O Cérebro e a Aprendizagem Anatomia do SN Cérebro x Aprendizagem Necessidade de se conhecer a estrutura e o  funcionamento...
O SISTEMA NERVOSO DO PONTO  DE VISTA NEUROLÓGICO SN SNC SNP ENCÉFALO MEDULA 12 pares de nervos cranianos 33 pares de nervo...
Cerebelo :  centro coordenador dos movimentos;  intervém no equilíbrio do corpo e na orientação.  Ponte:  constituída por ...
DIVISÃO DO CÓRTEX CEREBRAL EM LOBOS <ul><li>Frontal: motora </li></ul><ul><li>Parietal: somatossensorial  </li></ul><ul><l...
DOMINÂNCIA CEREBRAL HEMISFÉRIOS CEREBRAIS Esquerdo Direito - Raciocínio lógico, verbal - Comportamento cauteloso - Organiz...
PRINCIPAIS FUNÇÕES DO CÉREBRO <ul><li>Controlar o estado de alerta </li></ul><ul><li>Possibilitar atenção seletiva </li></...
Funcionamento dos componentes do cérebro <ul><li>Célula nervosa ou neurônio = unidade básica funcional do SN, responsável ...
Dificuldades ou Distúrbios de Aprendizagem: um Olhar na Postura do Psicopedagogo <ul><li>Condições para o aprendizado (Fon...
Diagnóstico dos distúrbios e dificuldades de aprendizagem Conhecimento amplo da diversidade de fatores que intervêm na apr...
Distúrbios de aprendizagem   <ul><li>complexos; de ordem neurológica, genética ou metabólica </li></ul><ul><li>Causa dos d...
Transtorno do Déficit de Atenção, Hiperatividade <ul><li>segundo transtorno mais comum </li></ul><ul><li>problemas de comp...
Quem é a Criança Hiperativa ? <ul><li>Inquietas desde pequenas </li></ul><ul><li>Desorganizadas </li></ul><ul><li>“ Estaba...
TDA/H : origem genética ou ambiental ? <ul><li>Genética:   </li></ul><ul><li>síndrome de Turner </li></ul><ul><li>síndrome...
Variações na caracterização do TDA de acordo com a faixa etária (Mattos, 2001) Características comportamentais de acordo c...
<ul><li>Atenção = habilidade de reagir aos estímulos do meio; requer uma organização interna e externa </li></ul><ul><li>A...
Distúrbios de Aprendizagem: Linguagem Escrita e Linguagem Quantitativa <ul><li>A)  Relacionados à Escrita </li></ul><ul><l...
<ul><li>A.2)  Disortografia = incapacidade de transcrever corretamente a linguagem oral, ocorrendo trocas ortográficas e c...
Principais dificuldades da criança portadora  da discalculia <ul><li>estabelecer correspondência unívoca </li></ul><ul><li...
Dislexia <ul><li>Incapacidade para a leitura e/ou soletração </li></ul><ul><li>A dislexia é diagnosticada quando a criança...
Processos cognitivos envolvidos na linguagem <ul><li>Aprendizado da leitura e escrita  habilidade analítico – sintética re...
