Arte refinada utfpr_2011-2_pub
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Arte refinada utfpr_2011-2_pub

  • 880 views
Uploaded on

Palestra apresentada na UTFPR em 25 de agosto de 2011.

Palestra apresentada na UTFPR em 25 de agosto de 2011.

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
880
On Slideshare
880
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
15
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Palestras até agora 1) O cisne negro – dezembro/2008 2) Teoria dos jogos – maio/2009 3) Teoria da evolução – outubro/2009 4) Criação imperfeita – agosto/2010 5) Einstein, a relatividade especial e outras coisas – maio/2011. 6)A arte refinada de detectar tolices – 25 de agosto de 2011.25-VIII-2011 2
  • 2. Palestras futuras 1) Einstein e a relatividade geral – outubro/2011 2) Einstein e a mecânica quântica – maio/2012 3) Profecias do fim do mundo – 12/12/2012 4) A ciência de Jornada nas Estrelas - maio/2013.25-VIII-2011 3
  • 3. Plano da palestra 1) Um pouco sobre Carl Sagan. 2) Ferramentas para detectar falácias. 3) O que é uma teoria científica?25-VIII-2011 4
  • 4. 1 Um pouco sobre Carl Sagan25-VIII-2011 5
  • 5. Carl Sagan (1934 - 1996) ● 1960: Doutor pela Universidade de Chicago. ● 1971: Professor titular da Universidade de Cornell. ● 1980: “Cosmos – uma viagem pessoal”. ● Mais de 600 artigos publicados. ● Participação no Programa Espacial norte-americano ● Divulgação científica.25-VIII-2011 6
  • 6. “O Mundo Assombrado pelos Demônios” ● EUA 1997, Brasil 2002: “A Ciência como uma vela no escuro.” ● Explicação do método científico aos leigos. ● Intodução ao pensamento crítico e cético. ● Distinção entre ciência e pseudociência. ● Cap. 12: “A arte refinada de detectar mentiras”.25-VIII-2011 7
  • 7. The fine art of baloney detection “Baloney” em inglês significa uma mortadela do tipo Bologna e também “tolice”, “bobagem”.25-VIII-2011 8
  • 8. 2 Ferramentas para detectar falácias25-VIII-2011 9
  • 9. 1 - O que é uma falácia? Argumento logicamente inconsistente, sem fundamento, inválido ou falho na capacidade de provar aquilo que alega.25-VIII-2011 10
  • 10. 2 – Non Sequitur (não se segue) ● Dizemos “non sequitur” quando a conclusão não se segue logicamente das premissas. ● Pergunta: “Qual o sentido da vida, do universo e de tudo mais?” ● Resposta: “42.”25-VIII-2011 11
  • 11. Outro exemplo de non sequitur● “Se a fábrica poluir o rio, o número de peixes mortos aumentará.”● “O número de peixes mortos aumentou.”● “Logo, a fábrica está poluindo o rio.”
  • 12. 3 – Argumento de autoridade ● O poder e o prestígio de uma autoridade não podem ser tomados como evidência a favor dos enunciados por ela feitos. ● “Nullius in verba” - lema da Royal Society of London, fundada em 1661.25-VIII-2011 13
  • 13. Exemplo de argumento de autoridade “...em toda a minha experiência nunca estive em nenhum acidente...de qualquer tipo digno de menção. Só vi uma única embarcação em perigo em todos os meus anos no mar. Nunca vi um náufrago nem nunca naufraguei, tampouco enfrentei qualquer contratempo que ameaçasse terminar em qualquer tipo de desastre.” (Edward John Smith)25-VIII-2011 14
  • 14. Edward John Smith (1850 - 1912) ● Edward John Smith cometeu um único erro,... ● ...ao comandar o RMS Titanic.25-VIII-2011 15
  • 15. 4 – A evidência silenciosa ● A história é escrita pelos vencedores (ou pelos que “sobram”). ● Diágoras (sec. V a.C., apud Cicero): “Onde estão as pinturas daqueles que invocaram os deuses e ainda assim se afogaram?”25-VIII-2011 16
  • 16. Exemplo: “Em busca de felicidade” ● Chris Gardner, n. 1954. ● 1982: vendedor falido, morador de rua, pai solteiro abandonado pela mulher. ● Torna-se estagiário não remunerado da corretora Dean Witter Reynolds e é finalmente contratado dentre outros 19 candidatos. ● 1987: abre corretora própria. ● 2006: vende sua participação na Gardner Rich em uma transação multi-milionária.25-VIII-2011 17
  • 17. Lições do filme ● A lição clara: é preciso persistir, e persistir de maneiras diferentes, até dar certo. ● A lição subliminar: o sistema de livre empresa é aquele que permite que as pessoas tenham sorte (“the pursuit of happiness”). ● A lição silenciosa: dentre os outros 19 estagiários da Dean Witter Reynolds, onde estão aqueles que persistiram, fizeram tudo certo, e ainda assim não foram contratados?25-VIII-2011 18
