• Save
Marketing Digital - Apostila introdução
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Marketing Digital - Apostila introdução

on

  • 7,044 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,044
Views on SlideShare
7,018
Embed Views
26

Actions

Likes
6
Downloads
0
Comments
2

1 Embed 26

http://www.slideshare.net 26

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Marketing Digital - Apostila introdução Marketing Digital - Apostila introdução Presentation Transcript

  • MARKETING DIGITAL
  • Marketing Digital - introdução
    De quem: Ana Lúcia Rangel, jornalista e professora dos cursos de Jornalismo e de Marketing da UniverCidade (RJ).
    Para quem: Estudantes de Marketing, Comunicação Social e interessados em mídias sociais.
    Referências Bibliográficas: Apresentação elaborada tendo como referência os livros Google Marketing (Conrado Adolpho Vaz) e Geração Digital (André Telles)
  • Web 2.0
    “Projeto 2.0 eu entendo que seja olhar para o chão mas não deixar nunca de continuar olhando para o céu”
    Rômulo Costa
  • “Quando uma rede de computadores conecta uma rede de pessoas e organizações, é uma rede social”
    sociedade em rede
  • O Novo Consumidor e o Mundo Digital
    Ao contrário do que ocorria nos séculos passados, temos as ferramentas necessárias para provar e divulgar nossas descobertas, opiniões e críticas a um número ilimitado de pessoas.
    Podemos entrar em contato direto com
    os consumidores, sem intermediários.
    Hoje temos a comunicação em nossas mãos: podemos eliminar ruídos, mal-entendidos ou boatos simplesmente escrevendo um blog, gravando um vídeo no YouTube ou um podcast.
  • O Novo Consumidor e o Mundo Digital
  • INTERNET COMO INVESTIMENTO 
    Investimento em Internet ainda é tímido no país
    3 causas:
    1)Bolha da Internet – Em 1995, empresas “pontocom” com modelos de negócios falho – sem possibilidade real de lucro recebendo aportes milionários de capital. Supervalorização delas e de suas ações na bolsa (bolha). Em maio de 2001, “ estouro da bolha da internet”.
    2)Nesta época, publicidade na internet era basicamente sites, pop-ups e banners. Mas ferramentas da internet revolucionaram a comunicação com clientes e mercado vem ganhando fatias consideráveis na internet.
    3)Pouco mais de 20% da população está conectada à internet. Mas classes C e D estão adotando a rede como adotaram os celulares
    e não tardará para que internet tenha mais adeptos que os
    demais meios de comunicação.
  • INTERNET COMO INVESTIMENTO
  • E-COMMERCE NO BRASIL
    -12,2 milhões de usuários – brasileiros fizeram buscas relacionadas ao comércio eletrônico em dez de 2007- 57% dos internautas, IBOPE.
    -Internauta brasileiro é o que passa mais tempo navegando na rede, mais de 20 horas mensais (segundo o Ibope/Netratings) e leva mais tempo navegando na rede do que vendo TV .
    -Internet é o único meio com alta penetração no horário comercial.
    -Nºs levam mkt digital a uma maior profissionalização . Internet tem papel fundamental na tomada de decisões e de posicionamento de uma marca – vantagem competitiva.
  • .
    NOVA ECONOMIA
  • NOVA ECONOMIA
  • INTERRUPÇÃO X PERMISSÃO
    Na Internet,
    Marketing de interrupção – aquele sofrido ao se ver um filme na TV quando seu conteúdo é interrompido por propagandas que você não pediu para ver, atrapalhando o fluxo da informação que está sendo adquirida
    dá lugar ao
    Marketing de relacionamento e de permissão – a empresa pede permissão para veicular propaganda.
  • MARKETING NA INTERNET
    -Forma dá lugar ao conteúdo
    -Via de mão única dá lugar ao diálogo e à participação
    -Mkt de massa dá lugar ao relacionamento com o indivíduo
    -Segredos da instituição dão lugar à transparência.
    A empresa dá lugar ao consumidor!
    Assim a comunicação nessa nova economia digital deve ser desenvolvida.
  • Interatividade: pensar de forma interativa é utilizar-se dos melhores meios para levar a mensagem ao consumidor.
    Não necessariamente os mais lucrativos meios, mas o mais
    eficiente, de acordo com nova economia e novo comportamento do consumidor.
    “O meio é a mensagem” (Marshall Mac Luhan,1967) Escolher a mídia é parte fundamental da estratégia de comunicação. Internet deve ser vista como um meio e como a própria interlocutora da mensagem.
    EX American Express passou seu investimento em TV de 80% para 35% em menos de 10 anos, aumentando o investimento em outras mídias. Mesmo feito pela Pepsi, que investe na internet quase toda verba de lançamento de produtos importantes.
    O MEIO É A MENSAGEM
  • RELACIONAMENTO
    Interatividade Web 2.0
  • RELACIONAMENTO
    A ERA DO VENDER DÁ LUGAR
    À ERA DO AJUDAR A ENCONTRAR.
    Empresas têm que atender o cliente na hora que ele quiser, onde e de que forma ele quiser. Ter uma campanha que interaja com o usuário é muito mais que oferecer um formulário e um telefone de contato no site da empresa.
    Descrença do usuário e concorrência exagerada fazem com que influenciadores não sejam mais os mesmos - não é mais a TV ou uma celebridade que o influenciam, mas um blog, Orkut, um vídeo no YouTube, a opinião de alguém que utilizou o produto e deixou um comentário.
  • BRASIL
    + país que detém a maioria dos usuários do Orkut;
    + tem o maior tempo de navegação mensal do mundo
    + passa a maior parte do seu tempo em redes sociais
    + apresenta crescimento no comércio eletrônico de 50% ao ano
    + adotou a internet como parte de seu dia a dia
    = forte tendência ao RELACIONAMENTO.
  • RELACIONAMENTO
    Marketing não deve ser monólogo,
    mas uma conversa .
    Isto é criar relacionamento.
    Conversa informal e individual que a web possibilita com o consumidor gera um ativo de relacionamento com o mercado.
    Ex Case site Camiseteria - transformando ativo de relacionamento em lucro.
  • GOOGLE MARKETING
    Não se pode falar em Internet sem falar dele.
    Revolucionou a maneira de lidarmos com a informação.
    A “busca” fez do Google:
  • Google Marketing
    Brasil lidera o crescimento do Google no bloco Ásia, Pacífico e América Latina, com 2 a 4% do faturamento global da empresa, que é de US$16,59 bilhões (2007).
     
