Profa. Andrea Dalforno
IntroduçãoUsabilidade é o conceito utilizado para descrever a   A usabilidade é relacionada à eficácia e eficiência daqual...
Princípios Autonomia orientada – para que o usuário tenha controle sobre sua ação num site ou plataforma online, um ambie...
Os 4 CsControle: autonomia.Consistência: estabilidade.Contexto: encadeamento de ideias lógicas.Corroboração: confirmar...
Benefícios para o usuário Autonomia do usuário, que se sente no controle das suas ações e das suas impressões subjetivas....
Antecipação da experiênciaDeve-se considerar alguns fatores para facilitar a antecipação da experiênciade uso: Prover bai...
Consistência funcional e de produtividadeConsistência em interfaces web se refere à homogeneidade e à coerência desituaçõe...
Fatores a considerar Quando o uso é sujeito a erros frequentes, colocar condicionantes que forcem a  adaptação dos usuári...
Avaliação da usabilidade É fundamental pensar no usuário no momento de  projetar e desenvolver uma interface. Não basta ...
Métodos de avaliação Para analisar a usabilidade de uma interface é  necessário utilizar métodos de avaliação que  consid...
Avaliação                                        heurística               métodos analíticos                              ...
Avaliação HeurísticaA Avaliação Heurística é um método que tem o objetivo deexaminar uma interface e julgar de acordo com ...
Percurso CognitivoO PERCURSO COGNITIVO é um método que simula passo apasso o comportamento dos tipos de usuários em cadata...
ChecklistO CHECKLIST é uma lista de itens que devem ser considerados,permitindo que os profissionais envolvidos no projeto...
Teste de UsabilidadeAtravés do TESTE DE USABILIDADE é possível observar se ousuário está acessando e executando facilmente...
Percurso PluralísticoO PERCURSO PLURALÍSTICO permite avaliar uma sequênciade telas observando o percurso de interação dos ...
Modelo de GOMSGoals, Operators, Methods, and Selection rulesO método GOMS não é o mais preciso para avaliação de interface...
QuestionáriosEste método reúne várias questões que são apresentadas aos usuários.Através dos QUESTIONÁRIOS é possível iden...
USABILIDADE
USABILIDADE
USABILIDADE
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

USABILIDADE

1,297

Published on

Published in: Education
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,297
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

