. 128. CDP na Escola Porto de Santarém LOCAL: Escola Municipal de Ensino Fundamental “Sofia Imbiriba” PÚBLICO ALVO: alunos da 1ª série do ensino fundamental PARCERIA: CDP – Fundação Esperança – SEMED REALIZAÇÃO: Curso de Formação de Professores do IESPES Objetivo: Desenvolver ações que propiciem o desenvolvimento de uma postura crítica diante da conservação e preservação do meio ambiente, através de uma ação de responsabilidade social da CDP.128 Responsabilidade Ambiental
  129. 129. Projetos de Educação Ambiental Porto de Santarém Programa de Capacitação129 Responsabilidade Ambiental
  130. 130. Projetos de Educação Ambiental Porto de Vila do Conde Curso de Educação Ambiental Cursos e Campanhas de Educação para os funcionários do Porto, e Ambiental na Comunidade de Vila do também para funcionários de Conde empresas usuárias. A oficina de reutilização de Resíduos Sólidos130 Responsabilidade Ambiental
  131. 131. Projetos de Educação Ambiental Terminal de Miramar Curso de Inglês para funcionários Cursos e Palestras de Educação Ambiental para as escolas e comunidades Curso de Educação Ambiental para funcionários131 Responsabilidade Ambiental
  132. 132. Projetos de Educação Ambiental Porto de Belém132 Responsabilidade Ambiental
  133. 133. Planos e Programas Plano de Ação Mutua - PAM Objetivo – visa atuação de forma conjunta, na resposta emergencial de incidentes nas instalações dos participantes, mediante a utilização de seus recursos humanos e materiais. Projeto de Gerenciamento de Resíduos - PGR Objetivo – estabelecer ações e procedimentos para a coleta, acondicionamento e destinação final dos resíduos gerados ou recebidos nos portos. Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos - PGRs Objetivo – estabelecer ações e procedimentos para a coleta, acondicionamento e destinação final dos resíduos sólidos gerados ou recebidos nos portos. Plano de Emergência Individual - PEI Objetivo – criar informações e procedimentos de resposta para combate à poluição de óleo e substancias nocivas ou perigosas em casos de derrames. Plano de Monitoramento - PM Objetivo – estabelecer a qualidade da água potável e do corpo receptor através de coleta e análise físico – química e bacteriológica. Plano de Combate a Emergência - PCE Objetivo: Criar ações e procedimentos para o combate a emergência.133 Responsabilidade Ambiental
  134. 134. clythio@cdp.com.br Diretor Presidente socorro.piramides@cdp.com.br Diretora de Gestão Portuária oliviogomes@cdp.com.br Diretor Administrativo Financeiro www.cdp.com.br Telefone: +55 (91)3182-9000 Fax: +55 (91) 3182-9012134 Belém – Pará - Brasil
  1. Gostou de algum slide específico?

    Recortar slides é uma maneira fácil de colecionar informações para acessar mais tarde.

×