Revista Consciência Ampla 6ª edição

684 views
646 views

Published on

Published in: Education, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
684
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
39
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revista Consciência Ampla 6ª edição

  1. 1. R E V I S T A A sua revista Ampla sobre responsabilidade socioambiental ano 2 I out • nov • dez 2010 I nº 6 Prontos para o futuro Consciência Ampla Oportunidade capacita jovens para o exercício da cidadania e o ingresso no mercado de trabalho Confira entrevista especial com Marisa Chaves, fundadora da ONG Movimento de Mulheres – pág. 4 Conheça também a experiência do Canal Futura que usa o poder da mídia em favor da educação – pág. 5
  2. 2. O compromisso de uma empresa com sua comunidade não se limita a patro- cinar projetos sociais. Para a Ampla, a educação é a base, o solo fértil, de um futuro sustentável. Por meio do programa Consciência Ampla, investimos na educação para o consumo consciente de energia. A reportagem de capa desta edição fala do Consciência Ampla Oportunidade – que tem a missão de transformar jo- vens em cidadãos participativos e pre- parados para a vida e o mercado de trabalho. Apenas o conhecimento pode levar as pessoas a descobrirem e trabalharem Expediente Publicação trimestral da Ampla. Criação e produção – Marketing Ampla: Denise Monteiro (Mtb.:21407), Erika Millan, Patricia Gismonti e Pryscila Civelli; Projetos Sociais Ampla: Aladia Guerino, Cristiane Baena, Felipe Conti, Gislene Ro- drigues e Katia Ramos; Colaboração – Comunicação Externa e Responsabilidade Social Ampla: Janaína Vilella, Ana Paula Caporal e Beatriz Stutzel; Reportagem – Ademir Veroneze, Isabela de Assis, Júlia Lomba, Maíra Gonçalves, Sânia Motta e Mariana Gouvêa. Coordenação Editorial: Julia Lomba e Sânia Motta. Edição – Eliane Levy de Souza. Projeto Gráfico e Diagramação: Casa do Cliente Comunicação 360º. Fotos: Ampla, Banco de Imagem Casa do Cliente e João Salamonde. pelo que realmente faz a diferença. Isso significa assumir uma postura mais responsável e solidária em nosso dia a dia. É esta a mensagem que você vai conferir nas páginas de nossa edição de fim de ano. Um feliz Natal e um ótimo 2011! Diálogo ............................................... 3 Programe-se......................................... 3 Transparência....................................... 3 Caso de Sucesso................................... 4 Cara a Cara .......................................... 5 Capa .................................................... 6 Em Foco............................................... 9 Fique por Dentro................................ 10 Rede do Saber.................................... 11 Dicas.................................................. 12 Divirta-se............................................ 12editorial Educação, caminho para sustentabilidade índice ‘Apenas o conhecimento pode levar as pessoas a descobrirem e trabalharem pelo que realmente faz a diferença‘ Uma boa leitura! Marcelo Llévenes Responsável pela Ampla e pela Endesa Brasil
  3. 3. Escreva você também! Envie sua mensagem por e-mail para consciencia@ampla.com, ou deixe seus comentários em nosso blog oficial, onde você pode ter mais informações sobre nossos projetos: www.ampla.com/blogconscienciaampla. Também estamos no Twitter. Quer rece- ber dicas sobre o consumo consciente, se- gurança, direitos e deveres? Então siga o Consciência Ampla em www.twitter.com/ conscienciampla. Se preferir, envie uma carta para Rua Nilo Peçanha 546, São Gonçalo, RJ, CEP: 24445-360, aos cuida- dos da Equipe de Projetos Sociais Ampla. Por questão de espaço, os comentá- rios