• Like
Histologia os epitelios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

Histologia os epitelios

  • 9,207 views
Published

 

Published in Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
9,207
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3

Actions

Shares
Downloads
83
Comments
0
Likes
2

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Histologia – Os epitélios Ana Lucia Farias 1º E.M.
  • 2. Histologia – Os epitélios
    • A multicelularidade surgiu na linhagem dos eucariontes e encontra-se representada em três reinos: Fungos, Plantas e Animais.
    • São vantagens da multicelularidade:
      • As funções são desempenhadas por células especializadas, que interagem, possibilitando que o corpo funcione em harmonia;
      • Os tamanhos são maiores, conferindo maior resistência corpórea.
  • 3. Histologia – Os epitélios
    • Foi a partir do surgimento da multicelularidade que apareceram os tecidos (conjunto de células que interagem e interdependem na execução das diferentes funções).
    • Nem todos os organismos possuem tecidos, como, por exemplo, as algas multicelulares, os fungos e as esponjas.
    • São seres que possuem tecidos: plantas e os animais que não as esponjas.
  • 4. Histologia – Os epitélios
    • A célula ovo é uma célula totipotente, ou seja, contém toda a informação genética do indivíduo e tem potencialidade para formar todos os outros tipos de células do corpo.
    • Durante o desenvolvimento embrionário ocorre a diferenciação e especialização de funções das células que formarão os tecidos do adulto.
  • 5. Histologia – Os epitélios
    • Nos animais, são quatro os principais tipos de tecidos:
      • Epitelial;
      • Conjuntivo (frouxo, denso, adiposo, ósseo, cartilaginoso, hemocitopoético);
      • Muscular (liso, estriado esquelético e estriado cardíaco);
      • Nervoso.
    Epitelial Conjuntivo Muscular Nervoso
  • 6. Histologia – Os epitélios
    • Tecidos epiteliais:
      • São formados por células justapostas, com pouca substância intercelular;
      • Existem dois tipos funcionais de epitélios:
        • De revestimento - delimitam estruturas; propiciam trocas controladas entre o exterior e o interior do corpo ou das cavidades; fornecem proteção; possuem proteínas que atuam como receptores para os sinais químicos do meio.
        • De secreção – formam as glândulas e têm função secretora.
  • 7. Histologia – Os epitélios
    • Tecidos epiteliais:
      • A origem embrionária dos epitélios é bem diversificada, a saber:
        • Ectoderma – epiderme (revestimento externo), epitélio de revestimento do nariz e boca, glândulas sebáceas;
        • Mesoderma – endotélio (reveste vasos sanguíneos), epitélio de revestimento do sistema urogenital, epitélio de membranas que envolvem órgãos: pleura (pulmão), pericárdio (coração), peritônio (cavidade abdominal);
        • Endoderma – fígado, pâncreas, glândulas tireóidea e paratireóideas, epitélio que reveste o tubo digestório e a bexiga, epitélio respiratório (pulmões).
  • 8. Histologia – Os epitélios
    • As células epiteliais possuem dois pólos, sendo um pólo apical, voltado para a superfície livre e um pólo basal, voltado para o tecido conjuntivo subjacente.
    • Os tecidos epiteliais não possuem vascularização, e suas células recebem nutrientes e oxigênio a partir dos capilares localizados no tecido conjuntivo.
  • 9. Histologia – Os epitélios
    • Entre o tecido epitelial e o conjuntivo existe a lâmina basal, formada principalmente de colágeno e glicoproteínas;
    • Logo abaixo da lâmina basal (no tecido conjuntivo), pode ocorrer um acúmulo de fibras, que formam, juntamente com a lâmina, a membrana basal , que serve como suporte do epitélio, fixando-o firmemente ao tecido conjuntivo subjacente.
    • A membrana basal é permeável aos gases oxigênio e carbônico e aos nutrientes, permitindo a troca de substâncias com os vasos sanguíneos do tecido conjuntivo; participa também do sistema de defesa do corpo humano.
  • 10. Histologia – Os epitélios
    • A membrana plasmática das células epiteliais diferenciam-se de acordo com a função:
      • Microvilosidades – para o aumento da superfície;
      • Cílios – para o deslocamento;
      • Zônula de oclusão, zônula de adesão, desmossomo e junções comunicantes tipo gap, com função de reforço da união entre células adjacentes.
  • 11. Histologia – Os epitélios
    • Tecidos epiteliais de revestimento: podem se classificados quanto:
      • Ao número de camadas celulares:
        • Simples (formado por uma única camada de células;
        • Estratificado (formado por várias camadas de células);
        • Pseudoestratificado (formado por uma única camada de células, onde os núcleos estão em alturas diferentes, dando falso aspecto de estratificado;
        • De transição (modificação do epitélio estratificado pavimentoso, onde o número de camadas celulares e as formas das células variam de acordo com a distensão do órgão.
  • 12. Histologia – Os epitélios
    • Tecidos epiteliais de revestimento: podem se classificados quanto:
      • À forma das células presentes na camada superficial:
        • Pavimentoso (células achatadas);
        • Cúbico (células em forma de cubo);
        • Prismático (células altas, prismáticas).
  • 13. Histologia – Os epitélios
    • Tecido epitelial glandular:
      • O produto da atividade glandular é denominado secreção, que pode ser mucosa (espessa e rica em muco), serosa (fluida e rica em muco) ou mista (mucosa e serosa).
      • As glândulas podem ser de três tipos, dependendo da função exercida: endócrinas, exócrinas e mistas.
  • 14. Histologia – Os epitélios
    • Glândulas Exócrinas, que lançam seus produtos (secreções) para fora do corpo, ou em uma cavidade interna do mesmo, como, por exemplo, as glândulas sudoríparas, lacrimais e salivares;
    • Glândulas Endócrinas, que lançam seus produtos (hormônios) diretamente no sangue, como, por exemplo, as glândulas tireóideas e paratireóideas;
    • Glândulas Mistas, que produzem tanto secreções quanto hormônios, como, por exemplo, o pâncreas.
  • 15. Histologia – Os epitélios
    • As principais glândulas endócrinas são:
      • Hipotálamo;
      • Hipófise;
      • Tireóidea;
      • Paratireóideas;
      • Suprarrenais;
      • Timo;
      • Gônadas (testículos e ovários);
  • 16. Sistema Endócrino Hipotálamo
    • Localiza-se na base do encéfalo e faz a integração entre os sistemas nervoso e endócrino;
    • Controla diretamente a hipófise, e, por isso, controla toda a atividade hormonal do organismo.
  • 17. Sistema Endócrino Hipófise
    • Regula a produção de hormônios nas diversas glândulas do corpo, sendo, por isso, considerada a glândula mestra do organismo;
    • Localiza-se no centro da cabeça, logo abaixo do cérebro;
    • Produz, dentre diversos hormônios, o hormônio do crescimento, sendo por isso chamada de glândula do crescimento.
  • 18. Sistema Endócrino Hipófise
    • Se a quantidade de hormônio do crescimento é produzida em quantidade exagerada pela hipófise, acarretará no organismo o gigantismo;
    • Já na produção insuficiente do hormônio do crescimento, acontecerá o nanismo hipofisário;
    • Outro hormônio produzido pela hipófise é a ocitocina, que estimula a produção do leite materno nas glândulas mamárias.
  • 19. Sistema Endócrino Glândula Tireóidea
    • Situada no pescoço; atua no metabolismo celular, na manutenção do peso e do calor corporal, no crescimento e no ritmo cardíaco;
    • A atividade excessiva da glândula tireóidea leva ao hipertireoidismo, onde a pessoa torna-se magra e irrequieta, e, em alguns casos, formando um inchaço no pescoço (bócio);
    • A baixa atividade da glândula leva ao hipotireoidismo, onde a pessoa tende a engordar e ficar mais lenta;
    • Como o hipotireoidismo pode ser causado pela falta de iodo, as indústrias de sal de cozinha são obrigadas a adicioná-lo em certa quantidade.
  • 20. Sistema Endócrino Glândulas Paratireóideas
    • Em número de quatro e localizadas atrás da tireóidea, produzem um hormônio regulador da concentração de cálcio no sangue;
    • A baixa produção desse hormônio causa a tetania, onde os músculos se contraem violentamente;
    • A alta produção do hormônio enfraquece os ossos, que ficam quebradiços, já que parte do cálcio se transfere dos ossos para o sangue.
  • 21. Sistema Endócrino Glândulas Suprarrenais
    • Situadas na extremidade superior de cada rim;
    • Possuem duas camadas diferentes, uma mais externa e outra mais interna, a saber:
      • A camada externa produz hormônios que atuam no controle da pressão sanguínea, no equilíbrio de sal, no aproveitamento de água, proteínas, açúcar e sais minerais;
      • A camada interna produz adrenalina, que, em situações de emergência, aumenta a força e o ritmo do coração, provocando o estreitamento dos vasos sanguíneos e elevando o potencial de ação dos músculos.
  • 22. Sistema Endócrino Timo
    • Situa-se entre os pulmões;
    • Produz um hormônio que atua na defesa do organismo do recém nascido contra infecções;
    • Essa glândula começa a atrofiar na adolescência, e, na fase adulta, tem suas funções consideravelmente reduzidas.
  • 23. Sistema Endócrino Gônadas
    • São as glândulas sexuais, que iniciam a fabricação de grande quantidade de hormônios na puberdade, a saber: testículos no homem e ovários na mulher.
      • Testículos: Em número de dois, produzem diversos hormônios, entre eles a testosterona, responsável pelo aparecimento das características sexuais secundárias masculinas (barba, ombros volumosos, voz grave, pelos, ...)
      • Ovários: Em número de dois, produzem hormônios, como o estradiol, responsável pelas características sexuais secundárias femininas (ombros estreitos, quadris largos, seios desenvolvidos, ...) e a progesterona, que prepara o organismo da mulher para a gestação.
  • 24. Histologia – Os epitélios
    • Glândula Mista: Pâncreas
      • Como glândula endócrina produz alguns hormônios, como a insulina, que controla a entrada da glicose nas células (abaixa a taxa de glicose), e o glucagon, que age durante o período de jejum (aumenta a taxa de glicose);
      • Como glândula exócrina, produz o suco pancreático, que age no intestino.