Flexibilidade

7,590 views
7,083 views

Published on

Published in: Health & Medicine
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,590
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
11
Actions
Shares
0
Downloads
328
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Flexibilidade

  1. 1. Avaliação daFlexibilidade
  2. 2. Vó doHomem-Elástico Conceito O Flexibilidade: O Capacidade física que condiciona a capacidade funcional das articulações a movimentarem-se dentro dos limites ideias de determinadas ações. (TUBINO, 1985,p.181) O Capacidade de movimentar uma articulação através de sua amplitude de movimento completo (ACSM, 2007) O Habilidade de mover o corpo e suas partes dentro dos seus limites máximos sem causar danos nas articulações e nos músculos envolvidos (JOHNSON & NELSON, 1969) terça-feira, 18 de outubro de 2011 2
  3. 3. ImportanteO Segundo Vianna (2009),... “[...] a manutenção dos níveis de flexibilidade em todas as articulações facilita o movimento, em contrapartida, quando uma articulação for movimentada além de sua amplitude, pode ocorrer dano tecidual” terça-feira, 18 de outubro de 2011 3
  4. 4. Em flexibilidade...O ANCILOSE OU ANQUILOSE(↓) O Do grego (ἀγκύλος – “guiloch”) Termo ortopédico que significa “pouca” flexibilidade, causado por lesão ou doença (encurtados) Vb. ancilosarO HIPERMOBILIDADE (↑) O Termo que significa “muita” flexibilidade. (alongados) (HOUIASS,2009; VIANNA, 2009) terça-feira, 18 de outubro de 2011 4
  5. 5. O Estudos sugerem que ancilosos e hiperflexíveis correm altos risco se sofrerem lesões musculoesqueléticos. terça-feira, 18 de outubro de 2011 5
  6. 6. O Níveis adequados de flexibilidade mantêm: O A independência funcional O O desempenho das atividades diárias O A saúde em idade avançadaO O treinamento da flexibilidade assume importante funções: O Na profilaxia de lesões (prevenção) O No esgotamento do potencial do desempenho O No ajuste ideal do treinamento. terça-feira, 18 de outubro de 2011 6
  7. 7. O A flexibilidade é limitada pelos seguintes fatores: O Estrutura das articulações O Massa e força muscular O Tônus muscular O Capacidade de treinamento músculo O Capacidade de estiramento dos tendões, ligamentos, cápsulas articulares e pele. O Idade e sexo. O Condição de aquecimento dos aparelhos locomotores terça-feira, 18 de outubro de 2011 7
  8. 8. Componentes da flexibilidade O Mobilidade O Liberdade de movimento da articulação O Elasticidade O Estiramento elástico de componentes musculares. O Plasticidade O Grau de deformação temporária que sofrem as estruturas musculares e articulares que possibilitam o movimento O Maleabilidade O Modificação das tensões parciais da pele, causados pelas acomodações no segmento considerado (DANTAS,1994, p.170) terça-feira, 18 de outubro de 2011 8
  9. 9. Métodos de flexibilidade Ativo ou flexionamento dinâmico Flexibilidade Facilitação Passivo ou neuromuscular flexionamento proprioceptiva estático (FNP) terça-feira, 18 de outubro de 2011 9
  10. 10. Método ativo ou Flexionamento Dinâmico O Executado com exercícios dinâmicos. O Utiliza-se da INÉRCIA do segmento corporal em movimento, com força de amplitude maior que a normal. terça-feira, 18 de outubro de 2011 10
  11. 11. Método passivo ou Flexionamento EstáticoO Executado com postura relaxada, atingindo a amplitude até o limite.O É mais adequado por três motivos. (DANTAS,1994) O ↓ dano tecidual O ↑ gasto energético O ↑ capacidade de redução/prevenção a dor muscular tecidual. terça-feira, 18 de outubro de 2011 11
  12. 12. Método FNPO Criado com fins terapêuticos. (KABAT, 1952)O A partir de então Holtz criou o método 3S (scientific stretching for sports ) – Alongamento cientifico para o esporte.O Executado em três passos. O Mobilização do segmento até o limite de amplitude. O Realização de uma contração isometrica máxima durante 8 segundos máximo. O Esforço além do limite original, durante o relaxamento da musculatura após 18aterça-feira, de contração. outubro de 2011 12
  13. 13. Entendendo o FNP Mobilização do segmento até o limite de amplitude – (sem ajuda) Mobilização do segmento até o limite de amplitude – (com ajuda) Realização de força isométrica por 8 segundos Realização de força além do limite original terça-feira, 18 de 13 outubro de 2011
