0
6ª UFCD <ul><li>STC - MODELOS DE URBANISMO E MOBILIDADE </li></ul><ul><li>Profs: Gabriela e Carla </li></ul><ul><li>CLC – ...
COSTA DE CAPARICA  QUE EU DESCONHECIA
<ul><li>Numa pequena povoação risonha e sobranceira ao mar, a meio caminho entre Almada e o Oceano por cima da falésia ao ...
Elementos Típicos Herdados <ul><li>Embarcações Típicas </li></ul><ul><li>Os Saveiros (Meia Lua) </li></ul><ul><li>O Olho, ...
OS SAVEIROS E AS REDES <ul><li>Os saveiros tipo meia lua, sulcavam as águas, imponentes, com a força de braços de oito rem...
OS TRAJES TRADICIONAIS <ul><li>O MESTRES: Calça e colete, bota fina e jaqueta. </li></ul><ul><li>CAMPANHA:  calçado leve, ...
Os Pescadores <ul><li>De braços queimados e ressequidos pelas águas, cabelos secos e grisalhos, testa franzida, rostos dur...
<ul><li>Os primeiros povoadores da Costa de Caparica: </li></ul><ul><li>MIGRAÇÕES SAZONAIS </li></ul><ul><ul><ul><li>Pesca...
<ul><li>As primeiras  habitações eram em colmo e madeira </li></ul><ul><li>Em 1800 foi erguida a primeira casa em Alvenari...
<ul><li>ANDO </li></ul><ul><li>  Cansado, esgotado, enervado, Irritado </li></ul><ul><ul><li>Com os problemas do meu reina...
Bairro Costa Pinto (1890) Bairro 15 (1900) Bairros Sociais 1940 2009 2009
BAIRRO COSTA PINTO <ul><li>Bairro destinado ás gentes do norte (Ílhavo) </li></ul>
Termos construtivos <ul><li>Casas construídas em Alvenaria.  </li></ul><ul><li>Substituição dos pavimentos em madeira por ...
BAIRRO 15 <ul><li>Bairro para as gentes do sul </li></ul><ul><li>Imagem actual do Bairro. </li></ul><ul><li>O Bairro é uni...
Homenagem ás gentes da Costa <ul><li>Por toda a Costa são bem visíveis as rua com os nomes do vários habitantes do local. ...
<ul><li>Urbanismo antes e depois. </li></ul><ul><li>Urbanismo irracional </li></ul><ul><li>Subdesenvolvimento da Caparica ...
A Degradação da Costa de Caparica
A Degradação da Costa de Caparica
Casas de Praia anos 60 - 70
Bairro dos Pescadores Anos 60 Bairro Campo da Bola Anos 70 Bairro Santo António Bairro Santo António 2009
BAIRROS DE LATA DA  ACTUALIDADE
O 2º Torrão da Trafaria
Oferta Turística
HOTEL PRAIA DO SOL <ul><li>O 1º hotel da Costa de Caparica, e o 1º existente ao sul do Tejo, construído em 1934, por Manue...
Residencial Mar e Sol <ul><li>Residência Fundada em 1927, sendo uma das primeiras residenciais da Costa de Caparica. </li>...
<ul><li>UTÓPIA OU NÃO? </li></ul><ul><ul><li>O Futurista Arquitecto Cassiano Branco nos anos de 1930 projectou este aspect...
NOVO URBANISMO <ul><li>Aldeia dos Capuchos </li></ul><ul><li>Execução de todas as infra-estruturas. </li></ul><ul><li>Arra...
Hotel Meliâ da Aldeia dos Capuchos
TERMOS CONSTRUTIVOS <ul><li>Alvenaria, Lajes ou placas </li></ul><ul><li>Cantarias em pedras nobres polidas ou bujardadas....
Património Cultural Escudo das Armas dos Távoras Símbolo da Ordem de S. Francisco Convento dos Capuchos Edificado em 1558 ...