podem ser resumidos. CIDADE DATA Rio das Ostras 4/10 Angra dos Reis 18/10 Maricá 25/10 Teresópolis (Ampla em Ação) 8/11 Cachoeira de Macacu 16/11 Cabo Frio 22/11 Arraial do Cabo 29/11 Saquarema 6/12 Macaé 13/12 Como a energia chega até sua casa? Fique por dentro por meio de um veículo que vai até você CIDADE DATA Itaperuna 23/10 Resende 13/11 Niterói 27/11 Brincadeiras e oficinas que atraem toda a família. Uma oportunidade para se cadastrar nos programas da Ampla Grandes nomes da música, litera- tura e do cinema reunidos em um festival de educação e cultura, que a Ampla oferece a você CIDADE DATA Angra dos Reis 4 a 7/11 São Gonçalo 18 a 21/11 Teresópolis 2 a 5/12 As datas e horários podem sofrer alterações. Em caso de dúvida, entre em contato pelo e-mail consciencia@ampla.com Papel reciclável de origem certificada diálogo “Fiquei interessada na oficina de artesa- nato com materiais reciclados, oferecida pela Ampla em São Gonçalo, em parceria com a Casa Amarela. A reciclagem é mui- to importante, mas ainda é pouco divul- gada no Rio de Janeiro.” Márcia Regina “A revista Consciência Ampla tem tudo a ver com o projeto ‘Meio ambiente quem faz é a gente’, que estou desenvolvendo junto com a equipe pedagógica da Escola Municipal Adolpho Beranger Júnior, em Arraial do Cabo.” Andreia Luisa Cordeiro Ramos Medeiros “O mais importante é cuidarmos do nosso planeta. Temos que parar de gastar tanta energia elétrica.” Tainara de Assis Carreiro, 11 anos programe-se A boa atuação em práticas sustentáveis ren- deuàAmplaoprimeirolugarnoranking2010 do Questionário Ethos-Abradee – item mais importante do Prêmio Abradee de Respon- sabilidade Social, conferido às companhias de energia elétrica do país. Em cinco anos, a Ampla saiu da 21ª posição para conquistar a liderança na avaliação geral da empresa e nos temas Governo/Sociedade, Meio Ambiente, Ampla: referência em boas práticas de responsabilidade socioambiental transparência Manejo de Resíduos e Fornecedores. A empresa atribui essa conquista às ações realizadas pelo Comitê de Res- ponsabilidade Socioambiental que atua nas diversas áreas da companhia. Dentre es- sas ações se destaca o programa Consciência Ampla, que desde seu início, em 2004, já be- neficiou mais de 1,3 milhões de pessoas com todos os projetos sociais da empresa. Alguns membros do Comitê de Responsabilidade Socioambiental da Ampla 3
  4. 4. Papel reciclável de origem certificada caso de sucesso Vocação para o trabalho social Dividir seus conhecimentos com as crian- ças e jovens é uma missão para George André da Costa, facilitador do Consciência Ampla Futuro. O sociólogo, formado pela Universidade Federal Fluminense (UFF), tem experiência em educação comunitária e ações sociais em várias instituições do estado do Rio, e desde fevereiro de 2009 trabalha no projeto da Ampla. A vocação de George para o trabalho social começou na época da faculdade. “Tinha vontade de colaborar para o desenvolvim- ento das pessoas. Sempre fui sensível às rela- ções humanas e mantenho uma consciência crítica em relação à sociedade”, conta ele. George coleciona passagens por projetos diferentes na área social. Trabalhos em cursos de qualificação profissional com jo- vens, levantamentos socioeconômicos em comunidades, pré-vestibular comunitário e até a participação em projetos de alfabetiza- ção de detentos. Mas o que mais o marcou foi uma palestra do Consciência Ampla Futuro que realizou em Rio das Ostras – no fim, todas as cri- anças da plateia foram abraçá-lo e beijá- lo. “Vou levar isso para sempre. Ali, meu trabalho provou seu valor. Abracei a ideia do projeto e, quando a gente acredita no que faz, colhe os frutos”, lembra. E George acredita que contribui para a educação dos jovens com sua visão de mundo. “A gente pode mudar nosso comportamento em relação ao meio ambiente. Mostro às cri- anças que consumo consciente traz mais qualidade de vida.” “Mostro às crianças que consumo consciente traz mais qualidade de vida” George Papel reciclável de origem certificada4
