Publicação Jovens de Responsa
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Publicação Jovens de Responsa

on

  • 2,387 views

A publicação “Jovens de Responsa: experiências e práticas em rede para prevenir o uso de bebidas alcoólicas por jovens menores de 18 anos” traz o resultado de quase três anos de trabalho da ...

A publicação “Jovens de Responsa: experiências e práticas em rede para prevenir o uso de bebidas alcoólicas por jovens menores de 18 anos” traz o resultado de quase três anos de trabalho da parceria entre Ambev e as 18 ONGs que integram o Programa Jovens de Responsa.
A Publicação reúne práticas que vem contribuindo na elaboração de políticas públicas relacionadas ao uso consciente de bebidas alcoólicas e que podem ser facilmente replicadas em diferentes locais.
O prefácio é do jornalista Gilberto Dimenstein, que faz uma análise de todo o trabalho realizado pelos Jovens de Responsa em suas respectivas comunidades. De acordo com especialista, a publicação se presta a um objetivo ainda maior do que disseminar as tecnologias sociais relacionadas ao tema do uso indevido de álcool. O livro é praticamente um guia para fazer do jovem um construtor de políticas públicas.

Statistics

Views

Total Views
2,387
Views on SlideShare
1,990
Embed Views
397

Actions

Likes
0
Downloads
44
Comments
0

8 Embeds 397

http://www.ambev.com.br 373
http://177.71.182.60 10
http://localhost 4
http://ambev-wordpress.herokuapp.com 4
http://ambev.com.br 3
http://ec2-54-232-16-219.sa-east-1.compute.amazonaws.com 1
https://www.facebook.com 1
http://ec2-54-207-188-98.sa-east-1.compute.amazonaws.com 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Publicação Jovens de Responsa Publicação Jovens de Responsa Document Transcript

  • 1
  • Iniciativa sumário Ambev Equipe: Alexandre Loures, Guilherme Mello, Milton Seligman, Ricardo Rolim e Rodrigo Moccia 04 PREFÁCIO - JOVEM NÃO É PROBLEMA. É SOLUÇÃO 06 INTRODUÇÃO - Rede Jovens de Responsa: formação de jovens Sistematização e conteúdo técnico Lynx Consultoria conscientes e de atitude Equipe: Alvaro Real, Bettina Grajcer, Bruna de Paula, Larissa Dantas e Stella Pereira de Almeida 10 ATIVIDADEs COM JOVENS - JOVENS DE RESPONSA 18 EVENTOS - BALADA SEM ÁLCOOL Produção de Conteúdo e Projeto Gráfico Associação Cidade Escola Aprendiz 26 BAR DE RESPONSA - IRREVERÊNCIA COM RESPONSABILIDADE Consultor: Gilberto Dimenstein Coordenação: Daniele Próspero e Marina Rosenfeld 34 Capacitação de educadores - a educação como ponto de partida Edição: Daniele Próspero 42 Ações de comunicação - Comunicação consciente Texto: Julia Dietrich e Paola Prandini Revisão: Bianca Justiniano e Camila Aragon 50 Avaliação Fotografia: Vitor Dragonetti Ilustração: Vinicius Savron 52 passo a passo Diagramação: Gláucia Cavalcante 60 Para saber mais Outubro de 2012 61 Rede Jovens de Responsa2 3
  • io facpre jovem não é problema. é solução Gilberto Dimenstein F requentemente, a grave problema do consumo abusivo de be- liópolis, uma comparação com um grupo de está num asséptico laboratório, mas numa comu- palavra jovem aparece bidas alcoólicas -, mas como gerador de uma controle a fim de medir o impacto das ações. nidade com toda a sua complexidade e vulnerabi- associada a problemas saída. Não apenas uma saída para suas vidas, O que se faz, em essência, é a criação lidade – o que exige ainda mais cuidado. na escola, no trânsito, na vio- mas de suas comunidades. de tecnologias sociais, capazes de serem Este livro é um guia dessas tecnologias lência, no emprego, no abuso Quem melhor para falar com o jovem do replicadas em qualquer lugar, desde que sociais inovadoras que, certamente, ainda de bebidas alcoólicas. Poucas que o próprio jovem, usando seus códi- adaptadas às peculiaridades locais. precisam evoluir, mas revelam um roteiro de coisas são mais graves no Brasil do gos? Jovens foram colocados diante do Usam-se as mais diferentes “iscas”- da soluções valiosas, algumas delas, inclusive, que a crise no ensino médio, marca- desafio de lidar com o tema da saúde pú- comunicação ao esporte, passando pela mú- em fase de disseminação pelo poder público. do pela evasão, repetência e desem- blica de diferentes comunidades vulnerá- sica. A partir dessas “iscas”, cria-se uma rede Como não poderia deixar de ser, esses proje- penho sofrível nas notas - e, aqui, se veis em regiões metropolitanas brasileiras. de parcerias, que formam o capital social – o tos transformam-se em roteiro de ação. juntam todos os problemas. São vidas São locais que, pela pobreza e violência, valor que se extrai da capacidade se os indi- Apesar de diferentes, as experiências trans- e perspectivas desperdiçadas. configuram-se em armadilhas. víduos trabalharem com metas comuns. mitem algumas lições comuns, como a habili- Por trás da visão negativa, não se percebe Apesar da escassez de recursos e abun- Tecnologia social é exatamente igual a dade de compor parcerias comunitárias, saber o jovem, especialmente o das periferias, como dância destas armadilhas, é possível ver, qualquer tecnologia. Passe-se um tempo comunicar uma ideia, ter educadores engaja- um protagonista de soluções, mas de gerador com clareza, os resultados dessa parceria num laboratório, onde uma ideia é testada dos que desenvolvam habilidades e, sobretudo, de encrencas. Espera-se que essa “fase” passe e, de jovens, educadores, comunidade, espe- e, depois, observada em pequena escala em o jovem como protagonista. então, aquele ser problemático se tornaria, enfim, cialistas em saúde pública, comunicadores, um projeto-piloto até ser disseminada. O tema aqui é o uso indevido de álcool. Mas um adulto razoável, equilibrado e construtivo. organizações não governamentais e a É um trabalho árduo, complexo, passível de a publicação se presta a um objetivo ainda Nesta publicação da Rede Jovens de Reponsa, o iniciativa privada. erros, que exige atenta observação. Muito do maior: como fazer do jovem um construtor de que vemos é justamente o contrário. Vemos o jovem Para evitar “chutes” e impressionismo, que se faz é descartado como em qualquer políticas públicas. não apenas como parte de um problema - e, aqui, o montou-se até mesmo, como no caso de He- experiência. A diferença aqui é que não se 4 5
  • o uca Rede Jovens de Responsa: formação de jovens conscientes e de atitude rodint S abemos que desde que Para atingir seu objetivo, o Programa Jovens que garantiu a implementação de um sistema Para auxiliar no planejamento e desenvolvi- o mundo é mundo, nas de Responsa conta com o conhecimento e a ex- em todas as lojas da rede no Brasil para impe- mento das ações, as organizações participam de mais variadas civilizações periência das organizações para desenhar estra- dir a venda para jovens sem comprovação da capacitações presenciais em grupo e recebem su- e culturas, as celebrações, festas, tégias preventivas eficientes. A cada ano, novas idade, além de formar mais de 15 mil frentes pervisões individualizadas, presenciais e à distância. cerimônias e rituais são marcadas organizações se agregam a esta rede. As ações de caixa da empresa sobre prevenção do con- Estas atividades garantem a uniformidade do em- pelo consumo de bebidas alcoólicas. tiveram início em 2010 com a participação de sumo indevido de álcool. basamento teórico da temática para que as ações O álcool ocupa lugar de destaque em quatro entidades, passando para dez no segundo Moral da história: é preciso desenvolver em rede estejam sempre alinhadas. São dezenas de nossa história social, sendo conside- ano e chegando a 18 organizações em 2012, loca- uma gama de ações integradas e com diversos iniciativas realizadas em cinco frentes de ação: rado, em diferentes épocas, medicação lizadas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, parceiros para conquistas efetivas de mudan- 1. Atividades com jovens - O objetivo é para diversos males, substância sagrada Bahia, Rio Grande do Sul e Minas Gerais. ça de cultura e cumprimento da legislação. É inserir o assunto nas atividades cotidianas das e valoroso alimento. Para o JR, um pressuposto básico das assim que a prevenção funciona! E funciona organizações, como: esportivas, oficinas de comu- É fato que o álcool tem funções atividades é o estabelecimento de parcerias e o muito bem: o NIDA (National Institute on Drug nicação, teatro, dança etc, permitindo que os jovens importantes para a humanidade. No trabalho em rede, pois iniciativas isoladas não Abuse), instituto de pesquisa do governo fede- adquiram conhecimentos sobre o tema, multipliquem entanto, se de um lado ele é benéfico, de costumam oferecer resultados efetivos nessa ral americano, afirma que a cada dólar inves- estas informações para seus pares, aumentem a sua outro, se não for usado com moderação, área. O consumo indevido de bebidas alcoólicas tido em prevenção, gera-se uma economia percepção de risco do consumo pode trazer problemas. Para minimizar tal é um problema complexo que exige, portanto, a de até 10 dólares em tratamento. Ou seja, e, portanto, se tornem aptos risco a proposta é investir na prevenção do mobilização de diversos atores, como indústria, estamos diante do conhecido ditado: “Prevenir a tomarem decisões com seu consumo indevido. governo e sociedade civil. é melhor que remediar!” maior responsabilidade. Atentas a esta importante temática, orga- Há diversos exemplos positivos de ações É por esse motivo que as organizações 2. Inserção do nizações sociais espalhadas pelo país apostam na sendo desenvolvidas, como a Lei nº 14.592 da Rede Jovens de Responsa apostam em tema em eventos criação de soluções simples e eficazes para pre- conhecida como “álcool para menores é proibi- projetos de prevenção criativos e com a cara - Organização de venir o uso de bebidas alcoólicas por adolescentes do”, sancionada pelo Governo do Estado de São da juventude. Esses projetos são planejados festas, concursos e menores de 18 anos. Estas organizações fazem parte Paulo em 2011, que passou a fiscalizar e multar pelas equipes gestoras das ONGs, e cada en- torneios em que os do Programa Jovens de Responsa (JR), uma iniciativa comércios que a desrespeitavam, e implantou tidade desenvolve a estratégia de prevenção jovens são incenti- fomentada pela Ambev e alinhada aos pressupostos um projeto de prevenção do consumo de álcool que melhor se adéqua a sua realidade local, vados a se divertir da Organização Mundial da Saúde (OMS), que preconiza voltado para jovens de escolas públicas. sempre utilizando o conhecimento e expertise sem o consumo de que a indústria participe da solução para prevenir o con- Outra ação neste sentido é a parceria esta- que já possuem, pois cada território conta com bebidas alcoólicas, sumo indevido de álcool. belecida pela Ambev com o Grupo Pão de Açúcar, saberes específicos aos seus contextos. além de divulgar 6 7
  • mensagens importantes sobre a temática para a 5. Ações de comunicação para prevenção tema do pilar à tona, apresentando sua vivência impacto positivo das ações preventivas. comunidade. do consumo indevido de bebidas alcoólicas - no Programa, a partir dos desafios e conquistas A nossa proposta é compartilhar os conheci- 3. Atividades com bares - Desenvolvi- Criação e divulgação de material informativo sobre em trabalhar a temática do consumo responsá- mentos e experiências para que possam ser facil- mento de estratégias e ações para conscientizar consumo consciente de álcool em bares e pontos vel em sua comunidade. mente replicados por outras organizações, escolas, e incentivar bares do entorno das organizações movimentados da comunidade, assim como notí- Você poderá conferir ainda dados de pes- educadores, programas de governos e cidadãos de Responsa a não venderem álcool para adoles- cias e informações sobre o tema, em programas de quisas e estudos sobre o assunto e acompanhar engajados com o seu entorno. centes com menos de 18 anos, assim como para rádio, fanzines, teatro, entre outros. o passo a passo de algumas atividades que são Seja você também um multiplicador de adultos que estejam alcoolizados. desenvolvidas pelas organizações, além da indi- responsa! 4. Capacitação para educadores e lideran- A grande “sacada” da Rede de Responsa é cação de outras práticas realizadas pela rede. Boa leitura! ças - São promovidos encontros de formação para fazer com que os atores locais destas comunidades Apresentamos ainda, neste livro, o resultado educadores com dinâmicas de grupo informativas sejam multiplicadores das mensagens de consumo de uma primeira avaliação realizada que mostra o e de sensibilização para auxiliar o desenvolvimento responsável, focando na prevenção. Por meio deste de estratégias de abordagem da temática em suas trabalho em rede, o Programa identifica e fortalece atividades, garantindo a efetividade do primeiro as melhores práticas, promovendo a troca de expe- pilar. O programa também trabalha com a formação riências e replicando os bons resultados alcançados de lideranças, educadores e mães com o objetivo pelas organizações. de torná-los multiplicadores das mensagens de Desta forma, seja pelas rodas de conversa, consumo responsável. passando pela produção de games interativos até as campanhas de conscientização dos donos de bares, desde a sua criação, o Jovens de Responsa conseguiu impactar milhares de jovens e tam- bém adultos das comunidades em que as ações Resultados são realizadas. Todas estas atividades são práticas preven- tivas inovadoras, simples e de baixo custo sendo, - 6033 jovens participantes em atividades diretas portanto, passiveis de replicação. Por isto, esta - 960 educadores e lideranças comunitárias publicação pretende estimular a divulgação das ex- capacitados periências já desenvolvidas com sucesso e inspirar - 500 bares sensibilizados novas práticas de “Responsa” no Brasil! - 39 mil participantes em eventos (festas, Para facilitar a leitura, a publicação foi organizada a partir dos cinco pilares que com- concursos, campeonatos e caminhadas põem o Programa Jovens de Responsa. Em cada comunitárias) capítulo, um personagem de destaque traz o - 900 mil pessoas impactadas por ações de comunicação (programas e spots em rádio, distribuição de materiais de comunicação etc) Período: maio 2010 a julho 2012 Jovens de Responsa: prevenção em cinco pilares8 9
  • ens jov com des ida jovens de responsa tiv 1: A De jovem para jovem: participantes do projeto Jovens Alconscientes levam conhecimento sobre o consumo de álcool ar aos moradores da comunidade de Heliópolis Pil No meio da comunidade de Heliópolis, região periférica da zona Sul da cidade de São Paulo, um grupo de jovens tem dado literalmente o que falar. E, diferente do que o senso comum pode achar, não é por uma algazarra que pode virar capa de jornal. Os olhares se voltam para eles pela ação pra lá de positiva. Com sede de transformação social, estes jovens transgridem, consciente- mente, as regras locais - onde beber é encarado como um há- bito normal por alguns adolescentes que habitam as redondezas de suas casas. Na contramão desse caminho, eles acreditam que é possível se divertir sem precisar beber e disseminam esta ideia para os quatro cantos da comunidade. Cintia Ribeiro e Fabíola da Silva, de 16 anos, e Gabriella Gonçalves de Sousa, de 17 anos, fazem parte deste grupo em que “atitude” já virou marca registrada: Jovens Alconscientes, projeto realizado pela UNAS (União de Núcleos, Associações e Sociedades de Moradores de Heliópolis e São João Clímaco), em parceria com o Programa Jovens de Responsa. A proposta é prevenir o uso indevido de álcool dentro da comunidade de Heliópolis a partir da participação ativa de jovens lideranças. Assim, a equipe10 11
