Pauta de formação
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Pauta de formação

on

  • 3,700 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,700
Views on SlideShare
3,700
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
38
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft Word

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Pauta de formação Pauta de formação Document Transcript

  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ACRE PLANEJAMENTO DAS EQUIPES ESCOLARES PARA GARANTIR A TODOS OS ALUNOS UMA EDUCAÇÃO INTEGRAL Orientações Gerais para os diretores e coordenadores das escolasCaros colegas,Seguem abaixo as orientações para o Encontro de formação de professores dasescolas do Ensino Fundamental e Ensino Médio e em seguida a sugestão de pauta.Sobre o que se pretende neste Encontro de FormaçãoA SEE pretende trabalhar com as equipes gestoras das redes estadual e municipal deRio Branco o planejamento do ano letivo visando garantir que as escolas possamoferecer aos seus alunos uma educação integral. Para isso, pretende que em cadaescola o planejamento do ano letivo ocorra com toda a equipe escolar econsiderando as necessidades de aprendizagem dos alunos, o alcance dasexpectativas previstas para cada ano e disciplina, além de buscar articular aintegração entre a sala de aula e o contexto social, visando dar sentido e significadoao currículo.A proposta é que ao final da formação a equipe gestora possa realizar na escola oplanejamento do ano letivo com todos os profissionais, definindo os objetivos aserem alcançados, as ações que serão desenvolvidas, os recursos necessários, osmomentos de revisão do plano e o apoio que espera da SEE.Sobre como será o trabalhoAs equipes do EF I e EM terão dois dias de trabalho [16 horas] para estudo edesenvolvimento da pauta que será desenvolvida com os diretores e coordenadorespor um formador do Instituto Abaporu.O Encontro de formação com os diretores e coordenadores que será desenvolvidopela Equipe da SEE será de 20 horas para estudo da pauta sugerida para o trabalhocom os professores na escola.As atividades da pauta destinada para a Equipe da SEE e das pautas destinadas aosdiretores/coordenadores e professores são semelhantes. Algumas delas são ajustadasconsiderando as especificidades dos grupos e outras excluídas.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Materiais necessários para a formação: - datashow - papel madeira/craft - crachás - papel sulfite - canetas piloto - fita crepe - caneta para quadro branco de 2 cores diferentes - apagador - cópias dos anexos que serão utilizadosMateriais impressos - Orientações Curriculares do EF I, EF II e EM - Texto: Cuidados necessários no trabalho pedagógico - Caderno 3 - Caderno 4 - Caderno de planejamento: Dialogando com as equipes escolares: firmando compromissos necessários para a qualidade da aprendizagem dos alunos - Proposta de leitura e escrita para alunos do EF e EMSlides em powerpoint
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 PAUTA SUGERIDA[para o Encontro de formação nas escolas com a coordenação dos diretores e coordenadores]Sequências de Temas da formação Duraçãoatividades 1 Iniciando os trabalhos 1h 2 Criando escolas que aprendem 3h Criando escolas que aprendem: os professores como 3 planejadores do ambiente aprendente 3h Mapear a escola na busca dos melhores rumos: construir 4 uma escola de qualidade em atos e compromissos 3h compartilhados pela equipe escolar Todas os alunos podem aprender: superar o jargão e 5 enxergar quem está por trás dele 3h Planejamento do trabalho pedagógico como expressão da crença na capacidade do aluno aprender e na capacidade 6 4h dos professores de ensinar Planejamento do apoio pedagógico como uma ação necessária para garantir o direito dos alunos de 7 3h aprenderem Fazer da escola um ambiente de letramento: um 8 compromisso de toda a equipe escolar 3h Avaliação 1h Total 24 hObservação: O tempo indicado para cada atividade é apenas uma sugestão. O temporeal deve ser redimensionado pelos coordenadores e diretor considerando o númerode professores da sua escola.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Sequência de atividades 1 – Iniciando os trabalhosTempo: 1 horaAtividades 1. Momento de boas vindas para o grupo de professores e demais funcionários da escola que estejam participando do Encontro. 2. Estabelecer combinados quanto ao cumprimento dos horários, uso de celular durante o encontro etc. 3. Apresentar os objetivos do Encontro: - organizar o planejamento do ano letivo considerando as necessidades de aprendizagem dos alunos, o alcance das expectativas previstas para cada ano e disciplina, além de buscar articular a integração entre a sala de aula e o contexto social, visando dar sentido e significado ao currículo. 4. Apresentação da pauta de trabalho. 5. Propor a leitura compartilhada do seguinte texto: “É o primeiro dia do novo ano escolar. Você está se preparando, como professor, para a chegada dos alunos, o que cria uma grande expectativa. Pedaços inteiros de giz esperam na lousa e todos os lápis ainda estão do mesmo tamanho. Você folheia a agenda em que, nos próximos meses, as páginas serão preenchidas com anotações de todos os tipos. Os estudantes se tornarão tão familiares que será difícil lembrar a época em que você não os conhecia. Você repassa um monte de questões: Que tipos de alunos terei neste ano? Será que poderei fazer a diferença para eles? Estou preparado para isso? Como serão os líderes, os alunos dedicados e os desafios e os desafiadores? Dá para sentir a presença iminente dos alunos, como o zunido no ar que se sente pouco antes de um raio cair. O jornal acaba de publicar os resultados no vestibular no estado. O diretor e coordenador acabam de retornar de uma formação com uma porção de idéias. Forame escolhidos livros didáticos novos e você não teve tempo de se apoderar deles. Estão faltando acrescentar ainda cinco ou seis alunos novos em cada turma. Será que a escola conseguirá bons resultados com relação à aprendizagem dos alunos? O que terá que ser feito de novo, o que deve ser mantido porque já deu certo e o que ainda precisa ser mudado para que os alunos aprendam mais e melhor? Organizar a escola e mantê-la organizada ao longo do ano não é uma tarefa fácil e fazer com que ela de fato realize seu principal propósito que é ensinar a todos os alunos é o grande desafio. Afinal, como fazer cada vez mais da escola um ambiente aprendente? Vamos encarar este desafio mais uma vez para que coletivamente possamos trocar experiências e buscar caminhos que façam diferença no trabalho educativo de 2012. Bom trabalho a todos!”
