Cuidados com o recém-nascido no pós-parto

97,147 views

Published on

2 Comments
53 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
97,147
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
290
Actions
Shares
0
Downloads
41
Comments
2
Likes
53
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Cuidados com o recém-nascido no pós-parto

  1. 1. Universidade Severino Sombra Faculdade de Medicina LIGA DE NEONATOLOGIA
  2. 2. LIGA DE NEONATOLOGIA Cuidados com o Recém Nascido no Pós-Parto Amanda Thomé Thais Baioneta
  3. 3. Mortalidade Infantil, por grupo de idade BRASIL – 1990-1998 2007; 17/1000 LIGA DE NEONATOLOGIA ANO 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 Infantil 48,4 45,2 44,3 42,5 40,8 39,3 37,9 36,7 35,5 Neonatal 23,3 23,3 21,2 20,0 20,5 21,6 22,1 22,8 22,8 Neonatal-precoce 17,8 18,1 16,6 15,5 16,1 17,1 17,0 17,9 16,7 Pós-neonatal 24,3 21,3 21,2 20,5 18,8 16,5 15,4 13,8 12,6 Coeficientes de mortalidade por 1.000 nascidos vivos Fonte: Sistema de Informação de Mortalidade/MS, Cálculo de Celso Simões (IBGE).
  4. 4. Neonatologia <ul><li>Mortalidade Perinatal: Principal causa de morte. </li></ul><ul><li>Níveis de atuação : </li></ul><ul><li>- Melhoria do pré-natal; </li></ul><ul><li>- P. normal x cesariana; </li></ul><ul><li>- Assistência na sala de parto e pós parto imediato; </li></ul><ul><li>- Unidades intensivas neonatais </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  5. 5. Asfixia Perinatal 19% (1 milhão/ano) 5 milhões de óbitos neonatais/ano (OMS,1995) LIGA DE NEONATOLOGIA
  6. 6. Asfixia Perinatal 10% (7.800/ano) 78.000 óbitos neonatais/ano (1997) LIGA DE NEONATOLOGIA
  7. 7. Objetivos <ul><li>Identificar as principais alterações cardio-respiratórias que ocorrem durante a transição; </li></ul><ul><li>Identificar as funções fisiológicas imaturas de cada sistema orgânico e seu significado para os cuidados com o bebê; </li></ul><ul><li>Realizar uma avaliação física e transitória do bebê com base no reconhecimento dos achados normais esperados; </li></ul><ul><li>Elaborar um planejamento de cuidados para o bebê; </li></ul><ul><li>Humanizar família-bebê; </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  8. 8. Transição LIGA DE NEONATOLOGIA
  9. 9. Ao nascer Primeiros movimentos respiratórios O LÍQUIDO PULMONAR fetal é reabsorvido Os ALVÉOLOS expandem-se e passam a captar O 2 e a excretar CO 2 Líquido Pulmonar Fetal LIGA DE NEONATOLOGIA
  10. 10. Imediatamente após o clampeamento do Cordão Umbilical 1-Gestação a termo 2-Ausência de Mecônio 3-Respirando ou chorando 4-Bom tônus muscular LIGA DE NEONATOLOGIA
  11. 11. Pós Parto imediato <ul><li>Colocar o RN sobre o colo da mãe (contato pele a pele ) </li></ul><ul><li>Providenciar aquecimento ao RN </li></ul><ul><li>Posicionar a cabeça e deixar as vias aéreas livres </li></ul><ul><li>Secar / retirar campos úmidos </li></ul><ul><li>Observar : respiração, FC e cor </li></ul>Passos Iniciais LIGA DE NEONATOLOGIA <ul><li>Ausência de Mecônio </li></ul><ul><li>Respirando ou chorando </li></ul><ul><li>Bom tônus muscular </li></ul><ul><li>Gestação a termo </li></ul>SIM
  12. 12. Pós Parto imediato Passos Iniciais <ul><li>Prover calor no berço aquecido </li></ul><ul><li>Posicionar a cabeça </li></ul><ul><li>Aspirar boca e nariz </li></ul><ul><li>Secar e desprezar os campos úmidos </li></ul><ul><li>Reposicionar o RN </li></ul><ul><li>Avaliar respiração,FC e cor. </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA <ul><li>Ausência de Mecônio </li></ul><ul><li>Respirando ou chorando </li></ul><ul><li>Bom tônus muscular </li></ul><ul><li>Gestação a termo </li></ul>NÃO