  • Conheca este pilar A partir de jogos pedagógicos, rodas Nova maneira de viver de conversa ou oficinas de teatro e comunicação, o objetivo das atividades com os jovens é incentivar a prevenção do uso indevido de bebidas alcoólicas junto aos adolescentes que participam dos “É muito importante a participação de minha filha no Programa projetos desenvolvidos pelas organizações Jovens de Responsa. A Karina buscou um novo caminho, um novo parceiras do Programa Jovens de Responsa. entendimento, se tornou conselheira dos jovens da família. Inclusive, algumas mães conhecidas por nós chegaram a perguntar a ela sobre A ideia é também prepará-los para que se como poderiam fazer para prevenir que seus filhos ingerissem bebidas tornem multiplicadores deste conteúdo, alcoólicas antes dos 18 anos. Acho muito interessante a minha filha ter levando esta mensagem de forma positiva, se interessado em participar deste projeto. No mundo de hoje, em que aberta e com atitude, de jovem para jovem. os jovens se envolvem muito mais com o divertimento e o lazer apenas, ter uma filha que dedica parte de seu tempo ao desenvolvimento de uma sociedade melhor é ótimo. Sinto muito orgulho dessa iniciativa” Adriana Aparecida Checchia, 38 anos, mãe de Karina Checchia Miquelini, 22 anos, que atuou no Programa Jovens de Responsa pela Fundação Gol de Letra do projeto, formada por cerca de 20 jovens, participa de uma série de atividades, como oficinas de Comunicação, Leitura e Escrita e de Design Gráfico, para que possam elabo- rar campanhas e eventos de prevenção no bairro. Ser um jovem “alconsciente” é uma ção gráfica dos cartazes e dos materiais visuais que responsa cuidam de tudo: da organização, de ressignificar o consumo de bebidas alcoólicas por forma de mostrar que não ingerir bebidas usamos nas ações”, ressalta Fabíola. à criação dos materiais de comunicação adolescentes e jovens, prioritariamente, Cintia foi trazi- alcoólicas antes dos 18 anos é algo positivo Na Blitz, por exemplo, os jovens elaboram até a limpeza do local. Haja responsabili- da por Fabíola para participar das atividades da UNAS, e que apenas um jovem com muita atitude folders sobre o tema e saem pela comunidade para dade! Com isto, Cintia, Fabíola e Gabi, que há dois anos, e Gabriella já é velha frequentadora: faz poderia desempenhar tais atividades. conversar com moradores e até motoristas que pas- participam de todas as ações, assim como parte da organização desde os sete anos de idade. Cheio de criatividade, característi- sam por ali sobre a temática do consumo conscien- os colegas, já se tornaram referência sobre As três atuam juntas há um ano na empreitada ca marcante da juventude, e alinhado à te. Já o Festival Helipa Music acontece como forma o tema na comunidade. pelo consumo consciente de bebidas alcoólicas. Parti- VEJA MAIS proposta do Jovens de Responsa, o grupo de divulgar produções locais de músicas que con- As garotas se conheceram no bairro cipando de diferentes ações, as jovens garantem que, NA PÁG. 19 promove diversas ações, como a Balada tenham, em suas letras, princípios sobre o consumo onde vivem e passaram a conviver, diaria- qualquer um que passe a fazer parte do grupo tem Black, o Festival de Música, a Blitz, o Site, indevido de bebidas alcoólicas por menores de 18 mente, por conta das atividades que reali- trabalho de sobra para encarar. Afinal, o consumo de entre outras atividades. “A gente participa anos ou ainda para difundir boas práticas frente à zam no projeto. Dada a gama de atividades álcool é debatido de diferentes formas pela equipe, e os das oficinas para redigir e revisar os textos mudança de comportamento até mesmo de adultos que promovem no grupo, há tarefas para assuntos são trazidos à tona seja por questões vivencia- que escrevemos em nossos meios de que bebem de maneira inadequada. serem cumpridas todos os dias. Com his- das na família, com os amigos ou por conhecer histórias comunicação, e ainda para fazer a produ- Seja na balada ou no festival, estes jovens de tórias variadas, mas com o desejo comum na comunidade.12 13
  • Gabi, inclusive, já protagonizou diferen- tes iniciativas durante o desenvolvimento das Formacao de recebemos do programa aqui na UNAS. Trans- formamos os conteúdos em spots radiofônicos, REDE EM etapas do projeto, incluindo a gravação de um cidadaos vinhetas e videoclipes, atingindo muito mais o AÇÃO videoclipe de funk sobre os Jovens Alcons- nosso público-alvo, formado por jovens, assim cientes, em que aparece como MC (mestre de como nós”, explica Gabriella. cerimônias). Atuou também como repórter Uma das peças de comunicação que se do programa de rádio que leva o nome do “Em conversas com os jovens do Ins- destaca, por exemplo, é o spot radiofônico “Mitos projeto, veiculado pela Rádio Heliópolis, tituto Crescer, antes das atividades reali- e Verdades”. Em um deles, transmitido pela Rádio que conta com o apoio da UNAS. A inicia- zadas em prol do consumo consciente de Heliópolis, ressalta-se o fato de haver 66% de tiva leva ao ar informações sobre álcool e álcool, eles demonstravam interesse em adolescentes, entre 14 e 17 anos, no Brasil, que outras notícias, contando também com sequer ingeriram álcool ou apenas beberam uma participações ao vivo, feitas pela equipe consumir bebida alcoólica em consequên- única vez. Essa tese contraria a premissa popular dos Jovens Alconscientes, em momentos cia de falas de outros jovens, que já pos- Prática de Responsa: Assembleia VEJA MAIS NA PÁG. 43 como as Blitz, realizadas pelo bairro em suem uma certa ‘experiência’ no assunto. Quem realiza: Associação Cidade Escola Aprendiz diversas ocasiões. Por isso, as atividades realizadas focaram os Descrição: espaço democrático que promove a Na opinião das garotas, a proposta impactos que o álcool pode causar na vida Teoria das discussão dos temas mais relevantes do projeto para os jo- vens e educadores. A inserção do tema “consumo de álcool de engajar a própria juventude nesta temática é fundamental para dissemi- de menores de idade e dicas de consumo consciente, depois dos 18 anos. Após me- Normas Sociais entre jovens” auxilia no início do diálogo sobre o consumo consciente e levanta subsídios para a realização de ações nar as ideias do Programa Jovens de A Teoria das Normas Sociais (Social Norms) é uma Responsa. “Nós transformamos para a ses de trabalho, percebemos a formação nas diversas produções do projeto. estratégia de prevenção que parte do pressuposto de que linguagem do jovem as cartilhas que de cidadãos mais reflexivos, a partir da pro- os jovens superestimam o consumo de bebidas alcoólicas dução de materiais de mídia e de arte re- por seus pares e que, como tendem a se comportar como Prática de Responsa: Roda de Conversa lacionados à temática do Programa Jovens a maioria do grupo, esta percepção vai influenciar o seu Quem realiza: Instituto Crescer para a Cidadania e Viva Rio de Responsa. Nesse sentido, a curto prazo, próprio padrão de consumo. Assim, acreditando que o Descrição: ambiente de reflexão e diálogo estruturado esperamos que os jovens consigam inter- comportamento de beber e inclusive de beber em excesso que promove a compreensão e entendimento de questões pretar o que é ou não sadio para esta fase é algo corriqueiro, os jovens acabam bebendo com maior relacionadas ao consumo de álcool na adolescência. frequência e em maior quantidade. de desenvolvimento na qual se encontram. A proposta é, portanto, transmitir informações sobre A longo prazo, por sua vez, esperamos que o real padrão de consumo dos jovens fazendo com que a os jovens saibam se comunicar e interpretar mudança de percepção diminua o consumo. Vai no sentido Prática de Responsa: Oficina de Música inverso de “se todos bebem vou beber também”. Para isso Quem realiza: UNAS e CUFA as informações e signos dos meios de co- Descrição: oficina para criação de letras, rimas e versos municação, em prol de uma sociedade mais são realizadas, por exemplo, pesquisas dentro de uma que estimulem o consumo consciente de bebidas alcoólicas. consciente e equilibrada” escola, mostrando que seus colegas não bebem tanto quanto imaginam os jovens. Eduardo Bustamante, 31 anos, Orien- Fonte: Moreira MT, Smith LA, Foxcroft D. Social norms interventions to reduce alcohol misuse in University or College Veja o passo a passo de outras 52 tador de Projetos do Instituto Crescer students. Cochrane Database of Systematic Reviews, 2009. práticas deste pilar na página para a Cidadania Saiba mais em: www.socialnorms.org14 15
  • - defendida por alguns - de que todos O irmão de Cintia, de 20 anos, inclusive, dimi- com irão consumir álcool, mais cedo ou mais tarde, durante a adolescência. Cintia conta que, após ter ingres- sado no Programa Jovens de Responsa, nuiu a ingestão de álcool, após a participação dela nas atividades do Programa Jovens de Responsa. No entanto, ela não credita a si o motivo dessa mudan- ça, mas sabe que serve de exemplo para sua família. moderacao ficou conhecida por todos na comuni- Para esta adolescente, inclusive, família é parte “O adolescente não deve consumir dade onde mora. “Temos mais respeito essencial de sua vida, tanto é que, quando questio- bebidas alcoólicas por algumas impor- junto às pessoas que vivem aqui e, nada sobre quais sonhos possui, Cintia relata que tantes razões. O álcool atua no sistema quando alguém não segue as regras, gostaria de comprar uma casa para morar com sua nervoso central que, na adolescência, por exemplo, na Balada Black, a gente mãe, um dia. ainda está em desenvolvimento. Assim, conversa e explica que não é permiti- Gabi, todavia, ressalta que nem sempre do o consumo de bebidas alcoólicas é tranquilo não beber junto dos amigos que o consumo de bebidas alcoólicas nessa Jovens do Instituto Crescer para a Cidadania promovem “Dia de Responsa” na comunidade dentro da festa”, finaliza. não fazem parte do projeto ou que ainda não faixa etária pode prejudicar o amadure- conhecem a iniciativa. Mas situações como cimento cerebral normal tendo como essa não a desanimam. No futuro, ela espera consequência alterações no desenvol- que o projeto possa ser expandido e que o vimento da personalidade e prejuízos gosto pela escrita - despertado após ter se anote ai tornado repórter da Rádio Heliópolis e do site jovensalconscientes.com.br - continue de funções centrais como a memória e a atenção. Além disto, para que o uso de álcool não seja prejudicial à saúde 1. Há uma influência direta da família no padrão de consumo a ser útil em prol da atuação em outras de álcool pelos filhos. De acordo com pesquisa realizada pelo comunidades. é necessário ter moderação e controle, IBOPE em 2011, no Estado de São Paulo, 38% dos menores Para isso, continuam a frequentar a atitudes que não são características da de idade experimentaram bebidas alcoólicas em sua casa sede da instituição, mesmo quando não adolescência. De fato, quando compara- ou na casa de amigos/conhecidos; 39% dos jovens menores há ações a serem realizadas. De maneira de idade consomem bebidas alcoólicas em suas casas uma dos a adultos, os adolescentes bebem em geral, espera-se que os jovens impacta- ou mais vezes por mês; e 22% dos menores de idade bebem dos pelo projeto tenham atitudes de mu- menor frequência, mas em maiores quan- geralmente com a família. Por isto, a Organização Mundial da dança, sendo vistos como ‘descolados’ tidades. Ou seja, quando bebem frequen- Saúde (OMS) recomenda, dentre outras ações, o envolvimento pela conscientização que possuem. Por temente o fazem com exagero, se expon- da comunidade e das famílias como forma de combater o uso isto, a equipe dos Jovens Alconscientes indevido de álcool. do a riscos. Por fim, a literatura acadêmica busca sempre dar o recado, falando a demonstra que, quanto mais cedo se dá a Fonte: Pesquisa IBOPE/Governo do Estado de São Paulo - Consumo de bebidas alcoólicas por menores (2011) língua do jovem e a partir das relações experimentação e o início do uso regular que estabelecem com seus pares, tão jovens como seus componentes. de álcool, maior a probabilidade de de- 2. O cérebro e o corpo de um adolescente ainda estão em desenvolvimento e o consumo de bebidas alcoólicas pode causar Verdadeiros jovens de atitude! senvolvimento de padrões de consumo problemas. Jovens que começam a beber antes dos 15 anos, segundo disfuncionais na idade adulta” estudos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), têm mais Depois de ingerido, o álcool é absorvido problemas de aprendizagem, mais prejuízos no desenvolvimento e passa para a corrente sanguínea, que o Stella Almeida, Psicóloga com pós-doutora- cognitivo, maior envolvimento em comportamentos de risco e maiores transporta aos diversos órgãos, como o do em Neurociências e Comportamento chances de se tornarem dependentes quando adultos. cérebro (A), o sistema cardiovascular (B), o Fonte: VI Levantamento Nacional sobre o Consumo de Drogas Psicotrópicas entre fígado (C) e os rins e a bexiga (D) Estudantes do Ensino Fundamental e Médio das Redes Pública e Privada de Ensino nas 27 Capitais Brasileiras (2010)16 17
  • s nto balada sem eve álcool 2: ar Na comunidade de Heliópolis, em São Paulo, a mensagem Pil que ecoa pelos diversos cantos do bairro para os jovens é uma só: diversão, sim, álcool, não. “É isso aí pessoal. Aqui é o Regis dizendo que sába- do vai rolar a Balada Black, curtição sem álcool na quadra poliesportiva, na Rua da Mina, 38”. A chamada da Rádio Heliópolis anuncia o evento que há seis anos mobiliza os jovens da comunidade de Heliópolis, bairro que reúne em torno de 195 mil habitantes na zona Sul de São Paulo, para uma festa multicultural, com um novo conceito: diversão sem bebida alcoólica. Hip Hop nacional, RAP underground, funk e mú- sica eletrônica embalam a galera todo último sábado do mês, na chamada Balada Black, que reúne cerca de 1000 jovens por edição. A ideia – bastante inovadora e corajosa – partiu de uma das maiores referências na comunidade: Reginaldo Gonçalves, 35 anos, ca- rinhosamente apelidado de Régis, coordenador da Rádio e importante ativista da juventude na região. Régis praticamente nasceu em Heliópolis e desde pequeno viveu as intensas mudanças da comunidade, seu proces- so de urbanização e modernização.18 19
