Your SlideShare is downloading. ×
Contabilidade gerencial impostos e taxas sobre vendas
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Contabilidade gerencial impostos e taxas sobre vendas

10,162
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
10,162
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
358
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Departamento de Produção Contabilidade Gerencial Prof. Edson Pamplona http://www.iepg.unifei.edu.br/edson Slides baseados no livro do Matarazzo, em slides dos Profs J. Arnaldo, Marion e Fábio Fowler 1
  • 2. Contabilidade Gerencial • Objetivo – Capacitar os alunos a avaliar demonstrações financeiras divulgadas por empresas visando extrair informações sobre desempenho e situação econômica e financeira • Metodologia – Os alunos deverão escolher uma empresa para análise, obter suas demonstrações, de empresas concorrentes e dados do setor. A cada aula o professor fará uma breve exposição sobre os tópicos e resolverá os exemplos do livro texto. Os alunos apresentarão seus resultados práticos relativos à aula anterior, conforme programa. Ao final do curso os alunos apresentarão um relatório geral sobre sua empresa, comparando-a com o setor e atribuirão um conceito final a ela • Avaliação – Frequência: 10%; Participação: 30%; Prova: 40%; Trabalho final: 20% • Bibliografia – MATARAZZO, Dante C. Análise Financeira de balanços. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2003 – Sites como: www.cvm.gov.br e artigos da área Contabilidade Gerencial Programa • Introdução • Estrutura das Demonstrações Financeiras • Contabilidade: débito e crédito, lançamento em razonetes • Padronização das demonstrações e ìndices de Estrutura e Liquidez • Índices de rentabilidade e Fórmula Du Pont • Índices Padrão • Modelo de Avaliação de Empresas • Análise Horizontal e vertical e Previsão de Falências • Índices de Prazos Médios • EVA – Economic Value Added • Análise de ações, beta e CAPM • Avaliações das empresas dos alunos 2
  • 3. Cronograma semana Assunto leitura e atividades Introdução. Apresentação do Capítulo de 1 e apêndice do livro texto programa e da metodologia. Procurar empresa de interesse para 1 Conceitos e objetivos da análise Contabilidade Gerencial Estrutura das Demonstrações Cap. 2 e apêndice do livro texto Financeiras. Principais contas do Apresentar Demonstrações da empresa 2 balanço de da demonstração de escolhida, e identificar valor total do resultados ativo, do passivo, receita bruta e lucro líquido do ano anterior Contabilidade, O Plano de contas. Livro Contabilidade Básica do Marion A Contabilização. Débito e Pegar transparências sobre 3 Crédito. Lançamento em contabilidade básica na página do razonetes, professor e resolver exercício proposto Padronização das demonstrações Caps 5 e 6 do livro texto da empresa exemplo Padronizar em Excel as demonstrações 4 Análise através de índices da empresa escolhida Estrutura e Liquidez Cronograma Análise através de índices Cap 6 e 15 do livro texto. Cap 8 do livro Rentabilidade. Análise da taxa de de análise de demonstrações contábeis 5 retorno sobre investimentos, fórmula Du Pont. Como avaliar os de Marion Calcular todos os índices da empresa índices. Pesos. Relatório Parcial escolhida. Índices Padrão Cap 7 do livro texto 6 Calcular índices padrão do setor de sua empresa Modelo de Avaliação de empresas Capítulo 8 do livro texto. 7 Avaliar o perfil, os pontos fortes e fracos e a evolução de sua empresa Prova 1 8 Ánalise Vertical e Horizontal Capítulos 9 e apêndice do livro texto Previsão de falências Realizar análise vertical e horizontal de 9 sua empresa e avaliar previsão de falência Índices de prazos médios Cap 11 livro texto 10 Calcular índices de prazo médio da empresa 3
  • 4. Cronograma EVA Artigos da área Os alunos deverão procurar textos 11 sobre o assunto para apresentar em sala de aula Análise de ações, beta e Levantar valor mensal das ações CAPM preferenciais da empresa nos 3 anos de análise. Calcular média, desvio- 12 padrão, beta e o retorno esperado dos acionistas. Comparar com Ibovespa. Conclusão: apresentação 13 da empresa exemplo e resumo do curso Apresentação dos Entregar relatório final completo 14 trabalhos finais dos alunos impresso e em documento Word e pdf Apresentação dos 15 trabalhos finais dos alunos Como encontrar as demonstrações da empresa escolhida - Selecione a empresa - DFP – Demonstrações Financeiras Padronizadas - Clicar em consulta 4