Distúrbios de leitura – análise neuropsicológica cognitiva <ul><li>Dislexia = déficit nas habilidades de processamento fon...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

SíNtese DistúRbio De Aprendizagem

8,377 views
8,184 views

Published on

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
8,377
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
13
Actions
Shares
0
Downloads
460
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SíNtese DistúRbio De Aprendizagem

  1. 1. O Cérebro e a Aprendizagem Anatomia do SN Cérebro x Aprendizagem Necessidade de se conhecer a estrutura e o funcionamento cerebral Sistema Nervoso = regulador das funções do corpo Máquina x Ser Humano (Fonseca, 1995) Sensores células receptoras Computador SNC (cérebro e medula) Efetores Células controladoras Rede de cabos nervos (SNP)
  2. 2. O SISTEMA NERVOSO DO PONTO DE VISTA NEUROLÓGICO SN SNC SNP ENCÉFALO MEDULA 12 pares de nervos cranianos 33 pares de nervos espinhais Gânglios Terminações nervosas
  3. 3. Cerebelo : centro coordenador dos movimentos; intervém no equilíbrio do corpo e na orientação. Ponte: constituída por fibras nervosas que ligam o córtex cerebral ao cerebelo Bulbo : Tem sua origem na base do crânio e continua na medula. Localizado abaixo da ponte, controla importantes funções do nosso organismo, entre elas: a respiração, o ritmo dos batimentos cardíacos e certos atos reflexos (como a deglutição, o vômito, a tosse e o piscar dos olhos). Dura-máter - membrana externa fibrosa, espessa e resistente, aderente ao osso. Aracnóide - membrana intermediária , constituída por inúmeros filamentos finos e entrelaçados. Pia-máter - membrana interna fina e percorrida por numerosos vasos sanguíneos. Adere ao encéfalo e acompanha todas as irregularidades da sua superfície. Meninges - três membranas situadas entre o encéfalo e os ossos que o envolvem.
  4. 4. DIVISÃO DO CÓRTEX CEREBRAL EM LOBOS <ul><li>Frontal: motora </li></ul><ul><li>Parietal: somatossensorial </li></ul><ul><li>Temporal: auditiva </li></ul><ul><li>Occipital: visual </li></ul>Visão Lateral do encéfalo, mostrando os lobos e sulcos
  5. 5. DOMINÂNCIA CEREBRAL HEMISFÉRIOS CEREBRAIS Esquerdo Direito - Raciocínio lógico, verbal - Comportamento cauteloso - Organização <ul><li>- Raciocínio não verbal </li></ul><ul><li>- Criatividade </li></ul><ul><li>- Habilidades manuais </li></ul><ul><li>Intuição </li></ul><ul><li>Sentido de direção </li></ul>Aracnóide - membrana intermédio constituída por inúmeros filamentos finos e entrelaçados.      Leitura/Escrita Seqüência Matemática Números Lógica Linguagem O lado esquerdo enfatiza Modelos Imaginação Pintura Música Ritmo Rima O lado direito enfatiza
  6. 6. PRINCIPAIS FUNÇÕES DO CÉREBRO <ul><li>Controlar o estado de alerta </li></ul><ul><li>Possibilitar atenção seletiva </li></ul><ul><li>Receber e traduzir os estímulos em sensações </li></ul><ul><li>Armazenar informações, por meio da memória </li></ul><ul><li>Organizar a atividade consciente, por meio da atribuição </li></ul><ul><li>de significados, programas de ações e regulação do </li></ul><ul><li>comportamento </li></ul><ul><li>Uso Integral do Cérebro </li></ul><ul><li>Sistema Educativo: privilegia o uso do hemisfério esquerdo </li></ul><ul><li>Necessidade de estimular as diversas áreas cerebrais </li></ul><ul><li>Teoria das Inteligências Múltiplas (Gardner, 1994): </li></ul><ul><li>verbal; lingüística </li></ul><ul><li>lógica; matemática </li></ul><ul><li>musical </li></ul><ul><li>corporal; cinestésica </li></ul><ul><li>visual; espacial </li></ul><ul><li>interpessoal </li></ul><ul><li>intrapessoal </li></ul>