  • Conheca este pilar As organizações que participam Musica de atitude do Programa Jovens de Responsa sabem que promover um evento é uma ótima estratégia para reunir a “O mais bacana nesses eventos comunitários é apresentar para a comunidade, buscando chamar a atenção juventude outras possibilidades de repertório musical, cultural e social. dos moradores para o tema da proibição Começamos introduzindo uma música ou uma fala diferente do que es- do consumo de bebidas alcoólicas para tão acostumados, do que escutam em casa, mostrando que a música e a menores de idade. Cada organização tem cultura local têm um poder enorme de transformação social, inclusive nas questões ligadas ao consumo de álcool. O som vai mandando a letra do autonomia para estruturar o seu evento e o respeito ao outro, a si próprio e ao coletivo. E a Balada Black é esse respeito. público que pretende envolver na iniciativa. Ali não rola beber e todo mundo aceita isso porque conhece a proposta, Por isto, pode ser uma balada, um sarau, que é defendida pelos próprios jovens. Não adianta chegar com o conhe- uma reunião de moradores ou até mesmo um cimento pronto, com a proibição. É preciso encontrar formas para que este campeonato de futebol. Com muita criatividade, jovem construa seu próprio caminho e entenda, de verdade, o porquê de as organizações têm inspirado adultos e jovens, não consumir a bebida e descubra outras formas de se divertir, aprender e bairros e comunidades inteiras, a repensarem a viver a própria juventude” relação do adolescente com o álcool! Ivon Alves, 34 anos, DJ Ivolverine. Militante e ativista do Movimento Hip Hop, morador de Heliópolis e DJ residente da Balada Black Com pouco mais de 20 anos de ser comercial e que a ideia era trazer a comunidade, alcançar a juventude sempre foi um que, pelas suas próprias características, não autorizava idade, na época, Régis, que trabalhava construir uma proposta coletiva que representasse de desafio. Para Régis, não existiam o consumo de bebida alcoólica. O complexo cultu- organizando eventos na comunidade, verdade as pessoas do bairro”, conta Régis, que co- espaços culturais em que o álcool ral cuidava de toda a estrutura e aos jovens cabia a foi convidado a participar da progra- nhece todo mundo no bairro e é saudado com muito não aparecesse com força. “Esses divulgação do evento e a fiscalização do não consumo mação da recém-fundada, mas ainda carinho por onde passa. jovens associavam sempre a música, a de álcool. Na época, cerca de 400 jovens participavam sem estrutura, Rádio Heliópolis, ini- Porém, Régis e outros jovens ativistas da comu- cultura e a diversão à festa e à bebida da atividade, que já se apresentava como uma opção ciativa da União de Núcleos, Associa- nidade entendiam que as ações comunitárias iam alcoólica. Mas, a nossa proposta era segura de diversão para a juventude local. Em 2008, na ções e Sociedades de Moradores de muito além do próprio veículo de comunicação. Saraus, ir para outro caminho. Tivemos várias mesma época em que a Rádio Heliópolis conquistou Heliópolis e São João Clímaco (UNAS). festas, aulas e atividades formativas complementavam ideias e uma delas foi a Balada”, conta. outorga para funcionar legalmente, o CEU Meninos “Logo que entrei, me falaram que a a proposta da rádio e aproximavam os moradores das Inicialmente, a Balada Black foi mudou de direção e a balada não foi mais autorizada programação da rádio não poderia suas respectivas associações e da própria UNAS. Porém, realizada no CEU Meninos, espaço no espaço. Para garantir que o evento continuasse20 21
  • REDE EM a acontecer, com a ajuda e aval da AÇÃO UNAS, a Balada Black mudou para a Prática de Responsa: Café na Oca quadra poliesportiva, local central, no Quem realiza: Instituto Crescer para a Cidadania coração de Heliópolis. Embora muito Descrição: espaço de interação, lazer e entretenimento para a co- munidade no qual os jovens apresentam as produções realizadas durante bem localizada, com a mudança para o curso, inclusive a respeito da temática do uso consciente de álcool. A um espaço aberto, a festa precisava comunidade também é convidada a participar ativamente das atividades, de outro tipo de infraestrutura. “Não como um show de talentos. queríamos fazer a festa só por fazer. Queríamos que fosse um espaço de mobilização da juventude. Um espa- ço de verdade responsável. Num local Prática de Responsa: Carnaval de Responsa mais aberto, sem o vínculo com CEU, Quem realiza: UNAS e Viva Rio a galera poderia facilmente assumir Descrição: carro de som e bloco de percussão que se apresenta nas ruas da comunidade disseminando mensagens e músicas sobre consumo que ali o álcool seria permitido”, diz. consciente de bebidas alcoólicas na época do carnaval. Assim, Régis, com o apoio Acao articulada do Programa Jovens de Responsa, encontrou jovens dispostos a fazer o evento acontecer: um grupo de adolescentes, que recebeu o nome Prática de Responsa: Expo Consumo Consciente Quem realiza: Cipó - Comunicação Interativa e Fundação Gol de Letra Descrição: exposição com vídeos, imagens e textos produzidos de Alconscientes, passou a organizar “A Balada é uma iniciativa muito boa, sobretudo porque é pelos jovens ao longo dos projetos para discutir o consumo de álcool na a atividade - da divulgação à limpeza. uma festa que olha para esse adolescente. O jovem não pode adolescência. A exposição conta com a participação dos familiares dos jovens São eles agora que organizam toda a ser tratado como criancinha. Temos que falar com esse jovem e da comunidade em geral para que possam conhecer e debater o tema. atividade e Régis só os acompanha e com a linguagem deles, uma linguagem séria, de verdade. E a auxilia na programação. “Com a par- música, a cultura, o comunicar direto só vem para somar, para ceria, além de estruturarmos a festa apresentar a este jovem outros cenários e possibilidades. Para na quadra, conseguimos montar uma Prática de Responsa: Responsa Grafitti Fest combater o consumo de álcool por menores de idade, temos rede de formação para estes jovens do Quem realiza: Fundação Gol de Letra que ter todos os setores articulados, respeitando esse jovem, VEJA MAIS grupo, que participam de uma série de Descrição: encontro de grafitti entre artistas, com palestras e NA PÁG. 11 mas apresentando todo o cenário do porquê não consumir o pinturas para conscientizar os participantes sobre a temática do uso atividades formativas sobre comunica- álcool e, quando maior de idade, que ele faça com moderação” indevido de álcool. ção, juventude e participação comuni- tária”, explica. Ao mesmo tempo em que Régis MV Bill (Alex Pereira Barbosa), 38 anos. Rapper e escritor, autor do best- trabalhava com os jovens na questão seller “Falcão - Meninos do Tráfico”, e mais de 100 canções fundamentais Veja o passo a passo de outras 53 do gerenciamento da festa, conti- práticas deste pilar na página para a história do RAP e Hip Hop nacional e internacional. É fundador da CUFA e agente da Rede Jovens de Responsa.22 23
  • Hoje, com o apoio do Jovens cultural da balada à rádio, sintonizada na região na de Responsa, Régis, os DJs da 87,5 FM. Tudo rola em sintonia. As mensagens da cul- comunidade e os próprios Jovens tura, da juventude e, claro, do não consumo de álcool Alconscientes provaram que a por menores de 18 anos e consumo responsável para proposta dá certo e comemoram as quem já tem idade”, explica, ressaltando a ponte fun- conquistas. O consumo de álcool damental que a Rádio Comunitária tem com todas as segue proibido e não apresenta ações com foco no desenvolvimento da comunidade. qualquer problema. “Claro que Sempre lotada, a Balada Black quase nem pre- tivemos um ou outro incidente, cisa mais de divulgação. O evento já virou tradição mas tudo sempre foi resolvido com em Heliópolis e, com as ações complementares do calma e pela nossa maior arma, o Jovens de Responsa, ganhou apoio dos adultos da microfone. Nós subimos no palco e comunidade, que têm o espaço como local seguro conversamos que neste espaço, não para diversão de seus filhos. “Tenho certeza absoluta rola. Não pode e pronto: a proposta que se eu não puder mais estar na organização, a é outra, é diversão segura e respon- festa vai continuar sozinha. Ela faz parte do nosso sável. A própria galera, frequenta- cotidiano, é a cara da nossa juventude e é de verda- dora da balada, não deixa ninguém de a melhor forma de dar a letra para o adolescente estragar a festa porque sabe que não beber”, conclui. se não rolar o respeito à regra, nós E a ideia parece que deu tão certo que tem mui- paramos o evento”, alerta. ta gente por aí que decidiu apostar na mesma pro- VEJA MAIS No início, ao limparem o posta. O evento já tem sido replicado em diferentes NA PÁG. 49 espaço, os organizadores encontra- localidades do país e contagiou outras organizações, vam algumas garrafas de bebidas, da própria Rede Jovens Evento que incentiva a produção musical sobre Cartaz de divulgação da Balada Black, que chega a mas hoje não veem mais nenhuma. de Responsa. temas importantes para a juventude reunir mais de 1000 jovens na comunidade Além de não encontrarem vestígios No início de de álcool, comemoram a presença 2012, por exemplo, de DJs ilustres que apareceram por os organizadores da lá. MV Bill, Dexter e Emicida – todos Balada Black foram até nuou com as atividades de coordena- a juventude local. “Com o apoio da família, amigos, falaram no microfone, elogiaram a a cidade de Formosa, ção da rádio. Super ativo, Reginaldo outros militantes e da própria UNAS, consegui encon- iniciativa e conversaram com os jo- em Goiás, para dar é também um educador e articulador trar um meio para me sustentar e continuar atuando vens sobre a importância do espaço oficinas sobre o tema. comunitário em Heliópolis. Preocu- na comunidade. Agora, tento replicar o que aprendi e não ter consumo de álcool, de ser pado, ele ressalta a importância de trazer novos parceiros para que outros jovens possam pela música e diversão. “Nós tenta- buscar novas oportunidades para fazer o mesmo”, explica. mos associar a produção musical e24 25
  • sa pon res de Irreverência com bar responsabilidade 3: Com muito humor, proprietários do Bar do Corno, em São Paulo, apresentam novas possibilidades de diálogo com os ar frequentadores sobre o uso abusivo de álcool. Lá, bebida é diversão com responsabilidade Pil “Não pode e pronto”. Esta é a resposta de Ro- semeire e Nelson Silva quando jovens menores de 18 anos querem consumir bebidas alcoólicas em seu bar. Os proprietários do Bar do Nelson, popularmente conhecido como Bar do Corno, localizado no meio do ‘burburinho’ da Vila Madalena, zona Oeste de São Paulo, são uma referência na comunidade por ter uma atitude responsável em relação ao consumo de álcool, muito antes deste assunto entrar tão em voga na mídia e nos debates atuais. O casal conta que é muito comum ouvirem comentários de pessoas que acham uma loucura um dono de bar não querer se beneficiar da venda de bebidas alcoólicas. “Mas, para nós, de verdade, não interessa ter alguém alcoolizado aqui. Uma coisa é consumir bebida em ocasiões específicas, ter a bebida como diversão, relaxamento, prazer e outra é ficar bêbado, passar mal, perturbar o ambiente”, explica Rosi. Por essa atitude, o Bar do Corno foi eleito, em 2011, por voto popular na região de Pinheiros – onde se situa a Vila Madalena – como um “Bar de Responsa”. A campanha foi realizada pelo projeto de comunicação comunitá- ria da Associação Cidade Escola Aprendiz, como parte das ações do Programa26 27
  • Conheca este pilar Musica descolada Todas as ONGs que participam do Programa Jovens de Responsa são “Recebemos o convite da CUFA São Paulo para fazermos uma música sobre convidadas a estruturar e a viabilizar a consumo consciente de álcool. O desafio? Estudarmos o tema e fazermos uma Campanha Bar de Responsa, letra que de verdade tocasse a comunidade! Era a primeira vez que parávamos, tendo em vista a importância destes como jovens, para pensar no assunto e como ele se apresentava na nossa região. estabelecimentos também estarem Foi um super desafio lidar com esse assunto, entendê-lo de verdade, mas o resul- tado ficou muito bacana. Além de compor a música ‘Tiozinho do bar’, cantamos engajados na prevenção ao consumo de em todos os bares finalistas da Campanha Bar de Responsa, recebemos comentá- bebidas alcoólicas por jovens. Afinal, de rios das pessoas e percebemos que impactamos de verdade nossa comunidade nada adianta a organização conscientizar sobre o tema. Além dos shows nos bares, fizemos campeonatos de videogame, a população e, o bar ao lado, desconstruir roda de samba e saraus nos bares aqui de Paraisópolis. No Dia da Favela canta- este trabalho. Por isto, o objetivo é mobilizar mos também a música com o MV Bill que, além de muito gente boa, é uma enor- os bares da comunidade para garantir me referência para a gente. Percebemos que esta era uma mensagem importante para ser dada e temos muito orgulho de ter participado dessa iniciativa” o cumprimento da lei e não venderem bebidas alcóolicas para menores de idade. Júnior Diamond, 28 anos, integrante e representante do grupo DR Look Dogs, integrado à Além disto, visa conscientizar os proprietários Central Única de Favelas (CUFA) de São Paulo, que atua na comunidade de Paraisópolis, sobre a importância do tema e reconhecer o bairro com alta vulnerabilidade social na capital paulista comportamento dos bares que atuam de forma responsável, cumprem as indicações legais e que evitam a embriaguez exagerada de seus clientes. VEJA MAIS Jovens de Responsa. NA PÁG.45 Como prêmio, o bar recebeu Quando adolescentes, nunca imaginaram trabalhar com Para realizar a Campanha, as organizações promovem Para escolher os bares, os eleitores uma reforma completa da fachada, este tipo de negócio. “Nossas famílias eram tradicionais, tiveram acesso a diversas reportagens além de diversos equipamentos e mó- namoramos no portão, com hora para voltar para casa, va- um mapeamento dos bares do entorno e solicitam aos e vídeos sobre cada um dos estabele- veis novos para o estabelecimento e lorizamos a escola, estudamos e fizemos tudo de um jeito estabelecimentos selecionados a assinatura de um termo cimentos, pré-selecionados a partir de uma televisão para seus clientes. Con- certo. Quando, anos depois de casados, Nelson recebeu a de compromisso com a ação. A organização promove a questionários realizados com outros 49 tudo, para Rosi, a principal premiação proposta do bar, tivemos uma longa conversa e decidimos mobilização na comunidade para a escolha dos ‘bares de donos de bares localizados perto das foi o reconhecimento da comunidade que, se assumíssemos esse tipo de estabelecimento, faría- principais escolas da região. Finalista e a valorização deles como atores de mos da forma correta. Queríamos garantir que o bar fosse responsa’. Aqueles que mais se destacarem como referência junto a outros três bares do bairro, o uma luta por um mundo melhor. um espaço bacana, de encontro e que a bebida alcoólica nas práticas de consumo responsável são premiados com Bar do Corno ficou em primeiro lugar Donos de uma irreverência mar- não fosse a única razão”, relata. melhorias nos bares. com uma diferença de mais de 100 cante, Rosi e Nelson são proprietários Assim, casados desde os 20 anos, e noivos ainda na votos para o segundo colocado. do Bar do Corno há mais de 20 anos. adolescência, Rosi e Nelson lutaram juntos para transmitir28 29
