10 091022 Alexandre Pedroso Suplementacao Bezerros

3,756 views
3,534 views

Published on

Viabilidade da suplementação de bezerros pré-desmama, Alexandre Pedroso, Esalq USP

Published in: Business, Technology
0 Comments
9 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
3,756
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
689
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
9
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

10 091022 Alexandre Pedroso Suplementacao Bezerros

  1. 1. Viabilidade da suplementação de bezerros<br />Alexandre M. Pedroso<br />ESALQ/USP – Dep. Zootecnia<br />
  2. 2. Introdução<br /><ul><li>Pecuária de corte: resultado baseado na eficiência reprodutiva das vacas.
  3. 3. Bezerros desmamados / vaca em monta
  4. 4. Ritmo de crescimento dos bezerros é ditado pela finalidade do sistema.
  5. 5. Recria a pasto
  6. 6. Venda do bezerro
  7. 7. Terminação precoce</li></li></ul><li>Introdução<br />
  8. 8. Introdução<br /><ul><li>Eficiência reprodutiva = fundamental
  9. 9. Questão multifatorial
  10. 10. Nutrição é o mais importante.
  11. 11. Manejo alimentar do rebanho é o principal determinante do sucesso da atividade.
  12. 12. Imperativo usar com eficiência os alimentos
  13. 13. Forragens de alta qualidade
  14. 14. Concentrados como ferramenta estratégica</li></li></ul><li>Imagens cedidas pelo Prof. Ricardo A. Reis – UNESP Jaboticabal, SP<br />Conceito<br /><ul><li>CREEP-FEEDING: suplementação alimentar para bezerros em fase de amamentação.
  15. 15. Geralmente feita com alimentos concentrados, fornecidos em cochos privativos, aos quais só os bezerros têm acesso.</li></li></ul><li>Argumentos favoráveis ao Creep-feeding<br /><ul><li>Maior peso à desmama.
  16. 16. Melhor uniformidade de lotes.
  17. 17. Menor stress na desmama.
  18. 18. Antecipação da desmama
  19. 19. Adaptação a dietas ricas em concentrado
  20. 20. Favorece ECC das vacas
  21. 21. Efeito benéfico sobre reprodução ???</li></li></ul><li>Argumentos contrários ao Creep-feeding<br /><ul><li>Resultados não consistentes.
  22. 22. Custo do ganho de peso adicional pode ser mais alto que a receita.
  23. 23. Necessidade de benfeitorias na fazenda.
  24. 24. Dificuldade de aplicação em pastagens de grande extensão.
  25. 25. Superalimentação de novilhas.</li></li></ul><li>Viabilidade<br /><ul><li>Ponto crítico = custo do ganho adicional.
  26. 26. Melhores desempenhos (GPD):
  27. 27. com forragem de baixa qualidade;
  28. 28. com baixa disponibilidade de forragem;
  29. 29. quando a produção de leite das vacas é baixa;
  30. 30. Ponto chave: conseguir conversão elevada.</li></li></ul><li>Consumo de suplemento<br />* Até os 7 meses um bezerro consome entre 250 e 300 kg de suplemento em regime de Creep-feeding<br />Adaptado de Rulofson & Zollinger (1993)<br />
  31. 31. Desempenho<br />
  32. 32. Conversão<br />Conversão alimentar com creepfeeding depende da pastagem, produção de leite e potencial do bezerro<br />Hamilton e Dickie, 1992<br />
  33. 33. Conversão<br />Sumário de 31 experimentos com creep-feeding<br />Lusby, 1996<br />
  34. 34. Creep x Leite<br /><ul><li>Via de regra a suplementação não reduz a ingestão de leite.
  35. 35. Normalmente se observa redução no consumo de forragens  sobra para as vacas  ECC
  36. 36. Preferência do bezerro:
  37. 37. 1. Leite
  38. 38. 2. Concentrado
  39. 39. 3. Forragem</li></li></ul><li>Resultados<br />Adaptado de Lusby (1995)<br />
  40. 40. Resultados<br />
  41. 41. Importância do ECC<br /><ul><li>ECC no parto e na estação de monta é o fator que mais afeta o estabelecimento da prenhez.
  42. 42. ECC abaixo de 4  necessidade de suplementação energética para manter ER
  43. 43. Problema é maior para primíparas.
  44. 44. Com forragens de baixa qualidade, suplementação pode ser estratégia para melhorar ECC
  45. 45. Manutenção da ER</li></li></ul><li>ECC x Reprodução<br />% de vacas ciclando normalmente<br />ECC<br />Fig. 1. Porcentagem de vacas ciclando no início da estação de monta em função do ECC (adaptado de Lamb, 1999)<br />
  46. 46. Viabilidade<br />
  47. 47. Viabilidade<br />* Custo da ração = U$ 185,00/ton<br />
  48. 48. Viabilidade<br /><ul><li>Pate (2003):
  49. 49. Estudo de 3 anos – Alabama, EUA.
  50. 50. Bezerros suplementados por 182 dias = +16,3 kg.
  51. 51. Consumo suplemento = 230 kg.
  52. 52. Ganho adicional = US$ 30/bezerro.
  53. 53. Custo da suplementação = US$ 50/bezerro.</li></ul>- U$ 20<br /><ul><li>Oklahoma, EUA.
  54. 54. Bezerros suplementados por 159 dias = +30 kg.
  55. 55. Consumo suplemento = 165 kg.
  56. 56. Ganho adicional = US$ 25/bezerro.
  57. 57. Custo da suplementação = US$ 37/bezerro.</li></ul>- U$ 12<br />
  58. 58. Limitações<br /><ul><li>Bezerros cujas mães são boas produtoras de leite, criados em pastagens de alta qualidade podem não responder à suplementação;
  59. 59. Exige mais mão-de-obra e investimento em instalações específicas;
  60. 60. Comprometer a produção futura das novilhas.</li></li></ul><li>Maiores chances de sucesso<br /><ul><li>O preço dos bezerros está alto em relação ao preço dos alimentos;
  61. 61. As pastagens não são de qualidade elevada ou épocas de escassez de forragem ;
  62. 62. As matrizes não produzem muito leite, especialmente primíparas;
  63. 63. Alimentação só com forragem e leite não é suficiente para atingir o potencial genético para ganho dos bezerros;</li></li></ul><li>Poucas chances de sucesso<br /><ul><li>O preço dos alimentos está alto em relação ao preço dos bezerros;
  64. 64. As pastagens mantém-se com boa qualidade até a época da desmama;
  65. 65. As matrizes são boas produtoras de leite;
  66. 66. Os bezerros são recriados a pasto;</li></li></ul><li>OBRIGADO!!<br />Alexandre M. Pedroso<br />ampedros@esalq.usp.br<br />

×