Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011

4,577 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,577
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Relatório Top 50 Beef Point de Confinamentos 2010-2011

  1. 1. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos Os 50 maiores confinamentos do Brasil em 2010 Patrocínio: Realização: www.beefpoint.com.br -1-
  2. 2. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518IntroduçãoA pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos é uma iniciativa do BeefPoint e objetiva levantar dados sobre os 50maiores confinamentos do Brasil, analisando tendências entre esses produtores e gerando conteúdo para o setor.O levantamento é realizado anualmente com dados referentes ao ano anterior à pesquisa e projeções para o anocorrente. No começo de junho de 2011, iniciou-se a nona edição do estudo, que busca sempre fornecer informaçõesde maneira confiável e completa.Este relatório é uma compilação dos dados obtidos na pesquisa e possui o número de animais confinados, o perfil dasempresas quanto a aspectos técnicos e gerenciais e as perspectivas para a atividade no Brasil.A iniciativa contou com o patrocínio das empresas Nutron Alimentos, Dow AgroSciences e Elanco Saúde Animal, sendoo apoio destas, fundamental para o sucesso do trabalho.Metodologia utilizadaA pesquisa utilizou como fonte para a identificação dos grandes confinamentos as indicações dos usuários do portalBeefPoint, que conta hoje com mais de 80 mil usuários assinantes da newsletter semanal por email e tem mais de 1,7milhão de acessos por mês, além das informações disponíveis em levantamentos anteriores.A coleta de dados foi feita durante o mês de julho, através de inserções no portal BeefPoint e nas newsletters e de e-mails para os usuários cadastrados. Além disso, foi feito um contato individual com inúmeros formadores de opiniãodo setor, com pedido de indicações.A partir das sugestões recebidas dos usuários do BeefPoint de todo o Brasil, dos profissionais consultados e dosresultados dos anos anteriores foi realizado um levantamento preliminar dos estabelecimentos que serviu de basepara a fase seguinte do estudo.Na segunda etapa, foram realizadas consultas e checagem de dados com os proprietários, gestores ou responsáveistécnicos pelos empreendimentos. Em função da necessidade de contato individualizado, entrevistas e especialmenteautorização para publicação dos dados, alguns produtores passíveis de serem incluídos no ranking dos 50 maiores,não foram listados, por impossibilidade de contato ou por pedido expresso de não participação. Um dos grandesfrigoríficos optou por não participar, não informando os dados de seus confinamentos, por exemplo.Durante o processo de consulta e entrevista aos confinadores, levantaram-se dados sobre o número de animaisconfinados em 2010 e a projeção para 2011. Esse levantamento individual foi feito de 26 de junho de 2011 a 27 dejulho de 2011. Também foram levantadas informações técnicas de cada projeto, práticas de comercialização eperspectivas para a atividade.Como critério para classificação dos estabelecimentos, utilizou-se o número de animais confinados em 2010. E comocritério de desempate utilizou-se a projeção do total de animais a serem confinados em 2011.É importante lembrar que a lista de propriedades que figuram no atual levantamento pode variar em relação àspesquisas anteriores, devido a diversos fatores como a interrupção da atividade, redução do número de animaisconfinados ou o contato com propriedades maiores não consultadas anteriormente. Ou seja, nem todos osconfinamentos presentes na pesquisa do ano passado estão presentes nessa, e vice-versa.A seguir são apresentados os resultados tabulados e as análises sobre a atividade nos confinamentos listados. -2-
