• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
A mediação pedagógica no uso da web 2.0 que possibilite a aprendizagem por meio da autoria
 

A mediação pedagógica no uso da web 2.0 que possibilite a aprendizagem por meio da autoria

on

  • 499 views

 

Statistics

Views

Total Views
499
Views on SlideShare
499
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
6
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    A mediação pedagógica no uso da web 2.0 que possibilite a aprendizagem por meio da autoria A mediação pedagógica no uso da web 2.0 que possibilite a aprendizagem por meio da autoria Document Transcript

    • A mediação pedagógica no uso da Web 2.0 que possibilite aaprendizagem por meio da autoria. Ana Maria de Almeida O desenvolvimento tecnológico cresce em uma velocidade incomparável,internet, chats, páginas, web sites e as redes sociais têm invadindo todos o segmentos dasociedade. Esse crescimento exponencial dos meios de comunicação impulsiona avelocidade com que as informações circulam e são modificadas a cada segundo quepassa. A gama de informações online dispostas na internet tem exigido dos usuárioscada vez mais autonomia para selecionar quais informações vem de encontro aos seusinteresses pessoais ou profissionais. Diante desta realidade a escola precisa estar emconstante processo de reformulação da maneira como conduz o processo de ensinoaprendizagem. A dinâmica e a infinita capacidade de estruturação das redes colocam todos os participantes de um momento educacional em conexão, aprendendo juntos, discutindo em igualdade de condições, e isso é revolucionário. Kenski (2007). Essa visão está sendo absorvida aos poucos nos ambientes educacionais, umaparcela dos educadores são conscientes da necessidade de utilizar as novas tecnologiaeducacionais de forma que realmente contribuam para o aprendizado dos alunos,buscando aprender a cada dia por meio da formação continuada e das situaçõesvivenciadas na própria práxis. A outra parte desses profissionais, ainda ignora essa realidade tentando afastar oaluno das tecnologias, de alguns sites e redes sociais para evitar conflitos que possamatrapalhar a organização da sala e impedi-lo de "ensinar" seus conteúdos. Crescentemente, processos de aprendizagem se envolvem com novas tecnologias, obrigando as instituições educacionais e a pedagogia a se reverem radicalmente. Demo, (2009). As instituições de ensino deveriam estar impregnadas de grupos de estudos entreos profissionais de educação com discussões provocadoras de reflexão e deconscientização, no sentido de buscar uma mudança de paradigmas, de "professor queensina" para "professor que aprende enquanto ensina".
    • Dessa forma, o professor estará a cada dia de sua carreira de ensinoaprendizagem, aprendendo e reconstruindo sua nova maneira de ensinar, inserindo aospoucos as novas tecnologias em sala de aula. Essas tecnologias possibilitam o aumento da comunicação, a expansão dasmídias e principalmente o acesso cada vez maior das redes sociais, por crianças eadultos. O papel do professor vem ganhado uma nova configuração, o que deixa adúvidas sobre a forma lidar com essa disseminação tecnológica em sala de aula. Embora se possa utilizar em todos os ambientes possíveis e imagináveis, como nas empresas, no tráfico de drogas, as gangues, não progride se não acontecer genuína a aprendizagem. Essa percepção crescente acabou reconhecendo a face informal da aprendizagem, cada vez mais visível e importante, não só porque em ambientes informais há mais motivação, chance individualizada, chance coletiva, fluência tecnológica, mas principalmente porque, de direito e de fato, pode-se aprender bem. Demo (2009). Usar as novas tecnologias em sala de aula é uma questão de inovação, e sim denecessidade de utilizar recursos plausíveis, que vão além do interesse dos alunos, que explorema grande rede de informações disponível online. Essa rede, esta posta aos educandos de formadesorganizada e o papel do professor é promover o aprendizado proporcionando a conexão detais informações de forma que comecem a fazer sentido ao aluno por meio da aquisição doconhecimento. As novas tecnologias podem contribuir com o desenvolvimento dessa autonomia devidoao grande número de links disponíveis sobre diversos assuntos, o aluno pode tirar dúvidas emtempo real, como consultar o dicionário online, buscar páginas sobre temas desconhecido quepossam surgir em sua pesquisa e assim vai-se tecendo a rede da construção do conhecimento. A Web 2.0, principalmente as redes sociais já tomaram conta do universo dosalunos de todas as idades, faz-se necessário que os professores reflitam sobre apossibilidade de utilizar esses recursos em prol da aprendizagem, ao invés detê-loscomo o inimigos de suas aulas. Entre outras, a rede social "Facebook" é disponibilizada, não só emcomputadores mas também nos celulares, o que faz com que até mesmo a criança maishumilde, que não possui um computador tenha acesso a rede pelo celular, no cyber oumesmo na escola. Segundo Phillips, Baird e Fogg, (2011), há sete formas que os educadorespodem usar Facebook.1. Ajudar a desenvolver e acompanhar a política da sua escola sobre o Facebook.2. Incentivar os alunos a seguir as orientações do Facebook.3. Manter-se atualizado sobre segurança e as configurações de privacidade noFacebook.4. Promover a cidadania no mundo digital.5. Usar páginas do Facebook e seus recursos para se comunicar com os alunos epais.
    • 6. Aderir ao estilo de aprendizagem dos estudantes do século 21.7. Usar o Facebook como um recurso de desenvolvimento profissional. Cabe ao educador discutir em sala de aula as questões sobre o uso conscientedessa ferramenta antes de utilizá-la, visto que fora da sala os alunos passam grandeparte do tempo livre trocando mensagens nesta rede social, faz sentido trazer paradentro da escola para que essa utilização seja cada vez mais consciente e responsável. A grande questão não é a confiabilidade, mas a habilidade de lidar com grandes quantidades de informação e de estratégias sobre como encontrar a informação de que você precisa de maneira mais eficaz e mais eficiente. Wim, Ben (2009). A questão vai além de poder ou não utilizar esse recurso em sala de aula, oFacebook, já está implicitamente presente nas aulas, o aluno que domina as tecnologias,abre rapidamente seu Facebook para dar uma olhadinha e fecha, antes mesmo que oprofessor perceba. Se o Facebook fascina tanto crianças, adolescentes e adultos, a ponto de prendera atenção dos mesmos por horas na internet. Por que não utilizar esta energia positivadentro da sala de aula? A proliferação de digital, tecnologias sociais e móveis criou uma cultura em que os jovens participem mais na criação e partilha de conteúdos, mudando profundamente a forma como os alunos se comunicam, interagem e aprendem. Em muitos casos, os alunos passam tempo on-line tanto (ou mais) em um ambiente informal de aprendizagem interagindo com os colegas e recebendo feedback do que eles fazem com os seus professores em sala de aula tradicional. Phillips, Baird e Fogg, (2011), De acordo com esses autores, já existem professores que utilizam a redeFacebook e comentam que além de proporcionar aos alunos a oportunidade deapresentar suas ideias de forma eficaz, conduzir discussões online, o Facebook podeajudá-lo, a olhar para os estilos de aprendizagem digitais de seus alunos e facilitar oambiente colaborativo entre o grupo, por ser uma ferramenta poderosa para de conexãocom os pares, o educador tem a possibilidade de deixar os conteúdos educativos napágina a disposição dos alunos para compartilhar e melhorar a comunicação entreprofessores, pais e alunos. Além disso, paira sobre a educação a discussão sobe a exposição do aluno nasredes sociais, essa visão precisa ser repensada, pois independente de usá-las ou não, nasala de aula, os alunos passam a maior tempo "logados" em bate papos e fóruns dasredes sociais. Não há como fugir, á responsabilidade, os educadores não podem fazer "vistasgrossas" a invasão das mídias. Pelo contrário, estas discussões devem ser parteintegrante do cotidiano das aulas para contribuir para a formação ética desses alunos. Essa formação contribuirá também a formação profissional do aluno, devido aogrande número de cursos online textos e outros.
    • Ferreira (2011), Apresenta o resultado de uma pesquisa sobre as redes sociais quedemonstra que a maturidade do uso das mesmas, diminui a exposição dos usuário. O estudo concluiu que entre 2010 e 2011, os profissionais demonstraram mais maturidade no uso das redes, diminuindo sua exposição, fazendo uso mais racional do tempo despendido e buscando benefícios profissionais, por exemplo. Já as empresas, demonstram cada vez mais preocupação em estar presente nas redes sociais, direcionando melhor o seu discurso e posicionamento, agora mais alinhados às áreas de marketing e comunicação. Ferreira (2011). De acordo com o resultado da pesquisa, no Brasil os entrevistados estão maispreocupados com a privacidade, pois a divulgação de dados pessoais caiu em média 3%,e a utilização das mídias para os negócios aumentou cerca de 7%. A escola não pode ficar fora desse contexto, logo, é necessário que estadiscussão faça parte atividades educativas de forma concreta. Contudo, já que esta geração de hoje é a primeira geração que ensina seus pais a usar um fórum, um telefone celular e a consultar sua conta bancária eletronicamente, entre outros serviços, é esta a primeira vez que podemos observar uma "educação invertida" ocorrer, fenômeno nunca visto antes. Por causa dessas grandes mudanças em nossa sociedade, os pais e professores deveriam observar as crianças naquilo que elas de fato fazem para entender que esta geração viverá em um mundo diferente, para o qual habilidades, atitudes e comportamentos novos serão compulsórios. Wim, Ben (2009). O próprio professor precisa admitir a necessidade de estudar os recursostecnológicos para desenvolver algumas habilidades que além de não ter desenvolvidoem sua formação acadêmica, algumas habilidades nem existiam em sua época deestudante, pois foram surgindo de acordo .com o desenvolvimento tecnológico e agorajá fazem parte do cotidiano dos "Homo Zappiens" descritos por Wim e Ben (2009). Com essa consciência de aprendiz o educador poderá aproximar-se mais darealidade do aluno e descobrir como estimular o interesse e potencializar as descobertasdesse aluno com a utilização dos recursos da web 2.0. De nada adianta privar esse aluno das novas tecnologias em sala de aula como sefossem inimigas da aprendizagem, quando fora da sala os alunos passam o maior tempopossível envolvidos com algum tipo de recurso tecnológico. Demo (2009) afirma que mais que proibir, as crianças precisam ser educadaspara bem usar. Esse papel é da família e da escola, só será possível formar um alunocom autonomia na utilização da web 2.0, se for dado a ele a oportunidade de manusearproduzir e refletir sobre os risco da liberdade da internet.
    • BIBLIOGRAFIASDEMO, Pedro - Educação hoje: "Novas" tecnologias, pressões e oportunidadesSão Paulo Ed. Atlas, 2009. 137 pKENSKI, Vani Moreira - Educação e Tecnologias - Novo Ritmo da FormaçãoCampinas - SP - Ed. Papirus - 2007 - (Coleção Papirus Educação)PASQUETTI, Camila - Proposta de Aprendizagem de Polinômios Atravésde MateriaisConcretos
    • http://pt.scribd.com/doc/59790168/camila - Acesso em 25-072012 as 21:30Grupos Facebookhttp://www.youtube.com/watch?v=eLhFJd-EMnA Acesso em 30/06/2012 as 8:00 hGrupo Docshttp://www.youtube.com/watch?v=htNfvkPiSZE Acesso em 30/06/2012 as 8:00 hchathttp://www.youtube.com/watch?v=mOSgmrZJy5I Acesso em 30/06/2012 as 8:00 hgrupo de Privacidadehttp://www.youtube.com/watch?v=RqD-f5mdS00 Acesso em 30/06/2012 as 8:00 hUsando o Facebook para a Gestão da sala de aulahttp://www.facebook.com/help/groups/groups-for-schoolshttp://www.facebook.com/settings/?tab=privacy&ref=mb Acesso em 30/06/2012 as8:00 hTermos e políticas do Facebookhttps://www.facebook.com/policies - Acesso em 30/06/2012 as 8:00 hFacebook - O ensino para crianças digitaishttp://www.facebook.com/safety/groups/teachers/ Acesso em 30/06/2012 as 8:30 hPalestra gratuita aborda os aspectos legais de uso da internethttp://pt-br.facebook.com/note.php?note_id=280412621998418 Acesso em 29/06/201as 10:00 hVídeo entrevistaTV Tribunal - http://www.youtube.com/watch?v=UhK_u1-4d_Y Acesso em 29/06/201as 10:00 hFonte : Aprendizagens 2.0 - 100 Maneiras de Utilizar o Facebook na Sala de Aula - http://aprendizagens20.blogspot.com.br/2011/02/o-uso-do-facebook-na-educacao.htmlhttp://theinnovativeeducator.blogspot.com.br/2010/07/8-real-ways-facebook-enriched-ms.html - Acesso em 29/06/201 as 10:30 hArtigohttp://joaomattar.com/blog/2012/01/17/facebook-em-educacao/ Acesso em 29/06/201 as11:00 hLivro facebook para educadoreshttp://www.youblisher.com/p/165822-FACEBOOK-PARA-EDUCADORES-TRADUCAO/ Acesso em 29/06/201 as 12 : 00 hMídia social na escolahttp://www.ondajovem.com.br/acervo/21/midia-social-na-escola Acesso em 30/06/2012as 9:00 hMovimento Criança Segura na Internethttp://www.criancamaissegura.com.br/perguntas-frequentes.asp#faq1 Acesso em01/07/2012 as 9:30 h
    • Nova Escola - Como usar as redes sociais a favor da aprendizagemhttp://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/redes-sociais-ajudam-interacao-professores-alunos-645267.shtml Acesso em 01/07/2012 as 9:15 hInovador Cientista social professorhttp://www.bjfogg.com/Estudo Sobre Redes Sociais no Brasil Revela Objetivos de Usuários E Empresashttp://blogdoarmindo.com.br/midias-sociais/estudo-sobre-redes-sociais-no-brasil-revela-objetivos-de-usuarios-e-empresas/ Acesso em 30/06/2012 as 9:30 hMATTAR, João - O Uso das Redes Sociais na Educaçãohttp://www.educacaoetecnologia.org.br/?p=5487 - Acesso em 03/07/2012 as 21:30 hMORN, José Manoel - Como Utilizar a Internet na Educaçãohttp://www.eca.usp.br/prof/moran/internet.htm - Acesso em 04/07/2012 as 6:15 hCommon Sense Relatório Mídia Joga Luz Positiva em Crianças e Mídias Sociaishttp://www.safekids.com/2012/06/26/common-sense-media-report-shines-positive-light-on-kids-and-social-media/ Acesso em 04/07/2012 as 6:30 hWIM Veen, BEN Vrakking , Homo Zappiens : educando na era digital - traduçãoVinícius Figueira - Porto Alegre : Arrmed, 2009.