Ana Puglia<br />Voltando um pouco...<br />
Pré-Modernindade<br />“Longe” e “Tarde”, assim como “Perto” e “Cedo”, significavam quase a mesma coisa: exatamente quanto ...
Modernidade<br />Revolução Industrial:  construção de veículos que podiam se mover mais rápido que as pernas dos humanos e...
Modernidade<br />O tempo se tornou o problema do “hardware” que os humanos podem inventar, construir, apropriar, usar e co...
Modernidade<br />Espaço e tempo são separados;<br />O acesso a meios mais rápidos de mobilidade  torna-se a principal ferr...
Ana Puglia<br />Modernidade Sólida<br />
Fábrica Fordista<br />	Atividade se resumia a movimentos simples, rotineiros pré-determinados, mecanicamente seguidos;<br ...
Modernidade Sólida<br />Coloca o “solo” acima do sangue;<br />Racionalidade;<br />A economia era a base da vida social;<br...
As Marcas Substituem os Produtos<br />Conversão da horta às conservas e congelados; do galinheiro  aos peitos de frango so...
As Marcas Substituem os Produtos<br />Restritas ao universo do consumo;<br />Médios e grandes centros comerciais;<br />Com...
Sociedade de Consumo<br />Relação com a coletividade e com o mundo;<br />Um modo de atividade sistemática; <br />Global;<b...
Comunicação<br />Revista Manchete (RJ), 1958<br />Revista O Cruzeiro (RJ), 1951<br />Fonte: A Evolução do Texto Publicitár...
Comunicação<br />Outdoor, 1970<br />Fonte: A Evolução do Texto Publicitário – João A. Carrascoza<br />www.anapuglia.com<br />
Primeira Crise<br />1973-1977: questionamento<br />Choques petrolíferos e desaquecimento no crescimento econômico;<br />Su...
 Críticas<br />Não mais movida pela necessidade – finalidade racional<br />Movida pelo Desejo <br />Pela lógica social <br...
Ana Puglia<br />A aceleração chega ao seu limite natural: a instantaneidade.<br />
Ana Puglia<br />Modernidade Líquida<br />
Modernidade Líquida<br />O poder move-se com a velocidade do sinal eletrônico;<br />A quase instantaneidade do tempo anunc...
Modernidade Líquida<br />Liberdade, contingência, variedade, ambiguidade, instabilidade...<br />A modernidade se tornou tr...
O que foi derretido?<br />Importância do espaço;<br />Responsabilidade pelas consequências;<br />Engajamento entre as esco...
Novos Moldes Foram Criados<br />O Poder rejeita qualquer confinamento territorial; é móvel e escorregadio;<br />No topo da...
Novos Moldes<br />Nada dura muito tempo;<br />Lucro vem da velocidade da circulação, da reciclagem, do envelhecimento, da ...
Modernidade Líquida<br />Despreocupada com o futuro;<br />Egoísta;<br />Hedonista.<br />Aceitação da desorientação;<br />D...
Consumir se Tornou Monótono<br />Como todo ato repetitivo, o maravilhamento com os bens de consumo desgastou-se;<br />A mo...
Marcas<br />Meados 80 até 2001-2002: crescimento e apogeu<br />A marca se torna uma entidade autônoma de comunicação;<br /...
Marcas:Entidades Autônomas<br />www.anapuglia.com<br />
Ana Puglia<br />
Ana Puglia<br />
Ana Puglia<br />
Marcas<br />Início do Século:<br />Estouro da bolsa, recessão econômica, atentados em Manhattan e guerra no Iraque criam o...
Marcas<br />Início do Século:<br />“No Logo” – Naomi Klein gera onda de escândalo e faz das marcas um tema de debate públi...
A marca passa a ser analisada quanto ao ser poder:<br />	 material,<br />	 simbólico,	  	 econômico,<br />      de sedução...
A Onipresença Começa a Incomodar<br />www.anapuglia.com<br />
Marcas<br />				Marketing Minimalista<br />				Marketing Permissivo<br />	Uma marca de prestígio deve tomar a via da discr...
Ana Puglia<br />Contexto onde Atualmente Desenvolvemos nossos Projetos <br />
Ana Puglia<br />
Consumo Contemporâneo<br />Produto:<br />Redução do tamanho, miniaturização;<br />O menor, mais leve e mais portátil signi...