  3. 3. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Tabela 1. Ranking dos 50 maiores confinamento do Brasil em 2010 N° de animais Confinados em Rank Nome do Confinamento Estado 2010 1 JBS confinamento SP/GO/MT 168.772 2 Fazenda Conforto GO 65.000 3 Grupo Golin - Fazenda Canadá GO 62.014 4 Fazenda Bonança SP 45.000 5 Fazenda Califórnia Confinamento GO 40.000 6 Confinamento BRF MT 35.000 7 Fazenda Sonho Real MS 35.000 8 Fazenda Rancho Alegre MT 31.500 9 Cotril Alimentos S.A. GO 30.000 10 Confinamento Rio Verde GO 25.440 11 Malibu Confinamento de Bovinos MS 25.000 12 Fazenda Toca do Boi GO 25.000 13 Boitel Chaparral SP 24.800 14 Confinamento Santa Fé MG 24.800 15 Grupo Estância Bahia MT 24.472 16 Confinamento Monte Alegre SP 23.832 17 Fazenda Santa Fé GO 23.500 18 Confinamento Ponto Alto MT 22.000 19 Agropecuária Paquetá Ltda MS 22.000 20 Fazenda Recreio Agropastoril MS 21.370 21 Confinamento Eldorado – Boitel Marca MT 21.350 22 Elite Confinamento MG 20.000 23 Agropecuária Córrego Azul MS 20.000 24 Fazenda Roncador MT 20.000 25 Fazenda Palmeiras e Crixazinho – Confinamento MP GO 20.000 26 Fazenda São Pedro SP 19.000 27 Confinamento Estiva SP 18.157 28 Confinamento Goiás Verde GO 18.000 29 Vera Cruz Confinamento GO 16.566 30 Fazenda Santa Rosa SP 16.471 31 Fazenda Fazendinha MG 15.320 32 Fazenda São João SP 15.000 33 Fazenda Mano Julio MT 15.000 34 Fazendas Reunidas Castilho SP 14.000 35 Fazenda Santa Cecília da OMF SP 13.600 36 Fazenda Campanário MS 12.916 37 Boi Nobre Confinamento MG 12.500 38 Estância Porteirinha - Confina + MT 12.000 39 Confinamento Guimarães MT 12.000 40 Fazenda Terra Verde SP 12.000 41 Usina Vale do Rosário SP 12.000 42 Confinamento São Marcelo MT 11.500 -3-
  4. 4. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518 43 Macaé Confinamento GO 11.426 44 VPJ Agropecuária GO 11.000 45 Estância JR GO 11.000 46 Fazenda Giruá MS 10.000 47 Agropecuária CFM SP/MS 9.210 48 Confinamento Conquista SP 8.150 49 Agropecuária Ipê PR 8.000 50 Confinamento Cibrapa MT 8.000Tabela 2. Novos participantes do ranking 2010 que não entraram em 2009 Rank Novos Participantes 3 Grupo Golin - Fazenda Canadá 7 Fazenda Sonho Real 12 Malibu Confinamento de Bovinos 17 Fazenda Santa Fé 18 Confinamento Ponto Alto 27 Confinamento Estiva 40 Fazenda Terra Verde 44 VPJ Agropecuária 46 Fazenda Giruá 48 Confinamento Conquista 50 Confinamento CibrapaTabela 3. Participantes do ranking 2009 que não entraram em 2010 Rank Participantes 2009 2 Comapi Agropecuária S.A. 4 Frigorifico Mataboi S.A. 13 Vanguarda do Brasil 21 Fazenda do Cristo Redentor 23 Confinamento F.Salles 24 Fazenda Nova Sapé 28 Chalet Agropecuária Confinamento 38 Confinamento Medalha 39 Fazenda Ayres da Cunha 40 Fazenda Ressaca 45 Confinamento Don PedroResultadosEm 2010, os 50 maiores confinamentos do Brasil terminaram juntos 1.198.666 animais, o que representa umaredução de 9,4% em relação à quantidade confinada entre os estabelecimentos listados na Pesquisa Top 50 BeefPoint -4-