TERMOS CONSTRUTIVOS <ul><li>Construção composta de paredes de pedra unidas por uma argamassa de areia, barro e cal.  </li>...
Escudo das Armas dos Távoras Símbolo da Ordem de S. Francisco Adquirido pela C.M.A. Em 1950, reabre remodelado em 1952
Elementos de Modernização Elementos em ferro Calçada Portuguesa Revestimentos em conchas e azulejos
Igreja Nossa Senhora da Conceição  1946 Edificada em 1880 e custeada por João Inácio da Costa (imigrante)
Igreja Nossa Senhora da Conceição  2009
TERMOS CONSTRUTIVOS <ul><li>Paredes de Alvenaria </li></ul><ul><li>Betão Armado </li></ul><ul><li>Pedras naturais </li></u...
Festas e Romarias  <ul><li>Festas da Cidade (Janeiro / Fevereiro) </li></ul><ul><li>- Festas dos Santos Populares (Junho) ...
O Cruzeiro do Cemitério  data de  1780
A Viradela dos Onze <ul><li>A 12-12-1929, O maior de todos, a embarcação o «Pensativo», voltava para terra quando um enorm...
Esculturas Existentes <ul><li>Monumento aos Pescadores do escultor Pé Curto </li></ul><ul><li>Símbolo á Costa “Tocar o Sol...
Tradições Gastronómicas <ul><li>O povoamento híbrido de gentes vindas de Ílhavo e do Algarve, foi criando uma cultura próp...
<ul><li>Área de Paisagem Protegida </li></ul><ul><li>Condicionalismos Ecológicos na Agricultura. </li></ul><ul><li>Área de...
Fluxos Migratórios da Actualidade
Intervenção Plural
Colectividades e Associativismo
Administração e Segurança no Território
Cova do Vapor
Cova do Vapor Vanguardista? <ul><li>O Aeroporto do Bugio ??? </li></ul>
Património Botânico na Cova do Vapor
Pé Canhão – amante incondicional da Costa de Caparica Uma das lojas mais castiça de toda a Costa de Caparica
A PRAIA DE CAPARICA <ul><li>A praia de Caparica </li></ul><ul><li>Não é uma praia pobre </li></ul><ul><li>Como disse algué...
F I M <ul><li>ANA PAULA MARQUES </li></ul><ul><li>03 DE FEVEREIRO DE 2010 </li></ul><ul><li>OBRIGADA </li></ul>
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Costa de Caparica minha desconhecida

3,545

Published on

Published in: Education, Travel, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
3,545
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Êxodo
  • Arquitectos do século 19
  • Hoje em dia existe uma boa planificação de urbanismo
  • No restauro do Convento
  • A história da Viradela dos Onze E a inscrição da mais antiga data na Costa de Caparica
  • A única zona verdadeiramente agrícola do Concelho de Almada
  • Brasil, Cabo Verde, São Tomé, Angola e Índia
  • As Diversas Instituições de apoio e solidariedade
  • Transcript of "Costa de Caparica minha desconhecida"

    1. 1. 6ª UFCD <ul><li>STC - MODELOS DE URBANISMO E MOBILIDADE </li></ul><ul><li>Profs: Gabriela e Carla </li></ul><ul><li>CLC – CULTURA DE URBANISMO E MOBILIDADE </li></ul><ul><li>Profs: Isabel e Silvestre </li></ul><ul><li>CP – TOLERÂNCIA E MEDIAÇÃO </li></ul><ul><li>Profs: Paula e Armando </li></ul>
    2. 2. COSTA DE CAPARICA QUE EU DESCONHECIA
