Universidade Federal do Pará
Instituto de Letras e Comunicação
Comunicação Social – Publicidade e Propaganda
SAC 2.0:
A em...
Temática
o Marketing digital;
o Comportamento do consumidor.
Objeto de estudo
Vídeo viral “Não é uma Brastemp”.
Problemáti...
Objetivos
Objetivo geral
Ampliar a visão acerca do fenômeno das redes sociais na internet e os
impactos das mobilizações d...
Metodologia
o Pesquisa bibliográfica em cibercultura, redes sociais, comportamento do
consumidor e marketing digital – Pie...
Pesquisa
Bibliográfica
Cibercultura
Marcas da Cibercultura
o Comunidades virtuais e redes sociais;
o Comunicação multidirecional, de todos para t...
Redes sociais
Redes Sociais no Brasil
Mais de 80% dos internautas brasileiros possui perfis em redes sociais: O Orkut
poss...
Comportamento do consumidor
O novo comportamento do consumidor
“
”
Independentes, individualistas, envolvidos e bem-inform...
Marketing digital
“
”
Em suma a era do Marketing 3.0 é aquela em que as práticas de
marketing são muito influenciadas pela...
Estudo de caso do viral
“Não é uma Brastemp”
Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp”
http://youtu.be/riOvEe0wqUQ
Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp”
o Publicado em 20.01.11.
o Viralizou em 28.01.11.
o Atingiu o Trending Topics...
Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp”
o Ao fim do mês de janeiro de
2011, alcançou mais de 200
mil visualizações no...
O comunicado da Brastemp
Pesquisa
SAC 2.0
Metodologia da pesquisa e elaboração dos
questionários
o Questionário quantitativo para consumidores
em redes sociais, ent...
1ª Pergunta
o As redes sociais permitem maior disseminação de conteúdos e virais e geram maior
impacto, uma vez que qualqu...
o Os consumidores conheceram o viral principalmente pelas redes sociais na internet;
estas trouxeram novos padrões de comu...
o A exposição negativa da marca dividiu opiniões e percepções da imagem da marca,
da filosofia de tratamento e do atendime...
o Os impactos negativos vão desde a perda de
confiança entre os consumidores mais leais à
marca, até os consumidores que e...
Do primeiro atendimento, quando foi cobrado um preço exorbitante por
um serviço inútil, até o último contato, em que o pra...
o A busca dos consumidores pelas redes sociais
como mais uma opção de atendimento,
estimulou empresas a oficializarem este...
Claramente houve uma falha no atendimento, mas me parece ser um
caso "raro". A credibilidade da marca contribuiu para que ...
o Cada vez mais os consumidores
aderem às reclamações nas redes
sociais; marcando o surgimento do
SAC 2.0, um canal inform...
Redes sociais
Reclame Aqui
Zaanga
o Torna-se extremamente importante buscar autenticidade e dar atenção aos
consumidores para se conquistar e manter sua fid...
o A convivência entre marcas e consumidores é crescente e apresentam forte
potencial de construção de bom relacionamento e...
Infográfico
o Infográficos são representações visuais de informação. Esses gráficos são usados
onde a informação precisa ser explicada...
Considerações
Finais
Considerações finais
o Os consumidores confiam mais nas opiniões e influências dos demais
consumidores em sua decisão de c...
Referências
Referências
BOTSMAN, Rachel; ROGERS, Roo. O que é meu é seu: como o consumo colaborativo vai mudar o
nosso mundo. Trad. Ro...
Epigrafe
SAC 2.0: A emergência do consumidor
na era das redes sociais
Dá-se muita atenção ao custo de se realizar algo.
E nenhuma a...
Obrigada!
www.sacvirtual.wordpress.com
@sacvirtual | @alynnecid
SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais
SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais

5,232

Published on

Slides de defesa do TCC "SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais", estudo sobre o atendimento 2.0 nas redes sociais.

