Your SlideShare is downloading. ×
0
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Sindrome Má Absorção
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Sindrome Má Absorção

41,090

Published on

Published in: Education
0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
41,090
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Síndrome de Má Absorção Grupo: 04 Emanuelle Balthazar nº.51 Simone Diniz nº.57 Amanda Thomé nº.59 Cláudia Correard nº.63 Mayara de Castro nº.64 Ingrid Marinho nº.66 Aredanna Furquim nº.72
  • 2. O que é Síndrome de Má Absorção? <ul><li>Conjunto de sinais e sintomas que resultam da incapacidade do trato gastrointestinal em utilizar corretamente os nutrientes da dieta (proteínas, carboidratos, gorduras, vitaminas e oligoelementos), devido a distúrbios que interferem na digestão alimentar ou que interferem diretamente na absorção de nutrientes. </li></ul>
  • 3. Tipos de distúrbios: <ul><li>Nos processos de digestão: </li></ul><ul><ul><li>Impedem a mistura adequada dos alimentos com o ácido gástrico e com as enzimas digestivas, interferindo na digestão. </li></ul></ul><ul><ul><li>Pancreatite crônica; </li></ul></ul><ul><ul><li>Fibrose cística; </li></ul></ul><ul><ul><li>Obstrução do ducto biliar; </li></ul></ul><ul><ul><li>Intolerância ao açúcar, etc... </li></ul></ul>
  • 4. Tipos de distúrbios: <ul><li>Nos processos de absorção: </li></ul><ul><li>Doenças que lesam a mucosa intestinal ou levam à concentração ou circulação deficiente de ácidos biliares. </li></ul><ul><ul><li>Infecções (Espru Tropical; Doença de Whipple); </li></ul></ul><ul><ul><li>Medicamentos como neomicina e carbonato de cálcio; </li></ul></ul><ul><ul><li>Síndrome da Alça Cega; </li></ul></ul><ul><ul><li>Doença celíaca (Espru Celíaco) </li></ul></ul><ul><ul><li>Doença de Crohn , etc... </li></ul></ul>
  • 5. <ul><li>MANIFESTAÇÕES </li></ul><ul><li>CLÍNICAS </li></ul>
  • 6. Sinal ou Sintoma Mecanismo Perda ponderal/ desnutrição Anorexia, má absorção dos nutrientes. Diarréia na absorção ou excreção de água e eletrólitos: ácidos biliares diidroxilados e ácidos graxos não absorvidos. Flatulência Fermentação bacteriana de carboidratos não absorvidos. Glossite, queilite, estomatite Deficiência de ferro, vitamina B12, folato e vitamina A. Dor óssea Má absorção de cálcio e vitamina D, deficiência de proteína, osteoporose. Dor abdominal Distensão ou inflamação do colo, pancreatite. Tetania, parestesia Má absorção de cálcio e magnésio. Fraqueza Anemia, depleção de eletrólitos (principalmente o potássio).
  • 7. Sinal ou sintoma Mecanismo Nictúria Demora na absorção de água, hipocalemia. Azotenia, hipotensão Depleção de líquidos e eletrólitos. Amenorréia, diminuição do libido Depleção de proteínas, das calorias. Anemia Deficiência na absorção de ferro, fosfato, vitamina B12. Sangramento Má absorção de vitamina K, hipoprotrombinemia. Cegueira noturna/ Xeroftalmia Má absorção de vitamina A. Neuropatia periférica Deficiência de vitamina B12 e tiamina. Dermatite Deficiência de vitamina A, zinco e ácido graxos essenciais.
  • 8. Diagnóstico <ul><li>Do ponto de vista prático, o objetivo primário da estratégia diagnóstica é encontrar ou descartar uma doença ou condição que cause a má absorção, enquanto que provar a presença de má absorção é secundário. </li></ul>
  • 9.  
  • 10.  
