Apple
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Apple

on

  • 855 views

 

Statistics

Views

Total Views
855
Views on SlideShare
855
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
13
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Apple Apple Document Transcript

  • Centro Universitário Padre Anchieta AppleHistóriaA empresa Apple Computers, mais que uma empresa, um grande império da era doscomputadores. Aquela que traz como símbolo uma simples maçã, invenção de doisgarotos hippies da cidade de Cupertino nos EUA que apostaram em seu trabalho emesmo sem nenhum crédito de empresas ou apoio, conquistaram o seu própriolugar no topo do mundo tecnológico. Hoje é um referencial de tecnologia, design equalidade. Mas como uma humilde empresa criada inicialmente dentro de umagaragem chegou tão longe? O que faz tantos usuários esgotarem IPADS no primeirodia de lançamento em lojas em todo o planeta? Confira você mesmo o históricocompleto da Apple.Em 1976 dois colegas de faculdade, Steve Jobs e Steve Wozniak começaram a“brincar” com seus primeiros computadores, fabricados ainda de forma rústica poreles mesmos. Na época obviamente, não se pensava no termo “computadorpessoal”, as pessoas queriam uma máquina de escrever, mas computadoresdomésticos era uma loucura!Steve Jobs e seu parceiro então construíram o primeiro computador que faziaoperações simples, e o nome do projeto ficou conhecido como Apple I.O computador era uma simples caixade madeira que armazenava uma placade circuitos. Apresentada a váriasempresas como a Atari e HP, ocomputador foi recusado e visto comdesprezo… Sim, eles não sabiam, mastinham recusado uma verdadeira máquina da fortuna. Enquanto a Apple I nãodespertava interesse para as grandes empresas, os usuários comuns estavam seaproximando cada vez mais.Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 1
  • Centro Universitário Padre Anchieta Em 1977, em uma feira de computadores na Califórnia foi apresentado o Apple I que ganhou toda a notoriedade de diversas pessoas, transformando-o em um fenômeno para a época. Com o sucesso o Apple I ganhou um sucessor, o Apple II. Neste mesmo ano a Apple ganhou uma sede em Cupertino – Califórnia,consolidando o respeito e seriedade da empresa.Neste tempo, outra empresa muito importante, a Xerox, trabalhava em cima de umagrande invenção que está sobre suas mãos agora, o mouse (O mouse havia sidodesenvolvido em 1968). A interface gráfica, com menus foramdeQualquersenvolvidos pelos engenheiros da Xerox. Contudo o alto escalão daempresa zombou da idéia do mouse e da interface gráfica. Mas nosso amigo budistaestava de olho no que estava acontecendo, e resolveu reunir este material a favordele. Com os ingredientes reunidos, em 1983 foi lançado um computador Apple chamado “Lisa“. Com 1 MB de memória RAM, dois drives de disquete e disco rígido de 5MB e um monitor de 12 polegadas. Também trazia interface gráfica, mouse e uma suíte de aplicativos tipo Office. Porém não estavam acessíveis aos usuáriosdomésticos, 10 Mil dólares era o preço dessa máquina.O Macintosh tinha tudo o que Lisa tinha, mas ganhou melhorias na interface gráficae nos aplicativos – O sistema operacional foi o Mac OS 1.0.Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 2
  • Centro Universitário Padre Anchieta A empresa estava crescendo cada vez mais e já não dependia inteiramente de Steve Jobs, diante tantos atritos que o mesmo causava, foi demitido pelo conselho da empresa. Steve Wozniak também se despediu da Apple no mesmo ano, mas saiu depois de ter uma briga com Jobs. Então a empresa seguiusem os pilares iniciais do seu sucesso. Nesta mesma época a Microsoft estavacomeçando a ganhar espaço e sem ameaças ela prosperou.A Apple sem Jobs não era a mesma coisa, e começou a desapontar os usuários.Em 1991 a empresa lançou o seu primeiro computador portátil chamado dePowerBook, na tentativa de reconquistar seu público, que não estava satisfeitoprincipalmente com os preços dos aparelhos. Em 1994 os computadores foram lançados com um novo processador chamado “PowerPC“, a