USABILIDADE

  1. 1. Profa. Andrea Dalforno
  2. 2. IntroduçãoUsabilidade é o conceito utilizado para descrever a A usabilidade é relacionada à eficácia e eficiência daqualidade da interação de uma interface diante de interface diante do usuário e pela reação do usuárioseus usuários, e está relacionada aos estudos de diante da interface.Ergonomia e de Interação Humano-Computador(IHC). Segundo os standards ISOEsta qualidade está associada de acordo com os 9241-11 (Guidance on Usability,seguintes princípios: facilidade de aprendizado; 1998), usabilidade é a facilidade de memorização de tarefas no caso de amplitude de uso de uso intermitente; determinado produto por seus produtividade dos usuários na execução de tarefas; usuários, de modo que possam prevenção, visando a redução de erros por parte realizar tarefas de maneira do usuário; efetiva, eficiente e satisfatória satisfação subjetiva do usuário. num contexto definido.
  3. 3. Princípios Autonomia orientada – para que o usuário tenha controle sobre sua ação num site ou plataforma online, um ambiente adequado de uso facilita a navegação e a realização de tarefas sem necessidade de apoio ou suporte. Antecipação da experiência – quando o usuário aprende facilmente a estrutura de informações e as funcionalidades disponíveis, sabe o que vai encontrar antes de selecionar o conteúdo de um site, bem como antes de usar uma ferramenta. Consistência funcional e de produtividade – os usuários memorizam facilmente os modelos aplicados e os aplicativos respondem à mesma ação aprendida pelos usuários com os mesmos resultados, em qualquer momento, em qualquer tela, com poucos erros e mal-entendidos.
  4. 4. Os 4 CsControle: autonomia.Consistência: estabilidade.Contexto: encadeamento de ideias lógicas.Corroboração: confirmar, comprovar, fortalecer.
  5. 5. Benefícios para o usuário Autonomia do usuário, que se sente no controle das suas ações e das suas impressões subjetivas. Satisfação do usuário com a experiência de uso e com o veículo de modo geral, em decorrência do controle e da percepção crítica das ações.
  6. 6. Antecipação da experiênciaDeve-se considerar alguns fatores para facilitar a antecipação da experiênciade uso: Prover baixo tempo de download para a interface e imediata percepção de valor aos usuários; Oferecer suporte à navegação e ao uso, por meio de mensagens claras e objetivas; Facilitar o aprendizado de uso, de modo que o usuário possa usar o site sem precisar de aprendizado formal; Informar o usuário as tarefas a realizar; Permitir a reversibilidade das ações, para que o usuário possa explorar o site e, caso "erre o caminho" ou desista de uma tarefa, volte à etapa inicial; Incluir pequenos resumos próximos aos links; Incluir "Links relacionados“.
  7. 7. Consistência funcional e de produtividadeConsistência em interfaces web se refere à homogeneidade e à coerência desituações que devem ser tratadas, apresentadas ou acionadas de maneirasemelhante. Antecipando as respostas do sistema, interfaces consistentesfacilitam o aprendizado e aumentam a produtividade dos usuários, quecometem menos erros e controlam melhor suas ações. Coordenação entre a funcionalidade da interface e o comportamento do usuário; Provimento de respostas claras e imediatas; Invisibilidade do conceito aplicado na estrutura de navegação; Visibilidade informativa; Layout e funcionalidades do programa previsíveis de acordo com modelos pré-definidos; Posicionamento dos elementos de acordo com convenções já aceitas pelo senso comum; Consistência terminológica.
  8. 8. Fatores a considerar Quando o uso é sujeito a erros frequentes, colocar condicionantes que forcem a adaptação dos usuários para que a tarefa seja realizada corretamente. Grau de familiaridade do usuário médio do site com o uso da internet e suas ferramentas. Adaptação da interface às condições físicas ou de acesso do usuário. Uso de convenções já aceitas em grandes sites e portais, que facilita a localização de informações. Clareza da localização das páginas de abertura das seções principais em relação à página Principal. Orientação visual dos percursos a seguir, dos caminhos percorridos e pontos de chegada. Sinalização visual dos pontos onde os usuários devem permanecer mais tempo. Sinalização do status de uma tarefa durante a sua realização. Manutenção da continuidade da ação entre etapas. Possibilidade de opção sobre a instalação de plug-ins e programas no computador ou no browser do usuário para a visualização de imagens e animações.
  9. 9. Avaliação da usabilidade É fundamental pensar no usuário no momento de projetar e desenvolver uma interface. Não basta ter as funcionalidades desejadas, é necessário que estas sejam visíveis e facilmente compreendidas. Depois das fase de planejamento e desenvolvimento é necessário analisar se a interface pronta é usável. Ou seja, é necessário avaliar se a interface (de um sistema ou site ou produto) proporciona aos usuários condições para que este alcance seus objetivos na interação.
  10. 10. Métodos de avaliação Para analisar a usabilidade de uma interface é necessário utilizar métodos de avaliação que consideram os conceitos de IHC (interação humano- computador), e, em muitos casos, de engenharia de software. Nielsen (1994) dividiu os métodos em três categorias: 1. métodos analíticos ou de inspeção; 2. métodos empíricos ou teste com usuários; e 3. outras formas. NIELSEN, J. Heuristic Evaluation. In: NIELSEN, J; MACK, R. Usability Inspection Methods. John Wiley & Sons, 1994.
  11. 11. Avaliação heurística métodos analíticos Percurso cognitivo ou de inspeção Checklist Teste de usabilidade métodos empíricosMÉTODOS PARA ou teste com AVALIAÇÃO usuários Percurso pluralístico Modelo de GOMS outras formas Questionários
  12. 12. Avaliação HeurísticaA Avaliação Heurística é um método que tem o objetivo deexaminar uma interface e julgar de acordo com os conceitos deIHC, baseado nos princípios de usabilidade.É necessário um pequeno grupo de avaliadores, e pode seraplicado no início do desenvolvimento do projeto.É considerado um método rápido e barato.Com base nos resultados da avaliação, melhorias podem serpropostas mesmo no início do desenvolvimento do projeto dainterface.
  13. 13. Percurso CognitivoO PERCURSO COGNITIVO é um método que simula passo apasso o comportamento dos tipos de usuários em cadatarefa/função de uma interface.É necessário definir os perfis de usuários, incluindocaracterísticas, habilidades e deficiências.Este método pode ser aplicado no início do desenvolvimento doprojeto de uma interface, e o resultado desta avaliação permiteidentificar problemas e possíveis soluções.
  14. 14. ChecklistO CHECKLIST é uma lista de itens que devem ser considerados,permitindo que os profissionais envolvidos no projeto de umsistema/site verifiquem se as funcionalidades e conteúdos estãovisíveis e acessíveis aos usuários.
  15. 15. Teste de UsabilidadeAtravés do TESTE DE USABILIDADE é possível observar se ousuário está acessando e executando facilmente as tarefas emuma interface.É necessário definir objetivos para os usuários. Ou seja, definir oque será observado.Este teste pode ser realizado a partir de um protótipo, ouquando o sistema/site estiver pronto e implementado.
  16. 16. Percurso PluralísticoO PERCURSO PLURALÍSTICO permite avaliar uma sequênciade telas observando o percurso de interação dos usuários. Otermo “pluralístico” é utilizado porque envolve várias pessoas,incluindo a equipe de profissionais envolvida no projeto.Neste método os usuários descrevem executariam umadeterminada tarefa proposta pela equipe responsável peloprojeto. Então acontece uma troca de informações entre aequipe e os usuários. A equipe compara o que foi planejadopelos profissionais envolvidos, e o que foi descrito pelosusuários, permitindo entender a visão e experiência destes edefinir a melhor solução para determinada tarefa.
  17. 17. Modelo de GOMSGoals, Operators, Methods, and Selection rulesO método GOMS não é o mais preciso para avaliação de interfaces, mascertamente tem suas vantagens. Esta técnica baseia-se no modelo deprocesso cognitivo humano e avalia de forma estimativa se uma interaçãoespecífica pode ser executada com pouco esforço, baixo custo, e num curtoespaço de tempo, definindo processos e medições.É necessária uma cuidadosa investigação em todas as etapas de interação deum usuário com uma interface, e definir um tempo para cada uma.A soma dos tempos necessários para completar as etapas detalhadasfornece uma estimativa de quanto tempo um usuário, provavelmente,precisará para completar com sucesso a tarefa desejada.
  18. 18. QuestionáriosEste método reúne várias questões que são apresentadas aos usuários.Através dos QUESTIONÁRIOS é possível identificar facilmente os perfis dosusuários, tais como: preferências, satisfações, ansiedades, expectativas, etc.Existem várias maneiras de aplicar os questionários, que podem ser comquestões de múltipla escolha.

×