2012 08 02_ata_reuniao_gt-05_cban_anefac
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

2012 08 02_ata_reuniao_gt-05_cban_anefac

on

  • 644 views

 

Statistics

Views

Total Views
644
Views on SlideShare
402
Embed Views
242

Actions

Likes
0
Downloads
1
Comments
0

1 Embed 242

http://blogrio.anefac.com.br 242

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

2012 08 02_ata_reuniao_gt-05_cban_anefac Document Transcript

  • 1. REUNIÃO GRUPO DE TRABALHO CBAN GT 05 02 de agosto de 2012 PRESENTES:RIO DE JANEIRO SÃO PAULO Ana Cristina França (APSIS ANEFAC)  Gerardo Merola (Ferrari Avaliações) Bernardo Monteiro (Pozzato e Ruiz Advogados)  Vitor Henriques (Demarest e Almeida) Giana Araújo (ANEFAC)  Eric Barreto (Cinecorp ANEFAC) Luiz Paulo C. Silveira (APSIS ANEFAC)  Rodrigo Amato (Mark2Market) Larissa Ruiz (Pozzato e Ruiz Advogados) VIA SKYPE: Otavio Bachir (Ernest Young & Terco)  Jorge Augustowski (Lexus – ANEFAC)  Jennifer Almeida (Anefac)  Tarciano Cardoso (Ferrari Avaliações)  Susana Furquim (Wulaia Avaliações) 1. INFORMES  Jantar Palestra com diretor técnico do IVSC Chris Thorne – setembro 2012  Em processo de organização.  Intenção de cadastrar os membros do CBAN  Todos podem tomar ciência de com quem estão interagindo e da equipe realizadora das Orientações e Diretrizes.  Para filiação ao IVSC - via ANEFAC, que atende ao pré-requisito de ser uma associação isenta e independente e já possui uma infraestrutura que atende bem à proposta.  Exposição do formulário de filiação ao IVSC (ver apresentação) tem um campo para preenchimento dos membros da organização profissional, entre outras coisas - a vinda do Chris Thorne será aproveitada para esclarecer estas questões.
  • 2. 2 2. ORIENTAÇÃO OCBAN 03 – FAIR VALUE  Tradução preliminar do IFRS 13 (IBRACON – CPC) foi disponibilizada para os membros do CBAN, mediante um termo de responsabilidade. Solicitação via email giana@anefac.com.br  Eric Barreto e Rodrigo Amato – elaboração de uma diretriz técnica (DT 02 do CBAN) para apuração de Fair Value em instrumentos financeiros.  Tão logo esteja pronta, será apresentada e debatida em reunião aberta (RJ e SP) e posta no blog para comentários.  Sobre o IFRS 13 – considerações dos professores Eric Barreto e Rodrigo Amato (ver apresentação) sobre Fair Value em instrumentos financeiros – a palestra foi gravada em vídeo.  Passivo a valor justo nesta área é uma novidade (exemplo: emissão de títulos de renda fixa em mercado de capitais), necessária para não entrar em conflito com a mensuração dos ativos.  Instituições Financeiras já possuem diretrizes para esta mensuração – FEBRABAN. Banco Central não aceita regulamentação – a ênfase, portanto, da Orientação 03 da ANEFAC – CBAN deve ser voltada para instituições não financeiras;  O valor de saída considerado para medir valor justo dos ativos também é considerado para o passivo – está sendo transferido, e não quitado.  Segundo o IFRS o ativo também pode ser usado como referência para mensuração do passivo – se existir conflito de valor entre as empresas, precisa-se ver a relação entre as duas, e esta relação deve ser divulgada, de acordo com o IVSC (princípio da independência: participantes de mercado devem ser independentes)  Já no slide 5 da apresentação está estampado o princípio da hierarquia dos 3 níveis.  Preço de compra e venda (bid & ask prices) é um limite dentro do qual o valor justo pode variar, na medida em que o valor justo é uma hipótese e não o que é praticado no dia a dia.  Diferenciação entre valor da transação (preço de entrada) e valor justo (preço de saída) pode ocorrer quando a transação não ocorrer no mercado principal ou mais vantajoso.  As considerações do IVSC acerca dos instrumentos financeiros são sobretudo em torno dos disclosures, e devem constar na orientação. 3. PRÓXIMOS PASSOS  Ana Cristina ver o prazo de envio das críticas à tradução do IFRS 13 ao prof. Eliseu.  Giana - enviar modelos de TIP (Technical Information Paper – do IVSC) para os professores Eric Barreto e Rodrigo Amato para que possam basear-se na confecção da próxima Diretriz Técnicas sobre valuation em Instrumentos Financeiros.
  • 3. 3  Giana – disponibilizar o formulário de cadastramento no IVSC para consideração dos participantes.  Promover um cadastro de membros do Comitê.  Delimitar o assunto do IFRS 13 para a próxima reunião do GT – enviar sugestões por email. 4. CRONOGRAMA PREVISTO local Videoconferência RJ e SP PARTICIPANTES setembro Reunião GT CBAN 06 - 04/set Grupo de Trabalho Jantar Palestra Diretor IVSC - Chris Thorne 10/set Aberto ao público “The IVS and the challenges facing the global valuation profession.” outubro Reunião GT CBAN 07 - 04/out Grupo de Trabalho Associados ANEFAC e novembro reunião geral CBAN 04 - 08/nov convidados