Trbalho de ciencias pn

1,780 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,780
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Trbalho de ciencias pn

  1. 1. PARQUE NACIONAL DA PENEDA-GERÊS
  2. 2. O QUE É UMA ÁREA PROTEGIDA?  Espaço geográfico definido e gerido através de meios legais ou outros identicamente eficazes, com o objectivo de conservar ao longo do tempo a Natureza através dos serviços associados ao ecossistema e aos valores culturais. Área protegida na legislação portuguesa  A legislação portuguesa utiliza a designação de Área Protegida, para definir uma zona limitada em que qualquer intervenção humana está condicionada e sujeita a regulamentos específicos tendo em conta a sua protecção ambiental. Áreas protegidas de Portugal
  3. 3. LOCALIZAÇÃO  O Parque Nacional da Peneda-Gerês é o único parque nacional de Portugal.  Situa-se no extremo nordeste do Minho, estendendo-se até Trás-os-Montes, desde as terras da Serra da Peneda até à Serra do Gerês – daí a sua designação.  A sua área total é de cerca de 70.290 hectares.  O Parque Nacional da Peneda-Gerês é considerado pela UNESCO como Reserva Nacional da Biosfera.  É uma das maiores atracções naturais em Portugal, devido à enorme beleza da sua paisagem, variedade da fauna e da flora contando com cerca de 240 espécies de fauna vertebrada identificadas e 1100 de flora Logotipo do Parque Nacional da PenedaGerês
  4. 4. FACTORES ABIÓTICOS CARACTERÍSTICOS DO GERÊS  A região do Gerês é essencialmente constituída por rochas graníticas, embora hajam também xistos e depósitos sedimentares;  Tem um nível de precipitação acentuado;  Amplitudes diurnas moderadas  A natureza do relevo, as variações de altitude e as influências atlântica, mediterrânica e continental reflectem-se na grande variedade do coberto vegetal: matos, carvalhais e pinhais, bosques de bétula ou vidoeiro, abundante vegetação , linhas de água, campos de cultivo e pastagens.
  5. 5. SERES VIVOS CARACTERÍSTICOS DA REGIÃO Espécies características deste Parque Nacional: Corça ou corço – Este é um mamífero da família dos cervídeos( animais angulados artiodáctilos e ruminantes como o veado, corça, alce,etc…)  São considerados os mais pequenos cervídeos da Europa.  A cor da sua pelagem altera ao longo do ano.  As galhadas presentes apenas nos machos, são utilizadas numa interacção intra-específica, a competição quando disputam pela fêmea durante a época de reprodução, no Verão.
  6. 6. FAUNA CARACTERÍSTICA DO GERÊS Outra das espécies típicas do Parque Nacional da Peneda Gerês é:  O Garrano – Esta é uma raça de equídeos bastante antiga.  Por ser mais pequeno do que um cavalo comum é considerado um Pónei.  A cor castanha, as crinas e rabadas de cor preta são algumas das características deste animal.  - Das espécies vegetais que fazem parte da alimentação dos Garranos podemos destacar: o tojo, a giesta, a carqueja, a silva e leguminosas que aparecem nos pastos das montanhas.
  7. 7. FAUNA CARACTERÍSTICA DO GERÊS(CONTINUAÇÃO)  O Lobo-Ibérico- É um lobo de cor acinzentada que habita maioritariamente a região norte de Portugal.  A época do acasalamento inclui o final do inverno e o inicio da primavera (fevereiro a março). Após um período de gestação de 2 meses nascem entre 3 e 8 crias, os lobachos, cegos e desprotegidos  Aos 10 anos já são considerados velhos, contudo em cativeiro chegam a viver até aos 17 anos.  A alimentação deste tipo de lobo é bastante variada, sendo as sua principais presas: o javali, o corço e o veado. Sempre que pode é necrófago, aproveitando assim os cadáveres.  O lobo-ibérico vive numa alcateia de forte organização hierárquica
  8. 8. SERES VIVOS TÍPICOS DO GERÊS Para além dos seres vivos terrestres temos também seres vivos que habitam os cursos de água das montanhas ou dos planaltos, tais como:  A truta-do-rio : Este peixe tem uma característica muito especial, se as águas onde este se encontra não forem limpas, cristalinas , frescas e bem oxigenadas, a truta não sobrevive. É por isso um peixe característico dos rios das montanhas.  É carnívoro e alimenta-se principalmente de insectos e outros peixes. A toupeira de água : É um animal semiaquático que vive em rios e ribeiros , construindo os seu habitat nas margens.  A salamandra lusitânica: É um anfíbio e quando é atacada pode soltar a cauda por autotomia, regenerando-a depois. Os adultos preferem zonas junto a ribeiros de água corrente de zonas de montanha onde haja vegetação e rochas cobertas de musgo. Durante a época mais seca, migram para refúgios estivais, como barragens e minas abandonadas, onde se dá a reprodução.
  9. 9. SERES VIVOS AQUÁTICOS TÍPICOS DO GERÊS Podemos agora ver algumas imagens dos seres vivos aquáticos que habitam o Parque Nacional do Gerês. Salamandra lusitânica Truta do rio Toupeira da água