  5. 5. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518de Confinamentos 2009/10, publicada no ano passado, que foi de 1.322.764 (Gráfico 1). Segundo perspectivas dosconfinamentos consultados, deverá ocorrer crescimento em 2011. A expectativa é de aumento de 32,6%, com umaprevisão de confinamento de 1.588.850 bovinos.Gráfico 1. Animais confinados 1.599.465 1.588.850 1.600.000 1.400.000 1.322.764 1.257.063 1.198.666 1.200.000 1.000.000 933.967 801.583 800.000 666.065 600.000 524.663 438.293 400.000 200.000 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011* Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Mesmo com a retração no número de animais confinados entre 2009 e 2010, a quantidade levantada pela pesquisaapresenta crescimento acumulado de 173,5% em relação ao ano de início da pesquisa em 2003. Nos últimos cincoanos de pesquisa, o crescimento acumulado foi de 49,5% em relação aos 801.583 animais confinados em 2005.Vale notar que quando considerados somente os 39 participantes da Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos2009/10 que também integraram a pesquisa 2010/11, também há decréscimo no número de animais terminados(Gráfico 2). Essa queda no volume confinado é de 2,8%, tendo sido confinados 991.749 animais em 2009 contra963.845 em 2010. Entretanto, esses confinamentos têm previsão de aumentar em 34,9% o número de animaisconfinados em 2011 com relação a 2010. -5-
  6. 6. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 2. Variação do total de animais confinados em 39 confinamentos participantes das pesquisas 2008/09 e2009/10 1.400.000 1.299.850 1.200.000 991.749 963.845 1.000.000 800.000 600.000 400.000 200.000 0 2009 2010 2011* Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Até 2007, os 50 maiores confinamentos do Brasil apontaram previsões otimistas, pretendendo crescer 43,1% em 2006e 35,7% em 2007. De acordo com os números levantados, em 2008 o crescimento real foi de 27,2%, e em 2009, houvequeda de 17,3%. Em 2010, houve projeção de quedada de 4,2%, confinando 1.267.500 animais, entretanto a quedareal foi de 9,4% (Gráfico 3).Gráfico 3. Taxas de crescimento 50% 40% 30% 20% 10% 0% -10% -20% -30% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Pretendido 20,0% 28,3% 25,8% 20,0% 43,1% 35,7% 4,6% -4,2% 32,6% Realizado 19,7% 27,0% 20,3% 16,5% 34,6% 27,2% -17,3% -9,4% Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Embora em todos os levantamentos anteriores o número de animais confinados pelos Top 50 Confinamentos tenhaficado abaixo do projetado (Gráfico 4), os crescimentos previstos e o realizados seguiam uma mesma tendência(Gráfico 2). Porém, em 2009, isso não ocorreu, era previsto um crescimento de 4,6% e o que ocorreu foi umdecréscimo de 17,3%. Já em 2010, era prevista uma queda de 4,2% e a queda real foi de 9,4%, enquanto para 2011, háprevisão de crescimento de 32,9% (Gráfico 3). -6-
  7. 7. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 4. Previsões de animais confinados comparadas ao realizado 1.600.000 1.400.000 1.200.000 1.000.000 800.000 600.000 400.000 200.000 0 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011* Realizado 438.293 524.663 666.065 801.583 933.967 1.257.063 1.599.465 1.322.764 1.198.666 Previsto 526.100 673.000 838.000 961.720 1.336.700 1.705.625 1.673.500 1.267.250 1.588.850 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Quanto à distribuição por estado, a maioria dos estabelecimentos está localizada em Goiás (28%), seguido por SãoPaulo com 26%, Mato Grosso com 22% e Mato Grosso do Sul com 14% (Gráfico 5). No caso das empresas quepossuem confinamentos em mais de um estado, considerou-se como localização o estado em que concentram omaior número de animais confinados.Gráfico 5. Distribuição dos 50 maiores confinamentos por estado 30% 28% 26% 25% 22% 20% 14% 15% 10% 8% 5% 2% 0% GO SP MT MS MG PR Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Em relação à pesquisa anterior, o estado de Mato Grosso manteve o número 11 de propriedades classificadas entre as50 maiores, de 2009, para 2010. Minas Gerais reduziu o numero de propriedades, passando de 10% em 2009 para 8%em 2010. Mato Grosso do Sul também manteve o numero de propriedades, correspondendo a 14% do total (Gráfico6). -7-