Consumo Contemporâneo<br />Produto:<br />Produtos eletrônicos que permitem  o exercício da criatividade;<br />Produtos que...
Consumo Contemporâneo<br />Marca:<br />As promessas dos bens de consumo são substituídas pelas promessas das marcas;<br />...
Consumo Contemporâneo e a Mídia<br />Roger Silverstone<br />A mídia tem relação fundamental para a experiência. Ela anima,...
Ana Puglia<br />Se a modernidade sólida esteve estreitamente associada ao universo da produção industrial, da materialidad...
Ana Puglia<br />A maior parte da vida humana consome-se na agonia quanto à escolha de objetivos e não na procura dos meios...
Ana Puglia<br />A marca pós-moderna deve ter <br />	a capacidade de gerar mundos<br />	possíveis que ofereçam:<br />propos...
Bibliografia<br />A Marca Pós-Moderna – Andréa Semprini<br />Modernidade Líquida – ZygmuntBauman<br />A Sociedade de Consu...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Papel das Marcas

3,356
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,356
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
110
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Papel das Marcas

  1. 1. Ana Puglia<br />Voltando um pouco...<br />
  2. 2. Pré-Modernindade<br />“Longe” e “Tarde”, assim como “Perto” e “Cedo”, significavam quase a mesma coisa: exatamente quanto esforço seria necessário para que um ser humano percorresse uma certa distância;<br />www.anapuglia.com<br />
  3. 3. Modernidade<br />Revolução Industrial: construção de veículos que podiam se mover mais rápido que as pernas dos humanos e dos animais; <br />A velocidade do movimento através do espaço se torna uma questão do engenho, da imaginação e da capacidade humanas.<br />www.anapuglia.com<br />
  4. 4. Modernidade<br />O tempo se tornou o problema do “hardware” que os humanos podem inventar, construir, apropriar, usar e controlar.<br />www.anapuglia.com<br />
  5. 5. Modernidade<br />Espaço e tempo são separados;<br />O acesso a meios mais rápidos de mobilidade torna-se a principal ferramenta de poder.<br />www.anapuglia.com<br />
  6. 6. Ana Puglia<br />Modernidade Sólida<br />
  7. 7. Fábrica Fordista<br /> Atividade se resumia a movimentos simples, rotineiros pré-determinados, mecanicamente seguidos;<br /> Sem espontaneidade;<br /> Sem iniciativa individual.<br />www.anapuglia.com<br />
  8. 8. Modernidade Sólida<br />Coloca o “solo” acima do sangue;<br />Racionalidade;<br />A economia era a base da vida social;<br />Sociedade totalitária;<br />Homogeneidade;<br />Ordem;<br />Rigidez;<br />Longo prazo;<br />Lucro vem da durabilidade e confiabilidade do produto.<br />www.anapuglia.com<br />
  9. 9. As Marcas Substituem os Produtos<br />Conversão da horta às conservas e congelados; do galinheiro aos peitos de frango sob celofane;<br />Discurso social que valoriza a mudança: modernidade, progresso e produção em massa;<br />As marcas nomeiam, identificam e diferenciam.<br />www.anapuglia.com<br />
  10. 10. As Marcas Substituem os Produtos<br />Restritas ao universo do consumo;<br />Médios e grandes centros comerciais;<br />Comunicação publicitária limitada pelas dificuldades de difusão.<br />www.anapuglia.com<br />
  11. 11. Sociedade de Consumo<br />Relação com a coletividade e com o mundo;<br />Um modo de atividade sistemática; <br />Global;<br />Fundação de todo o sistema cultural da época.<br />www.anapuglia.com<br />
  12. 12. Comunicação<br />Revista Manchete (RJ), 1958<br />Revista O Cruzeiro (RJ), 1951<br />Fonte: A Evolução do Texto Publicitário – João A. Carrascoza<br />www.anapuglia.com<br />
  13. 13. Comunicação<br />Outdoor, 1970<br />Fonte: A Evolução do Texto Publicitário – João A. Carrascoza<br />www.anapuglia.com<br />
  14. 14. Primeira Crise<br />1973-1977: questionamento<br />Choques petrolíferos e desaquecimento no crescimento econômico;<br />Surgimento da crítica quanto ao supérfluo como necessidade criada pela sociedade de consumo;<br />Alguns autores publicam análises muito críticas;<br />Durante este período e próximos 10 anos, o papel e significado não mudam de maneira substancial, até o fim da estagnação econômica e início de forte crescimento.<br />www.anapuglia.com<br />
