Introducao ao estudo da anatomia

6,474 views
6,293 views

Published on

Introducao ao estudo da anatomia

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA- UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - ICS DEPARTAMENTO DE BIOMORFOLOGIA DISCIPLINA: ANATOMIA I CURSO: ODONTOLOGIA MONOGRAFIA CHIRLEY MOREIRA AGUIAR Salvador - BA Setembro/2009
  2. 2. 2UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA- UFBA INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE - ICS DEPARTAMENTO DE BIOMORFOLOGIA DISCIPLINA: ANATOMIA I CURSO: ODONTOLOGIA MONOGRAFIA CHIRLEY MOREIRA AGUIAR Monografia apresentada ao professor Dr. José Carlos Nunes Mota, junto com a disciplina Anatomia I para obtenção de nota parcial referente ao primeiro semestre letivo de 2009. Salvador- BA Setembro/2009
  3. 3. 3 SUMÁRIO1. Introdução ao estudo da anatomia ............................................................................................. 52. Osteologia ............................................................................................................................... 10 2.1 Esqueleto axial: ................................................................................................................. 10 2.2 Esqueleto apendicular: ...................................................................................................... 123. Junturas ................................................................................................................................... 19 3.1 Classificações das Junturas:............................................................................................... 194. Miologia................................................................................................................................... 23 4.1 O que são músculos?......................................................................................................... 23 4.2 Tipos de músculos: ............................................................................................................ 23 4.3 Número de músculos: ....................................................................................................... 25 4.4 Peso dos Músculos: ........................................................................................................... 25 4.5 Nomenclatura:................................................................................................................... 25 4.6 Grupos Musculares: .......................................................................................................... 26 4.7 Anexos dos Músculos: ....................................................................................................... 26 4.8 Local de Inserção dos Músculos: ....................................................................................... 26 4.9 Tipos de Movimentos: ....................................................................................................... 27 4.10 Classificação Funcional dos Músculos: ............................................................................ 27 4.11 Músculos da cabeça ........................................................................................................ 27 4.12 Músculos do Pescoço: ..................................................................................................... 37 4.12.2 Região Lateral do pescoço: ...................................................................................... 40 4.12.3 Região Pré-Vertebral do pescoço: ............................................................................ 42 4.12.4 Região Posterior do pescoço: ................................................................................... 43 4.13 Músculos do Tórax: ......................................................................................................... 45 4.13.1 Região Ântero-Lateral .............................................................................................. 45 4.13.2 Região Costal ............................................................................................................ 47 4.14 Músculos do Dorso: ......................................................................................................... 49 4.14.1 - Trapézio:................................................................................................................. 49 4.14.2 - Grande Dorsal: ....................................................................................................... 50 4.14.5 - Serrátil Postero-Superior: ...................................................................................... 50 4.14.6 - Serrátil Postero-Inferior: ........................................................................................ 50 4.15 Músculos do Abdômen: .................................................................................................. 51 4.16 Músculos Inferiores: ........................................................................................................ 52
  4. 4. 4 4.16.1. Quadril: .................................................................................................................... 52 4.16.2. Região da Coxa: ....................................................................................................... 54 4.16.3 Região da Perna: ...................................................................................................... 58 4.16.4 Região do pé: ............................................................................................................ 61 4.17 Músculos Superiores: ...................................................................................................... 65 4.17.1 Região do Ombro: .................................................................................................... 65 4.17.2 Região do Braço; ...................................................................................................... 67 4.17.3 Região do Antebraço: ............................................................................................... 69 4.17.4 Região da Mao:......................................................................................................... 735 Referencias Bibliográficas: ....................................................................................................... 77
  5. 5. 51. Introdução ao estudo da anatomiaConceito: No seu conceito mais amplo, a Anatomia é a ciência que estuda macro emicroscopicamente, a constituição e o desenvolvimento dos seres organizados.Normal e Variação Anatômica: Normal, para o anatomista, é o estatisticamente mais comum, ou seja, o que éencontrado na maioria dos casos. Variação anatômica é qualquer fuga do padrão sem prejuízo da função. Assim, aartéria braquial mais comumente divide-se na fossa cubital. Este é o padrão. Entretanto,em alguns indivíduos esta divisão ocorre ao nível da axila. Como não existe perdafuncional esta é uma variação. Quando ocorre prejuízo funcional trata-se de uma anomalia e não de umavariação. Se a anomalia for tão acentuada que deforme profundamente a construção docorpo, sendo, em geral, incompatível com a vida, é uma monstruosidade. Posição Anatômica: Deve-se considerar a posição anatômica como a de um atleta em posição ereta, em pé, com o olhar para o horizonte e a linha do queixo em paralelo à linha do solo. Os braços pendentes, mãos espalmadas, dedos unidos e palmas voltadas para frente. Os pés também unidos e pendentes. – de pé na posição ortostática. – olhos mirando o horizonte.
  6. 6. 6– membros inferiores unidos.– calcanhares unidos.– membros superiores junto ao tronco.– palma das mãos voltadas para frentePlanos Anatômicos: Têm o objetivo de separar o corpo em partes para facilitar o estudo e nomear asestruturas anatômicas com relação espacial. Ou seja, através dos planos anatômicospodemos dividir o corpo humano em 3(três) dimensões e assim podemos localizar eposicionar todas as estruturas. São eles:Plano Transversal: É o plano que corta o corpo transversalmente, também é chamado de plano axial. Através desse plano podemos dizer se uma estrutura é superior ou inferior.
  7. 7. 7Plano Sagital: É o plano que corta o corpo no sentido ântero- posterior, possui esse nome porque passa exatamente na sutura sagital do crânio; quando passa bem no meio do corpo, sobre a linha sagital mediana, é chamadode sagital mediano e quando o corte é feito lateralmente a essa linha, chamamosparamediano. Determina uma porção direita e outra esquerda. Também nos permitedizer se uma estrutura é lateral ou medial. Dizemos que é lateral quando a estrutura seafasta da linha mediana e dizemos que é medial quando ela se aproxima da linhamediana. Por exemplo: observe nas figuras abaixo, podemos dizer que o mamilo émedial e que o ombro é lateral.Plano Coronal: É o plano que corta o corpo lateralmente, de uma orelha a outra. Possui esse nome porque passa exatamente na sutura coronal do crânio. Também pode ser chamado de plano frontal. Ele determina se uma estrutura é anterior ou posterior.
  8. 8. 8Planos de Secção:Conceito: São planos que dividem o corpo em duas metades.Descrição: Sagital mediano ou mediano (direita e esquerda). Sagital ou parassagital. Frontal ou coronal (ventral ou anterior e dorsal ou posterior). Transverso (superior ou cranial e inferior ou pó dálico).Termos de posição e direção: Mediana: situada no plano mediano. Lateral: situada mais próxima ao plano lateral. Medial: situada mais próxima ao plano mediano. Intermédia: situada entre uma lateral e outra medial. Dorsal ou posterior: situada mais próxima ao plano dorsal. Ventral ou anterior: situada mais próxima ao plano ventral.
  9. 9. 9Superior: situada mais próxima ao plano superior.Inferior: situada mais próxima ao plano inferior.Média: situada entre uma dorsal e outra ventral ou superior e inferior.Proximal e distal: membros.Externa e interna: cavidades.Superficial e profundo: camadas ou estratos.
  10. 10. 102. Osteologia2.1 Esqueleto axial:Formado pela caixa craniana, coluna vertebral caixa torácica.Caixa craniana: Possui os seguintes ossos importantes: frontal, parietais, temporais, occipital,esfenóide, nasal, lacrimais, malares ("maçãs do rosto" ou zigomático), maxilar superiore mandíbula (maxilar inferior).Coluna vertebral: É uma coluna de vértebras que apresentam cada uma um buraco, que sesobrepõem constituindo um canal que aloja a medula nervosa ou espinhal; é dividida emregiões típicas que são: coluna cervical (região do pescoço), coluna torácica, colunalombar, coluna sacral, coluna cocciciana (cóccix).
  11. 11. 11Caixa torácica: É formada pela região torácica de coluna vertebral, osso esterno e costelas, quesão em número de 12 de cada lado, sendo as 7 primeiras verdadeiras (se inseremdiretamente no esterno), 3 falsas (se reúnem e depois se unem ao esterno), e 2 flutuantes(com extremidades anteriores livres, não se fixando ao esterno).Osso Esterno: É um osso chato, localizado na parte anterior do tórax, composto de três partes:o manúbrio, o corpo e a apófise xifóide, ou o processo xifóide. O esterno serve para sustentação das costelas e da clavícula, formando a caixatorácica onde ficam protegidos os pulmões, coração e os grandes vasos (aorta, veia,
  12. 12. 12artérias e veias pulmonares). As sete primeiras costelas, também chamadas de costelasverdadeiras, se unem ao esterno, as três seguintes, conhecidas como costelas falsas, sejuntam para depois se unirem ao esterno, e as duas últimas costelas, chamadas deflutuantes, não se unem ao esterno. As costelas na parte posterior do tórax se prendemas vértebras torácicas. O esterno, bem como toda a caixa torácica e a musculatura, tempapel fundamental no processo respiratório, através dos movimentos de inspiração eexpiração. O esterno tem superiormente as incisuras claviculares; onde articula com asclavículas; e a incisura jugular, e nas bordas laterais incisuras costais, onde estãofixados as cartilagens costais. É formado superiormente pelo manúbrio, ao centro tem seo corpo do esterno e inferiormente o processo xifóide, onde se liga o diafragma dentreoutros músculos importantes. Osso Esterno Clavícula2.2 Esqueleto apendicular:Membros e cinturas articulares:
  13. 13. 13 Cada membro superior é composto de braço, antebraço, pulso e mão. O osso dobraço – úmero – articula-se no cotovelo com os ossos do antebraço: rádio e ulna. Opulso constitui-se de ossos pequenos e maciços, os carpos. A palma da mão é formadapelos metacarpos e os dedos, pelas falanges. Cada membro inferior compõe-se de coxa, perna, tornozelo e pé. O osso da coxaé o fêmur, o mais longo do corpo. No joelho, ele se articula com os dois ossos da perna:a tíbia e a fíbula. A região frontal do joelho está protegida por um pequeno ossocircular: a rótula. Ossos pequenos e maciços, chamados tarsos, formam o tornozelo. Aplanta do pé é constituída pelos metatarsos e os dedos dos pés (artelhos), pelasfalanges. Os membros estão unidos ao corpo mediante um sistema ósseo que toma o nomede cintura ou de cinta. A cintura superior se chama cintura torácica ou escapular(formada pela clavícula e pela escápula ou omoplata); a inferior se chama cinturapélvica, popularmente conhecida como bacia (constituída pelo sacro - osso volumosoresultante da fusão de cinco vértebras, por um par de ossos ilíacos e pelo cóccix,formado por quatro a seis vértebras rudimentares fundidas). A primeira sustenta oúmero e com ele todo o braço; a segunda dá apoio ao fêmur e a toda a perna.
