Feudalismo trabalho de história

10,452 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
10,452
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
46
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Feudalismo trabalho de história

  1. 1. VILHENA –RO 2012
  2. 2. Observando as sociedades da Europa Ocidental, entre os séculos X eXIII, os historiadores observaram algumas características comuns entreelas. Para identificá-las, elaboraram conceitos como o de “Feudalismo”.Esse termo, entretanto, tem gerado muitos debates e recebido distintasdefinições. Com base no conceito elaborado pelo historiador francês Jacques LeGoff, especialista em História Medieval. Segundo ele, feudalismo é umsistema de organização econômica, social e política, no qual uma camadade guerreiros especializados - os senhores -, subordinados uns aos outrospor uma hierarquia de vínculos de dependência, domina uma massacampesina que trabalha na terra e lhes fornecem com que viver. Embora o feudalismo seja um sistema que caracterizou diversasregiões da Europa ocidental entre os séculos X e XIII, podemos dizer quesuas instituições resultaram de longa gestação, mesclando elementosromanos e germânicos. O processo de formação do feudalismo, por abranger uma área muitoextensa, não foi idêntico em todos os lugares da Europa Ocidental.
  3. 3.  COLONATO: É o sistema de trabalho servil que se desenvolveu com a crise do Império Romano, quando escravos e plebeus empobrecidos passaram a trabalhar como colonos em terras de um grande senhor. O proprietário oferecia terra e proteção ao colono, recebendo deste um rendimento do seu trabalho. Nesse processo, em geral, as cidades perderam importância, ao passo que, no campo, desenvolveram-se vilas (unidades econômicas) com produção agropastoril destinada ao auto consumo (isto é, ao consumo interno das próprias vilas). ENFRAQUECIMENTO DO PODER CENTRALIZADO: No final do período imperial, a administração romana não tinha condições de impor sua autoridade a todas as regiões. Esse enfraquecimento do poder central conduziu à ampliação do poder local dos grandes proprietários de terra.
  4. 4.  ECONOMIA AGROPASTORIL: A base da economia germânica era a agricultura e a criação de animais, sem a preocupação de produzir excedentes para a comercialização. COMITATUS: Instituição que estabelecia laços de fidelidade entre o chefe militar e seus guerreiros. BENEFÍCIUM: Instituição pela qual os chefes militares carolíngios concediam a seus guerreiros, como recompensa, a posse de terras. Essas terras foram chamadas mais tarde de feudos (bem oferecido). Em troca, o beneficiado oferecia fidelidade, seu trabalho e ajuda militar ao senhor.
  5. 5. Essas características correspondem, atualmente, a França, Alemanha,Inglaterra e parte da Itália: Enfraquecimento do poder em real (ou central) e fortalecimento dos poderesdos senhores locais ou regionais. Existência de vínculos pessoais de obediência e proteção entre os maispoderosos e os mais fracos. Declínio das atividades comerciais urbanas e fortalecimento da vida rural; Uso generalizado de trabalho servil no campo. Durante o feudalismo, com o enfraquecimento dos governos centralizado naEuropa Ocidental, o poder político era controlado predominante pelos senhoresfeudais. Os feudos eram detentores de extensões de terras e governavam seusdomínios exercendo autoridades administrativa, judicial e militar.
  6. 6. Os vários núcleos de poder político – principados, ducados, condados etc.E estavam ligados por laços estabelecidos entre membros da nobreza apartir da concessão de feudos. De modo geral, intitulava-se senhor (ou suserano) o nobre que concediafeudos a outro nobre, denominado vassalo. Este, em troca, devia fidelidade eprestação de serviços (principalmente militares) ao senhor. A transmissão do feudo era realizada em uma cerimônia solene,constituída de dois atos principais: a homenagem (juramento de fidelidadedo vassalo) e a investidura (ato de transmissão do feudo ao vassalo). Suseranos e vassalos tinham direitos e deveres estabelecidos entre si. SUSERANO: Devia proteger militarmente seus vassalos e dar-lhesassistência jurídica. Tinha direito de reaver o feudo do vassalo que morressesem deixar herdeiros, de proibir o casamento do vassalo com alguém infiel,etc. VASSALO: Devia prestar serviço militar ao suserano, libertá-lo (caso fosseaprisionado por inimigos), comparecer ao tribunal e presídio pelo suseranotoda vez que fosse convocado, etc. Recebia proteção do suserano.