  5. 5. Papel reciclável de origem certificada cara a cara Marisa Chaves Mulheres organizadas em favor dos direitos sociais Criada em 1989, a organização não-governamental Movimento de Mul- heres – com sede em São Gonçalo (RJ) – surgiu no momento em que o sexo femi- nino lutava para fazer valer seus direitos, assegurados pela Constituição Federal de 1988. Desde então, a instituição conquis- ta espaço atuando de forma ainda mais abrangente em favor dos direitos humanos em geral, com projetos em defesa de crian- ças, adolescentes e mulheres, além da as- sistência a grupos especiais, como os que convivem com o vírus HIV. A organização também promove cursos de formação de lideranças e oferece capacitação para jovens nas áreas de direitos humanos e de eletricidade de baixa tensão, além de prepará-los para o vestibular. Por tudo isso, tem exercido um importante papel de transformação social. Nesta entrevista exclusiva, Marisa Chaves, fundadora do Movimento de Mulheres, fala sobre o Con- sciência Ampla Oportunidade, trabalho da Ampla em parceria com a ONG. Quando foi firmada e como aconteceu a par- ceria com a Ampla? Marisa: A parceria começou em 2006, quando nossas equipes técnicas e de vo- luntários foram convidadas a realizar ofici- nas e palestras nos bairros em que o Proje- to Consciência Ampla atua, sobretudo em regiões com altos níveis de vulnerabilida- de social. A parceria veio se fortalecendo e, em 2009, celebramos nosso primeiro contrato formal. A ONG é importante tanto para as mulheres, que começam a atuar como eletricistas, quan- to para os homens, que precisam lidar com essa nova realidade. Como a instituição trab- alha esse aspecto comportamental? Marisa: O Movimento de Mulheres está fun- damentado no debate acerca das relações entre os gêneros, sobretudo em nossa socie- dade, tão marcada pelo patriarcado e pelo racismo. Nesse sentido, cabe à entidade provocar a discussão sobre a divisão sexual no trabalho para que as mulheres ocupem espaços em áreas tradicionalmente masculi- nas. A entrada desse público na área da ele- tricidade contribui para que todos revejam seus valores e conceitos, reproduzidos ainda hoje pela cultura machista. Por isso, temos promovido um debate sobre os papéis so- ciais buscando evitar que mulheres sejam expostas a situações de violência doméstica. De que forma a ONG contribui para a ‘qualifi- cação social’ dos participantes do projeto? Marisa: Cabe ao Movimento de Mulheres auxiliar em todas as etapas do processo, desde a divulgação do projeto, passando pelas entrevistas individuais para conheci- mento do perfil do aluno, pela montagem das turmas e, principalmente, pelo acom- panhamento psicossocial e pedagógico dos jovens. Temos ainda a função de pro- porcionar debates sobre direitos humanos, ética, cidadania, segurança no trabalho, senso de equipe e colaboração, além de estimular os alunos a terem uma postura mais solidária e empreendedora. ‘Proporcionamos debates sobre direitos humanos, ética, cidadania, segurança no trabalho, senso de equipe e colaboração’ Papel reciclável de origem certificada Para contatar o Movimento de Mulheres, acesse www. movimentomulheressg.com. br ou ligue para (21) 2606-5003 ou 2606-7263. Saiba mais sobre o projeto Consciência Ampla Oportunidade nas páginas 6, 7 e 8. Leia a continuação desta entrevista na versão on-line de Consciência Ampla www.job360.com.br/caraacara6 5
