Contabilidade

5,424
-1

Published on

contabilidade para concurso

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,424
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
196
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Contabilidade

  1. 1. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSMÓDULO I: CONTABILIDADE – NOÇÕESBÁSICAS1 CONCEITO DE CONTABILIDADE2 CAMPO DE APLICAÇÃO3 OBJETO DE ESTUDO4 CONCEITO DE PATRIMÔNIO5 FINALIDADES DA CONTABILIDADE6 USUÁRIOS DA CONTABILIDADE7 TÉCNICAS CONTÁBEIS8 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA CONTABILIDADE9 FUNÇÃO ADMINISTRATIVA DA CONTABILIDADE1 FUNÇÃO ECONÔMICA DA0 CONTABILIDADEProfessores André e Biu 1 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  2. 2. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 2 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  3. 3. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS1.1CONCEITO “Contabilidade é a ciência que estuda,registra, controla e interpreta os fatosocorridos no patrimônio das entidades comfins lucrativos ou não.”1.2CAMPO DE APLICAÇÃOProfessores André e Biu 3 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  4. 4. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS O das entidades econômico-administrativas, sejam de fins lucrativos ounão.1.3OBJETO DE ESTUDO DACONTABILIDADE O patrimônio das entidades.1.4PATRIMÔNIO Conjunto de bens, direitos e obrigaçõesvinculados à entidade econômicoadministrativa.1.5FINALIDADES DA CONTABILIDADE Assegurar o controle do patrimônioadministrado e fornecer informações sobrea composição e as variações patrimoniais,bem como o resultado das atividadeseconômicas desenvolvidas pela entidadepara alcançar seus fins, que podem serlucrativos ou meramente ideais.Professores André e Biu 4 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  5. 5. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS De acordo com o parágrafo acima,observamos duas funções básicas nacontabilidade. Uma é a administrativa, e aoutra é a econômica. Assim: –Função administrativa: controlar opatrimônio – Função econômica: apurar o resultado.1.6USUÁRIOS DA CONTABILIDADE: –Sócios, acionistas, proprietários; –Diretores, administradores, executivos; –Instituições financeiras; –Empregados –Sindicatos e associações; –Institutos de pesquisas –Fornecedores –Clientes –Órgãos governamentais –Fisco1.7TÉCNICAS CONTÁBEISProfessores André e Biu 5 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  6. 6. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS A contabilidade para atingir suafinalidade se utiliza das seguintes técnicas.1.7.1 Escrituração É o registro de todos os fatos queocorrem no patrimônio.1.7.2 Demonstrações Financeiras São demonstrativos expositivos dos fatosocorridos num determinado período.Representam a exposição gráfica dos fatos.São elas: –Balanço Patrimonial –Demonstração do Resultado doExercício –Demonstração dos Lucros ou PrejuízosAcumuladosProfessores André e Biu 6 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  7. 7. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS –Demonstração das Mutações dopatrimônio Líquido –Demonstração das Origens eAplicações de Recursos1.7.3 Auditoria É o exame e a verificação da exatidão ounão dos procedimentos contábeis.1.7.4 Análise das DemonstraçõesFinanceiras Analisa e interpreta as demonstraçõesfinanceiras.1.8 PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DACONTABILIDADE O Conselho Federal de Contabilidade,através da Resolução Federal no 750/93,determinou os seguintes princípiosfundamentais de contabilidade.Professores André e Biu 7 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  8. 8. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS –Entidade –Continuidade –Oportunidade –Registro pelo Valor Original –Atualização Monetária –Prudência –Competência1.9 FUNÇÃO ADMINISTRATIVA DACONTABILIDADE Controlar o patrimônio. a. Patrimônio – conjunto de bens, direitos e obrigações suscetíveis de avaliação econômica, vinculados a uma entidade ou pessoa física. b. Bem – tudo aquilo que satisfaz as necessidades humanas e pode ser avaliado econômica-mente. 1. Classificação dos bens:Professores André e Biu 8 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  9. 9. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS 1.1 Bens tangíveis, corpóreos, concretos ou materiais – têm existência física, existem como coisa ou objeto. 1.2 Bens intangíveis, incorpóreos, abstratos ou imateriais – não possuem existência física, porém representam uma aplicação de capital indispensável aos objetivos da empresa, e cujo valor reside em direitos de propriedade que são legalmente que são legalmente conferidos aos seus possuidores. Exemplos de bens intangíveis: direitossobre marcas, patentes, direitos autorais,ponto comercial, fundo de comércio, açõesou quotas do capital de outras empresas,etc.Professores André e Biu 9 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  10. 10. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS c. Direitos – valores de propriedade daentidade que se encontram em posse deterceiros. Exemplos: duplicatas a receber,clientes, contas a receber, dinheirodepositado no banco, aplicaçõesfinanceiras, etc. d. Obrigações: são dívidas ou compromissos de qualquer espécie ou natureza assumidos perante terceiros, ou bens de terceiros que se encontram em nossa posse (uso). Exemplos: fornecedores, duplicatas apagar, notas promissórias a pagar,impostos a recolher, contas a pagar, títulosa pagar, contribuições a recolher, etc. e. Composição Patrimonial: opatrimônio é dividido em três partes.Professores André e Biu 10 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  11. 11. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS 1a Parte – ATIVO (A) - parte positiva,composta de bens e direitos. 2a Parte – PASSIVO EXIGÍVEL (PE) - parte negativa, composta das obrigações com terceiros. 3a Parte – PATRIMÔNIO LÍQUIDO (PL) ou SITUAÇÃO LÍQUIDA (SL) – parte diferencial entre o ativo e o passivo exigível. O patrimônio líquido representa as obrigações da entidade para com os sócios ou acionistas (proprietários) e indica a diferença entre o valor dos bens e direitos (ativo) e o valor das obrigações com terceiros (passivo exigível). Essa parte diferencial (PL/SL) é que vaimedir ou avaliar a situação ou condição daentidade sendo, portanto, consideradocomo PASSIVO NÃO EXIGÍVEL.Professores André e Biu 11 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  12. 12. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS f.Equação Fundamental do Patrimônio:PL/SL = A – PE Especificação da fórmula: PL = Patrimônio Líquido, SL = Situação Líquida, A = Ativo, PE = Passivo Exigível. g. Representação Gráfica do Patrimônio PATRIMÔNI O ATI PASSIV VO O (-) + Be Exigível ns – Obrigaçõ es Dir PL/SL eito s TO TOTALProfessores André e Biu 12 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  13. 13. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS TA L h. Situações ou Estados Patrimoniais 1. Situação favorável: ocorre quandoA > PE, determinando PL > 0. Assim, A =PE + PL. 2. Situação plena ou propriedade total dos ativos: ocorre quando A > PE e PE = 0, determinando PL > 0. Assim, A = PL. 3. Situação nula ou de equilíbrio aparente: ocorre quando A = PE, determinando PL = 0. Assim, A = PE. 4. Inexistência de ativos: ocorre quando PE > A e A = 0, determinando PL < 0. Assim, PE = (PL). 5. Situação desfavorável: ocorre quando A < PE, determinando PL < 0.Professores André e Biu 13 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  14. 14. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS1.10 FUNÇÃO ECONÔMICA DA CONTABILIDADE: apurar o resultado (rédito)1.10.1 Resultado Diferença entre o valor das Receitas e ovalor das Despesas (D) O resultado pode ser: Positivo ou Lucro - quando o valor dasreceitas é superior ao das despesas; Negativo ou prejuízo – quando o valordas receitas é inferior ao das despesas; Nulo – quando o valor das receitas éigual ao valor das despesas.1.10.2 ReceitasProfessores André e Biu 14 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  15. 15. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS São entradas de elementos para o ativoda empresa, na forma de bens ou direitosque sempre provocam aumento da situaçãolíquida.1.10.3 Despesas É gasto incorrido para, direta ouindiretamente, gerar receitas. As despesaspodem diminuir o ativo ou aumentar opassivo, mas sempre provocamdiminuições na situação líquida oupatrimônio líquido.Professores André e Biu 15 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  16. 16. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 16 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  17. 17. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS001. (ESAF-TTN/92) A palavra Azienda é comumente usada em Contabilidade como sinônimo de fazenda, na acepção de: a.Conjunto de bens e haveres b.Mercadorias c.Finanças públicas d.Grande propriedade rural e.Patrimônio, considerado juntamente com a pessoa que tem sobre ele poderes de administração e disponibilidade002.(ESAF-TFC/92) As aziendas são entidades econômico-administrativas, cuja existência é reconhecida a partir daProfessores André e Biu 17 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  18. 18. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS união de três elementos essenciais, os quais são: a.a contabilidade, a administração e o patrimônio b.os órgãos volitivos, diretivos e a executivos c.o planejamento, a coordenação e o controle d.a escrituração, a auditoria e o balanço e.o patrimônio, a administração e o trabalho003.(ESAF-AFC/92) A situação patrimonial em que os recursos aplicados no ativo são originários, parte de riqueza própria e parte de capital de terceiros, é representada pela equação: a.A = PL; portanto P = 0 b.A = P; portanto PL = 0 c.A > P; portanto PL > 0 d.A < P; portanto PL < 0 e.P = - PL; portanto A = 0Professores André e Biu 18 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  19. 19. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSObs.:PL = Patrimônio Liquido A = Ativo P = Passivo (não inclui o PL) 0 = Zero004.(ESAF-TTN/92) O Primeiro Congresso Brasileiro de Contabilistas, realizado na cidade do Rio de Janeiro, de 17 a 27 de agosto de 1924, formulou um conceito oficial para Contabilidade. Assinale a opção que indica esse conceito oficial. a.Contabilidade é a ciência que estuda o patrimônio do ponto de vista econômico e financeiro, observando seus aspectos quantitativo e especifico e as variações por ele sofridas. b.Contabilidade é a ciência que estuda e pratica as funções de orientação, de controle e de registro relativas à Administração Econômica. c.Contabilidade é a metodologia especial concebida para captar, registrar, reunirProfessores André e Biu 19 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  20. 20. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS e interpretar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais, financeiras e econômicas de qualquer ente. d.Contabilidade é a arte de registrar todas as transações de uma companhia que possam ser expressas em termos monetários e de informar os reflexos dessas transações na situação econômico-financeira dessa companhia. e.Contabilidade é a ciência que estuda e controla o patrimônio das entidades, mediante registro, demonstração expositiva, confirmação, análise e interpretação dos fatos nele ocorridos.005. (BD-ESAF) Assinale a alternativaque conceitue corretamente Contabilidade:Professores André e Biu 20 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  21. 21. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS a. Ciência que trata dos fenômenos relativos à produção, distribuição, acumulação e consumo dos bens materiais b. Técnica que registra as ocorrências que afetam o patrimônio de uma entidade c. Ciência que estuda e pratica as funções de orientação, controle e registro dos atos e fatos de uma administração econômica d. Técnica que consiste na decomposição, comparação e interpretação, dos demonstrativos do estado patrimonial e do resultado econômico de uma entidade e. Conjunto de princípios, normas e funções que têm por fim ordenar os fatores de produção e controlar a suaProfessores André e Biu 21 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  22. 22. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS produtividade e eficiência, para se obter determinados resultados006. (BD-ESAF) As técnicas de que a Contabilidade se utiliza para alcançar os seus objetivos são: a. Escrituração, planejamento, coordenação e controle b. Escrituração, balanços, inventários e orçamentos c. Contabilização, auditoria, controle e análise de balanços d. Auditoria, análise de balanços, planejamento e controle e. Auditoria, escrituração, análise de balanços e demonstração007. (BD-ESAF) Assinale a opção que não identifique uma técnica contábil: a. Planejamento d. EscrituraçãoProfessores André e Biu 22 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  23. 23. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS b. Análise de balanços e. Auditoria c. Demonstrações contábeis008. (ESAF-TTN/94) "O patrimônio, que a contabilidade estuda e controla, registrando todas as ocorrências nele verificadas". "Estudar e controlar o patrimônio, para fornecer informações sobre sua composição e variações, bem como sobre o resultado econômico decorrente da gestão da riqueza patrimonial". As proposições indicam, respectivamente: a. o objeto e a finalidade da contabilidade b. a finalidade e o conceito da contabilidadeProfessores André e Biu 23 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  24. 24. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS c. o campo de aplicação e o objeto da contabilidade d. o campo de aplicação e o conceito da contabilidade e. a finalidade e as técnicas contábeis da contabilidade009. (ESAF-TTN/94) Na maioria das empresas comerciais, o Ativo suplanta o Passivo (Obrigações). Assim, a representação mais comum do patrimônio de uma empresa comercial assume a forma: a. Passivo + Ativo = Patrimônio Liquido b. Ativo + Patrimônio Liquido = Passivo c. Ativo = Passivo + Patrimônio Liquido d. Ativo Permanente + Ativo Circulante = Passivo e. Ativo + Situação Liquida = PassivoProfessores André e Biu 24 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  25. 25. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS010. (ESAF-TTN/92) Diz-se que a situação liquida é negativa quando o Ativo total é: a. maior que o Passivo Total b. maior que o Passivo Exigível c. igual à soma do Passivo Circulante com o Passivo Exigível a Longo Prazo d. igual ao Passivo Exigível e. menor que o Passivo Exigível011. (ESAF-AFTN/85) Assinale a alternativa que indica situação patrimonial inconcebível:Professores André e Biu 25 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  26. 26. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS a. Situação Liquida igual ao Ativo b. Situação Liquida maior que o Ativo c. Situação Liquida menor que o Ativo d. Situação Liquida maior que o Passivo Exigível e. Situação Liquida menor que o Passivo Exigível012. (ESAF-TTN/92) É função econômica da Contabilidade: a. apurar lucro ou prejuízo d.controlar o patrimônio b. evitar erros e fraudes e.efetuar o registro dos fatos contábeis c. verificar a autenticidade das operaçõesProfessores André e Biu 26 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  27. 27. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS013. (ESAF-TTN/89) Considerando: CP = Capital Próprio; CTe = Capital de Terceiros; CN = Capital Nominal; CTo = Capital Total à disposição da empresa; PL = Patrimônio Líquido; SLp = Situação Líquida positiva e A = Ativo, pode-se afirmar que CTo é igual a: a. CP + CTe = SLp d. A (-) SLp b. A + CTe e. CP + CTe + CN c. CP + CTe014. (ESAF-TTN/85) – Na maioria das empresas comerciais, o ATIVO suplanta o PASSIVO (Obrigações). Assim, a representação mais comum do Patrimônio de uma empresa comercial assume a forma: a. Ativo = Passivo + Patrimônio LiquidoProfessores André e Biu 27 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  28. 28. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS b. Ativo + Patrimônio Liquido = Passivo c. Passivo + Ativo = Patrimônio Liquido d. Ativo Permanente + Ativo Circulante = Passivo e. Ativo + Situação Líquida = Passivo015. (FESP/9 1 ) - Considerando a equação fundamental da Contabilidade, a igualdade que indica um "PASSIVO A DESCOBERTO" é: a. A = PE + SL d. PE = A - SL b. PE = A + SL e. A = SL + PE c. SL = A - PE onde: A = Ativo; PE = Passivo Exigível;SL = Situação LíquidaProfessores André e Biu 28 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  29. 29. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS016. (ESAF-TTN/92) A situação patrimonial denominada Passivo a Descoberto configura inexistência de: a. bens e direitos d. capital de terceiros b. obrigações e. capital a disposição da empresa c. capital próprio2.1 ASPECTO QUANTITATIVO Neste aspecto os elementos patrimoniaissão considerados sob um aspectohomogêneo, que é o da tradução monetáriade seus valores, formando por assim dizerum fundo de valores, representados de umlado por valores positivos (ATIVO – bens eProfessores André e Biu 29 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  30. 30. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSdireitos) e de outro os valores negativos(PASSIVO - obrigações), tendo a seguinteclassificação:2.1.1 Ativo São os valores positivos (bens e direitos)do patrimônio e subdivide-se em:2.1.1.1 Circulante (AC) Agrupa as disponibilidades, os direitosrealizáveis no curso do exercício socialsubseqüente e as despesas antecipadas*(pagas e não incorridas). Exercício Social – é o espaço de tempo de (12 meses), findo o qual as pessoas jurídicas apuram o resultado do exercício; ele pode coincidir, ou não, com o ano-calendário, de acordo com o que dispuser o estatuto ou o contrato social.2.1.1.2 Realizável a Longo Prazo (ARLP)Professores André e Biu 30 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  31. 31. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Direitos realizáveis após o término doexercício social subseqüente, assim como,também, os direitos derivados de vendas,adiantamentos ou empréstimos asociedades coligadas ou controladas,diretores, acionistas ou participantes nolucro da companhia, que não constituamnegócios usuais no objeto da exploração dacompanhia. OBS: independentemente doprazo. CRITÉRIOS DE CLASSIFICAÇÃO QUANTO A PRAZOS 1. Curto Prazo Classificam-se os bens, direitos e obrigações, com prazo de vencimento ou realização de um ano, ou seja, durante o curso do exercício social seguinte; como por exemplo, as contas do Ativo Circulante e do Passivo Circulante. 2. Longo Prazo Classificam-se os bens, os direitos e as obrigações, com prazo de vencimento ou realização superior a um ano, ou seja, após o término do exercício social seguinte; como por exemplo, as contas do Ativo Realizável a Longo Prazo e do Passivo Exigível a Longo Prazo. OBS.: na empresa em que o ciclo operacional tiver duração maior que o exercício social, a classificação no circulante ou no longo prazo terá por base o prazo deste ciclo. 3. Ciclo Operacional Representa a aplicação de recursos na atividade da entidade até a formação dos estoques que, mediante venda, voltarão a ser valores disponíveis. 4. Ciclo Operacional de Longo Prazo Somente ocorrerá nas entidades onde o processo produtivo é demorado, como por exemplo: construção civil pesada, construção naval, construção de equipamentos de grande porte, etc.Professores André e Biu 31 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  32. 32. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS2.1.1.3 Permanente (AP) Agrega os bens da manutenção daempresa, bem como os bens de uso futuroe as despesas diferidas. Subdivide-se em: a. Investimento (APInv) – ações, quotas de outras empresas adquiridas com a intenção de permanência, os bens de uso futuro, e os direitos deProfessores André e Biu 32 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  33. 33. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS qualquer natureza não classificáveis no Ativo Circulante ou no Realizável a Longo Prazo, e que não se destinem a manutenção da atividade da companhia, ou seja, bens ou direitos sem os quais a companhia poderia existir. b. Imobilizado (APImob) – bens e direitos da manutenção, ou seja, necessários a atividade principal da empresa. c. Diferido (APDif) – compreende as aplicações de recursos em despesas que contribuirão para a formação do resultado de mais de um exercício social, são as chamadas despesas diferidas**, que são aquelas despesas que foram pagas e incorridas, mas com benefícios ao longo do tempo, exemplo: despesas pré-operacionais, despesas com pesquisas, despesasProfessores André e Biu 33 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  34. 34. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS de implantação, despesas de reorganização.2.2.2 Passivo São os valores negativos (obrigações) do patrimônio e subdivide-se em:2.2.2.1 Circulante (PC) Agrupa as obrigações vencíveis no exercício seguinte.2.2.2.2 Exigível a Longo Prazo (PELP) Agrupa as obrigações com vencimento após o término do exercício seguinte.2.2.3 Resultados de Exercícios Futuros (REF)*** Agrupa as receitas de exercícios futurosque correspondem a valores recebidosantecipadamente, diminuídos de seusProfessores André e Biu 34 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  35. 35. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOScustos e despesas correspondentes, desdeque essas receitas antecipadas nãoimpliquem ao recebedor a devolução dosvalores recebidos caso haja o distrato daoperação.2.2.2.4 Patrimônio Líquido (PL) Representa as obrigações para com ossócios, acrescidas das reservas e doslucros (auferidos) ou prejuízos(suportados). Subdivide-se em: a. Capital Social (CS): representa os bens ou direitos entregues ou a entregar pelos sócios à empresa. Pode ser: 1. Capital Social Subscrito (CSS) - é o comprometido pelos sócios. 2. Capital Social Realizado (CSR) - é o efetivamente entregue pelos sócios à empresaProfessores André e Biu 35 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  36. 36. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS 3. Capital Social a Realizar (CSaR) - é a diferença entre o capital social subscrito e o capital social realizado. b. Reservas de Capital (RC): valores com os quais se aumentará o capital social ou se absorverá os prejuízos, conforme dispõe a lei das S/A. c. Reservas de Reavaliação (RR): representam aumento de valor do ativo permanente em virtude de novas avaliações. d. Reservas de Lucros (RL): formada pela retenção de lucros por parte da empresa. Podem ser: 1. Reserva Legal - obrigatória segundo a LeiProfessores André e Biu 36 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  37. 37. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS 2. Reserva Estatutária - formada de acordo com os estatutos da empresa. 3. Reserva Para Contingência - formada para absorver prejuízos futuros. 4. Reserva de Retenção de Lucros – formada para reinvestimentos na própria em presa. 5. Reserva de Lucros a Realizar - opcional, de acordo com o estabelecido na Lei e. Lucros Acumulados (LAc): são a parte de lucro que a empresa ainda não deu destinação, ou f.Prejuízos Acumulados (Pac): são os prejuízos suportados pela empresa e ainda não absorvidos.OBSERVAÇÕES:* DESPESAS ANTECIPADASProfessores André e Biu 37 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  38. 38. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSExemplo: Pagamos à vista o seguro donosso veículo, relativo a 01 ano. O segurofoi pago hoje (despesa paga) e tal despesanão diz respeito tão somente a data dopagamento (não incorrida)INCORRIDA - significa dizer que: já seconcretizou, materializou, formalizou.** DESPESAS DIFERIDASExemplo: Uma indústria automobilísticapagou despesas relativas a um projeto dedesenvolvimento tecnológico para um novomodelo de veículo a ser lançado nomercado. Características do fato: 1. a indústria pagou a despesa com oprojeto – DESPESA PAGA 2. o projeto foi realizado – DESPESAINCORRIDAProfessores André e Biu 38 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  39. 39. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS 3. quando no futuro o modelo for produzido em série e lançado no mercado, trará retorno – BENEFÍCIOS AO LONGO DO TEMPO.DESPESA DIFERIDA – significa: despesaadiada, postergada, levada para o futuro.*** RESULTADOS DE EXERCÍCIOSFUTUROSExemplo: Se recebermos de alguém o valorde $ 12.000,00 correspondente ao aluguelde 12 meses, sem a obrigação dedevolvermos, em havendo o distrato,estamos diante de uma receita deexercícios futuros. Se para obter a receita, suportamos,muitas das vezes, custos e despesas a elacorrespondentes, estes serão classificados,também, como Resultados de ExercíciosFuturos, isso porque a receita foiclassificada como tal.Professores André e Biu 39 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  40. 40. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSResultados de Exercícios Futuros =Receitas Despesas e CustosCorrespondentes001. Marque a alternativa que preenchecorretamente as lacunas:Professores André e Biu 40 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  41. 41. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS I.... tratam-se do passivo propriamente dito, ou, na classificação da Lei no 6.404/76, do passivo circulante e passivo exigível a longo prazo. Correspondente ao conceito de capital de terceiros. II. ... parte do ativo que abrange exclusivamente o dinheiro em espécie e outros haveres da empresa que possam ser convertidos imediatamente em dinheiro. III. ... pode ser resumido como sendo ativo que será transformado em dinheiro, compreendendo basicamente os direitos e os estoques. IV. ... parcela do ativo que, representando inversões básicas e permanentes na empresa, se compõem de elementos que servem a vários ciclos operacionais e, portanto, não se destinam à venda.Professores André e Biu 41 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  42. 42. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS a. Exigibilidades — Disponibilidades — Realizações — Imobilizações b. Exigibilidades — Realizações — Disponibilidades — Imobilizações c. Realizações — Disponibilidades — Exigibilidades — Imobilizações d. Realizações — Imobilizações — Disponibilidades — Exigibilidades Para as questões 002 e 003, marque a alternativa correta, após assinalar no parêntese: (A) para disponibilidades (C) para imobilizaçõesProfessores André e Biu 42 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  43. 43. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS (B) para realizações (D) para exigibilidades002. — Imóveis de uso ( ) — Móveis e utensílios em estoque, numa empresa que comercializa estes bens ( ) — Móveis e utensílios para uso da empresa ( ) — Direitos da empresa ( ) — Obrigações da empresa ( ) a.C – B – C – B – D c. C – A – C – B –C b.A – A – C – D – B d. C – C – C – B –D003. — Adiantamentos de clientes ( ) — Adiantamentos a empregados e a fornecedores ( ) — Ações para revenda ( ) — Imóveis construídos e colocados à venda ( ) — Títulos de liquidez imediata ( )Professores André e Biu 43 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  44. 44. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS a.D – B – A – B – A c. D – B – B – B –A b.B – D – D – D – A d. B – D – A – D –A004. Marque a afirmativa incorreta: a.no patrimônio líquido, a conta Capital Social discriminará o montante subscrito e, por redução, o capital a realizar b.no patrimônio líquido são classificadas as reservas e os lucros ou prejuízos acumulados c. as reservas são: de capital, de reavaliação e de lucros d.as ações em tesouraria deverão ser destacadas no balanço como aumento da conta do patrimônio líquido que registrar a origem dos recursos aplicados na sua aquisiçãoProfessores André e Biu 44 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  45. 45. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS005. Não é Ativo Circulante: a.adiantamentos efetuados pela empresa a seus proprietários b.dinheiro em caixa e em bancos c. títulos e valores mobiliários para venda no exercício social seguinte d.títulos de liquidez imediata006. Os direitos oriundos de operações com participantes dos lucros da empresa (administradores, proprietários, etc.), quando não provenientes das operações usuais da mesma, são classificados no: a. Ativo Circulante b. Realizável a Longo Prazo c. Ativo Imobilizado d. faltam dados (prazo de vencimento)007. Certa empresa possui um (1) terreno utilizado para estacionamento de seus clientes; outro, utilizado para depósito eProfessores André e Biu 45 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  46. 46. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS mais um, que não é utilizado pela mesma e nem ela tenciona vende-lo. Assim, temos, respectivamente: a. os dois primeiros são classificados no Ativo Permanente e o terceiro no Ativo Realizável a Longo Prazo b. os dois primeiros são classificados no Ativo Permanente e o terceiro no Ativo Circulante c. os três são classificados no Ativo Permanente d. nenhuma afirmativa está correta008. Imóvel em construção, que será a futura sede da empresa, deve ser classificado no: a. Realizável a Longo Prazo b. Ativo Diferido c. Ativo Imobilizado d. Ativo InvestimentoProfessores André e Biu 46 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  47. 47. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS009. Despesas Pré-Operacionais são classificadas no Ativo: a. Permanente — Imobilizado b. Permanente — Investimento c. Permanente — Imobilizado d. nada disto010. Juros pagos aos acionistas na fase pré-operacional da empresa são classificados no: a. Ativo Imobilizado b. Ativo Investimento c. Ativo Diferido d. nada disto011. Obrigações a pagar após o término do exercício social seguinte são classificadas no: a. Passivo Circulante b. Exigível a Longo PrazoProfessores André e Biu 47 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  48. 48. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS c. Ativo Circulante d. Realizável a Longo Prazo012. Empréstimos tomados junto a empresas coligadas e controladas, a longo prazo, são classificados no: a. Passivo Circulante b. Exigível a Longo Prazo c. Realizável a Longo Prazo d. Patrimônio Líquido013. As receitas de exercícios futuros e as despesas e os custos a elas referentes são classificadas no: a. Passivo Circulante b. Passivo Exigível a Longo PrazoProfessores André e Biu 48 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  49. 49. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS c. Resultado de Exercícios Futuros d. nada disto014. O capital, as reservas e os lucros retidos são classificados no: a. Passivo Circulante b. Exigível a Longo Prazo c. Ativo Permanente d. Patrimônio Líquido015. O capital próprio compreende o: a. passivo total b. passivo real c. patrimônio líquido d. ativo totalProfessores André e Biu 49 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  50. 50. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 50 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  51. 51. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS A contabilidade, para registrar as suasoperações, adota o MÉTODO DASPARTIDAS DOBRADAS.3.1 PARTIDAS DOBRADAS A essência deste método, é que oregistro de qualquer operação implica queum débito em uma ou mais contas devecorresponder um crédito equivalente, emuma ou mais contas, de forma que a somados valores debitados seja sempre igual asoma dos valores creditados, ousimplificando: NÃO HÁ DÉBITO SEM CRÉDITO CORRESPONDENTE; DÉBITO = CRÉDITO, OU ORIGENS = APLICAÇÕESProfessores André e Biu 51 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  52. 52. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.2CONTAS Representam os registros de débito ecrédito da mesma natureza ou espécieidentificadas por um título que qualifica oselementos do patrimônio (bem, direito,obrigação ou situação líquida) ou umavariação patrimonial (receitas e despesas).3.2.1 Elementos da Conta São seis os elementos de uma conta: Título – é o nome da conta. Data – marcação do tempo do fato (dia,mês e ano). Histórico – é a narração do fato ocorrido. Débito – estado de dívida da conta Crédito – estado haver da conta Saldo – é a diferença entre o débito e ocrédito. Pode ser:Professores André e Biu 52 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  53. 53. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Devedor – quando débito maior quecrédito. Credor – quando débito menor quecrédito. Nulo – quando débito igual a crédito.3.2.2 Função das Contas Representar graficamente o Patrimônio esuas variações. A representação é feitaatravés dos chamados Razonetes ouContas em forma de T, conforme abaixodemonstrado. NOME DA CONTA VALORES VALORES ESCRITURADO ESCRITURADO S A DÉBITO S A CRÉDITO SALDO SALDO DEVEDOR CREDORProfessores André e Biu 53 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  54. 54. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.2.3 Termos Técnicos das Contas São diversos os termos técnicosutilizados no uso das contas, entre os quaispodemos citar: 1. Título da conta - é a denominação daconta. É o nome da conta. 2. Abrir uma conta - significa iniciar asua escrituração. 3. Debitar uma conta - significa registrardeterminado valor em seu débito. 4. Creditar uma conta - significaregistrar determinado valor em seu crédito. 5. Conferir ou verificar uma conta -significa examinar a sua exatidão. 6.Tirar o saldo de uma conta ou balancear - é a diferença entre a soma do débito e a do crédito; se o débito forProfessores André e Biu 54 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  55. 55. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS maior, o saldo será devedor. Se o crédito for maior, o saldo será credor. 7. Reabrir uma conta - significa reiniciar a sua escrituração quando ela se acha encerrada, por não apresentar saldo. 