  15. 15. Críticas<br />Não mais movida pela necessidade – finalidade racional<br />Movida pelo Desejo <br />Pela lógica social <br />Reforça a ordem vigente –conformidade<br />As necessidades são condicionadas (papel importante da comunicação)<br />Ditadura da ordem de produção: produtores controlam os comportamentos, dirigindo e configurando as atitudes sociais e as necessidades.<br />www.anapuglia.com<br />
  16. 16. Ana Puglia<br />A aceleração chega ao seu limite natural: a instantaneidade.<br />
  17. 17. Ana Puglia<br />Modernidade Líquida<br />
  18. 18. Modernidade Líquida<br />O poder move-se com a velocidade do sinal eletrônico;<br />A quase instantaneidade do tempo anuncia a desvalorização do espaço;<br />As pessoas que se movem e agem com maior rapidez, que mais se aproximam do momentâneo do movimento, são as pessoas que agora mandam.<br />Se soubermos que podemos viajar a um lugar em qualquer momento que quisermos, não há urgência em visitá-lo nem gastar dinheiro em uma passagem válida para sempre;<br />www.anapuglia.com<br />
  19. 19. Modernidade Líquida<br />Liberdade, contingência, variedade, ambiguidade, instabilidade...<br />A modernidade se tornou transgressiva, rompedora de fronteiras e capaz de tudo desmoronar.<br />www.anapuglia.com<br />
  20. 20. O que foi derretido?<br />Importância do espaço;<br />Responsabilidade pelas consequências;<br />Engajamento entre as escolhas individuais em projetos e ações coletivas;<br />Família, líderes...<br />Solidez: com seu peso, substancialidade e capacidade de resistência;<br />Laços com compromissos;<br />Homogeneidade compulsória, imposta e onipresente.<br />www.anapuglia.com<br />
  21. 21. Novos Moldes Foram Criados<br />O Poder rejeita qualquer confinamento territorial; é móvel e escorregadio;<br />No topo da pirâmide do capitalismo leve, circulam aqueles para os quais o espaço tem pouca ou nenhuma importância<br />As guerras se prestam à promoção do livre comércio;<br />Saem os grupos de referência, entra a comparação universal;<br />Os padrões não são evidentes; são conflitantes;<br />Os poderes passam das mãos do sistema para as da sociedade;<br />Individualismo;<br />www.anapuglia.com<br />
  22. 22. Novos Moldes<br />Nada dura muito tempo;<br />Lucro vem da velocidade da circulação, da reciclagem, do envelhecimento, da substituição;<br />Cada presente é avaliado por alguma coisa que vem depois;<br />Valores voláteis;<br />www.anapuglia.com<br />
  23. 23. Modernidade Líquida<br />Despreocupada com o futuro;<br />Egoísta;<br />Hedonista.<br />Aceitação da desorientação;<br />Disposição a viver fora do espaço e do tempo, com vertigens e tonturas, sem indicação da direção ou duração da viagem...<br />www.anapuglia.com<br />
  24. 24. Consumir se Tornou Monótono<br />Como todo ato repetitivo, o maravilhamento com os bens de consumo desgastou-se;<br />A monotonia das compras não mais satisfaz;<br />Excessos da globalização fragilizam sua credibilidade, legitimidade;<br />Multiplicidade de ofertas despertam sentimentos paradoxais.<br />www.anapuglia.com<br />
  25. 25. Marcas<br />Meados 80 até 2001-2002: crescimento e apogeu<br />A marca se torna uma entidade autônoma de comunicação;<br />Os consumidores queriam ser seduzidos pelas marcas, ao invés de simplesmente informados;<br />As dimensões que excedem a realidade do produto tomam a dianteira;<br />Diversificação dos suportes, das técnicas, dos modos de contato e relação com os consumidores – Internet<br />A onipresença das marcas, seu poder e, em certa medida, sua arrogância começam a saturar o espaço social e inquietar a opinião e poderes públicos.<br />www.anapuglia.com<br />
  26. 26. Marcas:Entidades Autônomas<br />www.anapuglia.com<br />