  6. 6. Papel reciclável de origem certificada Investir no jovem é construir o futuro Receber um diploma traduz o sentimento de dever cumprido, de uma etapa concluída. Portanto, representa o início de uma vida nova. A possibilidade de trilhar novos ru- mos inspira os alunos do projeto Consci- ência Ampla Oportunidade. Uma de suas principais frentes é o curso de eletricistas – que formou mais uma série de jovens em 23 setembro, Dia do Consciência Ampla, no polo de São Gonçalo. Fruto de sólidas parcerias, o Consciência Ampla Oportunidade é realizado pela Am- pla em conjunto com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Gon- çalo (Senai) e a ONG Movimento de Mu- lheres de São Gonçalo. Juntos, eles levam esperança e oportunidade para jovens en- capa tre 18 e 30 anos de comunidades dos mu- nicípios de Magé, Itaboraí, São Gonçalo e Duque de Caxias. De acordo com Ricardo Bomfim, analista de Projetos Sociais da Am- pla, o principal objetivo do projeto é ofere- cer oficinas de preparação profissional para a inserção no mercado de trabalho. “De- senvolvemos o aluno para que conquiste o primeiro emprego. Por isso, as aulas ofe- recem noções básicas de comportamento para uma entrevista de emprego, ensinam a postura adequada em dinâmicas de grupo e trabalham alguns valores da empresa para que ele crie uma identidade com a Ampla e, futuramente, seja uma força de trabalho in- teressante para nossas parceiras”, ressalta. E adianta: “Cerca de 70% dos estudantes da úl- tima turma de eletricistas estão empregados.” Sentimento de dever cumprido toma conta do auditório no prédio da Ampla em São Gonçalo 6
  7. 7. Papel reciclável de origem certificada Passo a passo para ingressar no projeto Os alunos chegam ao Consciência Ampla Oportunidade por meio de indicações da rede de lideranças comunitárias e das escolas públicas. A intenção é integrar os jovens nas oficinas de conscientização, com lições de ci- dadania, ética e valores humanos oferecidas pelo Movimento de Mulheres. Quando o aluno manifesta interesse pelo curso, é con- vidado a participar de um processo seletivo para eletricista. Durante cinco meses do pro- grama, em aulas ministradas por professores do Senai, os alunos são capacitados para a profissão”, explica Katia Ramos, coordenado- ra do Consciência Ampla Oportunidade. Caso o jovem prefira se inscrever em outras atividades, seu currículo é encaminhado a um banco de dados para uma nova opor- tunidade, seja nas instituições parceiras (veja boxe Parceria reconhecida) ou mesmo na Ampla. Entre as funções oferecidas estão as de leiturista e de agente comunitário, ou car- Parceria reconhecida A participação e o envolvimento das parceiras no Consciência Ampla Oportunidade garantem o sucesso final do projeto – a empregabilidade e a geração de renda. Até a formatura das últimas turmas do curso de ele- tricista, em setembro, cerca de 70% dos alunos já estavam em- pregados com a confiança e o apoio de empresas como a In- dica Serviços, a Personal Service, a Inovare, a JVP e a Provider. gos nas áreas administrativa, de atendimento comercial e de call center”, completa Katia. Primeiro emprego: início de uma nova realidade Para a coordenadora, a conquista da primei- ra vaga no mercado de trabalho vai além da satisfação pessoal do jovem. “O emprego representa uma transformação na história do aluno: é o início da realização de seus sonhos, de uma nova perspectiva e, claro, mais uma fonte de renda para a família. A qualidade de vida dos integrantes aumen- ta, e esse jovem se torna referência para os irmãos. Enfim, o programa representa tam- bém o resgate social da família”, enfatiza. Formando