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Sequência de atividades 2 - Criando escolas que aprendemTempo: 3 horasAtividades: 1. Propor que em grupos de no máximo 5 pessoas leiam a seguinte situação: “Imagine uma escola [aprendente] onde alunos e professores aprendem efetivamente por meio da relação pedagógica, dos processos de ensino e de aprendizagem e da relação com a comunidade onde esta escola está inserida. A escola oferece aos professores e alunos um bom motivo para desejarem estar presentes diariamente enfrentando os desafios próprios da construção do conhecimento tanto dos conteúdos referentes às diferentes áreas como de si mesmo e dos outros colocado pela convivência diária”. 2. Propor que a partir da leitura da situação acima, reflitam, discutam e anotem o que responderem para as questões descritas abaixo: a) O que os alunos nesta escola aprendente fazem em um dia típico? b) Que estruturas, práticas ou atitudes [dos professores, coordenadores e diretor] ajudam estes estudantes a progredir e ser bem sucedidos? c) Como as atividades em sala de aula são organizadas? Quem as organiza? Quem decide o que ensinar e o que avaliar? d) Quem toma as decisões necessárias sobre os objetivos de aprendizagem? e) Como os alunos interagem com os professores? f) Que tipos de leituras são oferecidas para os alunos? g) Que tipo de experiências de aprendizagem os alunos têm? Importante: Explique para o grupo que não se preocupe em acertar ou errar, ou se são exequíveis, realistas as respostas dadas. A idéia é projetar esta escola aprendente.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 3. Propor que o grupo leia as respostas dadas às questões acima e a partir delas elabore um pequeno texto que tenha este início: Em uma escola aprendente... 4. Solicitar que cada grupo leia o texto que elaborou e pedir para os demais anotarem as ideias que mais chamaram a atenção em cada texto lido. 5. Convidar os grupos para discutirem os textos apresentados a partir da anotação das principais ideias que foram identificadas. Esta discussão pode ser iniciada a partir de perguntas, tais como: De tudo o que foi falado e discutido, o que chamou mais a atenção? O que incomodou? O que se mostrou como necessidade a ser encarada? O que pareceu como problema a ser solucionado? Anotar na lousa tudo que for mais significativo. 6. Informar que vai apresentar algumas contribuições de autores que ajudam a entender o que acontece numa escola aprendente e que cada um deve escolher aquela que lhe pareceu mais significativa. “As crianças desenvolvem uma ampla variedade de habilidades que irão utilizar para ter sucesso.” - Daniel Goleman – Inteligência Emocional, p.37 “Os estudantes buscam problemas que os desafiem e fascinem e procuram o conhecimento e as habilidades de que necessitam para avançar.” – Seymour Sarason – Cartas a um Presidente Educacional Sério, p. 97 “Os estudantes de concentraram em problemas ao invés de em temas artificialmente e rigidamente compartimentalizados.” – Nel Noddings – O desafio de cuidar nas escolas, p. 63 “Reconhecemos que cada resposta inadequada é adequada em outro contexto... Das questões dos estudantes, surgem algumas das ideias e descobertas mais criativas” – Ellen Langer – O Poder da Aprendizagem Consciente, p. 135 “Existe um estado de espírito reflexivo entre os estudantes e os professores. Eles passam algum tempo pensando sobre os resultados de suas ações, e questionam por que alguns esforços funcionam e outros não. Não apenas refletem após o fato, mas podem trazer esse estado de espírito reflexivo para o problema em questão.” – Robert J. Starrat – O Drama da Escolarização, p. 83
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 “Muitas condições parecem fomentar a aprendizagem profunda: reconhecer as próprias inadequações, propor os próprios problemas, correr risco, o humor, trabalhar em conjunto, a compaixão, a importância de modelar e a presença de um propósito moral.” Roland Barth – Aperfeiçoando escolas a partir de dentro, p. 44 “Todos os estudantes são tratados como superdotados e talentosos, pois os dotes e talentos de cada criança são procurados e reconhecidos.” – Henry Levin – Escolas Aceleradas em Ação, p. 17
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Sequência de atividades 3 - Criando escolas que aprendem: os professores comoplanejadores do ambiente aprendenteTempo: 3 horas 1. Pedir para os grupos considerarem as respostas que deram para as questões propostas, o texto elaborado por todos os grupos, a discussão sobre os textos, as posições dos diferentes autores e a posição que foi escolhida por cada um e em seguida escolher três objetivos de uma escola aprendente que o grupo considera principais e gostaria de ver realizados em sua escola. Importante: Dizer para o grupo não se preocupar com quais objetivos possam parecer mais plausíveis, fáceis de alcançar ou mais prováveis de serem aceitos pelo grupo. Propor o modelo abaixo para escreverem os objetivos usando papel madeira. Objetivos da escola aprendente Observações ou explicações que possam explicitar o máximo possível cada um dos definidos pelo grupo. objetivos elencados. 2. Solicitar que cada grupo apresente o cartaz com os objetivos. Afixar todos eles na parede. 3. Propor que diante dos objetivos apresentados, o grupão escolha 6 deles usando como critério os que julgarem de maior relevância para a escola. 4. Distribuir dois objetivos para cada grupo e pedir que discutam as seguintes questões relacionadas a cada um deles: Objetivos O que deve ser feito O que pode dificultar Que tipo de indicador para que os objetivos o alcance destes pode ser definido escolhidos sejam objetivos? para saber se os desenvolvidos em Como a dificuldade objetivos propostos nossa escola? pode ser superada? estão sendo