  • 5. Escolha o Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultados consolidados - Escolha o Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultados consolidados - Baixe o Relatório da Administração do último ano Contabilidade Gerencial Contadores Analistas Informações Coleta e Elaboração de financeiras registro demonstrações Usuários para tomada de dados financeira de decisões Fatos Balanço Patrimonial Adminstrativos: Índices Administração Ativo Passivo Investimentos • Liquidez Acionistas Invest Fontes Bancos Compra material • Endividamento Venda produtos • Rentabilidade Governo Demonstração Pgtos Mão-de-obra Análises Clientes de resultados Comparações Fornecedores Receitas Relatórios -Despesas Lucro 5
  • 6. Análise Financeira de Balanços Objetivo: produzir informações a partir dos dados apresentados pelos contadores. Este paciente esta bem! Dados Informação Análise Financeira de Balanços As informações obtidas permitirão concluir se: • a empresa merece crédito ou não; • se vem sendo bem ou mal administrada; • se tem ou não condições de pagar suas dívidas; • se é ou não lucrativa; • se vem evoluindo ou regredindo; • se eficiente ou ineficiente; • se irá falir ou se continuará operando. 6
  • 7. Análise Financeira de Balanços Em linha gerais, pode-se listar as seguinte informações produzidas pela análise de balanços: • Situação financeira; • Situação econômica; • Desempenho; • Eficiência no uso de recursos; • Pontos fortes e fracos; • Tendências e perspectivas; Análise Financeira de Balanços Exemplo de relatório: • “O grau de endividamento da empresa encontra-se em um nível razoável em relação ao ramo de atividade; entretanto, vem crescendo de maneira indesejável, pois há dois anos podia ser considerado bom. A composição do endividamento mostra um perfil de dívida insatisfatório devido à excessiva participação das obrigações de curto prazo. Já a liquidez da empresa pode ser considerada boa”. 7
  • 8. Estadão – 02/03/2004 AmBev tem lucro líquido de R$ 1,411 bilhões em 2003 São Paulo - A AmBev encerrou o ano passado com lucro líquido consolidado de R$ 1,411 bilhão. A companhia não forneceu o dado comparativo consolidado de lucro líquido de 2002. A receita líquida teve alta de 10,2%, para R$ 8,683 bilhão. O lucro bruto saiu de R$ 4,188 bilhões em 2002 para R$ 4,639 bilhões no ano passado. As despesas operacionais totalizaram R$ 2,333 bilhões, com crescimento de 9,6% sobre o resultado de 2002. No ano passado, a companhia teve receita financeira líquida de R$ 93,110 milhões. A companhia também registrou despesa não operacional de R$ 100,665 milhões. Em 31 de dezembro, o patrimônio líquido da companhia era de R$ 4,308 bilhões. Todos os dados são consolidados. A companhia ressalta que os dados de 2002 são pró-forma. Pra você isso é grego? Estadão – 03/03/2004 Fusão AmBev/Interbrew é destaque na Europa São Paulo - A fusão entre a AmBev e a belga Interbrew, por meio de um complexo intercâmbio acionário e de ativos, para criar o maior grupo mundial por volume e o segundo em vendas, com faturamento conjunto de 9,5 bilhões de euros, é destaque hoje em grande parte dos sites dos jornais econômicos europeus na internet. O espanhol "Expansión" informa que a Interbrew vai entrar "em cheio" no mercado latino-americano, onde existem grandes perspectivas de crescimento. O jornal traz informações de que o consumo de cerveja no Brasil - quarto maior mercado do planeta, atrás apenas da China, Estados Unidos e Alemanha - cresceu 1,9% em 2003. Ainda de acordo com a imprensa européia, a companhia belga vai pagar 3,26 bilhões de euros aos três sócios brasileiros por 22% da AmBev, que controla 2/3 do mercado brasileiro. Além disso, informa, pagará 1,2 bilhão de euros pelas ações ordinárias em mãos de minoritários. "A AmBev, por sua vez, vai emitir 9,5 bilhões de ações ordinárias, 13,8 bilhões de títulos preferenciais e assumirá US$ 1,5 bilhão de dívida para ficar com a Labatt, subsidiária canadense da Interbrew, cujo valor está estimado em 4,6 bilhões de euros." A Labatt controla 30% dos negócios da Interbrew no México e 70% nos Estados Unidos. é grego? 8
  • 9. Relatórios Contábeis OBRIGATÓRIOS ( Demonstrações Financeiras) Lei das Sociedades Anônimas (6.404/76) Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados Demonstração de Origens e Aplicação de Recursos NÃO OBRIGATÓRIOS Demonstração do Fluxo de Caixa - Direto - Indireto Orçamentos Etc. Relatórios Contábeis OBRIGATÓRIOS ( Demonstrações Financeiras) Nova Lei Contábil (11.638/07) Balanço Patrimonial Demonstração do Resultado do Exercício Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) Demonstração de valor adicionado Observações De acordo com padrões financeiros internacionais (IFRS) Publicação obrigatória apenas para S/A Sociedade de grande porte (Ativo maior que R$240 milhões ou Receita maior que R$ 300 milhões), mesmo não sendo sociedade anônima, deve seguir a nova lei. 9