cidadãos para a vida Mais do que qualificar profissionais e contri- buir para a geração de renda, o Consciência Ampla Oportunidade forma cidadãos capa- zes de agir de forma ética e respeitosa na sociedade. Essa capacitação fica a cargo do Movimento de Mulheres de São Gonçalo, que há 21 anos trabalha em defesa dos direi- tos das mulheres e contra as desigualdades e discriminações sociais. Por exemplo, nas oficinas do curso de eletricista – realizadas uma vez por semana sob a orientação de assistentes sociais (que também fazem o acompanhamento social dos jo- vens durante o curso de eletricista) –, os alunos desenvolvem trabalhos sobre os direitos humanos. Time afinado garante o sucesso do projeto Gislene Katia Ricardo Coral Mané Garrincha abre evento de formatura dos eletricistas 7
  8. 8. Papel reciclável de origem certificada Assista à reportagem do Jornal Nacional na versão on-line de Consciência Ampla em www.job360.com.br/capa6 Para Marisa Chaves, fundadora do Mo- vimento de Mulheres de São Gonçalo, a ONG contribui para o projeto criando um ambiente capaz de fazer o jovem rever con- ceitos, valores e mitos que a sociedade re- produz, muitas vezes por falta de acesso ao conhecimento. “Ao fim do curso, os jovens firmam um compromisso com a sociedade, conscientes de que podem contribuir para a construção de uma realidade mais justa e igualitária”, enfatiza. Eric Nascimento, 21 anos, um dos alunos que acaba de se formar como eletricista, é referência para muitos jovens. Foi pela in- dicação de um líder comunitário que ele conheceu os projetos sociais da Ampla e passou a integrar a equipe da distribuidora como agente comunitário, compartilhan- do com seus vizinhos noções de consumo consciente. Após dois anos surgiu uma chance de ele participar da ca- pacitação para eletricista, e o menino, cheio de determi- nação, seguiu em mais um objetivo: “O curso foi um sonho e, ao mesmo tem- po, um desafio. Moro em Santa Cruz da Serra, distrito de Duque de Caxias, e o des- locamento até Magé era demorado. Mas quando eu chegava na aula, via que o esforço valia a pena. Conhe- ci todo o processo de produção de energia, desde a geração ao consumo consciente. Hoje, além de ter uma profissão, tenho muito mais cultura”, destaca. Cada programa contribui para con- solidar a política de responsabilidade social da Ampla. De acordo com Gisle- ne Rodrigues, Responsável por Projetos Sociais, a empresa está aprimorando suas práticas em busca do equilíbrio entre as questões sociais, econômicas e ambientais. “Com as ações realizadas, estamos atuando em favor de nossos clientes e da socieda- de. Por isso, são bem-sucedidos programas como o Consciência Ampla Oportunidade, que beneficiam as comunidades apostan- do em seus jovens, ao mesmo tempo em que investem na qualificação dos serviços prestados, em sintonia com os princípios e valores da Ampla”, conclui. Na mídia O Consciência Ampla Oportuni- dade foi notícia no Jornal Na- cional, da Rede Globo, em 17 de setembro. Na reportagem, o telejornal entrevistou uma das beneficiadas pelo projeto, registrando a contribuição da concessionária para atender a uma importante demanda do país ao oferecer cursos profis- sionalizantes. A capacitação de eletricistas também ganhou repercussão em outros veículos de comunicação. As vagas ofer- ecidas pelo projeto foram divul- gadas nos sites O Globo Online e O Extra Online, e nos jornais O Povo, Meia Hora, O Fluminense, O Terminal e Empregos e Estágios. Emoção dos formandos contagia o público Jovens participam do curso de eletricista 8