  7. 7. Funcionamento dos componentes do cérebro <ul><li>Célula nervosa ou neurônio = unidade básica funcional do SN, responsável pelo processamento de informações do SNC e SNP. </li></ul><ul><li>Função do neurônio = transportar impulsos elétricos </li></ul><ul><li>Elementos dos neurônios = axônios, corpos celulares (somas), núcleos e dendritos </li></ul><ul><li>Sinapse = ligação entre um neurônio e outro, por meio de substâncias químicas </li></ul><ul><li>Plasticidade neuronal = capacidade do neurônio saudável tentar estabelecer conexões quando o SN é lesado </li></ul><ul><li>Arco reflexo = ocorre a nível medular para defesa do organismo </li></ul><ul><li>Relação entre cérebro e aprendizagem </li></ul><ul><li>O cérebro controla e organiza a aprendizagem </li></ul><ul><li>O aprendizado influencia a transformação neurológica, dependendo da qualidade de vida e das mediações sociais </li></ul><ul><li>Relação entre cérebro e linguagem </li></ul><ul><li>Lesão na área pré-motora (área de Broca) = altera a articulação e verbalização </li></ul><ul><li>Lesão na área temporal (região da compreensão) = compromete a compreensão. </li></ul><ul><li>Lesão na parte posterior do corpo caloso = compromete a leitura do que é apresentado no campo visual esquerdo </li></ul>
  8. 8. Dificuldades ou Distúrbios de Aprendizagem: um Olhar na Postura do Psicopedagogo <ul><li>Condições para o aprendizado (Fonseca, 1995) </li></ul><ul><li>desenvolvimento cognitivo e emocional </li></ul><ul><li>psicomotricidade </li></ul><ul><li>maturação neurobiológica </li></ul><ul><li>aspectos psicossociais </li></ul><ul><li>problema presente ao longo do processo de aprendizagem, causado por causas internas ou externas. </li></ul><ul><li>não necessariamente causado por problemas orgânicos </li></ul><ul><li>Çrianças: </li></ul><ul><li>boas condições de saúde </li></ul><ul><li>sem problemas emocionais e comportamentais </li></ul>Ciasca (2003) <ul><li>mais geral </li></ul><ul><li>mais momentâneo </li></ul><ul><li>ex: desmotivação, desinteresse </li></ul><ul><li>observação da queixa inicial </li></ul><ul><li>mais específico </li></ul><ul><li>mais comprometedor </li></ul><ul><li>ex: problemas de leitura, escrita, etc </li></ul>Drouet (1998) Dificuldades Distúrbios
  9. 9. Diagnóstico dos distúrbios e dificuldades de aprendizagem Conhecimento amplo da diversidade de fatores que intervêm na aprendizagem Aspectos normais e patológicos do desenvolvimento Tarefa diagnóstica é complexa Escola não deve considerar dificuldades como distúrbios Dificuldades de aprendizagem <ul><li>surgem quando a prática pedagógica diverge das necessidades dos alunos (Guerra, 2002) </li></ul><ul><li>aumentam com a falta de condições ideais no contexto </li></ul><ul><li>escolar e podem se agravar por práticas educativas familiares inadequadas (Fonseca, 1995) </li></ul>Cautela Não afirmar que toda dificuldade de aprendizagem caracteriza-se como distúrbio As causas das dificuldades devem ser entendidas do ponto de vista educacional, familiar e social Construção do conhecimento pela criança etapas raciocínio formal Psicologia do Desenvolvimento
  10. 10. Distúrbios de aprendizagem <ul><li>complexos; de ordem neurológica, genética ou metabólica </li></ul><ul><li>Causa dos distúrbios (Fonseca, 1995) </li></ul><ul><li>lesões cerebrais : problema verificável localização cerebral </li></ul><ul><li>melhor compreensão dos processos neurológicos envolvidos </li></ul><ul><li>deficiência sensorial ou cognitiva : rebaixamento mental; deficiência sensorial ou do SNP (cegueira, surdez e mudez) </li></ul><ul><li>Disfunção cerebral : mesmas características comportamentais dos portadores de lesão; falta de verificabilidade das lesões portadores de lesão cerebral mínima (LCM) </li></ul><ul><li>Termo “deficientes mentais” “portadores