  • 10. APLICAÇÃO DA NOVA LEI Tipos societários • Para correta interpretação e aplicação das novas disposições é fundamental identificar o tipo societário da empresa: 1)S/As de capital aberto 2)S/As de capital fechado-Grande porte (Ativo > 250 milhões e Receita > 300 milhões) 3) S/As de capital fechado – PL elevado (> 2 milhões) (Ativo > 250 milhões Receita > 300 milhões) 4)S/As de capital fechado – PL reduzido (< 2 milhões) 5) Sociedades LTDA – Grande porte (Ativo > 250 milhões e Receita > 300 milhões) 6) Sociedades LTDA – Pequeno e médio porte. Modelo para Publicação das Demonstrações Financeiras Denominação da Empresa CGC - Tipo de Sociedade Relatório da Administração Demonstrações Financeiras BALANÇO PATRIMONIAL DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO PASSIVO e PL DO EXERCÍCIO ATIVO Data Data Receita Bruta Lucro Líquido DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA E DVA Data Data Notas Explicativas Parecer da Auditoria Administradores Contador Conselho Fiscal (assinatura) (assinatura) 10
  • 11. Patrimônio de uma empresa BENS + DIREITOS OBRIGAÇÕES EXIGÍVEIS Bens Obrigações Dinheiro Empréstimos a Pagar Mercadoria em Estoques Salários a Pagar Fornecedores (Duplicatas a Veículos Imóveis Máquinas Ferramentas pagar) Móveis e Utensílios Financiamentos Marcas e Patentes Impostos a Pagar Direitos Encargos Sociais a Pagar Aluguéis a Pagar Depósitos em Bancos Títulos a Pagar Duplicatas a Receber Títulos a Receber Promissórias a Pagar Aluguéis a Receber Contas a Pagar 21 Ações Patrimônio Líquido Patrimônio Líquido = Bens + Direitos (-) Obrigações Obrigações Bens + Direitos Patrimônio Líquido 22 11
  • 12. Balanço Patrimonial Ativo Passivo e Patrimônio Líquido Circulante Compreende contas que estão constantemente em giro Circulante - em movimento, sua conversão em dinheiro ocorrerá, Compreende obrigações exigíveis que serão liquidadas no máximo, até o próximo exercício social. no próximo exercício social: nos próximos 365 dias após o levantamento do balanço. Realizável a Longo Prazo Bens e direitos que se transformarão em dinheiro após o exercício seguinte. Exigível a Longo Prazo São obrigações exigíveis que serão liquidadas com Permanente prazo superior a um ano - dívidas a longo prazo. São bens e direitos que não se destinam a venda e têm vida útil longa.. Patrimônio Líquido Investimento São recursos dos proprietários aplicados na empresa. São as aplicações de caráter permanente que geram Os recursos significam o capital mais o seu rendimento rendimentos não necessários à manutenção da - lucros e reservas. Se houver prejuízo, o total dos atividade principal da empresa. investimentos proprietários será reduzido. Imobilizado Abarca itens de natureza permanente que serão Observação: há outras contas pertencentes ao utilizados para a manutenção da atividade básica da balanço patrimonial que serão tratadas em momento empresa. oportuno. Diferido São aplicações que beneficiarão resultados de 23 exercícios futuros. Demonstração de Resultados • Receita bruta de vendas - devoluções, abatimentos, impostos • Receita líquida de vendas - custo dos produtos vendidos • Lucro bruto - despesas operacionais • Lucro operacional +/- resultado não operacional • Lucro antes do imposto de renda -imposto de renda 24 • Lucro líquido 12
  • 13. Demonstração de Resultados Receita Bruta (-) Deduções A Receita Bruta é o total bruto vendido no período. Nela estão inclusos os impostos sobre vendas (os Receita Líquida quais pertencem ao governo) e dela não foram subtraídas as devoluções (vendas canceladas) e os abatimentos (descontos) ocorridos no período. Impostos e Taxas sobre vendas são aqueles gerados no momento da venda; variam proporcionalmente à venda, ou seja, quanto maior for o total de vendas, maior será o imposto. São os mais comuns: IPI - Imposto sobre Produtos Industrializados (governo federal). ICMS- Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (governo estadual). ISS - Imposto Sobre Serviços de qualquer natureza (governo municipal). PIS - Programa de Integração Social-taxa sobre o faturamento (governo federal). COFINS - Contribuição para a Securidade Social. 25 RECEITA BRUTA Custo das Vendas (-) Deduções Para empresas industrias o custo das vendas é formado Receita Líquida pelo Material direto, Mâo-de-obra direta e Custos Indiretos de (-) Custo das Vendas Fabricação e é denominado Custo dos Produtos Vandidos Lucro Bruto (CPV). Nas empresas comerciais é denominado Custo das (-) Despesas Operacionais Mercadorias Vendidas (CMV) e em Serviços Custo dos Lucro operacional Serviços Vendidos (CSV) Despesas Operacionais: As despesas operacionais são as necessárias para vender os produtos, administrar a empresa e financiar as operações. Enfim, são todas as despesas que contribuem para a manutenção da atividade operacional da empresa. Os principais grupos de Despesas Operacionais são especificados a seguir: a) Despesas de vendas b) Despesas administrativas c) Despesas Financeiras 26 13
