Your SlideShare is downloading. ×
0
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
3ª aula   como falar em público
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

3ª aula como falar em público

1,986

Published on

Published in: Education
1 Comment
2 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total Views
1,986
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
217
Comments
1
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. Ana kelly Martinez
  2. “É a parte do discurso na qual estão incluídas todas as informações que norteiam a linha de argumentos de nossa mensagem e estabelecem a base de defesa das idéias contra possíveis objeções dos ouvintes.” POLITO, 1999. Elementos do assunto central: A. Confirmação B. Refutação
  3. Orienta a exposição ordenada da mensagem por meio dos seguintes critérios: Ordenação no tempo; Ordenação no espaço; Ordenação de causa e efeito; Ordenação de natureza intrínseca; Ordenação pelos prós e contras; Ordenação pela experiência; Ordenação pela solução de problemas; Ordenação crescente.
  4. Consiste na defesa de possíveis objeções. Poderá ocorrer quanto ao momento, a forma e a qualidade do argumento. O momento de refutar:  Imediatamente, se a objeção for para um argumento específico;  Logo após a idéia ser apresentada, se a objeção for para todos os argumentos ou um grande número deles;  Desde o princípio do discurso, se soubermos que inevitavelmente haverá objeções.
  5. Formas de refutar são:  Pela negativa das afirmações feitas sem provas;  Pela defesa dos argumentos, contestando as provas contrárias. A qualidade dos argumentos:  Se todos forem fracos, deverão ser refutados isoladamente;  Se todos forem fortes, deverão ser refutados ao mesmo tempo;  Se tiverem qualidade diferente, o mais forte deverá ser refutado no início e o mais fraco no final.
  6. ¨É o coroamento da qualidade do discurso, instante que fazemos a platéia refletir ou agir de acordo com nossas propostas.¨ POLITO, 1999. Caracteriza-se :  Deve ser breve; Elementos da conclusão:  É a única parte da apresentação A. Recapitulação. que deve ser anunciada. B. Epílogo.
  7. Na recapitulação, contamos numa única frase ou em duas, a essência do conteúdo que acabamos de apresentar. Poderá ser suprimida se a linha de argumentação for simples ou curta. No epílogo, as palavras devem ser dirigidas mais para o sentimento que para a razão. É o momento mais apropriado para o uso da emoção.
  8. Deve ser o mais amplo possível, estar adequado ao público e expressar os sentimentos e idéias do comunicador.
  9. Devemos evitar: •Palavrões e gírias. •Termos incomuns. •Palavreado técnico. •Chavões a frases vulgares. •Palavras ou termos que poluem a fala.
  10. Podem ser:  Variações sonoras produzidas pelas pregas vocais durante a conversa.  Sons primeiramente resultante Humm; de outros mecanismos am, em.... fisiológicos que não as pregas vocais.
  11. Contato: 9980-1311 www.falarte.com.br anakelly@falarte.com.br

×