de distúrbios de aprendizagem ou de disfunção cerebral </li></ul><ul><li>Disfunção cerebral = perturbação do funcionamento cerebral </li></ul><ul><li>Distúrbios de aprendizagem = perturbação dos processos de aprendizagem </li></ul><ul><li>Quem é a criança portadora de DA ? </li></ul><ul><li>Não apresentam privação sensorial e lesões cerebrais </li></ul><ul><li>São emocionalmente ajustadas e inteligentes </li></ul><ul><li>Nem sempre apresentam evidências neurológicas de distúrbios </li></ul><ul><li>COMPORTAMENTOS + HISTÓRIA DE VIDA </li></ul><ul><li>Classificação dos distúrbios (Fonseca, 1995) </li></ul><ul><li>Verbais </li></ul><ul><li>Não verbais </li></ul>
  11. 11. Transtorno do Déficit de Atenção, Hiperatividade <ul><li>segundo transtorno mais comum </li></ul><ul><li>problemas de comportamento: desencadeados por fatores emocionais, cognitivos,sociais, culturais, metodológicos e neurológicos </li></ul>Necessidade de identificar a origem do comportamento inadequado da criança <ul><li>Considerações gerais: </li></ul><ul><li>Início do séc. XX: conjunto de alterações de comportamento em crianças, não explicado por falhas ambientais, mas por processo biológico desconhecido </li></ul><ul><li>Várias denominações: LCM, disfunção cerebral mínima, Síndrome da criança hiperativa, Distúrbio Primário da Atenção </li></ul><ul><li>1994: Associação Americana de Psiquiatria Transtorno do Déficit de Atenção/Hiperatividade (TDA/H) </li></ul><ul><li>Envolve uma complexa categoria de disfunções: falta de critérios claros e diferentes medidas diagnósticas </li></ul><ul><li>Incidência: idade pré-escolar 10%; idade escolar 4 a 5% </li></ul><ul><li>Estudos apontam para novos transtornos, distúrbios e síndromes com características muito próximas ao TDA complexidade diagnóstica avaliador deve verificar se determinados comportamentos específicos excluem ou se associam ao TODA </li></ul><ul><li>Estudos sobre o TDA enfatizam as crianças com comportamento hiperativo </li></ul>
  12. 12. Quem é a Criança Hiperativa ? <ul><li>Inquietas desde pequenas </li></ul><ul><li>Desorganizadas </li></ul><ul><li>“ Estabanadas” ou “bichos carpinteiros” </li></ul><ul><li>Não gostam de coisas monótonas ou repetitivas </li></ul><ul><li>Impulsivas </li></ul><ul><li>Não permanecem nas atividades por muito tempo </li></ul><ul><li>Desatentas </li></ul><ul><li>Perdem objetos </li></ul><ul><li>Conversam muito mas também iniciam brigas com os colegas </li></ul><ul><li>Desafiam os pais </li></ul><ul><li>Não acatam ordens </li></ul><ul><li>São impulsivas </li></ul><ul><li>Na escola: </li></ul><ul><li>Não gostam de histórias </li></ul><ul><li>Erram os exercícios por falta de atenção ao que foi solicitado </li></ul><ul><li>Cometem erros por distração </li></ul><ul><li>São esquecidas </li></ul>Processos Cerebrais do TDA/H Duas possibilidades para os mecanismos cerebrais dos TDA 1. Estrutural : fluxo de sangue redução do fluxo sangüíneo em regiões pré-frontais (responsável pelo estado de vigília, atenção e controle emocional) (Pennington, 1997): 2. Funcional: alteração neuroquímica cerebral produção insuficiente de neurotransmissores (dopamina e noradrenalina) nas regiões dos lobos frontal, parietal, sistema límbico) comportamentos agressivos, impulsivos e depressivos, alterações do sono e distúrbios de atenção