    • Ícone dos novos tempos :
    Google marketing:nova maneira de se fazer negócios, procurar informações, aumentar faturamento e lucratividade, trabalhar em colaboração, crescimento e entendimento do consumidor, de comunicação viral sem gasto excessivo de verba publicitária.
  • Cenário futuro:
    Próximo alvo do Google – TV e celular. Nos EUA Google já testa inserção de publicidade na TV Digital, com propagandas dirigidas ao telespectador de acordo com sua personalidade.
     
    -empresas poderão comprar direto do Google espaços de TV, produzir sua própria propaganda e veiculá-las com eficiência na TV Digital pagando apenas quando consumidor clicar com o controle remoto em seu anúncio e entrar no seu site.
    Ex Case Tropa de Elite – exemplo de como a internet influencia o modusvivendi do consumidor – filme foi potencializado pelo buzzcausado pela rede e pelas cópias piratas.
  • ENCONTRABILIDADE
  • A TERCEIRA ONDA
    Em 1970, Alvin Toffler preconizou o que hoje testemunhamos na Internet – geração de riqueza passou das mãos da produção para as mãos da informação.
    Primeira Onda – primeira forma de produção de riqueza da humanidade – desenvolvimento da agricultura.
    Segunda Onda – Revolução Industrial – produção de riqueza pela terra dá lugar à indústria e aos bens de consumo.
    Terceira Onda (1980) – produção de riqueza da indústria dá lugar ao conhecimento – passa a ser um meio dominante – e não mais adicional.
  • WEB 2.0
     