    3. 3. <ul><li>Numa pequena povoação risonha e sobranceira ao mar, a meio caminho entre Almada e o Oceano por cima da falésia ao Sul do Tejo, vivia uma pobre velhinha esfarrapada com um corpo magro e diminuído pelos anos. Arrastava-se com dificuldade envolta da sua capa remendada num xadrez caprichoso e multicolor. Chamavam-lhe bruxa e avarenta, sendo com frequência escorraçada e recusavam-lhe a esmola com enfado, sendo suposto possuir muito dinheiro escondido, não se sabia onde, tendo vivido anteriormente com abastança e que possuía bens segundo a descrição da vizinhança. Nunca faltou à missa, caminhando entre montes e vales, ficando encolhida a um canto, embrulhada na capa a pesar-lhe sobre os ombros. Ao voltar, devagar e vergada com o peso dos anos, e pacificamente pedindo sempre estranhando a sua prolongada ausência, as gentes do lugarejo foram procurá-la na humilde cabana onde habitava, sendo encontrada morta e o seu corpo envolto na capa que usava ao longo dos anos. Com admiração de todos, a seu lado encontrava-se uma carta para EL-REI. Perante surpresa do soberano, a pobre velha legava-lhe a capa, mediante promessa de se proceder à construção duma igreja no povoado. Surpreendido com o peso da oferenda, este mandou rasgá-la começando a cair do seu forro uma grande quantidade de dobrões em ouro.  Depois do desejo cumprido, ainda sobrou fortunas, daí terem surgido várias povoações com o sobrenome de CAPA-RICA. </li></ul>
    4. 4. Elementos Típicos Herdados <ul><li>Embarcações Típicas </li></ul><ul><li>Os Saveiros (Meia Lua) </li></ul><ul><li>O Olho, pormenor ornamental, símbolo duma divindade Deusa Egípcia. </li></ul><ul><li>Trajes Típicos oriundos das tricanas </li></ul>
    5. 5. OS SAVEIROS E AS REDES <ul><li>Os saveiros tipo meia lua, sulcavam as águas, imponentes, com a força de braços de oito remadores, instruídos pelo arrais sentado na popa , de frente para o mar. </li></ul><ul><li>As redes essas eram feitas pelos próprios pescadores, e depois da safra, espraiavam-se pelo areal para secarem. Por vezes eram tingidas com a casca das acácias cozidas, para melhor resistência, e tonalidade. </li></ul>
    6. 6. OS TRAJES TRADICIONAIS <ul><li>O MESTRES: Calça e colete, bota fina e jaqueta. </li></ul><ul><li>CAMPANHA: calçado leve, calça e boné ao alto, camisa aos quadrados. </li></ul><ul><li>OS RESTANTES: camisa aos quadrados, pé descalço, calça arregaçada, barrete preto, com borlas farfalhudas, as mulheres com tamancas, saias rodadas, e lenços na cabeça. </li></ul>
    7. 7. Os Pescadores <ul><li>De braços queimados e ressequidos pelas águas, cabelos secos e grisalhos, testa franzida, rostos duros e rijas barbas, olhos de noites sem dormir, e de ar desconfiado. </li></ul><ul><li>À espera do próximo golpe do mar, luta ansioso pela chegada ao areal, onde está o seu coração e o espera a família. </li></ul><ul><li>Quando a pesca era farta o “Homem do Búzio” corria a vila a anunciar a boa nova, e logo os cabazeiros corriam a ajudar ao transporte do pescado. </li></ul>
    8. 8. <ul><li>Os primeiros povoadores da Costa de Caparica: </li></ul><ul><li>MIGRAÇÕES SAZONAIS </li></ul><ul><ul><ul><li>Pescadores migrantes de Ílhavo (Aveiro) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Pescadores migrantes do Algarve </li></ul></ul></ul>Exôdo Rural