aposta nos novos processadores não deu certo. O problema foi à incompatibilidade de programas que antes rodavam nos processadores da família 68000 Motorola, agora não conseguiam executar. Assim todos os programas precisavam ser reescritos, e se isto era um desafio para osdesenvolvedores, imagine para os usuários. A solução foi à criação de um programaque emulava softwares antigos, porém causava lentidão nos computadores, eradesagradável. Conforme o tempo passou os novos programas foram escritos deacordo com as instruções dos novos processadores.Até o final de 1996 a Apple ainda vivia uma crise, sem Jobs tudo parecia sembrilho, o desafio era prosseguir…Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 3
  • Centro Universitário Padre AnchietaSteve embora demitido da Apple desde 1985 fundou a NeXT, uma nova empresa decomputadores que em 1986 comprou a Pixar da Lucasfilm - Anos mais tarde ficoufamosa por uma nova linguagem de animação 3D para desenhos animados. Nadécada de 1990 a Pixar sob liderança de Steve Jobs produziu o primeiro filmeinfantil animado na sua totalidade por computador – Toy Story. Em 1996 a Apple compra de Steve Jobs a NeXT Computer e o admite novamente na empresa. Neste tempo a Apple planejava seu novo sistema operacional (O Mac OS X) e precisava do sistema operacional de Jobs (NeXTStep) como base. Em 2000 foi lançado o Mac OS X. e a empresa saiu do aperto, voltando aos eixos finalmente. Steve Jobs ainda trouxe à Apple em 1998 uma novidade, o iMac – uma nova linha de computadores comdesign arrojado, comportando seus dispositivos dentro da caixa do monitor, oteclado e mouse tinham um visual bem atraente.Foi o primeiro computador que abandonou o tom “bege”, agora em corespersonalizadas – isto agradou boa parte do público jovem.Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 4
  • Centro Universitário Padre AnchietaCom tanta coisa boa acontecendo na Apple, Steve Jobs revolucionaria o mercadocom os famosos iPod’s. Um player portátil de áudio e vídeo que se tornou febre emvários países. O iPod conquistou o público por sua leveza, praticidade, modernidadee simplicidade. Assim a Apple começou a atuar no mercado musical, oprograma Itunes chegou dois anos depois e passou a ser o par do iPod, uma lojavirtual para a compra de músicas pela internet de forma legal e barata.Em 2006 o mercado abriu as portas para o MacBook, um laptop moderno que trouxeconsigo o novo processador Intel (O PowerPC foi abandonado), deixando o preçomais acessível e o melhor de tudo, velocidade de processamento superior.Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 5
  • Centro Universitário Padre AnchietaEstamos em 2007 e com a Apple ramificadaalém de seu mercado, atinge agora o setorde telecomunicações com um novo produto –o iPhone. O iPhone é um Smartphoneconstruído com a tecnologia da maçã, comfunções de multitouch, filmadora, acesso ainternet e muito mais. Seu sistemaoperacional é conhecido como iOS, um dosaparelhos móveis mais cobiçados do planeta. Em 2010 um novo conceito de Tablet é lançado, o iPad – Um tablet com interface multitoque e funções inspiradas na navegação do iPhone, foi um estouro de vendas. Em 2011 chegou às lojas do mundo todo o seu sucessor – o Ipad 2, com design fino e elegante, sua navegação é surpreendente. Conta com Wi-Fi, Bluetooth, processador dual-core A5, em um design leve e confortável. Estas são as características quefazem no iPad2 ser um sonho para muitos.·.A empresa não enfrenta mais crises desde a volta de Steve, simplicidade e perfeiçãoé a fórmula que Steve sempre usou para conquistar seu público. Embora meioarrogante e considerado por muitos como insuportável, foi o responsável pelapopularização do mouse e interface gráfica em computadores (Mesmo não sendo ocriador), um gênio que ficará marcado na história da Apple.A empresa AppleProf. Dr. Vivaldo José Breternitz 6