  8. 8. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 6. Evolução da distribuição geográfica dos confinamentos 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 SP 36% 34% 28% 34% 34% 28% 28% 26% GO 24% 22% 28% 28% 34% 38% 24% 28% MT 10% 8% 12% 18% 14% 16% 22% 22% MS 14% 20% 18% 16% 14% 12% 14% 14% MG 8% 12% 14% 4% 4% 4% 10% 8% PR 6% 4% 0% 0% 0% 2% 2% 2% Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Considerando-se o número de animais confinados, Goiás fica a frente com 37% dos animais contra 26% de São Paulo e18% de Mato Grosso (Gráfico 7).Gráfico 7. Distribuição de animais confinados por estado 40% 37% 35% 30% 26% 25% 20% 18% 15% 12% 10% 6% 5% 1% 0% GO SP MT MS MG PR Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Essa liderança exercida por Goiás em número de animais vem sendo observada na pesquisa desde 2003. Embora semantenha na primeira posição, o número de animais confinados no estado de Goiás sofreu redução em relação aoano de 2009 (-15,3%), caindo de 519.773 cabeças para 439.997 (Gráfico 8). Um dos motivos para essa retração foi aredução no número de animais terminados por dois grandes confinamentos do estado. -8-
  9. 9. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 8. Evolução da distribuição geográfica dos animais confinados 800.000 700.000 600.000 500.000 400.000 300.000 200.000 100.000 0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 GO 178.385 219.801 368.728 448.304 615.961 756.867 519.773 439.997 SP 157.399 199.820 152.301 214.812 276.554 388.350 368.711 307.634 MT 57.713 46.625 72.142 140.095 238.842 238.320 235.600 220.629 MS 89.193 139.874 152.301 93.397 113.136 123.959 105.655 149.786 MG 26.233 46.625 48.095 28.019 12.571 33.269 84.025 72.620 PR 10.493 13.321 0 0 0 10.077 9.000 8.000 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Dos confinamentos listados no ranking desse ano, 80% pretende aumentar o número de animais confinados comrelação a 2010, 6% prevêem redução desse número e os 14% restantes, manutenção da quantidade realizada em2010.Os motivos mais apontados pelos produtores para a manutenção ou o aumento do número de animais confinadosforam:• Estratégia de negócio;• Lucro sobre a arroba produzida;• Aumento de estrutura;• Aumento da demanda;• Necessidade de ajuste de lotação das pastagens durante a seca.Os produtores que pretendem reduzir o número de bovinos confinados ou abandonar a atividade de confinamentoem 2011, apontam como principais causas para essa decisão, o alto custo de animais para reposição e o alto custo deinsumos.O alto custo de insumos foi apontado como o principal desafio em 2011. Outros desafios mais apontados pelosentrevistados foram a comercialização do boi gordo e a dificuldade na compra da reposição. Ou seja, esses grandesconfinamentos têm mais dificuldade na comercialização (compra e venda) do que na operação, na produção.Em 2010, o número de confinadores que utilizaram o mercado futuro como mecanismos de gerenciamento de risco,aumentou em reação a 2009, já os contratos de boi a termo caiu em relação aos anos anteriores (Gráfico 9).Em 2008, 38% dos estabelecimentos haviam negociado contratos futuros na bolsa e 54% fecharam contratosantecipados com frigoríficos. Em 2009, esses números caíram para 34% e 46%, respectivamente. Em 2010, houveaumento para 40% na negociação com contratos futuros, e queda para 38% na negociação com contratos de boi atermo. (Gráfico 9) -9-
