SUSTENTABILIDADE PALESTRA  CURSO ARQUITETURA HOSPITALAR Ana Lúcia Richter Dreyer Belo Horizonte 05 de Dezembro de 2009 CON...
<ul><li>5 TÓPICOS: </li></ul><ul><li>1- Sustentabilidade & Aquecimento Global </li></ul><ul><li>2- Porquê Arquitetura e Co...
<ul><li>SUSTENTABILIDADE </li></ul>CONSTRUA VERDE 1
<ul><li>Segundo o  Relatório de Brundtland  (1987), sustentabilidade é </li></ul><ul><li>“ Suprir as necessidades da geraç...
<ul><li>BREVE HISTÓRICO DA SUSTENTABILIDADE </li></ul><ul><li>(inserir linha de tempo) - link </li></ul>CONSTRUA VERDE
<ul><li>OS PILARES DA SUSTENTABILIDADE </li></ul>CONSTRUA VERDE
<ul><li>Imagem: http://thebsreport.files.wordpress.com/2009/07/global-warming-hoax.jpg </li></ul>CONSTRUA VERDE AQUECIMENT...
CONSTRUA VERDE Imagem: http://mollymintz.com/ESW/Images/Global_Warming_polar_bear.jpg
<ul><li>AÇÕES </li></ul>CONSTRUA VERDE
CONSTRUA VERDE http://www.breathingearth.net/ EMISSÕES ONLINE
CONSTRUA VERDE NO BRASIL...
<ul><li>NÚMEROS: </li></ul><ul><li>4º </li></ul><ul><li>É a colocação do Brasil quanto a emissões de gases de efeito estuf...
<ul><li>EMISSÕES DE GEE BRASIL X MUNDO </li></ul>CONSTRUA VERDE Bom!! Ruim!!
<ul><li>CURVA DE REDUÇÃO DE GEE </li></ul>CONSTRUA VERDE
<ul><li>http://www.ecodebate.com.br/foto/energia2.jpg </li></ul>CONSTRUA VERDE MATRIZ ENERGÉTICA NO BRASIL:
CONSTRUA VERDE http:// www.promonengenharia.com.br/br/atuacao/cases/images/imagemGdeCase191.jpg
CONSTRUA VERDE http:// ipt.olhares.com/data/big/132/1325250.jpg
<ul><li>PORQUÊ ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEIS? </li></ul>CONSTRUA VERDE 2
<ul><li>Uma das maiores oportunidades de reduções de emissões, com o menor custo por investimento é na CONSTRUÇÃO CIVIL! *...
CONSTRUA VERDE EMISSÕES POR SETOR
<ul><li>POTENCIAIS DE ABATIMENTO </li></ul>CONSTRUA VERDE
<ul><li>EMISSÕES: </li></ul><ul><li>Setor responsável por 8% das emissões, mas com menor custo de redução. Redução de 24% ...
<ul><li>CONSUMOS DE ÁGUA E ENERGIA </li></ul>CONSTRUA VERDE http://strangepaths.com/wp-content/uploads/2007/01/earth_2.jpg
<ul><li>CONSUMO GLOBAL DE ENERGIA </li></ul>CONSTRUA VERDE
<ul><li>CONSUMO DE ÁGUA </li></ul>Fonte: Deca CONSTRUA VERDE
<ul><li>CONSUMOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL </li></ul>CIDADES! O setor imobiliário representa cerca de •  10% do PIB mundial, •  ...
CONSTRUA VERDE CONSUMOS DAS EDIFICAÇÕES  ENERGIA 30% Fonte:
CONSTRUA VERDE ECONOMIAS POSSÍVEIS ENERGIA 30% Fonte:
BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DE UM GREEN BUILDING  Qualitativos: CONSTRUA VERDE
BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DE UM GREEN BUILDING  Quantitativos: CONSTRUA VERDE REDU Z
SISTEMAS DE PONTUAÇÃO DE GREEN BUILDINGS CONSTRUA VERDE 3
<ul><li>SISTEMAS DE PONTUAÇÃO: </li></ul><ul><li>Servem para classificar o quanto um edifício é “verde”: </li></ul><ul><li...
<ul><li>“ Leadership in Energy and Environmental Design” (LEED ® ) é um sistema e pontuação para definir  e certificar um ...
TIPOS DE PONTUAÇÃO LEED CONSTRUA VERDE
CRÉDITOS E PRÉ-REQUISITOS LEED <ul><li>Sustainable Sites  – Terrenos; </li></ul><ul><li>Water Efficiency  – Eficiência no ...
