Your SlideShare is downloading. ×
0
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Tarefa 1
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Tarefa 1

529

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
529
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1.  ReflexãoA escola contemporânea tem novos contornos enovos desafios. Nas escolas existem as primeirasgerações que cresceram com o comando à distâncianuma das mãos e o rato na outra, os chamadosnativos digitais ou geração digital, que estão arevolucionar os conceitos de ensino, deaprendizagem e de conhecimento.
  • 2. A Web, meio por excelência para a construção deconhecimento, interface de encantos edesencantos, permite repensar e construir novasformas de comunicar e ter acesso rápido e flexívelà informação, para aprender e conhecer.Esta modalidade de fazer conhecimento coloca oaluno no centro da sua própria aprendizagem eexige novas competências às escolas, bibliotecas,docentes e professores bibliotecários.
  • 3. A Web 2.0 pode então ser definida, como dizCarlos Pinheiro e João Paulo Proença, como umanova atitude e como uma nova forma de aspessoas se relacionarem com a internet,possibilitando a interação e a conexão por meiode comunidades de utilizadores, que criamconteúdos e avaliam os que encontram,resultando numa atividade coletiva, uma espéciede cérebro global.
  • 4. O conceito de web 2.0 também se disseminou àsbibliotecas, como não podia deixar de ser, tornando-asem biblioteca 2.0, termo concebido por Michael Casey,em 2005, sinónimo de uma nova postura de intervençãoe interação, contextualizada com a web 2.0. Maness(2006) aponta algumas características que definem aBiblioteca 2.0 na sua ação perante os utilizadores: Aparticipação do utilizador na criação de conteúdos, adisponibilização de serviços e coleções comcomponentes multimédia, a interação social (síncrona eassíncrona) e a inovação ao serviço da comunidade.
  • 5. Na sequência do que foi referido e acrescentando avelocidade com que as alterações tecnológicas seprocessam e se diluem no tempo (novas webs),torna-se imperioso, e ao mesmo tempo um grandedesafio, quer para a escola, quer para as bibliotecas,dar respostas atualizadas aos utilizadores, que sãoexigentes, sequiosos e que são os principaisportadores das novidades tecnológicas, nas escolas.
  • 6. As bibliotecas, para se aproximarem do modelo debiblioteca 2.0 precisam de melhorar os seus serviços,responder às necessidades dos utilizadores; propornovos serviços para angariar novos utilizadores,implicar e envolver os utilizadores e a comunidade,oferecer serviços multimédia atrativos e facilitadoresde interação.As bibliotecas, todos os dias, têm de fechar uma portae abrirem uma nova, não podem cristalizar ou parar notempo, necessitam de acompanhar o desenvolvimentotecnológico, a par e passo, sob pena de ficaremobsoletas, pouco atrativas e não corresponderem àsexpectativas dos seus utilizadores.
  • 7. Para conseguir que uma biblioteca responda a estesobjetivos, David Lee King, bibliotecário de Topeka &Shawnee County Public Library, apresentou uma teoriaa que chamou “as ondas da biblioteca 2.0”. Kingbaseou-se nas ondas que uma pedra cria ao cair numlago e explicava, desta forma gráfica, a transformaçãode uma biblioteca tradicional numa biblioteca 2.0. Cadaelo crescente da forma gráfica significava a evolução eo enriquecimento das bibliotecas, usando para o efeitoferramentas da web 2.0, tais como: motores de busca,bases de dados on line, correio eletrónico, blogues,conversas digitais, vídeos, podcasting, média, redessociais, wikis, etc.
  • 8. Em suma, as bibliotecas, para se tornarem embibliotecas 2.0, precisam de dar passos largos naaplicação das ferramentas 2.0, investir na formação equalificação dos recursos humanos existentes, centrara sua ação no utilizador e nos seus interesses,desenvolver a literacia digital, potenciar ambientesdigitais de aprendizagem, promover a interação e aconstrução coletiva de conteúdos, definir políticas decriação de novas ferramentas, novas formas dedisponibilização da informação, novos ambientes decontacto com o público, alargar a coleção a novosformatos, transformar o espaço da BE num ponto deacesso a documentos fora de portas.
  • 9. A biblioteca escolar é a pedra basilar do conhecimentoe cabe-lhe a séria tarefa de incentivar, acompanhar eapoiar a escola na mudança, enquadrando-se,plenamente, no contexto da sociedade doconhecimento atual e na constante revoluçãotecnológica.http://www.youtube.com/watch?v=6VcxMjUIF50

×