Your SlideShare is downloading. ×
6ª Tarefa,2ª Parte
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

6ª Tarefa,2ª Parte

176

Published on

Published in: Technology, Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
176
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. COMENTÁRIO CRÍTICO DE REFERÊNCIAS À BE EM AMOSTRA DE RELATÓRIOS DE AVALIAÇÃO EXTERNA Na leitura dos relatórios por mim analisados pude constatar que há muito trabalho para fazer e muito a mudar no que se refere à inclusão da auto-avaliação da BE na auto-avaliação da escola/agrupamento. Não posso dizer que fiquei muito surpreendida, pois nunca fui solicitada para elaborar qualquer documento/relatório a apresentar à inspecção, nem a minha presença foi solicitada nas entrevistas com os inspectores… Penso que tal não tem a ver com o trabalho desenvolvido por mim e pela equipa que chefiava, a quem é reconhecido valor pelos órgãos dirigentes, mas por algum desconhecimento da verdadeira missão da BE e pela falta de enquadramento que esta teve ao longo dos anos. Há doze anos que coordeno a BE da minha escola, agora agrupamento, e sempre cumprimos as orientações que nos eram dadas pela RBE, que sem dúvida se referiam quase exclusivamente à promoção da leitura. Custa-me um bocado pensar que durante tanto tempo nos queixássemos da falta de orientação e de enquadramento e que de repente tenhamos que por em prática um modelo que estamos a tentar digerir, mas que leva o seu tempo a operacionalizar de uma maneira que a todos sirva: que mobilize toda a escola, que a integre em todas as suas vertentes, e que sirva, por consequência, para a avaliar interna e externamente. Causou-me alguma estranheza que, mesmo em escolas/agrupamentos que foram considerados em vários aspectos muito bons, a BE seja referida apenas quando são elencados os projectos de orientação ou apoio institucional a que aderiram, PNL, PAM, RBE … complementos de oferta educativa, ou para dizer que “constitui um espaço agradável”. A título de exemplo, no relatório da IGE do Agrupamento de Escolas de Nogueira, Braga, em que a BE tem há muitos anos uma força e um papel de reconhecidíssimo valor, (com uma coordenadora incansável, cujo trabalho eu bem conheço), apenas é referido que é de destacar a “envolvência do agrupamento em projectos e actividades formativas, designadamente PNL, PAM e criação e dinamização da BE, sendo de resto os primeiros no concelho de Braga funcionando em rede com a BM” … No relatório do Agrupamento Vertical Afonso Betote, de Vila do Conde, encontrei uma referência mais alargada, que mesmo assim só alegava que “a BE, com ligação à RNBE, responde às múltiplas e distintas necessidades dos alunos, sendo considerada pelos mesmos como espaço de eleição”. Talvez não venha a propósito desta reflexão, mas gostaria de dizer que o meu espírito crítico, sempre muito activo, não me impede de julgar que é de toda a pertinência um modelo de avaliação para a BE que, bem enquadrado e enquadrando as múltiplas facetas da escola, dê sentido a todo o nosso trabalho. Mas penso ter o direito de me indignar quando tenho que, em dias, conhecer, reflectir e levar à prática o que poderia e deveria ter feito ao longo de todos estes anos. Uma formação atempada e bem- feita às equipas que gerem as bibliotecas é essencial, mas também as direcções das escolas necessitam dela urgentemente, bem como todos os que têm a missão de avaliar os serviços que prestamos, para que tudo faça sentido e não se torne mais um pesadelo burocrático. Ana Silva DREN 8

×