PROJETO SUSTENTÁVEL 4 CONSTRUA VERDE
<ul><li>PROJETO SUSTENTÁVEL </li></ul><ul><li>Devem-se considerar os seguintes seis aspectos para o projeto ser integrado,...
<ul><li>DESIGN INTEGRADO </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Usar menos materiais e recursos naturais com r...
<ul><li>EXEMPLO  </li></ul>CONSTRUA VERDE Frank Lloyd Wright Taliesin, EUA
<ul><li>EFICIÊNCIA NO USO DA ÁGUA </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Aproveitar água da chuva através de c...
<ul><li>EXEMPLOS </li></ul>CONSTRUA VERDE Captação por telhados verdes ou diretamente pelo telhado com cisterna e tratamen...
<ul><li>EFICIÊNCIA NO USO DA ENERGIA </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Utilizar elementos que reduzam a n...
<ul><li>EXEMPLOS </li></ul>CONSTRUA VERDE Leds e Lâmpadas economizadoras; Sistemas de ar condicionado eficiente; Tratament...
<ul><li>MATERIAIS ECOLÓGICOS: </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Materiais com conteúdo reciclado, ou com ...
<ul><li>EXEMPLOS </li></ul>CONSTRUA VERDE Materiais Rapidamente Renováveis como Bambu, lã, fibras vegetais; Madeiras Certi...
<ul><li>QUALIDADE DO AMBIENTE: </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Abusar das visuais externas, iluminação ...
<ul><li>QUALIDADE SOCIAL: </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Incluir trabalho regularizado, combate à info...
<ul><li>1 - Definição do projeto </li></ul><ul><li>2 - Formação de Equipe </li></ul><ul><li>3 - Educação e Estabelecimento...
ESTUDOS DE CASOS: SUSTENTABILIDADE NOS PROJETOS HOSPITALARES CONSTRUA VERDE 5
ESTUDO DE CASO 01: Clínica Patrick Dollard CONSTRUA VERDE Local:  Harris, NY - USA Área:  2,630 m2 Custo:  U$ 6.000.000,00...
PROGRAMA CONSTRUA VERDE Espaços Internos: Cuidados infantis, tratamentos médicos, recepção, sistemas de aquecimento e refr...
ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE ÁGUA Zero uso de água para paisagismo. Captação de uso local.
ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE ENERGIA - Iluminação com lâmpadas T8 e T5 e luminárias de alta eficiência; - Redução de gasto e...
ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE QUALIDADE INTERNA DO AR - Visuais externas na maior parte dos ambientes. - Qualidade Visual atr...
ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE MATERIAIS: Tintas, resinas, selantes e adesivos de baixa emissão; Piso de linóleo natural; Carp...
ESTUDO DE CASO 02:  Hospital e Maternidade São Luiz - Unidade Anália Franco São Paulo – SP - Arq. Zanettini CONSTRUA VERDE...
PROGRAMA e TIPOLOGIA CONSTRUA VERDE SETORIZAÇÃO A implantação ocupa toda uma quadra com clara setorização de funções e dis...
ESTRATÉGIAS SUSTENTÁVEIS CONSTRUA VERDE TOPOGRAFIA Projeto explorou a tipografia sem alterar muito o terreno; ORIENTAÇÃO S...
ESTRATÉGIAS SUSTENTÁVEIS CONSTRUA VERDE ESTRUTURA & TECNOLOGIA COM ECONOMIA tecnologia limpa: grandes vãos de acessos em c...
<ul><li>O QUE VIMOS: </li></ul><ul><li>1- Sustentabilidade & Aquecimento Global </li></ul><ul><li>2- Porquê Arquitetura e ...
“ If you want to go quickly go alone. If you want to go far, go together” Se você quer ir rápido, vá sozinho. Se você quis...
PERGUNTAS CONSTRUA VERDE
<ul><li>CONTATO: </li></ul><ul><li>Web: </li></ul><ul><li>www.construaverde.com.br </li></ul><ul><li>E-mail: </li></ul><ul...
<ul><li>REFERÊNCIAS: </li></ul><ul><li>MENDLER, Sandra.  The Hok Guide for Sustainable Design.  2nd Edition. New Jersey: W...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Palestra Sustentabilidade

4,200

Published on

Palestra ministrada aos alunos do curso de pós graduação em arquitetura hospitalar.