  • 14. 28 Lucro Operacional As despesas e receitas não relacionadas (-) Despesas não operacionais diretamente com o objetivo do negócio da (+) Receitas não Operacionais empresa são classificadas como Não = Lucro Antes do Imposto de Renda (LAIR) Operacionais. (-) Provisão para Imposto de Renda e CSL = Lucro Depois do Imposto de Renda (-) Doações e Contribuições (-) Participações O Imposto de Renda (IRPJ) e a Lucro Líquido Contribuição Social (CSL) incidem sobre o lucro da empresa. A alíquota do IRPJ é de 15% sobre o lucro, mais 10% sobre o lucro que excede a R$ 20.000,00 por mês. A alíquota da CSL é de 9% sobre o lucro O lucro líquido é a sobra líquida à disposição dos proprietários (sócios ou acionistas). As participações são complementos á remuneração de empregados e 27 administradores. Demonstração de Resultados Ver a Demonstração de Resultados de uma empresa retirada da CVM. Ver Software Economática para obtenção de informações 28 14
  • 15. Como se chega às demonstrações financeiras? Método dos balanços sucessivos Os sócios assumem o compromisso de conceder $ 900.000 à empresa ATIVO PASSIVO e PL Capital a receber (a integralizar) 900.000 Capital subscrito 900.000 Os sócios integralizam o capital ATIVO PASSIVO e PL Bancos c/ Movimento 900.000 Capital 900.000 A empresa adquire a vista, um veículo por $ 800.000 ATIVO PASSIVO e PL Circulante Bancos c/ Movimento 100.000 Patrimônio Líquido Permanente Capital 900.000 Imobilizado Veículo 800.000 Total 900.000 Total 900.000 29 Como se chega às demonstrações financeiras? Método dos balanços sucessivos A empresa adquire Móveis e Utensílios no valor de $ 120.000 a prazo (6 de 20.000 por nota promissória) ATIVO PASSIVO e PL Circulante Circulante Bancos c/ Movimento 100.000 Títulos a pagar 120.000 Permanente Imobilizado Patrimônio Líquido Veículo 800.000 Capital 900.000 Móveis e utensílios 120.000 Total 1020000 Total 1020.000 A empresa adquire um financiamento, por três anos, no valor de $ 200.000 Circulante ATIVO Circulante PASSIVO e PL Bancos c/ Movimento 300.000 Títulos a pagar 120.000 Permanente Exigível a longo prazo Imobilizado Financiamentos 200.000 Veículo 800.000 Patrimônio Líquido Móveis e utensílios 120.000 Capital 900.000 Total 1220000 Total 1220.000 30 15
  • 16. Como se chega às demonstrações financeiras? Método dos balanços sucessivos A empresa adquire Materiais de Escritório por $ 50.000. Metade desse material foi pago a vista e metade será paga em 60 dias. ATIVO PASSIVO e PL Circulante Circulante Bancos c/ Movimento 275.000 Fornecedores 25.000 Materiais de Escritório 50.000 Títulos a pagar 120.000 Permanente Exigível a longo prazo Imobilizado Financiamentos 200.000 Veículo 800.000 Patrimônio Líquido Móveis e utensílios 120.000 Capital 900.000 Total 1.245.000 Total 1.245.000 Este método é bastante simples, mas não é recomendado para uma empresa que realiza muitas operações, que é o caso de quase todas as empresas. A cada operação deveria ser montado um Balanço!!! 31 Método das partidas dobradas 34 1ª Operação: Constituição da Companhia Transportadora com um capital de $ 900.000 (PL) aplicado totalmente na conta Bancos c/ Movimento. ATIVO PASSIVO e PL Bancos c/ Movimento 900.000 Capital 900.000 As contas movimentadas foram Bancos e Capital; por isso será aberto um razonete para cada conta: Bancos c/ Movimento Capital Por uma questão de coerência, os $ 900.000 da conta Bancos c/ Movimento serão lançados no lado esquerdo do razonete (representa uma ficha do livro razão da empresa), pois as contas de Ativo devem ser lançadas no lado esquerdo do Balanço Patrimonial. Da mesma forma, os $ 900.000 da conta Capital serão lançado no lado direito do razonete (Capital), pois trata-se de uma conta de Patrimônio Líquido, e o Patrimônio Líquido está situado no lado direito do Balanço Patrimonial. Bancos c/ Movimento Capital 900.000 900.000 Conclusões: a) Todo acréscimo de Ativo será lançado no lado esquerdo do razonete. 32 b) Os acréscimos do Passivo serão lançados no lado direito do razonete. 16
  • 17. Como se chega às demonstrações financeiras? Método das partidas dobradas Tecnicamente seria inadequado denominar lado esquerdo e lado direito 35 da conta (ou razonete). O lado esquerdo chama-se débito e o lado direito, crédito. RAZONETES Contas do Ativo Contas Passivo e PL Débito Crédito Débito Crédito Lado Lado Lado Lado esquerdo direito esquerdo direito Dessa forma, debitar significa lançar valores no lado esquerdo de uma conta (ou razonete); creditar significa lançar valores no lado direito de uma conta (ou razonete). 33 35 Como se chega às demonstrações financeiras? Método das partidas dobradas REGRAS GERAIS: Todo aumento de Ativo (lança-se no lado esquerdo do razonete): debita-se. Toda diminuição de Ativo (lança-se no lado direito do razonete): credita-se. Todo aumento de Passivo e PL (lança-se no lado direito do razonete): credita-se. Toda diminuição de Passivo e PL (lança-se no lado esquerdo do razonete): debita-se. ATIVO PASSIVO e PL + (-) (-) + + + Aumenta Diminui Diminui Aumenta + + + + + + + + + DÉBITO CRÉDITO + 34 17