  • 11. Dicas diagnósticas adicionais <ul><li>Em complemento aos sinais, sintomas e achados laboratoriais da tabela anterior, outras dicas diagnósticas podem ser descobertas na anamnese: </li></ul><ul><ul><li>história de cirurgia gastrintestinal prévia: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>gastrectomia parcial ou total </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>ressecções do intestino delgado ( jejuno ? íleo ? válvula ileocecal ? extensão da ressecção ?) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>ressecção parcial ou total do pâncreas </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>história de pancreatite crônica </li></ul></ul><ul><ul><li>história ou evidência de colestase crônica </li></ul></ul><ul><ul><li>história de radioterapia </li></ul></ul>
  • 12. <ul><li>Algumas doenças relacionadas a má absorção tem maior incidência familiar, devendo ser questionadas na anamnese: </li></ul><ul><ul><li>doença celíaca; </li></ul></ul><ul><ul><li>doença de Crohn; </li></ul></ul><ul><ul><li>mucoviscidose ou fibrose cística; </li></ul></ul><ul><ul><li>deficiências de dissacaridases ( como a lactase ). </li></ul></ul>
  • 13. ALGUMAS DOENÇAS...
  • 14. INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR <ul><li>Os açúcares são fracionados por enzimas que presentes no revestimento do intestino delgado. Quando existe uma deficiência das enzimas necessárias, os açúcares não são digeridos e não podem ser absorvidos. Conseqüentemente, eles permanecem no intestino delgado. </li></ul><ul><li>A concentração elevada do açúcar resultante atrai líquido para o interior do intestino delgado, causando a diarréia. A seguir, o açúcar não absorvido é fermentado pelas bactérias do intestino grosso, produzindo fezes ácidas e flatulência. </li></ul>
  • 15. <ul><li>A deficiência enzimática pode ser congênita ou pode ser causada por antibióticos, principalmente pela neomicina. </li></ul><ul><li>Aproximadamente 75% dos indivíduos adultos apresentam um certo grau de intolerância à lactose. </li></ul>INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR
  • 16. <ul><li>Sintomas </li></ul><ul><li>Indivíduos com intolerância não conseguem fazer uso de leite e outros laticínios. </li></ul><ul><li> Crianças: apresentam diarréia e não ganha peso enquanto o leite fizer parte de sua dieta. </li></ul><ul><li> Adultos: podem apresentar borborigmos (ruídos intestinais audíveis), distensão abdominal, flatulência, náusea, necessidade urgente de defecar, cólica abdominal e diarréia após uma refeição contendo lactose. </li></ul><ul><li>A diarréia grave pode impedir a absorção adequada de nutrientes, pois eles são eliminados do organismo muito rapidamente. . </li></ul><ul><li>Diagnóstico: Dose-teste de lactose </li></ul>INTOLERÂNCIA AO AÇÚCAR (LACTOSE)
  • 17. DOENÇA CELÍACA <ul><li>Distúrbio hereditário no qual uma intolerância alérgica ao glúten causa alterações no intestino que acarretam má absorção. </li></ul><ul><li> Fisiopatologia: </li></ul><ul><li>molécula do glúten + anticorpos no intestino delgado </li></ul><ul><li>= </li></ul><ul><li>achatamento do revestimento intestinal + superfície lisa com menor capacidade de digestão e absorção dos nutrientes. </li></ul>
  • 18. DOENÇA CELÍACA <ul><li>SINAIS E SINTOMAS </li></ul><ul><li>- FORMA CLÁSSICA: </li></ul><ul><li>Diarréia Crônica; </li></ul><ul><li>- FORMA ATÍPICA: </li></ul><ul><li>Baixa estatura; </li></ul><ul><li>Osteoporose; </li></ul><ul><li>Hipoplasia do esmalte dentário; </li></ul><ul><li>Artralgias ou artrites; </li></ul><ul><li>Atraso puberal, irregularidade do ciclo menstrual; </li></ul><ul><li>Esterilidade; </li></ul><ul><li>Aborto de repetição; </li></ul>
  • 19. Paciente portadora de Síndrome da Má Absorção (Doença Celíaca). Notar o importante agravo do estado nutricional, inclusive edema tibial por hipoproteinemia e irritabilidade intensa.
  • 20. Figuras A e B - intestino normal, figuras C e D - intestino de paciente celíaco, com características de má absorção e atrofia da mucosa.
  • 21. DOENÇA CELÍACA <ul><li>Existem grupos de risco? </li></ul><ul><li>Qual o diagnóstico? </li></ul><ul><li>Qual o tratamento? </li></ul>
  • 22.  