  • REDE EM Familia presente “Visitei mais de 50 bares do Complexo do Muquiço, junto com a equipe do Instituto rua e brincam com Nelson, que não tira da cabeça um imenso chapéu de viking, ostentando chifres para lá de chamati- AÇÃO Bola pra Frente. Fomos a diversos locais e a vos. “O Nelson comprou esse chapéu de receptividade dos donos dos estabelecimen- um dos carroceiros aqui da comunidade, Prática de Responsa: Encontro Educativo Bar de Responsa tos foi muito boa. No entanto, ainda temos lavou e decidiu colocar na cabeça, para Quem realiza: Instituto Bola Pra Frente e Projeto Axé muito trabalho pela frente. Para mim, como brincar com os clientes”, conta Rosi. “Eu Descrição: encontro para engajar os comerciantes na pro- mãe, atuar junto ao Programa Jovens de Res- sempre fui fiel e quase matei o Nelson moção do consumo responsável. Durante o encontro, a organização ponsa é uma forma de conscientizar o jovem quando vi este chapéu. Mas, a brincadei- apresenta a campanha Bar de Responsa e as suas iniciativas em prol e a comunidade em relação ao consumo de ra deu tão certo, que virou uma marca do consumo responsável. bebidas alcoólicas” registrada do nosso bar. Eu acabei levan- do tudo com bom humor”, explica. Para Rosi, essa atitude de levar a Prática de Responsa: Eleição Bar de Responsa Vera Lucia Brito do Nascimento de Oliveira, 55 anos, vida com bom humor e leveza, que inclui Quem realiza:Associação Novolhar dona de casa e participante das oficinas do Instituto acenar para as crianças que morrem de Descrição: os jovens desenvolvem uma matéria para a TV Bola Pra Frente. Mãe de Wellington, de 17 anos, que rir com o chapéu de corno, faz deles com os candidatos finalistas a Bar de Responsa. A matéria é exibida é um dos participantes das ações voltadas para o em espaços públicos, com distribuição de panfletos com infor- esporte nessa mesma instituição proprietários de um bar responsável. Assim como outros ‘bares de responsa’ mações dos candidatos. É colocada uma urna durante a exibição que seguem a legislação vigente - em da matéria, que fica exposta posteriormente em locais de grande que vender bebidas alcoólicas para circulação da comunidade, para que todos possam votar em seu adolescentes com menos de 18 anos é candidato a Bar de Responsa. valores de justiça social, seriedade, tra- proibido no país -, o Bar do Corno segue anote ai balho e empenho a seus filhos. “Quando assumimos o bar, acabamos levando esses fielmente as normas e compreende sua função social. “Não somos contra bebida. Veja o passo a passo de outras 56 1. Em pesquisa realizada pelo IBOPE, os donos de bares revelam valores aos nossos clientes, que sabem Mas, por sermos proprietários de um bar, práticas deste pilar na página conhecimento superficial sobre a lei atual a respeito do consumo que o Bar do Corno, mesmo com esse temos que cuidar e atender com atenção de álcool e têm dificuldades para aplicá-la. Eles consideram a nome engraçado, é um ambiente familiar, as pessoas que aqui frequentam”, explica. lei necessária, porém, o baixo conhecimento sobre punições e que faz parte de verdade dessa comunida- Tamanha é a responsabilidade implicações para o dono e seu estabelecimento, aliado à falta de”, explica Rosi. do bar que os dois filhos do casal não de fiscalização, compõem o cenário facilitador para o consumo de Essa atitude pró-ativa pelo bairro bebem. Tiago, de 25 anos, conta que o cliente ir procurar uma farmácia. Bebida não é bebidas por adolescentes. tem resultados: na região, é certeza que simplesmente nunca teve vontade de remédio”, ilustra Rosi. Fonte: Pesquisa IBOPE/Governo do Estado de São Paulo - Consumo de bebidas alcoólicas todo mundo já ouviu falar do casal. Mesmo beber. Para Rosi, isso acontece porque, Para os sempre solícitos e bem humorados por menores (2011) em um bairro grande, numa cidade como os dois, desde pequenos frequentaram proprietários do Bar do Corno, o consumo indevi- São Paulo, o Bar do Corno busca estabe- o espaço e viram de perto relatos e his- do de bebidas alcoólicas está relacionado à forma 2. A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que houve um avanço nas iniciativas visando o consumo responsável de bebidas alcoólicas, pois pelo lecer laços comunitários, “de vizinhança”, tórias sobre os prejuízos que o álcool em com a qual as pessoas lidam com as dificulda- menos 34 países adotaram políticas formais para coibir ou prevenir os abusos reunindo pessoas com responsabilidade, excesso pode causar na vida das pessoas. des da vida. “Muita gente bebe em excesso para desde 1999. Entretanto, no Brasil, de acordo com uma pesquisa realizada aproximando-as como amigas. “Quando me perguntam se aqui tem esquecer os problemas. Mas, na verdade, isso só pelo IBOPE, apenas 7% dos bares pedem documento para menores de idade Diariamente, crianças passam na algo para curar a gripe, eu logo mando piora. Além de cheio de problemas na vida, você no momento da compra de bebidas, a fim de evitar o consumo indevido. Fonte: IBOPE / Ambev. Pesquisa do Programa Ambev de Consumo Responsável. (2012)30 31
  • certificarem da idade correta. “Outra coisa que ajuda Conscientizacao são os próprios clientes que já conhecem a nossa posição. Quando vem um jovem menor de idade para beber escondido, nos avisam e nos ajudam a fazer valer a lei”, ressalta. Para os proprietários do Bar do Corno, estar de na rede verdade na comunidade e conhecer esse jovem é parte do processo para negar a bebida. “Estou sem- “O processo de organização da Campa- pre de olho, conheço muitos dos rapazes, vi eles nha Bar de Responsa foi bastante interessan- crescerem, sei quem são os pais”, explica. E, para te porque envolveu os frequentadores dos dizer não, Rosi, que tem um sorriso acolhedor, estabelecimentos, que foram convidados a busca explicar o porquê de não vender álcool se mobilizar e perceberem os bares de uma para menores de idade. Mesmo que ela tenha forma diferente do que estavam acostuma- que parar seus afazeres no bar, ou até deixar outros clientes esperando, Rosi tem muita paci- dos. Os bares também se uniram. Brincamos ência e conversa o tempo que for preciso com que parecia mais um concurso de miss! Os o jovem. “Juro que hoje os jovens que moram donos dos locais queriam que vencesse o ou trabalham aqui no bairro nem tentam me melhor, respeitando a voz e a vontade da co- Kit da Campanha Bar de Responsa entregue aos estabelecimentos que são reconhecidos pelas comunidades pedir para vender bebida alcoólica. Eles já munidade. O vencedor foi merecido, pois, o sabem que aqui não pode”, conta. Nelson e a Rosi, do ‘Bar do Corno’, além de acaba tendo que enfrentar também “Quantas vezes não ouvi histórias de meninas, ainda jovens, No entanto, os proprietários do Bar do Corno contam que essa atitude é ainda rara de não venderem bebidas para menores, são os problemas deixados pela bebida”, saírem de bares carregadas por homens que mal conheciam”, conclui Rosi. Por isso, ela e Nelson diz a proprietária. Para Rosi, o dono de bar é sim responsável se encontrar nos bares que, segundo eles, não pessoas com uma atenção muito grande acreditam que não adianta reprimir pelo que acontece no seu estabelecimento e pode, ao menos, percebem que o lucro da venda de bebidas para a comunidade. Ajudam a trocar o gás com violência, sem cuidado. Lá, os pro- evitar que situações indesejadas aconteçam. em situações ilegais ou incorretas não vale a da senhora da esquina, contam para os pais blemas são todos resolvidos com bom É assim que Rosi se apresenta como uma mãe zelosa: pena. “Quantas vezes ouvimos histórias de se têm crianças aprontando na rua, escutam humor e carinho, buscan- olha e cuida dos clientes, conversa, alerta, escuta os proble- agressão, violência e outros tipos de proble- quem sofre por algum motivo, mas não re- do orientar a pessoa sobre mas alheios, dá conselhos e, pouco a pouco, mostra ao cliente ma no bar. Não vale a pena vender nessas situações e, muitas vezes, o dono do bar é solvem o problema da pessoa vendendo outras possibilidades de maior de idade que ele não precisa “afogar suas mágoas” no lidar com suas dificuldades. álcool. “Juro que nunca ficaram bravos porque acho que eles quem arca com o prejuízo”, explica. mais bebidas. Acredito que ‘Bares de Res- Para ambos, o percebem que tenho cuidado, que faço pelo seu bem”, conta. Para ambos, o álcool faz parte da so- ponsa’ podem ser excelentes potenciais de consumo de álcool Contudo, quando o assunto é bebida para menores ciedade e deve ter um espaço para existir, articulação comunitária, pois acompanham exacerbado deixa de idade, Rosi é categórica: “Menor de idade não tem vez mas com responsabilidade. “A bebida está e vivem de verdade a comunidade onde es- as pessoas vul- aqui não. Pode sentar, beber um refrigerante, comer um associada à celebração, a alegria e nós tão inseridos” neráveis e a mercê salgado, mas bebida alcóolica de jeito nenhum”, diz a não queremos impedir isso. Ao contrário, dos outros problemas agente do Programa Jovens de Responsa. Como o estabe- nós entendemos nossa responsabilida- sociais, como violência, lecimento é pequeno, Nelson e Rosi conseguem contro- de e garantimos que o espaço do bar Roberta Oliveira, 40 anos, articuladora co- sexo inseguro, acidentes lar tudo o que acontece no bar e, caso tenham dúvidas, seja para isso mesmo: alegria e não munitária de Pinheiros. Sambista, faz parte de carro, entre outros. sempre pedem a identidade dos frequentadores para se problemas!”, conclui. do Grêmio Cultural Kolombolo Diá Piratin- ga, vizinho do “Bar do Corno”32 33
  • EDUCADORES DE caO Educação CAPACITA como ponto de partida Tia Dag, fundadora e presidente da Casa do Zezinho, ensina que, para combater o consumo indevido de bebidas alcoólicas 4: por jovens com menos de 18 anos, é preciso, antes de tudo, ar abrir os ouvidos, os braços e o coração Pil Dagmar Garroux, mais conhecida por Tia Dag, tem uma crença - ou melhor - um lema: “educar é um ato de amor”. É assim, amando, que acredita cumprir seu papel como pedagoga. Tia Dag é fundadora da Associação Educacional e Assistencial Casa do Zezinho, organização que atende a crianças, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social na cidade de São Paulo (SP), localizada entre os bairros Capão Redondo, Parque Santo Antônio e Jardim Ângela, na periferia da zona Sul da capital paulista. A Casa do Zezinho, como é mais conhecida, é uma entidade não governamental, fundada em 1994, que acolhe os chamados ‘Zezinhos’ em um espaço com uma infraestrutura de primeira, com mais de três mil metros quadrados, divididos em salas, áreas de lazer, estúdios de comuni- cação e uma piscina. Tudo muito colorido, fazendo jus à metodologia que se utiliza na Casa, chamada Pedagogia do Arco-Íris, criada por Tia Dag. As atividades desenvolvidas na Casa do Zezinho têm como ponto cen- tral o desenvolvimento da autonomia de pensamento e de ação dos ‘Zezinhos’34 35
  • Conheca este pilar Educar para transformar As capacitações promovidas pelo Programa Jovens de Responsa têm como foco principal a inserção “As ações desenvolvidas pelo Programa Jovens de Responsa são fundamen- da temática do consumo indevido tais, pois o acesso ao álcool é fácil, principalmente na periferia, em que não há de bebidas alcoólicas na rotina das opções de lazer suficientes para esta faixa etária da população. É necessária uma organizações parceiras da rede. Os teia de ações para que o consumo de bebidas alcoólicas não seja bem visto pe- encontros de formação podem estar los amigos desses jovens ou facilitado por seus próprios familiares. Para isso, é inseridos de forma transversal nas preciso educação. Nesse sentido, acredito ser essencial haver a capacitação de nós, educadores, que fazemos parte do cotidiano desse público. Para mim, que atividades que já existem nas instituições ou estou iniciando minha atuação na Fundação Gol de Letra, é um privilégio poder em ações específicas, envolvendo educadores receber informações sobre como executar atividades que estimulem a reflexão das organizações, grupos de mulheres das sobre o uso adequado de álcool junto às crianças e aos adolescentes com quem comunidades onde elas estão inseridas, convivo cotidianamente” associações de moradores, postos de saúde etc. Ronaldo Gama, 34 anos, Educador Musical da Fundação Gol de Letra Além disto, para fomentar o debate sobre o consumo responsável de bebidas alcoólicas na sociedade, assim como promover a troca de experiências entre as organizações, a Rede Jovens de Responsa realiza, ao longo do ano, a partir de quatro pilares educativos: Ser mas é parte do perfil de todos de sua contramão desse processo, em parceria com o Programa encontros, seminários e workshops. O Seminário de (que enfoca a espiritualidade), Conhecer equipe, pois, conforme explica, “na Jovens de Responsa, no espaço dos ‘Zezinhos’, o recado é o (que tem as Ciências como protagonistas), Casa do Zezinho, qualquer funcioná- seguinte: “É possível se divertir sem o álcool”. Prevenção do Uso Indevido de álcool, por exemplo, Saber (que se refere aos fundamentos rio é educador, pois é preciso educar A parceria desta organização com o Programa Jovens reúne representantes do governo, da indústria e de da Filosofia) e Fazer (ligado às práticas a qualquer momento, não dá para de Responsa foi fruto de uma constatação dentro da própria especialistas sobre o tema. vinculadas à Arte). se compartimentar a educação em ONG. Segundo declaração de Tia Dag dos 120 alunos (com O amor enaltecido por Tia Dag, gavetinhas”. 10 anos de idade) que frequentavam a Casa, no ano de segundo ela própria, é transversal a A Casa do Zezinho está numa 2011, cerca de 80% consumia álcool junto com os pais. qualquer um dos pilares que fazem área com muitos bares próximos das Por esse motivo, a organização decidiu investir na parte da Pedagogia do Arco-Íris e moradias, o que gera um acesso fácil formação de todos os seus educadores de modo que pu- ainda não se restringe apenas a sua dos moradores, inclusive de crianças dessem criar, como parte do cronograma de suas aulas já função de presidente da instituição, e de jovens, ao álcool. No entanto, na existentes, atividades que dialogassem com esse determina-36 37