  9. 9. Criado para formar, na rede pública, crian- ças e jovens multiplicadores do consumo consciente de energia elétrica e recursos na- turais, o projeto Consciência Ampla Futuro traz uma novidade este ano: uma gincana promovida, em caráter piloto, em 22 esco- las de São Gonçalo e Rio das Ostras. A pro- posta é que cada um dos cinco professores de cada instituição, capacitados pela equipe do projeto, mobilize grupos de 40 alunos para atividades relacionadas aos temas meio ambiente, cidadania e uso racional de ener- gia elétrica. A meta é envolver aproximada- mente 4.400 estudantes. Fica a critério de cada professor definir como os assuntos serão abordados. Ele pode, por exemplo, incentivar a coleta seletiva de lixo, criar um blog ou promover uma série de pa- lestras. “A partir dessa primeira experiência, conseguimos perceber possíveis ajustes que possibilitem levarmos a gincana a outras ins- tituições”, observa Cristiane Baena, especia- lista em projetos sociais. Os trabalhos serão avaliados pela equipe do Consciência Ampla Futuro, que vai levar em conta critérios como caráter coletivo e cria- tividade das ações. “Como o grupo partici- pou da capacitação dos educadores para o projeto, pode observar melhor a evolução e o envolvimento da escola”, acredita Cristia- ne. O resultado será divulgado em abril de 2011 e, como prêmio, o professor ganhará um netbook. Despertando as novas gerações O Consciência Ampla Futuro acontece des- de 2004 e é desenvolvido em três etapas: na primeira, de capacitação dos profissio- Gincana educativa em foco Papel reciclável de origem certificada nais de ensino, uma equipe – que reúne pessoas com formações diversas, como dois sociólogos, uma professora de língua portuguesa, um tecnólogo em Gestão Ambiental e outro em Recursos Humanos – apresenta aos educadores (cinco por es- cola) propostas para trabalharem os temas do projeto em sala de aula. “Procuramos apontar sugestões como, por exemplo, in- serir o assunto ‘utilização responsável dos recursos naturais’ em diferentes disciplinas, como matemática, história e/ou geogra- fia”, observa Cristiane. As escolas partici- pantes também recebem um kit didático do Procel, que inclui vídeos, livros e jogos que ficam no acervo da instituição, po- dendo assim ser utilizado e ter suas informações multiplicadas por toda a comunidade escolar. Em um segundo momen- to, 90 alunos por escolas participam de oficinas, desenvolvidas por profis- sionais da empresa capa- citados pelo Procel, sobre o consumo consciente de energia elétrica – tema trans- versalizado por questões como ética, cidadania e meio ambiente. Na terceira e última fase do projeto ofere- cemos oficinas culturais: aos alunos capa- citados diretamente crianças de 6 a 9 anos assistem a uma peça, enquanto alunos de 10 a 17 anos participam de uma oficina em quadrinhos – ambos sobre o uso responsá- vel da energia elétrica. O Consciência Am- pla Futuro deve capacitar 500 professores de escolas municipais e estaduais entre ju- nho deste ano e junho de 2011. Alunos e professores empenhados no uso consciente de energia elétrica 9
  10. 10. Papel reciclável de origem certificada A Ampla tem feito investimentos significa- tivos para atender cada vez melhor os clientes. Cerca de R$175 milhões es- tão sendo destinados à capacita- ção dos colaboradores em ações preventivas, à aquisição de no- vos equipamentos e à poda de árvores, entre outras iniciativas do Plano de Qualidade lançado pela Diretoria Técnica. O pro- jeto deve reduzir as horas que as unidades consumidoras ficam sem energia (traduzido pelo indicador DEC) e o número de interrupções no for- necimento (FEC). A meta é não ultrapassar 9,1 horas e sete interrupções, respectiva- mente. “É fundamental atuar de forma preventiva. Es- tamos trabalhando para dotar nossa