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 alcançados? 5. Propor que cada grupo exponha o que discutiu e sugerir que após as apresentações os demais grupos façam os comentários, críticas, acréscimos que julgarem necessários.Sequência de atividades 4 – Mapear a escola na busca dos melhores rumos:construir uma escola de qualidade em atos e compromisso compartilhados pelaequipe escolar.Tempo: 3 horasAtividades 1. Apresentar para o grupo de professores o quadro [“Quadro para análise dos resultados da aprendizagem dos alunos em 2010 e 2011”] com a análise feita no Encontro de formação na SEE, elaborado na Sequência de atividades 5 – Mapear a escola na busca dos melhores rumos: construir a qualidade em atos e compromisso compartilhados pela equipe escolar. 2. Explicar que o mapeamento da situação da escola é o primeiro passo para se organizar um planejamento a favor da aprendizagem dos alunos e por isso, a tarefa de cada grupo de professores por ano, será fazer este mapeamento para que de antemão tenha as informações necessárias sobre o nível de aprendizagem dos alunos para iniciar o trabalho pedagógico de 2012. 3. Propor para os professores que lecionam no mesmo ano de escolaridade que trabalhem em parceria para que juntos discutam as especificidades e necessidades das turmas de cada ano conforme os agrupamentos e as orientações dadas abaixo: Grupo de Professores do 1º ano do Ensino Fundamental Orientação: [entregar por escrito para os professores] Colegas professores do 1º. ano A proposta neste momento de mapeamento da escola para os professores do 1º. ano consiste em refletir sobre a passagem das crianças da Educação Infantil para o Ensino Fundamental. Por esta razão, indicamos retomar a leitura de dois textos [muito provavelmente conhecidos pela maioria de
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 vocês], mas que ao olhá-lo depois da experiência já vivida com crianças desta idade, outros aspectos podem ser enxergados e considerados no trabalho pedagógico com crianças pequenas. E é este o convite: Vamos criar e reinventar o espaço escolar para as crianças de 6 anos no Ensino Fundamental, levantando ideias, propostas a partir da leitura e tantas outras por meio da troca de experiência entre vocês. - Retomar a leitura da Introdução Caderno 1 – “Orientações para o ensino de Língua Portuguesa e Matemática no Ciclo Inicial” cujo título é “A implementação do Ensino Fundamental de 9 anos” e destacar os principais aspectos do texto para ajudar a organizar a entrada das crianças no Ensino Fundamental e a rotina do trabalho pedagógico. - Ler o texto “O que tem acontecido nas escolas de Educação Infantil” e destacar também as principais “dicas” para ajudar a organizar a entrada das crianças no Ensino Fundamental e a rotina do trabalho pedagógico. (que está no final deste documento). - Relacionar todas as ideias ou ações levantadas utilizando o quadro abaixo. Construindo a qualidade da escola a partir da responsabilidade compartilhada pelos processos de ensino e de aprendizagem O que o diretor O que o O que os professores Ideias ou ações indicadas deve fazer para que coordenador deve devem fazer para pelos professores estas ações fazer para que estas que estas ações aconteçam: ações aconteçam: aconteçam: - Observação: estas ideias/ações devem ser consideradas junto com as capacidades, conteúdos e atividades do Quadro Referência de LP, Matemática e demais áreas do 1º. ano no momento do planejamento.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 Grupo de Professores do 2º. ano do Ensino Fundamental Grupo de Professores de turmas de alfa de Aceleração Orientação: - Analisar os resultados da aprendizagem dos alunos em LP nas avaliações externas de 2011 utilizando o quadro abaixo. 1. Considerando os resultados da aprendizagem dos alunos em 2011 em LÍNGUA PORTUGUESA ( a ) houve um avanço significativo no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( b ) houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( c ) observa-se um pequeno avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( d ) não houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. 2. Quais as ações que vocês apontam para desenvolver logo no início do ano letivo 2012, principalmente aquelas relacionadas ao apoio pedagógico, na perspectiva de garantir maiores níveis de aprendizagem dos alunos? [considerar toda a discussão feita anteriormente sobre escola aprendente.] ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ - Relacionar as ações indicadas na questão 2, usando o quadro abaixo: Construindo a qualidade da escola a partir da responsabilidade compartilhada pelos processos de ensino e de aprendizagem O que o diretor O que o O que os professores Ações indicadas pelos deve fazer para que coordenador deve devem fazer para professores estas ações fazer para que estas que estas ações aconteçam: ações aconteçam: aconteçam:
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 Grupos de Professores do 3º. ao 5º. ano do Ensino Fundamental [separados por ano de escolaridade] Grupo de Professores das turmas de pós alfabetização de Aceleração Grupo de Professores de Língua Portuguesa do Ensino Fundamental II Grupo de Professores de Matemática do Ensino Fundamental II Grupo de Professores de Língua Portuguesa do Ensino Médio Grupo de Professores Matemática do Ensino Médio Orientação: - Analisar os resultados da aprendizagem dos alunos em LP e MAT nas avaliações externas de 2011 [para as turmas que não foi feita avaliação externa em 2011, usar o resultado da última avaliação realizada pelos professores], utilizando o quadro abaixo. 1. Considerando os resultados da aprendizagem dos alunos em 2011 em LÍNGUA PORTUGUESA ( a ) houve um avanço significativo no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( b ) houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( c ) observa-se um pequeno avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( d ) não houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. 2. Há alunos que chamam atenção pelo baixo nível de aprendizagem em LP e que precisam de um trabalho mais direcionado em 2012? Quais são eles e em que turmas estão em 2012? 3. Considerando os resultados da aprendizagem dos alunos em 2011 em MATEMÁTICA ( a ) houve um avanço significativo no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( b ) houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( c ) observa-se um pequeno avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( d ) não houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. 4. Há alunos que chamam atenção pelo baixo nível de aprendizagem em Matemática e que precisam de um trabalho mais direcionado em 2012? Quais são eles e em que turmas estão em 2012?
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 5. Quais as principais ações que vocês apontam para o ano de 2012 na perspectiva de garantir maiores níveis de aprendizagem dos alunos? [considerar toda a discussão feita anteriormente sobre escola aprendente.] ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ - Relacionar as ações indicadas na questão 5, usando o quadro abaixo: Construindo a qualidade da escola a partir da responsabilidade compartilhada pelos processos de ensino e de aprendizagem O que o diretor O que o O que os professores Ações indicadas pelos deve fazer para que coordenador deve devem fazer para professores estas ações fazer para que estas que estas ações aconteçam: ações aconteçam: aconteçam:
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 Grupos de Professores de cada área do 3º. ao 5º. ano do Ensino Fundamental [separados por área] Grupos de Professores de cada área do 6º. ao 9º. ano do Ensino Fundamental [separados por área] Grupos de Professores de cada área do 1º. ao 3º. ano do Ensino Médio [separados por área] Orientação: - Analisar os resultados da aprendizagem dos alunos em cada área do conhecimento nas avaliações de 2011 [usar o resultado da última avaliação realizada pelos professores], utilizando o quadro abaixo. 1. Considerando os resultados da aprendizagem dos alunos em 2011 em _______________________[área] ( a ) houve um avanço significativo no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( b ) houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( c ) observa-se um pequeno avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. ( d ) não houve avanço no nível de aprendizagem dos alunos ao longo do ano. 2. Há alunos que chamam atenção pelo baixo nível de aprendizagem em _________________[área] e que precisam de um trabalho mais direcionado em 2012? Quais são eles e em que turmas estão em 2012? 3. Quais as principais ações que vocês apontam para o ano de 2012 na perspectiva de garantir maiores níveis de aprendizagem dos alunos? [considerar toda a discussão feita anteriormente sobre escola aprendente.] ___________________________________________________________________ ___________________________________________________________________ - Relacionar as ações indicadas na questão 3, usando o quadro abaixo: Construindo a qualidade da escola a partir da responsabilidade compartilhada pelos processos de ensino e de aprendizagem O que o diretor O que o O que os professores Ações indicadas pelos deve fazer para que coordenador deve devem fazer para professores estas ações fazer para que estas que estas ações aconteçam: ações aconteçam: aconteçam:
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 4. Propor que cada grupo de professores escolha dois itens do quadro “Construindo a qualidade da escola à partir da responsabilidade compartilhada pelo processo de ensino e aprendizagem” que julgar mais significativos para socializar no grande grupo. 5. Apresentar [coordenadores e diretores] o mesmo quadro que preencheram na ocasião que fizeram o mapeamento da escola no Encontro de Formação da SEE. 6. Discutir o que for necessário com o grupo com a intenção de definir coletivamente quais são os principais compromissos da equipe escolar com a aprendizagem dos alunos. 7. Finalizar esta parte do Encontro esclarecendo para os professores que este trabalho firma mais uma vez o compromisso de toda a equipe escolar com a garantia da aprendizagem dos alunos e, consequentemente, com a construção de uma escola aprendente.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Sequência de atividades 5 – Todos os alunos podem aprender: superar o jargão eenxergar quem está por trás dele.Tempo: 3 horasAtividades 1. Propor que em grupos de no máximo 8 participantes, leiam o texto “Pinturas coletivas” da professora Adriana Dias. Importante: Explicar que o texto trata de um trabalho na área de Artes Visuais com alunos do EF II, mas que as questões colocadas por ele transcedem a especificidade do grau de escolaridade e idade dos alunos, servindo como base para a discussão sobre o processo de ensino e aprendizagem e a relação professor aluno seja no EF I, seja no EM. 2. Solicitar que após a leitura discutam o texto, usando o quadro abaixo: O que foi possível aprender: com a postura e sobre o planejamento propostas de sobre a relação entre sobre ensinar e e envolvimento dos atividades feitas pela a professora e alunos aprender alunos professora 3. Solicitar que apresentem o que responderam para cada questão colocada no quadro. 4. Discutir os aspectos que o grupo considerou mais intrigantes. 5. Retomar o título desta sequência “Todos os alunos podem aprender: superar o jargão e enxergar quem está por trás dele” e propor a leitura compartilhada do texto abaixo: O conceito de que ‘todos os alunos podem aprender’ tornou-se popular nos últimos anos, servindo como base para inúmeras iniciativas educacionais. Ele é sustentado pela pesquisa sobre as capacidades sociais e cognitivas que sugere que todas as crianças, todos os adolescentes e todos os adultos têm o potencial para alcançar algo significativo – se as condições apoiarem a aprendizagem e se as capacidades de cada indivíduo forem valorizadas. Defender a ideia que ‘todos os alunos são valiosos’ não é suficiente por si só. Mesmo em escolas onde essa ideia orientadora é proclamada, os educadores e os pais muitas vezes têm um modelo mental oculto sobre o potencial humano: o de que uma vez estabelecido, fica estocado e é imutável. Isso leva a uma cultura de vencedores e perdedores, onde certas crianças são rotuladas como ‘adiantadas’ e se sentem valorizadas, enquanto outras são dadas como perdidas, ‘fracas’, ‘inferiores’ ou, simplesmente, ‘burras’. Nessa cultura os adultos nem sempre investem o tempo e a atenção que fariam a diferença para as crianças desse último grupo. Essa cultura
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 também encoraja os estudantes e educadores a se concentrarem em avaliações e objetivos mensuráveis e a curto prazo, ao invés de investigarem no propósito mais significativo das salas de aula e escolas: aprender e aumentar a capacidade de aprender. Uma sala de aula aprendente requer métodos e infra-estrutura que possibilitem que todos fomentem o sucesso uns dos outros de forma deliberada. Isso significa concentrar-se em mudar as maneiras como as pessoas pensam e interagem e reconhecer que os estudantes aprendem de múltiplas formas e que suas capacidades não são fixadas no momento do nascimento, Nessa classe, os estudantes reconhecem que parte de seu propósito é certificar-se de que todos tenham sucesso. Abraçar a ideia de que todas as crianças podem aprender não significa fechar os olhos para as fragilidades da natureza humana, As pessoas, mesmos os jovens, podem ser muito destrutivas ou muito difíceis de atingir. Talvez nunca saibamos de onde vem a destrutividade humana, mas lidar com pessoas e situações difíceis é um desafio crítico para qualquer sala de aula, qualquer professor [da pré escola em diante] e também para cada membro da comunidade. Por si sós, as ferramentas da ‘organização aprendente’ não são suficientes para ajudar nesse desafio. Cada grama de nossos recursos interiores é necessária, por toda a nossa vida. Entretanto, o conceito de que todas as crianças podem aprender ainda é verdadeiro em todos os tipos de ambientes humanos. Adotar essa ideia como um princípio condutor talvez seja o primeiro passo para criar uma sala de aula aprendente. A esperança é o que, no começo, atrai muitas pessoas para o ensino, e lembrar que todas as crianças podem aprender ajuda a manter essa esperança viva. 6. Perguntar se alguém quer fazer algum comentário sobre o texto. 7. Finalizar esta sequência dizendo que o planejamento que será proposto a seguir está comprometido com a crença inegociável na capacidade de que todos os alunos têm de aprender.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Sequência de atividades 6 – Planejamento do trabalho pedagógico como expressãoda crença na capacidade do aluno aprender e na capacidade dos professores deensinar.Tempo: 4 horas [aproximadamente]Atividades 1. Explicar para o grupo que toda a discussão feita até então teve como propósito dar subsídio para qualificar o trabalho realizado em sala de aula, fazer dela um espaço aprendente. A ideia é planejar o trabalho pedagógico com o compromisso de criar situações que possam fazer a diferença na aprendizagem dos alunos. Neste sentido, o convite é para ressignificar as salas de aula como ambientes de abertura contínua, onde os alunos são chamados para, juntos, estudarem o mundo que os rodeia. 