  • REDE EM do público e com os pais das crianças, para que se sistematizasse uma proposta educativa em prol do conhecimento. da teoria a pratica estabelecer pelas vivências. Para ela, “o jovem não é problema, é solução” e, por isso mesmo, deve se levar em conta o que ele deseja, quais AÇÃO Para isto, os educadores participaram de seus anseios e, por que não, suas dificuldades Prática de Responsa: Encontros formativos “Após a capacitação ministrada pela frente à vida. “Na Casa do Zezinho, os educadores dinâmicas de grupo a fim de sensibilizá-los Quem realiza: Cipó - Comunicação Interativa e sobre a temática, reduzindo, inclusive, o pre- Associação Junior Achievement procurei estão preparados para acolher, ouvir e conversar Associação Junior Achievement Rio Grande do Sul conceito em relação ao assunto. As atividades transmitir aos alunos da escola em que atuei com as crianças, adolescentes e jovens que fre- Descrição: formação em prevenção ao uso indevido buscaram ainda trazer informações e conteú- a realidade sobre o uso indevido de álcool e quentam a instituição, respeitando suas próprias de álcool para voluntários, educadores e lideranças comuni- dos que ajudassem os educadores a trabalhar percepções de mundo’’, diz. tárias, propondo uma proposta metodológica para que estes como este pode entrar na vida deles sem que Tendo isto em vista, a Casa do Zezinho o tema do consumo indevido de álcool de trabalhem o tema com os jovens de maneira dinâmica e forma transversal a todas as atividades da percebam, antes mesmo dos 18 anos. Achei investiu também no desenvolvimento de ativi- significativa em suas atividades cotidianas. Casa do Zezinho. Na aula de culinária, por essencial as informações que me foram tra- dades específicas para os jovens, também em exemplo, a boa pedida foi a criação de zidas durante a formação e, mais importante parceria com o Programa Jovens de Responsa, drink sem álcool. Já nas aulas de computa- ainda, o trabalho realizado com os jovens nas como os Grupos de Sensibilização, com a pro- ção, a ideia foi investir na pesquisa sobre posta de inibir ou retardar o início do consumo Veja o passo a passo de outras 57 escolas. Desenvolver o que aprendemos, na práticas deste pilar na página a história do uso de álcool e, nas ativi- de álcool, e o Grupo de Orientação, semelhante prática, faz com que vejamos ainda mais sen- ao primeiro, mas com atividades voltadas para dades de música, elaborar uma canção sobre o tema. tido naquilo que produzimos, antes mesmo inibir o uso indevido de quem já experimentou. Se no início das formações os edu- de desempenhar as ações com os alunos. No “Educar é justamente ter a percepção para dife- cadores apresentavam ainda resistência caso, na escola em que estive junto com 29 renciar, por exemplo, se o jovem está bebendo”, seu desenvolvimento e o reconhecimento de em trabalhar o tema, a partir das ativi- jovens, de 14 a 18 anos, utilizei um texto en- ressalta Tia Dag. suas potencialidades, por meio do incentivo dades desenvolvidas, todos se mostra- tregue a mim pela Junior Achievement, em Por isso, a atuação da Casa do Zezinho se à curiosidade, ao prazer pela descoberta e ao ram mais interessados e disponíveis dá em toda a rede de relações dos ‘Zezinhos’, aprendizado constante. Trata-se de um pro- que se conta a história de Carlos, um garoto inclusive junto à escola e à família, promovendo para a discussão, apresentando, inclu- cesso de construção do conhecimento que sive, exemplos de situações vividas que começa a beber por brincadeira e passa, desenvolve a criação e a reflexão crítica, tendo em sala e já identificando possíveis com o tempo, a consumir exageradamente como meta o desenvolvimento humano. encaminhamentos. O grande resulta- bebidas alcoólicas. Após a leitura do texto, fi- E esta aposta na criatividade e expressão do é que os educadores perceberam zemos uma roda de conversa com os jovens das crianças e adolescentes da organização que são exemplos para os jovens, presentes e, como fruto dessa experiência, os perpassa também as atividades de prevenção inclusive nesta temática. realizadas como parte das ações do Jovens convidei a partilhar aquela mensagem traba- Por isto, Tia Dag baseada em de Responsa. Por meio de oficinas de jorna- um dos preceitos de Paulo Freire, lhando com possíveis leitores, que precisas- lismo, por exemplo, os educandos da Casa do VEJA MAIS quando afirma que “educar é sem conhecer aquela história também” Zezinho são capacitados para desenvolverem NA PÁG. 43 seduzir”, acredita que a formação um fanzine trimestral, chamado de Z’zine. A de educadores jamais pode se prevenção para o consumo indevido de álcool Rosane Azevedo, 49 anos, educadora capa- reduzir à teoria, mas deve se é debatida também durante as oficinas, incen- citada pela Associação Junior Achievement tivando o jovem a entender e buscar informa- Rio Grande do Sul38 39
  • ções sobre a temática que serão multiplicadas para a comunidade por meio das peças de comunicação organizadas pelos jovens. construir VEJA MAIS NA PÁG. 19 Os ‘Zezinhos’ mostram ainda a sua atitude positiva frente ao tema na Balada do Século, evento voltado para jovens de 15 a 21 anos, que acontece coletivamente ‘conforme manda o figurino’, mas completamente sem o consumo de bebidas alcoólicas. Há ainda a Balada do Aprender Brincando, direcionada a “Quando o Programa Jovens de Respon- crianças e adolescentes, entre 6 a 14 anos, e que sa chegou à organização, tínhamos efetiva- segue as mesmas orientações da primeira. Nes- mente pouca dimensão do assunto ‘consumo sas ocasiões, inclusive, os próprios educadores de álcool’ na vida dos nossos adolescentes. da Casa desempenham as funções de garçom, Assim, decidimos colocar o tema na caixa da segurança, DJ etc. pautas da Assembleia, que realizamos mensal- E há muito para se comemorar no que diz respeito às abordagens realizadas pelos mente com os jovens. No momento em que a Encontro reúne educadores para discutir consumo consciente de álcool educadores da Casa do Zezinho. Após um ano pauta surgiu, eles trouxeram questões muito de existência das ações que fazem parte do pertinentes, como a vontade de experimentar Programa Jovens de Responsa na instituição bebidas alcoólicas. Foi um tremendo desafio - como, por exemplo, parcerias com associa- para todos nós - educadores - aprendermos ções em prol da diminuição do consumo de anote ai álcool na região - 80% das 120 crianças que ingeriam álcool na companhia dos próprios pais já mudaram seus hábitos, segundo sobre este tema e pensarmos formas de discu- tir o assunto com as turmas. Uma vez, inclusi- ve, uma jovem menor de idade chegou alco- Quando o assunto é prevenção do consumo de olizada para a atividade. Embora muito difícil bebidas alcoólicas podemos nos valer da teoria do informações de Tia Dag. Bystander. Trata-se de uma estratégia que parte do Outro levantamento realizado pelo para todos os envolvidos, o fato nos motivou a pressuposto de que pessoas que observam uma Programa Jovens de Responsa na organi- pensar em como auxiliá-la e não apenas repri- situação problema muitas vezes tem vontade de zação constatou ainda que a quantidade mi-la, entendendo como este fato se apresenta intervir, mas não o fazem. A maioria mantém uma de jovens que bebiam três doses ou postura apenas de espectador por acreditar que se mais por episódio diminuiu de 33% em nossas vidas. Hoje, temos criado, em parce- ninguém toma alguma atitude é porque a situação para 25% e de jovens que bebiam de ria com os jovens do projeto, formas de lidar e não é problemática, ou por inibição, por não sentir-se uma a seis vezes por mês baixou de entender todas as dimensões do consumo de responsável, ou ainda por interpretar erroneamente como 24% para 10%. A educadora se mostra álcool na juventude. É um desafio, mas uma as outras pessoas se sentem sobre a situação. Assim, esta bastante satisfeita com os resultados. estratégia tem como objetivo oferecer dicas práticas e necessidade presente, tanto para nós educa- Organizações se reúnem periodicamente para discutir novas Segundo ela, “basta afeto, escutar e desenvolver habilidades para que pessoas que presenciem dores, quanto para os jovens” situações problemáticas as reconheçam como tal e estejam metodologias de trabalhar a temática nas comunidades olhar para mudar a realidade que aptas a intervir de forma segura, efetiva e respeitosa. nos incomoda”. É isso aí! Fica a dica de uma proposta pedagógica es- sencial em prol de uma educação Tarsila Portella, 27 anos, Gestora do Ponto de Fonte: Berkowitz, Alan. RESPONSE ABILITY: A Complete Guide to Bystander Intervention. BECK & CO. (2009) de qualidade. Cultura Escola da Rua e do Projeto Trilhas Ur- banas da Associação Cidade Escola Aprendiz Saiba mais: www.alanberkowitz.com40 41
  • c aO COMUNICA DE ES Aco Comunicação consciente 5: ar Por um futuro melhor, Edu atua como dinamizador comunitário no Complexo do Muquiço, no Rio de Janeiro, e usa Pil o poder da comunicação para disseminar mensagens em que o esporte e a saúde dizem não ao consumo indevido de álcool Eduardo Francisco da Silva, o famoso “Edu” do Complexo do Muquiço, localizado na zona Oeste do Rio de Janeiro, faz jus à fama e à função de dinamizador co- munitário do Instituto Bola Pra Frente, organização fundada pelo ex-jogador de futebol Jorginho, que há doze anos atua pela promoção social por meio do esporte, da educação, da arte, da cultura e da qualificação profissional. Em menos de meia hora de conversa pelas ruas do Complexo, percebe-se que, além de tudo, Edu é um amigo reconhecido por todos e um morador orgulhoso dessa região, onde que vive desde quando nasceu, há 41 anos. Sem falar em uma de suas principais virtudes: se comunicar. É com a aposta neste poder da comunicação que diversas ações vêm sendo desenvolvidas no Complexo do Muquiço, com a ajuda de Edu, para que a temática do consumo consciente de álcool, proposta do Progra- ma Jovens de Responsa, chegue a todos os moradores, garantindo o maior engajamento da comunidade nas atividades de prevenção. Afinal, num processo de mobilização social, a comunicação tem um papel bastante estratégico, uma vez42 43
  • Conheca este pilar As ações de comunicação realizadas Sonhos de responsa pelas instituições parceiras do Programa Jovens de Responsa sempre buscam informar e mobilizar jovens e a comunidade em geral quanto ao consumo indevido “Bebida alcoólica e menor de idade não combinam: é bola fora. Por de álcool. Para isso, são desenvolvidas isso, acredito que o Programa Jovens de Responsa tem um nome muito campanhas, além de elaborados diversos feliz. Na minha opinião, a imagem de atletas, como eu, pode configurar materiais de comunicação, como cartazes, um exemplo a ser seguido, um espelho para crianças e adolescentes. Te- fanzines, programas de rádio, entre outros, que mos que arcar com a figura de uma pessoa ‘de responsa’. O caminho do tenham como conteúdo comunicativo assuntos bem é o ideal. Ainda há muita coisa boa no mundo para ser vivida por relacionados à prevenção do uso excessivo de esses futuros grandes homens e mulheres de nosso país. Para isso, a Fun- dação Cafu tem trabalhado e dado às crianças, aos adolescentes e aos jo- bebidas alcoólicas, como também a proibição vens do bairro Jardim Irene, localizado na zona sul da cidade de São Paulo, da ingestão de álcool por menores de 18 anos. o direito de sonhar e de fazer valer as metas que colocam para si e para o Essas iniciativas promovem a conscientização sobre futuro do país” o tema dentro das organizações e possibilitam a amplificação das mensagens, com impacto positivo Cafu (Marcos Evangelista de Morais), 42 anos, ex-jogador de futebol e direto nas comunidades onde atuam. presidente da Fundação Cafu que pode ser usada como instrumento colaboradores e voluntários do Bola. cientização”, enfatiza Edu. res de 18 anos e também disseminar entre os moradores de diálogo, participação e dissemina- O censo - como ficou conhecido dentro da orga- Os anseios de Edu para uma a importância da prevenção, o Instituto Bola Pra Frente ção da temática. nização - foi capitaneado por Edu, pelo fácil acesso que nova postura dentro da comunidade desenvolveu a campanha de comunicação: “Respon- Formado por seis comunida- tem às comunidades e pela sua maneira de atuar junto não é para menos. Segundo estudo sabilidade: Tenha sem Moderação”, em parceria com VEJA MAIS des - Triângulo, Coréia, Vila Eugênia, às pessoas, fazendo sempre a ponte entre o Instituto realizado pelo Núcleo de Pesquisa em uma agência de publicidade e totalmente articulada à NA PÁG. 27 Ferroviária, Muquiço e Presidente Var- Bola Pra Frente e os moradores do entorno. Um trabalho Inovação Social do Bola Pra Frente, as Campanha Bar de Responsa. gas, esta última onde fica a sede do digno de um agente de comunicação local em prol das crianças do Complexo experimentam A grande sacada da organização foi unir o esporte Instituto Bola Pra Frente - o Complexo atividades do Programa Jovens de Responsa. “Acredito bebida muito cedo. Em muitos casos, às atividades saudáveis para conscientizar as crianças, do Muquiço conta com 18 mil habi- que o meu trabalho pode ser uma oportunidade de os próprios pais mandam as crianças e jovens e suas famílias sobre o tema. Diversos equipa- tantes, 96 bares e doze escolas em mudar a realidade, mostrar para as crianças e jovens adolescentes comprarem bebidas. mentos públicos do Complexo do Muquiço se tornaram seu entorno, segundo levantamento que há outro caminho a seguir. Um caminho distante do Para conscientizar os bares a não palco para as produções dos materiais de comunicação realizado pelo próprio Edu e outros consumo indevido de álcool e mais próximo da cons- venderem bebidas alcoólicas a meno- e acabaram estampando os cartazes, flyers e camisetas44 45
  • REDE EM que foram elaborados pela campanha. Além disto, para que a população tivesse uma maior identificação com a campanha, vários jovens moradores da comunidade se tornaram modelos das peças de comunicação. importância dada à educação pela equipe do Bola Pra Frente e, de Edu, que sempre vestiu a camisa em prol da qualidade de ensino no país, motivo AÇÃO VEJA MAIS NA PÁG. 30 Um verdadeiro gol de placa, que contou com o que, ele próprio, relata ter sido uma Prática de Responsa: TV Jovens de Responsa apoio de um grupo de mães multiplicadoras que rece- das causas de sua permanência na Quem realiza: Instituto Crescer para a Cidadania, Associação beram uma capacitação para sensibilizar os pontos de função de dinamizador comunitário Novolhar e UNAS venda a aderir à Campanha. O Edu, como não poderia no Complexo do Muquiço. Inclusive, as Descrição: em formato de talk show, que consiste em deixar de ser, também marcou presença nestas ativida- atividades pedagógicas também são entrevistas e apresentação de conteúdo pelo comentarista, os jovens des, distribuindo os cartazes pelos bares do Complexo utilizadas como estratégias de comu- discutem sobre o consumo de álcool. e ainda enumerando pontos de venda que possam vir nicação, como no jogo de tabuleiro a ser credenciados a fim de serem reconhecidos em que visa conscientizar os jovens sobre premiações, por desempenhar corretamente a venda a temática e também os incentivam a Prática de Responsa: Momento Jovens de Responsa de bebidas alcoólicas. multiplicar o conhecimento. Quem realiza: Aldeia do Futuro, Associação Alfasol, Associação Nesta mesma proposta que enfatiza o esporte e E é esta mesma mensagem que Cidade Escola Aprendiz, Associação Junior Achievement Rio Grande doparada prevenção, a organização conta com outras inicia- tivas, como a Semana da Conscientização “Copa Edu transmite também para sua famí- lia. Pai de Luan, de 13 anos, Edu busca Sul, Oficina de Imagens - Comunicação e Educação e Viva Rio Descrição: inserção do tema da prevenção em eventos institucionais das organizações. Trata-se de eventos sem o consumoobrigatoria Consciente”, realizada em 2010. Nesse período, foram realizadas atividades esportivas e cultu- rais, como um campeonato de futebol com as ser um exemplo para o filho, não o esti- mulando a ingerir bebidas alcoólicas, afinal ainda é menor de idade. Segun- de álcool, nos quais a temática é trabalhada por meio da distribuição de materiais informativos, oficinas temáticas e disseminação de mensagens de conscientização. três faixas etárias (10 a 12 anos; 13 a 17 anos; do ele, “a ação é diária e contínua”, pois, “A Blitz realizada em prol do consumo e 18 a 24 anos); dinâmicas de grupo; ofi- para manter-se como um exemplo de consciente de álcool, em Heliópolis, é super cinas de basquete, de dança, de teatro, superação, afirma ter escolhido outro de grafite; confecção de receitas de be- “ângulo para ver as coisas”. Nesse sen- Prática de Responsa: Marcha Jovens de Responsa importante não só para mim, como também Quem realiza: Fundação Mauricio Sirotsky Sobrinho bida sem álcool e ainda degustação tido, Edu ainda relata que, na maioria para o jovens da região. Os adolescentes estão de drinks sem álcool. No total, 537 dos casos em que verificou a existência Descrição: caminhada nas ruas da comunidade para dissemi- cada vez mais envolvidos com o álcool e há pessoas participaram das ativida- de crianças e adolescentes fazendo uso nação de mensagens relacionadas ao consumo consciente de álcool. uma grande aceitação social e um estímulo da des. Por meio delas, foi possível inapropriado de bebidas alcoólicas, sociedade, sem se preocupar com o fato dele desenvolver o espírito de lide- isso teria ocorrido por influência ou até rança, de responsabilidade e mesmo convite dos próprios pais para Prática de Responsa: Inserção de notícias e fóruns de poder causar dependência e mudanças no com- discussão nas redes sociais de comprometimento dos o ‘primeiro gole’. portamento de quem faz uso indevido. Por isso, Quem realiza: Oficina de Imagens - Comunicação e Educação participantes, com muita Ciente de que seu filho não tem é preciso incentivar os jovens a não consumirem arte, cultura e esporte. a mesma liberdade que teve, quando Descrição: por meio das redes sociais, promovem debates a o álcool e, nesse sentido, a Blitz é uma ajuda e Os dados aci- criança, para brincar tranquilamente respeito da temática, com envio de mensagens diárias que estimu- tanto que poderia, inclusive, ser mais frequente” ma demonstram a nas ruas do Muquiço, Edu tem como lam a reflexão e a realização de práticas positivas, que possibilitem mudanças de atitudes e multiplicação do conhecimento. Jessica dos Santos Teixeira, 21 anos, moradora de Heliópolis. Já foi abordada, por duas vezes, pela Blitz da UNAS Veja o passo a passo de outras 58 práticas deste pilar na página46 47
