Por que estudar biologia 1 em
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share

Por que estudar biologia 1 em

on

  • 18,846 views

 

Statistics

Views

Total Views
18,846
Views on SlideShare
18,553
Embed Views
293

Actions

Likes
0
Downloads
177
Comments
1

8 Embeds 293

http://profeanaluciaciencias.blogspot.com 90
http://profeanaluciaciencias.blogspot.com.br 90
http://www.profeanaluciaciencias.blogspot.com 65
http://www.profeanaluciaciencias.blogspot.com.br 30
http://www.slideshare.net 14
http://rayook767.blogspot.com 2
http://webcache.googleusercontent.com 1
http://www.profeanaluciaciencias.blogspot.pt 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Por que estudar biologia 1 em Presentation Transcript

  • 1. Por que estudar Biologia? Profª Ana Lucia Farias
  • 2. Para que estudamos Biologia?
    • Biologia vem do grego: bios = vida; logia = estudo.
    • É uma ciência que se preocupa em estudar todos os seres vivos e compreender os mecanismos que regem a vida, bem como investigar o aparecimento das primeiras formas de vida na Terra e como ocorreram suas transformações ao longo do tempo, dando origem aos seres existentes hoje em nosso planeta.
    • A Biologia preocupa-se, portanto, com a origem dos seres vivos e com a sua evolução.
  • 3. Para que estudamos Biologia?
    • Vamos ver alguns exemplos nos quais a Biologia é fundamental:
        • Se você for seguir uma carreira na área da saúde, evidentemente a Biologia será fundamental;
        • Para projetar e construir uma ponte ou qualquer outra obra, por exemplo, não basta saber projetar e construir. É imprescindível ter noções mínimas sobre o meio ambiente para poder avaliar o impacto que essa obra pode causar à natureza;
        • Os conhecimentos biológicos também nos esclarecem sobre a vida, que interessa a todos os indivíduos;
        • Estudar Biologia também nos qualifica a fazer escolhas e a tomar decisões sobre o nosso estilo de vida, já que estamos a todo momento decidindo o que e quanto comer, o que e quanto beber, quais exercícios fazer e por que fazê-los...
    • O conhecimento dos princípios biológicos pode ser, enfim, a chave para a sobrevivência da espécie humana, e, obviamente, da vida na Terra.
  • 4. Níveis de organização Átomo Molécula Organela Célula Tecido Órgão Sistema Organismo (espécie) População Comunidade Ecossistema Biosfera
  • 5. Características gerais dos seres vivos
    • Composição química:
    • Nos seres vivos, além das substâncias orgânicas existem as inorgânicas, representadas principalmente por água e sais minerais.
        • Substâncias orgânicas são formadas por moléculas complexas e têm como elemento principal o carbono (C).
        • Substâncias inorgânicas são formadas por moléculas simples, com pequeno número de átomos.
    • O carbono é o elemento fundamental para a formação de substâncias orgânicas, representadas principalmente por protídeos, carboidratos, lipídios e ácidos nucleicos.
    • Os ácidos nucleicos contêm as informações genéticas dos seres vivos e são de dois tipos: o DNA (ácido desoxirribonucleico) e o RNA (ácido ribonucleico).
  • 6. Características gerais dos seres vivos
    • Organização celular:
    • A célula é a unidade morfológica e funcional dos seres vivos.
      • Em relação ao número de células, os seres são classificados como:
        • unicelulares (formados por uma única célula), como as bactérias e amebas;
        • Pluricelulares ou multicelulares (formados por muitas células), como as plantas e os animais.
      • Em relação à organização, os seres são classificados como:
        • Procarióticos: primeiros tipos celulares que surgiram e que não apresentam núcleo. Possuem basicamente membrana plasmática, citoplasma e material genético localizado em uma região da célula denominada nucleoide, e estão representados pelas bactérias. Como regra geral, as células procarióticas apresentam parede celular, que é uma estrutura externa à membrana plasmática;
        • Eucarióticos: apresentam basicamente membrana plasmática, citoplasma e núcleo, que contém o material hereditário separado do citoplasma por uma estrutura membranosa chamada carioteca.
  • 7. Características gerais dos seres vivos
    • Reprodução:
    • Processo importante para a manutenção da espécie, pois ocorre aumento no número de indivíduos.
      • Existem basicamente dois tipos de reprodução:
        • Assexuada: apenas um indivíduo participa do processo. O corpo sofre divisão, dando origem a outros indivíduos idênticos a ele. A composição genética dos indivíduos não muda ao longo das gerações, a não ser que ocorra mutação (processo de modificação do material genético). Não havendo mutação, os seres formados são geneticamente idênticos ao inicial, formando um clone;
        • Sexuada: dois indivíduos da mesma espécie participam do processo, e cada um deles fornece aos descendentes metade do material genético presente no núcleo celular. Assim, os indivíduos são semelhantes, mas não idênticos aos que lhes deram origem.