  10. 10. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 9. Utilização de ferramentas de administração de risco Opções Futuros Boi a termo 70% 58% 60% 56% 54% 50% 46% 46% 40% 40% 38% 38% 38% 38% 34% 30% 18% 20% 10% 10% 6% 0% 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Em termos de volume, em 2009, entre os ranqueados no Top 50 BeefPoint de Confinamentos, 173.774 (13,1%)animais haviam sido comercializados na bolsa e 295.157 (22,3%) em contratos de boi a termo. Enquanto em 2010,213.984 cabeças, ou seja, 17,9% de todos os animais confinados por esses estabelecimentos foram negociados emcontratos futuros na BM&FBovespa e 195.948 (16,3%) via contratos de boi a termo (Gráfico 10).Os contratos de opções aumentaram em relação à pesquisa anterior, mas continuam sendo usados por poucosconfinadores (Gráfico 9). Em 2009, 25.680 cabeças foram negociadas dessa forma, representando 1,9% de toda aprodução dos 50 maiores confinamentos do Brasil. Em 2010, 95.777 cabeças foram negociadas através de contratosde opções, representando 7,9% de toda a produção (Gráfico 10). Mesmo representando um pequeno número, éimportante frisar o aumento de 4 vezes no percentual de animais comercializados utilizando-se opções, no ultimoano.Gráfico 10. Animais negociados em contratos futuros na bolsa e de boi a termo 500.000 450.000 400.000 350.000 300.000 250.000 200.000 150.000 100.000 50.000 0 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Opções 2.905 25.680 95.777 Futuros 141.945 187.715 175.005 306.912 173.774 213.984 Boi a termo 170.207 441.941 412.113 295.157 195.948 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Desde 2008, tem aumentado o interesse dos confinadores em realizar vendas à vista como forma de evitar o risco deinadimplência dos frigoríficos. Cerca de 11% da produção dos 50 maiores confinadores foi negociada à vista em 2008 - 10 -
  11. 11. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518(Gráfico 11). Em 2009, esse número subiu para 22% da produção e em 2010, subiu para 46%. É importante notar que aporcentagem prevista da venda de animais à vista tem ficado sempre abaixo da porcentagem realizada.Gráfico 11. Vendas à vista Realizado Previsto 50% 46% 45% 40% 38% 35% 30% 26% 25% 22% 20% 18% 15% 11% 10% 5% 0% 2008 2009 2010 2011 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11No ano de 2008, o interesse dos confinadores consultados em rastrear seus animais no Sisbov caiu e 80% dosestabelecimentos estavam cadastrados nesse sistema. Em 2009, os confinadores voltaram a se interessar pelo Sisbov,sendo que 86% dos confinamentos listados na pesquisa estão cadastrados no sistema. Mas, em 2010, o interessevoltou a cair, correspondendo a 82% dos confinamentos cadastrados (Gráfico 13). Apenas 2% dos confinamentospretendem se cadastrar para o próximo ano.Devido ao interesse dos frigoríficos em exportar para a União Européia (UE) e ao ágio no preço pago ao produtor pelaarroba do boi gordo, o número de estabelecimentos que integra a Lista Traces aumentou de 2008 para 2009. Em2008, 34% dos 50 maiores confinamentos estavam habilitados para produzir animais para a UE, e essa proporção maisdo que dobrou em 2009, chegando a 76% (Gráfico 12). Embora essa porcentagem tenha se mantido em 2010, atendência é de aumento para 2011, pois 6% dos produtores consultados ainda não fazem parte dela, mas têminteresse em integrá-la.Gráfico 12. Confinamentos cadastrados no Sisbov e na Lista Traces Sisbov Lista Traces 96% 98% 98% 100% 94% 86% 80% 82% 80% 76% 76% 60% 40% 34% 20% 0% 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11 - 11 -