8.Transferir uma conta - significa levar o seu saldo a débito ou a crédito de outra conta.3.3 TEORIA DAS CONTAS3.3.1 Teoria Personalista Nesta teoria cada conta assume o papelde uma PESSOA no seu relacionamentocom a empresa ou entidade. Assim, Caixa,Bancos, Duplicatas a Receber,Fornecedores, Capital, Receitas eDespesas, representam pessoas com asquais a entidade mantém relacionamentode débito e crédito.Professores André e Biu 55 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  56. 56. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Assim, podemos concluir que asobrigações (PE) e o Patrimônio Líquido(PL) são pessoas credoras (representamaquelas pessoas que têm a receber dasociedade), enquanto que os bens edireitos são pessoas devedoras em relaçãoà sociedade. Classificação – nesta teoria as contaspodem ser: Agentes Consignatórios – valoresmateriais e imateriais (são os bens dasociedade) Agentes Correspondentes –representam os direitos e obrigações Proprietário – são as contas do PL esuas variações inclusive receitas edespesas.3.3.2 Teoria PatrimonialistaProfessores André e Biu 56 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  57. 57. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Esta teoria entende que o patrimônio é oobjeto a ser administrado; desta forma, estateoria separa as contas que representam asituação estática (patrimônio ou A = PE +PL) das contas que representam adinâmica da situação (receitas e despesas): Contas Patrimoniais – representam asituação estática, ou seja, o Patrimônio (oselementos ativos e passivos), que são osbens, direitos, obrigações com terceiros(PE) e o Patrimônio Líquido (PL). Contas de Resultado – representam asituação dinâmica, as variaçõespatrimoniais, ou seja, as contas que alteramo Patrimônio Líquido (PL), receitas edespesas e demonstram o resultado doexercício.3.4DÉBITO, CRÉDITO E SALDO Débito de uma conta – situação de dívidade responsabilidade da conta. As contasProfessores André e Biu 57 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  58. 58. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSque representam: bens, direitos,despesas e custos têm saldo devedor. Crédito de uma conta – situação dedireito de haver da conta. As contas querepresentam: obrigações (PE), PatrimônioLíquido (PL) e receitas, têm saldo credor. Saldo de uma conta - representa adiferença entre o valor do débito e docrédito. Os saldo podem ser: devedor,credor ou nulo. a. Devedor - quando o valor do débitofor superior ao do crédito (D > C); b. Credor - quando o valor do créditofor superior ao do débito (D < C); c. Nulo - quando o valor do débito forigual ao do crédito (D = C).Professores André e Biu 58 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  59. 59. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.5LANÇAMENTO CONTÁBIL –MECANISMO DO DÉBITO E DO CRÉDITO Lançamento é o registro dos fatoscontábeis (aqueles que provocammudanças na composição do patrimônio daentidade), efetuados de acordo com ométodo das partidas dobradas. É feito emordem cronológica e obedecendo adeterminada técnica. O lançamento é feito nas contasPatrimoniais, pertencentes ao grupo doATIVO, PASSIVO EXIGÍVEL ePATRIMÔNIO LÍQUIDO, e nas contas deResultado, representadas pelasRECEITAS, e DESPESAS. As contas de ATIVO, por terem saldodevedor, são aumentadas de valor porDÉBITO e diminuídas por CRÉDITO. As contas de PASSIVO EXIGÍVEL e dePATRIMÔNIO LÍQUIDO, por apresentaremProfessores André e Biu 59 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  60. 60. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSsaldo credor, são aumentadas de valor porCRÉDITO e diminuídas por DÉBITO. As contas relativas às RECEITAS eDESPESAS, por afetarem diretamente oPL, são, respectivamente, CREDITADAS(porque aumentam o PL) e DEBITADAS(porque diminuem o PL).Professores André e Biu 60 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  61. 61. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS NaturezaPara o Saldo Das Contas Do Au Dim Sal me inui do nta r r Ativo = D D C Bens e Direitos Passivo = C C D Obrigações Patrimônio C C D Líquido Receitas C C D Despesas e D D C Custos Contas C C D Retificadora s do Ativo Contas D D C Retificadora s do PassivoProfessores André e Biu 61 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  62. 62. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.5.1 Passos para se Efetuar umLançamento. Dado um fato contábil, devemos seguiralguns passos para efetuar seu devidolançamento. Exemplo: Compra de um veículo à vistaem dinheiro no valor total de $ 1.000,00 1o passo – identificar as contasenvolvidas no fato; Caixa (valor em dinheiro) Veículo (bem) 2o passo – identificar a natureza das contas, ou seja, a que grupos pertencem: Ativo (A); Passivo (PE); Patrimônio Líquido (PL); Receitas (R); ou Despesas (D).Professores André e Biu 62 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  63. 63. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Caixa – conta do Ativo (A) Veículo – conta do Ativo (A) 3o passo – identificar o que o fato provoca sobre o saldo das contas, ou seja, se o saldo aumentará ou diminuirá; no caso: Caixa (A) o saldo diminuirá (-); Veículos (A) o saldo aumentará (+); 4o passo – efetuar o lançamento contábil segundo o método das partidas dobradas, com a utilização do quadro- resumo do mecanismo do débito e crédito, da seguinte forma: DÉBITO = APLICAÇÃO DE RECURSO; CRÉDITO = ORIGEM DO RECURSOProfessores André e Biu 63 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  64. 64. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.5.2 Funções do Lançamento Ao conjunto de lançamentos denomina-se ESCRITURAÇÂO. O lançamento é poisuma parcela da Escrituração, e, asemelhança desta apresenta duas funções:3.5.2.1 Função Histórica Consiste em narrar o fato contábil emordem cronológica.3.5.2.2 Função Monetária Compreende o registro da expressãomonetária dos fatos e seu agrupamentosegundo a natureza de cada um.3.5.2.3 Elementos São 5 (cinco) os elementos de umlançamento:Professores André e Biu 64 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  65. 65. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS 1. Local e data – local da empresa edia, mês e ano da ocorrência do registro. 2. Conta devedora – é a contadebitada. Vem sempre em primeiro lugar. 3. Conta credora – é a conta creditada,que vem acompanhada da preposiçãoacidental “a”. 4. Histórico – é a narração do fato ocorrido, a qual deve ser resumida, mas exprimindo bem a operação. Não existe uniformidade de histórico, todavia, a praxe contábil é de que se lhe inicie com uma das seguintes expressões: a. Pago – quando a conta credora for “Caixa” b. Recebido – quando a conta devedora for “Caixa” c. Valor ou Importe – quando o lançamento não envolver a contaProfessores André e Biu 65 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  66. 66. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Caixa. É o denominado LANÇAMENTO EXTRA-CAIXA. 5. Importância ou quantia – é o valor das operações expresso em unidades monetárias.3.6FÓRMULAS DE LANÇAMENTO3.6.1 Conceito Fórmula é a maneira pela qual se faz oregistro das operações mercantis pelométodo das partidas dobradas no livroDiário.3.6.2 Espécies São 4 (quatro) as fórmulas delançamento:Professores André e Biu 66 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  67. 67. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Primeira fórmula: uma conta devedoracontra uma conta credora. Segunda Fórmula: uma conta devedoracontra várias credoras. Terceira Fórmula: aparecem vária contasdebitadas e apenas uma conta creditada. Quarta Fórmula: aparecem várias contas debitadas e várias contas creditadas. Esta fórmula de lançamento é pouco usada, tendo caído praticamente em desuso.Obs.: A primeira FÓRMULA é também chamada de FÓRMULA SIMPLES. A segunda e a terceira são FÓRMULAS COMPOSTAS e a quarta é denominada de FÓRMULA COMPLEXA.Professores André e Biu 67 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  68. 68. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.7ERROS DE ESCRITURAÇÃO ETÉCNICAS DE CORREÇÃO DE ERROS O processo técnico de correção de errosde escrituração é denominado deretificação de lançamento. São formas deretificação: –Estorno: consiste em efetuar um lançamento inverso àquele feito erroneamente, anulando-o totalmente ou parcialmente; –Transferência: é o lançamento que promove a regularização da conta indevidamente debitada ou creditada, através da transposição do valor para a conta adequada; –Complementação: é utilizado para complementar um lançamento feito com valor a menor;Professores André e Biu 68 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  69. 69. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS –Ressalva: consiste no lançamento de correção usando-se as expressões “digo, aliás, em tempo, ou melhor, isto é, etc.”3.7.1 Erro: – Valor lançado a maior/CORREÇÃO – lançamento inverso estornando a diferença.3.7.2 Erro: – Valor lançado a menor/CORREÇÂO – lançamento complementar.3.7.3 Erro: – Inversão de contas/CORREÇÃO – dois lançamentos; o 1o para cancelar o lançamento errado, e o 2o para efetuar o lançamento correto.3.7.4 Erro: – Troca decontas/CORREÇÃO – Lançamento deacerto.Professores André e Biu 69 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  70. 70. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS3.7.5 Erro: – Erro no histórico/CORREÇÃO – Quando o erro é descoberto a tempo, usa-se uma palavra apropriada para a ressalva.3.7.6 Erro: – Omissão de Lançamento/CORREÇÃO – Fazer o lançamento, o mais rápido possível mencionando no histórico a data em que o fato ocorreu.3.7.7 Erro: – Duplicidade delançamento/CORREÇÃO - Estorno doúltimo lançamento efetuado.3.8 ENCERRAMENTO DAS CONTASDE RECEITA E DESPESA As contas de receita e despesa sãocontas temporárias, pois são encerradas afim de se apurar o resultado do exercício. Olucro ou prejuízo de um exercício édeterminado através do confronto dascontas de receita e despesa, e esseProfessores André e Biu 70 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  71. 71. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSresultado líquido é apurado na contadenominada de Apuração do Resultado doExercício (ARE).3.8.1 Transferência dos Saldos das Contas de Resultado para a Conta de Apuração do Resultado do Exercício (ARE). As contas de receita por possuírem saldocredor, serão encerradas debitando-se arespectiva conta pelo valor do saldo(portanto, tornando-se o saldo nulo,“encerrando-se” a conta) e creditando-se aconta ARE. Receitas de ARE Aluguel (1) 20. 20. 20.00 000,0 000,00 0,00 0 (1)Professores André e Biu 71 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  72. 72. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS As contas de despesa, por apresentaremsaldo devedor, serão encerradascreditando-se a conta respectiva edebitando-se a conta ARE pelo valor do seusaldo. Despesas ARE de Juros 12 12.0 (2) 20. .000,0 00,00 12.00 000,00 0 (2) 0,00 (1) 8.0 00,00 (S)3.8.2 Transferência do Saldo da Conta ARE para a Conta Patrimonial “Lucros Ou Prejuízos Acumulados” A conta ARE, por sua vez, seráencerrada contra uma conta denominadaProfessores André e Biu 72 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  73. 73. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSLucros ou Prejuízos Acumulados que éuma conta patrimonial onde ficaacumulado o resultado do exercício. 1o saldo credor da conta ARE ARE Lucros ou Prejuízos Acumulados 12. 20.0 8. 000,0 00,00 000,00 0 (1) (1) 8.0 8.000, 00,00 00 (S) 2o saldo devedor da conta ARE ARE Lucros ou Prejuízos Acumulados 15. 10.0 (2) 000,0 00,00 5.000, 0 00Professores André e Biu 73 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  74. 74. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS (S) 5.0 5.000, 00,00 00 (2)3.9BALANCETE DE VERIFICAÇÃO3.9.1 Conceito É o demonstrativo que relaciona cadaconta com o respectivo saldo devedor oucredor, de tal forma que se os lançamentosforam corretamente efetuados, de acordocom o Método das Partidas Dobradas, ototal da coluna dos saldos devedores éigual ao total da coluna dos saldoscredores.3.9.2 Objetivo Testar se o método das partidasdobradas foi respeitado, evidenciando ascontas de acordo com seus respectivosProfessores André e Biu 74 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  75. 75. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSsaldos e verificando a igualdade entre asoma dos saldos devedores e credores. Balancete de Verificação em ___/___/___ Saldos Contas Deve Credo dores res TOTAISProfessores André e Biu 75 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  76. 76. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 76 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  77. 77. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 77 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  78. 78. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS001. O lançamento Diversos a Bancos conta Movimento a. É de segunda fórmula e pode corresponder a aviso de débito do banco e a cheques emitidos pela empresa b. É de segunda fórmula e pode corresponder a depósitos bancários pela empresa c. É de terceira fórmula e pode corresponder a juros debitados pelo banco e a cheques emitidos pela empresa d. É de terceira fórmula e pode corresponder a aviso de crédito doProfessores André e Biu 78 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  79. 79. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS banco e a depósitos efetuados pela empresa e. É de terceira fórmula e pode corresponder a aviso de crédito do banco e a depósitos efetuados pela empresa002. Certa empresa adquiriu uma máquina por 40.000. Pagou em moeda corrente 50% da compra, com 5% de desconto e aceitou uma duplicata pela dívida dos outros 50%. Com esta operação, pode- se afirmar que o Ativo da empresa: a. aumentou em 40.000 d.diminuiu em 21.000 b. diminuiu em 19.000 e. aumentou em 21.000 c. 19.000 aumentou em003. A microempresa Rio, noformado de um patrimônio dia 10 — maio, tinha 15.000, Fornecedores de Caixa — 12.000, Clientes — 4.000 e MercadoriasProfessores André e Biu 79 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  80. 80. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS — 6.000. Nooperaçãode seu patrimônio apenas uma dia 11 Caixa — realizou e maio, 11.000, passou a constar deClientes — 4.000 e Fornecedores -9.000, Mercadorias — 6.000. Comparando-se afirmar que a nas duas datas, pode-se o patrimônio operação realizada foi: a. O pagamento de dívidas no valor de 4.000 recebimento de direitos no valor de b. O com desconto de 1.000 4.000,pagamento de dívidas no valor de c. O com encargos de 1.000 3.000,recebimento de direitos no valor de d. O com encargos de 1.000 3.000,pagamento de dívidas no valor de e. O com descontos de 1.000 4.000,004. (MPU-ESAF-1 993) Diversos a Caixa Móveis e Utensílios 11.100 Veículos 677.300 Terrenos 211.600 900.000acima, apresentadocontábil do simplificada, Após o registro de forma lançamentoo montante: a. Do Ativo Circulante diminuiu b. Do Ativo Diferido aumentou c. Do Ativo Permanente diminuiuPatrimônio aumentoude Financiamento do d. Das Fontesinalterado Ativo Imobilizado permaneceu e. Do005. (MPU-ESAF-1993)Professores André e Biu 80 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  81. 81. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS A obtenção de um empréstimo bancário com pagamento antecipado dos encargos financeiros é um contábil que implica: a. Aumento do e ativo, aumento do patrimônio líquido aumento do passivo b. Redução ativo e patrimônio passivo aumento do do aumento do líquido, exigível c. Aumento do ativo,diminuição do redução do passivo exigível e patrimônio líquido patrimônio líquido, d. Aumento do passivo exigível e diminuição ativodo aumento do do passivo exigível, redução e. Aumento do patrimônio líquido e diminuição do ativo006. (MPU-ESAF-1993) duplicata registrada nodesconto, de uma O pagamento, com Passivo: a. Altera, para menos, a situação líquida negativa b. Altera, para mais, a situação líquida c.negativa Altera, para menos, a situação líquida positiva d. Não altera a situação líquida positiva e. Não altera a situação líquida negativa007.recebeu lançamento relativos: (MPU-ESAF-1993) A conta Caixa 1. 2. Vendas a vista 250 Pagamentos de salários 3.80 4.fornecedores Pagamento 160 Recebimento a de 5.duplicatas 400 Depósitos bancários 500 Sabendo-se que o saldo inicial era de:50, pode-se afirmar que falta registro de a. Vendas a prazoe vendas d. Compras de 40 b. prazo de 100Vendas a vista de 100 aProfessores André e Biu 81 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  82. 82. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS e. incorridas de 40 Despesas gerais c.de 40 Compras a prazo008.Lançamento (31 de (AFTN-ESAF-1989) dezembro do ano 8): 1.Operacionais Despesas Não a Móveis e Utensílios 3.000 2.Acumulada de Móveis e Utensílios Depreciação 2.400 3. Receitas Não Operacionais a Caixa 3.000 4. Fornecedores a Móveis e Utensílios 2.400 Da análise conjunta termos de grupo dos lançamentos acima concluí-se, em Patrimonial, que: de contas do BalançoLíquido Ativo Circulante O2.400 a. eo diminuiu Patrimônio diminuiu 3.000 b.Líquido diminuiu O2.400 Patrimônio e o Ativo Permanente aumentou em igual valorPermanente diminuiu O Ativo c. 600 e o Patrimônio Líquido aumentou 5.400Permanente diminuiu O Ativo d. 600 e o Patrimônio Líquido aumentou 2.400Permanente aumentou O1.800 e. Ativo e o Patrimônio Líquido aumentou 2.400Professores André e Biu 82 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  83. 83. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS009. 13 de julho do ano 4.Recife, (TTN-ESAF-1994) D – Duplicatas a Pagar Valor substituída poro uma nota Setex S.A., da duplicata n 73/94 da promissória vencível em 13 de setembroao ano 4. 700 D – sobre o valor da duplicata 73/94 da 4% Juros Passivos Setex S.A., substituída por 13 de nota promissória vencível em 28 setembro ao ano 4. C – Notas Promissórias a Pagar Nosso aceite de nota promissória emfavor da Setex S.A., vencível _ 728 em 13 de setembro do ano 4, emitida emsubstituição à duplicata n2 728 728 73, vencida hoje, mais juros de 2% ao mês.Obs.: A situação líquida continuou, após o efetuou o lançamento da O lançamento empresa que mesmo, transcrito (feito no livro Diário): contábil positiva.situação de segunda método e aumentou a a. É líquida b. Observou o fórmula das partidasdobradas e aumentou a situação líquidasimples, a função método das a partidas c. Observou o histórica emonetária segunda fórmula e reduziu a função d. É desituação líquida e. É de terceira fórmula e reduziu asituação líquidaProfessores André e Biu 83 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  84. 84. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS010. (TTN-ESAF-1994) O pagamento de2,salários do mês em feito em cheque, de dezembro do ano ano 3, foi registrado 05 de janeiro do mediante social: seguinte (exercício o dezembro): lançamento 01 de janeiro a 31 de a. Salários Despesas a Pagar d. Salários de a Bancos Salários a Despesas de b.Salários a Pagar Bancos e. a Salários a Pagar a Bancos c. Salários Despesas de a Salários a Pagar011. (MPU-ESAF-1993)A aquisição de mercadorias a prazo teve oseguinte registro contábil: Mercadorias 120 a Caixa 120 Na regularização desse registroencontramos o seguinte lançamento: a. Mercadorias 240 a Caixa 240 b. Caixa 120 a Mercadorias 120 c. Caixa 120 a Fornecedores 120Professores André e Biu 84 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  85. 85. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS d. Caixa 240 a Mercadorias 240- e. Fornecedores 120 a Mercadorias 120012. (MPU-ESAF-1993) contábil de um que contém o lançamento Indique o item dos fatos contábeis descritos. 1. Compra de material de consumo, a prazo. 2. Apropriação de consumo de energia elétrica. 3. Pagamento de duplicata com juros de mora. 4. Pagamento de salários do período anterior. a. Salários Despesas d.Duplicatas de a Pagar a Caixa a Caixa b. e. Contas a Pagar Despesas a Gerais Caixa a a Salários Pagar c.a Receitas de JurosCaixa013. equipamento para uso da compra de (ESAF) A própria empresa,e pagando-se uma entrada pelo dinheiro aceitando-se duplicatas em valor restante, será contabilizada através de um único lançamento de: a.d. Segundafórmula Terceira fórmula b.e. Primeira fórmula Quarta fórmula c. Fórmula simples014. ABC foi na forma de obteve: A 300 dos registrada e capital; 500firma (ESAF) sócios, deProfessores André e Biu 85 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  86. 86. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS terceiros, na forma de na forma de empréstimos, e 150 de terceiros, esses recursos, rendimentos. Aplicoupara revender; 180 sendo: 450 em benspoupança; 240 em em cadernetaconcedidos; e o restante de empréstimos Com essa gestão, pode- em afirmar que a empresa ainda tem um se despesas. e um patrimônio Iíquido, patrimônio bruto de: respectivamente, a. 500 e 870 e 570 d. 950 b. 650 e 690 e 570 e. 950 c. 630 e 330015. (AFTN-ESAF-1994) o Balanço em 1 4 junho do ano de Mercador 10 Capital ias 20 Caixa 15 Contas a 5 Pagar 25 30 de junho do Balanço em 25 ano 4 Mercador 10 Capital 10 ias Caixa 5 Contas a 5 15 Pagar 15 Obs.: Não leve em consideração a do poder monetáriada moeda. à perda correção aquisitivo referente Considerando único fato contábil, a ocorreu um que, no período, alteração por: justificada dos valores pode ser a. Alteração pelacomposição do quadro social, na transferência de participação entre os sócios b. c.Venda de mercadorias com prejuízoProfessores André e Biu 86 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  87. 87. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Compra e venda de mercadorias com lucro d. Venda de mercadorias com lucro e. Retirada de sócio, sem transferência da participação016. (TTN-ESAF-1992) Ativo An An o1 o2 Caixa 70 7.4 0 00 Bancos 1.6 1.6 00 00 Duplicata 4.4 2.0 s Receber a 5.3 00 00 Veículos 00 — 12. 000 00 11. 0 Passivo o 1 o 2 An An Forneced 1.6 600 ores Patrimôni 00 o Líquido 10. 10. Capital 00 000 0 Reservas 40 400 0 11. 12. 000 000 Considerando os dados acima, pode-se afirmar que nototalidade das operações realizadas a compreenderam: período a. Recebimento de Duplicatas a Receber no montante de Pagar no pagamento de Duplicatas a 1.000 eProfessores André e Biu 87 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  88. 88. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS valor de 2.400recebimento de duplicatas por valor de b. Venda de veículo no 5.300 e2.400 c.Receber no valor de 2.400; pagamento Recebimento de Duplicatas a a Fornecedores por 6.000 de 1.000 e venda de veículo no valor d. Venda a Fornecedorespor valor de pagamento de veículo Duplicatas a no 5.300; 1.000 e no valor de 2.400 Receber recebimento de e. Venda de Duplicatas a por 6.000; pagamento 1.000veículos Receber no de valor de Fornecedores no valor recebimento de e de 2.400017. (AFTN-ESAF-1 994) Lançamento (sócontas e valores) 1.Vendas Comissões sobre a Bancos Conta Movimento 500 2.Movimento Bancos Conta a Duplicatas a Receber 800 3. BancosMovimento de Aluguéis de EquipamentoConta a Receita 60 4. Bancos Conta Movimento Fiscais a Obrigações 200 5. Bancos ContaMovimento de Comércio Adquirido 5.000 a Fundo Estes simplificada, não se referem de forma lançamentos, apresentados a estornos, retificações, transferências, complementações ou venda de direitos. Assim sendo, está errado, em função da natureza e o finalidade das contas envolvidas, numero: registro contábil de a. b. 1 d. 4 2 e. 5 c. 3Professores André e Biu 88 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  89. 89. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 89 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  90. 90. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS4.1CONCEITO São todas as alterações sofridas pelopatrimônio na sua composição qualitativa e/ou quantitativa em virtudes de atospraticados pela administração, ou fatosvinculados às atividades da entidade ou,ainda, resultantes de fatos totalmenteimprevistos ou fortuitos.Professores André e Biu 90 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  91. 91. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS4.2CONCEITOS COMPLEMENTARES4.2.1 Ato Administrativo Ação praticada pela administração quenão provoca (podendo vir a provocar)alteração qualitativa e/ou quantitativa nopatrimônio da entidade, portanto, nãointeressa à contabilidade. Exemplo: avalizar uma compra, ATOADMINISTRATIVO, não altera oPatrimônio.4.2.2 Fato Administrativo Ação praticada pela administração queprovoca alteração qualitativa e/ouquantitativa no patrimônio da entidade,portanto interessa à contabilidade. Exemplo: pagar o aval de uma compra,FATO ADMINISTRATIVO = FATOProfessores André e Biu 91 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  92. 92. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSCONTABIL, ALTERA O PATRIMÔNIO.4.3 Variações Patrimoniais Conforme vimos, são as alteraçõessofridas pelo patrimônio, decorrentes ounão da administração, podendo ser:4.3.1 Fatos Contábeis São as ocorrências havidas nopatrimônio, trazendo-lhe variaçõesqualitativas e/ou quantitativas. Quasesempre (e não obrigatoriamente) provêm deuma ação da gestão. OBSERVAÇÃO: – Gestão: é o conjunto de operações que ocorrem durante a vida das empresas, com as quais as mesmas buscam atingir os objetivos visados, sejam estas operações identificadas como fatos contábeis ou meramente atos administrativos – Todo fato administrativo é um fato contábil – Nem todo fato contábil é um fato administrativoProfessores André e Biu 92 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  93. 93. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS4.3.2 Superveniências e insubsistências São as ocorrências havidas nopatrimônio, trazendo-lhes variaçõesquantitativas, e que independem dos atosda gestão, tais variações patrimoniais sãoresultantes de fatos contingentes, impre-vistos ou fortuitos.4.4 CLASSIFICAÇÃO DOS FATOSCONTÁBEIS4.4.1 Fato contábil permutativo (oucompensativo) São os que não provocam alterações novalor do Patrimônio Líquido (PL) ou naProfessores André e Biu 93 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  94. 94. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSSituação Líquida (SL), mas podemmodificar a composi9ão dos demaiselementos patrimoniais, determinam umavariação específica do patrimônio(VARIAÇAO PATRIMONIALQUALITATIVA).4.4.2 Fato contábil modificativo São os que provocam alterações novalor do Patrimônio Líquido (PL) ouSituação Líquida (SL), determinando umavariação quantitativa do patrimônio(VARIAÇÃO PATRIMONIALQUANTITATIVA). Pode ser: diminutivo aumentativo.4.4.3 Fato contábil misto (ou composto) São os que combinam fatos permutativoscom fatos modificativos, determinandovariação qualitativa e quantitativa doProfessores André e Biu 94 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  95. 95. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSpatrimônio, ou VARIAÇÃO PATRIMONIALMISTA.4.5. SUPERVENIÊNCIA EINSUBSISTÊNCIA4.5.1 Conceito Eventuais alterações positivas ounegativas da Situação Líquida,independentes de intervenção da gestão.4.5.1.1 Superveniência Provocam aumento e pode ser: a. SUPERVENIÊNCIA ATIVA Aumento do ativo (variação patrimonialativa).Professores André e Biu 95 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  96. 96. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Ex: Recebimento de valoresprovenientes de prêmios, loterias, herançaou legado doação. b. SUPERVENIENCIA PASSIVA Aumento do passivo (variaçãopatrimônio passiva) Ex: Reconhecimento de dívidas anteriormente não registradas no passivo, provenientes de decisão judicial ou de outros casos fortuitos.4.5.1.2 Insubsistência Provocam diminuição e pode ser: a.INSUBSISTÊNCIA DO ATIVO – diminui o ativo (variação patrimonial passiva)Professores André e Biu 96 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  97. 97. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Ex: Ocorrência de incêndio, furto,perda de rebanho por morte. b. INSUBSISTËNCIA DO PASSIVO –diminui o passivo (variação patrimonialativa). Ex: Redução no valor das obrigações por motivo de prescrição ou baixa da dívida correspondente4.5.2 Efeitos no Patrimônio Líquido4.5.2.1 Superveniência ativa – Aumenta o patrimônio líquido (receita).4.5.2.2 Superveniência passiva – Diminui o patrimônio líquido (despesa).Professores André e Biu 97 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  98. 98. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS4.5.2.3 Insubsistência do ativo – Diminui o patrimônio líquido (despesa). Também denominada de lnsubsistência Passiva.4.5.2.4 Insubsistência do passivo – Aumenta o patrimônio líquido (receita). Também denominada de Insubsistência Ativa.Professores André e Biu 98 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  99. 99. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOSProfessores André e Biu 99 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  100. 100. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS001. (ESAF-MPU/93) O pagamento, comdesconto, de uma duplicata registrada noPassivo: a. Altera, para menos, a situaçãolíquida negativa b. Altera, para mais, a situação líquidanegativa c. Altera, pare menos, a situaçãolíquida positiva d. Não altera a situação líquida positiva e. Não altera a situação líquidanegativa002. (MTb/94) A operação que caracterizaum fato contábil permutativo e o(a):Professores André e Biu 100 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  101. 101. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS a. Execução de serviços a terceirospara pagamento a prazo b. Recebimento de doação, por umaempresa estatal c. Aumento de capital com a utilizaçãode lucros acumulados e de reservas legais d. Apuração do resultado de correçãomonetária de Ativo Permanente doPatrimônio Liquido e. Aumento de capital com novasubscrição dos sócios003. (ESAF) O Lançamento Contábil: Contas a Receber a Receita de Jurosoperaçãopara registrar corretamente uma Serve que:porqueAfeta afeta a situação liquida da a. ha apropriação de novas receitas a situação liquida da empresa, b. Não porque não ha o efetivo empresa, c.recebimento dos juros d. Afeta a situação líquidada empresa, Não o fato o patrimônio da empresa porque afeta e apenas permutativo e. Afeta o aumento doda empresa, e porque ha patrimônio valor do Ativo do Passivo004. (ESAF-AFC/93) Em Santa Clara S.A. do ano 2, a Comercial 30 de dezembroProfessores André e Biu 101 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  102. 102. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS pagou a a uma duplicata $ 3.000.000 referente quantia vencimento em igual de (emitida por fornecedor) com data. A operação realizada: a. Aumentou o ativo e diminuiu o passivo b. Diminuiu o ativo e diminuiudiminuiu o c. Aumentou o passivo e o passivo ativo d. Aumentou o ativo e aumentou o passivo e. Diminuiu o ativo e diminuiu o disponível005. (ESAF) Ouma obrigação contraída cheque, de depagamento, através de pela fato administrativo que a afeta é um compra forma seguinte: mercadorias prazo o patrimônio da a. Aumenta o Ativo e diminui o Passivo e b. Diminui Ativo Patrimônio Líquido aumenta o o o c. Diminui o Passivo e aumenta Ativo d. Aumenta Ativo e diminui o Passivo e. Diminui o Ativo e diminui o Patrimônio Líquido006. (ESAF) A venda à vista, por 2.000,por mercadoria adquiridas a prazo, de 1.600, representa fato: a. Modificativo, quanto o Passivo também o Ativo porque modificou b. Permutativo, porque permutou mercadorias adquiridas a prazo por dinheiro c. Modificativo, porque as mercadorias foram convertidas em dinheiro d. Permutativo, porque da houve diminuição edo saldo Passivo conta Mercadorias aumento do o Ativo e a e.Situação Líquida. modificou Misto, porque007. (ESAF) aO lançamento correspondente onde a empresa mantém um cheque sacado junto ao banco depósito, para suprimento do caixa: a. líquida Altera a situação b. circulante Não altera o ativoProfessores André e Biu 102 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  103. 103. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS c. circulante Altera o ativo d. circulante Reduz o passivo e. Aumenta o ativo realizável a longo prazo008. (ESAF-AFC/92) Numa empresa, o recebimento de juros (sobre adiantamento feito a empregado) sem o recebimento contábil: correspondente e um fato do principal a. b. Misto aumentativo Modificativo aumentativo c. Permutativo d. e. Misto diminutivo Modificativo diminutivo009. (ESAF) Caixa a Juros 100 O lançamento acima, apresentado fato forma sintética, e exemplo de de contábil: a.aumentativo Modificativo b.diminutivo Modificativo c. d. Permutativo ativo Misto ou composto e.Passivo Permutativo009. 20 de dezembro (ESAF-MPU/93) a Em Aérea Aeroporto ano 2bilhete de do o foi pago Cia. passagem deem 10 de do seu do ano 3, ser realizada viagem janeiro diretor, a a serviço.seu exercício social aem 31 de encerrou Considerando registro empresa que dezembro do da passagem, no contábil da aquisição ano 2, o exercício: referido a. Patrimônio Líquido Reduziu Patrimônio o b. Liquido Elevou o c. Patrimônio Liquido Não afetou o d. Elevou o PassivoProfessores André e Biu 103 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  104. 104. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS e. Reduziu o Passivo5.1 CONCEITO Normas que orientam o controle e o registro dos fatos patrimoniais.5.2 ESPÉCIES5.2.1 Regime de CaixaProfessores André e Biu 104 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!
  105. 105. CURSO DE CONTABILIDADE GERAL PARA CONCURSOS PÚBLICOS Considere no registro contábil dopagamento ou recebimento no momento desua efetivação, não importando a queperíodo se refere o fato.5.2.2 Regime de Competência Determina que as receitas e as despesasdevem ser incluídas na apuração doresultado do período em que ocorrerem,sempre simultaneamente quando secorrelacionarem, independentemente derecebimento ou pagamento.5.2.3 Regime Misto Consiste no registro das despesasquando incorridas independentemente deestarem pagas ou não, e o registro dasreceitas somente quando efetivamenterecebidas.5.3 ADOÇÃO DO REGIME DECOMPETÊNCIAProfessores André e Biu 105 Sê Tu, ó Deus, a nossa fortaleza!

×