Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão


           Conhe...
Conhecimento na área                                                       Biblioteca escolar

                           ...
Conhecimento na área                                                       Biblioteca escolar

                           ...
Conhecimento na área                                                         Biblioteca escolar

                         ...
Conhecimento na área                                                      Biblioteca escolar

                            ...
Conhecimento na área                                                             Biblioteca escolar

                     ...
Conhecimento na área                                                           Biblioteca escolar

                       ...
Conhecimento na área                                                     Biblioteca escolar

                             ...
Conhecimento na área                                                        Biblioteca escolar

                          ...
Conhecimento na área                                              Biblioteca escolar

dinamizador de espaços              ...
Conhecimento na área                                              Biblioteca escolar

terá que fazer tudo isto,
contribuin...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

1º Tarefa 1

604

Published on

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
604
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

1º Tarefa 1

  1. 1. Tabela matriz a utilizar para a realização da 1ª parte da tarefa, conforme indicações do Guia da Sessão Conhecimento na área Biblioteca escolar Aspectos críticos que a Literatura Desafios. Acções Domínio Pontos fortes Fraquezas Oportunidades Ameaças identifica a implementar -Professor -Interiorização do motivado e importante papel disponível (ser do professor professor - Fazer formação bibliotecário nesta bibliotecário foi nas áreas onde se mudança de uma opção sua; sente um maior paradigma. -Gestor de ponderada, défice. - Traçar um plano colecções. deliberada com -Formação RBE -Perder-se no de acção coerente, -Ausência de -Gestor de base numa - Partilha de meio de tantas exequível, com formação em espaços. portaria saberes, solicitações a que etapas bem algumas áreas - Ser passivo. devidamente experiências com tem que dar definidas que específicas -Papel focado em esclarecedora). os demais resposta. responda às (tratamento Competências do tarefas rotineiras -Existência de professores- -Incorrecta exigências documental...) professor bibliotecário e burocráticas. uma portaria onde bibliotecários. compreensão do colocadas, não -Dificuldade em - Falta de são elencados os - Criação de um verdadeiro papel desperdiçando definir reconhecimento aspectos espírito de grupo do professor- tempo e esforços. prioridades de por parte dos seus fundamentais. que comunga das bibliotecário por - Baseada nas acção. pares. - Atribuição das mesmas parte dos evidências, 35 horas. inquietudes, professores. contribuir -Sensibilidade da expectativas, definitivamente Direcção anseios e que ao para a construção Executivo para a mesmo tempo se do conhecimento. importância do ajuda. papel do professor- bibliotecário. Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  2. 2. Conhecimento na área Biblioteca escolar -Espaço agradável, acolhedor e apelativo. - Criação -Clara definição /reformulação de das zonas documentos funcionais. -Inexistência de orientadores no - Existência de alguns seio da equipa, regras claras de documentos com a Direcção e utilização das -Optimizar os orientadores em Conselho diversas áreas. serviços da fundamentais. Pedagógico. -A gestão da -Horário/acesso, Biblioteca, - Ausência de - Possibilidade colecção não é durante todo o - Escassez de garantindo um formação dos elementos da feita de acordo período lectivo. tempo. serviço de especifica dos equipa com as - Empréstimos -Incorrecta qualidade, elementos da frequentarem Organização e Gestão da necessidades mas (sala de aula e distribuição de baseado acima de equipa (docentes acções de BE sim do números domiciliários) tarefas pelos tudo na gestão da e não docentes). formação na área. de livros apoiando elementos da informação e não -Instabilidade da -Conseguir uma adquiridos e dos definitivamente as equipa. apenas na gestão equipa (em anos equipa estável, recursos gastos. actividades dos dos espaços. de concurso). pelo menos professores em - Ausência de durante os quatro sala de aula e verbas adstritas à anos do concurso contribuindo para Biblioteca para a de docentes, a criação de gestão corrente da coincidente com hábitos de mesma. os quatro anos do leitura). professor- - Equipa bibliotecário. multidisciplinar, disponível, atenta, colaboradora e coesa. Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  3. 