Published in: Technology, News & Politics
0 Comments
4 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,200
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Segundo o Relatório da Comissão Brundtland, elaborado em 1987, uma série de medidas devem ser tomadas pelos países para promover o desenvolvimento sustentável. Entre elas: limitação do crescimento populacional; garantia de recursos básicos (água, alimentos, energia) a longo prazo; preservação da biodiversidade e dos ecossistemas; diminuição do consumo de energia e desenvolvimento de tecnologias com uso de fontes energéticas renováveis; aumento da produção industrial nos países não-industrializados com base em tecnologias ecologicamente adaptadas; controle da urbanização desordenada e integração entre campo e cidades menores; atendimento das necessidades básicas (saúde, escola, moradia).
  • Segundo o Relatório da Comissão Brundtland, elaborado em 1987, uma série de medidas devem ser tomadas pelos países para promover o desenvolvimento sustentável. Entre elas: limitação do crescimento populacional; garantia de recursos básicos (água, alimentos, energia) a longo prazo; preservação da biodiversidade e dos ecossistemas; diminuição do consumo de energia e desenvolvimento de tecnologias com uso de fontes energéticas renováveis; aumento da produção industrial nos países não-industrializados com base em tecnologias ecologicamente adaptadas; controle da urbanização desordenada e integração entre campo e cidades menores; atendimento das necessidades básicas (saúde, escola, moradia).
  • Segundo o World Resources Institute1 , o Brasil é o 4º maior emissor de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera, e segundo a perspectiva da McKinsey em seu relatório global, no horizonte até 2030, é também um dos 5 países com maior potencial para reduzir essas emissões. Este papel de destaque na agenda global de mudança climática traz uma série de implicações, bem como a criação de oportunidades significativas. Custos: Sessenta iniciativas representam 10% do potencial de abatimento do Brasil e foram identificadas como tendo um custo negativo, ou seja, benefícios associados que são maiores do que os gastos. Das demais 70 iniciativas, 80% do potencial de abatimento têm custo inferior a 􀂱 10 por tonelada de CO2e2, valor abaixo daquele comercializado no mercado internacional de créditos de carbono. o Brasil tem um papel relevante, pois é responsável por 5% das emissões de GEE atuais e será responsável por 4% das emissões estimadas para 2030, ou 2,8 GtCO2e. Diferentemente de outros países mais industrializados, e da norma global, a principal fonte de emissões no Brasil é o setor florestal. Somente o desmatamento representa 55% das emissões de GEE hoje e será responsável por 43% das emissões do País em 2030. Esse elevado peso negativo do setor florestal é parcialmente compensado pelas baixas emissões da matriz energética brasileira, que tem a geração de eletricidade baseada em grandes hidroelétricas. Outro fator é a penetração do etanol na frota automobilística brasileira, que é bastante alta. atualmente as emissões do Brasil já estão acima da média global e, em uma perspectiva futura, mesmo se eliminássemos as emissões do setor florestal, elas permaneceriam relativamente altas. Isso evidencia a necessidade do Brasil considerar algumas medidas para reduzir as emissões de GEE. Nosso estudo avaliou mais de 120 oportunidades de redução de GEE em todos os principais setores da economia brasileira. Os resultados indicam que o Brasil tem potencial para reduzir as emissões estimadas para 2030 de 2,8 GtCO2e para 0,9 GtCO2e, ou seja, uma redução anual de 1,9 GtCO2e, o que equivale a uma redução de 70% das emissões.
  • Fonte dos dados: Mckinsey
  • limitação do crescimento populacional; garantia de recursos básicos (água, alimentos, energia) a longo prazo; preservação da biodiversidade e dos ecossistemas; diminuição do consumo de energia e desenvolvimento de tecnologias com uso de fontes energéticas renováveis; aumento da produção industrial nos países não-industrializados com base em tecnologias ecologicamente adaptadas; controle da urbanização desordenada e integração entre campo e cidades menores; atendimento das necessidades básicas (saúde, escola, moradia).
  • No Brasil estes dados variam um pouco, tendo-se o consumo aumentado relativamente para aquecimento de água de banho e iluminação.
  • - exemplo: telhado branco -20% Promoção de boas práticas de projeto, de construção e de manutenção Melhor saúde e bem estar do usuário “ People –Friendly” design – melhor qualidade de vida melhor imagem da empresa e relação com governos e comunidades.
  • O GGHC é derivado do sistema LEED, mas não pertence ao USGBC. É feito de acordo com a linha estrutural do leed, com adaptações alinhadas a realidade da arquitetura hospitalar. Não temos ainda esta certificação aqui no Brasil, mas pode-se seguir o sistema LEED e incrementar com os créditos específicos do Green Guide.
  • Green Building Rating System™ incentiva e acelera a adoção de prédios verdes e desenvolvimento de práticas de construção sustentáveis através da criação e implementação de ferramentas e critérios de performance aceitos universalmente
  • Para uma edificação nova, usa-se o sistema New Construction. Ele foi atualizado neste ano com a versão V3.0. No Brasil está sendo adaptado a nossa realidade.