  • 18. 5 – Ataque pessoal (“Ad Hominem”) Ocorre quando um argumentador ataca o outro pessoalmente, em vez de atacar o argumento em si.25-VIII-2011 19
  • 19. Exemplo radical de ataque pessoal “Einstein obrou fora do vaso sanitário, na ótica, que é o tapete persa da física. Além disso, era mau pai e não tomava banho!” (Cesar Lattes, 1924- 2005, em declaração por volta de 1980)25-VIII-2011 20
  • 20. 6 – Correlação não implica causação ● A correlação estatística entre duas variáveis não prova automaticamente que uma causa a outra. ● Possibilidades: – Variáveis exógenas. – Coincidência.25-VIII-2011 21
  • 21. Exemplo25-VIII-2011 22
  • 22. 7 – Consequências adversas ● Argumento que tenta validar uma hipótese afirmando que algo seria impossível se a mesma não fosse verdadeira. ● Exemplo: “Se não matarmos esse bandido, os outros terão certeza da impunidade e a criminalidade aumentará.”25-VIII-2011 23
  • 23. Outro exemplo25-VIII-2011 24
  • 24. 8 – Apelo à ignorância ● Afirmação de que qualquer coisa que não se provou falsa é verdadeira, e vice-versa. ● Exemplo: “Ninguém conseguiu provar que não somos imortais. Logo, somos imortais.”25-VIII-2011 25
  • 25. Exemplo um pouco mais técnico ● Conjectura de Goldbach: “qualquer número par maior do que 2 pode ser escrito como a soma de dois números primos.” ● 4=2+2 ● 6=3+3 ● 8=5+3 ● 60=7+53=13+47=... ● etc.25-VIII-2011 26
  • 26. 9 – Petição de princípio ● Utilizada para demonstrar uma tese partindo do princípio de que a mesma é válida. ● Exemplo: “Não devemos aceitar o casamento gay porque não há provas de que filhos de pais do mesmo sexo se desenvolvam normalmente.”25-VIII-2011 27
  • 27. Outro exemplo de petição de princípio● “É fato que nosso livro sagrado é infalível.”● “Logo, todos devem buscar nele a verdade.”
  • 28. 10 – A Navalha de Occam ● William de Occam (1288 - 1348). ● "Se em tudo o mais forem idênticas as várias explicações de um fenômeno, a mais simples é a melhor."25-VIII-2011 29
  • 29. Exemplo: círculos nas plantações ● Hipótese 1: os círculos são produzidos por seres extraterrestres tentando se comunicar conosco. ● Hipótese 2: os círculos são produzidos por seres humanos.25-VIII-2011 30
  • 30. 11 – Espantalho ● Consiste em caricaturar uma proposição para tornar mais fácil o ataque. ● Exemplo: “Portadores da síndrome de Down não têm o mesmo número de cromossomos que o resto de nós. Logo, não podem ter os mesmos direitos que nós”.25-VIII-2011 31
  • 31. Outro exemplo de espantalho● “O seu avô foi macaco? Claro que não! Então a Teoria da Evolução não faz sentido.”● “A Teoria da Evolução não pode estar correta, pois é apenas uma teoria.”
  • 32. 3 O que é uma teoria científica?25-VIII-2011 33
  • 33. O método científico25-VIII-2011 34
  • 34. O problema de Hume (1711 - 1776) ● Relações causais não são encontradas pela razão, mas pela indução (experimental). ● Contudo, como justificar cientificamente (i.e., experimentalmente) a indução? ● Circularidade!25-VIII-2011 35
  • 35. O resposta de Hume “Embora não existam meios para se demonstrar a validade dos procedimentos indutivos, a constituição psicológica dos seres humanos é tal que não lhes resta alternativa a não ser pensar em termos indutivos.”25-VIII-2011 36
  • 36. A resposta de Popper (1902 - 1994) ● Não importa quantos cisnes brancos possamos ter observado na vida, isso não justifica a conclusão de que todos os cisnes são brancos. ● Contudo, a observação de um único cisne negro significa que nem todos os cisnes são brancos.25-VIII-2011 37
  • 37. O princípio da refutabilidade ● Teorias científicas devem ser formuladas de maneira a se exporem abertamente à refutação. ● Uma teoria só deve ser aceita enquanto não tiver sido refutada.25-VIII-2011 38
  • 38. 25-VIII-2011 39
  • 39. Exemplo de enunciado irrefutável ● O bule de chá de Russel: “Existe um bule de chá orbitando o Sol, entre as órbitas da Terra e de Marte”. (Bertrand Russel, 1872 - 1970)25-VIII-2011 40
  • 40. Outro exemplo ● O dragão de Sagan: “Existe um dragão indetectável morando na minha garagem”. (Carl Sagan, 1934 - 1996)25-VIII-2011 41
  • 41. 25-VIII-2011 42
  • 42. Para saber mais ● “O mundo assombrado pelos demônios”, Carl Sagan, 1997/2002. – Capítulo 10: O dragão na minha garagem. – Capítulo 12: A arte refinada de detectar mentiras. ● Sociedade da Terra Redonda: http://str.com.br/Scientia/falacias2.htm ● Wikipedia: http://pt.wikipedia.org.25-VIII-2011 43
  • 43. Ufa! É o Fim! Obrigado25-VIII-2011 44