2. Informar o que foi decidido sobre qual será a periodicidade do planejamento na escola: semestral; trimestral ou bimestral. Esta decisão é importante para que o coordenador e diretor possam fazer o seu plano de trabalho junto aos professores. 3. Explicar que o planejamento deve ser resultado do que se pretende que os alunos aprendam nas diferentes áreas, da análise dos resultados da avaliação da aprendizagem durante o ano e das características das turmas. 4. Apresentar o conjunto de slides “Planejamento do trabalho pedagógico: o que nunca é demais saber”. 5. Solicitar que os mesmos grupos formados na sequência anterior de atividades organizem o planejamento do trabalho pedagógico, seguindo as orientações abaixo e usando os materiais elencados sempre que necessário. Orientações: - Iniciar o planejamento, lendo os Cuidados Pedagógicos relacionados à disciplina que leciona [ver o Caderno de Orientações Curriculares]. - Recuperar os resultados da avaliação dos alunos em 2011 e a partir deles: → Definir as capacidades que se pretende que os alunos desenvolvam ao longo do ano. → Definir o que se pretende ensinar (ou favorecer que os alunos aprendam), em linhas gerais, para que as capacidades indicadas como objetivos possam ser desenvolvidas. Lembrar que os conteúdos não são apenas fatos e conceitos, mas também procedimentos, valores, normas, atitudes. → Definir as formas mais adequadas de organizar os conteúdos a serem trabalhados – atividades permanentes, sequências de atividades, atividades de sistematização, projetos. - Definir o trabalho que leitura e escrita [em todas as disciplinas] que será priorizado no primeiro bimestre considerando o nível de aprendizagem de leitura e escrita dos alunos. Importante: Para o desenvolvimento desta sequência com os professores é necessário recuperar o estudo feitos nas formações em 2011 e os ‘aulões’ sobre o Caderno 4 realizados em diferentes municípios. Serão necessários os seguintes
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 materiais relacionados abaixo que deverão estar disponíveis durante todos os momentos de planejamento que serão realizados durante o ano. - Orientações Curriculares do EF I, EF II e EM - Texto: Cuidados necessários no trabalho pedagógico - Caderno 3 - Caderno 4 - Caderno de planejamento: Dialogando com as equipes escolares: firmando compromissos necessários para a qualidade da aprendizagem dos alunos - Proposta de leitura e escrita para alunos do EF e EMSequência de atividades 7 – Planejamento do apoio pedagógico como uma açãonecessária para garantir o direito dos alunos de aprenderemTempo: 3 horasAtividades 1. Propor que os professores organizados em grupo/ano de escolaridade [Ensino Fundamental I] e por disciplina [Ensino Fundamental II e Médio] definam a forma mais eficiente de desenvolver o apoio pedagógico no 1º. bimestre: → a partir da análise dos resultados da aprendizagem dos alunos, feito anteriormente, definir quais alunos precisam de apoio pedagógico logo no início do ano. → definir como o apoio pedagógico será realizado na escola: ⋅ período de duração do apoio ⋅ planejamento e avaliação das atividades que serão propostas para os alunos
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012 ⋅ comunicado às famílias 2. Socializar no grande grupo as formas de garantir o apoio pedagógico propostas por cada grupo de professores. 3. Discutir coletivamente a estruturação do apoio pedagógico na escola: → O que deverá ser garantido pelo diretor → O que deve ser garantido pelo coordenador → O que deve ser garantido pelos professoresSequência de atividades 8 – Fazer da escola um ambiente de letramento: umcompromisso de toda a equipe escolarTempo: 2 horas 1. Solicitar que os professores se organizem em pequenos grupos e que elaborem 2 propostas para criar um ambiente de letramento na escola [para tanto devem fazer uso das informações que tiveram durante as formações realizadas em 2010 e 2011 e os materiais publicados pela SEE]. 2. Propor que cada grupo apresente as suas propostas e coletivamente decidam por aquelas que julgarem mais adequadas para 2012. 3. Propor uma discussão coletiva sobre a ‘operacionalização’ destas propostas, considerando: horário, local, materiais, calendário de realização, organização dos alunos e a divisão de tarefa entre os professores, coordenadores e diretor para que as propostas sejam viabilizadas.Avaliação