  • Centro Universitário Padre AnchietaA Apple não é sequer um lugar particularmente agradável, em uma era em que legiõesde empresas competem para ser listadas na classificação anual dos lugares maisdesejáveis para trabalhar. A Apple faz questão de não participar dessas disputas. É ooposto do ambiente do Google, talvez o melhor exemplo do que é considerado ‘bacana’em termos de gestão de pessoas nos dias de hoje.‘Posso trabalhar de pijama, comer salgadinhos e apostar corrida de patinete elétrico comos outros engenheiros. ’ Essa é uma frase possível no Google que jamais foi ouvida naempresa criada por Jobs. A Apple paga salários competitivos com os do mercado, maslonge de serem os melhores.Um diretor sênior pode receber um salário anual de 200 000 dólares mais bônus, quepodem, nos anos bons, aumentar a remuneração total em 50%. De acordo comexecutivos da empresa, falar em dinheiro na Apple é desaconselhável, mesmo que acarga de trabalho muitas vezes inclua fins de semana e feriados. Quando era o vice-presidente de operações da Apple, Tim Cook era famoso por agendar reuniões com sua equipe nos domingos à noite. Os executivos referem-se ao manual de procedimentos da empresa como a receita do ‘tempero secreto’. Quanto aos aparelhos da Apple — pormais que o mundo admire ou goste deles —, poucos entendem como ela os faz e oscomercializa.Não se sabe como seus líderes atuam — a maneira como a empresa coloca equipespara competir umas contra as outras e a falta de abordagem para o desenvolvimento decarreira.Na Apple, muitos membros de posições médias trabalham duro durante anos na mesmafunção — mais uma diferença do resto do mundo corporativo, que costuma ter planos deProf. Dr. Vivaldo José Breternitz 7
  • Centro Universitário Padre Anchietacarreira muito claros. Na empresa com a marca de Jobs, um punhado de assistentesdos executivos mais importantes é eleito para formar a próxima geração de líderes. ‘O que o Steve faria?’ certamente será a pergunta mais repetida por essa geração durante os próximos anos. Se eles conseguirem colocar em prática o que lhes foi ensinado, o sucesso da empresa está garantido. De fato, a ausência de Jobs colocará em teste a cultura da empresa que ele tentou institucionalizar em seus últimos anos de vida.O último conselho que Jobs deixou a seus executivos, inclusive a Cook, o atualpresidente, foi: ‘Nunca pergunte o que fazer, apenas faça o que é certo’. “Pode demoraralguns anos, mas no futuro o mundo descobrirá se Steve Jobs era a Apple — ou se elefoi bem-sucedido na criação de um organismo suficientemente forte para sobreviver àsua morte.”Valor de mercadoA Apple, com vendas anuais de 108 bilhões de dólares, é uma empresa cujos métodosvão contra décadas de máximas de gestão estabelecidas. É como se a empresa nãoprestasse atenção no que estavam ensinando nas escolas de administração e negócios— e, de fato, não estava.A Apple é sigilosa em uma época em quea tendência nas empresas se direcionapara a transparência. Longe de possuirpoder, seus colaboradores operam dentrode uma faixa restrita de responsabilidade.Espera-se que os funcionários sigamordens, não que ofereçam opiniões.Pouca gente — incluindo os própriosProf. Dr. Vivaldo José Breternitz 8
  • Centro Universitário Padre Anchietafuncionários — tem pistas do que acontece na Apple antes do lançamento oficial de umproduto.É exatamente assim que a Apple quer. Os colaboradores sabem que algo grande estápara acontecer quando os carpinteiros aparecem nos prédios da matriz da companhia,em Cupertino. Novas paredes são erguidas rapidamente. Portas são acrescentadas enovos protocolos de segurança são implantados.Janelas que antes eram transparentes ficam foscas. Para o funcionário deixado de fora,a confusão é desconcertante. É bem provável que você não faça ideia do que estejaacontecendo e provavelmente não é para você saber. Se nada lhe foi revelado, entãovocê não tem nada a ver com isso. Fim da história.Os bons gerentes, como nos ensinam, são aqueles que delegam. Na Apple, pelocontrário, o próprio Jobs era um ‘microgerente’ em todos os sentidos da palavra, daaprovação de cada publicidade criada na empresa à decisão de quem participaria ounão das reuniões ultrassecretas.A Apple ainda despreza outra peça do culto à eficiência da