  13. 13. Procedimentos mediatos <ul><li>Vitamina K : via intramuscular, para prevenir a Doença hemorrágica do RN. </li></ul><ul><li>Credeização :instilação de nitrato de prata </li></ul><ul><li>1% nos olhos do Rn, para prevenir a conjuntivite gonocócica. (Parto normal) </li></ul><ul><li>Mensurações .( Peso,estatura,perímetro cefálico e torácico) </li></ul><ul><li>Identificação . </li></ul><ul><li>Exame físico detalhado </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  14. 14. <ul><li>Sistema respiratório e circulatório. </li></ul><ul><li>Termoregulação. </li></ul><ul><li>Sistema hematopoético </li></ul><ul><li>Sistema gastrintestinal </li></ul><ul><li>Equilibrio hidroeletrólitico. </li></ul><ul><li>Sistema imunológico </li></ul><ul><li>Sistema neurológico e outros. </li></ul>Adaptação a vida Extra Uterina LIGA DE NEONATOLOGIA
  15. 15. Avaliação do Bebê no pós parto <ul><li>Índice de Apgar ( 1 e 5’ min de vida) </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA Pontos 0 1 2 Freqüência cardíaca Ausente <100/min >100/min Respiração Ausente Fraca, irregular Forte/Choro Tônus muscular Flácido Flexão de pernas e braços Movimento ativo/Boa flexão Cor Cianótico/Pálido Cianose de extremidades Rosado Irritabilidade Reflexa Ausente Algum movimento Espirros/Choro
  16. 16. Avaliação do Bebê no pós parto <ul><li>Avaliação de idade Gestacional (nas primeiras 12 horas de vida) </li></ul><ul><li>Exame físico detalhado (nas primeiras horas de vida) </li></ul>06/02/09 LIGA DE NEONATOLOGIA
  17. 17. Berçário ??? NÃO!!!! LIGA DE NEONATOLOGIA
  18. 18. <ul><li>Promover o sistema “alojar conjuntamente” </li></ul>Pós parto É um sistema hospitalar em que o recém nascido ( Rn) sadio, logo após o nascimento , permanece ao lado da mãe, 24 horas por dia, num mesmo ambiente até a alta hospitalar. Tal sistema possibilita muitas vantagens para o binômio Mãe/bebê. LIGA DE NEONATOLOGIA
  19. 19. <ul><li>Leitos arrumados e equipados; </li></ul><ul><li>Equipe informada; </li></ul><ul><li>Recepção do Rn de forma Humanizada; </li></ul><ul><li>Controle de Infecção hospitalar específico. </li></ul>Organização do setor LIGA DE NEONATOLOGIA
  20. 20. Rotinas Estabelecidas <ul><li>Organização do setor para admissão do binômio mãe/Rn; </li></ul><ul><li>Cuidados básicos; </li></ul><ul><li>Aleitamento materno; </li></ul><ul><li>Imunização; </li></ul><ul><li>Coleta de sangue e teste de glicose; </li></ul><ul><li>Situações emergenciais e reconhecimento de sinais de risco; </li></ul><ul><li>Treinamento das mães; </li></ul><ul><li>Orientações para alta. </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  21. 21. <ul><li>Controle de Infecção hospitalar. </li></ul><ul><li>Sinais Vitais </li></ul><ul><li>Banho e higiene </li></ul><ul><li>Curativo do Coto umbilical (álcool 70 % individual) </li></ul><ul><li>Posicionamento (lateralizados e aninhados em berços ao lado da mãe.). </li></ul><ul><li>Anotações sobre eliminações e alterações . </li></ul><ul><li>Cabe ao médico fazer o exame físico e evoluir no prontuário. </li></ul>Cuidados Básicos LIGA DE NEONATOLOGIA