    9. 9. <ul><li>As primeiras habitações eram em colmo e madeira </li></ul><ul><li>Em 1800 foi erguida a primeira casa em Alvenaria, A CASA DA COROA, casa onde se instalou D. João VI rei do Brasil. </li></ul>Urbanismo de Ontem
    10. 10. <ul><li>ANDO </li></ul><ul><li> Cansado, esgotado, enervado, Irritado </li></ul><ul><ul><li>Com os problemas do meu reinado </li></ul></ul><ul><ul><li>… e a Carlota Joaquina </li></ul></ul><ul><ul><li>Que é muito mais nova… </li></ul></ul><ul><ul><li>Sempre a exigir, a pedir </li></ul></ul><ul><ul><li>A pôr-me à prova </li></ul></ul><ul><ul><li>QUERO </li></ul></ul><ul><ul><li>Descansar, sossegar, repousar, </li></ul></ul><ul><ul><li>lá longe </li></ul></ul><ul><ul><li>Pr’a além do mar, </li></ul></ul><ul><ul><li>Espera-me o Brasil, </li></ul></ul><ul><ul><li>De riquezas mil. </li></ul></ul><ul><ul><li>Deixem-me ainda ficar, mais uns tempos a gozar </li></ul></ul><ul><ul><li>E descansar no meu Portugal, do Gama e Cabral, </li></ul></ul><ul><ul><li>É que às vezes sou bruto, mas sou liberal </li></ul></ul><ul><li>ADORO </li></ul><ul><li>petiscos, mariscos, pexe assado, grelhado </li></ul><ul><li>caldeiradas bem regadas temperadas e apaladadas. </li></ul><ul><li>Mas em boa companhia com muito vinho e alegria </li></ul>1825 – Levem-me à praia da Sobreda
    11. 11. Bairro Costa Pinto (1890) Bairro 15 (1900) Bairros Sociais 1940 2009 2009
    12. 12. BAIRRO COSTA PINTO <ul><li>Bairro destinado ás gentes do norte (Ílhavo) </li></ul>
    13. 13. Termos construtivos <ul><li>Casas construídas em Alvenaria. </li></ul><ul><li>Substituição dos pavimentos em madeira por lajes. (evitando os incêndios) </li></ul><ul><li>Telha de canudo ou telha Marselha em barro. (substituindo o Colmo) </li></ul><ul><li>Soleiras e ombreiras (raras) em mármore ou granito português natural. </li></ul>
    14. 14. BAIRRO 15 <ul><li>Bairro para as gentes do sul </li></ul><ul><li>Imagem actual do Bairro. </li></ul><ul><li>O Bairro é unicamente uma Rua, daí ser conhecido por Rua 15. </li></ul><ul><li>As casa são bastante pitorescas e a distância entre elas chega a ser de 30 cm. </li></ul>
    15. 15. Homenagem ás gentes da Costa <ul><li>Por toda a Costa são bem visíveis as rua com os nomes do vários habitantes do local. </li></ul>
    16. 16. <ul><li>Urbanismo antes e depois. </li></ul><ul><li>Urbanismo irracional </li></ul><ul><li>Subdesenvolvimento da Caparica </li></ul><ul><li>A POLIS. </li></ul><ul><li>Modelo Arquitectónico inicial </li></ul><ul><li>Modelo Arquitectónico Actual </li></ul>
    17. 17. A Degradação da Costa de Caparica
    18. 18. A Degradação da Costa de Caparica
    19. 19. Casas de Praia anos 60 - 70
    20. 20. Bairro dos Pescadores Anos 60 Bairro Campo da Bola Anos 70 Bairro Santo António Bairro Santo António 2009
    21. 21. BAIRROS DE LATA DA ACTUALIDADE
    22. 22. O 2º Torrão da Trafaria
    23. 23. Oferta Turística
    24. 24. HOTEL PRAIA DO SOL <ul><li>O 1º hotel da Costa de Caparica, e o 1º existente ao sul do Tejo, construído em 1934, por Manuel Agro Ferreira, Politico, homem empreendedor, e poeta também. </li></ul>
    25. 25. Residencial Mar e Sol <ul><li>Residência Fundada em 1927, sendo uma das primeiras residenciais da Costa de Caparica. </li></ul>
    26. 26. <ul><li>UTÓPIA OU NÃO? </li></ul><ul><ul><li>O Futurista Arquitecto Cassiano Branco nos anos de 1930 projectou este aspecto para a Costa de Caparica. </li></ul></ul><ul><ul><li>Qual Le Corbusier, ou o utópico Arq. António Sant’Elia!!! Ambos do inicio do Século IXX. </li></ul></ul>
    27. 27. NOVO URBANISMO <ul><li>Aldeia dos Capuchos </li></ul><ul><li>Execução de todas as infra-estruturas. </li></ul><ul><li>Arranjos exteriores, Arruamentos. Asfaltos, lancis, e calçadas. </li></ul><ul><li>Esgotos, águas Domesticas e pluviais. </li></ul><ul><li>Electricidade, e comunicação. </li></ul><ul><li> </li></ul>
    28. 28. Hotel Meliâ da Aldeia dos Capuchos
    29. 29. TERMOS CONSTRUTIVOS <ul><li>Alvenaria, Lajes ou placas </li></ul><ul><li>Cantarias em pedras nobres polidas ou bujardadas. </li></ul><ul><li>Vidros Térmicos e perfis em PVC </li></ul><ul><li>Cerâmicas </li></ul><ul><li>Esculturas em Ferro </li></ul>
    30. 30. Património Cultural Escudo das Armas dos Távoras Símbolo da Ordem de S. Francisco Convento dos Capuchos Edificado em 1558 por Lourenço Pires de Távora Com o Terramoto de 1755 ficou neste estado
    31. 31. TERMOS CONSTRUTIVOS <ul><li>Construção composta de paredes de pedra unidas por uma argamassa de areia, barro e cal. </li></ul><ul><li>Utilização de pedra mármore, natural não polida. </li></ul><ul><li>Caixilharia em madeira maciça em duas folhas ou em Guilhotina. </li></ul><ul><li>Emoldurada total ou parcialmente por pedra natural. </li></ul>
    32. 32. Escudo das Armas dos Távoras Símbolo da Ordem de S. Francisco Adquirido pela C.M.A. Em 1950, reabre remodelado em 1952
    33. 33. Elementos de Modernização Elementos em ferro Calçada Portuguesa Revestimentos em conchas e azulejos
    34. 34. Igreja Nossa Senhora da Conceição 1946 Edificada em 1880 e custeada por João Inácio da Costa (imigrante)
    35. 35. Igreja Nossa Senhora da Conceição 2009
    36. 36. TERMOS CONSTRUTIVOS <ul><li>Paredes de Alvenaria </li></ul><ul><li>Betão Armado </li></ul><ul><li>Pedras naturais </li></ul><ul><li>Madeiras maciças </li></ul><ul><li>Telha Lusa </li></ul><ul><li>Janelas de guilhotina </li></ul><ul><li>Perfis de alumínio </li></ul>Janelas de guilhotina Telha Lusa
    37. 37. Festas e Romarias <ul><li>Festas da Cidade (Janeiro / Fevereiro) </li></ul><ul><li>- Festas dos Santos Populares (Junho) - Feira do Artesanato (Julho / Agosto) - Feira do Livro (Julho / Agosto) - Concurso da Caldeirada Pescador (Janeiro / Fevereiro) </li></ul><ul><li>- Feira de Artesanato (3º e 5º Domingo de cada mês e feriados) </li></ul>
    38. 38. O Cruzeiro do Cemitério data de 1780
    39. 39. A Viradela dos Onze <ul><li>A 12-12-1929, O maior de todos, a embarcação o «Pensativo», voltava para terra quando um enorme vagalhão o virou, com os seus vinte a um homens a bordo. Destes, só dez conseguiram salvar-se. Os outros onze foram dando à terra, nos dias que se seguiram, com excepção de um que nunca apareceu. </li></ul>