  • Farkasvölgyi Arquitetura Monte Carlo Residence, Belo Horizonte
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • ABRIR APRESENTAÇÃO EXTRA SE NECESSÁRIO!
  • Palestra Sustentabilidade

    1. 1. SUSTENTABILIDADE PALESTRA CURSO ARQUITETURA HOSPITALAR Ana Lúcia Richter Dreyer Belo Horizonte 05 de Dezembro de 2009 CONSTRUA VERDE
    2. 2. <ul><li>5 TÓPICOS: </li></ul><ul><li>1- Sustentabilidade & Aquecimento Global </li></ul><ul><li>2- Porquê Arquitetura e Construção Sustentáveis? </li></ul><ul><li>3- Sistemas de Certificação de Green Buildings </li></ul><ul><li>4- Projeto Sustentável </li></ul><ul><li>5- Estudos de Casos </li></ul>CONSTRUA VERDE 1 2 3 4 5
    3. 3. <ul><li>SUSTENTABILIDADE </li></ul>CONSTRUA VERDE 1
    4. 4. <ul><li>Segundo o Relatório de Brundtland (1987), sustentabilidade é </li></ul><ul><li>“ Suprir as necessidades da geração presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprir as suas&quot;. </li></ul>CONSTRUA VERDE
    5. 5. <ul><li>BREVE HISTÓRICO DA SUSTENTABILIDADE </li></ul><ul><li>(inserir linha de tempo) - link </li></ul>CONSTRUA VERDE
    6. 6. <ul><li>OS PILARES DA SUSTENTABILIDADE </li></ul>CONSTRUA VERDE
    7. 7. <ul><li>Imagem: http://thebsreport.files.wordpress.com/2009/07/global-warming-hoax.jpg </li></ul>CONSTRUA VERDE AQUECIMENTO GLOBAL
    8. 8. CONSTRUA VERDE Imagem: http://mollymintz.com/ESW/Images/Global_Warming_polar_bear.jpg
    9. 9. <ul><li>AÇÕES </li></ul>CONSTRUA VERDE
    10. 10. CONSTRUA VERDE http://www.breathingearth.net/ EMISSÕES ONLINE
    11. 11. CONSTRUA VERDE NO BRASIL...
    12. 12. <ul><li>NÚMEROS: </li></ul><ul><li>4º </li></ul><ul><li>É a colocação do Brasil quanto a emissões de gases de efeito estufa (GEE). </li></ul><ul><li>2030 </li></ul><ul><li>É a data em que o Brasil será um dos 5 países mundiais com maior potencial para redução. </li></ul><ul><li>10% </li></ul><ul><li>Das ações para diminuição tem custo negativo! </li></ul><ul><li>- </li></ul><ul><li>Negativo: 55% Das emissões do Brasil vem do desmatamento e a previsão é de que reduzirá este valor para 43% das emissões do País em 2030, porém ainda insuficiente para zerar... </li></ul><ul><li>+ </li></ul><ul><li>Positivo: Frota com Etanol + Hidroelétricas – energias mais limpas </li></ul>CONSTRUA VERDE Fonte: Mckinsey - http://www.mckinsey.com.br/
    13. 13. <ul><li>EMISSÕES DE GEE BRASIL X MUNDO </li></ul>CONSTRUA VERDE Bom!! Ruim!!
    14. 14. <ul><li>CURVA DE REDUÇÃO DE GEE </li></ul>CONSTRUA VERDE
    15. 15. <ul><li>http://www.ecodebate.com.br/foto/energia2.jpg </li></ul>CONSTRUA VERDE MATRIZ ENERGÉTICA NO BRASIL:
    16. 16. CONSTRUA VERDE http:// www.promonengenharia.com.br/br/atuacao/cases/images/imagemGdeCase191.jpg
    17. 17. CONSTRUA VERDE http:// ipt.olhares.com/data/big/132/1325250.jpg
    18. 18. <ul><li>PORQUÊ ARQUITETURA & CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEIS? </li></ul>CONSTRUA VERDE 2
    19. 19. <ul><li>Uma das maiores oportunidades de reduções de emissões, com o menor custo por investimento é na CONSTRUÇÃO CIVIL! * </li></ul>CONSTRUA VERDE http://flammarion.files.wordpress.com/2009/06/construcao-civil.jpg * O setor da Construção Civil emite 8% do total dos Gases de Efeito Estufa (GEE).