  • Campanha elaborada pelo Bola Pra Blitz realizada pela UNAS, em São Paulo, leva informação sobre Frente une esportes e prevenção consumo consciente aos moradores do bairro será organizar uma balada sem álcool na Edu segue seu caminho. Entre um Fanzine elaborado pelos jovens da Casa do Zezinho divulga informações sobre a comunidade. O desejo surgiu a partir de breve olá e outras conversas mais temática do consumo consciente VEJA MAIS uma visita que fez à UNAS, na zona oeste longas com os moradores, esse di- NA PÁG. 19 da cidade de São Paulo. Lá conheceu a namizador comunitário dá a dica Balada Black sem álcool organizada pela quando o assunto é comunicar anote ai meta mudar para melhor o lugar onde nasceu e se criou. “A comunidade não faz de nin- guém bom ou ruim. A facilidade de se acessar equipe do projeto Jovens Alconscientes. Para transformar esse sonho em reali- dade, Edu já está fazendo uso de suas para mobilizar. E como não há limites para as boas intenções, ele demonstra ter De acordo com estudo do IBOPE, pensando na coisas negativas é que determina quem você habilidades como dinamizador comuni- disposição para transformar muitos conscientização da sociedade sobre os riscos relacionados é ou quem você se tornará um dia”, com- tário nato: “é preciso dialogar, envolver as de seus sonhos em realidade junto às ao consumo de álcool entre menores de idade, todos os plementa. Talvez, por essa razão, o trabalho pessoas que estão ao redor para conquis- pessoas com as quais sempre conviveu entrevistados – jovens, familiares, donos de bares etc. realizado pelo Instituto Bola Pra Frente na tar o que queremos”, sintetiza. e que, por meio do respeito e da cultura – acham necessário e relevante que se faça campanhas comunidade do Muquiço seja tão importante É assim, com a construção de do ouvir, o mantém atento a todas as de conscientização e são receptivos a esta ideia. Entre os para a conscientização sobre o consumo de exemplos positivos, com a diminuição de demandas do lugar onde vive. pais, a expectativa é de que um movimento neste sentido possibilidades de influências negativas e, favoreça o diálogo sobre o tema na família, auxilie com álcool antes de 18 anos de idade. Dono de sonhos e de um sorriso mo- ainda, com a conscientização da popula- conteúdos relevantes e estratégias de convencimento. tivador, Edu explica que seu próximo passo ção sobre a urgência de um modo de vida Fonte: Pesquisa IBOPE/Governo do Estado de São Paulo - Consumo de bebidas mais digno e com mais qualidade, que alcoólicas por menores (2011)48 49
  • de 18 anos icas entre menores o de bebidas alcool Queda do consum Avaliação aponta impactos cao das ações da Rede Jovens de Responsa liaava Projetos e programas sociais enfrentam um respostas positivas das ações. “Para tanto fizemos inteiro, inclusive na balada. “Assim, foi possível desafio cotidiano em suas ações: de que forma medições antes do projeto iniciar, logo após a compreender como esse jovem incorpora a mensurar e identificar os reais resultados alcança- intervenção e, novamente, nos dois anos seguin- temática, se de fato as ações fazem sentido na dos pelas iniciativas frente às diversas demandas tes”, explica. Segundo a pesquisadora, a seriedade vida do indivíduo e como ele se comporta na existentes? A tarefa não é fácil, mas é essencial pela escolha deste tipo de avaliação demonstra as prática com o que vivencia no projeto”, explica para aqueles que querem, de fato, promover trans- preocupações reais do Programa Jovens de Respon- Luciana Aguiar. formações sociais. Assim, a avaliação ganha, cada sa sobre o impacto de longo prazo e relevância das A pesquisa apontou ainda que a idade de vez mais, um espaço central nas organizações, pois ações construídas com a intervenção. consumo aumentou de 14,06 anos no início das permite compreender, de forma contextualizada, De acordo com a pesquisa, em pouco mais ações para 14,36 anos na última aferição. “Esse é anos atua com pesquisas em projetos todas as dimensões e implicações das atividades de dois anos do início das ações do Programa um dado muito relevante porque diz respeito a sociais, o grande sucesso do programa desenvolvidas, com vistas a estimular seu aperfei- Jovens de Responsa na região, a proporção de uma mudança de comportamento e de cultura, está em encontrar formas de inibir o çoamento e apresentar os impactos gerados para jovens que já compraram bebidas diminuiu de que normalmente leva muito tempo para acon- consumo de álcool e não de coibi-lo. a sociedade. 67% para 46%, impacto considerável no acesso à tecer”, ressalta a pesquisadora. “É buscar com o que o jovem enten- Diante disto, o Programa Jovens de Responsa bebidas por menores de idade. A partir do estudo, foi possível perceber da o porquê de não beber antes dos realiza, desde o seu início, avaliações periódicas Como complemento à avaliação quanti- que, diferente do que é apontado pelo senso 18 anos e ter a bebida como parte da junto às organizações participantes. Em 2010, a sua tativa, que apresentou a dimensão e escala das comum, os jovens têm, sim, muita curiosidade socialização das pessoas e não como primeira avaliação foi focada na região de Heliópolis, ações, foi feita uma avaliação também qualita- sobre o tema e buscam meios para se informar a meio de exclusão, como acontece zona Sul de São Paulo, e contou com a ajuda de uma tiva, em que os pesquisadores acompanharam respeito do assunto. quando seu consumo é indevido. instituição de pesquisa independente, o Plano CDE. os jovens envolvidos no programa por um dia Para a pesquisadora, que há cerca de 20 “Ações de preven- Em pouco tempo, o programa O objetivo da avaliação foi mensurar o impac- ção do consumo e conseguiu impactar essas duas to do programa nos seguintes níveis: percepção do venda de álcool para frentes”, conclui. Os resul- menores são de ex- problema; conhecimento dos efeitos das bebidas alcoólicas; mudança de comportamento e multi- resultados destaque tados conquistados pelo Jovens de Responsa vêm trema importância para plicação de conhecimento para seus pares (outros evitar o consumo indevido. A frequência de consumo entre os Na avaliação, aferiu-se que 98% dos jovens comprovar que, um jovens, por exemplo). A avaliação foi feita a partir Um programa de prevenção jovens com idade entre 14 e 15 anos consideram importante ter projetos que trabalho de prevenção de levantamento realizado junto a grupo controle, como o Jovens de Responsa, realizado em rede, investigando e comparando os dados com a comu- também diminuiu: aqueles que falem sobre os efeitos de bebidas que demonstra resultados por e com qualidade, nidade de Paraisópolis, que apresenta características bebiam uma vez por mês passou alcoólicas, e 65% dizem que só poderia gerar: meio de uma avaliação indepen- e cenário social bastante similar ao de Heliópolis. de 30% para 21%. E, o número gostariam de saber mais sobre muita consciên- dente, serve como base para a im- Para Luciana Aguiar, antropóloga, sócia do médio de doses consumidas em o que estes efeitos causam no plantação de políticas públicas base- cia e atitude! CDE e uma das responsáveis pelo estudo, o uso do diferentes locais, também caiu organismo, apontando que o adas em evidências” parâmetro comparativo possibilitou a investigação sensivelmente: de nove para tema ainda não é suficientemente das ações diretas do programa, excluindo possí- sete doses nos bares, de sete discutido na sociedade. veis mudanças sociais que contribuiriam para as para cinco doses em festas na Bettina Grajcer – médica e especialista em prevenção comunidade e de seis para quatro 50 na casas de amigos. 51
  • Atividades com jovens o Dinâmica: Saco Jogo Pedagógico: esquete de ass de perguntas Lidere (*adaptado) responsa ap Nome da organização: Instituto Bola Pra Frente Objetivo: desenvolver a autonomia e a cooperação do jovem, Nome da organização: CUFA e Instituto Nome da organização: Casa do Zezinho reforçando o seu potencial de liderança positiva para que os Crescer para Cidadania Objetivo: Promover discussões sobre diversos próprios adolescentes atuem na prevenção ao consumo de bebidas Objetivo: propiciar ao jovem, por meio temas relacionados ao consumo do so alcoólicas. do teatro, a vivência de experiências álcool de maneira lúdica. Materiais necessários: materiais para a execução dos desafios sobre o uso abusivo de álcool. Materiais necessários: roteiro de perguntas,pas estabelecidos (ex: bola, cone, bambolês, papel e caneta). Materiais necessários: objetos cênicos, saco de material opaco e garrafa plástica vazia. figurinos, papel e caneta. Como fazer: Como realizar: 1. Criar um “Tabuleiro Humano” formado por cinco colunas onde Como realizar: 1. Preparar previamente questões relacionadas cada uma representará um tema e uma cor (ver modelo no site: 1. Iniciar a atividade com uma roda de ao uso consciente de álcool. Exemplos de www.ambev.com.br). conversa sobre o álcool por meio de perguntas: O número de linhas do “Tabuleiro Humano” variará de acordo com experiências vivenciadas na comunida- a. Beber ajuda a ter coragem ou a perder a o número de perguntas e atividades planejadas. de. Esta introdução ao assunto, a partir vergonha de “chegar” em alguém por quem o 2. Fazer uma lista de perguntas e de atividades a ser realizada para de terceiros, facilita a aproximação com o adolescente esteja interessado? cada ícone. jovem. Algumas sugestões de perguntas: - O álcool tende a diminuir a timidez podendo Exemplo: a. Há muitos bares na comunidade? deixar a pessoa mais confiante para “chegar” - Tema Esporte: b. Vocês têm amigos que bebem? em alguém. Porém, essa confiança aumenta Atividade: equilibrar a bola em cima da cabeça por mais tempo. A c. Já viram algum bêbado ‘pagar mico’? a possibilidade de fazer algo embaraçoso na equipe deve escolher um representante para realizar a atividade. 2. Em seguida, propor um jogo teatral frente da pessoa de interesse. Pergunta para equipe vencedora da atividade: um jovem atleta de aquecimento, em que os jovens b. Uma lata de cerveja tem a mesma quantida- consumiu álcool na noite anterior à partida. Esse consumo não irão dramatizar algumas das situações de de álcool que: influenciará no rendimento da partida. Pontuação:. Práticas de 1. Uma taça de vinho 2. Uma dose de cachaça a. ( ) Verdadeiro b. ( x ) Falso discutidas no item acima. Ex: bêbado pagando mico. responsa 3. Uma garrafa de bebidas “Ice” 3. Solicitar que escrevam, em grupos, 3. Formar as equipes. Podem participar até 20 jogadores, divididos uma esquete ou texto a partir da 4. Todas as anteriores por quatro equipes discussão realizada no item 1. Os grupos c. Uma xícara de café bem forte e/ou um 4. Pedir às equipes que escolham um líder. devem criar situações em um determina- banho frio corta o efeito do álcool? 5. Apresentar as regras do jogo: do contexto, ex: festa, casa, bar, volta da Acompanhe o passo a passo de diversas R: A cafeína, assim como o banho frio, deixa - Somente o líder transmitirá as ideias da equipe para o mediador e escola etc. Dentro do mesmo contexto, a pessoa mais alerta, mas não interfere na experiências e seja também um multiplicador metabolização do álcool. marcará a pontuação. O mediador será o orientador do jogo. cada aluno cria seu personagem, eviden- destas iniciativas. - A pontuação será da seguinte maneira: ciando com isso sua percepção sobre o 2. Convidar o grupo para sentar-se em círculo. Atividades: 1ª equipe a concluir a atividade: 4 pontos; 2ª equipe: 3 álcool (positiva ou negativa). O grupo 3. Colocar a garrafa no meio da roda e girá-la. pontos; 3ª equipe: 2 pontos; 4 ª equipe: 1 ponto; demais equipes: 0. Materiais complementares estão disponíveis 4. A pessoa para quem o fundo da garrafa Perguntas respondidas: 2 pontos para resposta certa e 0 para a deve dar um desfecho único à cena para apontar deve retirar uma pergunta do saco e que as percepções individuais caminhem no site: www.ambev.com.br (página Consumo errada. juntas para uma consolidação do grupo. a pessoa para quem o gargalo aponta deve Responsável) responder a questão. 6. O mediador inicia o jogo com as atividades do primeiro tema 4. Ensaiar o texto e as cenas. Liderança. A equipe vencedora da atividade ganha o direito de 5. Preparar o cenário, que pode ser com- 5. O coordenador pode completar a resposta resposta. posto apenas por objetos cênicos como caso ache necessário. Para isso, deve ter em 7. Quando encerrarem as perguntas relativas ao tema Liderança a cubos, cadeiras etc. mãos as respostas de todas as perguntas. pontuação deve ser lançada no placar e as equipes avançam para 6. Apresentar as esquetes aos demais 6. A pessoa que responder a pergunta pode o tema seguinte. Independente da colocação da equipe, os líderes grupos. retirar outro papel do saco, girar a garrafa e avançarão as casas temáticas do “Tabuleiro Humano” até o último 7. Avaliar as apresentações e ensaiar fazer uma nova pergunta. tema (Arte e Cultura). novamente, a fim de aperfeiçoar as 7. O jogo continua até que todas as perguntas 8. Ao final, a equipe que somar mais pontos é a vencedora. esquetes a partir das contribuições dos tenham sido respondidas. colegas. Dicas para replicação: 8. Apresentar para a comunidade. Dicas para replicação: 1. Cada organização deve formular perguntas pertinentes a sua 1. Caso o grupo seja pequeno ou as pessoas realidade. Dica para replicação: estejam bastante envolvidas, algumas ques- 2. A temática das perguntas pode variar contanto que parte delas 1. Antes de partir para a criação de esque- tões podem ser endereçadas ao grupo todo. seja sobre álcool. tes, é interessante trabalhar jogos de 2. As perguntas podem ser modificadas de 3. No ícone “Arte e Cultura” pode-se propor às equipes a criação improviso menos complexos e extensos. acordo com o tema de interesse de cada gru- de músicas, esquetes, desenhos, gritos de guerra, coreografias e po, que podem promover novas questões. textos/cartazes relacionados ao tema. A vencedora será a eleita pelo grupo como a melhor. 52 53