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012Propor para os professores a avaliação dos trabalhos realizados: Escreva qual aimportância deste período de planejamento para o seu trabalho. Destaque trêsprincipais responsabilidades que competem a você para que nossa escola se tornecada vez mais um ambiente aprendente._________________________________________________________________________Texto para os professores do 1º. ano do Ensino Fundamental O que tem acontecido nas escolas de Educação InfantilA passagem das crianças da Educação Infantil para o Ensino Fundamental tem sido um dos desafiosenfrentados por vocês e com o propósito de contribuir com o trabalho pedagógico realizado com ascrianças de 6 anos que ingressam no Ensino Fundamental, entendemos como importante compartilharalgumas informações.As escolas de Educação Infantil já têm a sua Proposta Pedagógica elaborada à semelhança dos Cadernosde Orientações Curriculares dos 1º. e 2º. anos (com suas devidas especificidades preservadas) paraorientar o trabalho dos professores que trabalham com crianças de 4 e 5 anos. A Proposta estádisponível na SEE e nas secretarias municipais de todos os municípios que estão participando doPrograma de Formação de profissionais da Educação Infantil desenvolvido pela SEE e na SEME de RioBranco.É com base nesta Proposta Pedagógica e principalmente no Programa de formação desenvolvido tantona SEE como na SEME de Rio Branco, que relacionamos abaixo algumas propostas que têm feito partedas vivências das crianças nas escolas infantis. Entendemos que dividi-las com vocês neste momentopode ser útil para o planejamento do ingresso das crianças no Ensino Fundamental.ESPAÇOS INTERATIVOS [ateliês] é uma proposta para ser desenvolvida com o coletivo infantil, cujoobjetivo é a interação de crianças de idades diferentes. É uma atividade proposta para os momentos deentrada da escola, para que os mesmos possam ser acompanhados de perto pelas professoras. Com oespaço físico organizado, a professora tem como receber as crianças e seus familiares de uma formaacolhedora. Ao chegarem à escola, as crianças devem encontrar o espaço organizado com diferentespropostas, nesse momento não são agrupadas por faixa etária, elas formam o que pode ser chamado de“grupo escola”. Nessa proposta, o espaço físico é organizado de forma a promover a interação dascrianças, por meio de cantos com jogos, materiais de pintura, casinha, fantasias etc. É importanteconsiderar que o espaço é mediador das interações, isso significa que a professora não tem nessemomento, a função de trabalhar com outros conteúdos que não sejam aqueles compatíveis com aconstrução de atitudes decorrentes da situação de interação. As propostas dos cantos devem seranalisadas constantemente com o propósito de avaliar se estão favorecendo a interação das crianças.Não é preciso um espaço físico fixo para montar os cantos e nem eles tampouco devem ficar montados otempo inteiro, mas é importante que estejam organizados de forma que as crianças visualizem todoseles para que possam fazer as suas opções. Esse é um momento de “livre escolha” das crianças, elasescolhem a proposta que mais lhe interessar e o tempo que permanecerão nela. Em virtude dessacaracterística, as propostas devem ter começo-meio e fim no mesmo dia, não tem sentido propor umaatividade que não possa ser concluída. O papel da professora é incentivar as parcerias das crianças, queuma possa trabalhar com a outra, ou seja, que possam co-operar.
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012LEITURA DIÁRIA FEITA PELO PROFESSOR A leitura deve ser de variados tipos de textos, com ênfase nosnarrativos. É interessante selecionar livros para serem lidos no mesmo dia e outros que possam ser lidosem capítulos, como por exemplo, Caçadas de Pedrinho, de Monteiro Lobato.ATIVIDADES DE LEITURA E ESCRITA As propostas em “linguagem oral e escrita” têm como objetivofavorecer um ambiente letrado, em que as crianças possam ter acesso aos diferentes textos e suasfunções comunicativas e propiciar a compreensão do funcionamento do sistema alfabético, a partir deatividades de leitura e escrita planejadas para esse fim.Considerando os conhecimentos disponíveis sobre a leitura é possível propor às crianças com escritasnão alfabéticas, várias situações de leitura. Nessa rotina, as atividades propostas pelo professor,diariamente, são identificar numa lista de palavras as respostas das adivinhações, ordenas frases oupalavras de textos que se conhecem de memória como poemas, quadrinhas, parlendas, músicas... etantas outras. Estas mesmas atividades podem ser propostas às crianças com escrita alfabética, mas comdesafios compatíveis aos seus saberes, uma vez que já lêem convencionalmente.Também nesse momento, são propostas atividades de escrita de textos, pois todas as crianças sãocapazes de produzir textos independente dos conhecimentos que possuem sobre a escrita.Paralelo a esse trabalho existe a possibilidade de se desenvolver projetos de leitura, cuja intençãomaior é que as crianças vivenciem o papel de leitores, mesmo antes de saberem ler convencionalmente.AS RODAS DE CONVERSA têm como objetivo favorecer o desenvolvimento da linguagem oral por meiode situações comunicativas significativas. A idéia é priorizar o elemento comunicativo da língua, o seuuso, e não enfatizar as situações pouco comunicativas e pouco funcionais, de pouco interesse aos doiscomponentes do ato enunciativo: o emissor e o receptor, como por exemplo: situações repetitivas deexplicar, na segunda-feira, o que fez no domingo, ou ainda dirigir às crianças apenas perguntas sobre oque está fazendo ou orientações como “não faça isso”, “cuidado com aquilo”: é necessário buscarsituações