  14. 14. Avaliação da flexibilidade O Marins & Giannichi (1998) apud Fernandes Filho (1999) ensinam: Testes lineares – Expressam resultados em escala de distância. Testes adimensionais – interpretação dos movimentos angulares comparando com folha de gabarito. Testes angulares – os resultados são expressos em ângulos formados entre dois seguimentos. terça-feira, 18 de outubro de 2011 14
  15. 15. Avaliação da FlexibilidadeTestes lineares•Sentar-e-alcançar • (Seat and Reach) – Johnson & Nelson, 1979 – Banco de Wells.•Extensão de tronco e pescoço – (Medidas II) •(Trunk and Neck extension) – Johnson & Nelson, 1979 terça-feira, 18 de outubro de 2011 15
  16. 16. Teste de Sentar-e-alcançarO Objetivo: medir flexibilidade do quadril, dorso e músculos posteriores dos MMII.O Coleta de resultados: melhor de 3 tentativas. terça-feira, 18 de outubro de 2011 16
  17. 17. Teste de Sentar-e-alcançarO Procedimento: O Posição assentada. O Pés apoiados. O O testador de deve segurar os joelhos evitando o flexionamento. O Flexionar o quadril vagarosamente à frente empurrando o instrumento de medida ao máximo que puder utilizando a ponta dos dedos das mãos. O Realizar 03 tentativas. terça-feira, 18 de outubro de 2011 17
  18. 18. Tabela de classificaçãoMorrow et al.(2003,p.221) citado em Fontoura (2008,p.142);Pitanga(2008,p.197) terça-feira, 18 de outubro de 2011 18
  19. 19. Avaliação da FlexibilidadeTeste adimensional•Flexiteste – (ARAÚJO, 1987) •Método de avaliação passiva máxima de 20 movimentos articulares medidos em escala crescente de números inteiros de 0 a 4, perfazendo um total de 5 valores possíveis. (VEJAM AS FOTOS) terça-feira, 18 de outubro de 2011 19
  20. 20. terça-feira, 18 de outubro de 2011 20
  21. 21. terça-feira, 18 de outubro de 2011 21
  22. 22. terça-feira, 18 de outubro de 2011 22
  23. 23. terça-feira, 18 de outubro de 2011 23
  24. 24. terça-feira, 18 de outubro de 2011 24
  25. 25. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Tornozelos . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 25
  26. 26. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Joelhos . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 26
  27. 27. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Quadril . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 27
  28. 28. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Quadril – parte 2 . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 28
  29. 29. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Tronco . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 29
  30. 30. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Tronco e punho . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 30
  31. 31. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Punho e Cotovelo . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 31
  32. 32. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Cotovelo e Ombro . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 32
  33. 33. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Ombro . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 33
  34. 34. Flexiteste – Gabarito de interpretação O Ombro . . terça-feira, 18 de outubro de 2011 34
  35. 35. Resultados – Ficha de Coleta GRAU DE FLEXIBILIDADE MOVIMENTO 0 1 2 3 4 I TORNOZELO II  III  JOELHO IV  V  VI  QUADRIL VII  VIII  IX  TRONCO X  XI  XII  PUNHO XIII  XIV COTOVELO XV  XVI  XVII  OMBRO XVIII  XIX  XX  TOTAL 27 0 11 16 terça-feira, 18 de outubro de 2011 35
  36. 36. ClassificaçãoCLASSIFICAÇÃO SOMATÓRIO DOS VINTE MOVIMENTOS Deficiente < 20 Fraco  21 a 30 Médio ( - ) 31 a 40 Médio ( + ) 41 a 50 Bom 51 a 60 Excelente > 60 Fonte : Araújo, 1987 terça-feira, 18 de outubro de 2011 36
  37. 37. Bibliografia• FERNANDES FILHO, J.. A prática da avaliação física: teste, medidas e avaliação física em escolares, atletas e academias de ginásticas. Rio de Janeiro: Shape, 1999.• MARINS, J.C.B. Avaliação e prescrição de atividades física: guia prático. 3ªEd. Rio de Janeiro: Shape, 2003.• VIANNA, J; NOVAES, J. Personal training e condicionamento físico em academia. - 3ª ed. – Rio de Janeiro: Shape, 2009. terça-feira, 18 de outubro de 2011 37

×