Sindrome Má Absorção

41,791 views

Published on

Published in: Education

Sindrome Má Absorção

  1. 1. Síndrome de Má Absorção Grupo: 04 Emanuelle Balthazar nº.51 Simone Diniz nº.57 Amanda Thomé nº.59 Cláudia Correard nº.63 Mayara de Castro nº.64 Ingrid Marinho nº.66 Aredanna Furquim nº.72
  2. 2. O que é Síndrome de Má Absorção? <ul><li>Conjunto de sinais e sintomas que resultam da incapacidade do trato gastrointestinal em utilizar corretamente os nutrientes da dieta (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e oligoelementos), devido a distúrbios que interferem na digestão alimentar ou que interferem diretamente na absorção de nutrientes. </li></ul>
  3. 3. Tipos de distúrbios: <ul><li>Nos processos de digestão: </li></ul><ul><ul><li>Impedem a mistura adequada dos alimentos com o ácido gástrico e com as enzimas digestivas, interferindo na digestão. </li></ul></ul><ul><ul><li>Pancreatite crônica; </li></ul></ul><ul><ul><li>Fibrose cística; </li></ul></ul><ul><ul><li>Obstrução do ducto biliar; </li></ul></ul><ul><ul><li>Intolerância ao açúcar, etc... </li></ul></ul>
  4. 4. Tipos de distúrbios: <ul><li>Nos processos de absorção: </li></ul><ul><li>Doenças que lesam a mucosa intestinal ou levam à concentração ou circulação deficiente de ácidos biliares. </li></ul><ul><ul><li>Infecções (Espru Tropical; Doença de Whipple); </li></ul></ul><ul><ul><li>Medicamentos como neomicina e carbonato de cálcio; </li></ul></ul><ul><ul><li>Síndrome da Alça Cega; </li></ul></ul><ul><ul><li>Doença celíaca (Espru Celíaco) </li></ul></ul><ul><ul><li>Doença de Crohn , etc... </li></ul></ul>
  5. 5. <ul><li>MANIFESTAÇÕES </li></ul><ul><li>CLÍNICAS </li></ul>
  6. 6. Sinal ou Sintoma Mecanismo Perda ponderal/ desnutrição Anorexia, má absorção dos nutrientes. Diarréia na absorção ou excreção de água e eletrólitos: ácidos biliares diidroxilados e ácidos graxos não absorvidos. Flatulência Fermentação bacteriana de carboidratos não absorvidos. Glossite, queilite, estomatite Deficiência de ferro, vitamina B12, folato e vitamina A. Dor óssea Má absorção de cálcio e vitamina D, deficiência de proteína, osteoporose. Dor abdominal Distensão ou inflamação do colo, pancreatite. Tetania, parestesia Má absorção de cálcio e magnésio. Fraqueza Anemia, depleção de eletrólitos (principalmente o potássio).
  7. 7. Sinal ou sintoma Mecanismo Nictúria Demora na absorção de água, hipocalemia. Azotenia, hipotensão Depleção de líquidos e eletrólitos. Amenorréia, diminuição do libido Depleção de proteínas, das calorias. Anemia Deficiência na absorção de ferro, fosfato, vitamina B12. Sangramento Má absorção de vitamina K, hipoprotrombinemia. Cegueira noturna/ Xeroftalmia Má absorção de vitamina A. Neuropatia periférica Deficiência de vitamina B12 e tiamina. Dermatite Deficiência de vitamina A, zinco e ácido graxos essenciais.
  8. 8. Diagnóstico <ul><li>Do ponto de vista prático, o objetivo primário da estratégia diagnóstica é encontrar ou descartar uma doença ou condição que cause a má absorção, enquanto que provar a presença de má absorção é secundário. </li></ul>
  9. 11. Dicas diagnósticas adicionais <ul><li>Em complemento aos sinais, sintomas e achados laboratoriais da tabela anterior, outras dicas diagnósticas podem ser descobertas na anamnese: </li></ul><ul><ul><li>história de cirurgia gastrintestinal prévia: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>gastrectomia parcial ou total </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>ressecções do intestino delgado ( jejuno ? íleo ? válvula ileocecal ? extensão da ressecção ?) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>ressecção parcial ou total do pâncreas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>história de pancreatite crônica </li></ul></ul><ul><ul><li>história ou evidência de colestase crônica </li></ul></ul><ul><ul><li>história de radioterapia </li></ul></ul>