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
5,232
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
96
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais

  1. 1. Universidade Federal do Pará Instituto de Letras e Comunicação Comunicação Social – Publicidade e Propaganda SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais Alynne Freitas Cid de Souza Orientadora: Profª. Msc. Carolina Venturini Tempo estimado de apresentação: 20 minutos
  2. 2. Temática o Marketing digital; o Comportamento do consumidor. Objeto de estudo Vídeo viral “Não é uma Brastemp”. Problemática Como e por que os consumidores estão utilizando as redes sociais para expor seus problemas com as empresas?
  3. 3. Objetivos Objetivo geral Ampliar a visão acerca do fenômeno das redes sociais na internet e os impactos das mobilizações de consumidores nesse ambiente. Objetivos específicos o Traçar o contexto da cibercultura e das redes sociais e da influência destes no comportamento do consumidor, sobretudo, no Brasil; o Avaliar os impactos das reações positivas e negativas de consumidores às ações de empresas em redes sociais por meio de estudo do caso Brastemp; o Criar um infográfico para esquematizar os impactos do SAC 2.0 por meio do caso Brastemp.
  4. 4. Metodologia o Pesquisa bibliográfica em cibercultura, redes sociais, comportamento do consumidor e marketing digital – Pierre Lévy, Raquel Recuero, David Lewis e Darren Bridger, Philip Kotler; o Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp”; o Pesquisa de campo quantitativa e qualitativa em redes sociais (Twitter e Facebook); o Elaboração de infográfico.
  5. 5. Pesquisa Bibliográfica
  6. 6. Cibercultura Marcas da Cibercultura o Comunidades virtuais e redes sociais; o Comunicação multidirecional, de todos para todos; o Liberdade de emissão e recepção de informação; o Variedade de acesso a informação e conexão entre o mundo inteiro o Inteligência Coletiva – filtros do excesso de informação. “ ” A cibercultura é a expressão da aspiração de construção de um laço social, que não seria fundado nem sobre links territoriais, nem sobre relações institucionais, nem sobre as relações de poder, mas sobre a reunião em torno de centros de interesses comuns, sobre o jogo, sobre o compartilhamento do saber, sobre a aprendizagem cooperativa, sobre processos abertos de colaboração. (LÉVY, 1999, p.130)
  7. 7. Redes sociais Redes Sociais no Brasil Mais de 80% dos internautas brasileiros possui perfis em redes sociais: O Orkut possui 72% (26 milhões) dos usuários no país, comparados a 27% (9,8 milhões) do Twitter e 26% (9,6 milhões) do Facebook (Ibope NetRatings). Redes sociais e capital social Valor criado a partir das interações entre os atores sociais. Virais <-> Capital social “ ” Redes sociais, assim, têm potencial para colaboração, para a difusão de informações e para a construção de novos valores sociais. Uma rede social não é uma ferramenta, mas apropria-se delas para expressar suas identidades, construir seus valores e operar de forma coletiva. (RECUERO, 2009a, p.26)
  8. 8. Comportamento do consumidor O novo comportamento do consumidor “ ” Independentes, individualistas, envolvidos e bem-informados sobre consumo, eles já se classificam como participantes significativos de um mercado cada vez mais fragmentado e em fragmentação. Da globalização à digitalização, das novas tecnologias do varejo às compras pela internet, cada aspecto da economia alterou radicalmente não só amaneira como os Novos Consumidores compram, como também o que compram e por quê. (LEWIS; BRIDGER, 2004, p.4) participativo colaborativo exigente impaciente influenciador segmentos heterogêneos informado ativo engajado
  9. 9. Marketing digital “ ” Em suma a era do Marketing 3.0 é aquela em que as práticas de marketing são muito influenciadas pelas mudanças no comportamento e nas atitudes do consumidor. É a forma mais sofisticada da era centrada no consumidor, em que o consumidor demanda abordagens de marketing mais colaborativas, culturais e espirituais (KOTLER, 2010, p.22). A evolução do Marketing: Marketing 3.0 o Voltado para os valores; o Consumidores: seres humanos plenos, com mente, coração e espírito; o Solução dos problemas atuais e aproximação com o consumidor; o Modelo dos 3Is: Identidade, Integridade e Imagem de marca.
