Análise crítica do pcmso aplicado na construção civil
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Análise crítica do pcmso aplicado na construção civil

on

  • 227 views

Gestão de Riscos, Gestão de Segurança, Segurança do Trabalho, OHSAS 18001

Gestão de Riscos, Gestão de Segurança, Segurança do Trabalho, OHSAS 18001

Statistics

Views

Total Views
227
Views on SlideShare
227
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
8
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Análise crítica do pcmso aplicado na construção civil Análise crítica do pcmso aplicado na construção civil Presentation Transcript

    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil José Carlos Dias Carneiro 1 Médico do Trabalho
    • 2 Importância social: geração de emprego + ↓ deficit habitacional Fonte: Construfácil - 2010
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil O que é um canteiro de obras?           Atividade com esforço físico intenso em muitas das funções Localização do canteiro Tipo de obra (residencial, comercial.../ obra viária...) Algumas funções requerem atenção especial: Op. de equipamentos móveis e motoristas Trabalho em altura Trabalho noturno Espaços confinados Tempo e estresse (prazos, tarefas, organização do trabalho/medições) Fenômeno da Terceirização MO, Precarização, ... Avaliação de doenças em tratamento (ou não adequadamente controladas - ex: DIP, HAS, DM, neurológicas...) 3
    • • Agentes Químicos:    Poeiras Produtos de alvenaria Tintas, solventes, Impermeabilizantes • Agentes Físicos:    Ruído Vibração Radiações não-ionizantes • Agentes Biológicos:   Aspectos sociais, Culturais, Perfil de adoecimento Escavação Saneamento • Riscos Ergonômicos:      Posturas Esforço físico intenso Repetitividade Trabalho em turnos e noturno Organização do trabalho (tarefas, produtividade) 4
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil Agentes Químicos    Tintas e solventes – monitorar exposição + funções hepática e renal – TGO/TGP/GGT/Creatinina Situações diversas – Aditivos, resinas, mistura de HPA… (fenol, MEC,…) Aerodispersóides – RX tórax 1987) (OIT, 1980) e espirometria 5 (ATS,
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil Agentes Físicos:  Ruído – Audiometria – Anexo I Qdo. II (Port.19/1998)  Vibração – efeitos cardiovasculares, osteomusculares, audição…  Radiações não-ionizantes – pele, olhos  Calor, frio, umidade 6
    • EFEITOS DA VIBRAÇÃO Efeitos em 3 dimensões (Eixos X, Y e Z) Oscilações verticais (ex: veículos, plataformas de trabalho) - freqüências < 1 Hz - variações de aceleração no aparelho vestibular → náuseas e vômitos - vibrações até ± 100 Hertz - patologias coluna vertebral, do aparelho digestivo, da visão, da função respiratória, da função cardiovascular, além de inibição de reflexos Oscilações de ferramentas motorizadas - lesões vasculares em extremidades (Raynaud) Na Construção Civil - VCI e VL 7
    • CALOR E FRIO A exposição prolongada ao calor excessivo: • irritabilidade, fraqueza, depressão, ansiedade e ↓ concentração • casos mais graves: erupção (vesículas), desidratação, câimbras até síncope e coma. No FRIO – vasoconstricção, mudança da cor da pele, parestesias, dor, anestesia transitória, até o congelamento de tecidos profundos com isquemia persistente, cianose profunda, trombose… 8
    • RADIAÇÕES NÃO-IONIZANTES Radiação Ultravioleta - luz solar, lâmpadas e solda a arco. A RUV da luz solar é essencial para a síntese de vitamina D na pele e em outros aspectos fisiológicos da vida humana. Entretanto, pode ocasionar uma variedade de efeitos patológicos, como queimaduras, mudanças de pigmentação da pele, alterações imunológicas e cancer de pele. - Olhos: queratite e conjuntivite, que aparecem poucas horas após uma exposição excessiva e normalmente regridem em um a dois dias. Entretanto, a exposição prolongada pode contribuir para a formação de cataratas. - Pele: desde eritema até o aumento da incidência de CA. 9