  • 8. Características gerais dos seres vivos
    • Metabolismo:
    • Conjunto de reações químicas que ocorrem no corpo dos seres vivos e que são responsáveis pela transformação e utilização da matéria e da energia.
      • Pode ser dividido em dois processos básicos:
        • Anabolismo: produção de substâncias utilizadas para o crescimento do organismo e reparação de suas perdas;
        • Catabolismo: quebra de substâncias, com liberação da energia necessária às funções orgânicas.
    • Um importante resultado do metabolismo é a conversão da energia, essencial para a manutenção da vida.
    • A fonte primária e mais importante de energia para os seres vivos é o Sol.
  • 9. Características gerais dos seres vivos
    • Crescimento:
    • Decorre da incorporação e da transformação de matéria, sendo consequência da nutrição e do metabolismo. Os seres vivos crescem de dentro para fora .
    • Os seres não vivos também podem crescer, como os cristais, que crescem por deposição de matéria em sua superfície. Nesse caso, o crescimento não é fruto do metabolismo e ocorre de fora para dentro .
      • O processo de crescimento nos seres vivos pode ocorrer por:
        • Aumento de volume nos unicelulares;
        • Aumento de volume e do número de células nos multicelulares.
  • 10. Características gerais dos seres vivos
    • Evolução:
    • Os seres vivos podem sofrer modificações ao longo do tempo, por meio de processos que os levam a maior adaptação ao meio.
    • A evolução é considerada o princípio unificador da Biologia.
    • Charles Darwin, argumentava que as espécies atuais surgem a partir de espécies ancestrais por meio de um processo que chamou “descendência com modificações” e que a evolução ocorre por seleção natural.
    • A Teoria da Seleção Natural baseia-se em três observações principais:
      • Os indivíduos de uma população não são idênticos entre si;
      • Nascem mais organismos do que o ambiente pode suportar. Assim, poucos sobrevivem;
      • Há disputa pelos recursos do ambiente, e os indivíduos com características mais vantajosas têm maiores chances de sobreviver e se reproduzir, passando essas características vantajosas para seus descendentes.
  • 11. Características gerais dos seres vivos
    • Reação:
    • Todos os seres vivos têm capacidade de perceber estímulos do meio e reagir a eles.
    • Movimento:
    • A percepção e a reação desencadeiam nos seres vivos um movimento – variação da posição de um corpo no decorrer do tempo em relação a um sistema de referência.
  • 12. O que é vida, afinal?
    • Segundo alguns cientistas, os organismos vivos possuem certas características que não são encontradas em seres não-vivos, como acabamos de estudar.
    • No entanto, fica difícil saber quais as propriedades devem ser analisadas, já que as listas variam de acordo com o pesquisador.
    • Por isso, têm sido adotadas definições mais gerais de vida, como, por exemplo, a de John Maynard Smith, que diz que “entidades com as propriedades de multiplicação, variação e hereditariedade são vivas e entidades que não apresentam uma ou mais dessas propriedades não o são”.
    • Mas essa ainda é uma questão polêmica, ainda mais quando tratamos de formas como vírus, viroides e príons, que não têm estrutura celular, mas têm algumas características curiosas, como as constantes a seguir:
  • 13. Vírus
    • Cada vírus é formado por um tipo de ácido nucleico (DNA ou RNA), protegido por cápsula proteica;
    • Certos vírus possuem também um envelope formado por membrana lipoproteica semelhante à das células;
    • Os vírus só adquirem manifestações vitais quando penetram células vivas, sendo por isso chamados parasitas intracelulares obrigatórios;
    • Alguns pesquisadores consideram os vírus partículas infecciosas especiais, e não seres vivos. Outros os consideram formas particulares de vida, uma vez que provavelmente surgiram a partir do material genético de células, têm capacidade de reprodução (ao penetrarem a célula hospedeira) e sofrem mutação no material genético, podendo mudar ao longo do tempo.
  • 14. Viroides
    • São mais simples que os vírus;
    • Consistem apenas numa molécula circular de RNA não envolta por cápsula proteica;
    • Fica sempre dentro de células hospedeiras;
    • Tem a capacidade de autoduplicação e de sofrer mutações;
    • Não conseguem comandar a síntese de proteínas;
    • Passam de uma célula para outra somente pelo contato direto com elas;
    • Provocam desenvolvimento anormal em plantas, podendo levá-las à morte.
  • 15. Príons
    • Não são formas particulares de vida;
    • São proteínas que provocam doenças neurodegenerativas (exemplo: doença da vaca louca;
    • Têm a capacidade de induzir as proteínas normais a mudarem de forma. Com isso, há aumento do número de príons, dando a falsa impressão de que eles têm capacidade de reprodução. O aumento numérico, no entanto, ocorre em função da alteração na forma de outras proteínas normais já prontas na célula.