Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas

on

  • 1,535 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,535
Views on SlideShare
1,535
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
27
Comments
1

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas Lei de destruição livro dos espíritos – perguntas Presentation Transcript

  • Lei de destruição Livro dosEspíritos – perguntas. 746 a 765
  • Prece por um criminosoSenhor, Deus de misericórdia, não repilas esse criminoso que acaba de deixar a Terra. A justiça dos homens ocastigou, mas não o isentou da tua, se o remorso não lhe penetrou o coração.Tira-lhe dos olhos a venda que lhe oculta a gravidade de suas faltas. Possa o seu arrependimento merecer de tiacolhimento benévolo e abrandar os sofrimentos de sua alma! Possam também as nossas preces e a intercessão dos bons Espíritos levar-lhe esperança e consolação; inspirar-lhe o desejo de reparar suas ações más numa nova existência e dar-lhe forças para não sucumbir nas novas lutas em que se empenhar! Senhor, tem piedade dele! Prece contida na obra “O Evangelho Segundo o Espiritismo
  • O Assassínio Culposo Doloso Legítima defesa Estado de necessidade Na Guerra“Deus é justo, julga mais pela intenção do que pelo fato” L.E. Perg.747
  • Caridade para com os criminosos Evang. Segundo o Esp. Cap. XI, item 14“Brevemente, quando os homens forem levados à prática das verdadeirasleis de Deus, esses ensinamentos não serão mais necessários, e todos osEspíritos impuros serão dispersados pelos mundos inferiores, de acordo comas suas tendências. Deveis a esses de que vos falo o socorro de vossas preces: eis averdadeira caridade. Não deveis dizer de um criminoso: “É um miserável;deve ser extirpado da Terra; a morte que se lhe inflige é muito branda parauma criatura dessa espécie”. Não, não é assim que deveis falar! Pensai novosso modelo, que é Jesus. Que diria ele, se visse esse infeliz ao seu lado?Havia de lastimá-lo, considerá-lo como um doente muito necessitado, e lheestenderia a mão. Não podeis, na verdade, fazer o mesmo, mas pelo menospodeis orar por ele, dar-lhe assistência espiritual durante os instantes queainda deve permanecer na Terra. O arrependimento pode tocar-lhe ocoração, se orardes com fé. É vosso próximo, como o melhor dentre oshomens. Sua alma, transviada e revoltada, foi criada, como a vossa, para seaperfeiçoar. Ajudai-o, pois, a sair do lamaçal, e orai por ele.”
  • CrueldadeL.E. perg. 752. Pode-se á ligar o sentimento de crueldade ao instinto dedestruição? A crueldade é o que tem de pior no instinto de destruição. Adestruição constitui uma necessidade. Mas, o mesmo não se dá com acrueldade, que é sempre resultado de uma natureza má. A crueldade é consequência do atraso no desenvolvimento dosenso moral. Tanto no homem cruel como nos selvagens, embora opossuam, o senso moral se encontra em estado rudimentar. À medida quevão desenvolvendo este senso, neutralizam os instintosmateriais, tornando-se bons e humanos
  • Crueldade O Bem e o mal629 Que definição se pode dar à moral?– A moral é a regra do bem proceder, ou seja, a que permite distinguir entre obem e o mal. Ela é fundada sobre o cumprimento da lei de Deus. O homemprocede bem quando faz tudo para o bem de todos porque, então, cumpre a leide Deus.630 Como se pode distinguir o bem e o mal?– O bem é tudo o que está conforme a lei de Deus; o mal, tudo o que é contrário.Assim, fazer o bem é proceder conforme a lei de Deus; fazer o mal é infringir essalei.631 O homem tem, por si mesmo, meios de distinguir o bem do mal?– Sim, quando crê em Deus e de fato quer saber porque Deus lhe deu ainteligência para distinguir um do outro.632 O homem, sujeito ao erro como está, não pode se enganar no julgamento dobem e do mal e acreditar que faz o bem quando, na realidade, faz o mal?– Jesus disse: “o que quereis que os homens vos façam, fazei-o também vós aeles”. Tudo está aí resumido. Vós não vos enganareis.
  • O Progresso da HumanidadeA transição para o planeta de regeneração.Com o progresso da humanidade, os espíritos em quem aindadomina o instinto do mal irão desaparecendo gradualmente. Masrenascerão sob outros invólucros, com mais experiência, que o farãocompreender o bem e o mal.À exemplo das plantas e dos animais, que o homem conseguiuaperfeiçoar, desenvolvendo neles novas qualidades, estes espíritostambém progredirão. Serão necessárias, contudo, muitas geraçõespara que esse desenvolvimento se torne completo. (L.E perg. 756)
  • O duelo – Evang. Segundo o Esp. Cap III, item 12 “Amigos, lembrai-vos deste preceito: Amai-vos uns aosoutros, e então, ao golpe do ódio respondereis com um sorriso, e ao ultraje com o perdão. O mundo sem dúvida se erguerá furioso e vos chamará de covarde: erguei a fronte bem alta e mostrai, então, que a vossafronte também não recearia ser coroada de espinhos, a exemplo do Cristo, mas que a vossa mão não quer participar de um assassinato autorizado, podemosdizer, por uma falsa aparência de honra, que nada mais é senão orgulho e amor próprio.” Santo Agostinho
  • Pena de MorteDefender a pena de morte é se opor a tudo o que nos ensina adoutrina Espírita:1. Imortalidade da alma;2. Evolução dois espíritos3. Perdão4. Poder transformador da educação5. Todos nós merecemos uma segunda chance!
  • O espiritismo é o melhor remédio para a violência! Estude a Doutrina Espírita!