    20. 20. CONSTRUA VERDE EMISSÕES POR SETOR
    21. 21. <ul><li>POTENCIAIS DE ABATIMENTO </li></ul>CONSTRUA VERDE
    22. 22. <ul><li>EMISSÕES: </li></ul><ul><li>Setor responsável por 8% das emissões, mas com menor custo de redução. Redução de 24% nas emissões para 2030, todas elas com custo negativo, € -100/tCO2. </li></ul><ul><li>CLIMA </li></ul><ul><li>Clima Tropical: menor dependência de calefação e aquecimento de água na maior parte do país. Oportunidade de redução de 25% na troca de sistemas. </li></ul><ul><li>RESÍDUOS </li></ul><ul><li>Potencial: tratamentos de resíduos ainda são poucos. Investir no setor será valorizado. </li></ul><ul><li>ENERGIA ELÉTRICA </li></ul><ul><li>50% das lâmpadas ainda são incandescentes. 25% das reduções podem vir da troca. </li></ul><ul><li>RESIDÊNCIAL </li></ul><ul><li>65% das emissões são relativas ao segmento residencial- 25% do consumo de energia tem como fonte a rede de energia elétrica e 75% é relativo ao GLP (gás liquefeito de petróleo </li></ul><ul><li>COMERCIAL </li></ul><ul><li>O segmento comercial (escritórios e prédios públicos) responde pelos restantes 35% das emissões, com uma maior penetração da rede de energia elétrica (aproximadamente 50%). </li></ul>CONSTRUA VERDE PROBLEMAS X OPORTUNIDADES:
    23. 23. <ul><li>CONSUMOS DE ÁGUA E ENERGIA </li></ul>CONSTRUA VERDE http://strangepaths.com/wp-content/uploads/2007/01/earth_2.jpg
    24. 24. <ul><li>CONSUMO GLOBAL DE ENERGIA </li></ul>CONSTRUA VERDE
    25. 25. <ul><li>CONSUMO DE ÁGUA </li></ul>Fonte: Deca CONSTRUA VERDE
    26. 26. <ul><li>CONSUMOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL </li></ul>CIDADES! O setor imobiliário representa cerca de • 10% do PIB mundial, • 40% dos materiais consumidos, • 30% da geração de lixo sólido, • 20% do consumo de água e • 35% de toda a energia consumida pela sociedade, • 80% do consumo é devido ao uso e operação dos edifícios, com relevante impacto nas mudanças climáticas do planeta. Fonte: Pnuma – Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente CONSTRUA VERDE
    27. 27. CONSTRUA VERDE CONSUMOS DAS EDIFICAÇÕES ENERGIA 30% Fonte:
    28. 28. CONSTRUA VERDE ECONOMIAS POSSÍVEIS ENERGIA 30% Fonte:
    29. 29. BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DE UM GREEN BUILDING Qualitativos: CONSTRUA VERDE
    30. 30. BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DE UM GREEN BUILDING Quantitativos: CONSTRUA VERDE REDU Z
    31. 31. SISTEMAS DE PONTUAÇÃO DE GREEN BUILDINGS CONSTRUA VERDE 3
    32. 32. <ul><li>SISTEMAS DE PONTUAÇÃO: </li></ul><ul><li>Servem para classificar o quanto um edifício é “verde”: </li></ul><ul><li>LEED RATING SYSTEMS </li></ul><ul><li>GREEN GUIDE FOR HEALTH CARE </li></ul><ul><li>- AQUA - Derivado do sistema francês HQE (Haute Qualité Environnementale ) </li></ul><ul><li>BREEAM (Building Reserach Establishment Environmental & Assessment) – Inglaterra. </li></ul><ul><li>Procel Edifica – para economia de energia. </li></ul>CONSTRUA VERDE
    33. 33. <ul><li>“ Leadership in Energy and Environmental Design” (LEED ® ) é um sistema e pontuação para definir e certificar um Green Building. Criado pelo USGBC (United States Green Building Council) é um dos métodos mais respeitados e adotados mundialmente. www.usgbc.org </li></ul>O QUE É LEED? CONSTRUA VERDE
    34. 34. TIPOS DE PONTUAÇÃO LEED CONSTRUA VERDE