  • 18. Como se chega às demonstrações financeiras? 34 Método das partidas dobradas 2ª Operação: A Cia transportadora adquire um veículo por $ 800.000, a vista ATIVO PASSIVO e PL Bancos c/ Movimento Capital 900.000 800.000 900.000 100.000 Veículos 800.000 35 3ª Operação: 34 A Cia transportadora adquire Móveis e Utensílios a prazo por $ 120.000 (notas promissórias) ATIVO PASSIVO e PL Títulos a pagar Bancos c/ Movimento 900.000 800.000 120.000 100.000 Veículos 800.000 Móveis e utensílios Capital 120.000 900.000 36 18
  • 19. 4ª Operação: 34 A Cia transportadora contrai um financiamento de $ 200.000 ATIVO PASSIVO e PL Títulos a pagar Bancos c/ Movimento 900.000 800.000 120.000 200.000 300.000 Financiamentos Veículos 800.000 200.000 Móveis e utensílios Capital 120.000 900.000 37 5ª Operação: 34 A Cia transportadora adquire Materiais de Escritório por $ 50.000, metade a vista e metade com fornecedores ATIVO PASSIVO e PL Bancos c/ Movimento Fornecedores 900.000 800.000 25.000 200.000 25.000 Títulos a pagar 275.000 120.000 Veículos Financiamentos 800.000 200.000 Móveis e utensílios Capital 120.000 900.000 Materiais de escritório 50.000 38 19
  • 20. 37 Balancete de Verificação O Balancete de Verificação é um resumo ordenado de todas as contas utilizadas pela contabilidade. Contas Débito Crédito Bancos c/ movimento 275.000 Fornecedores 25.000 Material de escritório 50.000 Veículos 800.000 Móveis e utensílios 120.000 Títulos a pagar 120.000 Fianciamentos 200.000 Capital 900.000 Total 1.245.000 1.245.000 39 39 A contabilização das contas de resultados, como será vista adiante, é decorrência da própria contabilização das contas de balanço. Daí a necessidade de rápida recordação. BALANÇO PATRIMONIAL. Contas de Ativo Contas de Passivo e PL Qualquer Conta de Ativo Qualquer Conta de Passivo e PL Débito Crédito Débito Crédito Aumento de Diminuição Diminuição Aumento conta de de conta de conta de de conta de Ativo de Ativo Passivo e PL Passivo e PL 40 20
  • 21. 39 É fácil compreender que toda receita aumenta o lucro: quanto maior a receita, maior o lucro; que todo lucro não distribuído aumenta o Patrimônio Líquido: quanto maior o lucro, maior o reinvestimento pelos proprietários, maior o PL. Assim: Balanço Patrimonial DRE (Apuração do Resultado) Ativo Passivo e PL Receita + Receita _______ ___ _______ ___ (-) Despesa _______ ___ + P. Líquido _______ ___ _______ ___ _______ ___ Lucros Lucro Lucro _______ ___ Acumulados + PL + Aumento da Receita: Crédito Aumento da despesa: Débito 41 6ª Operação: A Cia transportadora obteve receitas de $ 300.000, $ 200.00 a vista e $100.000 para receber em 45 dias, e despesas de salário de $100.000 e de combustível de $50.000 ATIVO PASSIVO e PL Bancos c/ Movimento Fornecedores 900.000 800.000 120.000 200.000 25.000 200.000 100.000 Títulos a pagar 50.000 120.000 325.000 Contas a receber Financiamentos 100.000 200.000 Veículos 800.000 Móveis e utensílios Capital 900.000 120.000 Contas de Resultados de Resultados Receitas Desp. Salários Desp. Combustíveis 300.000 100.000 50.000 42 21
  • 22. 34 Apuração do Resultado e Balanço Patrimonial: Apuração do resultado do exercício Receita de Vendas 300.000 100.000 300.000 (-) Custos dos serviços 150.000 50.000 = Lucro Antes do IR 150.000 150.000 150.000 (-) Provisão para IR Lucro Líquido Lucros acumulados 150.000 Circulante ATIVO PASSIVO e PL Circulante Bancos c/ Movimento 325.000 Fornecedores 25.000 Materiais de Escritório 50.000 Títulos a pagar 120.000 Contas a receber 100.000 Exigível a longo prazo Permanente Financiamentos 200.000 Imobilizado Patrimônio Líquido Veículo 800.000 Capital 900.000 Móveis e utensílios 120.000 Lucros acumulados 150.000 Total 1.395.000 Total 1.395.000 43 ATIVO PASSIVO e PL Circulante Caixa / Bancos 20.000 Circulante Títulos a pagar 10.000 Imobilizado Equip. tintura 20.000 Patrimônio Líquido Móveis e utensílios 10.000 Capital 20.000 (-) Dep. Acumulada (3.000) Lucros acumulados 17.000 Total 47.000 Total 47.000 Em 2001 ocorreram os seguintes fatos resumidos (em $ mil) em uma empresa de serviços de tinturaria 1. A empresa prestou serviços de $ 100.000; $ 40.000 foram a prazo e o restante à vista; 2. Adquiriu a prazo, com fornecedores, $ 20.000 de material de tintura para consumo; 3. Pagou $ 40.000 de salários referente ao pessoal de tinturaria; 4. Liquidou os títulos a pagar; 5. A empresa fez Financiamento de $ 30.000 com prazo de pagamento de cinco anos, com carência de dois anos; 6. A empresa adquiriu, a vista, um veículo no valor de $ 35.000; 7. Foram consumidos na prestação de serviços $ 15.000 de material de tintura do estoque; 8. A empresa pagou juros de $ 2.000 e propaganda de $ 5.000 Fazer os lançamentos de débito e crédito em razonetes, o balancete de verificação, o Balanço Patrimonial e 44a Demonstração de Resultados 22