  14. 14. 14Classificação dos ossos: os ossos são classificados de acordo com a sua forma em: Longos: têm duas extremidades ou epífises; o corpo do osso é a diáfise; entre adiáfise e cada epífise fica a metáfise. A diáfise é formada por tecido ósseo compacto,enquanto a epífise e a metáfise, por tecido ósseo esponjoso. Exemplos: fêmur, úmero.
  15. 15. 15 Curtos: têm as três extremidades praticamente equivalentes e são encontradosnas mãos e nos pés. São constituídos por tecido ósseo esponjoso. Exemplos: calcâneo, tarsos, carpos.
  16. 16. 16 Planos ou Chatos: são formados por duas camadas de tecido ósseo compacto,tendo entre elas uma camada de tecido ósseo esponjoso e de medula óssea. Exemplos:esterno, ossos do crânio, ossos da bacia, escápula.Periósteo: Revestindo o osso compacto na diáfise, existe uma delicada membrana - operiósteo - responsável pelo crescimento em espessura do osso e também pelaconsolidação dos ossos após fraturas (calo ósseo). As superfícies articulares sãorevestidas por cartilagem. Entre as epífises e a diáfise encontra-se um disco ou placa decartilagem nos ossos em crescimento, tal disco é chamado de disco metafisário (ouepifisário) e é responsável pelo crescimento longitudinal do osso. O interior dos ossos épreenchido pela medula óssea, que, em parte é amarela, funcionando como depósito delipídeos, e, no restante, é vermelha e gelatinosa, constituindo o local de formação dascélulas do sangue, ou seja, de hematopoiese. O tecido hemopoiético é popularmenteconhecido por "tutano". As maiores quantidades de tecido hematopoiético estão nosossos da bacia e no esterno. Nos ossos longos, a medula óssea vermelha é encontradaprincipalmente nas epífises.
  17. 17. 17
  18. 18. 18Diferenças entre os ossos do esqueleto masculino e feminino.
  19. 19. 193. Junturas Articulação nada mais é do que a união de duas ou mais peças ósseas oucartilaginosas, por meio de feixes fibrosos ou fibrocartilaginosos, apresentando ou nãomovimentos, esses movimentos podem ser amplos ou limitados e podem ainda secombinar para formar outros tipos de movimento.3.1 Classificações das Junturas: Junturas Fibrosas (sinartroses): são as junturas por continuidade onde os ossos seunem por um tecido conjuntivo fibroso. As articulações fibrosas são divididas emsuturas, sindesmoses e gonfoses. . sindesmose (presença de membrana interóssea): são junturas fibrosas que unem ossos à distância. Ex: entre os corpos do radio e ulna / tíbia e fíbula; entre os arcos e entre os processos das vértebras. · sutura: as extremidades dos ossos têm interdigitações ou sulcos, que os mantêm íntima e firmemente unidos. Conseqüentemente, as fibras de conexão
  20. 20. 20 são muito curtas preenchendo uma pequena fenda entre os ossos. (maioria dos ossos do crânio). a) Plana: as margens dos ossos são planas (ossos frontais). b) Denteada ou Serrátil: as margens dos ossos são em forma de dente de serra (a maioria das junturas dos ossos da cabeça). c) Escamosa: as margens dos ossos são em forma de escama (osso parietal e osso temporal). · gonfose (entre os alvéolos e os dentes): é uma articulação fibrosa especializada restrita à fixação dos dentes nas cavidades alveolares na mandíbula e maxilas. O colágeno do periodonto une o cemento dentário com o osso alveolar. Junturas Cartilagíneas (anfiartroses): são as junturas por continuidade onde osossos se unem por um tecido cartilagíneo. Possuem movimentos limitados e podem serdivididas em Sincondroses e Sínfises. · sincondrose (entre as epífises e diáfises ósseas): Os ossos de uma articulaçãodo tipo sincondrose estão unidos por uma cartilagem hialina. Muitas sincondroses sãoarticulações temporárias, com a cartilagem sendo substituída por osso com o passar dotempo ( isso ocorre em ossos longos e entre alguns ossos do crânio nas crianças). Essetipo de articulação são achadas entre a epífise e a diáfise dos ossos longos, entre o
  21. 21. 21occipital e o esfenóide. As articulações entre as dez primeiras costelas e as cartilagenscostais também são sincondroses, porem permanentes. · sínfise (presença de discos fibrocartilagíneos): As superfícies articulares dosossos unidos por sínfises estão cobertos por uma camada de cartilagem hialina. Entre osossos da articulação há um disco fibrocartilaginoso é característica distintiva da sínfise.Esses discos por serem compressíveis permitem que a sínfise absorva impactos. Aarticulação entre os ossos púbicos e a articulação entre os corpos vertebrais sãoexemplos de sínfises. Durante o desenvolvimento as duas metades da mandíbula estãounidas por uma sínfise mediana, mas essa articulação torna-se completamente ossificadana idade adulta. As sínfises do corpo humano: manúbrio-esternal; intervertebrais (aquelas entreos corpos vertebrais onde encontramos os discos intervertebrais); sacrais; púbica (talveza mais conhecida e comentada); do mento (união das duas mandíbulas).Junturas Sinoviais (diartroses): as superfícies ósseas são recobertas por cartilagemarticular e unidas por ligamentos revestidos por membrana sinovial. Permitem amplomovimento e, as suas células interiores (situadas dentro da articulação) produzem olíquido sinovial, responsável pela lubrificação e absorção do impacto. O movimento das articulações depende essencialmente da forma das superfíciesque entram em contato e dos meios de união que podem limitá-lo. Na dependênciadestes fatores as articulações podem realizar movimentos de um, dois ou três eixos. Esteé o critério adotado para classificá-las funcionalmente.Quando uma articulação realiza movimentos apenas em torno de um eixo, diz-se que émonoaxial ou que possui um só grau de liberdadeSerá biaxial a que os realiza em torno de dois eixos (2 graus de liberdade).E triaxial se eles forem realizados em torno de três eixos (3 graus de liberdade).
  22. 22. 22Assim as articulações que só permitem a flexão e extensão, como ado cotovelo, são monoaxiais; aquelas que realizam extensão,flexão, adução e abdução, como a rádio-cárpica ( art. do punho),são biaxiais; finalmente as que além de flexão, extensão, abdução eadução, permitem também a rotação, são ditas triaxiais, cujosexemplos típicos são as articulações do ombro e do quadril.Classificação quanto à forma das superfícies articulares: Planas (não axiais): planas. Gínglimos: em forma de cilindro ou como dobradiça. Trocóideos: em forma de cilindro como pivô. Selares: em forma de sela. Condilares: em forma elipsóide. Esferóides: em forma de esfera.
  23. 23. 234. MiologiaÉ parte da anatomia que estuda os músculos e seus anexos.4.1 O que são músculos?São estruturas anatômicas que apresentam a capacidade de se contrair, sob estímulos.VENTRE é a parte carnosa, constituída por fibras musculares que se contraem.TENDÃO é a parte não contrátil e esta localizado nas extremidades dos músculos. Écomposto de tecido conjuntivo resistente e esbranquiçado.4.2 Tipos de músculos: a) Músculos da vida animal (músculos voluntários ou estriados): Contraem-sepor influência da vontade. b) Músculos da vida vegetativa (músculos involuntários ou lisos): Não dependeda nossa vontade para contrair-se, estão localizados nos aparelhos digestivo,respiratórios e geniturinário. Músculos Estriados: Quanto à situação:
  24. 24. 24 a) Superficiais ou Cutâneos: estão logo abaixo dotegumento, e apresentam no mínimo uma de suas inserções na camada profundada derme, estão localizados na cabeça (crânio e face), no pescoço e na mão(região hipotênar).b) Profundos ou Subaponeuróticos: são músculos que não apresentam inserçõesna camada profunda da derme e na maioria das vezes se insere em ossos. Quanto à forma: a) Longos: quando o comprimento predomina sobre alargura e espessura. Ex: Bíceps. b) Largos: quando duas medidas se equivalem(comprimento e largura predominam sobre a espessura). Ex: Rombóide. c) Curtos: as três medidas se equivalem. Ex: QuadradoFemural. d) Leque: fibras em forma de um leque. Ex: PeitoralMaior. e) Mistos: quando não entram na classificação de longos,largos e curtos.Os músculos ainda podem ser unipenados (Extensor Longo dos Dedos do Pé) ebipenados (Reto Femural). Quanto à direção: a) Retilíneos: músculo que não muda sua direção,converge somente numa direção. Pode ser paralelo, oblíquo ou transverso. Ex:Reto Femural e sartório. b) Reflexo: músculo que muda sua direção durante seutrajeto. Ex: digástrico e omoióideo.