3. Conhecimento na área Biblioteca escolar - Reforço e -Dificuldade em -Fazer uma -Ter que começar -Promover Gestão da Colecção renovação da gerir a colecção. melhor gestão da tudo de novo, sessões de colecção (verbas -Ausência de uma colecção introduzindo trabalho com os RBE e PNL) politica definindo uma todos os livros no representantes das documental política novo programa. diversas áreas do -Pouca documental para a - Escassez de saber a fim de colaboração dos Biblioteca. tempo. conseguir um Coordenadores -Apresentar uma trabalho das várias áreas colecção mais colaborativo na para a correcção adequada. gestão da de alguns -Corrigir os colecção da desequilíbrios. desequilíbrios. Biblioteca. -Apesar do - Envolver os - Desenvolver desbaste Coordenadores estudos de efectuado dos vários opinião de forma aquando da Departamentos na a poder ir ao abertura da selecção do encontro não só biblioteca, a material a das necessidades colecção ainda adquirir. dos alunos mas não se revela -Formação no também dos seus suficientemente Porbase através gostos e adequada. da coordenação preferências. -Ainda se verifica inter-concelhia e -Formação em o desequilíbrio da Biblioteca Porbase para os entre as várias Municipal. elementos da áreas do saber. -Correcção de equipa. - Desequilíbrio possíveis falhas -Criação do entre o material no tratamento catálogo apresentado nos documental. informatizado no vários suportes. Porbase. -Existência de material livro e Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  4. 4. Conhecimento na área Biblioteca escolar não-livro incorrectamente classificado. -Substituição do programa informático existente sem saber da possibilidade de “transporte” da base de dados para o novo programa. - Instalação do programa Porbase com consequente ausência de formação para trabalhar no mesmo. A BE como espaço de - Biblioteca vista -Presença do -A comunicação -Criação de -A carga horária - Optimizar os conhecimento e como um espaço professor- ainda não é verdadeiros dos professores, canais de aprendizagem. Trabalho onde se bibliotecário no completamente momentos/espaço cada vez mais comunicação. colaborativo e articulado armazenam Conselho eficaz. Ainda se s de partilha, pesada e -Reforçar a com Departamentos e colecções. Pedagógico. perde alguma planificação burocrática. colaboração da docentes. -Espaços de lazer -Presença do informação. execução de -Poder entender- Biblioteca com os e acesso à professor- - O trabalho actividades de se a equipa da vários docentes. informação e não bibliotecário no colaborativo apoio ao Biblioteca e as -Organizar acções de construção de grupo de trabalho ainda é desenvolvimento actividades formais e conhecimento. responsável pela insuficiente. do currículo. propostas como informais com os elaboração do - Os professores -Melhorar mais uma carga docentes das Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  5. 5. Conhecimento na área Biblioteca escolar Projecto ainda não /reforçar o papel de trabalhos. diferentes áreas Educativo do interiorizaram a da Biblioteca no apresentando-lhes Agrupamento. Biblioteca como apoio à formas de -Participação do um local construção do tratamento das professor- privilegiado de conhecimento. diversas áreas bibliotecário em aprendizagens. -Incrementar um temáticas. reuniões de -A Biblioteca verdadeiro -Divulgação junto Departamento ainda tem que trabalho dos docentes dos para planificação lutar pelo seu colaborativo. recursos de actividades a papel. existentes na desenvolver. bibliotecas e das suas potencialidades. -Organizar os diferentes recursos por áreas temáticas, oferecendo-os aos docentes como mais-valias no processo ensino- aprendizagem. -Dinamização de actividades na Biblioteca com fins pedagógicos, contribuindo para a compreensão da Biblioteca como um valioso recurso na construção do Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  6. 6. Conhecimento na área Biblioteca escolar saber e nos apoio às aprendizagens. Formação para a leitura e -Pouca -Sessões de -Alunos pouco -Motivar alunos, -Ausência de -Criação de para as literacias preocupação em formação de motivados para a professores e pais expectativas dos comunidades motivar para a utilizadores para leitura. para a leitura. pais relativamente leitoras que leitura e as professores e -Ambientes à biblioteca. contemplem literacias. alunos no início familiares onde a alunos, -Os recursos do ano lectivo. leitura é pouco professores e pais. existem na -Sessões de valorizada. -Sessões de Biblioteca, a trabalho para as -O trabalho sensibilização motivação para a turmas na realizado no para pais sobre a sua utilização não biblioteca a âmbito do PNL importância da é tarefa do pedido do precisa ainda de leitura e do livro. professor- professor. um maior -Participação em bibliotecário. -Sessões de investimento. concursos trabalho -Colecções de diversos, dinamizadas pela livros insuficiente nomeadamente o Biblioteca por sua relativamente ao Campeonato iniciativa. número de turmas Nacional de -Sessões de existentes. Leitura. leitura na - Biblioteca no âmbito do PNL. - Circulação das colecções do PNL pelas diversas turmas do agrupamento. -Estímulo ao empréstimo domiciliário com Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  7. 