gestão moderna: ela deixadinheiro na mesa quando os lucros estão em alta. A Apple, de fato, demonstra poucointeresse em Wall Street, dando a impressão de que vê os investidores como pessoasirritantes, na pior das hipóteses, ou como um mal necessário, na melhor das hipóteses.A Apple realizou uma façanha poucas vezes ocorrida no mercado de tecnologia:superou o valor de mercado das principais companhias americanas do segmentosomadas.Juntos, os valores de mercado da Microsoft (256,7 bi de dólares), Google (221,4 bide dólares), Amazon (111,2 bi de dólares) e Facebook (41,3 bi de dólares) atingiriama marca de US$ 630,9 bi.Sozinha, com seus papéis negociados a 676 dólares, a Apple tem valor de mercadosuperior a 632,5 bi de dólares.A observação foi primeira notada pelo designer e analista americano Kontra edivulgada no Twitter.Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 9
  • Centro Universitário Padre AnchietaA Apple atingiu novo valor de mercado recorde na segunda-feira, primeiro dia útilapós a sentença que condenou a Samsung a pagar 1 bilhão de dólares à empresacofundada por Steve Jobs. Na ocasião, cada ação da Apple chegou a ser negociadapor 680,87 dólares.A notícia também derrubou as ações do Google, detentor do sistema operacionalAndroid, utilizado nos smartphones da Samsung, que recuou 1,4%.Ao mesmo tempo, a desvalorização das ações do Facebook, em quase 50% emrelação ao valor de oferta inicial ao mercado, corrobora o cenário favorável à Apple.Desde que as bolsas começaram a se recuperar da turbulência de 2008, os papéisda Apple acumulam uma alta histórica. A valorização da companhia foi ainda maisintensa no último ano, quando foi comandada por Tim Cook, substituto do fundadorSteve Jobs. No primeiro ano com o novo presidente, a empresa se valorizou nadamenos que 76,3%.A Apple parece não ter rivais que ameacem seu posto de maior empresa do mundoem valor de mercado. Na semana passada, a soma do preço de todas as ações dacompanhia passou dos US$ 630 bilhões, aumentando a distância para a segundacolocada, a Exxon Mobil, que vale por volta de US$ 400 bilhões. Na comparaçãocom outros gigantes de tecnologia, ela é maior que a soma de Google, Facebook,Intel, HP, Amazon, eBay, Yahoo, Dell, AOL e Groupon.Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 10
  • Centro Universitário Padre AnchietaProf. Dr. Vivaldo José Breternitz 11
  • Centro Universitário Padre AnchietaAs atuais cotações das ações da Apple fazem dela a empresa com maior valor demercado da história. A marca foi atingida em agosto, após a companhia superar orecorde anterior da rival Microsoft, que chegou a valer US$ 616 bilhões no final de1999, antes do estouro da bolha da internet, mas agora é avaliada em US$ 254bilhões.Pode parecer algo fora da realidade, mas o valor de mercado normalmente reflete osresultados das companhias. Por exemplo: a Apple vale aproximadamente três vezesmais que o Google (veja no infográfico), enquanto seu lucro no último trimestre (US$8,8 bilhões) também foi mais ou menos três vezes maior que o do Google (US$ 2,8bilhões).Mas especialistas do mercado avaliam que os principais desafios do executivo estãoreservados para o próximo ano. Até agora, os produtos lançados haviam sidoplanejados na gestão Jobs (como o iPhone 4S), ou não trouxeram grandesnovidades (como o novo iPad). Agora, com a briga pelo mercado de smartphonescada vez mais acirrada, as inovações serão de total responsabilidade de Cook.Ainda assim, o consenso entre os analistas, segundo o sistema da bolsa eletrônicaNasdaq, é recomendar a compra das ações da Apple. Ou seja, eles acreditam queas cotações devem subir ainda mais. Atualmente, uma ação da companhia vale porvolta de US$ 660, e o banco de investimentos Jefferies recentemente elevou opreço-alvo do papel para US$ 900. Se algo próximo disso acontecesse, a gigantecaliforniana quebraria – mais uma vez – todos os recordes do mercado. “It’s better to be a pirate than to join the navy” (Steve Jobs) "É melhor ser um pirata do que entrar para a marinha" (Steve Jobs)Prof. Dr. Vivaldo José Breternitz 12