  25. 25. 25 Quanto à origem e à inserção: a) Origem: quando se originam de mais de um tendão. Ex: Bíceps, Tríceps e Quadríceps. b) Inserção: quando se inserem em mais de um tendão. Ex: Bicaudados - dois tendões (Fibular Anterior) e Policaudados - três ou mais tendões (Flexor Longo dos Dedos do Pé).4.3 Número de músculos: De acordo com Sappey, são 501 músculos: * Tronco: 190 * Cabeça: 63 * Membro Superior: 98 * Membro Inferior: 104 * Aparelho da vida Nutritiva: 464.4 Peso dos Músculos: Em média 3/7 do peso (sexo masculino), mas pode se tornar até 50% do peso em fisioculturistas ou ainda, segundo os avaliadores, para atletas de elite que façam algum tipo de treinamento intenso por mais de 4 horas diárias. Está porcentagem diminui com a idade.4.5 Nomenclatura: Há dois métodos de estudo dos músculos: a) Fisiológico: corresponde a ação do músculo: elevador da mandíbula e extensor dos dedos.
  26. 26. 26 b) Topográfico: corresponde a região onde estão localizados: músculos da cabeça e do braço.4.6 Grupos Musculares: São em número de nove: * Cabeça * Pescoço * Membros Superiores * Tórax * Abdômen * Região Posterior do Tronco * Membros Inferiores * Órgãos dos Sentidos * Períneo4.7 Anexos dos Músculos: a) Aponeurose: é uma membrana que envolve grupos musculares. b) Fáscia: envolve o músculo. c) Bainha Fibrosa: são arcos fibrosos que formam canais osteo-fibrosos. d) Bainhas Sinoviais: são membranas delgadas que lubrificam o deslizamento do tendão. e) Bolsas Serosas: bolsas que separam os músculos.4.8 Local de Inserção dos Músculos: a) Ossos b) Cútis c) Órgãos d) Mucosa
  27. 27. 27 e) Cartilagem f) Fáscia g) Articulações4.9 Tipos de Movimentos: a) Flexão: diminuição do grau de uma articulação. b) Extensão: aumento do grau de uma articulação. c) Adução: aproxima do eixo sagital mediano. d) Abdução: afasta do eixo sagital mediano. Movimento de rotação em relação a um determinado eixo: e) Rotação Medial: face anterior gira para dentro. f) Rotação Lateral: face anterior gira para fora. Membros Superiores (antebraço): Supinação = Rotação lateral do antebraço. Pronação = Rotação medial do antebraço. Membros Inferiores (pé): Eversão = Abdução (ponta do pé para fora) + Pronação (planta do pé faz rotação lateral). Inversão = Adução (ponta do pé para dentro) + Supinação (planta do pé faz rotação medial).4.10 Classificação Funcional dos Músculos: a) Agonista: quando um músculo é o agente principal na execução de um movimento. b) Antagonista: quando um músculo se opõe ao trabalho de um agonista, seja para regular a rapidez ou potência da ação deste.4.11 Músculos da cabeça
  28. 28. 28Crânio: O Epicrânio é uma vasta lâmina musculotendinosa que reveste o vértice e as faces laterais do crânio, desde o osso occipital até a sobrancelha. É formado pelo ventre occipital e pelo ventre frontal e estes são reunidos por uma extensa aponeurose intermediária: a gálea aponeurótica. * Ventre Occipital: Origem: 2/3 laterais da linha nucal superior do osso occipital e processo mastóide Inserção: Gálea aponeurótica Inervação: Ramo auricular posterior do nervo facial Ação: Trabalhando com o ventre frontal traciona para trás o couro cabeludo, elevando as sobrancelhas e enrugando a fronte * Ventre Frontal: Origem: Não possui inserções ósseas. Suas fibras são contínuas com as do prócero, corrugador e orbicular do olho Inserção: Gálea aponeurótica Inervação: Ramos temporais Ação: Trabalhando com o ventre occipital traciona para trás o couro cabeludo, elevando as sobrancelhas e enrugando a fronte. Agindo isoladamente, eleva as sobrancelhas de um ou de ambos os lados O Temporoparietal é uma vasta lâmina muito delgada: Origem: Fáscia temporal Inserção: Borda lateral da gálea aponeurótica Inervação: Ramos temporais Ação: Estica o couro cabeludo e traciona para trás a pele das têmporas. Combina-se com o occipitofrontal para enrugar a fronte e ampliar os olhos
  29. 29. 29 (expressão de medo e horror) A Gálea Aponeurótica reveste a parte superior do crânio entre os ventres frontal e occipital do occipitofrontal.Boca: Levantador do Lábio Superior: Origem: Margem inferior da órbita acima do forame infra-orbital, maxila e zigomático Inserção: Substância muscular do lábio superior e asa do nariz Inervação: Ramos bucais do nervo facial Ação: Levanta o lábio superior e leva-o um pouco para frente Levantador do Lábio Superior e da Asa do Nariz: Origem: Processo frontal da maxila Inserção: Se divide em dois fascículos. Um se insere na cartilagem alar maior e na pele do nariz e o outro se prolonga no lábio superior Inervação: Ramos bucais do nervo facial Ação: Dilata a narina e levanta o lábio superior Levantador do Ângulo da Boca: Origem: Fossa canina (maxila) Inserção: Ângulo da boca Inervação: Ramos bucais do nervo facial Ação: Eleva o ângulo da boca e acentua o sulco nasolabial
  30. 30. 30Zigomático Menor:Origem: Superfície malar do osso zigomáticoInserção: Lábio superior (entre o levantador do lábio superior e o zigomáticomaiorInervação: Ramos bucais do nervo facialAção: Auxilia na elevação do lábio superior e acentua o sulco nasolabialZigomático Maior:Origem: Superfície malar do osso zigomáticoInserção: Ângulo da bocaInervação: Ramos bucais do nervo facialAção: Traciona o ângulo da boca para trás e para cima (risada)Risório:Origem: Fáscia do masseterInserção: Pele no ângulo da bocaInervação: Ramos mandibular e bucal do nervo facialAção: Retrai o ângulo da boca lateralmente (riso forçado)Depressor do Lábio Inferior:Origem: Linha oblíqua da mandíbulaInserção: Tegumento do lábio inferiorInervação: Ramos mandibular e bucal do nervo facialAção: Repuxa o lábio inferior diretamente para baixo e lateralmente (expressãode ironia)Depressor do Ângulo da Boca:Origem: Linha oblíqua da mandíbulaInserção: Ângulo da bocaInervação: Ramos mandibular e bucal do nervo facial
  31. 31. 31Ação: Deprime o ângulo da boca (expressão de tristeza)Mentoniano:Origem: Fossa incisiva da mandíbulaInserção: Tegumento do queixoInervação: Ramos mandibular e bucal do nervo facialAção: Eleva e projeta para fora o lábio superior e enruga a pele do queixoTransverso do Mento:Não é encontrado em todos os corpos.Origem: Linha mediana logo abaixo do queixoInserção: Fibras do depressor do ângulo da bocaInervação: Ramos mandibular e bucal do nervo facialAção: Auxilia na depressão o ângulo da bocaOrbicular da Boca:Origem: Parte marginal e parte labialInserção: Rima da bocaInervação: Ramos bucais do nervo facialAção: Fechamento direto dos lábiosBucinador:Importante músculo acessório na mastigação, mantendo o alimento sob apressão direta dos dentes.Origem: Superfície externa dos processos alveolares da maxila, acima damandíbulaInserção: Ângulo da bocaInervação: Ramos bucais do nervo facial
  32. 32. 32 Ação: Deprime e comprime as bochechas contra a mandíbula e maxila. Importante para assobiar e soprar.Nariz: Prócero: Origem: Fáscia que reveste a parte mais inferior do osso nasal e a parte superior da cartilagem nasal lateral Inserção: Pele da parte mais inferior da fronte entre as duas sobrancelhas Inervação: Ramos bucais do nervo facial Ação: Traciona para baixo o ângulo medial da sobrancelha e origina as rugas transversais sobre a raiz do nariz Nasal (Transverso do Nariz): Origem: Porção Transversal - Fosseta mirtiforme e eminência canina da maxila Porção Alar - Asa do nariz Inserção: Porção Transversal - Dorso do nariz Porção Alar - Imediações do ápice do nariz Inervação: Ramos bucais do nervo facial Ação: Dilatação do nariz Depressor de Septo: Origem: Fossa incisiva da maxila Inserção: Septo e na parte dorsal da asa do nariz Inervação: Ramos bucais do nervo facial Ação: Traciona para baixo as asas do nariz, estreitando as narinasPálpebras:
  33. 33. 33 Orbicular do Olho: Este músculo contorna toda a circunferência da órbita. Divide-se em três porções: palpebral, orbital e lacrimal. Origem: Parte nasal do osso frontal (porção orbital), processo frontal da maxila, crista lacrimal posterior (porção lacrimal) e da superfície anterior e bordas do ligamento palpebral medial (porção palpebral) Inserção: Circunda a órbita, como um esfíncter Inervação: Ramos temporal e zigomáticas do nervo facial Ação: Fechamento ativo das pálpebras Corrugador do Supercílio: Origem: Extremidade medial do arco superciliar Inserção: Superfície profunda da pele Inervação: Ramos temporal e zigomáticas do nervo facial Ação: Traciona a sobrancelha para baixo e medialmente, produzindo rugas verticais na fronte. Músculos da expressão de sofrimento.Orelha: Auricular Anterior: Origem: Porção anterior da fáscia na zona temporal Inserção: Saliência na frente da hélix Inervação: Ramos temporais Ação: Traciona o pavilhão da orelha para frente e para cima Auricular Superior: Origem: Fáscia da zona temporal Inserção: Tendão plano na parte superior da superfície craniana do pavilhão da orelha
  34. 34. 34 Inervação: Ramos temporais Ação: Traciona o pavilhão da orelha para cima Auricular Posterior: Origem: Processo mastóide Inserção: Parte mais inferior da superfície craniana da concha Inervação: Ramo auricular posterior do nervo facial Ação: Traciona o pavilhão da orelha para trásMúsculos da ATM:
  35. 35. 35Temporal:Passa medialmente ao arco zigomático.Origem: Face externa do temporal (escama), face interna do arco zigomáticoInserção: Processo coronoide e face anterior do ramo da mandíbulaInervação: Nervo temporal (ramo mandibular do nervo trigêmio - 5º parcraniano)
  36. 36. 36Ação: Contração Unilateral - Lateralização contralateral Contração Bilateral - Oclusão e retrusãoMasseter:É o músculo mais potente da mastigação.Origem: Borda externa do arco do zigomáticoInserção: Face externa do ângulo da mandíbulaInervação: Nervo masseteriano (ramo do mandibular do nervo trigêmio - 5º parcraniano)Ação: Oclusão e protrusãoPterigóideo Medial (Interno):Origem: Face medial da lâmina lateral do processo pterigóide do osso esfenóideInserção: Face interna do ângulo da mandíbulaInervação: Nervo do pterigóideo interno (ramo do nervo facial - 7º par craniano)Ação: Oclusão e protrusãoPterigóideo Lateral (Externo):Origem: Cabeça Inferior - Face lateral da lâmina lateral do processo pterigóide doosso esfenóide Cabeça Superior - Asa maior do esfenóideInserção: Cabeça do côndilo da mandíbula e face anterior do disco articularInervação: Nervo do pterigóideo externo (ramo do mandibular do nervo trigêmio- 5º par craniano)Ação: Contração Unilateral - Lateralização da mandíbula contralateral Contração Bilateral - Abertura e protrusão da mandíbula
  37. 37. 374.12 Músculos do Pescoço: Os músculos do pescoço têm como função principal mover a cabeça e o ossohióide. Os que se encontram por detrás da coluna vertebral são chamados músculos danuca e os demais são ditos músculos do pescoço propriamente dito e dividem-se emquatro regiões:4.12.1Região anterior do pescoço: a)Platisma ou Cutâneo do Pescoço: Inserção Superior: Camada profunda da derme da região mentoniana, borda inferior do corpo da mandíbula, comissura labial e linha oblíqua externa da mandíbula Inserção Inferior: Camada profunda da derme da região subclavicular e acromial Inervação: Nervo Facial (7º par craniano) Ação: Fixo Superior - Eleva a pele do tronco superior e forma rugas transversais do pescoço Fixo Inferior - Baixa a pele da região mandibular b) Músculos Supra-Hióideos; * Digástrico: Esse músculo possui dois ventres que estão ligados por um tendão intermediário que é preso ao osso hióide. Inserção Superior do Ventre Anterior: Fossa digástrica da mandíbula Inserção Inferior do Ventre Anterior: Tendão intermediário Inserção Superior do Ventre Posterior: Processo mastóide do osso temporal Inserção Inferior do Ventre Posterior: Tendão Intermediário
  38. 38. 38Inervação: Nervo Facial (7º par craniano) - Ventre Posterior Nervo Mandibular (Ramo do nervo trigêmeo - 5 par craniano) - VentreAnteriorAção: Eleva o osso hióide puxando-o para trás e baixa a mandíbula * Estiloióideo:Paralelo ao ventre posterior do músculo digástricoInserção Superior: Processo estilóide (temporal)Inserção Inferior: Osso hióideInervação: Nervo Facial (7º par craniano)Ação: Eleva o osso hióide puxando-o para trás * Miloióideo:Forma o assoalho da boca.Inserção Superior: Linha miloióidea (mandíbula) e rafe tendinosaInserção Inferior: Osso hióideInervação: Nervo Mandibular (5º par craniano - Ramo do nervo trigêmeo)Ação: Eleva o osso hióide, eleva a língua forçando-a para trás * Genioióideo:Inserção Superior: Espinha mentoniana (mandíbula)Inserção Inferior: Osso hióideInervação: Nervo do Hipoglosso (12º par craniano)Ação: Traciona o osso hióide para frente e para cima
  39. 39. 39c) Músculos Infra-Hióideos;* Esternocleidoióideo (Esternohióideo):Inserção Superior: Borda inferior do corpo do osso hióideInserção Inferior: Face posterior do manúbrio do esterno e 1/4 medial daclavículaInervação: Alça Cervical (C1, C2 e C3)Ação: Baixa o osso hióide* Esternotireóideo:Inserção Superior: Lamina da cartilagem tireóide da laringeInserção Inferior: Face posterior do manúbrio do esterno e 1ª cartilagem costalInervação: Alça Cervical (C1, C2 e C3)Ação: Baixa o osso hióide e a cartilagem tireóide* Tireoióideo:Inserção Superior: Osso hióideInserção Inferior: Lâmina da cartilagem tireóideInervação: Alça Cervical (C1, C2 e C3)Ação: Baixa o osso hióide* Omoióideo:Possui dois ventres e um tendão intermediário:Inserção Superior do Ventre Superior: Borda inferior do corpo do osso hióideInserção Inferior do Ventre Superior: Tendão intermediárioInserção Medial do Ventre Inferior: Tendão intermediário
  40. 40. 40 Inserção Lateral do Ventre Inferior: Borda superior da escápula Os músculos supra e infra-hióideos juntos mantém o osso hióide, propiciando base firme para os movimentos da língua Inervação: Alça Cervical (C1, C2 e C3) Ação: Baixa o osso hióide e puxa-o levemente para trás4.12.2 Região Lateral do pescoço: *Esternocleidomastóideo: Inserção Superior: Processo mastóide e linha nucal superior Inserção Inferior: Face anterior do manúbrio do esterno, junto à borda superior e anterior do 1/3 medial da clavícula Inervação: Nervo Acessório (11º par craniano) e 2º e 3º nervos cervicais (plexo cervical) Ação: Fixo Superior - Ação inspiratória
  41. 41. 41 Fixo Inferior Contração Unilateral: Inclinação lateral e rotação com a facevirada para o lado oposto Contração Bilateral: Flexão da cabeça* Escaleno Anterior:Inserção Superior: Tubérculos anteriores dos processos transversos da C3a C6Inserção Inferior: Face superior da 1ª costela (tubérculo escalenoanterior)Inervação: Ramos anteriores de 3º a 6º nervos cervicais* Escaleno Médio:Inserção Superior: Tubérculos anteriores dos processos transversos da C1a C7Inserção Inferior: Face superior da 1ª costela (podendo ser na 2ª costela)Inervação: Ramos anteriores de 3º a 4º nervos cervicais e o nervo dorombóide* Escaleno Posterior:Inserção Superior: Tubérculos posteriores dos processos transversos daC4 a C6Inserção Inferior: Borda superior da 2ª costelaInervação: Ramos anteriores de 3º a 4º nervos cervicais e o nervo dorombóideAção dos Escalenos: Fixo no Tórax Contração Unilateral: Inclinação lateral da coluna Contração Bilateral: Rigidez no pescoço Fixo na Coluna - Eleva as costelas (ação inspiratória)
  42. 42. 424.12.3 Região Pré-Vertebral do pescoço: * Reto Anterior Maior da Cabeça (Longo da Cabeça): Inserção Superior: Processo basilar (occipital) Inserção Inferior: Tubérculos anteriores dos processos transversos da C3 a C6 Inervação: Plexo Cervical Ação: Contração Unilateral: Rotação da cabeça com a face virada para o lado oposto Contração Bilateral: Flexão da cabeça e da coluna cervical * Reto Anterior Menor da Cabeça (Reto Anterior da Cabeça): Inserção Superior: Processo basilar (occipital) Inserção Inferior: Massas laterais e processo transverso de atlas
  43. 43. 43 Inervação: 1º nervo cervical Ação: Aproxima a cabeça do atlas * Longo do Pescoço: * Porção Oblíquo Superior (Descendente) Inserção Superior: Tubérculo anterior do atlas Inserção Inferior: Tubérculo anterior dos processos transversos da C3 e C5 * Porção Oblíquo Inferior (Ascendente) Inserção Superior: Tubérculo anterior dos processos transversos da C5 e C6 Inserção Inferior: Corpos vertebrais da T1 e T3 * Porção Vertical (Longitudinal) Inserção Superior: Corpos vertebrais de C2 a C4 Inserção Inferior: Corpos vertebrais de C5 até T3 Inervação: Ramos anteriores dos 4 primeiros nervos cervicais Ação: Contração Unilateral: Flexiona a coluna cervical Contração Bilateral: Inclinação lateral * Reto Lateral da Cabeça: Inserção Superior: Processo jugular (occipital) Inserção Inferior: Processo transverso do atlas Inervação: 1º ramo cervical Ação: Contração Unilateral: Inclinação Lateral Contração Bilateral: Rigidez da Coluna4.12.4 Região Posterior do pescoço: * Esplênio da Cabeça: Origem: Ligamento nucal (ligamento cervical) e processos espinhosos da 7ª vértebra cervical e das três primeiras torácicas