infraestrutura de recursos suficientes para atendermos bem o cliente”, afir- ma André Moragas, responsável pela Diretoria de Relações Institu- cionais e de Comunicação. “Além da manutenção preventiva, o plano contempla uma iniciativa que prepara a empresa para atuar com mais habilidade em situações emergenciais: o treinamento de equipes de diferentes áreas para realizarem o atendi- mento em casos de contingência. Os profis- sionais aprendem funções operacionais que fogem de suas atividades do dia a dia, como o manuseio de chave de fusíveis e a retira- da de galhos e objetos estranhos da rede”, acrescenta Albino Motta, responsável pela Diretoria Técnica. Mas não é apenas em situações emergen- ciais que as equipes trabalham de maneira integrada. A qualidade do fornecimento de energia e a satisfação dos clientes no longo prazo também são prioridades do projeto Ampla em Ação. Levando um mutirão de serviços comerciais, técnicos e ações sociais que fazem parte do programa Consciência Ampla a várias cidades, a iniciativa aproxima a empresa das associações de moradores, escolas, instituições comunitárias e prefeitu- ras locais, além da população diretamente beneficiada. “Houve casos em que os cli- entes foram beneficiados por mais de uma ação. Com isso, observamos que quando levamos vários projetos juntos para uma mesma localidade, temos uma resposta mais positiva do cliente”, conta Pryscila Civ- elli, Responsável pela área de Marketing. Neste ano, foram realizadas três edições do Ampla em Ação, beneficiando as comuni- dades de Angra dos Reis, Petrópolis e São Gonçalo. Confira os resultados no quadro A energia positiva do Ampla em Ação. Qualidade em primeiro plano Colaboradores da Ampla atuam com medidas preventivas para garantir um serviço de qualidade Projeto Consciência Ampla sobre rodas educa as crianças sobre o uso consciente de energia elétrica Voluntários reformam creches nas comunidades Conheça os principais investimentos do Plano de Qualidde em www.job360.com.br/fiquepordentro6 fique por dentro Aenergiapositiva doAmplaemAção São Gonçalo Angra dos Reis Petrópolis Número de colaboradores envolvidos 242 150 129 Pessoas beneficiadas pelos projetos do Consciência Ampla 3.156 3.548 4.579 Índice de aprovação do cliente antes e depois do Ampla em Ação 71,9% e 75%, respectivamente 67% e 70%, respectivamente 80% e 92%, respectivamente 10
  11. 11. Papel reciclável de origem certificada Todos os dias, cerca de 37 milhões de te- lespectadores assistem ao canal Futura em busca de aprimoramento, apoio para ações sociais e informações sobre meio ambien- te. Em 13 anos de existência, a emissora se tornou uma referência para educadores e mostrou que a mídia pode contribuir, e muito, para a disseminação do conheci- mento. Mais: provou que aprender pode ser a maior diversão. “A criação de programas acessíveis e de qualidade para a população é a nossa mis- são”, esclarece Mônica Pinto, gerente de Desenvolvimento Institucional da Funda- ção Roberto Marinho. O Futura trabalha em conjunto com organizações que pro- duzem conhecimento de ponta nas mais diversas áreas – saúde, meio ambiente, educação, gestão e cultura – e procu- ra apresentar os conteúdos por meio de recursos de comunicação simples e atra- entes. “Temos sempre de tomar cuidado para não pesarmos demais em aspectos que tornem os programas muito profun- dos ou institucionais, pois isto afasta o pú- blico”, pondera Mônica. Muito mais do que levar as pessoas a absor- verem as mensagens veiculadas, o Futura procura despertar sua curiosidade e seu sen- so crítico. “Queremos que elas se apropriem do conteúdo apresentado e o multipliquem a partir de um olhar próprio”, explica Mônica. Para