    35. 35. CRÉDITOS E PRÉ-REQUISITOS LEED <ul><li>Sustainable Sites – Terrenos; </li></ul><ul><li>Water Efficiency – Eficiência no uso da Água; </li></ul><ul><li>Energy and Atmosphere – Energia e Atmosfera; </li></ul><ul><li>Materials and Resources – Materiais e Recursos; </li></ul><ul><ul><li>Indoor Environmental Quality - Qualidade do Ambiente Interno; </li></ul></ul><ul><li>Innovation in Design – Inovação de Projeto. </li></ul>CONSTRUA VERDE
    36. 36. PROJETO SUSTENTÁVEL 4 CONSTRUA VERDE
    37. 37. <ul><li>PROJETO SUSTENTÁVEL </li></ul><ul><li>Devem-se considerar os seguintes seis aspectos para o projeto ser integrado, eficiente e sustentável: </li></ul>CONSTRUA VERDE
    38. 38. <ul><li>DESIGN INTEGRADO </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Usar menos materiais e recursos naturais com resultados mais eficazes; </li></ul><ul><li>Tirar partido dos recursos naturais “grátis” que a natureza e o terreno nos dá: ventos, iluminação natural, sombrear com vegetação; </li></ul><ul><li>Humanizar de forma a integrar os espaços internos com externos. </li></ul>CONSTRUA VERDE
    39. 39. <ul><li>EXEMPLO </li></ul>CONSTRUA VERDE Frank Lloyd Wright Taliesin, EUA
    40. 40. <ul><li>EFICIÊNCIA NO USO DA ÁGUA </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Aproveitar água da chuva através de captação; </li></ul><ul><li>Reutilizar águas servidas; </li></ul><ul><li>Utilizar equipamentos de alta eficiência. </li></ul>CONSTRUA VERDE http://www.ecolab.com/br/images/M-Proteina-Agua.jpg
    41. 41. <ul><li>EXEMPLOS </li></ul>CONSTRUA VERDE Captação por telhados verdes ou diretamente pelo telhado com cisterna e tratamento. Equipamentos economizadores. Tratamento de águas servidas. http://www.rocatherm.com.br/imagens/agua-chuva2.gif http://www.francopenteado.com/img/reusoAgua.jpg
    42. 42. <ul><li>EFICIÊNCIA NO USO DA ENERGIA </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Utilizar elementos que reduzam a necessidade de gasto energético, como telhados verdes, telhados brancos; </li></ul><ul><li>Uso de equipamentos, luminárias e lâmpadas economizadores; </li></ul>CONSTRUA VERDE http://www.sabereletronica.com.br/files/image/figura_2_eficiencia_energetica_1_.png
    43. 43. <ul><li>EXEMPLOS </li></ul>CONSTRUA VERDE Leds e Lâmpadas economizadoras; Sistemas de ar condicionado eficiente; Tratamento e proteção das fachadas; Uso de iluminação natural Uso de Painéis Solares Uso de energia eólica Han van Zweiten and Gregory Kiss's  Michael Scherer -  Bozen, Alemanha
    44. 44. <ul><li>MATERIAIS ECOLÓGICOS: </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Materiais com conteúdo reciclado, ou com fácil reciclagem posterior. </li></ul><ul><li>Procurar materiais e elementos com conceito “cradle to cradle” – cadeia de consumo cíclica, não linear. </li></ul><ul><li>Usar materiais de conteúdo rapidamente renováveis e naturais; </li></ul><ul><li>Usar materiais locais, estimular culturas e economias das comunidades onde se executa o projeto. </li></ul><ul><li>Projetar para o desmonte, pensar na futura reutilização dos recursos. </li></ul>CONSTRUA VERDE
    45. 45. <ul><li>EXEMPLOS </li></ul>CONSTRUA VERDE Materiais Rapidamente Renováveis como Bambu, lã, fibras vegetais; Madeiras Certificadas; Madeiras de Demolição; Materiais Facilmente Recicláveis como vidro, alumínio, alguns plásticos Uso de materiais locais.