  10. 12. <ul><li>Algumas doenças relacionadas a má absorção tem maior incidência familiar, devendo ser questionadas na anamnese: </li></ul><ul><ul><li>doença celíaca; </li></ul></ul><ul><ul><li>doença de Crohn; </li></ul></ul><ul><ul><li>mucoviscidose ou fibrose cística; </li></ul></ul><ul><ul><li>deficiências de dissacaridases ( como a lactase ). </li></ul></ul>
  11. 13. ALGUMAS DOENÇAS...
  12. 14. INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR <ul><li>Os açúcares são fracionados por enzimas que presentes no revestimento do intestino delgado. Quando existe uma deficiência das enzimas necessárias, os açúcares não são digeridos e não podem ser absorvidos. Conseqüentemente, eles permanecem no intestino delgado. </li></ul><ul><li>A concentração elevada do açúcar resultante atrai líquido para o interior do intestino delgado, causando a diarréia. A seguir, o açúcar não absorvido é fermentado pelas bactérias do intestino grosso, produzindo fezes ácidas e flatulência. </li></ul>
  13. 15. <ul><li>A deficiência enzimática pode ser congênita ou pode ser causada por antibióticos, principalmente pela neomicina. </li></ul><ul><li>Aproximadamente 75% dos indivíduos adultos apresentam um certo grau de intolerância à lactose. </li></ul>INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR
  14. 16. <ul><li>Sintomas </li></ul><ul><li>Indivíduos com intolerância não conseguem fazer uso de leite e outros laticínios. </li></ul><ul><li> Crianças: apresentam diarréia e não ganha peso enquanto o leite fizer parte de sua dieta. </li></ul><ul><li> Adultos: podem apresentar borborigmos (ruídos intestinais audíveis), distensão abdominal, flatulência, náusea, necessidade urgente de defecar, cólica abdominal e diarréia após uma refeição contendo lactose. </li></ul><ul><li>A diarréia grave pode impedir a absorção adequada de nutrientes, pois eles são eliminados do organismo muito rapidamente. . </li></ul><ul><li>Diagnóstico: Dose-teste de lactose </li></ul>INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR (LACTOSE)
  15. 17. DOENÇA CELÍACA <ul><li>Distúrbio hereditário no qual uma intolerância alérgica ao glúten causa alterações no intestino que acarretam má absorção. </li></ul><ul><li> Fisiopatologia: </li></ul><ul><li>molécula do glúten + anticorpos no intestino delgado </li></ul><ul><li>= </li></ul><ul><li>achatamento do revestimento intestinal + superfície lisa com menor capacidade de digestão e absorção dos nutrientes. </li></ul>
  16. 18. DOENÇA CELÍACA <ul><li>SINAIS E SINTOMAS </li></ul><ul><li>- FORMA CLÁSSICA: </li></ul><ul><li>Diarréia Crônica; </li></ul><ul><li>- FORMA ATÍPICA: </li></ul><ul><li>Baixa estatura; </li></ul><ul><li>Osteoporose; </li></ul><ul><li>Hipoplasia do esmalte dentário; </li></ul><ul><li>Artralgias ou artrites; </li></ul><ul><li>Atraso puberal, irregularidade do ciclo menstrual; </li></ul><ul><li>Esterilidade; </li></ul><ul><li>Aborto de repetição; </li></ul>
  17. 19. Paciente portadora de Síndrome da Má Absorção (Doença Celíaca). Notar o importante agravo do estado nutricional, inclusive edema tibial por hipoproteinemia e irritabilidade intensa.
  18. 20. Figuras A e B - intestino normal, figuras C e D - intestino de paciente celíaco, com características de má absorção e atrofia da mucosa.
  19. 21. DOENÇA CELÍACA <ul><li>Existem grupos de risco? </li></ul><ul><li>Qual o diagnóstico? </li></ul><ul><li>Qual o tratamento? </li></ul>