    40. 40. Esculturas Existentes <ul><li>Monumento aos Pescadores do escultor Pé Curto </li></ul><ul><li>Símbolo á Costa “Tocar o Sol” do escultor Quintino Sebastião </li></ul>
    41. 41. Tradições Gastronómicas <ul><li>O povoamento híbrido de gentes vindas de Ílhavo e do Algarve, foi criando uma cultura própria e nasceu uma culinária genuína, especialmente baseada nas dádivas do mar e nos mimos das hortas das terras da Costa.  </li></ul><ul><li>Os ingredientes utilizados são simples, pouco elaborados e de custo reduzido, atendendo ás dificuldades financeiras que a população originária apresentava. </li></ul>
    42. 42. <ul><li>Área de Paisagem Protegida </li></ul><ul><li>Condicionalismos Ecológicos na Agricultura. </li></ul><ul><li>Área de Elevada Fertilidade Natural </li></ul><ul><ul><li>Clima (Mediterrânico) </li></ul></ul><ul><ul><li>Níveis Freáticos </li></ul></ul><ul><ul><li>Solos Arenosos </li></ul></ul><ul><ul><li>Fertilidade Natural comprovada. </li></ul></ul>
    43. 43. Fluxos Migratórios da Actualidade
    44. 44. Intervenção Plural
    45. 45. Colectividades e Associativismo
    46. 46. Administração e Segurança no Território
    47. 47. Cova do Vapor
    48. 48. Cova do Vapor Vanguardista? <ul><li>O Aeroporto do Bugio ??? </li></ul>
    49. 49. Património Botânico na Cova do Vapor
    50. 50. Pé Canhão – amante incondicional da Costa de Caparica Uma das lojas mais castiça de toda a Costa de Caparica
    51. 51. A PRAIA DE CAPARICA <ul><li>A praia de Caparica </li></ul><ul><li>Não é uma praia pobre </li></ul><ul><li>Como disse alguém um dia; </li></ul><ul><li>-Lembra uma dama afastada </li></ul><ul><li>Do convívio da cidade </li></ul><ul><li>Mas dama com “senhoria” </li></ul><ul><li>É simples. Não tem aquela </li></ul><ul><li>Pretensão de praia chic; </li></ul><ul><li>Mas tem a amplidão do azul, </li></ul><ul><li>E a graça de quem não gosta </li></ul><ul><li>Da moderna coquetice… </li></ul><ul><li>-É bela sem senão, </li></ul><ul><li>E é linda sem ter tolice, </li></ul><ul><li>Convive mais a miúdo </li></ul><ul><li>Com pescadores. E é vê-los </li></ul><ul><li>Na faina triste das ondas </li></ul><ul><li>Arriscando a própria vida </li></ul><ul><li>Com vibrante valentia!... </li></ul><ul><li>Não!- </li></ul><ul><li>A praia da Caparica </li></ul><ul><li>Não é uma praia pobre </li></ul><ul><li>Como disse alguém um dia. </li></ul><ul><li>Aqui o mar tem magia, </li></ul><ul><li>Canta e ri de outra maneira, </li></ul><ul><li>Tem mais encanto, é mais forte; </li></ul><ul><li>E até nas horas amargas </li></ul><ul><li>Parece compadecer-se- </li></ul><ul><li>Depois de ter dado a morte… </li></ul><ul><li>E elas, as mães ou as noivas, </li></ul><ul><li>Mutiladas pela dor </li></ul><ul><li>E na dor desfalecidas </li></ul><ul><li>São obrigadas a amá-lo!... </li></ul><ul><li>-Sepulcro de tantas vidas! </li></ul><ul><li>“ António Botto ” - Caparica 24-09-1931 </li></ul>
    52. 52. F I M <ul><li>ANA PAULA MARQUES </li></ul><ul><li>03 DE FEVEREIRO DE 2010 </li></ul><ul><li>OBRIGADA </li></ul>
    1. A particular slide catching your eye?

      Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

    ×