  10. 10. Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp”
  11. 11. Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp” http://youtu.be/riOvEe0wqUQ
  12. 12. Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp” o Publicado em 20.01.11. o Viralizou em 28.01.11. o Atingiu o Trending Topics mundial do Twitter com o nome “Brastemp” relacionado ao link do vídeo.
  13. 13. Estudo de caso do viral “Não é uma Brastemp” o Ao fim do mês de janeiro de 2011, alcançou mais de 200 mil visualizações no YouTube e o perfil do consumidor no Twitter – @oboreli – adquiriu cerca de 3 mil seguidores.
  14. 14. O comunicado da Brastemp
  15. 15. Pesquisa SAC 2.0
  16. 16. Metodologia da pesquisa e elaboração dos questionários o Questionário quantitativo para consumidores em redes sociais, entre 18 e 64 anos; o Divulgado no Twitter (@sacvirtual) e Facebook no período de 19 de setembro a 22 de novembro. Objetivos: o Avaliar a opinião dos usuários a respeito do case Brastemp; o Avaliar as possíveis influências do case na percepção do valor da marca e decisões de compra; o Avaliar a disposição de reclamar nas redes sociais em busca do SAC 2.0.
  17. 17. 1ª Pergunta o As redes sociais permitem maior disseminação de conteúdos e virais e geram maior impacto, uma vez que qualquer usuário pode publicar comentários e conteúdos positivos ou negativos sobre as marcas.
  18. 18. o Os consumidores conheceram o viral principalmente pelas redes sociais na internet; estas trouxeram novos padrões de comunicação, interação e informação. o A nova cultura da informação e interação virtual: conteúdo compartilhado por amigos ou pessoas influentes possui tanta credibilidade ou mais quanto os grandes canais de notícias. 2ª Pergunta
  19. 19. o A exposição negativa da marca dividiu opiniões e percepções da imagem da marca, da filosofia de tratamento e do atendimento aos seus consumidores. o O resultado revelou que a exposição das marcas nas redes sociais pode exercer influência sobre a percepção da imagem da empresa, por parte de uma quantidade considerável de usuários, consumidores ou não da marca. 3ª Pergunta
  20. 20. o Os impactos negativos vão desde a perda de confiança entre os consumidores mais leais à marca, até os consumidores que estão buscando opiniões antes de criar vínculos à empresa. 4ª Pergunta Respostas negativas O que os consumidores reprovam A demora ou omissão de respostas por parte das empresas são motivos de disseminação de críticas intensas e prejuízo de imagem de marca.
  21. 21. Do primeiro atendimento, quando foi cobrado um preço exorbitante por um serviço inútil, até o último contato, em que o prazo de entrega não foi cumprido sem ao menos um telefonema para o cliente, o que houve foi um festival de incompetência e desrespeito que deixou uma família sem um produto de primeira necessidade por mais de 90 dias. (Edna Silva) 5ª Pergunta Justificativas “ ”
  22. 22. o A busca dos consumidores pelas redes sociais como mais uma opção de atendimento, estimulou empresas a oficializarem este novo canal, e incentivou a interação entre consumidor e empresa. O que os consumidores aprovam Respostas rápidas e o reconhecimento de falhas geram boas recomendações às marcas nas redes sociais. 4ª Pergunta Respostas positivas
  23. 23. Claramente houve uma falha no atendimento, mas me parece ser um caso "raro". A credibilidade da marca contribuiu para que o episódio fosse superado. Mas o protesto do cliente tornou-se um marco, materializou o novo consumidor e ratificou o poder das mídias sociais e o seu impacto na qualidade de atendimento ao cliente. (Gutenberg Almeida) “ ” 5ª Pergunta Justificativas
  24. 24. o Cada vez mais os consumidores aderem às reclamações nas redes sociais; marcando o surgimento do SAC 2.0, um canal informal e alternativo quando os meios tradicionais tornam-se ineficientes. O velho e o novo SAC Onde o SAC 2.0 se encontra o Redes sociais o Reclame Aqui o Zaanga 6ª Pergunta