7. Conhecimento na área Biblioteca escolar vista à promoção da leitura. -Divulgação das aquisições da Biblioteca estimulando a sua utilização. -Iniciativas como o livro do mês; passaporte de leitura; o leitor do trimestre, etc. BE e os novos ambientes -Inadequada - Equipamento -Acesso a - Divulgação e -Incorrecta -Incentivar a digitais. utilização dos moderno , informação de exploração, junto utilização dos formação dos recursos. adequado e em qualidade dos professores, recursos elementos da número duvidosa. das existentes. equipa na área da suficiente. -Dificuldade em potencialidades literacia da - Ligação em filtrar a das novas informação. rede, fibra óptica, informação tecnologias. -Promover wireless, acesso adequada ou não - Formar os sessões de rápido. a cada utilizador. alunos no sentido trabalho com os -Criação do blog -Recurso não- de uma correcta professores na da Biblioteca. livro ainda pouco utilização das área da literacia - utilizado pelos novas de informação. professores nas tecnologias. -Elaborar guias de práticas lectivas. -Fomentar nos pesquisa para os - Formação alunos o espírito alunos. insuficiente em crítico, selectivo, TIC da equipa da criterioso no Biblioteca. acesso à Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  8. 8. Conhecimento na área Biblioteca escolar - Desconhecimento das potencialidades das novas tecnologias ao serviço da aprendizagem. informação. -Alunos que gostam de explorar estes novos recursos mas não o fazem correctamente. Gestão de evidências/ -Ausência de -Modelo de Auto- -Instrumentos de -Com base na -Burocracia de -Reformular avaliação. evidências. avaliação das registo que se análise das todo o processo. instrumentos de -Ausência de Bibliotecas. revelam evidências, fazer registo de forma a avaliação e de - incompletos para uma auto- uma melhor reflexão sobre o uma correcta avaliação e gestão das trabalho gestão de corrigir os pontos evidências. desenvolvido com evidências. fracos, fortalecer -Aplicar vista à melhoria. os fortes. questionários, -Aferir inquéritos. procedimentos -Promover uma com o objectivo verdadeira auto- de uma mais avaliação com correcta gestão vista a uma das evidências. melhoria. -Sistematização -Divulgar a de procedimentos. avaliação junto das várias Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  9. 9. Conhecimento na área Biblioteca escolar estruturas do Agrupamento. -O resultado da avaliação terá inevitavelmente reflexo na redefinição do Plano de Acção da Biblioteca. Gestão da mudança SÍNTESE Factores de sucesso Obstáculos a vencer Acções prioritárias Nesta mudança de - Bibliotecários disponíveis, - Enraizamento da “velha”visão -Definição de um Plano de Acção paradigma, o papel do motivados e qualificados. daquilo que é uma Biblioteca. tendo em conta a análise dos professor-bibliotecário -Sensibilidade da Direcção Executiva - Incorrecta percepção do papel do resultados e as necessidades dos assume uma importância para a importância da Biblioteca professor-bibliotecário. utilizadores da Biblioteca centrado na extraordinária. Escolar e do seu papel. -Múltiplas solicitações. construção do conhecimento e na De mero gestor de - Espaços agradáveis, acolhedores e melhoria das aprendizagens. colecções, pouco ou nada bem apetrechados. -Optimização dos serviços prestados. interventivo, zelador de - Colecções renovadas e actualizadas. -Implementação do trabalho uma espaço silencioso e -Espaço dinâmico de acesso à colaborativo entre todos os austero, onde as grandes informação nos vários suportes. intervenientes. colecções se depositavam -Partilha de experiências entre os -Informatização do catálogo no e guardavam a sete vários professores-bibliotecários. Porbase. chaves, o professor- -Ajuda do gabinete da RBE através -Assinatura do protocolo com a bibliotecário passou a das coordenadoras inter-concelhias. autarquia (SABE). gestor de produtos e -Parcerias. -Fazer uma gestão de qualidade, com serviços de informação, base nas evidências e na auto- Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  10. 10. Conhecimento na área Biblioteca escolar dinamizador de espaços avaliação. activos de aprendizagem, -Actuação planificada, sistemática e proporcionador de e qualidade com vista à satisfação de verdadeiros momentos de todos os utilizadores da Biblioteca construção do Escolar. conhecimento, com intervenção directa nos resultados dos alunos, responsável por disponibilizar a professores e alunos a informação em tempo real e oportuno nos mais diversos suportes, capaz de dar resposta às várias solicitações, indo de encontro aos interesses e necessidades de toda uma comunidade educativa. Ele é o responsável, líder de uma equipa multidisciplinar que mexe com a escola, que funciona como uma alavanca que faz gerar situações de aprendizagem marcantes, significativas, nas mais diversas áreas do saber e adaptadas aos diversos níveis de ensino. O professor-bibliotecário Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  11. 11. Conhecimento na área Biblioteca escolar terá que fazer tudo isto, contribuindo definitivamente para a construção das aprendizagens dos alunos, influenciando os seus resultados, de uma forma evidente, clara, comprovada, demonstrada por factos. Nesta mudança de paradigma, será importante lembrar Ross Todd, as nossas Bibliotecas devem ser”Knowledge space, not information space; Connections, not collections; Actions, not positions; Evidence, not advocacy.” Maria de Fátima Lopes Silva Correia – BE/CRE Luciano Cordeiro, Mirandela
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×