  7. 7. A sociedade feudal era estratificada em três ordens (grupos) principais: Nobres, cleros e servos. NOBREZA (OU BELLATORES, PALAVRA LATINA QUE SIGNIFICA “GUERREIROS”): É a ordem dos detentores de terra, que se dedicavam basicamente às atividades militares. Em tempos de paz, as atividades favoritas da nobreza eram a caça e os torneios esportivos, que serviam de treino para a guerra. CLERO (OU ORATORES, PALAVRA LATINA QUE SIGNIFICA “REZADORES”): É a ordem dos membros da Igreja Católica, destacando-se os dirigentes superiores, como bispos, abades e cardeais. Os dirigentes da Igreja administravam suas propriedades e tinham grande influência política e ideológica (isto é, na formação das mentalidades e das opiniões) sobre toda a sociedade. Veja a seguir o tema “trabalhadores”.
  8. 8.  TRABALHADORES (OU LABORATORES, PALAVRA LATINA QUE SIGNIFICA “TRABALHADORES”): É a ordem composta da população camponesa, a maior parte na condição servil, que realizava os trabalhos necessários à subsistência da sociedade. A condição de servo implicava uma série de restrições à liberdade. Os servos recebiam do senhor o chamado “Manso Servil” (lotes de terra para o cultivo), do qual retiravam sua subsistência. No entanto, os servos eram obrigados a pagar taxas ao senhor e trabalhavam ainda em lugares e tarefas indicados [por eles], sem qualquer tipo de remuneração. Em contrapartida, tinham a posse vitalícia e hereditária de seus mansos, e a proteção militar proporcionada pelo senhor. Essa organização social, praticamente sem mobilidade entre as ordens, era preservada pela elite do clero e da nobreza em função de seus interesses. Procurando justificar essa divisão social em três ordens, o bispo francês Adalberon de Laon, no século XI, escreveu o seguinte texto: A casa de Deus que parece uma é portanto tripla: uns rezam, outros combatem e outros trabalham. Todos os três formam um conjunto e não se separam: a obra de uns permite o trabalho dos outros dois e cada qual por sua vez presta seu apoio aos outros.
  9. 9. O tamanho médio de um senhorio variava, dependendo da região, entre 200 e250 hectares. Cada um tinha uma produção variada de cereais, carnes, leite,manteiga, farinha, vinho, roupas, utensílios domésticos. Alguns produtos como osmetais utilizados na confecção de armas e instrumentos e o sal, vinham de fora.O senhorio era dividido em três grandes áreas: CAMPOS ABERTOS (TERRAS COMUNAIS): Bosques e pastos de usocomum, em que os servos podiam recolher madeira, coletar frutos silvestres esoltar animais, mas não podiam caçar determinados animais,como cervo e javali,por exemplo (um direito exclusivo do senhor). RESERVAS SENHORIAIS: Terras exclusivas do senhor feudal, cultivadasalguns dias por semana pelos servos para cumprir a obrigação devida ao senhor(corveia). Tudo o que era produzido nessas reservas pertencia ao senhor. MANSOS SERVIS: Terras utilizadas pelos servos, divididas em lotes (astenências), das quais eles retiravam seu próprio sustento e os recursos paracumprir as obrigações que deviam aos senhores.
  10. 10. Na relação de servidão, os servos não eram proprietários das terras em que trabalhavam. Eles apenas as usavam, tanto para produzir o próprio sustento como para manter as outras duas ordens (nobreza e clero). A relação servil também envolvia uma série de obrigações do servo para com o senhor feudal, pagas em forma de trabalho e de produtos. Entre elas, destacavam-se: CORVEIA: Obrigação servil de trabalhar alguns dias da semana nas reservas senhoriais. Esse trabalho podia ser realizado na agricultura, na criação de animais, na construção de casas e outros edifícios ou em benfeitorias. TALHA: Obrigação servil de entregar parte da produção agrícola ou pecuária ao senhor feudal. BANALIDADE: Taxa devida ao senhor pela utilização de equipamentos e instalações do senhorio (celeiro, fornos, moinhos e etc.).
  11. 11. DaniellyHermanLucas D.Reyther

×