  25. 25. Redes sociais
  26. 26. Reclame Aqui
  27. 27. Zaanga
  28. 28. o Torna-se extremamente importante buscar autenticidade e dar atenção aos consumidores para se conquistar e manter sua fidelidade. 7ª Pergunta
  29. 29. o A convivência entre marcas e consumidores é crescente e apresentam forte potencial de construção de bom relacionamento e confiança. o O Marketing 3.0: mais do que números, ao monitorar as redes sociais é fundamental para o profissional de marketing e redes sociais buscar a essência das interações dos consumidores. 8ª Pergunta
  30. 30. Infográfico
  31. 31. o Infográficos são representações visuais de informação. Esses gráficos são usados onde a informação precisa ser explicada de forma mais dinâmica, além de sua organização auxiliar para a máxima compreensão do leitor. o Objetivo Infográfico na pesquisa SAC 2.0: esquematizar os impactos do SAC 2.0 por meio do caso Brastemp, de forma a resumir de maneira simples, os principais pontos e conclusões apresentados neste artigo. Infográfico SAC 2.0
  32. 32. Considerações Finais
  33. 33. Considerações finais o Os consumidores confiam mais nas opiniões e influências dos demais consumidores em sua decisão de compra; o A internet e as redes sociais aumentam a visibilidade e o alcance de críticas de consumidores e facilitam a mobilização destes; o A participação e o investimento das marcas no relacionamento com o consumidor, bem como no melhor atendimento, pode trazer benefícios tanto para a imagem da marca, quanto para a adequação de produtos e serviços. o A rapidez com que as redes sociais são substituídas por outras, bem como as tendências de comunicação, mostram que é preciso que as empresas estejam atentas e flexíveis às transformações e às necessidades dos consumidores, para se adaptarem e melhor atendê-los.
  34. 34. Referências
  35. 35. Referências BOTSMAN, Rachel; ROGERS, Roo. O que é meu é seu: como o consumo colaborativo vai mudar o nosso mundo. Trad. Rodrigo Sadenberg. Porto Alegre: Bookman, 2011. CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. FEATHERSTONE, Mike. Cultura de consumo e pós-modernismo. Trad. Julio Assis Simões. São Paulo: Studio Nobel, 1995. KOTLER, Philip. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. LEMOS, André. “Cibercultura. Alguns pontos para compreender a nossa época” In: LEMOS, André, CUNHA, Paulo (orgs). Olhares sobre a cibercultura. Porto Alegre: Sulina, 2003, p. 11-23. LÉVY, Pierre. A inteligência coletiva: por uma antropologia do ciberespaço. 4.ed. São Paulo: Ed. Loyola, 2003. ______. Cibercultura. Trad. Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Ed. 34, 1999. (Coleção TRANS). LEWIS, Dr. David; BRIDGER, Darren. A alma do novo consumidor. São Paulo: M. Books do Brasil, 2004. MORAES, Maurício; CAPUTO, Victor. Um por todos... Revista Info Exame, São Paulo: Abril, p. 50- 57, n. 307, ano 26, set. 2011. RECUERO, Raquel. Rede Social, in SPYER, Juliano (Org). Para Entender a Internet - Noções, práticas e desafios da comunicação em rede. E-livro: Nãozero, 2009a. Disponível em: <http://www.gestordemarketing.com/profiles/blogs/para-entender-ainternet>. Acesso em: 21 abr. 2011. ______. Redes sociais na internet. Porto Alegre: Sulina, 2009b. (Coleção Cibercultura). SHIRKY, Clay. A cultura da participação: criatividade e generosidade no mundo conectado. Trad. Celina Portocarrero. Rio de Janeiro: Zahar, 2011. TELLES, André. A revolução das mídias sociais: cases, conceitos, dicas e ferramentas. São Paulo: M.Books, 2011.
  36. 36. Epigrafe
  37. 37. SAC 2.0: A emergência do consumidor na era das redes sociais Dá-se muita atenção ao custo de se realizar algo. E nenhuma ao custo de não realizá-lo. www.sacvirtual.wordpress.com @sacvirtual | @alynnecid Philip Kotler “ ”
  38. 38. Obrigada! www.sacvirtual.wordpress.com @sacvirtual | @alynnecid
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×