    • Agentes Biológicos: Escavação e Saneamento           Tétano (*) Ascaridíase Ancilostomíase Blastomicose Leishmaniose Histoplasmose Leptospirose Hepatite A e B (*) Malária (*) Doenças transmitidas por animais sinantrópicos em áreas de vivência (*) Vacinação, quimioprofilaxia 10
    • Riscos Ergonômicos: – Levantamento e transporte manual de peso – Posturas inadequadas – Esforço físico intenso – Jornadas prolongadas – Tarefas… – Repetitividade – Trabalho em turnos e noturno 11
    • Espaços Confinados (NR 33) Importante lembrar: 1. 2. 3. Entrada (regras claras de segurança mediante inspeção prévia,…) Permanência (monitoramento contínuo) Plano e Treinamento para Resgate (treinamento e capacitação de equipe de resgate e prontoatendimento) 12
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil I. II. III. IV. V. VI. VII. VIII. Acidentes do Trabalho PAIR Patologias Musculo-esqueléticas Patologias de Pele Patologias Pulmonares Patologias hepáticas Patologias renais DIP, Metabólicas, Cardiovasculares, Neurológicas e outras 13
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil Acidentes do Trabalho  Italia (CENSIS) – 918 mortes AT em 2007 (AT>transito>violência urbana) Alemanha – 678 Espanha – 662 França – 593 No Brasil ~ 3 mil mortes /ano  Brasil:     Construção Civil em 2008 Quantidade total de acidentes: 49.191 Qtd. total com CAT registrada: 37.677 Qtd. total sem CAT registrada: 11.514 14 Fontes: AEPS e CENSIS
    • NOISE-INDUCED HEARING LOSS IN CONSTRUCTION WORKERS ICOH Congress, 2003, Iguassu Falls, Brazil José Carlos Dias Carneiro, MD Luciano de Souza Barros, MD jccarneiro@esame.com.br 15
    • RESULTADOS Os resultados mostraram que dos 4386 trabalhadores da construção civil, avaliados no período de junho de 1998 a dezembro de 2002, 2676 (61,01%) apresentaram audiogramas normais e 1710 (38,99%) alterados. O comprometimento auditivo caracterizou-se como predominantemente bilateral (75,38%) e de grau leve (50,58%). Os trabalhadores foram classificados de acordo com as suas funções. 16
    • Fig. 5 - Percentual de audiometrias alteradas em carpinteiros de acordo com a faixa etária: 90% 81% 72% 63% 54% 45% 36% 27% 18% 9% 0% 20 a 25 anos 26 a 30 anos 31 a 35 anos Alteradas 36 a 40 anos 41 a 45 anos 46 a 50 anos > 50 anos Expon. (Alteradas) 17
    • Patologias Musculo-esqueléticas TRABALHO PESADO Trabalho intermitente de levantar, arrastar pesos (ex: remoção com pá) - 440Kcal/h Trabalho fatigante. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . - 550 Kcal/h        Esforço físico intenso Levantamento e transporte manual de peso Emprego de força Posturas Organização do trabalho Jornadas prolongadas Aspectos socioculturais Patologias de coluna vertebral 18 Patologias osteo-musculo-ligamentares
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil Dermatoses Ocupacionais Quadro clínico, história de exposição ocupacional, concordância entre o início do quadro e o início da exposição, bem como a localização das lesões em áreas de contato com os agentes suspeitos. Melhora com o afastamento e piora com o retorno ao trabalho O cimento, por ser abrasivo, alcalino e altamente higroscópico, pode produzir ulcerações rasas ou profundas. O tempo de contato mais a pressão e atrito exercido pelo calçado e/ou vestuário são fatores importantes no aparecimento destas lesões. 19
    • 20
    • Fonte: Prof. Dr. José Inácio de Oliveira Departº Med Preventiva – FCM - UNICAMP 21