  • 23. Primeiro passo: escrituração ATIVO PASSIVO e PL Caixa / Bancos Contas a receber Fornecedores Títulos a pagar 20.000 ... 10000 Estoque Financiamentos ... ... Equip tintura Veículos 20000 35.000 Capital Lucros acumulados Móveis e utensílios 20000 17000 Dep. Acunulada 10000 3000 Contas de Resultados Receita de serviços Salários Materiais Desp. Juros Desp. Vendas ... ... ... ... 45 Segundo passo: balancete de verificação Contas Débito Crédito Caixa / Bancos Estoque Contas a receber Equip tintura Móveis e utensílios Veículos Dep. Acunulada Fornecedores Títulos a pagar Financiamentos Capital Lucros Acumulados Receita de Serviços Salários Materiais Despesas de juros Despesas de vendas Total 46 23
  • 24. Apuração do resultado do exercício Receita de Vendas - Deduções Receita líquida (-) Custos dos serviços Lucro bruto - Despesa operacionais de vendas administrativas financeiras Lucro operacional - Despesa não operac = Lucro Antes do IR Lucros acumulados (-) Provisão para IR Lucro Líquido 47 ATIVO PASSIVO e PL Circulante Circulante Caixa / Bancos Fornecedores Duplicatas a receber Estoque Exigível a Longo Prazo Permanente Financiamentos Imobilizado Veículos Equip. tintura Patrimônio Líquido Móveis e utensílios Capital Res. Capital (-) Dep. Acumulada Lucros acumulados Total Total 48 24
  • 25. Análise Financeira de Balanços Etapas: • extraem-se índices das demonstrações financeiras; • comparam-se os índices com os padrões; • ponderam-se as diferentes informações e chega- se a um diagnóstico ou conclusões; • tomam-se decisões. Padronização para análise Balanço 25
  • 26. Padronização para análise Balanço Padronização para análise Demonstração de resultados 26
  • 27. Empresa a ser analisada (CIA. BIG) Balanço Empresa a ser analisada (CIA. BIG) Balanço 27
  • 28. Empresa a ser analisada (CIA. BIG) Demonstração de resultados Exercício 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 Receita Líquida de Vendas 4793123 4425866 5851586 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 3273530 4218671 LUCRO Bruto 1171593 1152336 1632915 (-) Despesas Operacionais 495993 427225 498025 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 742692 1162667 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 442816 863298 LUCRO Operacional 410546 307438 305304 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 307438 305304 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 167116 165956 Análise Através de Índices Índice é a relação entre contas ou grupos de contas das demonstrações financeiras, que visa evidenciar determinado aspecto da situação econômica ou financeira de uma empresa. Técnica de análise mais empregada. Fornece uma visão ampla da situação da empresa. A quantidade de índices a se utilizar depende do objetivo da análise. 28
  • 29. Análise Através de Índices • Aspectos da empresa revelados pelos índices: – Situação financeira • Estrutura de capital (4) • Liquidez (3) – Situação econômica • Rentabilidade (4) Análise Através de Índices • Índices relacionados com a estrutura de capitais: – Mostram as grandes linhas de decisões financeiras, em termos de obtenção e aplicação de recursos. 29
  • 30. Principais índices 1 (estrutura de capitais) • Participação de capitais de terceiros: CT/PL – Fórmula: Capital de terceiros ×100 Patrimônio Líquido – Indica: quanto a empresa tomou de capitais de terceiros para cada $100 de capital próprio investido. – Interpretação: quanto menor, melhor. Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 30
  • 31. Principais índices (estrutura de capitais) • Participação de capitais de terceiros da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Capitais de terceiros (CT) 1655317 2576865 Patrimônio Líquido (PL) 1070861 1407185 CT/PL 155% 183% Capital de terceiros 1 Obter ×100 Estes Patrimônio Líquido dados Principais índices (estrutura de capitais) • Participação de capitais de terceiros da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Capitais de terceiros (CT) 1655317 2576865 3985508 Patrimônio Líquido (PL) 1070861 1407185 1667827 CT/PL 155% 183% 239% Capital de terceiros 1 ×100 Patrimônio Líquido 31
  • 32. Participação de capitais de terceiros da Cia. BIG Principais índices (estrutura de capitais) • Participação de capitais de terceiros: CT/PL – Relaciona duas grandes fontes de recurso da empresa; – Indicador de risco ou de dependência a terceiros por parte da empresa; – Também pode ser chamado índice de Grau de Endividamento; – Do ponto de vista financeiro, quanto maior este índice maior a dependência a terceiros; – Não faz a análise do ponto de vista de obtenção de lucros; – O índice da Cia BIG mostra que seu endividamento piorou. 32