  27. 27. Ana Puglia<br />
  28. 28. Ana Puglia<br />
  29. 29. Ana Puglia<br />
  30. 30. Marcas<br />Início do Século:<br />Estouro da bolsa, recessão econômica, atentados em Manhattan e guerra no Iraque criam outro clima;<br />Consenso em torno do liberalismo capitalista é dissipado;<br />Dúvida e desconfiança em relação às marcas.<br />www.anapuglia.com<br />
  31. 31. Marcas<br />Início do Século:<br />“No Logo” – Naomi Klein gera onda de escândalo e faz das marcas um tema de debate público;<br />Não podemos mais negar influência nos mercados, sociedades, poderes públicos, grupos sociais e indivíduos.<br />www.anapuglia.com<br />
  32. 32. A marca passa a ser analisada quanto ao ser poder:<br /> material,<br /> simbólico, econômico,<br /> de sedução e, também, pela sua legitimidade:<br /> comercial e cultural.<br />www.anapuglia.com<br />
  33. 33. A Onipresença Começa a Incomodar<br />www.anapuglia.com<br />
  34. 34. Marcas<br /> Marketing Minimalista<br /> Marketing Permissivo<br /> Uma marca de prestígio deve tomar a via da discrição, comunicar apenas o que o seu público requisitar, falar <br /> com voz baixa, utilizar instrumentos não invasivos, <br /> empregar temas e argumentos pertinentes e moderados.<br />www.anapuglia.com<br />
  35. 35. Ana Puglia<br />Contexto onde Atualmente Desenvolvemos nossos Projetos <br />
  36. 36. Ana Puglia<br />
  37. 37. Consumo Contemporâneo<br />Produto:<br />Redução do tamanho, miniaturização;<br />O menor, mais leve e mais portátil significa melhoria e progresso;<br />Menor presença física;<br />Maior densidade simbólica e imaginária;<br />O valor das trocas é ancorado na força dos sentidos produzidos.<br />www.anapuglia.com<br />
  38. 38. Consumo Contemporâneo<br />Produto:<br />Produtos eletrônicos que permitem o exercício da criatividade;<br />Produtos que investem na sua aparência, através do design;<br />Serviços;<br />Lazer;<br />Cultura...<br />www.anapuglia.com<br />
  39. 39. Consumo Contemporâneo<br />Marca:<br />As promessas dos bens de consumo são substituídas pelas promessas das marcas;<br />É o Projeto de Marca que cria valor, através da sua autenticidade, legitimidade e originalidade;<br />Ela dá sentido ao próprio ato de consumir;<br />Fornece um contexto a uma experiência que sozinha tenderia a ser imprecisa ou muito abstrata.<br />www.anapuglia.com<br />
  40. 40. Consumo Contemporâneo e a Mídia<br />Roger Silverstone<br />A mídia tem relação fundamental para a experiência. Ela anima, reflete e exprime a experiência, nossa experiência, dia após dia.<br />Consumimos sem cessar...reproduzimos e afetamos consideravelmente a textura da experiência. Nisso recebemos auxílio da mídia.<br />Consumo e mediação são interdependentes.<br />www.anapuglia.com<br />
  41. 41. Ana Puglia<br />Se a modernidade sólida esteve estreitamente associada ao universo da produção industrial, da materialidade, do pragmatismo,do funcionamento, do racionalismo...<br /> ... a época atual parece colocar em discussão um grande número destes valores e ceder um espaço maior às noções de fantasia, criatividade, expressão pessoal e procura de sentido<br />www.anapuglia.com<br />
  42. 42. Ana Puglia<br />A maior parte da vida humana consome-se na agonia quanto à escolha de objetivos e não na procura dos meios para os fins.<br />www.anapuglia.com<br />
  43. 43. Ana Puglia<br />A marca pós-moderna deve ter <br /> a capacidade de gerar mundos<br /> possíveis que ofereçam:<br />propostas imaginárias e <br /> sistemas de sentido organizados <br /> que funcionem como estímulos<br /> e recursos para<br /> a construção de:<br />identidades,<br /> projetos e <br /> imaginários pessoais.<br />www.anapuglia.com<br />
  44. 44. Bibliografia<br />A Marca Pós-Moderna – Andréa Semprini<br />Modernidade Líquida – ZygmuntBauman<br />A Sociedade de Consumo – Jean Baudrillard<br />www.anapuglia.com<br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×