  • 23. ESPRU TROPICAL <ul><li>É um distúrbio adquirido no qual anormalidades do revestimento do intestino delgado acarretam a má absorção e deficiências de muitos nutrientes. </li></ul><ul><li>Ocorre principalmente no Caribe, no sul da Índia e no sudeste Asiático. Acomete 5 a 10% da população em áreas tropicais. </li></ul><ul><li>Embora a sua causa seja desconhecida, as causas possíveis incluem as infecções bacterianas, as infecções virais, as infecções parasitárias, a deficiência vitamínica (especialmente a de ácido fólico) e uma toxina presente em alimentos estragados. </li></ul>
  • 24. <ul><li>Sintomas </li></ul><ul><li>Fezes claras, diarréia e perda de peso, lesões de língua devidas à deficiênciade vitamina B2. A deficiência de protrombina favorece a ocorrência de equimoses e de sangramento prolongado após uma lesão. Também podem ocorrer sintomas de deficiências de albumina, cálcio, ácido fólico, vitamina B12 e ferro. O indivíduo apresenta anemia por deficiência de ácidofólico. </li></ul><ul><li>Diagnóstico </li></ul><ul><li> Anamnese </li></ul><ul><li>radiografias do intestino delgado. </li></ul><ul><li>biópsia do intestino delgado </li></ul>ESPRU TROPICAL
  • 25. <ul><li>É uma doença inflamatória intestinal que pode acometer qualquer porção do trato gastrointestinal (da boca ao ânus), mas a frequência maior ocorre no intestino grosso e no intestino delgado. </li></ul><ul><li>Há redução da superfície absortiva na mucosa do intestino, resultante da extensa inflamação da doença. Isso causa esteatorréia e má absorção de vitaminas lipossolúveis e de B12. Estas inflamações podem agravar o quadro disabsortivo por permitirem a proliferção bacteriana onde nasce um bloqueio levando a desconjugação de sais biliares. São significativas as perdas de proteínas, eletrólitos e sangue pela mucosa intestinal inflamada. </li></ul>DOENÇA DE CROHN
  • 26. <ul><li>Sintomas: </li></ul><ul><li>Os sintomas mais comuns são: dor abdominal (geralmente na parte baixa e à direita do abdomen), diarréia ou constipação. </li></ul><ul><li>Há também sangramento retal, perda de peso e febre. Se o sangramento for abundante e constante, leva a anemia. </li></ul><ul><li>As crianças podem ter o seu desenvolvimento retardado. </li></ul>DOENÇA DE CROHN
  • 27. <ul><li>Diagnóstico: </li></ul><ul><li>Biópsia </li></ul><ul><li>Coprocultura </li></ul><ul><li>Exame parasitológico de fezes </li></ul>
  • 28. <ul><li>No sistema digestório, o pâncreas não consegue liberar as enzimas que deveriam auxiliar a digestão no intestino, em decorrência do entupimento de seus ductos pelo suco digestivo mais consistente que ele próprio fabrica. Assim sendo, o indivíduo não absorve bem os nutrientes dos alimentos e não ganha peso. Com isso, os alimentos (principalmente os gordurosos) são mal digeridos e as fezes podem ficar volumosas, espessas, fétidas e gordurosas. </li></ul><ul><li>É uma doença herdada geneticamente. Na maioria das vezes, é diagnosticada na infância, embora também possa ser diagnosticada na adolescência ou na vida adulta. </li></ul>FIBROSE CÍSTICA
  • 29. <ul><li>Principais Sintomas </li></ul><ul><li>Movimentos intestinais anormais </li></ul><ul><li>Dificuldade em ganhar peso </li></ul>FIBROSE CÍSTICA
  • 30. FONTES BIBLIOGRÁFICAS: <ul><li>http://www.msd-brazil.com/msd43/m_manual/mm_sec9_110.htm </li></ul><ul><li>http://adam.sertaoggi.com.br/encyclopedia/ency/article/000299.htm </li></ul><ul><li>Harrison - Medicina Interna – 17ª.ed. – Vol.2 - Editora Mc Graw Hill </li></ul><ul><li>http://www.omge.org/assets/downloads/pt/pdf/guidelines/malabsorption_pt.pdf </li></ul><ul><li>http://www.amdii.org.br/crohn.htm </li></ul>

×