  • 33. Principais índices 2 (estrutura de capitais) • Composição do endividamento: PC/CT – Fórmula: Passivo Circulante ×100 Capital de terceiros – Indica: qual o porcentual de curto prazo em relação às obrigações totais; – Interpretação: quanto menor, melhor. Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 33
  • 34. Principais índices (estrutura de capitais) • Composição do endividamento Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 Capitais de terceiros (CT) 1655317 2576865 PC/CT 81% 55% Passivo Circulante 2 ×100 Obter Capital de terceiros Estes dados Principais índices (estrutura de capitais) • Composição do endividamento Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 1957277 Capitais de terceiros (CT) 1655317 2576865 3985508 PC/CT 81% 55% 49% Passivo Circulante 2 ×100 Capital de terceiros 34
  • 35. Composição do endividamento Cia. BIG PC/CT 100% 50% 0% 19X1 19X2 19X3 Principais índices (estrutura de capitais) • Composição do endividamento: PC/CT – Reconhece o perfil da dívida; – Avalia a participação de capital de terceiros que precisam ser devolvidos no curto prazo; – A Cia BIG melhorou neste índice, uma vez que os valores diminuíram nestes últimos exercícios. 35
  • 36. Principais índices 3 (estrutura de capitais) • Imobilização do Patrimônio Líquido: AP/PL – Fórmula: Ativo Permanente ×100 Patrimônio Líquido – Indica: quanto a empresa aplicou no Ativo Permanente para cada $100 de Patrimônio Líquido; – Interpretação: quanto menor, melhor. Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 36
  • 37. Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 Principais índices (estrutura de capitais) • Imobilização do Patrimônio Líquido Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Permanente (AP) 765698 1714879 Patrimônio Líquido (PL) 1070861 1407185 AP/PL 72% 122% Ativo Permanente 3 ×100 Obter Patrimônio Líquido Estes dados 37
  • 38. Principais índices (estrutura de capitais) • Imobilização do Patrimônio Líquido Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Permanente (AP) 765698 1714879 2719760 Patrimônio Líquido (PL) 1070861 1407185 1667827 AP/PL 72% 122% 163% Ativo Permanente 3 ×100 Patrimônio Líquido Imobilização do Patrimônio Líquido Cia. BIG AP/PL 200% 150% 100% 50% 0% 19X1 19X2 19X3 38
  • 39. Principais índices (estrutura de capitais) • Imobilização do Patrimônio Líquido: AP/PL – Na Cia BIG em 19x1 o índice indica que 72% foram investidos no Ativo Permanente; 28% ficam no ativo circulante (chamado de Capital Circulante Próprio - CCP). – O ideal em termos financeiros é a empresa dispor de PL suficiente para cobrir o Ativo Permanente e ainda sobrar uma parcela para financiar o Ativo Circulante. – Nos outros anos a situação da empresa piorou quanto a este índice. O Ativo Circulante é totalmente financiado por Capitais de Terceiros, os quais ainda financiam uma parte do Ativo Permanente. – Independentemente dos padrões, pode-se dizer que a situação da empresa que chegou a esse nível de imobilização, não é tranqüila. Principais índices 4 (estrutura de capitais) • Imobilização dos Recursos não Correntes: AP/(PL+ELP) – Fórmula: Ativo Permanente ×100 Patrimônio Líquido + Exígivel a Longo Prazo – Indica: que percentual de recursos não correntes a empresa aplicou no Ativo Permanente; – Interpretação: quanto menor, melhor. 39
  • 40. Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 40
  • 41. Principais índices (estrutura de capitais) • Imobilização dos Recursos não Correntes da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Permanente (AP) 765698 1714879 Exígivel a Longo Prazo (ELP) 314360 1170788 Patrimônio Líquido (PL) 1070861 1407185 AP/(PL+ELP) 55% 67% Ativo Permanente ×100 4 Obter Patrimônio Líquido + Exígivel a Longo Prazo Estes dados Principais índices (estrutura de capitais) • Imobilização dos Recursos não Correntes da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Permanente (AP) 765698 1714879 2719760 Exígivel a Longo Prazo (ELP) 314360 1170788 2028231 Patrimônio Líquido (PL) 1070861 1407185 1667827 AP/(PL+ELP) 55% 67% 74% Ativo Permanente ×100 4 Patrimônio Líquido + Exígivel a Longo Prazo 41
  • 42. Imobilização dos Recursos não Correntes da Cia. BIG AP/(PL+ELP) 80% 60% 40% 20% 0% 19X1 19X2 19X3 Principais índices (estrutura de capitais) • Imobilização dos Recursos não Correntes: AP/(PL+ELP) – Este índice demonstra que a empresa dedicou 55%, 67% e 74% de seus Recursos não correntes no Ativo Permanente; – A diferença é aplicada no Ativo Circulante, parcela que se denomina Capital Circulante Líquido (CCL); – O CCL representa a folga financeira a curto prazo, ou seja, financiamentos que a empresa dispõe para seu giro e que não serão cobrados a curto prazo; – A Cia BIG soube manter seu CCL positivo com financiamento de longo prazo; – A Cia. BIG esta diminuindo sua qualidade neste índice com o passar do tempo. 42