  12. 12. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518A tendência de queda no número de estabelecimentos que trabalham com sistema de Boitel, que havia sido notadana pesquisa do ano anterior não se manteve esse ano (Gráfico 13). Em 2009, 34% dos confinamentos prestavamserviço de Boitel, e no ano passado, esse número aumentou para 46%.Gráfico 13. Estabelecimentos que trabalham com sistema de Boitel 70% 58% 60% 52% 48% 48% 46% 50% 42% 42% 40% 34% 32% 30% 20% 10% 0% 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Entre os 50 maiores confinamentos, 36% adquiriram menos de 60% dos animais que confinarão este ano e 64% jápossuem mais de 60% dos animais. Mesmo com a dificuldade de aquisição de animais para reposição, 48% dosconfinadores entrevistados já tem entre 81% e 100% dos animais que pretendem confinar em 2011 (Gráfico 14). Essesconfinadores ou terminarão animais próprios ou se adiantaram na compra e fechamento de acordos de Boitel eparcerias.Gráfico 14. Distribuição dos confinamentos conforme porcentagem de animais já adquiridos 60% 48% 50% 40% 30% 22% 20% 16% 10% 10% 4% 0% 0 a 20% 21 a 40% 41 a 60% 61 a 80% 81 a 100% Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Como citado anteriormente, a reposição representa um grande desafio nos confinamentos e tem custo significativono processo. Os confinadores consultados na pesquisa estimam que a reposição represente em média 67% dos custostotais do confinamento. - 12 -
  13. 13. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 15. Mudanças nos animais de reposição em relação à qualidade genética 50% 46% 45% 40% 34% 35% 30% 25% 20% 16% 15% 10% 4% 5% 0% Melhorou Igual SR* Piorou Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11 *SR = sem reposiçãoQuando perguntado sobre o que mudou na reposição em relação à qualidade genética dos animais em 2010, 46% dosestabelecimentos alegaram que houve melhora e apenas 4% alegaram que houve piora na qualidade dos animais emrelação ao ano anterior (Gráfico 15).Quanto ao preço pago pela reposição, 60% responderam que houve aumento e 6% responderam que a reposiçãoestava mais barata em relação ao ano anterior (Gráfico 16).Gráfico 16. Mudanças nos animais de reposição em relação ao preço pago 70% 60% 60% 50% 40% 30% 20% 16% 16% 8% 10% 0% Aumentou Igual SR* Diminuiu Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11 *SR = sem reposiçãoEm relação ao local de compra da reposição, 74% responderam que não houve mudanças, enquanto 8% responderamque houve necessidade de ir comprar os animais de reposição em locais mais distantes, em relação ao local de comprado ano passado. É importante destacar que dos 50 estabelecimentos participantes da pesquisa, 14% não fazemcompra da reposição, pois são estabelecimentos de cria, recria e engorda. - 13 -
  14. 14. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Gráfico 17. Mudanças nos animais de reposição em relação ao local de compra 80% 74% 70% 60% 50% 40% 30% 20% 16% 8% 10% 2% 0% Igual SR* Mais longe Mais perto Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11 *SR = sem reposiçãoA respeito da distribuição de abate ao longo do ano, foi solicitado aos confinadores que indicassem o mês de maiorsaída de animais em 2010. A maioria, 36% dos estabelecimentos listados, apontou outubro como o mês de pico deabate em 2010 e 24% deles prevê que esse também seja o mês de pico em 2011.Gráfico 18. Meses de pico de abate 2010 2011* 40% 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Outros meses que se destacaram foram julho com 10% em 2010 e 10% previsto para 2011, setembro com 18% eprevisão de 36%, e novembro com 22% e 16% previsto (Gráfico 18). As previsões para 2011 apontam paraadiantamento do abate, com mais confinadores pretendendo realizar o pico de saída de animais em setembro aoinvés de outubro.No ano de 2010, o ganho médio diário foi de 1.596 gramas/dia, e os animais ganharam em média 150 kg de peso vivodurante o tempo de confinamento (Gráfico 19). Na pesquisa anterior a média havia sido de 1.511 gramas/dia, sendoque os animais ganharam, em média, 149,5 kg de peso vivo. Dois quartos dos confinamentos pesquisados tiveramganho médio diário entre 1.503 gramas/dia e 1.704 gramas/dia. A mediana (número central) foi de 1.600 gramas/dia. - 14 -
