Convergência e Participação

  • 155 views
Uploaded on

Seminário Comunicação e Informática …

Seminário Comunicação e Informática
FABICO/UFRGS 2012/01.
Conteúdo discutido na Aula 3

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
155
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CULTURA DACONVERGÊNCIAEPARTICIPAÇÃONO CONTEXTO DA WEBAULA 3SEMINÁRIO DE COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA2012/01
  • 2. CARACTERÍSTICASIMPORTANTES Circulação de informações; Mistura de linguagens; Participação do público.
  • 3. Disponível em: http://www.youtube.com/watch?v=mxG7h3Sp164&feature=related
  • 4. (SPOOFS E MEMES)Spoof: As infinitas variações paródicas emtorno de produtos midáticos de grandecirculação, como comerciais e seriados detelevisão. (Felinto, 2007)Memes: forma de difusão das informaçõescalcada na replicação, imitação, mutação, etc.(Recuero, 2006)
  • 5. O QUE IMPORTA (MESMO) Mudanças e apropriações culturais Convergência de aparatos tecnológicos
  • 6. CELULAR + CAFEZINHO?Disponível em: http://pomegranatephone.com/
  • 7. UM MEIO SUBSTITUI O OUTRO?http://cmsimg.freep.com/apps/pbcsi.dll/bilde?Site=C4&Date=20110222&Category=NEWS09&ArtNo=102220305&Ref=AR&MaxW=640&Border=0&Mark-W-Smith-TV-watchers-look-Web-instant-analysis-laughs
  • 8. DIVERGÊNCIA OUCONVERGÊNCIA?
  • 9. ONIPRESENÇA DA MÍDIADisponível em: http://www.empowermm.com/blog1/files/2012/01/digitalOOH_example.jpg
  • 10. AFINAL, A CONVERGÊNCIA...1) Abre novas oportunidades para aexpressão?2) Expande o poder da grande mídia?(Jenkins, 2009, p. 37)
  • 11. QUE TAL... Novas relações entre público, produtores e conteúdos midiáticos? Mudanças na relação com os meios de comunicação? Novas formas de produzir e consumir nos meios de comunicação?
  • 12. O que as tecnologiasmudam no cotidianodas pessoas?
  • 13. CULTURA PARTICIPATIVAModelo emissor  receptor ?(Jenkins, 2009, p. 28)• Passividade do público?• Relações de poder.
  • 14. INTERAÇÃOGrande quantidade de informaçõesem circulaçãoÉ preciso que haja interação e conversaçãoentre os indivíduos sobre aquilo queconsomem e compartilham.
  • 15. (CAUDA LONGA)
  • 16. PESSOAS CONHECIDAS ANTESCOMO “ESPECTADORAS”O que acontece quando o público passaa ter controle sobre as informações quecirculam? (Jenkins, 2009, p. 45)
  • 17. NOVAS RELAÇÕESMudança na relação entre produtores econsumidores: não é mais preciso"pedir permissão“. (Shirky, 2011, p. 50)
  • 18. PRODUTORES Conflito CooperaçãoCONSUMIDORES
  • 19. Disponível em: http://www.meucarrofalha.com.br/arquivos_internos/index.php
  • 20. PARTICIPAÇÃOPOLÍTICAOrganização emobilizaçãoatravés dainternet. http://andrelemos.info/wp-content/uploads/2011/02/Twitter- Egypt-revolution.jpg
  • 21. ON-LINE X OFF-LINE?Revisão doconceito deciberespaçocomo algo aparte (Shirky,2011, p. 37)
  • 22. COUCH SURFINGExcedentes desofás e pessoas+Coordenaçãoatravés dasferramentasdigitais=Acomodaçõespelo mundo.
  • 23. O BOTÃO “PUBLICAR”NEGATIVO POSITIVOQuantidade x qualidade Experimentação de formatos e linguagensWikipédia x Britânica Liberdade de expressão e possibilidade de contato de grupos e comunidades
  • 24. A MÍDIATecido conjuntivo da sociedade:Mídia publica e pessoal se misturamatualmente.(Shirky, 2011, p. 52-53)
  • 25. A MÍDIA “PÓS-GUTEMBERG”1) Relativização do conceito de cópia2) simetria e distribuição
  • 26. QUESTÕES ECONÔMICASQuem fornece e mantém a plataformapara produção e distribuição deconteúdos que ganha e lucradiretamente.Produtores de conteúdo: “por amor”.
  • 27. A EXPERIÊNCIAServiço abrem espaço no ambientedigital para fazermos coisas que jágostávamos antes. (Shirky, 2011, p. 58)Por que escolhermos um serviço e nãooutro?
  • 28. A MOTIVAÇÃOAs motivações humanas mudam poucoao longo dos anos, mas a oportunidadepode mudar pouco ou muito,dependendo do ambiente social. (Shirky,2011, p. 60)
  • 29. EXCLUSÃO DIGITALE PARTICIPAÇÃO http://www.google.com/publicdata/explore?ds=d5bncppjof8f9_&ctype=l&strail=false&nselm=h&met_y=it_net_user_p2#!ctype=l&st rail=false&bcs=d&nselm=h&met_y=it_net_user_p2&scale_y=lin&ind_y=false&rdim=country&idim=country:ARG:PER:BRA:BOL:C HL:CUB:ECU:HTI:URY&ifdim=country:region:LAC&tstart=921812400000&tend=1268967600000&hl=en_US&dl=en_US
  • 30. EXEMPLOS JENKINS Survivor: inteligência coletiva e spoiling American Idol: economia afetiva Matrix: narrativa transmidiática Star Wars: cultura participativa Harry Potter: instituições Eleições americanas: participação
  • 31. REFERÊNCIA• ANDERSON, C. A cauda longa: do mercado de massa para o mercado de nicho. Rio de Janeiro: Elsevier, 2006.• FELINTO, E. VIDEOTRASH: O YouTube a Cultura do “Spoof” na Internet. XVI Encontro da Compós. Curitiba 2007.• JENKINS, H. A cultura da convergência. São Paulo: Editora Aleph, 2008.• RECUERO, R. MEMES E DINÂMICAS SOCIAIS EM WEBLOGS: informação, capital social e interação em redes sociais na Internet. InTexto, v. 2, n. 32, 2006. Disponível em: < http://seer.ufrgs.br/intexto/article/view/4265/4427 >.• SHIRKY, C. A cultura da participação. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.