  • 43. Análise Através de Índices • Índices relacionados com a liquidez: – Mostram a base da situação financeira da empresa. – Muitos os confundem com índices de capacidade de pagamento. – Não são índices extraídos do fluxo de caixa. – Através do confronto dos Ativos Circulantes com as dívidas, procuram medir quão sólida é a base financeira da empresa. Principais índices 1 (liquidez) • Liquidez Geral: LG – Fórmula: Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo – Indica: quanto a empresa possui no Ativo Circulante e Realizável a Longo Prazo para cada $ 1 da dívida total. – Interpretação: quanto maior, melhor. 43
  • 44. Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 44
  • 45. Principais índices (liquidez) • Índice de Liquidez Geral da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Circulante (AC) 1960480 2269171 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 Exígivel a Longo Prazo (ELP) 314360 1170788 AC/(PC+ELP) 1,18 0,88 Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo 1 Obter Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo Estes dados Principais índices (liquidez) • Índice de Liquidez Geral da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Circulante (AC) 1960480 2269171 2933575 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 1957277 Exígivel a Longo Prazo (ELP) 314360 1170788 2028231 AC/(PC+ELP) 1,18 0,88 0,74 Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo 1 Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo 45
  • 46. Índice de Liquidez Geral da Cia. BIG AC/(PC+ELP) 1,50 1,00 0,50 0,00 19X1 19X2 19X3 Principais índices (liquidez) • Liquidez Geral: LG – Em 19x1 o índice é 1,18 o que significa que a empresa poderia pagar suas dívidas totais, mesmo as de longo prazo, com recursos que possui hoje, no Ativo Circulante, e ainda haveria uma sobra de 18%. – Em 19x2 e 19x3 a empresa não conseguiria pagar a totalidade das suas dívidas. – Entretanto as dívidas de longo prazo não vencem já. – A partir de 19x2 a empresa criou uma dependência de geração futura de recursos para liquidar suas dívidas. 46
  • 47. Principais índices 2 (liquidez) • Liquidez Corrente: LC – Fórmula: Ativo Circulante Passivo Circulante – Indica: quanto a empresa possui no Ativo Circulante para cada $ 1 de Passivo Circulante. – Interpretação: quanto maior, melhor. Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 47
  • 48. Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 Principais índices (liquidez) • Índice de Liquidez Corrente da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Circulante (AC) 1960480 2269171 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 AC/PC 1,46 1,61 Ativo Circulante 2 Obter Passivo Circulante Estes dados 48
  • 49. Principais índices (liquidez) • Índice de Liquidez Corrente da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Circulante (AC) 1960480 2269171 2933575 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 1957277 AC/PC 1,46 1,61 1,50 Ativo Circulante 2 Passivo Circulante Índice de Liquidez Corrente da Cia. BIG AC/PC 1,70 1,60 1,50 1,40 1,30 19X1 19X2 19X3 49
  • 50. Principais índices (liquidez) • Liquidez Corrente: LC – Os investimentos no Ativo Circulante na Cia BIG são suficientes para cobrir as dívidas de curto prazo e ainda permitem uma certa folga. – É a margem de folga para manobras de prazos, visando equilibrar as entradas e saídas de caixa. Quanto maiores os recursos, maior esta margem, maior a segurança da empresa, melhor a situação financeira. Principais índices 3 (liquidez) • Liquidez Seca: LS – Fórmula: Ativo Circulante - Estoques Passivo Circulante – Indica: quanto a empresa possui de Ativo Líquido para cada $ 1 de Passivo Circulante. – Interpretação: quanto maior, melhor. 50
  • 51. Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 51
  • 52. Principais índices (liquidez) • Índice de Liquidez Seca da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Circulante (AC) 1960480 2269171 Estoques 751206 1039435 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 (AC-estoques)/PC 0,90 0,87 Ativo Circulante - Estoques 3 Obter Passivo Circulante Estes dados Principais índices (liquidez) • Índice de Liquidez Seca da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo Circulante (AC) 1960480 2269171 2933575 Estoques 751206 1039435 1317514 Passivo Circulante (PC) 1340957 1406077 1957277 (AC-estoques)/PC 0,90 0,87 0,83 Ativo Circulante - Estoques 3 Passivo Circulante 52
  • 53. