Your SlideShare is downloading. ×
0
ANEFAC – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DEFINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE    DIRETORIA DE AVALIAÇÕES    CBAN -...
AGENDA  •    O CBAN E INFORMES  •    ESTUDOS SOBRE FAIR VALUE  •    PROPOSTA OCBAN 03  •    PRÓXIMOS PASSOSDIRETORIA DE AV...
ESTRATÉGIAS DO CBAN   1. Ser uma referência local na prática da avaliação, alinhada com os           padrões internacionai...
ORIENTAÇÃO CBAN• OCBAN 01 – PROPÓSITO E MISSÃO• OCBAN 02 – ÉTICA E BOAS PRÁTICAS• DT 01 – DCF em Avaliação de Negócios - m...
INFORMES       • Novos Diretores CBAN SP (Eric e Rodrigo)       • Apresentação dos novos membros do Grupo de Trabalho     ...
INFORMESDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
INFORMES        – Jantar Palestra Diretor IVSC - Chris Thorne        " The IVS (International Valuation Standards) and the...
ESTUDOS IFRS 13   IFRS 13   • MINUTA (tradução preliminar em revisão pelo        IBRACON e CPC)   • Análise e consideraçõe...
OCBAN 03          FASES:          1. Mapeamento das demandas previstas no Brasil (por                 instituição e padrão...
IFRS 13          GT 04 – julho/12          • Mapeamento (blog)          • INTRODUÇÃO até          • APLICAÇÃO A ATIVOS NÃO...
IFRS 13          GT 06 – setembro/12          • TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO (61) até          • DIVULGAÇÃO (99)          • APÊND...
IFRS 13       TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO      61.A entidade utilizará técnicas de avaliação que         sejam apropriadas nas c...
IFRS 13       TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO      62.Objetivo: estimar o preço pelo qual uma transação         ordenada para a vend...
IFRS 13      TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO    64.Utilização da calibração (calibragem) – “assegura       que a técnica de avaliaçã...
IFRS 13      TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO    65.É desejável que haja mudança na técnica de       avaliação ou em sua aplicação ca...
IFRS 13      TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO    66.Revisões resultantes de mudanças na técnica de       avaliação ou em sua aplicaçã...
IFRS 13      DADOS DE ENTRADA PARA TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO      Princípios Gerais      68.Exemplos de mercado onde dados de ...
IFRS 13      DADOS DE ENTRADA PARA TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO      Princípios Gerais      69. Entidade seleciona dados de entra...
OCBAN 03          GRUPOS DE TRABALHO:          1. Mapeamento das demandas previstas no Brasil (por                 institu...
IFRS 13           PRÓXIMA ETAPA:           • Minuta OCBAN 03 – Valor JustoDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro ...
CRONOGRAMA     local                          - Videoconferência RJ e SP                        PARTICIPANTES             ...
CONTATOanefac-cban@gmail.com ou giana@anefac.com.brRio de Janeiro: +55 (21) 2543.1249São Paulo:      +55 (11) 2808.3200GOO...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Cban gt 06_2012_09

438

Published on

apresentação utilizada

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
438
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Cban gt 06_2012_09"

  1. 1. ANEFAC – ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS EXECUTIVOS DEFINANÇAS, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DIRETORIA DE AVALIAÇÕES CBAN - COMITÊ BRASILEIRO DE AVALIAÇÕES DE NEGÓCIOS Grupo de Trabalho CBAN 04 de setembro 2012
  2. 2. AGENDA • O CBAN E INFORMES • ESTUDOS SOBRE FAIR VALUE • PROPOSTA OCBAN 03 • PRÓXIMOS PASSOSDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  3. 3. ESTRATÉGIAS DO CBAN 1. Ser uma referência local na prática da avaliação, alinhada com os padrões internacionais (IVSC - International Valuation Standards Council - “Developing global valuation standards”). 2. Promover o desenvolvimento da profissão de avaliador no Brasil. 3. Alinhar as diretrizes técnicas e éticas do CBAN com as melhores práticas de governança corporativa.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  4. 4. ORIENTAÇÃO CBAN• OCBAN 01 – PROPÓSITO E MISSÃO• OCBAN 02 – ÉTICA E BOAS PRÁTICAS• DT 01 – DCF em Avaliação de Negócios - método do fluxo de caixa descontado e sua aplicação (aderência às melhores práticas internacionais).DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  5. 5. INFORMES • Novos Diretores CBAN SP (Eric e Rodrigo) • Apresentação dos novos membros do Grupo de Trabalho • Cadastro Grupo de Trabalho CBAN (opcional) • mini currículo • especialidade • dados para contato • fotoDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  6. 6. INFORMESDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  7. 7. INFORMES – Jantar Palestra Diretor IVSC - Chris Thorne " The IVS (International Valuation Standards) and the challenges facing the global valuation profession. " 10 de setembro 2012, 20h – SP (Inscrições por email).DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  8. 8. ESTUDOS IFRS 13 IFRS 13 • MINUTA (tradução preliminar em revisão pelo IBRACON e CPC) • Análise e considerações do CBANDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  9. 9. OCBAN 03 FASES: 1. Mapeamento das demandas previstas no Brasil (por instituição e padrão de valor) – disponível no blog 2. Os conceitos – em andamento 3. Orientação OCBAN 03: Mensuração ao Valor JustoDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  10. 10. IFRS 13 GT 04 – julho/12 • Mapeamento (blog) • INTRODUÇÃO até • APLICAÇÃO A ATIVOS NÃO-FINANCEIROS (33) GT 05 – agosto/12 • APLICAÇÃO A PASSIVOS E AOS INSTRUMENTOS DE PATRIMÔNIOS PRÓPRIO DAS ENTIDADE (34) até • VALOR JUSTO NO RECONHECIMENTO INICIAL (60)DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  11. 11. IFRS 13 GT 06 – setembro/12 • TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO (61) até • DIVULGAÇÃO (99) • APÊNDICESDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  12. 12. IFRS 13 TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO 61.A entidade utilizará técnicas de avaliação que sejam apropriadas nas circunstâncias e para as quais haja dados suficientes disponíveis para mensurar o valor justo, maximizando o uso de dados de entrada observáveis relevantes e minimizando o uso de dados de entrada não observáveis.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  13. 13. IFRS 13 TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO 62.Objetivo: estimar o preço pelo qual uma transação ordenada para a venda do ativo ou para a transferência do passivo ocorreria entre participantes do mercado na data de mensuração sob condições atuais de mercado.  3 técnicas: abordagem de mercado, custo e renda (resumidas nos parágrafos B5-B11). 63.Podem ser utilizadas uma ou várias técnicas de avaliação – a escolha depende do caso.  Com várias técnicas o valor justo é um ponto dentro de uma faixa de valores avaliados.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  14. 14. IFRS 13 TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO 64.Utilização da calibração (calibragem) – “assegura que a técnica de avaliação reflita as condições atuais de mercado e ajuda que a entidade determine se é necessário um ajuste à técnica de avaliação”. (no caso da avaliação utilizar dados de entrada não observáveis)  Após reconhecimento inicial, ao mensurar o valor justo utilizando técnica (s) de avaliação que utilizem dados de entrada não observáveis, a entidade assegurará que essas técnicas reflitam dados de mercado observáveis.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  15. 15. IFRS 13 TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO 65.É desejável que haja mudança na técnica de avaliação ou em sua aplicação caso a mudança resulte em uma mensuração que seja igualmente ou mais representativa do valor justo nas seguintes circunstâncias: a) Novos mercados; b) Novas informações disponíveis; c) Informações anteriores deixarem de ser disponíveis; d) Melhora nas técnicas de avaliação; e) Mudança nas condições de mercado.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  16. 16. IFRS 13 TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO 66.Revisões resultantes de mudanças na técnica de avaliação ou em sua aplicação serão contabilizadas como uma mudança na estimativa contábil. DADOS DE ENTRADA PARA TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO Princípios Gerais 67.As técnicas de avaliação utilizadas para mensurar o valor justo maximizarão o uso de dados de entrada observáveis relevantes e minimizarão o uso de dados de entrada não observáveis.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  17. 17. IFRS 13 DADOS DE ENTRADA PARA TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO Princípios Gerais 68.Exemplos de mercado onde dados de entrada podem ser observáveis para alguns ativos e passivos (ex: instrumentos financeiros): • Mercados de câmbio (exchange market) • Mercados de revendedores (dealers market) • Mercados não intermediados (brokered markets) • Mercados com troca / e ou entrega de principais (principal do principal market) - Detalhados em B-34DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  18. 18. IFRS 13 DADOS DE ENTRADA PARA TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO Princípios Gerais 69. Entidade seleciona dados de entrada coerentes com as características do ativo ou passivo que os participantes de mercado consideram numa transação. • Prêmios ou descontos que reflitam o tamanho como uma característica da participação da entidade e não como uma característica do ativo ou passivo não são permitidas numa mensuração ao valor justo.DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  19. 19. OCBAN 03 GRUPOS DE TRABALHO: 1. Mapeamento das demandas previstas no Brasil (por instituição e padrão de valor) 2. Os conceitos 3. Orientação OCBAN 03: Mensuração ao Valor Justo segundo IFRS 13DIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  20. 20. IFRS 13 PRÓXIMA ETAPA: • Minuta OCBAN 03 – Valor JustoDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  21. 21. CRONOGRAMA local - Videoconferência RJ e SP PARTICIPANTES Jantar Palestra Diretor IVSC - Chris Thorne 10/set Aberto ao público " The IVS and the challenges facing the global valuation profession. " outubro REUNIÃO GRUPO DE TRABALHO 10/out Grupo de Trabalho Associados ANEFAC e novembro reunião geral CBAN 04 - 08/nov convidadosDIRETORIA DE AVALIAÇÕESCBAN – Comitê Brasileiro de Avaliação de Negócios
  22. 22. CONTATOanefac-cban@gmail.com ou giana@anefac.com.brRio de Janeiro: +55 (21) 2543.1249São Paulo: +55 (11) 2808.3200GOOGLE GROUPShttp://groups.google.com/group/anefac-cban?hl=pt-BRFACEBOOKhttp://www.facebook.com/browse/page_fans/?page_id=305533652879206&ref=notif&notif_t=page_new_likes#!/pages/CBAN- Comit%C3%AA-Brasileiro-de-Avaliadores-de-Neg%C3%B3cios/305533652879206BLOG ANEFAC RIOhttp://blogrio.anefac.com.brwww.anefac.com.br
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×