  13. 13. TDA/H : origem genética ou ambiental ? <ul><li>Genética: </li></ul><ul><li>síndrome de Turner </li></ul><ul><li>síndrome do X Frágil </li></ul><ul><li>variações de temperamento </li></ul><ul><li>Ambiental : fatores pré, peri e pós-natais </li></ul><ul><li>pré-natais: uso de álcool, nicotina, drogas, medicamentos </li></ul><ul><li>peri-natais: anóxia, trauma obstétrico, nascimento prematuro </li></ul><ul><li>pós-natais: tombos, febres altas, intoxicações por chumbo </li></ul><ul><li>Fatores familiares : potencializadores de pré-disposições </li></ul><ul><li>(discussões, agressões, rejeição dos filhos, discórdia conjugal, </li></ul><ul><li>baixo nível de escolaridade dos pais, lares numerosos) </li></ul><ul><li>Para que uma criança seja diagnosticada como portadora do TDA-H é necessário : </li></ul><ul><li>exame clínico sinais de desatenção e-ou hiperatividade e-ou impulsividade </li></ul><ul><li>Os sintomas: </li></ul><ul><li>início na adolescência </li></ul><ul><li>persistência há + de 6 meses </li></ul><ul><li>ocorrência em mais de um ambiente de convivência da cça </li></ul><ul><li>criança com inteligência normal </li></ul><ul><li>Fase escolar : período mais característico </li></ul><ul><li> exigência </li></ul>tolerância
  14. 14. Variações na caracterização do TDA de acordo com a faixa etária (Mattos, 2001) Características comportamentais de acordo com a disfunção: Comorbidade = associação do TDA/H com 2 ou mais problemas desatenção; impulsividade Adolescência desatenção; hiperatividade Escolar hiperatividade Pré-escolares Sintomas Idade <ul><li>impaciente; tem dificuldade de esperar </li></ul><ul><li>baixa tolerância à frustação </li></ul><ul><li>sensível à provocação, crítica ou rejeição </li></ul>Impulsivo <ul><li>fala sem parar; monopoliza as conversas </li></ul><ul><li>sensação constante de inquietação ou ansiedade </li></ul><ul><li>não permanece sentado por muito tempo </li></ul>Hiperativo <ul><li>dificuldade de estabelecer prioridades </li></ul><ul><li>qualquer estímulo desvia a atenção da atividade </li></ul><ul><li>comete erros por descuido </li></ul>Desatento Comportamento Padrão transtornos ansiosos, depressivos, de apetite, do sono, abuso de drogas e tranquilizantes Adulta abuso de drogas Adolescência transtornos de aprendizagem, do comportamento, da ansiedade, depressivos e tiques Infância Transtornos Etapa
  15. 15. <ul><li>Atenção = habilidade de reagir aos estímulos do meio; requer uma organização interna e externa </li></ul><ul><li>Aprender implica em: selecionar um assunto (estímulo), focalizar a atenção nesse assunto, manter o foco na atenção e resistir ás distrações </li></ul><ul><li>Concentração = manutenção da atenção </li></ul><ul><li>Cérebro = capacidade de orientar nossa atenção apenas aos estímulos importantes e necessários </li></ul><ul><li>Atenção = controlada pelo tronco cerebral: substância reticulada (regula a entrada e seleção integrada de estímulos </li></ul><ul><li>Disfunções ou lesões nessa área (primeiro bloco de Luria) = dificuldade em processar e conservar informações; cérebro não separa as informações relevantes das irrelevantes </li></ul><ul><li>Papel do ambiente escolar na organização externa = excesso de estímulos </li></ul><ul><li>Memória = funcionamento neurológico compõe-se de 2 processos: </li></ul><ul><li>biolétrico (nível nervoso) e bioquímico (nível sináptico) </li></ul><ul><li>Funções relacionadas à memória = análise, síntese, seleção, conexão, associação, estratégia, formulação e arranjo da informação </li></ul><ul><li>Processo de armazenamento de informações = 3 processos inter-relacionados: memória a curto, médio e longo prazo </li></ul><ul><li>Diagnóstico e intervenção do TDA/H </li></ul><ul><li>requer conhecimento especializado sobre o assunto </li></ul><ul><li>testes neurológicos e psicológicos específicos </li></ul><ul><li>indispensável avaliação clínica (entrevistas) </li></ul><ul><li>Requer equipe multidisciplinar </li></ul><ul><li>Intervenção deve envolver pais e profissionais </li></ul><ul><li>Orientações devem englobar aspectos psicossociais </li></ul><ul><li>Orientação médica sobre o uso de medicamentos </li></ul>