  44. 44. 44Inserção: Linha nucal superior e processo mastóide do osso temporalInervação: Ramos cervicais posteriores dos nervos espinhais (nervos raquídioscervicais)Ação: Extensão, inclinação lateral e rotação da cabeça para o lado oposto * Esplênio do Pescoço:Origem: Processos espinhosos da 3ª a 5ª vértebras torácicasInserção: Processos transversos das 3 primeiras vértebras cervicaisInervação: Ramos cervicais posteriores dos nervos espinhais (nervos raquídioscervicais)Ação: Extensão, inclinação lateral e rotação da cabeça para o lado oposto * Semi-Espinhal da Cabeça (Extensor da Cabeça):Origem: Processos transversos da 1ª vértebra cervical até a 7ª torácicaInserção: Superfície óssea entre as linhas nucais superior e inferiorInervação: Ramos dos nervos espinhais cervicaisAção: Extensão da Cabeça e rotação para o lado oposto (contração unilateral) * Semi-Espinhal do Pescoço (Extensor do Pescoço):Origem: Processos transversos da 2ª a 7ª vértebras torácicasInserção: Processos espinhosos da 2ª a 5ª vértebras cervicaisInervação: Ramos dos nervos espinhais cervicaisAção: Extensão do pescoçoSuboccipitais - Formam o trígono suboccipital. * Reto Posterior Maior da Cabeça:Origem: Processo espinhoso do áxisInserção: Linha nucal inferiorInervação: Ramos posteriores dos nervos espinhais (raquídios) cervicaisAção: Extensão da cabeça
  45. 45. 45 * Reto Posterior Menor da Cabeça: Origem: Tuberosidade posterior do atlas Inserção: Linha nucal inferior Inervação: Ramos posteriores dos nervos espinhais (raquídios) cervicais Ação: Extensão da cabeça * Oblíquo Superior da Cabeça: Origem: Massa lateral e processo transverso do atlas Inserção: Linha nucal inferior Inervação: Ramos posteriores dos nervos espinhais (raquídios) cervicais Ação: Contração Unilateral - Rotação da cabeça Contração Bilateral - Extensão da cabeça * Oblíquo Inferior da Cabeça: Origem: Processo espinhoso do áxis Inserção: Massa lateral e processo transverso do atlas Inervação: Ramos posteriores dos nervos espinhais (raquídios) cervicais Ação: Contração Unilateral - Rotação da cabeça Contração Bilateral - Extensão da cabeça4.13 Músculos do Tórax:4.13.1 Região Ântero-Lateral Peitoral Maior: Origem: 2/3 mediais da borda anterior da clavícula, face anterior do esterno, face externa da 1ª a 6ª cartilagens costais, 6ª a 7ª costelas e bainha do M. Reto do abdome Inserção: Crista do tubérculo maior do úmero
  46. 46. 46Inervação: Nervo peitoral lateral e medial (C5, C6, C7, C8 e T1)Ação: Fixo no Tórax: Adução, rotação medial do braço, auxilia na abdução e flexãodo braço até 90°. A porção esternal faz extensão e a porção clavicular faz flexãohorizontal Fixo no Braço: Eleva troncoPeitoral Menor:Origem: Face externa da 2ª a 5ª costelasInserção: Processo coracóideInervação: Nervo do peitoral medial e lateralAção: Fixo no Tórax: Deprime o ombro. Na escápula realiza rotação inferior,abdução e depressão Fixo na Escápula: Eleva costelas (ação inspiratória)Subclávio:Origem: Face inferior da clavículaInserção: Face superior da 1ª cartilagem costalInervação: Nervo do subclávioAção: Deprime e fixa à clavícula na articulação esternoclavicular, auxilia nadepressão do ombro e eleva a 1ª costelaSerrátil Anterior:Passa por baixo da escápula* Porção Superior Origem: Ângulo superior da escápula Inserção: Face externa da 1ª e 2ª costelas* Porção Média Origem: Borda medial da escápula Inserção: Face externa da 2ª a 4ª costelas
  47. 47. 47 * Porção Inferior Origem: Ângulo inferior da escápula Inserção: Face externa da 5ª a 8ª costelas Inervação: 5º e 6º nervos cervicais e 8º e 9º intercostais Ação: Fixo na escápula: Ação inspiratória Fixo nas costelas: Abdução e rotação superior da escápula4.13.2 Região Costal Estes músculos estão localizados nos espaços intercostais (entre as costelas). *Intercostais Externos (11 Pares): Origem: Borda inferior da costela suprajacente (superior) Inserção: Borda superior da costela infrajacente (inferior) Inervação: Nervos intercostais Ação: Eleva as costelas (Ação inspiratória) *Intercostais Internos (11 Pares): Origem: Borda inferior da costela suprajacente (superior) Inserção: Borda superior da costela infrajacente (inferior) Inervação: Nervos intercostais Ação: Deprime as costelas (Ação expiratória) Os músculos intercostais internos e externos se cruzam em "X". As fibras dos intercostais externos se dirigem de superior para inferior e de posterior para anterior. Já as fibras dos intercostais internos se dirigem de superior para inferior e de anterior para posterior.
  48. 48. 48Supracostais (Levantadores das Costelas):Origem: Processo transverso da C7 a T11Inserção: Face externa da 1ª a 12ª costelaInervação: Nervos intercostaisAção: Eleva as costelas (inspiratório)Infracostais (Subcostais):Origem: Face interna da costela suprajacenteInserção: Face interna da costela infrajacenteInervação: Nervos intercostaisAção: Abaixa as costelas, contribuindo para a expiraçãoTransverso do Tórax:Origem: Face interna do esterno e processo xifóideInserção: Face interna da 2ª à 6ª costelaInervação: Nervos intercostais. Ação: Reforço da parede torácica e auxiliar daexpiração
  49. 49. 494.14 Músculos do Dorso: 4.14.1 - Trapézio: Origem: Linha nucal superior, ligamento nucal, protuberância occipital externa até os processos espinhosos da C6 e processos espinhosos da C7 a T12 Inserção: 1/3 lateral da borda posterior da clavícula, acrômio e espinha da escápula Inervação: Nervo acessório (11º par craniano) e Plexo Cervical (C3 e C4) Ação: Fixo na Coluna: Eleva o ombro e aduz as escápulas Fixo na Escápula: * Contração Unilateral: Inclina a cabeça para o mesmo lado, rodando o campo de visão para o lado oposto. Na escápula faz rotação superior, adução, elevação e depressão
  50. 50. 50 * Contração Bilateral: Extensão da cabeça4.14.2 - Grande Dorsal: Origem: Processos espinhosos das 7 últimas vértebras dorsais e todas aslombares, crista do sacro, crista ilíaca e face externa das 4 últimas costelasInserção: Sulco intertubercular do úmeroInervação: Nervo Toracodorsal (C6, C7 e C8)Ação: Adução, extensão e rotação medial do braço, baixam o ombro e auxilia nainspiração forçada 4.14.3 - Rombóide: Origem: Processos espinhosos da C7 à T5Inserção: Borda medial e ângulo inferior da escápulaInervação: Nervo escapular dorsal (C4 e C5)Ação: Adução e rotação inferior da escápula e deprime o ombroO músculo rombóide pode ser subdividido em rombóide maior (processosespinhosos de T1 a T4 até a 2/3 inferiores da borda medial da escápula e ânguloinferior da escápula) e rombóide menor (processos espinhosos de C7 e T1 à 1/3superior da borda medial da escápula)4.14.4 - Levantador da Escápula (Angular da Escápula):Origem: Processo transverso do atlas até C4Inserção: Ângulo superior da escápulaInervação: Nervo do elevadorAção: Eleva a escápula e inclina a coluna para o mesmo lado da contração4.14.5 - Serrátil Postero-Superior: Origem: Processos espinhosos de C7 a T3 e ligamento nucalInserção: Borda superior e face externa da 2ª à 5ª costelasInervação: Ramos dos 4 primeiros nervos costaisAção: Eleva as costelas (atua na inspiração forçada)4.14.6 - Serrátil Postero-Inferior: Origem: Processos espinhosos da T11 à L3
  51. 51. 51 Inserção: Borda inferior e face externa das 4 últimas costelas Inervação: 9º ao 11º nervos intercostais Ação: Atrai para baixo e para trás as últimas costelas (ação expiratória)4.15 Músculos do Abdômen: *Reto do Abdome; Inserção Superior: Face externa e inferior da 5ª à 7ª cartilagens costais e processo xifóide Inserção Inferior: Corpo do púbis e sínfise púbica Inervação: 5 últimos nervos intercostais Ação: Aumento da pressão intra-abdominal (Expiração, Vômito, Defecação, Micção e no Parto) * Fixo no Tórax: Retroversão da pelve * Fixo na Pelve: Flexão do tronco (+ ou - 30°) *Oblíquo Externo; Inserção Superior: Face externa das 7 últimas costelas Inserção Inferior: ½ anterior da crista ilíaca, EIAS, tubérculo do púbis e linha alba Inervação: 4 últimos nervos intercostais, nervo ílio-hipogástrico e ílio-inguinal Ação: * Contração Unilateral: Rotação com tórax girando para o lado oposto * Contração Bilateral: Flexão do tronco e aumento da pressão intra-abdominal