    46. 46. <ul><li>QUALIDADE DO AMBIENTE: </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Abusar das visuais externas, iluminação natural, ventilação e integração com espaço externo; </li></ul><ul><li>Não utilizar materiais poluentes e emissores de VOC´s, entre outros; </li></ul><ul><li>Separar áreas técnicas que tenham uso de materiais químicos das demais; </li></ul><ul><li>Ter acessibilidade sempre em mente. </li></ul>CONSTRUA VERDE http://heatusa.com/blog/wp-content/uploads/2009/07/the-lansing-building-interior.jpg Mackinsey House
    47. 47. <ul><li>QUALIDADE SOCIAL: </li></ul><ul><li>PROJETAR PARA: </li></ul><ul><li>Incluir trabalho regularizado, combate à informalidade; </li></ul><ul><li>Inserção da comunidade no processo; </li></ul><ul><li>Remuneração justa. </li></ul><ul><li>Executar espaços de convívio, discussão, trocas. </li></ul>CONSTRUA VERDE http://independenciasulamericana.com.br/wp-content/uploads/2009/03/mutirao_site.jpg
    48. 48. <ul><li>1 - Definição do projeto </li></ul><ul><li>2 - Formação de Equipe </li></ul><ul><li>3 - Educação e Estabelecimento de Metas </li></ul><ul><li>4 - Avaliação do Terreno </li></ul><ul><li>5 - Análise do “Baseline” </li></ul><ul><li>6 - Conceitos de Projeto </li></ul><ul><li>7 - Otimização do Design </li></ul><ul><li>8 - Documentação e Especificação </li></ul><ul><li>9 - Licitações e Construção </li></ul><ul><li>10 – Pós Ocupação </li></ul>10 PASSOS DO PROJETO SUSTENTÁVEL: CONSTRUA VERDE
    49. 49. ESTUDOS DE CASOS: SUSTENTABILIDADE NOS PROJETOS HOSPITALARES CONSTRUA VERDE 5
    50. 50. ESTUDO DE CASO 01: Clínica Patrick Dollard CONSTRUA VERDE Local: Harris, NY - USA Área: 2,630 m2 Custo: U$ 6.000.000,00 Uso: Clínica para atender 28 tipos de especialidades médicas, com ênfase em cuidados especiais de pessoas com problemas neurológicos. Certificação: Sim.
    51. 51. PROGRAMA CONSTRUA VERDE Espaços Internos: Cuidados infantis, tratamentos médicos, recepção, sistemas de aquecimento e refrigeração, espaços de reuniões públicos, escritórios, banheiros, salas de conferência, Espaços Externos: Acessos de pedestres e veículos, estacionamentos, estruturas de sombreamento, paisagismo interpretativo, preservação de vegetação nativa. Energia: 48% mais eficiente em comparação com prédios similares;
    52. 52. ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE ÁGUA Zero uso de água para paisagismo. Captação de uso local.
    53. 53. ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE ENERGIA - Iluminação com lâmpadas T8 e T5 e luminárias de alta eficiência; - Redução de gasto energético para AC em 6,8% em relação à média; - Proteção térmica dos telhados, - Proteção das aberturas com beirais e vegetação; - Correto uso de orientação solar e aberturas; - Sistemas de Controles de automação para AC, iluminação.
    54. 54. ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE QUALIDADE INTERNA DO AR - Visuais externas na maior parte dos ambientes. - Qualidade Visual através de grandes panos de vidro e integração dos ambientes internos. - Uso de materiais com baixa toxidade. - Filtros especiais para ventilação e ar condicionado; - Produtos com nenhuma ou baixa emissão de VOC´s. - Comissionamento dos sistemas do edifício. - Ventilação Natural. - Alto controle de poluentes durante a obra.
    55. 55. ESTRATÉGIAS CONSTRUA VERDE MATERIAIS: Tintas, resinas, selantes e adesivos de baixa emissão; Piso de linóleo natural; Carpete com conteúdo reciclado; Proteção Térmica e painéis de vedação Madeiras Certificadas. ACESSIBILIDADE: Total acessibilidade nos ambientes. Para saber mais: The Patrick H. Dollard Health Center LEED ® CERTIFIED http ://leedcasestudies.usgbc.org/overview.cfm?ProjectID=233
    56. 56. ESTUDO DE CASO 02: Hospital e Maternidade São Luiz - Unidade Anália Franco São Paulo – SP - Arq. Zanettini CONSTRUA VERDE Fonte: http://www.zanettini.com.br/hop_saoluiz.html Local: Bairro Tatuapé, São Paulo - SP Tamanho: 43.000m2 Capacidade: 180 apartamentos e 279 leitos. Tipologia: 07 pavimentos em 02 blocos unidos por passarelas. Uso: Hospital Geral e Maternidade Certificação: Não