  15. 15. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518É importante salientar que houve redução na permanência média dos animais no confinamento de 2009 para 2010;entretanto, houve aumento no ganho médio de peso dos animais, o que demonstra que os confinadores estãobuscando cada vez mais a melhoria no desempenho de seus animais (Gráfico 19).Gráfico 19. Dias de permanência dos animais no confinamento e ganho de peso vivo (PV, em kg) Permanência (dias) Kg PV 160 149,6 150,0 134,6 140 128,1 120 99 94 100 85 88 80 60 40 20 0 2007 2008 2009 2010 Pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11Nos estabelecimentos listados na pesquisa, a permanência média dos animais em confinamento foi de 94 dias. Aocalcularem-se os quartis – valores obtidos da divisão da série de dados em quatro partes iguais – constatou-se quedois quartos dos estabelecimentos tiveram o período médio de permanência dos animais no confinamento entre 83 e102 dias (1º e 3º quartil). Ocorreu diminuição em relação ao dado levantado na pesquisa de 2009, quando o valormédio foi de 99 dias e dois quartos dos dados ficaram entre 84 e 100 dias. Os valores médios apurados anteriormenteforam 85 e 88, para os anos de 2007 e 2008, respectivamente (Gráfico 19).Interessante lembrar que o número médio de dias no cocho tende a aumentar com altos preços de reposição e baixospreços de grãos, o que vem ocorrendo. Isso acontece porque os confinadores tentam colocar mais arrobas por animal,diluindo o custo elevado do gado magro.ConclusõesDe acordo com os dados levantados pela pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos 2010/11, houve queda naquantidade de animais confinados em 2010. Os principais fatores para essa retração são: alto preço da reposição etambém o alto custo de insumos. Vale lembrar que estes dados não abrangem a situação dos confinamentosbrasileiros como um todo, e sim, apenas dos 50 maiores.A retração no número de animais confinados pelos 50 maiores estabelecimentos não pode ser extrapolada, estimandoredução em todo esse segmento da pecuária de corte. Quando analisamos os dados de todas as pesquisas notamosque este grupo vinha apresentado crescimento ano após ano e apenas apresentou encolhimento em 2009 e 2010.Nos últimos oito anos, o aumento do volume de animais terminados por estes confinadores foi de 173,5%,representando uma taxa média de crescimento de 13,4%, ritmo inferior ao observado em 2009, que era de 17,1%.Observando-se a previsão para 2010, a expectativa dos confinadores era de redução no crescimento em 4,2%, mas oque efetivamente ocorreu foi uma redução de 9,4%.Em relação à distribuição das propriedades por estados, Goiás retornou ao primeiro lugar e se manteve na liderançaem quantidade de animais confinados. São Paulo encontra-se no segundo lugar e em terceiro está o Mato Grosso,tanto em número de cabeças confinadas, quanto em número de estabelecimentos entre os Top 50. - 15 -