  10. 10. SERES VIVOS CARACTERÍSTICOS DO GERÊS Para terminar temos as aves rapinas, que também fazem parte da fauna existente no Parque Nacional Peneda-Gerês.  As aves de rapina são aves carnívoras com características semelhantes, como bicos recurvados e pontiagudos, garras fortes e visão com longo alcance.  As aves de rapina são ágeis na captura de seus alimentos tais como: grandes artrópodes, peixes, anfíbios, pequenos mamíferos e pequenas aves.  Contudo cada ave de rapina está adaptada para caçar um tipo de animal.  As aves de rapina mais típicas do gerês são: a narceja, a águia-real, o bufo-real, etc…
  11. 11. SERES VIVOS CARACTERÍSTICOS DO GERES Duas das aves rapinas características do Parque Nacional da Peneda Gerês são :  Águia -real - Esta ave de rapina alimenta-se de tarântulas, morcegos, pássaros, ratos, entre muitos outros seres vivos… A época de reprodução inicia-se em meios de Janeiro e prolonga-se até maio- Setembro, podendo variar de acordo com a zona geográfica onde habitam. A águia-real é uma espécie que necessita de ser conservada visto se encontra em extinção.  Falcão-abelheiro – A sua dieta consiste principalmente em larvas, pupas ,insectos, vespas, vespões e abelhões. É uma espécie monogâmica de duração sazonal. Ambos os progenitores cuidam das crias até estas serem adultas (as crias são nidícolas).
  12. 12. FLORA CARACTERÍSTICA DO GERÊS Mostramos agora algumas imagens da flora do Parque Nacional do Gerês: Teixos – árvore típica das terras altas de Portugal. É venenosa, logo não se deve comer as suas folhas.
  13. 13. FLORA CARACTERÍSTICAS DO GERÊS Lírio-do- Gerês Esta é uma das espécies do Gerês que se encontra em vias de extinção Carvalho alvarinho- É característico do Gerês. É uma árvore de folha caduca que se desenvolve em lugares húmidos
  14. 14. HABITATS DO GERÊS No Parque Nacional do Gerês podemos observar vários habitats característicos desta Área Protegida, entre os quais se destacam:  O Carvalhal - Consiste numa floresta mista de árvores de folha caduca e folha persistente onde podemos encontrar espécies emblemáticas da flora, como o azevinho e a orquídea, e da fauna, como o corço, a víboras de- seoane e a víbora – cornuda.  Os bosques ripícolas, com a existência do teixo, do amieiro, do freixo e do feto-do gerês, mas também da lontra, do lagarto-de – água, da salamandra lusitânica ou do sapo –parteiro.  As turfeiras e os matos húmidos – Estes são habitats raros e frágeis, que se desenvolvem em solos encharcados, propícios á existência de bolas-dealgodão, da orvalhinha, entre muitos outros seres vivos.
  15. 15. PORQUE DEVEMOS CONSERVAR ESTA ÁREA PROTEGIDA?  O Parque Nacional da Peneda Gerês é o único parque nacional que existe em Portugal, logo é fundamental que este seja conservado. Para que haja conservaçã0 desta área protegida não devemos: introduzir espécies exóticas, explorar intensivamente os recursos naturais, destruir habitats ou causar poluição.  O Parque Nacional da Peneda Gerês serve de habitat para cerca de 240 espécies de fauna vertebrada identificadas no território e 1100 de flora e conta ainda com 500 lugares de interesse arqueológico e histórico.  Neste parque nacional encontram-se espécies em vias de extinção, tais como: a águia-real, o garrano e o lírio do Gerês.
  16. 16. AMEAÇAS A QUE ESTA ÁREA PROTEGIDA ESTÁ SUJEITA As principais ameaças a que esta área protegida está sujeita são:  Incêndios florestais (que tem como consequência por exemplo a destruição de habitats)  Pressão turística (concentração excessiva de visitantes em determinadas regiões, realização de algumas actividades desportivas mais ‘agressivas’ para a natureza)  Construção de infra-estruturas de produção de energia (parques eólicos e barragens);  Abertura de estradas que provocam a fragmentação de habitats;  Caça furtiva;  Destruição de habitats, destruição da vegetação autóctone e expansão de espécies exóticas infestantes, como a mimosa:
  17. 17. IMPACTO DO SER HUMANO NESTA ÁREA PROTEGIDA  O impacto do ser Humano está relacionado com os incêndios florestais, que têm frequentemente origem humana, seja por negligência ou intencionalmente. Por outro lado, o risco de um grande incêndio florestal pode também resultar do desaparecimento de algumas práticas da população que reside no Parque: se a população residente , que está a diminuir, não mantiver algumas das suas actividades, como o uso das lenhas, a limpeza das matas, o risco de grandes incêndios aumenta.  A presença humana e actividades económicas tradicionais (agricultura, pastorícia, apicultura) são importantes para a conservação de muitos outros valores naturais.
  18. 18. FIM TRABALHO REALIZADO POR: -ANA RITA, Nº1 -INÊS FIGUEIREDO,Nº11 -MANUEL MENDES,Nº17 -MARIANA PARRINHA,Nº19 8ºH

×