• Like
Defesa dissertação mestrado- Contributo de Mashups Web 2.0 para a construção de uma memória colectiva
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Defesa dissertação mestrado- Contributo de Mashups Web 2.0 para a construção de uma memória colectiva

  • 1,491 views
Published

 

Published in Business , Travel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
1,491
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
47
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Contributo de mashups Web 2.0 para a construção de uma memória z colectiva Por Ângela Costa sob orientação do Doutor Rui Raposo Defesa Pública da Dissertação para Obtenção do Grau de Mestre em Comunicação Multimédia
  • 2. Sumário 1. Problemática de Investigação 2. Pergunta de Investigação e objectivos 3. Hipóteses 4. Património e memória colectiva 5. A Web 2.0 e Mashups 6. Contributo da Cibermuseologia 7. Metodologia de Investigação 8. Resultados obtidos 9. Conclusões 10. Limitações do estudo 11. Perspectivas futuras de investigação
  • 3. Problemática de Investigação • No âmbito do projecto Cidade Velha, cujo o objectivo é a promoção do património cultural e histórico da Cidade Velha de Cabo Verde através das TIC, constatou-se que: Parte significativa do património cultural, tangível e intangível da cidade, não se encontrava documentado; • Surge a necessidade de : Recolher, documentar e agregar as memórias e documentos dispersos na população; Criar mecanismos que possibilitem e fomentem a participação da população como provedores de conteúdo; • Os Mashups de serviços Web 2.0 surgem como um possível instrumento para utilizar na recolha e agregação de documentação dessas memórias colectivas. “Qual o contributo que um Mashup de serviços Web 2.0 tem para a construção de uma memória Colectiva?”
  • 4. Hipóteses • Uma agregação de serviços Web 2.0, vulgo Mashup, evidencia-se como um instrumento útil para a recolha e partilha de informação sobre a Cidade Velha, e desta forma contribuir eficazmente para a construção de uma memória colectiva. • A predisposição para a partilha de informação na Internet é elevada; • Os serviços Web 2.0 como o YouTube e o Flickr apresentam uma grande popularidade no seio do utilizador comum da Internet; • Os utilizadores apresentam uma predisposição elevada para participar em projectos cujo o objectivo é promover a sua terra natal; • A utilização de estratégias e dos serviços da Web 2.0 fomentam a participação do utilizador;
  • 5. Objectivos da investigação • Realização de um levantamento e estudo bibliográfico sobre as questões da memória colectiva, património cultural, Cibermuseologia, Web 2.0 e Mashups; • Realização de uma investigação teórico-prática sobre a utilização de um Mashup de serviços Web 2.0 para a construção de uma memória colectiva sobre para a Cidade Velha de Cabo Verde; • Desenvolvimento e implementação de um Mashup de serviços Web 2.0 para a construção de uma memória colectiva; • Estudo da pertinência, eficácia e contribuição da utilização de um Mashup de serviços Web 2.0 para a construção de uma memória colectiva.
  • 6. O Património e a memória colectiva • O homem tem recorrido a vários mecanismos para preservar património cultural da humanidade. Arquivos, Museus e Livrarias centram-se essencialmente na preservação de património tangível (Solanilla, 2008); • A memória colectiva inclui informação do mundo que vai além da experiência pessoal do indivíduo e incorpora aquilo que ele recorda como membro de um grupo, invocando um passado comum. Possui um acentuado caris social e é transmitida maioritariamente pela oralidade (Halbwachs, 1980 e Zerubavel, 2003); • A evolução tecnológica e o surgimento dos meios tecnológicos mais sofisticados como a escrita digital, o filme, a televisão, a fotografia e a internet, permitem alargar as fronteiras do que é recordado (Erll, 2008); • O desenvolvimento e propagação das TIC, veio permitir a utilização da Internet como ferramenta para construção de memória colectiva (Solanilla, 2008)
  • 7. Web 2.0 e Mashups • O conceito Web 2.0 refere-se à Web como plataforma de disponibilização de serviços. Assenta numa arquitectura participativa e colaborativa em que o utilizador assume o papel de consumidor e produtor de conteúdo (O'Reilly, 2005); • O sucesso de serviços como o YouTube ou o Flickr reside na possibilidade de interacção e troca de conteúdos entre os utilizadores (House, 2007); • Os mashups pertencem a uma tipologia de aplicações Web que disponibiliza conteúdo de fontes externas e o conjuga no sentido de proporcionar novos serviços. (Merrill, 2006);
  • 8. O Contributo da Cibermuseologia • Os museus tradicionais: instituições de preservação, colecção e exposição de objectos num espaço físico, começam a utilizar a Internet como recurso, transpondo o museu para o espaço online; • Surge a Cibermuseologia como área de estudo da transposição das práticas museológicas para a Internet; • A Cibermuseologia recorre ao uso de serviços assentes no paradigma Web 2.0 como Blogs, Flickr, YouTube e Wikis, para fomentar a participação dos utilizadores. Exemplo do museu de Brooklyn;
  • 9. Metodologia de Investigação Fase I - Exploração • Levantamento bibliográfico e documental; • Questionário exploratório: informações sobre a utilização de serviços Web 2.0 e da predisposição do público-alvo primário para partilha de informação;
  • 10. Resultados obtidos !"#$%&'()*+,#+-(#../+0+1'2#"'#2+ Questionário exploratório Frequência de acesso à Internet Serviços que estaria disposto a utilizar para partilhar informação sobre a cidade velha
  • 11. Protótipo
  • 12. Metodologia de Investigação Fase II - Recolha de Dados • Público-alvo primário : diáspora cabo-verdiana; • Público-alvo secundário : turistas, historiadores e residentes da Cidade Velha; • Amostra: 10 alunos cabo-verdianos estudantes da Universidade de Aveiro; • Observação da navegação : registo de vídeo da navegação pelo protótipo; • Inquérito por questionário: recolha de opiniões sobre o protótipo.
  • 13. Resultados obtidos !"#$%&'()*+,#+-(#../+0+1'2#"'#2+ Questionário e observação Dificuldades na utilização do protótipo Classificação da facilidade de navegação no protótipo
  • 14. Resultados obtidos Questionário e observação Considera a existência deste tipo de projectos importantes Estaria disposto a utilizar este protótipo para a para a preservação da historia e cultural da Cidade Velha? partilha de informação sobre a Cidade Velha
  • 15. Conclusões • Os projectos de memória colectiva visam genericamente agregar o contributo das populações acerca de um determinado facto ou período histórico; • O recurso às TIC permitiu a proliferação e sucesso de vários projectos de memória colectiva; • Os serviços assentes no paradigma Web 2.0 fomentam o consumo e produção de conteúdo por parte do utilizador (ex.: Youtube, Flickr, Wikipedia, Blogs); • O público-alvo do projecto apresenta um conhecimento e índice de utilização de serviços Web 2.0 diversificados; • O predisposição público-alvo para a partilha de informação sobre a Cidade Velha é elevada; • Ao nível do protótipo é necessário efectuar melhorias no processo de adição de conteúdos; • Um mashup de serviços Web 2.0 evidencia-se como um instrumento útil na construção de uma memória colectiva.
  • 16. Limitações do estudo • Dificuldades técnicas na implementação do protótipo conceptualizado; • Conhecimento reduzido acerca da cultura e da história de Cabo-Verde; • Inviabilidade temporal para se verificar o real contributo de um mashup na construção de uma memória colectiva; • Dimensão reduzida da amostra que impossibilita a generalização;
  • 17. Perspectivas futuras de investigação • Estudo aprofundado sobre as redes sociais e a criação de vínculo às comunidades online; • Estudo e análise de novas soluções tecnológicas que possibilitam a criação de comunidades online (ex.: Elgg); • Após o desenvolvimento do projecto disponibilizar o mesmo para utilização; - Estudar os contributos e a dinâmica em torno do projecto; - Averiguar se de facto existe ou não a construção de uma memória colectiva;
  • 18. Por Ângela Costa sob orientação do Doutor Rui Raposo Mestrado em Comunicação Multimédia - Ramo Multimédia Interactivo Departamento de Comunicação e Arte Universidade de Aveiro 2009