  16. 16. Distúrbios de Aprendizagem: Linguagem Escrita e Linguagem Quantitativa <ul><li>A) Relacionados à Escrita </li></ul><ul><li>Linguagem escrita = instrumento que permite à criança </li></ul><ul><li>Interagir socialmente </li></ul><ul><li>Principais distúrbios = disgrafia, disortografia e erros de formulação e sintaxe </li></ul><ul><li>A.1) Disgrafia = desordem resultante de um distúrbio de integração viso motora </li></ul><ul><li>A criança que apresenta disgrafia: </li></ul><ul><li>Não possui problemas motores </li></ul><ul><li>Brinca </li></ul><ul><li>Tem habilidades manuais </li></ul><ul><li>Não apresenta problemas visuais </li></ul><ul><li>Problema = não é capaz de transmitir as informações visuais aos centros nervosos responsáveis pela motricidade </li></ul><ul><li>2 tipos de disgrafia (Ciasca et al., 2003): </li></ul><ul><li>funcional = não existe lesão neurológica, deficiência sensorial e motora </li></ul><ul><li>orgânica = evidências de lesões neurológicas e deficiências motoras </li></ul><ul><li>Principais características: </li></ul><ul><li>texto escrito de forma desordenada </li></ul><ul><li>margens malfeitas ou inexistentes </li></ul><ul><li>espaço irregular entre palavras, linhas e entrelinhas </li></ul><ul><li>traçado de má qualidade </li></ul>
  17. 17. <ul><li>A.2) Disortografia = incapacidade de transcrever corretamente a linguagem oral, ocorrendo trocas ortográficas e confusão de letras </li></ul><ul><li>Principais características: </li></ul><ul><li>Confusão de letras = f/v, p/b </li></ul><ul><li>confusão de sílabas com tonicidade semelhante = cantarão/cantaram </li></ul><ul><li>confusão de palavras com configurações semelhantes = pato/pelo </li></ul><ul><li>omissões (caixa/caxa) </li></ul><ul><li>adições (árvore(arvovore </li></ul><ul><li>inversões (pipoca/picoca) </li></ul><ul><li>fragmentações (encontram/ em contram) </li></ul><ul><li>A.3) Erros de formulação e sintaxe = incapacidade de organizar os pensamentos de maneira adequada para a comunicação escrita, mesmo que o indivíduo seja capaz de se comunicar oralmente, copiar e soletrar corretamente as palavras </li></ul><ul><li>Distúrbios de sintaxe = omissão de palavras, ordem errada das palavras, uso incorreto dos verbos e pronomes, terminações incorretas das palavras e falta de pontuação </li></ul><ul><li>B) Relacionados à Quantidade </li></ul><ul><li>Discalculias = distúrbios de aprendizagem da linguagem quantitativa </li></ul><ul><li>Principais características </li></ul><ul><li>As crianças com discalculia não conseguem compreender os princípios e processos matemáticos </li></ul><ul><li>Problemas comuns em sala de aula: </li></ul><ul><li>falta de compreensão de ordem </li></ul><ul><li>dificuldade com tabuada </li></ul><ul><li>dificuldade em anotar resultados </li></ul>
  18. 18. Principais dificuldades da criança portadora da discalculia <ul><li>estabelecer correspondência unívoca </li></ul><ul><li>fazer associação de símbolos auditivos e visuais = faz contagem oral, mas não identifica o número </li></ul><ul><li>aprender contagem por meio de ordinais e cardinais </li></ul><ul><li>visualizar conjunto de objetos inserido em um conjunto maior </li></ul><ul><li>compreender o princípio de conservação de quantidade </li></ul><ul><li>executar operações aritméticas </li></ul><ul><li>compreender o significado dos sinais de operação </li></ul><ul><li>compreender os princípios de medida </li></ul><ul><li>ler mapas e gráficos </li></ul><ul><li>usar princípios para solucionar problemas aritméticos </li></ul>