nas quais manter uma conversa possa ser interessante para os dois integrantes da situação decomunicação. Além desse espaço, planejado para a conversa muitos outros ocorrem informalmentedurante os trabalhos ou conforme a necessidade do grupo ou da professora.As rodas de conversa podem ser um bom espaço para discutir temas como: curiosidades sobre o mundoanimal, vegetal e mineral; notícias da mídia que possam ser interessantes para as crianças; biografias depersonagens famosos; invenções; comentários sobre leituras que fizeram em casa ou na escola;comentários sobre a participação nos ateliês, sobre as brincadeiras no parque etc. É fundamental proporque as crianças tragam temas que gostariam de conversar no grupo e agendar para uma das rodas dasemana.A RODA DE BIBLIOTECA é uma atividade em que são oferecidos diferentes portadores de textos paraque as crianças possam manusear e ler. É interessante que ao final dessa proposta, seja solicitado quecomentem o que “leram” e isto pode a cada semana ser feito de uma forma diferente como porexemplo: formar grupos de três alunos para que possam compartilhar as histórias lidas, fazercomentários coletivamente, contar parte da história que leram para seduzirem os colegas a leremtambém.MOVIMENTO – BRINCADEIRAS TRADICIONAIS A presença de um espaço para as brincadeiras tradicionaisna organização de uma rotina para crianças de 4 – 6 anos, justifica-se pela recorrência dessasbrincadeiras a diversos repertórios da cultura corporal que podem envolver, simultaneamente,expressividade, equilíbrio, coordenação, socialização; favorecendo a utilização e o desenvolvimento dehabilidades como força, velocidade, resistência e flexibilidade, além da regulação do própriocomportamento e da coordenação com o dos outros. Considerando alguns dos objetivos e conteúdos quedevem estar presentes nas atividades que envolvem movimento: conceituais – conhecimento do própriocorpo e de suas possibilidades, necessidades, sentimentos e sensações na construção de sua identidadecomo pessoa; noções que permitem a orientação no espaço e no tempo... Ou Procedimentais –observação e exploração das possibilidades do corpo e das suas qualidades, diferenças e semelhançascom o dos outros; do controle do próprio corpo, do tom e da postura para adequar-se às situações; doplanejamento da ação e da constatação dos seus efeitos... Ou ainda, Atitudinais – a aceitação dasdiferenças; a auto-proteção diante dos perigos; a colaboração e a iniciativa nas atividades realizadas; oesforço para vencer as dificuldades superáveis... As brincadeiras culturalmente realizadas pelas crianças
  • Pauta sugerida para ser desenvolvida nas escolas com os professores [formadores: coordenadores e diretor]janeiro 2012vêm carregadas afetividade, de sentido e razões de ser. O cabo de guerra, a cobra-cega, o lenço-atrás,o pique-rela, a amarelinha, o pular corda, o pique-esconde, siga o mestre e tantas outras do repertórioinfantil, muitas vezes desprezadas pela escola, trazem em si, além de uma cultura constituída e,portanto, cheia de significado para as crianças, mais conteúdos necessários ao seu desenvolvimentoglobal – físico / motor, cognitivo / intelectual - do que podemos supor.JOGOS São situações propostas de forma sistemática e com regularidade. São oferecidas semanalmentede forma intercalada - situações contextualizadas, significativas e organizadas de forma querepresentem um crescente desafio para as crianças. Oferecem a oportunidade de um contato intensocom determinados tipos de conteúdos. Alguns exemplos de jogos propostos são: percurso (trilha),descubra o número...ARTES VISUAIS Os momentos dedicados ao trabalho com artes visuais garantem às crianças apossibilidade de um fazer, um apreciar e um refletir sobre a Arte enquanto instrumento derepresentação de sentimentos, emoções e expressão do seu olhar para si, para o mundo e para tudo oque existe nele. Esta idéia implica em organizar situações em que elas possam criar desenhos,modelagens, pinturas, colagens a partir de seu próprio repertório e da ampliação do mesmo, utilizandoelementos da linguagem das Artes – ponto, linha, forma, cor, volume, espaço, textura; explorando eutilizando diversos materiais, meios e suportes necessários para desenhar e pintar - lápis, pincéis,brochas, areia, argila, terra, jornal, papel. Apreciar, narrando, descrevendo, interpretando, por meioda leitura de obras de arte, o que vêem, sentem e compreendem do objeto artístico observado,relacionando o visto às suas vivências e experiências cotidianas. Refletir olhando para além dasimagens, levantando hipóteses sobre suportes, materiais, intencionalidade, escolha de cores, luzes,sombras, enfim, os diversos recursos utilizados pelos artistas para dar sentido à sua criação. Como nasdemais áreas, o trabalho com artes visuais deve promover o desenvolvimento de atitudes como ocuidado e respeito pela produção e pelo patrimônio cultural seu, de seus amigos, de sua região, país,mundo... Bem como de utilização racional, funcional e ecologicamente correta, dos espaços e materiaiscom os quais estiverem trabalhando. Rosana Dutoit Formadora dos grupos de Educação Infantil em parceria com as equipes de Educação Infantil da SEE e SEME/RB