  52. 52. 524.16 Músculos Inferiores:4.16.1. Quadril: *Região Posterior do Quadril Glúteo Máximo: Origem: 1/5 posterior da crista ilíaca, asa ilíaca (atrás da linha glútea posterior), crista sacral mediana, cóccix e tubérculos sacrais posteriores Inserção: Tuberosidade glútea e trato iliotibial Inervação: Nervo Glúteo Inferior (L5, S1 e S2) Ação: Extensão do quadril, rotação lateral da coxa e auxilia na adução da coxa. Pode realizar retroversão da pelve (contração bilateral) Glúteo Médio: Origem: 4/5 anterior da crista ilíaca, asa ilíaca entre as linhas glútea anterior e posterior e espinha ilíaca ântero-superior Inserção: Superfície lateral do trocânter maior Inervação: Nervo Glúteo Superior (L4, L5 e S1) Ação: Abdução. As fibras anteriores realizam rotação medial e flexão da coxa. As fibras posteriores realizam rotação lateral e extensão da coxa. O Glúteo médio é o principal estabilizador do quadril. Glúteo Mínimo: Origem: Crista ilíaca, asa ilíaca (entre as linhas glúteas anteriores e inferiores) e espinha ilíaca ântero-superior Inserção: Superfície anterior do trocânter maior Inervação: Nervo Glúteo Superior (L4, L5 e S1) Ação: Abdução, rotação medial e flexão da coxa Piramidal (Piriforme): Origem: Face anterior do sacro Inserção: Bordo superior do trocânter maior
  53. 53. 53Inervação: Nervo do Piramidal (S1 e S2)Ação: Abdução e rotação lateral da coxaGêmeo Superior:Origem: Superfície externa da espinha isquiáticaInserção: Trocânter maiorInervação: Nervo Obturatório Interno (L5, S1 e S2)Ação: Abdução e rotação lateral da coxa Obturatório Interno:Origem: Face interna da membrana obturatória (forame obturatório)Inserção: Trocânter maiorInervação: Nervo Obturatório Interno (L5, S1 e S2)Ação: Abdução e rotação lateral da coxaGêmeo Inferior:Origem: Parte superior da tuberosidade isquiáticaInserção: Trocânter maiorInervação: Nervo Quadrado Femoral (L4, L5 e S1)Ação: Abdução e rotação lateral da coxa Obturatório Externo:Origem: Face posterior do púbis e ísquio e superfície externa da membranaobturatóriaInserção: Trocânter maior (posteriormente)Inervação: Nervo Obturatório (L3 e L4)Ação: Rotação lateral da coxaQuadrado Femural:Origem: Porção proximal do bordo externo da tuberosidade isquiáticaInserção: Trocânter maior e crista intertrocantéricaInervação: Nervo Quadrado Femoral (L4, L5 e S1)Ação: Rotação lateral da coxa
  54. 54. 54 *Região Anterior do Quadril: Iliopsoas: É um músculo que apresenta duas origens, ou seja, é um bíceps Origem: Psoas Maior: Corpos vertebrais de T12 a L4, discos intervertebrais, processos transversos de L1 a L4 Ilíaco: Fossa ilíaca, crista ilíaca, linha arqueada e sacro. Inserção: Os dois ventres se unem formando um único tendão que se insere no trocânter Menor do fêmur Inervação: Nervo Femural (L1, L2 e L3) Ação: Fixo no Tronco: Flexão da coxa, rotação lateral da coxa Fixo no Fêmur: Flexão de tronco Psoas Menor: Origem: Corpo vertebral de T12 e L1 Inserção: Eminência iliopúbica Inervação: Plexo lombar (L2, L3 e L4) Ação: Auxilia o músculo psoas maior4.16.2. Região da Coxa: *Região Anterior; -Tensor da Fáscia Lata: Origem: Região anterior da crista ilíaca e superfície lateral da espinha ilíaca ântero-superior Inserção: Trato iliotibial Inervação: Nervo do Glúteo Superior (L4, L5 e S1)
  55. 55. 55Ação: Tenciona a fáscia lata, rotação medial da coxa, inclinação da pelve,estabiliza a pelve sobre o fêmur e o fêmur sobre a tíbia -Sartório:Origem: Espinha ilíaca ântero-superiorInserção: Pata de ganso (borda medial da tuberosidade da tíbia)Inervação: Nervo Femoral (L2 e L3)Ação: Flexão do quadril, flexão do joelho, abdução da coxa e rotação lateral dacoxa -Quadríceps Femural:Origem: Porção Reto Anterior: Espinha ilíaca ântero-inferior Poção Lateral: Trocânter maior, linha áspera e linha glútea do fêmur Porção Medial: Linha áspera e linha intertrocantérica Porção Intermédia: Face anterior e lateral da diáfise do fêmurInserção: Patela, tendão do quadríceps e tuberosidade anterior da tíbiaInervação: Nervo Femoral (L2, L3 e L4)Ação: Extensão do joelho e flerte o quadril -Articulador do Joelho:Origem: Face anterior distal do corpo do fêmurInserção: Numa reflexão proximal da membrana sinovial da articulação dojoelhoInervação: Nervo Femoral (L2, L3 e L4)Ação: Fixa articulação do joelho*Região Medial: *Grácil:Origem: Metade inferior da sínfise púbica e borda interna do arco púbicoInserção: Pata de ganso (borda medial da tuberosidade da tíbia)Inervação: Nervo Obturatório (L3 e L4)
  56. 56. 56Ação: Flexão do joelho, rotação medial e adução da coxa *Pectíneo:Origem: Eminência íleo pectínea e linha pectínea do púbisInserção: Linha pectínea do fêmurInervação: Nervo Femoral (L2, L3 e L4)Ação: Flexão do quadril e adução e rotação externa da coxa *Adutor Longo:Origem: Face anterior do púbis na união da crista com a sínfise púbicaInserção: Porção média do lábio medial da linha ásperaInervação: Nervo Obturatório (L3 e L4)Ação: Adução da coxa e rotação lateral *Adutor Curto: Origem: Corpo e superfície externa do ramo inferior do púbis Inserção: Linha áspera e pectínea Inervação: Nervo Obturatório (L3 e L4) Ação: Adução e rotação lateral da coxa *Adutor Magno: Origem: Ramo pubiano inferior e ramo do ísquio (fibras anteriores) e tuberosidade isquiática (fibras posteriores) Inserção: Linha áspera (fibras anteriores) e tubérculo adutório (fibras posteriores) Inervação: Nervo Obturatório e Nervo Ciático (L2, L3, L4, L5, S1, S2 e S3) Ação: Adução, rotação lateral da coxa e auxilia na extensão (fibras posteriores)*Região Posterior;
  57. 57. 57 Bíceps Femural:Origem: Porção Longa: Tuberosidade isquiática Poção Curta: Região lateral da linha áspera do fêmurInserção: Cabeça da fíbula (região lateral) e côndilo lateral da tíbiaInervação: Nervo Ciático (Tibial e Fibular) Porção Longa: Nervo Tibial (L4, L5, S1, S2 e S3) Poção Curta: Nervo Fibular (L5, S1 e S2)Ação: Extensão do quadril, flexão do joelho e rotação lateral da coxa Semitendinoso:Origem: Tuberosidade isquiáticaInserção: Pata de ganso (borda medial da tuberosidade da tíbia)Inervação: Nervo Ciático - Tibial (L5, S1 e S2)Ação: Extensão do quadril, flexão do joelho e rotação medial da coxa Semimembranoso:Origem: Tuberosidade isquiáticaInserção: Côndilo medial da tíbiaInervação: Nervo Ciático - Tibial (L5, S1 e S2)Ação: Extensão do quadril, flexão do joelho e rotação medial da coxa
  58. 58. 584.16.3 Região da Perna: *Região Anterior; Tibial Anterior: Origem: Tuberosidade anterior e lateral da tíbia e face lateral da tíbia Inserção: Superfície plantar do cuneiforme medial e base do 1º metatarsiano Inervação: Nervo Fibular Profundo (L4, L5 e S1) Ação: Flexão dorsal do pé, adução e rotação medial do pé (inversão) Extensor Longo dos Dedos: Origem: Tuberosidade lateral da tíbia, 2/3 superiores da fíbula, superfície anterior da tíbia e fíbula e membrana interóssea Inserção: Base da falange media e distal da superfície dorsal do 2º ao 5º dedos Inervação: Nervo Fibular Profundo (L4, L5 e S1) Ação: Extensão da 3ª falange sobre a 2ª, da 2ª sobre a 1ª, flexão dorsal do pé e acessoriamente faz abdução e rotação lateral do pé (eversão) Extensor Longo do Hálux: Origem: 1/3 médio da fíbula e membrana interóssea Inserção: Base da falange distal do hálux Inervação: Nervo Fibular Profundo (L4, L5 e S1) Ação: Extensão do hálux, flexão dorsal do pé, adução e rotação medial do pé (inversão) Fibular Terceiro: Origem: 1/3 inferior da superfície medial da fíbula Inserção: Superfície dorsal da base do 5º metatarsiano Inervação: Nervo Fibular Profundo (L4, L5 e S1) Ação: Flexão dorsal do pé, abdução do pé e rotação lateral do pé (eversão) RETINÁCULO DOS EXTENSORES: Os tendões dos quatro músculos acima atravessam anteriormente a região do tornozelo e necessitam ser contidos para
  59. 59. 59não se deslocarem para frente, por ocasião da contração das fibras musculares.São dois os retináculos ou ligamentos, um superior e outro inferior, dispondo-seo inferior na altura dos maléolos e o superior alguns centímetros acima,exercendo função de retenção.*Região Lateral; Fibular Longo:Origem: Cabeça e superfície lateral da fíbulaInserção: Face lateral da base do 1º metatarsiano e cuneiforme medialInervação: Nervo Fibular Superficial (L4, L5 e S1)Ação: Flexão plantar do pé, abdução do pé e rotação lateral do pé (eversão) Fibular Curto:Origem: 2/3 distais da superfície lateral da fíbulaInserção: Base dorsal do 5º metatarsianoInervação: Nervo Fibular Superficial (L4, L5 e S1)Ação: Eversão do pé e flexão plantar do pé*Região Posterior; .Camada Superficial: a)Tríceps Sural (sóleo e os gastrocnêmicos) b)Gastrocnêmio Medial: Origem: Côndilo medial do fêmur Inserção: Túber do calcâneo, unindo-se com o gastrocnêmio lateral e o sóleo para formar o tendão calcâneo Inervação: Nervo Ciático - Tibial (S1 e S2)