    • Fonte: Prof. Dr. José Inácio de Oliveira Departº Med Preventiva – FCM - UNICAMP 22
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil Patologias Pulmonares Silicose  Na construção civil: - os trabalhadores podem estar expostos a grande quantidade de poeiras finas de sílica em operações como talhar, utilizar marteletes, perfurar, cortar, moer, serrar, movimentar materiais e carga, trabalho de pedreiro, demolição, varredura a seco, acabamentos em mármores e outras pedras. - asbestos, poeiras de madeira,... 23
    • Análise Crítica do PCMSO Aplicado na Construção Civil • Perfil de adoecimento da localidade do CO • Doenças crônico-degenerativas (as doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, cancer e as doenças respiratórias) 24
    • Prevalência de HAS por Faixa Etária: Carneiro e cols, ICOH 2003 70% 60% 58,00% 50% 40% 38,39% 30% 27,80% 20% 10% 14,96% 9,67% 0% Até 30 anos 31 a 40 anos 41 a 50 anos HAS 51 a 60 anos 25 61 a 70 anos
    • O conhecimento científico atual nos autoriza a iniciar prevenção e devem ser enfatizados em jovens. 26
    • Análise Crítica dos PCMSOs na Construção Civil EXAMES OCUPACIONAIS: - História clínica e anamnese ocupacional - Exame Clínico boa qualidade - Os exames são complementares ao exame clínico - Analisar custo/efetividade dos exames 27
    • EXAMES COMPLEMENTARES para Operadores de Máquinas, Altura, Espaços Confinados antes de complementares: um BOM exame clínico, com bom histórico clínico e ocupacional + Acuidade Visual (ideal: só devem ser encaminhados após teste de avaliação psicológica) PRÉ-ADMISSIONAL Audiometria Glicemia de jejum Eletrocardiograma Teste Ergométrico (apenas > 40 anos) Eletroencefalograma (*) Espirometria RX de Tórax PERIÓDICOS - Glicemia e ECG apenas se > 40 anos ou a critério do examinador 28
    • OPERADOR DE MÁQUINAS, ALTURA, ESP. CONFINADOS ( há risco de perda da consciência?) Avaliação Neurológica: Convulsões (epilepsia?) – EEG pode ser normal em + ou - 10% portadores, lembrando que nos Epilépticos o EEG é positivo em 50% e 90% se associado a métodos de ativação (fechamento ocular, fotoestimulação, sono, estímulos sonoros, etc) Avaliação Metabólica: DMNID (apto e controle) DMID (inapto) Etilismo? Avaliação Cardiológica: HAS não controlada Arritmias Cardíacas Doença Coronariana e outras doenças cardíacas 29
    • AÇÕES COMPLEMENTARES DE SAÚDE Deverão ser implementadas em acordo com o PCMAT e seu calendário, observando perfil de saúde, adoecimento e local dos funcionários Programas de Promoção da Saúde e Qualidade de Vida Programas Preventivos Programas de Gestão de Doenças Endêmicas e Crônicodegenerativas Capacitação e Treinamentos diversos 30
    • Capacitação e Treinamento: a) Capacitação continuada em Resgate com simulações (Movimentação de vítima no interior de espaço confinado) b) Adequação de PPR após identificação dos agentes c) Treinamento adequado e continuado em PHTLS, ATLS, BLS e ACLS. 31
    • NR 18-Construção Civil PORTARIA SIT nº 201/2011: 24.01.2011, com a retificação publicada no DOU:31.01.2011 - Altera a NR 18. 18.15.2.7 Nas atividades de montagem e desmontagem de andaimes, deve-se observar que: a) todos os trabalhadores sejam qualificados e recebam treinamento específico para o tipo de andaime em operação; b) é obrigatório o uso de cinto de segurança tipo paraquedista e com duplo talabarte que possua ganchos de abertura mínima de cinquenta milímetros e dupla trava; c) as ferramentas utilizadas devem ser exclusivamente manuais e com amarração que impeça sua queda acidental; e d) os trabalhadores devem portar crachá de identificação e qualificação, do qual conste a data de seu último exame médico ocupacional e treinamento. 32
    • MUITO OBRIGADO ! www.esame.com.br 27 ANOS 33