Relatório de Alfabetização e Linguistica

  • 2,591 views
Uploaded on

Relatório apresentado ao componente curricular Alfabetização e Linguistica.

Relatório apresentado ao componente curricular Alfabetização e Linguistica.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
2,591
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
0
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. 4 1. INTRODUÇÃOO pressente trabalho foi solicitado pela docente Sandra Fabiana Almeida Franco,como requisito para o componente curricular Alfabetização e Lingüística, buscaapresentar os resultados obtidos através da observação direta realizada numa turmade alfabetização, com carga horária de 5 horas desenvolvida na escola Centro deEducação Sementinha do Futuro, situada a rua Acesso 04, número 02, no bairroBonfim II (Casas Populares), em Senhor do Bonfim-BA.A observação direta nos permite chegar mais perto dos sujeitos, a partir dessaanálise do espaço dos alunos e coloca o futuro professor em contato real com anatureza de seu trabalho, por meio de um olhar observador.Neste contexto, a construção deste relato de observação apresenta estratégias deaprendizagem a partir das práticas de leituras desenvolvidas em sala de aula, pois aleitura se constitui num instrumento enriquecedor de conhecimentos para o aluno,assim nos diz Silva (2005): Leitura é uma atividade essencial a qualquer área do conhecimento e mais essencial ainda à própria vida do ser humano. (O patrimônio simbólico do homem contém uma herança cultural registrada pela escrita. Estar com e no mundo pressupõe, então, atos de criação e re-criação direcionados a essa herança. A leitura, por ser uma via de acesso a essa herança, é uma das formas do homem se situar com o mundo de forma a dinamizá-lo.) (p. 42)Portanto transpor esse abismo construindo uma nova forma de lidar com essaspráticas, aproximando-as das práticas sociais é o desafio de qualquer instituição,pois essa atitude exige renovação, persistência e mudanças.
  • 2. 5 2. DESENVOLVIMENTOA professora afirma que o trabalho de leitura e escrita é realizado desde o primeiromomento até o término da aula, com atividades que estimulem o processo deaquisição do conhecimento e o gosto pela leitura.Em sua ação docente diária existe um momento especifico para a leitura. Costumarealizar a rodinha da leitura, onde desenvolve a leitura compartilhada dos textos,além de possibilitar que seus alunos possam manusear e folhear os livros utilizados.Assim, Silva (1985) nos afirma: “A leitura, se levada a efeito crítico e reflexivamente,levanta-se com um trabalho de combate à alienação (não-racionalidade), capaz defacilitar ao gênero humano a realização de sua plenitude (libertação)” (p. 22,23).Desse modo, a professora acredita que, o momento da leitura não é apenas lazer,mas trás consigo um amplo grau de informações. O incentivo da leitura as criançasajuda no desenvolvimento da escrita e na compreensão do mundo, possibilitandouma formação pessoal e social.Considera-se necessário que a prática educativa do professor seja criativa, capaz decompreender e desenvolver sua ação dentro de um contexto social, buscando açõesconscientes e significativas.Podemos observar que a docente apesar de compreender a importância da leiturana formação e aquisição de conhecimento de seus educandos a mesma apresentatextos na maioria das vezes, apenas com objetivos didáticos, não apresentandotextos que são do interesse ou necessidade do aluno.É preciso induzir as crianças a lerem por prazer. É através da leitura de obrasliterárias infantis que a criança aprende brincando em um mundo de emoções queirá despertar a curiosidade e produzir novas experiências. De acordo comAbramovich (1997): É ouvindo histórias que se pode sentir (também) emoções importantes, como a tristeza, a raiva, a irritação, o bem-estar, o medo, a alegria, o pavor,
  • 3. 6 a insegurança, a tranqüilidade, e tantas outras mais, e viver profundamente tudo que as narrativas provocam em quem as ouve - com toda a amplitude, significância e verdade que cada uma delas faz (ou não) brotar... Pois é ouvir, sentir e enxergar com os olhos do imaginário (p. 17).É importante ressaltar o quanto os alunos ficam maravilhados com as históriascontadas.As atividades de leitura precisam ser planejadas onde o professor através de umaação significativa proporcione o encontro dos educandos com o mundo da leitura eescrita de forma lúdica e consciente levando-os a perceber e questionar o mundoem que estão inseridos. Garcia (2003) nos diz que: Organizar o ensino da leitura e escrita procurando criar condições para a apropriação da linguagem escrita como instrumento de compreensão e intervenção da realidade implica... possibilitar vivencias com a leitura e a escrita que tenha relevância e significado para ávida da criança algo que se torne uma necessidade para ela e que lhe permita refletir sobre sua realidade e compreende-la (p. 94).Assim, é preciso que o professor esteja preparado para desenvolver atividades deleitura, que esteja dedicado e comprometido com a educação. O ato de ensinar deveser algo transformador que possibilite aos educandos não apenas o ler e o escrevercorretamente, mas torná-los críticos e criativos, capazes de questionar a realidadeinteragindo ativamente em seu meio social.
  • 4. 7 3. CONSIDERAÇÕES FINAISA partir da observação que realizamos na turma de alfabetização da EducaçãoInfantil podemos perceber a importância, para o profissional da educação, o contatocom a prática. Neste contexto, percebemos que crianças participaram ativamente detodas as atividades, mostrando que a diversidade das atividades, alternando asatividades concretas com as não concretas forma um ambiente ideal deaprendizagem e que é preciso trabalhar com diferentes gêneros textuais e que o usode textos ajuda a formar um ambiente alfabetizador com diferentes praticas sociaisde leitura e escrita.Portanto o trabalho foi muito gratificante, pois conseguimos perceber mais ainda oquanto a leitura é importante no processo de alfabetização. E este processoproporcionou a construção de conhecimentos imprescindíveis e tambémcompreensão da necessidade de incluir a leitura no âmbito escolar.Compreendemos que todos os saberes adquiridos e construídos em sala de aulasão fundamentais para a nossa formação como profissionais e para o exercício denossa função como educadores.
  • 5. 8 REFERENCIASSILVA, Ezequiel Theodoro da. Literatura e realidade brasileira. 2 ed. Porto Alegre:Mercado Aberto, 1985.ABRAMOVICH, Fanny. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo.Scipione, 1997.GARCIA, Regina Leite (org). A formação da professora alfabetizadora: reflexõessobre a prática. São Paulo, Cortez, 2003.