  60. 60. 60 Ação: Flexão do joelho e flexão plantar do pé c)Gastrocnêmio Lateral: Origem: Côndilo lateral do fêmur Inserção: Túber do calcâneo, unindo-se com o gastrocnêmio medial e o sóleo para formar o tendão calcâneo Inervação: Nervo Ciático - Tibial (S1 e S2) Ação: Flexão do joelho e flexão plantar do pé d)Sóleo: Origem: Linha oblíqua da tíbia, face medial da tíbia, superfície posterior da cabeça da fíbula Inserção: Túber do calcâneo, unindo-se com o gastrocnêmiomedial e o gastrocnêmio lateral para formar o tendão calcâneo Inervação: Nervo Tibial (S1 e S2) Ação: Flexão plantar do pé e)Plantar: Origem: Côndilo lateral do fêmur Inserção: Túber do calcâneo (medialmente) Inervação: Nervo Tibial (L4, L5 e S1) Ação: Auxilia na flexão plantar do pé e flexão de joelho.Camada Profunda: a)Poplíteo: Origem: Superfície lateral do côndilo lateral do fêmur e do menisco medial e dentro da cápsula fibrosa da articulação do joelho Inserção: Linha oblíqua da tíbia e face posterior proximal da tíbia Inervação: Nervo Tibial (L4, L5 e S1)
  61. 61. 61 Ação: Flexão do joelho e rotação medial da perna b)Flexor Longo dos Dedos: Origem: Linha oblíqua da tíbia e 1/3 médio da face posterior da tíbia Inserção: Base da 3ª falange (distal) do 2º ao 5º dedos Inervação: Nervo Tibial (L5 e S1) Ação: Flexão da 3ª, 2ª e 1ª falanges, flexão plantar e rotação medial do pé c)Flexor Longo do Hálux: Origem: 2/3 distais da face posterior da fíbula e membrana interóssea Inserção: Base da falange distal do hálux Inervação: Nervo Tibial (L5, S1 e S2) Ação: Flexão do hálux, flexão plantar e supinação (rotação medial) do pé d)Tibial Posterior: Origem: 2/3 proximais da face posterior da tíbia e fíbula, membrana interóssea Inserção: Superfície plantar do osso navicular, base do 2º, 3º e 4º metatarsiano e os 3 cuneiformes (medial médio e lateral) Inervação: Nervo Tibial (L5 e S1) Ação: Adução e rotação medial do pé (inversão) e acessoriamente faz flexão plantar do pé RETINÁCULO DOS FLEXORES: Está situado entre o maléolo medial e o calcâneo, onde se encontram as fibras de reforço da fáscia, que mantém em posição os tendões dos três últimos músculos4.16.4 Região do pé:
  62. 62. 62*Região Dorsal; a)Extensor Curto dos Dedos: Origem: Face dorsal e lateral do calcâneo Inserção: 2ª falange do 2º ao 5º dedos(tendão do extensor) Inervação: Nervo Fibular Profundo (L4, L5 e S1) Ação: Flexão dorsal dos dedos b) Extensor Curto do Hálux: Origem: Face dorsal do calcâneo Inserção: Falange proximal do hálux Inervação: Nervo Fibular Profundo (L4, L5 e S1) Ação: Flexão dorsal do hálux*Região Plantar Medial; a)Abdutor do Hálux: Origem: Tuberosidade medial do calcâneo e aponeurose plantar Inserção: Superfície medial da base da 1ª falange do hálux Inervação: Nervo Plantar Medial (L4 e L5) Ação: Flexão e abdução (aproxima hálux do eixo sagital mediano) do hálux b)Flexor Curto do Hálux: Origem: Face plantar dos ossos cuneiformes medial, intermédio e lateral e cubóide Inserção: Região lateral e medial (sesamóides) da base da 1ª falange dohálux Inervação: Nervo Plantar Medial (L4, L5 e S1) Ação: Flerte o hálux
  63. 63. 63 c)Adutor do Hálux: Origem: Porção Transversa - Ligamentos plantares e articulações metatarsofalangianas Porção Oblíqua - Bainha fibrosa do tendão do fibular longo, ossos társicos ecuneiforme lateral Inserção: Borda lateral da base da falange proximal do hálux Inervação: Nervo Plantar Lateral (S2) Ação: Adução e flexão do hálux*Região Plantar Lateral;a)Abdutor do Mínimo:Origem: Tuberosidade lateral do calcâneo e aponeurose plantarInserção: Face lateral da base da 1ª falange do 5º dedoInervação: Nervo Plantar Lateral (S1 e S2)Ação: Flerte e abduz o 5º dedob)Flexor Curto do Mínimo:Origem: Base do 5º metatarsianoInserção: Base da 1º falange do 5º dedoInervação: Nervo Plantar Lateral (S1 e S2)Ação: Flerte o dedo mínimoc)Oponente do Mínimo:Origem: Base do 5º metatarsianoInserção: Face lateral do 5º metatarsianoInervação: Nervo Plantar Lateral (S1 e S2)Ação: Oponência do 5º dedo e auxilia na flexão do mesmo
  64. 64. 64*Região Plantar Média (13 Músculos)a)Flexor Curto (Plantar) dos Dedos:Origem: Tuberosidade medial do calcâneo e aponeurose plantarInserção: 2ª falange do 2º ao 5º dedosInervação: Nervo Plantar Medial (L4 e L5)Ação: Flertem os dedos (2ª falange sobre a 1ª do 2º ao 5º dedos)b)Quadrado Plantar:Origem: Possui duas porções que saem do osso calcâneo (uma lateralmente eoutra medialmente) e são separadas pelo ligamento plantar longoInserção: Margem lateral do tendão do músculo flexor longo dos dedosInervação: Nervo Plantar Lateral (S1 e S2)Ação: Flertem as falanges distais do 2º ao 5º dedosc)Lumbricais (4):Origem: Tendão do flexor longo dos dedosInserção: Face medial da 1ª falange do 2º ao 5º dedosInervação: 1º Lumbrical - Nervo Plantar Medial (L4 e L5) e 2º, 3º e4ºLumbricais - Nervo Plantar Lateral (S2 e S3)Ação: Auxilia na flexão do 2º ao 5º dedosd)Interósseos Plantares (3):Origem: Face medial da base dos metatársicos 3º, 4º e 5ºInserção: Face medial da falange proximal do dedo do mesmo númeroInervação: Nervo Plantar Lateral (S2)Ação: Flexão e adução (aproximação) dos dedose)Interósseos Dorsais (4):Origem: Duas porções adjacentes dos ossos metatársicosInserção: O 1º interósseo dorsal na face medial do 2º dedo os outros três nasfaces laterais do 2º, 3º e 4º dedosInervação: Nervo Plantar Lateral (S2 e S3)
  65. 65. 65 Ação: Abdução (afastamento) os dedos e flexão dos dedos4.17 Músculos Superiores:4.17.1 Região do Ombro: *Deltóide: Origem: 2/3 laterais da borda anterior da clavícula, acrômio e espinha da escápula Inserção: Tuberosidade deltóidea (1/2 da diáfise do úmero) Inervação: Nervo axilar (C5 e C6) Ação: Abdução do braço auxilia nos movimentos de flexão, extensão, rotação lateral e medial e flexão e extensão horizontal do braço e fixa a articulação do ombro *Redondo Maior: Origem: Metade inferior da borda lateral da escápula e ângulo inferior da escápula Inserção: Crista do tubérculo menor Inervação: Nervo subescapular (C5 e C6) Ação: Rotação medial, adução e extensão do braço e fixação da articulação do ombro *Redondo Menor: Origem: Metade superior da borda lateral da escápula Inserção: Face inferior do tubérculo maior do úmero Inervação: Nervo axilar (C5 e C6) Ação: Rotação lateral do braço e fixação da articulação do ombro *Infra-Espinhoso: Origem: Fossa infra-espinhosa Inserção: Faceta média do tubérculo maior do úmero Inervação: Nervo supraescapular (C5 e C6)
  66. 66. 66Ação: Rotação lateral do braço, fixação da articulação do ombro e auxilia naextensão horizontal do braço*Supra-Espinhoso:Origem: Fossa supra-espinhosaInserção: Faceta superior do tubérculo maior do úmeroInervação: Nervo supraescapular (C5 e C6)Ação: Auxilia o deltóide na abdução do braço (até aproximadamente 30°),auxilia na rotação lateral e fixa a articulação do ombro*Subescapular:Origem: Borda medial e lateral da escápula e fossa subescapular (face anteriorda escápula)Inserção: Tubérculo menor do úmeroInervação: Nervo subescapular (C5 e C6)Ação: Rotação medial e fixação da articulação do ombro e auxilia na extensão eabdução do braçoMANGUITO ROTADOR: A função principal deste grupo é manter a cabeçado úmero contra a cavidade glenóidea, reforçar a cápsula articular e resistirativamente e deslocamentos indesejáveis da cabeça do úmero em direçãoanterior, posterior e superior * SUPRA-ESPINHOSO * INFRA-ESPINHOSO * REDONDO MENOR * SUBESCAPULAR
  67. 67. 674.17.2 Região do Braço; Região Anterior: *Bíceps Braquial: Origem: Porção Longa (Lateral): Tubérculo supra-glenoidal Porção Curta (Medial): Processo coracóide (escápula) Inserção: Tuberosidade radial Inervação: Nervo musculocutâneo (C5 e C6) Ação: Flexão do cotovelo, supinação do antebraço, depressão do ombro e um pequeno movimento de abdução realizada pela porção longa *Coracobraquial: Origem: Processo coracóide (escápula) Inserção: Face medial de 1/3 médio do úmero Inervação: Nervo musculocutâneo (C6 e C7)
  68. 68. 68Ação: Flexão e adução do braço e deprime o ombro*Braquial:Origem: Tuberosidade deltóidea e face anterior da metade inferior do úmeroInserção: Processo coronóide da ulnaInervação: Nervo musculocutâneo (C5 e C6)Ação: Flexão do cotoveloRegião Posterior*Tríceps Braquial:Origem: Porção Longa: Tubérculo infra-glenoidal (único que fica na escápula) Porção Lateral: Face posterior do úmero (acima do sulco radial) Porção Medial: Face posterior do úmero (abaixo do sulco radial)Inserção: Olécrano (ulna)Inervação: Nervo radial (C7 e C8)Ação: Extensão do cotovelo e a porção longa fazem adução do braço