  • Eventos Cine de Responsa Festival Helipa Balada black Torneio de Music Responsa Nome da organização: UNAS Nome da organização: UNAS Nome da organização: Instituto Bola Pra Frente Objetivo: conscientizar e promover a prevenção em relação ao Objetivo: conscientizar os jovens menores de 18 anos de Objetivo: promover, por meio de atividades esportivas e Nome da Organização: Cipó - Comunicação Interativa consumo precoce e abusivo de álcool entre jovens menores de 18 que é possível se divertir sem o consumo de bebida alcoólica. jogos pedagógicos, a prevenção e conscientização sobre Objetivo: incentivar os jovens a refletirem sobre o anos por meio de um festival musical. Materiais necessários: o consumo de bebidas alcoólicas. consumo indevido de álcool e seus efeitos por meio de Materiais necessários: 1.Espaço adequado (quadras esportivas; salão; galpão etc); Materiais necessários: Material de capacitação dos exibições de vídeos. 1.Espaço adequado; 2. Parceiros; educadores em prevenção do uso indevido de álcool e Materiais necessários: computador, DVD, datashow, 2. Equipamento de som (computador, caixa amplificadora, 3. Equipamento de som (computador, caixa amplificadora, materiais necessários para a realização das atividades telão, caixa de som e materiais educativos sobre o uso microfone etc); microfone etc); esportivas. indevido de álcool (panfletos, folders, cartilhas, cartazes). 3. Equipamento de luz; 4. Equipamento de luz; 4. Materiais de comunicação (cartazes, folhetos, e-mails); 5. Descartáveis; Como realizar: Como realizar: 5. Equipe: Comunicação (design e divulgação); Portaria /Seguran- 6. Materiais de comunicação (cartazes, folhetos, e-mails); 1. Definir as modalidades esportivas e atividades peda- 1. Formar uma equipe (Cine Clube) que pode contar com ça; Produtor; Limpeza; Curadoria e Júri. 7. Bebidas (suco, água, refrigerante, drink sem álcool); gógicas a serem disputadas. a participação de jovens e educadores para dar suporte às 8. Bar (geladeira ou isopor); 2. Definir a faixa etária e público beneficiário (jovens da atividades. Como realizar: 9. Material de decoração; instituição, escolas etc). 2. Pesquisar vídeos de curta ou longa metragem que 1. Montar uma equipe para organizar o evento, dividindo responsa- 10. Equipe: Comunicação (design e divulgação); Portaria/Se- 3. Criar o regulamento do Torneio: data da competição, tratem, direta ou indiretamente da temática de álcool, ou bilidades. gurança; Monitores; Barman; Produtor; Limpeza; DJ e atrações regras das atividades, critérios de avaliação para as mo- de temas correlatos como: esporte, lazer, saúde, relação 2. Construir um cronograma de trabalho com as atividades a serem artísticas da região; Fotógrafo. dalidades (ex: basquete, futebol etc) e premiação. entre amigos e família etc. realizadas e os prazos necessários para serem concluídas e um Além das atividades esportivas, também contarão pon- 3. Mapear e articular espaços na comunidade onde o Cine orçamento com todos os gastos. Acompanhar o cronograma e o Como realizar: tos: a. Fair Play(*); b.Melhor torcida e grito de guerra (com de Responsa possa ocorrer: escolas, creches, associações orçamento. 1. Montar uma equipe para organizar a festa, dividindo o tema “consumo consciente de álcool”); c.Vídeo (cada comunitárias, centros de saúde, praças, quadras, entre 3. Eleger um tema para o festival como: “Juventude e diversão: responsabilidades para as duas etapas do evento: a. Pré- escola/grupos deverá gravar previamente um vídeo de outros. é possível se divertir sem álcool?”; “Consciência e atitude”; “Uso -produção (antes do evento) e b. Produção (no dia do evento). cinco minutos com o tema: “álcool, esporte e comu- 4. Agendar dias e horários para a realização do Cine de abusivo de álcool”, entre outros. 2. Construir um cronograma de trabalho com as atividades a nidade”). Os três melhores vídeos serão apresentados Responsa em cada um dos locais. 4. Definir inscrição: serem realizadas e os prazos necessários para serem concluí- durante o Torneio. 5. Planejar e executar ações de divulgação e mobilização - Definir categorias para a inscrição no festival: rap, forro, funk etc. das e acompanhar semanalmente. Exemplo: 4. Realizar a capacitação com os educadores que estarão de público: cartazes, panfletos, visitas às turmas das esco- - Construir a ficha de inscrição, definindo regras para recebimento - Definir o local, data e horário local: semana 1 à frente do Torneio (educadores, multiplicadores, jovens las, rádio comunitária, blogs, redes sociais etc. das inscrições. Por exemplo: enviar por e-mail a ficha de inscrição - Definir público-alvo, nome e tema da festa: semana 1 líderes etc.). 6. Escolher o filme a ser exibido de acordo com o público preenchida e a letra da música que será apresentada até a data - Elaborar orçamento com gastos e definir possíveis receitas: 5. Divulgar o Torneio e a inscrição das equipes. previsto para cada ocasião. Levar em consideração ques- determinada. semana 1 6. Os dias de Torneio devem ser divididos em duas eta- tões como: idade, sexo, gênero, escolaridade, facilidade ou 5. Seleção: definir prazos e critérios de avaliação (por exemplo: a co- - Criar material de divulgação e fazer a divulgação: semanas pas: 1º etapa: atividades esportivas e 2º etapa: game com não para ler legendas etc. erência da letra da música com o tema do festival; ritmo; melodia; 2a4 perguntas. Neste game, devem ser realizadas perguntas 7. Planejar, a partir do conteúdo do filme, reflexões para execução; interpretação etc), premiação para os grupos (gravação - Conseguir doação ou contratar som, iluminação, bar, mate- sobre esporte, cultura, conhecimento geral e consumo serem realizadas com o público sobre a prevenção ao uso de um vídeo clipe, computador, mesa de som etc); e escolher e rial de decoração e descartáveis: semanas 3 a 5 consciente de álcool (quiz). indevido de álcool. convidar os jurados. - Contratar equipe de terceiros - portaria/segurança, moni- 7. Definir a pontuação para: 1) atividades esportivas; 8. Realizar a projeção do filme e provocar o diálogo após 6. Elaborar e realizar a divulgação do festival em escolas, centros tores, barman, produtor, limpeza, DJ, atrações artísticas da 2) Game com perguntas; 3) Fair Play, torcida e vídeo. A a exibição. comunitários e culturais locais etc. Após a inscrição dos grupos, região, fotógrafo etc.: semanas 4 e 5 equipe vencedora será a que somar mais pontos nas a equipe de curadoria deve realizar a seleção dos participantes e - Fazer lista de músicas para festa e realizar a balada: semana 5 categorias acima. Dicas para replicação: informá-los que foram selecionados. 3. No dia da festa, chegar com antecedência para preparar e 1. Escolher um nome e marca adequados ao grupo res- 7. Elaborar a agenda de apresentações. testar todos os equipamentos. (*) Observação: o Fair Play representa os benefícios de ponsável pelo Cine Clube, o que facilitará o contato com o 8. Divulgar o evento junto ao público em geral e jurados. Levan- 4. Após o evento, limpar o local e assegurar que todos os ma- cumprir as regras, ter bom senso e respeitar todos os público local. tar com os participantes os equipamentos que serão utilizados e teriais estão guardados corretamente. Lembrar-se das lixeiras participantes. Ao final da partida, o educador se reúne 2. Caso a organização não tenha um telão, a projeção providenciá-los. e de destinar corretamente os resíduos. com as equipes a fim de analisar a conduta desportiva pode ser feita com papel metro branco, verso de banner 9. No dia do festival, a equipe de produção deverá chegar com 3 5. Informar todos os parceiros da festa como foi o evento e de todos dentro e fora do campo. Uma equipe avalia a ou até mesmo diretamente na parede. horas de antecedência ao evento para organizar, decorar e checar agradecê-los pelo apoio. outra, pontuando da seguinte maneira: Respeito: a. Em 3. Fazer uma lista de presença do público presente, com equipamentos, materiais, fichas dos participantes e premiação a todos os momentos (3 pontos); b. Na maioria das vezes (2 nome, idade, telefone e endereço eletrônico para facilitar ser oferecida. Dicas para replicação: pontos); e c. Em alguns momentos (1 ponto). a divulgação do próximo evento. 10. Informar todos os parceiros da festa como foi o evento e 1. Criar uma lista de possíveis imprevistos para tentar evitá- agradecê-los pelo apoio. -los. Entre os mais comuns estão: excesso ou falta de público 11. Realizar uma reunião de avaliação com a equipe. e falhas técnicas. 2. Ter cuidado com o conteúdo das músicas. É interessante Dicas para replicação que as letras não façam apologia ao álcool, às drogas, à 1. Fazer uma lista de presença do público presente, com nome, violência ou qualquer tipo de preconceito. idade, telefone e e-mail para facilitar a divulgação do próximo 3. Comerciantes da comunidade podem apoiar a iniciativa evento. com doação de produtos ou contribuição financeira. 2. Divulgar músicas vencedoras em eventos na comunidade ou54 rádios locais. 55
  • Bar de Responsa Capacitação de educadores Campanha virtual Eventos nos Capacitação de Quiz Bar de Responsa bares Agentes de Saúde Nome da organização: Associação Cidade Escola Aprendiz Objetivo: sensibilizar os donos de bares a não Nome da Organização: CUFA Nome da organização: Viva Rio Nome da Organização: Lynx Consultoria vender bebidas alcoólicas a menores de 18 anos e Objetivo: sensibilizar os donos de bares a não vender Objetivo: tornar os agentes de saúde do Programa Objetivo: aprofundar o conhecimento sobre diversos incentivar o consumo responsável de jovens acima bebidas alcoólicas a menores de 18 anos e incentivar o Saúde da Família (PSF) habilitados para desenvolver aspectos relacionados ao álcool. desta idade, assim como divulgar os bares que de- consumo responsável de jovens acima desta idade, por meio ações de prevenção ao uso abusivo de álcool entre Materiais necessários: Cartas de respostas (A, B, C, D, E), senvolvem boas práticas nesta área na comunidade. da organização de eventos conscientes. menores de idade. flipchart e caneta para marcação. Opcionais: computador, Materiais necessários: matérias jornalísticas sobre o Materiais necessários: papel, caneta, computador, cartazes, Materiais necessários: materiais de apoio sobre projetor e telão. tema, blog ou site da instituição, cartazes de divulga- CD player, sonorização ou equipamento de DJ e materiais o tema (livros, textos, pesquisas etc), computador, ção, câmera filmadora, gravador, computador, papel em acordo com a ação a ser realizada. datashow, papel e caneta. Como realizar: e caneta. 1. Preparar previamente questões relacionadas ao álcool, Como realizar: Como realizar: com questões de múltipla escolha. Exemplos de perguntas Como realizar: 1. Montar um grupo com vários jovens da comunidade e 1. Identificar um grupo de agentes de saúde interessa- (valem desde perguntas técnicas como curiosidades e pe- 1. Mapear, aproximadamente, 30 bares na comuni- capacitá-los sobre a temática. dos no tema. Neste momento é importante estar bem gadinhas). Veja mais perguntas no site: www.ambev.com.br dade, priorizando os estabelecimentos próximos aos 2. Ir a um bar da comunidade a fim de sensibilizá-lo a não alinhado com os gestores das Unidades de Saúde da locais freqüentados por jovens (ex: escolas, espaços vender bebidas para menores de idade. É importante que Família (USF) para que estes apóiem a iniciativa. - Quem fabricava cerveja há cerca de 8 mil anos a.C.? culturais, entre outros). a abordagem seja coletiva, pois individualmente o dono do 2. Realizar uma formação inicial intensiva sobre o uso a. Povos bárbaros europeus 2. Conversar com os donos destes bares a fim de bar poderá ficar receoso que seja fiscalização. de álcool: o que é o álcool; efeitos no organismo; por- b. Os sumérios sensibilizá-los para a temática e convidá-los a partici- 3. Durante a sensibilização, conversar sobre os impactos que menor de 18 anos não deve beber; como orientar c. Os chineses par da campanha. negativos para a sociedade e o próprio estabelecimento os familiares; modelos de prevenção etc. É importante d. Tribos africanas 3. Selecionar cinco bares com o perfil mais próximo sobre a venda de bebidas para menores e para quem já está também apresentar a estes agentes metodologias e Resposta correta: Os sumérios ao objetivo da campanha. alcoolizado. Uma vez sob o estigma de bar de “bêbados” práticas de como realizar atividades com o público 4. Produzir vídeos com os depoimentos dos donos dificilmente atingirá outros públicos. sobre o tema, como dinâmicas de grupo e oficinas. - Os efeitos de álcool são dose-dependentes. O que isso dos cinco bares justificando porque são “Bares de 4. Após a conversa inicial, o grupo propõe ao dono do bar a 3. Solicitar que os agentes pensem maneiras de incor- quer dizer? Responsa”. realização de um evento consciente no local. Caso ele aceite, porar os conhecimentos adquiridos em seu cotidiano, a. Os efeitos têm relação diretamente proporcional a quan- 5. Publicar os vídeos no blog ou site da instituição e deverá ser feita uma assinatura de termo de compromisso. tanto nas visitas domiciliares quanto na Unidade de tidade ingerida divulgar também nas redes sociais, convidando os O grupo deve ressaltar que, durante os eventos, o dono do Saúde, contribuindo para a identificação precoce de b. Os efeitos podem causar dependência internautas e a comunidade local a escolher o esta- bar poderá aumentar sua lucratividade ao atrair um público padrões de uso inadequados. c. Que álcool pode causar dependência em qualquer dose belecimento que consideram o “Bar de Responsa”. diferenciado e vender produtos não alcoólicos e alimentos. 4. Estimular que pesquisem serviços e oportunidades d. Nenhuma das anteriores 6. Elaborar cartazes de divulgação da votação e 5. O grupo, junto com o dono do bar, deverá propor um acessíveis para os jovens e a população em geral na Resposta correta: Dose-dependentes quer dizer que os distribuir nos bares. É importante que os donos dos evento que tenha relação com a identidade do local. Num comunidade, formando uma rede local de apoio: efeitos têm relação diretamente proporcional a quantidade estabelecimentos também se envolvam na mobiliza- bar frequentado por público tipicamente mais velho e programas de lazer, projetos de formação, Centros ingerida ção para a votação. masculino, por exemplo, pode ser realizado um campeonato de Atenção Psicossocial (Caps), universidades com 7. Realizar a votação no site. de sinuca e, num restaurante com comidas típica do norte, atendimento à comunidade, entre outros. Desta - O uso de álcool na adolescência pode levar a: 8. Publicar os vencedores no site e entregar a pode ser feita uma roda de samba. forma, os agentes poderão orientar as famílias para o a. Prejuízo de memória premiação. 6. O grupo sensibilizador deve ajudar na divulgação e serviço adequado. b. Piora no desempenho escolar organização do evento, desde que haja engajamento do 5. Realizar reuniões e formações periódicas para c.Baixa autoestima Dica para replicação: comerciante. acompanhar e avaliar o desenvolvimento do trabalho d. Todas as anteriores 1. Caso a organização não disponha de recursos au- dos agentes. Resposta correta: Todas as anteriores diovisuais, não é necessária a produção dos vídeos. Dica para replicação Pode-se utilizar recursos da própria comunidade, 1. Envolver sempre grupo de jovens da comunidade, pois Dica para replicação: 2. Dividir os participantes em grupos de até oito pessoas e como um jornal de bairro e/ou um blog comunitário, facilita a aceitação dos bares. 1. Realizar atividades de lazer e esportivas dentro da solicitar que escolham um nome e grito de guerra para a ou incentivar a produção de um fanzine, que é de USF é uma forma de aproximar os agentes de saúde sua equipe. custo baixo. O importante é a avaliação de como e dos públicos que pouco acessam o serviço, como 3. Distribuir as placas: A, B, C e D entre os grupos. onde divulgar o bar como “Bar de Responsa”. adolescentes e jovens. 4. O mediador deverá iniciar as perguntas. 5. Os grupos terão 15 segundos para decidir qual é a alter- nativa correta e separar a placa correspondente. Ao sinal do tempo determinado, cada grupo deverá levantar a letra correspondente à alternativa escolhida. 6. O mediador anota as respostas dos grupos. Cada resposta correta, o grupo ganha 1 ponto. É importante que o media- dor comente a respeito da resposta correta. 7. Ao final, a equipe que somar mais pontos é a vencedora.56 57