  22. 22. <ul><li>Clientela: </li></ul><ul><li>A mãe sadia com condições clínicas para estar em contato com seu bebê e prestar cuidados com a ajuda de profissionais do setor. </li></ul><ul><li>Bebês: </li></ul><ul><li>Boa vitalidade; </li></ul><ul><li>Termo ou Pré-termo capacitantes; </li></ul><ul><li>Boas condições clínicas. </li></ul><ul><li>TEMPO DE PERMANÊNCIA : Mínimo de 48 h </li></ul>Alojamento Conjunto LIGA DE NEONATOLOGIA
  23. 23. <ul><li>Vantagens : </li></ul><ul><li>Psicológicas </li></ul><ul><li>Educacionais </li></ul><ul><li>Físicas </li></ul>Alojamento Conjunto LIGA DE NEONATOLOGIA
  24. 24. Rn que NÃO deve ficar no alojamento conjunto 1) Prematuro; 2) Detecção de qualquer afecção ao nascer; 3) Necessidade de suporte respiratório; 4) Depressão respiratória pelo uso de opióide pela mãe; 5) Mal formações complexas; 6) Icterícias precoce; 7) Recusa materna e intercorrências maternas; 8) Peso inferior a 2000 g. Alojamento Conjunto LIGA DE NEONATOLOGIA
  25. 25. Humanização em saúde LIGA DE NEONATOLOGIA
  26. 26. Envolvimento das Mães no cuidado <ul><li>Fazê-lo o mais precoce possível de forma acolhedora e segura mas respeitando-a </li></ul><ul><li>Fazer uma vez, mostrando a ela como se faz. </li></ul><ul><li>Integrar rotina de humanização e prevenção de controle de infecção e segurança. </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  27. 27. Aleitamento Materno <ul><li>Equipe treinada, atualizada e envolvida. </li></ul><ul><li>Informativos por escrito para família. </li></ul><ul><li>Palestras diárias com as puérperas. </li></ul><ul><li>Rotina escrita no setor de fácil acesso para todos. </li></ul><ul><li>Orientação e acolhimento da puérpera por todos teórico-prático) </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  28. 28. A Amamentação Ineficaz pode causar... <ul><li>Alteração de sinais vitais. </li></ul><ul><li>Hipoglicemia </li></ul><ul><li>Desidratação. </li></ul><ul><li>Icterícia nas primeiras horas de vida. </li></ul><ul><li>Mãe entristecida </li></ul><ul><li>Favorecer a Internação dos bebês em UTI Neonatal! </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  29. 29. Imunização <ul><li>Equipe treinada (Teórico –prática). </li></ul><ul><li>Conhecer o cartão vacinal e orientação para mães. </li></ul><ul><li>Vacinas aplicadas neste momento: </li></ul><ul><li>Hepatite B ( primeiras 12 horas de vida). </li></ul><ul><li>BCG: antes da alta hospitalar. </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  30. 30. Coleta de Sangue <ul><li>Mínimo de sangue. </li></ul><ul><li>Local adequado. </li></ul><ul><li>Amenizar a “Dor” </li></ul><ul><li>Técnica de procedimento adequada. </li></ul><ul><li>Profissionais capacitados </li></ul><ul><li>Biossegurança . </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  31. 31. Orientações Pré-Alta <ul><li>Treinamento e ajuda para a mãe quanto aos cuidados com o Rn. </li></ul><ul><li>Sanar dúvidas quanto: eliminações e dermatites de fraldas, sono, choro, medidas de higiene, curativo do coto umbilical e avaliação de temperatura, aleitamento materno e prevenção de acidentes em casa. </li></ul><ul><li>Vacinação e exame do pezinho. </li></ul><ul><li>Agendamento de consulta de revisão. </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  32. 32. Considerações Finais <ul><li>Devemos ter a consciência de que as primeiras horas ou até mesmo os primeiros dias de um Rn, bem vividos são primordiais para sua qualidade de vida. </li></ul><ul><li>Assim, saibamos que somos uma peça fundamental neste contexto, de fornecer crianças saudáveis para o este mundo. </li></ul>LIGA DE NEONATOLOGIA
  33. 33. 06/02/09 LIGA DE NEONATOLOGIA Obrigado!

×