Your SlideShare is downloading. ×
Estrutura Forma Relevo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Estrutura Forma Relevo

41,873
views

Published on


0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
41,873
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
665
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Estrutura e Formas do Relevo PROF.: ANTÔNIO CARLOS DA SILVA SOUZA
  • 2.
    • A crosta é formada por rochas que podem estar cobertas por um manto de material inconsolidado. Esse manto é chamado de regolito ou solo ;
    • O manto de solo é produto da ação do clima (umidade, temperatura, gelo, etc.) e de organismos (raízes, bactérias, etc.) sobre a rocha ;
    • Esse conjunto de processos é o i ntemperismo ;
    • Processos intempéricos que produzem o solo são chamados de pedogênese.
    INTEMPERISMO
  • 3. INTEMPERISMO
    • Conjunto de processos mecânicos, químicos e biológicos que ocasionam a desintegração e decomposição das rochas, transformando-as em materiais friáveis (solo);
    • Os processos intempéricos atuam através de mecanismos que modificam as propriedades físicas dos minerais e rochas (morfologia, resistência, textura) e suas características químicas (composição e estrutura cristalina).
  • 4. INTEMPERISMO
  • 5. EROSÃO
    • Remoção física dos materiais pelos agentes de transporte (água, vento, gelo ou gravidade)
  • 6. Tipos de Intemperismo
    • Intemperismo químico: climas quentes e úmidos; decomposição - água (oxidação, redução, dissolução, hidratação, hidrólise, carbonatação);
    • Intemperismo físico: climas quentes e seos ou frios e secos; desintegração – temperatura, pressão ;
    • Intemperismo biológico: vegetação (processo misto).
  • 7. Intemperismo Químico
    • Ocorre quando a água transforma a composição mineral das rochas. Tais transformações ocorrem com intensidade variável, pois depende do grau de temperatura e umidade do local.
  • 8.
    • Oxidação: Ocorre quando o oxigênio dissolvido na água combina com um elemento. Como exemplo, a oxidação da pirita (FeS2) se dá da seguinte forma:
    • Redução: Reação contrária, onde o oxigênio é liberado de seus compostos. Como exemplo a fotossíntese, onde as plantas subdividem o CO2 atmosférico e utilizam o carbono;
    • Dissolução: alteração química da água em função da concentração de íon H+, expressa como pH. Como exemplo, dissolução do calcário:
  • 9.
    • Hidratação: adição de água em um mineral e sua adsorção dentro de retículo cristalino, transformando-se física e quimicamente. Como exemplo, a mudança da anidrita em gipso:
    • Hidrólise: reação química entre o mineral e a água, ou seja, entre íons H+ e OH-. Como exemplo, tem-se a seguinte reação de um feldspato alcalino (ortoclásio) em caulinita:
    • Carbonatação: gás carbônico dissolvido na água dá origem a solução ácida, denominada de ácido carbônico (H2CO3), que reage com minerais carbonatados. Como exemplo, formação do bicarbonato de cálcio, solúvel em água, a partir da calcita:
  • 10. O mais famoso é o Grand Canyon, (29 km largura, 446 km de extensão) localizado nos EUA.
  • 11. No Brasil, o maior e mais conhecido é chamado Itaimbezinho, na Serra Gaúcha (6 km de extensão e 2 km de largura).
  • 12. Intemperismo Físico
    • O intemperismo físico ou mecânico, ocorre onde existem variações de temperatura, cristalização de minérios, solidificação das águas e atividades de seres vivos.
  • 13. Ação da água A água em estado líquido infiltra nas microfraturas da rocha ficando acumulada no interior e na superfície. Redução da temperatura promove a solidificação da água que aumenta de volume, aumentando a tensão interior na rocha.
  • 14. Ação do Gelo
  • 15. Intemperismo Biológico
    • Caracterizado por efeitos físicos e químicos associados a animais e plantas;
    • Destaca-se o atrito produzido pela penetração de organismos, como a passagem de partículas de solo através do trato de vermes, associado à penetração de raízes, ou pela compactação promovida por animais na superfície .
  • 16.  
  • 17. Agentes do Relevo
    • Endógenos (construtores do relevo): vulcanismo, sismos e tectonismo;
    • Exógenos (esculturadores do relevo): intemperismo, vento, rio, mar.
  • 18. Relevo Brasileiro
    • Planaltos: superfícies relativamente planas, altitudes variáveis, onde o processo de erosão se sobrepõe ao processo de deposição de sedimentos;
    • Planícies: superfícies aplainadas, altitudes variáveis, onde os processos de sedimentação se sobrepõem aos de erosão;
    • Depressões: formas de relevo mais baixas do que as regiões vizinhas. Podem ser absolutas (abaixo do nível do mar), ou relativas (acima do nível do mar).
  • 19. Relevo – Aroldo de Azevedo
  • 20. Ab’Saber – Domínios Morfoclimáticos
  • 21. Relevo – Jurandir Ross
  • 22. Relevo Brasileiro
    • Chapadas - forma planáltica de superfície tabular e encostas de declive acentuado (acima 600 m);
    • Cuestas - relevo dissimétrico formado por diferentes camadas de rochas (basalto sobre arenito) com parte frontal (front) côncava e inclinada e parte posterior (reverso) de declive suave;
    • Pediplanos - superfícies muito aplainadas e erodidas típicas de regiões com clima de reduzida umidade;
    • Inselbergs - formas residuais que se destacam em meio aos pediplanos do sertão e que resistiram à erosão devido à composição de suas rochas;
    • Montanhas - elevações do relevo (acima de 300 m) resultantes de movimentos tectônicos. Agrupamento de montanhas constitui uma serra.
  • 23. Chapada
  • 24. Cuesta
  • 25. Pediplano e Inselbergs
  • 26. Relevo Submarino
  • 27. Relevo Brasileiro
    • 64% de rochas sedimentares (podem apresentar ocorrência de combustíveis fósseis);
    • 36% de escudos cristalinos (rochas metamórficas e magmáticas), onde encontramos jazidas de minérios;
    • Encontramos também cuestas, chapadas, escarpas de planalto, inselbergs e pediplanos.
  • 28. Relevo Brasileiro Escudos Cristalinos Bacias Sedimentares
  • 29. Depósitos Minerais
  • 30. Petróleo e Gás Natural