  69. 69. 694.17.3 Região do Antebraço: Região Anterior *Pronador Redondo: Origem: Epicôndilo medial do úmero e processo coronóide da ulna Inserção: Face lateral do 1/3 médio do rádio Inervação: Nervo Mediano (C6 e C7) Ação: Pronação do antebraço *Flexor Radial do Carpo: Origem: Epicôndilo medial do úmero Inserção: Face anterior do 2º metacarpiano Inervação: Nervo Mediano (C6 e C7)
  70. 70. 70Ação: Flexão do punho, rotação medial da mão e auxilia na flexão do cotovelo epronação*Palmar Longo:Origem: Epicôndilo medialInserção: Aponeurose palmarInervação: Nervo Mediano (C6 e C7)Ação: Flexão do punho e tenciona a aponeurose palmar*Flexor Ulnar do Carpo:Origem: Epicôndilo medial do úmero, 2/3 proximais da borda posterior da ulna eolécranoInserção: Osso pisiforme, hamato e base do 5º metacarpianoInervação: Nervo Ulnar (C8 e T1)Ação: Flexão do punho, adução da mão (desvio ulnar) e auxilia na flexão docotovelo*Flexor Comum Superficial dos Dedos:Origem: Epicôndilo medial do úmero, processo coronóide da ulna e face anteriordo 1/3 médio do rádioInserção: Face anterior da 2ª falange do 2º ao 5º dedosInervação: Nervo Mediano (C7, C8 e T1)Ação: Flexão de punho, flexão da 2ª falange sobre a 1ª, da 1ª sobre osmetacarpos e auxilia na flexão do cotovelo*Flexor Comum Profundo dos Dedos:Origem: Face anterior da ulna e membrana interósseaInserção: Face anterior da 3ª falange do 2º ao 5º dedoInervação: Nervo Mediano e ulnar (C8 e T1)Ação: Flexão de punho, flexão da 3ª falange sobre a 2ª e da 2ª sobre a 1ª e da 1ªsobre os metacarpos*Flexor Longo do Polegar:Origem: Face anterior do rádio e membrana interóssea
  71. 71. 71Inserção: Base da 2ª falange do polegarInervação: Nervo Mediano (C8 e T1)Ação: Flexão de punho, flexão da 2ª falange sobre a 1ª e faz inclinação radial*Pronador Quadrado:Origem: 1/4 distal da face medial da ulnaInserção: 1/4 distal da face lateral do rádioInervação: Nervo Mediano (C8 e T1)Ação: Pronação do antebraçoRegião Lateral:*Braquiorradial:Origem: Face lateral do 1/3 médio do úmero e epicôndilo lateralInserção: Processo estilóide do rádioInervação: Nervo Radial (C5 e C6)Ação: Flexão de cotovelo, pronação e supinação se o braço estiver em pronaçãoprévia*Extensor Radial Longo do Carpo:Origem: 1/3 inferior da face lateral do úmero e epicôndilo lateralInserção: Face posterior da base do 2º metacarpianoInervação: Nervo Radial (C6 e C7)Ação: Extensão de punho e abdução da mão*Extensor Radial Curto do Carpo:Origem: Epicôndilo lateral do úmeroInserção: Face posterior do 3º metacarpianoInervação: Nervo Radial (C6 e C7)Ação: Extensão do punho e abdução da mão
  72. 72. 72*Supinador:Origem: Epicôndilo lateral do úmero e 1/4 proximal da ulnaInserção: Face lateral e 1/2 superior do rádioInervação: Nervo Radial (C6 e C7)Ação: Supinação do antebraçoRegião Posterior *Extensor Comum dos Dedos:Origem: Epicôndilo lateral do úmeroInserção: 2ª e 3ª falanges do 2º ao 5º dedos e tendão extensor para cada dedoInervação: Nervo Radial (C6, C7 e C8)Ação: Extensão da 3ª falange sobre a 2ª, da 2ª sobre a 1ª e da 1ª sobre osmetacarpianos e acessoriamente faz extensão de punho e cotovelo*Extensor Próprio do 5º Dedo:Origem: Epicôndilo lateral do úmeroInserção: Tendão do extensor comum para o 5º dedoInervação: Nervo Radial (C6, C7 e C8)Ação: Extensão do 5º dedo*Extensor Ulnar do Carpo:Origem: Epicôndilo lateral do úmeroInserção: Face dorsal na base do 5º metacarpianoInervação: Nervo Radial (C6, C7 e C8)Ação: Extensão e adução da mão*Ancôneo:Origem: Epicôndilo lateral do úmeroInserção: Borda lateral do olécranoInervação: Nervo Radial (C7 e C8)
  73. 73. 73 Ação: Extensão do cotovelo *Abdutor Longo do Polegar: Origem: 1/3 médio da face posterior do rádio, face lateral da ulna e membrana interóssea Inserção: Base do primeiro metacarpiano Inervação: Nervo Radial (C6 e C7) Ação: Abdução da mão e polegar e rotação lateral da mão e polegar *Extensor Curto do Polegar: Origem: Face posterior do rádio e membrana interóssea Inserção: Face dorsal da base da 1ª falange do polegar Inervação: Nervo Radial (C6 e C7) Ação: Extensão da 1ª falange sobre o 1º metacarpiano e abdução do polegar *Extensor Longo do Polegar: Origem: Face lateral do 1/3 médio da ulna e membrana interóssea Inserção: Face dorsal da base da 2ª falange do polegar Inervação: Nervo Radial (C6 e C7) Ação: Abdução do polegar, extensão do punho e extensão da 2ª falange sobre a 1ª e da 1ª sobre o metacarpiano *Extensor Próprio do 2º Dedo: Origem: Face posterior da ulna e membrana interóssea Inserção: Tendão do extensor comum do 2º dedo Inervação: Nervo Radial (C6 e C7) Ação: Extensão do 2º dedo4.17.4 Região da Mao: Região Palmar Lateral (Tenar)
  74. 74. 74 *Abdutor Curto do Polegar:Origem: Tuberosidade do osso escafóide, crista do trapézio e retináculo dosflexoresInserção: 1ª falange do polegarInervação: Nervo mediano (C6 e C7)Ação: Abdução do polegar*Flexor Curto do Polegar:Origem: Porção Superficial: Trapézio e retináculo dos flexores Porção Profunda: Trapezóide e capitatoInserção: Tubérculo lateral da base da 1ª falange do polegar e sesamóides lateralInervação: Nervo mediano e radial (C8 e T1)Ação: Flerte a 1ª falange do polegar sobre o 1º metacarpiano e adução dopolegar*Oponente do Polegar:Origem: Trapézio e retináculo dos flexoresInserção: 1º metacarpianoInervação: Nervo mediano (C6 e C7)Ação: Abduz, flerte e gira o osso metacárpico do polegar levando o mesmo emoposição à palma da mão*Adutor do Polegar:Origem: Porção Oblíqua: Trapezóide e capitato Porção Transversa: 2º e 3º metacarpos e articulações metacarpofalangeanascorrespondentesInserção: Tubérculo lateral na base da 1ª falange e sesamóide lateralInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Adução do polegar
  75. 75. 75Região palmar Medial (Hipotenar) *Palmar Cutâneo:Origem: Aponeurose palmarInserção: Camada profunda da derme da eminência hipotenarInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Pregas transversais na região hipotenar*Abdutor do Mínimo:Origem: Pisiforme, tendão do músculo flexor ulnar do carpo e retináculo dosflexoresInserção: Base da 1ª falange do dedo mínimoInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Abdução do dedo mínimo e flexão da falange proximal do mesmo*Flexor Curto do Mínimo:Origem: Hâmulo do hamato e retináculo dos flexoresInserção: Base da 1ª falange do dedo mínimoInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Flerte a 1ª falange do dedo mínimo sobre o 5º metacarpiano*Oponente do Mínimo:Origem: Hâmulo do hamato e retináculo dos flexoresInserção: Face medial do 5º metacarpianoInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Abduz flerte e faz rotação do 5º metacarpo deslocando o dedo mínimo emoposição ao polegarRegião Palmar Média (11 Músculos)
  76. 76. 76*Lumbricais - 4 Músculos:Origem: Tendão do flexor comum profundo dos dedosInserção: Tendão do extensor comum dos dedosInervação: Nervo mediano (C6 e C7) - 1º e 2º lumbricais e nervo ulnar (C8) - 3ºe 4º lumbricaisAção: Flerte a 1ª falange e estende a 2ª e 3ª falanges*Interósseos Palmares (1º ao 3º Dedo) - 3 Músculos:Origem: Toda a extensão dos 2º, 4º e 5º metacarpos na superfície palmarInserção: Base da falange proximal do dedo correspondente: 1º na face ulnar do2º dedo; 2º e 3º na face radial dos4º e 5º dedos. Em uma expansão aponeuróticado tendão do extensor dos mesmos dedosInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Adução (aproximação) dos dedos*Interósseos Dorsais (1º ao 4º Dedo) - 4 Músculos:Origem: Cada um por duas porções originadas dos lados adjacentes dosmetacarpos entre os quais resideInserção: Base das falanges proximais dos três dedos: 1º e 2º interósseo na faceradial do 2º e 3º dedos, 3º e 4º interósseos na face ulnar do 3º e 4º dedos. Emexpansões aponeuróticas dos tendões do extensor dos dedos correspondentesInervação: Nervo ulnar (C8 e T1)Ação: Abdução (afastamento) dos dedos
  77. 77. 775 Referencias Bibliográficas: http://www.icb.ufmg.br/mor/anatfto/introducao_Anatomia.htm. http://www.cefid.udesc.br/laboratorios/anatomia/anatomia/1.introducao.pdf. Imagem: AVANCINI & FAVARETTO. Biologia – Uma abordagem evolutiva e ecológica. Vol. 2. São Paulo, Ed. Moderna, 1997, com adaptações. http://www.cabuloso.com/Anatomia-Humana/Sistema-de- Sustentacao/Esqueleto.htm. Anatomia Básica dos Sistemas Orgânicos - Editora Parma. –J. G. Dangelo e C. A. Fattini. Atlas Visual Compacto do Corpo Humano – Editora Rideel – 1ª edição. Atlas de Anatomia Humana – Editora Atheneu – 3ª edição – Werner Platzer.
  78. 78. 78

×