  20. 23. ESPRU TROPICAL <ul><li>É um distúrbio adquirido no qual anormalidades do revestimento do intestino delgado acarretam a má absorção e deficiências de muitos nutrientes. </li></ul><ul><li>Ocorre principalmente no Caribe, no sul da Índia e no sudeste Asiático. Acomete 5 a 10% da população em áreas tropicais. </li></ul><ul><li>Embora a sua causa seja desconhecida, as causas possíveis incluem as infecções bacterianas, as infecções virais, as infecções parasitárias, a deficiência vitamínica (especialmente a de ácido fólico) e uma toxina presente em alimentos estragados. </li></ul>
  21. 24. <ul><li>Sintomas </li></ul><ul><li>Fezes claras, diarréia e perda de peso, lesões de língua devidas à deficiênciade vitamina B2. A deficiência de protrombina favorece a ocorrência de equimoses e de sangramento prolongado após uma lesão. Também podem ocorrer sintomas de deficiências de albumina, cálcio, ácido fólico, vitamina B12 e ferro. O indivíduo apresenta anemia por deficiência de ácidofólico. </li></ul><ul><li>Diagnóstico </li></ul><ul><li> Anamnese </li></ul><ul><li>radiografias do intestino delgado. </li></ul><ul><li>biópsia do intestino delgado </li></ul>ESPRU TROPICAL
  22. 25. <ul><li>É uma doença inflamatória intestinal que pode acometer qualquer porção do trato gastrointestinal (da boca ao ânus), mas a frequência maior ocorre no intestino grosso e no intestino delgado. </li></ul><ul><li>Há redução da superfície absortiva na mucosa do intestino, resultante da extensa inflamação da doença. Isso causa esteatorréia e má absorção de vitaminas lipossolúveis e de B12. Estas inflamações podem agravar o quadro disabsortivo por permitirem a proliferção bacteriana onde nasce um bloqueio levando a desconjugação de sais biliares. São significativas as perdas de proteínas, eletrólitos e sangue pela mucosa intestinal inflamada. </li></ul>DOENÇA DE CROHN
  23. 26. <ul><li>Sintomas: </li></ul><ul><li>Os sintomas mais comuns são: dor abdominal (geralmente na parte baixa e à direita do abdomen), diarréia ou constipação. </li></ul><ul><li>Há também sangramento retal, perda de peso e febre. Se o sangramento for abundante e constante, leva a anemia. </li></ul><ul><li>As crianças podem ter o seu desenvolvimento retardado. </li></ul>DOENÇA DE CROHN
  24. 27. <ul><li>Diagnóstico: </li></ul><ul><li>Biópsia </li></ul><ul><li>Coprocultura </li></ul><ul><li>Exame parasitológico de fezes </li></ul>
  25. 28. <ul><li>No sistema digestório, o pâncreas não consegue liberar as enzimas que deveriam auxiliar a digestão no intestino, em decorrência do entupimento de seus ductos pelo suco digestivo mais consistente que ele próprio fabrica. Assim sendo, o indivíduo não absorve bem os nutrientes dos alimentos e não ganha peso. Com isso, os alimentos (principalmente os gordurosos) são mal digeridos e as fezes podem ficar volumosas, espessas, fétidas e gordurosas. </li></ul><ul><li>É uma doença herdada geneticamente. Na maioria das vezes, é diagnosticada na infância, embora também possa ser diagnosticada na adolescência ou na vida adulta. </li></ul>FIBROSE CÍSTICA
  26. 29. <ul><li>Principais Sintomas </li></ul><ul><li>Movimentos intestinais anormais </li></ul><ul><li>Dificuldade em ganhar peso </li></ul>FIBROSE CÍSTICA
  27. 30. FONTES BIBLIOGRÁFICAS: <ul><li>http://www.msd-brazil.com/msd43/m_manual/mm_sec9_110.htm </li></ul><ul><li>http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/000299.htm </li></ul><ul><li>Harrison - Medicina Interna – 17ª.ed. – Vol.2 - Editora Mc Graw Hill </li></ul><ul><li>http://www.omge.org/assets/downloads/pt/pdf/guidelines/malabsorption_pt.pdf </li></ul><ul><li>http://www.amdii.org.br/crohn.htm </li></ul>

×