  16. 16. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Com relação ao período de saída de animais para o abate, em 2010 a concentração ocorreu nos meses de setembro,outubro e novembro. E para 2011 existe a pretensão de manter a concentração nos mesmos meses. Entretanto, omaior pico de abate poderá ser adiantado de outubro, em 2010 para setembro, em 2011.Em 2010, o número de confinamentos que utilizaram contratos futuros na BM&FBovespa como ferramenta deadministração de risco aumentou em relação ao ano anterior. A porcentagem de animais negociados na bolsa comcontratos futuros também aumentou. Já a utilização dos contatos de opções pelos confinadores vem aumentandodesde 2008 e porcentagem de animais comercializados por esse meio também aumentou.Embora os contratos de boi a termo sejam muito utilizados para garantir os preços futuros, o volume de animaisnegociados com esta ferramenta se reduziu em 2010, e a porcentagem de contratos utilizados também reduziu.Para 2010, realizou-se a expectativa de aumento no número de animais negociados à vista apontada pela pesquisaanterior e 46% da produção foi negociada dessa forma. A projeção de vendas a vista para 2011 supera em 12% aprojeção de 2010. Este aumento é decorrente da decisão dos produtores de evitar grandes riscos com o nãopagamento por seus animais, mesmo havendo descontos nos preços pagos à vista em relação aos negociados a prazo.Em 2010 houve uma queda na quantidade de participantes cadastrados no Sisbov, 82%, comparado aos 86% em 2009.O número de estabelecimentos habilitados na lista da EU se manteve em 76% de 2009 para 2010.Para 2011, muitos confinadores prevêem um aumento no lucro sobre a arroba produzida e outros têm como objetivoo aumento da estrutura de seus estabelecimentos. Diante dessa expectativa, para 2011, 80% dos confinadoresencontra-se otimista e pretende aumentar a quantidade de animais confinados. Equipe da pesquisa Top 50 BeefPoint de Confinamentos: Miguel Cavalcanti André Camargo Tathiane Zulini Contato: top50@beefpoint.com.br 19 3432 2199 www.beefpoint.com.br/top50 Patrocinadores: Nutron Alimentos Elanco Saúde Animal Dow AgroSciences - 16 -
  17. 17. Rua Tiradentes, 848 - 13º andar Centro - 13400 760 - Piracicaba - SP Fone (19) 3432 2199 - Fax (19) 3433 3518Agradecimento especial (em ordem alfabética) aos que ajudaram na realização dessa pesquisa: Alberto O`Farrill V. Pessina Gustavo Ubida Alexandre Pasquali Parise Gutemberg de Oliveira Melo Anderson Daniel Vargas Helio Augusto de Biasi Anderson Zanetti Hélio Beraldo de Souza André Luis Perrone dos Reis Janaina Brum Amaral André Miller Carioba Janaína Flores André Renato S. Silveira Jefferson Duque Albino Aparecido Andrade da Silva José antonio alves Armando Dias Teixeira Neto Luciano da Silva Beijo Baiard Rogério P. Moreira Luciano Emanuel Moraes Caio Augusto Arroio Barbosa Luis Francisco da Costa Carlos Eduardo de Oliveira Luiz Antonio Carrijo carlos eduardo ferreira Manoel Terra Verdi Carlos Kind Marcela de Almeida Contadini Claudio Braga Marcelo Catherino Daniel Antunes Almeida Marcos Junqueira Cardoso Décio Rother Filho Mario Pinto da Silva Júnior Devanir Maia Nelson George Wentzel Diéde Loreiro Neto Nilva de Fátima Borges Edson Novaes Perez Paulo Cesar de Carvalho Eduardo Mancebo Gonçlves Pedro Merola Evandro Antonio jaroseski Priscila Blois do Amaral Evandro Cassaro Rafael da Costa Evandro Mendel Rafael Farias Evandro Vettorello Regina Margarido Fábio Maya Reinaldo Francisco Feitosa Fabio Souza Ricardo Burgi Fábio Yabuta Roberto Luiz dos Santos Júnior Fernando Jacob Roberto Magnabosco Fernando Nemi Costa Rodrio Otávio Spengler Fernando Nunes Ribeiro Romarcio Barcelos de Souza Florencio Queiroz Neto Sérgio Przepiorka Gilberto Castilho Lima Thiago Costa Cavenaghi Gilberto de Vitto Thiago Maluf Gustavo de Lima e Reis Victor Paschoal Campanelli Gustavo Guimarães Costa - 17 -

×