  • Ações de comunicação Blitz Campanha de Fanzine de Rádio ao vivo Prevenção Prevenção Nome da Organização: UNAS Nome da organização: Cipó - Comunicação Interativa Nome da Organização: Casa do Zezinho Nome da organização: Instituto Crescer para a Cidadania Objetivo: divulgar material informativo sobre o consumo Objetivo: produzir e disseminar peças de comunica- Objetivo: divulgar a mensagem do uso indevido de álcool Objetivo: produzir um programa de rádio com a partici- consciente de álcool para toda a comunidade. ção elaboradas por adolescentes e jovens sobre o uso entre menores de 18 anos de jovem de maneira direta e pação da comunidade, inserindo a temática de álcool nas Materiais necessários: indevido de álcool. criativa. matérias. 1. Materiais de comunicação (folheto informativo sobre o Materiais necessários: equipamentos para produção Materiais necessários: gravador, papel, caneta, lápis Materiais necessários: caixas de som, mesa de som, am- uso indevido de álcool. Caso seja possível, carro de som, das peças (computador, máquina fotográfica, filmadora, colorido, revista, tesoura, cola, computador com acesso à plificador, papel, canetas, cabos, microfones, computador spots e matérias na rádio comunitária e brindes para aparelhagem de rádio etc.). O equipamento pode variar internet. e gravador digital. distribuir); de acordo com as linguagens de comunicação esco- 2. Equipe: divulgação (5 a 10 pessoas); produção (1 pessoa); lhidas, que podem ser: rádio, vídeo, fotografia, jornal, Como realizar: Como realizar: e registro (1 pessoa). entre outros. 1. Explicar aos jovens a proposta de um fanzine, que é 1. Em grupo, decidir as pautas (temas das matérias) que uma mistura de revista e folheto informativo. No fanzine, serão elaboradas. Para um programa de prevenção é Como realizar: Como realizar: é possível escolher o formato e há mais liberdade para a interessante abordar temas como: efeitos de álcool no 1. Definir um grupo para realizar a blitz. É importante que 1. Organizar um grupo de jovens que tenha habilidades produção dos textos, imagens e gravuras, utilizando-se, corpo; motivos para o menor de 18 anos não beber; locais os participantes gostem de conversar, que não tenham em comunicação (escrita, vídeo, fotografia, expressão principalmente, colagens. de lazer na comunidade; consumo de álcool por menores problemas com o uso de álcool e não sejam radicalmente oral, internet, desenho etc.). Caso o projeto possa fazer 2. Definir o número de páginas da publicação, os temas a e sonhos para o futuro; entre outros. contra seu uso. algum tipo de formação (mesmo que básica) em deter- serem trabalhados em cada uma das páginas e o tamanho 2. Cada integrante deve pesquisar sobre a pauta de sua 2. Planejar e definir todos os itens para a realização da blitz: minadas linguagens, esse grupo pode ser constituído de cada matéria. É importante já definir o tema de maior responsabilidade. local (pontos de grande movimentação); data e horário; durante a capacitação. destaque, que será publicado na capa. 3. Construir o roteiro coletivamente: montar a estrutura materiais de apoio opcionais (carro de som, créditos no 2. Escolher as linguagens que serão contempladas. Para 3. Dividir o grupo em pequenas equipes, sendo um jovem do programa (ex: ordem das matérias, falas que serão celular se tiver link direto com a rádio); quem fará e como isto, levar em consideração: os equipamentos disponí- responsável pelo texto e outro pela ilustração ou fotografia. lidas ao vivo, entrevistados, vinhetas etc). será o registro da ação. veis, o recurso financeiro para replicação das peças, os 4. Discutir o enfoque das matérias e definir com os jovens 4. Criar e gravar as vinhetas da rádio. 3. Desenvolver o material informativo com a participa- conhecimentos técnicos do grupo e as características as informações que precisam ser buscadas para elaboração 5. Agendar com as pessoas e grupos que serão entrevis- ção de jovens. É importante que eles pesquisem sobre a da comunidade em que a campanha será executada. dos textos. Para um fanzine de prevenção é interessante tados ao vivo ou que participarão de alguma forma da consequência do uso de álcool entre menores de 18 anos 3. Realizar reuniões do grupo para definir: nome e tema abordar temas como: efeitos de álcool no corpo; motivos rádio, de acordo com roteiro estabelecido. e transforme as informações em uma linguagem jovem e da campanha; público-alvo; peças que serão elabo- para o menor de 18 anos não beber; locais de lazer na co- 6. Realizar as entrevistas e gravar os textos, quando não acessível. radas; mensagens que devem constar nos produtos munidade; consumo de álcool por menores e sonhos para forem ao vivo. 4. Procurar parceiros para materiais de apoio. Ex: faculdade (exemplos: ‘Beba Consciente!’; ‘Pratique esporte’; ‘Tenha o futuro; entre outros. 7. Editar o programa. ou posto de saúde para apoio técnico; gráfica para impres- uma vida saudável!’ etc); cores que devem ser trabalha- 5. Durante a produção da reportagem, as duplas devem 8. Executar o roteiro ao vivo na rua, praça ou qualquer são do material; rádio local para fazer link ao vivo etc. das, etc. levantar as informações pela internet e por meio de entre- local da comunidade. 5. No dia da blitz: 4. Montar o plano de trabalho definindo tarefas, respon- vistas. 9. Avaliar o processo. - Marcar um ponto de encontro com todos os participantes sáveis, custos, prazos etc. 6. Após a etapa de apuração, os jovens “repórteres” deverão e chegar ao local com 1 hora de antecedência. 5. Realizar reuniões do grupo para monitoramento, ava- escrever a matéria e os demais buscarem em revistas ou Dicas para replicação: - Alinhar com os participantes como será o dia, tirar dúvidas liação e revisão do plano de trabalho periodicamente. internet fotos e ilustrações que enfatizem a mensagem 1. Definir um bom horário e local para apresentação da e elaborar um roteiro sobre importância do consumo Esta continuidade é importante para que a campanha que está sendo passada. É essencial que a dupla de arte e rádio, que tenha uma grande circulação de pessoas. consciente para a comunidade e esmiuçar o material de tenha identidade e unidade. texto esteja alinhada para que a mensagem escrita e visual 2. Desenvolver todas as atividades coletivamente. comunicação (folheto informativo) para os participantes 6. Produzir cada uma das peças da campanha. estejam em harmonia. 3. Caso exista uma rádio comunitária, articular com os da blitz. 7. Criar e executar um plano de disseminação da 7. Cada dupla deverá organizar o texto e a colagem na responsáveis para veiculação do programa produzido. - Em seguida, começar a blitz entregando o material de campanha. página determinada. comunicação e expondo sobre importância do consumo 8. Grampear ou amarrar com barbante as páginas do consciente às pessoas. Dicas para replicação: fanzine. 1. É importante construir toda a campanha em grupo, 9. Fazer as cópias e distribuir para a comunidade. Dicas para replicação: desde a concepção até a disseminação, para que todos 1. Levantar com a equipe os possíveis problemas (reclama- os envolvidos se sintam parte do processo e adquiram Dica para replicação: ção de barulho, pessoas desinteressadas ou com opiniões novos conhecimentos sobre o assunto. 1. É essencial pensar qual é o público leitor e as mensagens divergentes etc.) e antecipar soluções. 2. Envolver os jovens na produção de peças educativas que o fanzine pretende divulgar para, a partir daí, planejar a 2. Caso a organização for responsável pela produção do de comunicação facilita, pela linguagem utilizada, a publicação como um todo antes de dividir as equipes. material informativo, é interessante que a equipe da blitz aproximação com outros jovens. 2. No tema da prevenção, é importante que as matérias participe do desenvolvimento do conteúdo para que esteja 3. A campanha de comunicação pode ser construída e transmitam informações verdadeiras, não preconceituosas melhor preparada para abordar pessoas na rua. disseminada a partir de outras atividades sobre o tema, ou alarmistas. como uma balada sem álcool e eventos esportivos e culturais, por exemplo.58 59
  • para saber mais rede jovens de responsa Associação Cidade Escola Aprendiz Central Única das Favelas (CUFA) Centros de pesquisa e acesso a estudos sobre o Pesquisas citadas na publicação Endereço:Rua Padre João Gonçalves, 152 - Vila Madalena - São Endereço: Rua Itapeim, 136 - Paraisópolis - São Paulo (SP) - assunto Paulo (SP) - CEP: 05432-040 CEP: 05665-040 BERKOWITZ, Alan. RESPONSE ABILITY: A Complete Guide to Telefone: (11) 3031-6129 - Site: www.cidadeescolaaprendiz. Telefone: (11) 5513-9035 - Site: www.cufa.org.br Biblioteca Virtual em Saúde Bystander Intervention. BECK & CO. 2009. (em inglês) org.br http://bvsms.saude.gov.br www.alanberkowitz.com Fundação Cafu Ação Comunitária do Brasil Endereço: Rua Alves de Souza, 65 - Jardim Amália - São Paulo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópi- Moreira MT, Smith LA, Foxcroft D. Social norms interventions Endereço: Rua Amacás, 243 - Campo Limpo - São Paulo (SP) - (SP) - CEP: 05890-010 cas (CEBRID) to reduce alcohol misuse in University or College students. CEP: 05792-030 Telefone: (11) 5824-0422 - Site: www.fundacaocafu.org.br www.cebrid.epm.br Cochrane Database of Systematic Reviews. 2009. (em inglês) Telefone: (11) 5843-2913 -Site: www.acomunitaria.org.br www.socialnorms.org/ Fundação Gol de Letra Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (CISA) Aldeia do Futuro - Associação para a Melhoria da Condi- Endereço: Rua Antônio Simplício, 170 - Vila Albertina - São www.cisa.org.br National Institute on Drug Abuse (NIDA). InfoFacts: Lessons ção da População Carente Paulo (SP) - CEP: 02353-110 from Prevention Research. 2011. (em inglês) Endereço: Rua Jorge Rubens Neiva de Camargo, 228 – Ameri- Telefone: (11) 2206-5520 - Site: www.goldeletra.org.br Dicionário sobre drogas (em inglês) www.drugabuse.gov/publications/drugfacts/lessons-preven- canópolis - São Paulo (SP) - CEP: 04337-090 http://www.who.int/substance_abuse/terminology/lexicon_ tion-research Telefone: (11) 5563-4436 /5677-1298 / 5563-0452 Fundação Maurício Sirotsky Sobrinho alcohol_drugs_spanish.pdf Site: www.aldeiadofuturo.com.br Endereço: Av. Érico Veríssimo, 400, 5.° andar - Porto Alegre (RS) Organização Mundial da Saúde (WHO). Draft Global Strategy - CEP: 90160-180 Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (FLACSO) to Reduce the Harmful Use of Alcohol. 2011. (em inglês) Associação AlfaSol Telefone: (51) 3218-5007 - Site: www.fmss.org.br www.flacso.org.br www.who.int/substance_abuse/publications/global_alco- Endereço: Rua Pamplona, 1005 - Jd. Paulistano - São Paulo hol_report/en/index.html (SP) - CEP: 01405-200 Instituto Bola Pra Frente Lei nº 14.592, de 19 de outubro de 2011, do Estado de São Telefone: (11) 3372-4336 - Site: www.alfasol.org.br Endereço: Av. Sargento Isanor de Campos, 401 - Guadalupe - Paulo Pesquisa IBOPE Inteligência - Governo do Estado de São Paulo. Rio de Janeiro (RJ) - CEP: 21670-220 www.alcoolparamenoreseproibido.sp.gov.br Consumo de bebidas alcoólicas por menores. 2011. Associação Educacional e Assistencial Casa do Zezinho Telefone: (21) 3018-5858; 9345-1111 - Site: www.bolaprafren- www.saopaulo.sp.gov.br/usr/share/documents/271.pdf Endereço: Rua Anália Dolácio Albino, 30 - Pq. Maria Helena - te.org.br Materiais complementares sobre as práticas apresenta- São Paulo (SP) - CEP: 05854-020 das no livro Telefone: (11) 5512-0878 - Site: www.casadozezinho.org.br Instituto Crescer para a Cidadania http://www.ambev.com.br/pt-br/consumo-responsavel/ Endereço: Rua Cubatão, 929, Cj. 101 - Vila Mariana - São Paulo iniciativas-e-parcerias/publicacao-jovens-de-responsa Associação Junior Achievement do Rio Grande do Sul (SP) - CEP: 04013-043 Endereço: Rua Largo Visconde do Cairú , 17 - sala 401 - Porto Telefone: (11) 5908-8644 - Site: www.institutocrescer.org.br Ministério da Saúde Alegre (RS) - CEP: 90030-110 http://portal.saude.gov.br/ Telefone: (51) 3227-5095 - Site: www.jars.org.br Oficina de Imagens – Comunicação e Educação Endereço: Rua Salinas, 1101 - Santa Tereza - Belo Horizonte Observatório Brasileiro de Informações Sobre Drogas (MG) - CEP: 31015-365 Associação Novolhar (OBID) Telefone: (31) 3465-6800 - Site: www.oficinadeimagens.org.br Endereço: Rua 13 de Maio, 367 - Bela Vista - São Paulo (SP) - www.obid.senad.gov.br CEP: 01327-000 União de Núcleos, Associações e Sociedades de Morado- Telefone: (11) 3459-0687 - Site: www.novolhar.org.br Secretaria Nacional Antidrogas (SENAD) res de Heliópolis e São João Clímaco (UNAS) http://portal.mj.gov.br/senad Endereço: Rua da Mina, 38 – Heliópolis - São Paulo (SP) - CEP: Centro Projeto Axé de Defesa e Proteção à Criança e ao 04235-460 Adolescente Telefone: (11) 2272-0140 - Site: http://jovensalconscientes. Endereço: Av. Estados Unidos, 161 - 9° andar - Comércio - com.br Salvador (BA) - CEP: 40010-020 Telefone: (71) 3242-5912 - Site: www.projetoaxe.org.br Viva Rio Endereço: Avenida do Russel, 76, 4° andar - Glória - Rio de Cipó - Comunicação Interativa Janeiro (RJ) - CEP: 22210-010 Endereço: Rua Paciência, 3784 - Rio Vermelho – Salvador (BA) Telefone: (21) 2555-3750 - Site: www.vivario.org.br - CEP: 41950-000 Telefone: (71) 3503-4477 - Site: www.cipo.org.br60 61