  19. 19. Dislexia <ul><li>Incapacidade para a leitura e/ou soletração </li></ul><ul><li>A dislexia é diagnosticada quando a criança: </li></ul><ul><li>apresenta inteligência normal </li></ul><ul><li>não apresenta déficit sensorial, lesão cerebral ou distúrbio psiquiátrico </li></ul><ul><li>tem oportunidades sociais e culturais que favorecem o aprendizado </li></ul><ul><li>metodologia de ensino adequado </li></ul>Dislexia de evolução ou de desenvolvimento 2 tipos Dislexia adquirida Ocorre após um dano cerebral Hout e Estienne (2001) = persistência a longo prazo, acompanhada de disortografia, predominância em meninos, recorrência familiar e capacidade de compreensão do que é codificado Compreensão auditiva > linguagem escrita Compreensão fonológica < nível intelectual Ao analisar um texto ou palavra, não conseguem converter símbolos gráficos em fonemas correspondentes
  20. 20. Processos cognitivos envolvidos na linguagem <ul><li>Aprendizado da leitura e escrita habilidade analítico – sintética relacionada à linguagem = capacidade de trabalhar e refletir com o todo e suas partes </li></ul><ul><li>H.E = análise H. D = síntese </li></ul><ul><li>Escrita = estratégias analíticas e fonológicas </li></ul><ul><li>Leitura = estratégias globais e visuais </li></ul><ul><li>Criança disléxicas = falta o domínio da consciência fonológica = não conseguem, dado um grafema, relacioná-lo aos sons correspondentes </li></ul><ul><li>Três estratégias para compreensão de processos de leitura (Hout e Estienne, 2001): </li></ul><ul><li>Logográfica = reconhecimento instantâneo das palavras, baseando-se em suas características gráficas globais </li></ul><ul><li>Alfabética = associação de letras para evocar sons e passar ao significado </li></ul><ul><li>Ortográfica = reconhecimento instantâneo de certas palavras ou partes de palavras encontrando, por identificação, a forma fonológica correspondente </li></ul><ul><li>Modelo de Reconhecimento de Palavras (Ellis, 2001) </li></ul><ul><li>Identificação dos rabiscos como letras pelo sistema de análise visual </li></ul><ul><li>Identificação da palavra como familiar pela memória visual = reconhecimento visual da palavra </li></ul><ul><li>Sistema semântico (acesso ao significado) e memória da produção da fala (pronúncia de palavras conhecidas) </li></ul><ul><li>Nível de fonema = depósito a curto prazo dos fonemas até serem articulados </li></ul>
  21. 21. Distúrbios de leitura – análise neuropsicológica cognitiva <ul><li>Dislexia = déficit nas habilidades de processamento fonológico e não no processamento visual </li></ul><ul><li>Outros distúrbios: dislexia de atenção, leitura letra por letra, afasia </li></ul><ul><li>Dislexia de superfície = uso constante e intenso da análise no nível do fonema; palavras sempre lidas como desconhecidas </li></ul><ul><li>Dislexia fonológica = não ocorre a análise do fonema </li></ul><ul><li>Dislexia profunda = vários déficits </li></ul><ul><li>Bases genéticas e hereditárias da dislexia </li></ul><ul><li>Origem genética dos distúrbios = análise do fluxo sanguíneo durante a leitura = deve ocorrer mais fluxo na área de Wernicke (H.E.) </li></ul><ul><li>Disléxicos = redução do fluxo nessa área; maior fluxo no giro angular </li></ul><ul><li>Alterações nos cromossomos 6 e 15 </li></ul><ul><li>Hereditariedade: </li></ul><ul><li>parentes de primeiro e segundo graus de disléxicos afetados pela distúrbio </li></ul><ul><li>maior incidência de dislexia em meninos </li></ul><ul><li>A criança disléxica também pode apresentar: </li></ul><ul><li>Distúrbios de memória </li></ul><ul><li>Memória para sequência </li></ul><ul><li>Orientação direita-esquerda </li></ul><ul><li>Orientação temporal </li></ul><ul><li>Imagem corporal deficitária </li></ul><ul><li>Dificuldades com a escrita e soletração </li></ul><ul><li>Distúrbio topográfico </li></ul>

×