    57. 57. PROGRAMA e TIPOLOGIA CONSTRUA VERDE SETORIZAÇÃO A implantação ocupa toda uma quadra com clara setorização de funções e disciplina dos acessos de veículos e pedestres. INFRAESTRUTURA   185 apartamentos, 6 suítes na maternidade e 1 no hospital, 36 leitos de UTI, 37 de UTI neonatal, 8 de UTI infantil e 6 de semi-intensiva neonatal, 18 salas no Centro Cirúrgico, 9 no Centro Obstétrico, 2 de Delivery room e 4 de pré-parto, totalizando 43.000m². ZONEAMENTO: A zonificação do edifício em dois blocos separa a maternidade da parte clínica e médica, com suas funções de trabalho e apoio comuns conjugadas : centro de materiais cirúrgicos e obstétricos; UTIs adulto e neonatológica; conforto médico e de enfermagem; mezanino administrativo e grande &quot;Lobby&quot; térreo, com locais de estar, recepções da maternidade e do hospital, anfiteatro, restaurante e espaço ecumênico.  Fonte: http://www.zanettini.com.br/hop_saoluiz.html
    58. 58. ESTRATÉGIAS SUSTENTÁVEIS CONSTRUA VERDE TOPOGRAFIA Projeto explorou a tipografia sem alterar muito o terreno; ORIENTAÇÃO SOLAR: Estudo avançado do posicionamento do edifício e aberturas; USO DE ESPAÇOS INTEGRADOS: cobertura, praça superior central, varandas dos apartamentos, espaços de estar e convivência ajardinados, além da área verde resultante da ILUMINAÇÃO E VENTILAÇÃO NATURAIS: farta iluminação e ventilação naturais com significativa economia de energia. As varandas representam espaços de mediação climática entre o exterior e os ambientes interiores aprazíveis Fontes: http:// www.zanettini.com.br/hop_saoluiz.html & http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/siegbert-zanettini-hospital-sao-23-07-2008.html
    59. 59. ESTRATÉGIAS SUSTENTÁVEIS CONSTRUA VERDE ESTRUTURA & TECNOLOGIA COM ECONOMIA tecnologia limpa: grandes vãos de acessos em concreto armado; heliponto, passarelas de ligação entre os blocos, marquises lateral e do pronto socorro e cobertura do restaurante metálicos; ESQUADRIAS: fachada glazing curva no restaurante, com vidros laminados duplos translúcidos de seis milímetros e câmara de 20 milímetros, onde estão instaladas 60 persianas ScreenLine. Perfis de alumínio leves. REVESTIMENTO EXTERNO: Alumínio e ACM Fontes: http:// www.zanettini.com.br/hop_saoluiz.html & http://www.arcoweb.com.br/arquitetura/siegbert-zanettini-hospital-sao-23-07-2008.html
    60. 60. <ul><li>O QUE VIMOS: </li></ul><ul><li>1- Sustentabilidade & Aquecimento Global </li></ul><ul><li>2- Porquê Arquitetura e Construção Sustentáveis? </li></ul><ul><li>3- Sistemas de Certificação de Green Buildings </li></ul><ul><li>4- Projeto Sustentável </li></ul><ul><li>5- Estudos de Casos </li></ul>CONSTRUA VERDE 1 2 3 4 5
    61. 61. “ If you want to go quickly go alone. If you want to go far, go together” Se você quer ir rápido, vá sozinho. Se você quiser ir longe, vá junto. Provérbio Africano CONSTRUA VERDE OBRIGADA!
    62. 62. PERGUNTAS CONSTRUA VERDE
    63. 63. <ul><li>CONTATO: </li></ul><ul><li>Web: </li></ul><ul><li>www.construaverde.com.br </li></ul><ul><li>E-mail: </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>Twitter: </li></ul><ul><li>@ConstruaVerde </li></ul><ul><li>Linkedin: </li></ul><ul><li>Ana Lúcia Richter Dreyer </li></ul><ul><li>Telefones: </li></ul><ul><li>+55 11 3564-7476 </li></ul><ul><li>+55 11 82644022 </li></ul>CONSTRUA VERDE
    64. 64. <ul><li>REFERÊNCIAS: </li></ul><ul><li>MENDLER, Sandra. The Hok Guide for Sustainable Design. 2nd Edition. New Jersey: Wiley, 2006. 459p. </li></ul><ul><li>USGBC. New Construction and Major Renovation version 2.2. Reference Guide . 3rd Edition, 2007. USGBC. </li></ul><ul><li>MACAULAY, David R. Integrated Design . First Edition. Bainbridge Island: Ecotone Publishing, 2008. 261p. </li></ul><ul><li>Kellert, Stephen R. et all. Biophilic Design . First Edition. New Jersey: Wiley, 2008. 390p. </li></ul><ul><li>GORE, Al. Our Choice . First Edition. New York: Melcher Media, 2009. 420 p. </li></ul><ul><li>McDONOUGH, Willian. Cradle to Cradle . New York: Melcher Media, 2002. </li></ul><ul><li>www.usgbc.org </li></ul><ul><li>http://cfpub.epa.gov </li></ul><ul><li>http://www.wbcsd.org </li></ul><ul><li>http://www.gbci.org/ </li></ul><ul><li>www.revistasustentabilidade.com.br </li></ul><ul><li>http://www.green-e.org/ </li></ul><ul><li>http://www.portaldoarquiteto.com/ </li></ul>CONSTRUA VERDE

    ×