  • Web 2.0
    Entender com funciona a web é entender como as pessoas colaboram com a criação e recriação da informação. MySpace, Facebook, Orkut apostam no conceito de comunidade virtual –
    Pessoas precisam estar em contato umas com as outras, se relacionar, e pela internet isto é potencializado.
    Criar e recriar sobre plataformas cedidas por uma empresa pode ser a chave para a inovação e o relacionamento com a marca.
    Mashups (aplicações que utilizam diferentes serviços de web
    num só. Ex: serviço mostra mapa usando Google Maps que exiba lojas que vendem um determinado produto e o preço utilizando o serviço do Buscapé).
  • Google marketing
    Em 2006, pesquisa do Instituto JupiterResearch revelou:
    34% dos usuários de internet consideravam que as principais marcas do mercado com relação a uma palavra-chave
    eram as que estavam apontadas na primeira posição do Google.
     
    Para valorizar marca, já surgem no Brasil :
    empresas especializadas em colocar sites de seus clientes nas primeiras posições do Google:
    – fórmulas e algoritmos determinam a classificação das marcas em sua primeira página com base em critérios internos ao site e, principalmente, com relação ao número e à qualidade de outros sites que apontam para a página eletrônica analisada.
  • A Rede
    Por ser um meio com ampla riqueza de informações:
  • Google
    Estratégia do Google para criar relacionamento com seus usuários está criando nova maneira de lidar com o mercado.
    -Por meio de ferramentas distintas como e-mail, comunicador instantâneo, mapas interativos, site de buscas, ferramentas para imagens, sites de vídeos on-line, editores de texto e planilhas, comunidades virtuais, sites de grupo de discussão,
    Google mantém usuários conectados a uma conta do Gmail
    consegue monitorar continuamente todos os passos de cada um deles.
     
  • PENSANDO...
    M-payment– pagamento por meio de celulares já é realidade no Brasil e no mundo. Na Áustria, Japão e Estados Unidos já se paga desde pizzas até carros com celular e transfere-se dinheiro de um celular para o outro.
    Internet pode fazer customização em massa
    – cada consumidor se sente especial e
    transmite essa percepção positiva da empresa
    para a marca.
    Web 2.0 aparece como nova forma de interagir com o consumidor.
    Ex No site da Coca-Cola usuário pode encontrar todas as informações sobre um amigo, suas fotos no Flickr, seu perfil no Orkut, seus vídeos favoritos no YouTube, suas músicas no Lastfm.com.br, seus links no Del.icio.us etc.
    Sites como YouTube ainda procuram melhor modelo de negócios para demanda de 100 milhões de vídeos vistos por dia. – milhares de pessoas postam diariamente vídeos caseiros, profissionais ou comerciais para divulgá-los formando a maior TV colaborativa do planeta.
     
  • Sociedade do excesso
     
    Ex: Itaú–“Feito para você”; Você S.A. –“Você merece”; Volkswagen –“Você conhece. Você confia”.
  • Reducionismo e hierarquizaçãoda informação
    Dilema atual da informação:
    Maior quantidade de informações sobre produto nos dá mais segurança para escolher . Por outro lado gera insegurança de não termos todos os dados para tomar a decisão – pois sempre haverá outras opções e informações sobre o produto.
     
    Quanto maior o número de escolhas disponíveis, maior o papel dos guias – faz a triagem das informações disponíveis e as apresenta de maneira inteligível.
    Guias Google, Yahoo, Live Search, surgem nesse cenário:
    No Brasil : Google – 16 milhões de usuários
    Yahoo – 3 milhões
    Microsoft – 200 mil.