atingir esse objetivo, o canal lança mão de recursos narrativos que provocam inquie- tação e emocionam como histórias reais de anônimos e famosos, ani- mações e pitadas de humor. Tudo sempre muito bem embalado por boas trilhas sonoras e vinhetas criativas. Outra iniciativa que costuma dar bons resultados é a produção de programas em parceria com jovens, comunidades, ONGs, universidades e inicia- tiva privada. “Participamos de uma grande rede articulada para produzir e disseminar conteúdos. A parceria com a Ampla, por exemplo, vem reforçar nosso compromisso com a preservação ambiental, uma das de- mandas mais urgentes da sociedade. Com a exibição de uma série inédita de vídeos animados, esperamos contribuir para que crianças e pais repensem, de forma positiva, seu padrão de consumo de energia e con- tribuam para a sustentabilidade do nosso planeta”, aposta. Com base em sua experiên- cia em comunicação, a executiva garante que o produtor de conteú- do jamais pode achar que sabe tudo. Segundo ela, a ten- tativa de transmissão de conhecimento fracassa quando esses profissio- nais deixam a curiosi- dade e a criatividade de lado e se esquecem que “todos têm coi- sas a dizer, a ouvir e a aprender”, afirma. Mídia e educação, parceria nota 10 rede do saber Mônica Pinto ‘A parceria com a Ampla, por exemplo, vem reforçar nosso compromisso com a preservação ambiental’ Leia mais em www.job360.com.br/rededosaber6 11
  12. 12. dicas Papel reciclável de origem certificada divirta-se Energia liberada em forma de calor 14ª letra (?)-mail, correio da internet Divisão de uma peça teatral Aquela que recebe aulas Prefixo de "desacor- do" Ao (?) livre: a céu aberto Grupo ao qual a Ampla pertence Cheiro agradável Dar; oferecer Convicção religiosa Fêmea do leão (?) eletrônico, aparelho com chip que mede o consumo de energia com mais segurança e confiabilidade O menos poluente dos com- bustíveis fósseis Penhasco; rochedo Nome da letra "H" Demorar Selo que indica que um eletro- doméstico possui um consumo econômi- co de energia Matéria orgânica (como lenha, bagaço de cana-de-açúcar e papelão) utilizada na produ- ção de energia Deixar o local Mas, em inglês 1.000, em romanos Tonelada (símbolo) Açucara- dos Consoan- te de "lua" Raio (abrev.) Hiato de "voo" (?) Mos- covis, ator Vogal do pingo Esse Alagoas (sigla) Estudar de novo Tipo de energia que provém do vento BANCO 3/but.5/ceder—rocha.6/procel.7/atrasar. • Direta • Caça-palavra© Revistas Coquetel Procure e marque, no diagrama de letras, as palavras da relação. ENERGIA • COMUNIDADE • TARIFAS • ELETRICISTA • PROJETOS SOCIAIS • EDUCAÇÃO • EQUIPAMENTOS • CONSUMO • SUSTENTABILIDADE • CONSCIENTIZAÇÃO www.coquetel.com.br • Solução TM R E LERAG A MDOCES EOLICAN FEDHA LEOABU T ERIR ATOARO MA PROC ELAL IDUS CEND ESA ATRASAR SUSTENTABILIDADE OÃÇACUDEE TQ ENERGIAAU RI CONSUMOIP FA ELETRICISTAAM SE PROJETOSSOCIAISN T COMUNIDADEO S OÃÇAZITNEICSNOC S U S T E N T A B I L I D A D E X V O Ã Ç A C U D E O N M P N E U Q O I Z Y S F T C N E N W I Q A E N E R G I A B A L L P Z Z U L Y Y V B T X Z C F R A O D S I X Y C O N S U M O L X I Z S I P X N D J D P B Z E A N P F D H A E L E T R I C I S T A O U A G M K I W J D Z P K N L N E M F S E P R O J E T O S S O C I A I S N F C J Y Y U E J Y X S F O E I T N O H C O M U N I D A D E D S O B N R P P S P T U X I E N F M S W O Ã Ç A Z I T N E I C S N O C D M R “Desligue as luzes natalinas ao se deitar ou sair de casa. Elas podem causar curto-circuito e provocar um incêndio. Tenha cuidado também ao fazer a iluminação em áreas externas. Certifique-se de que o lugar escolhido está longe das redes elétricas.” “Ao sair do cômodo, não esqueça de desligar o ventilador.” 12

×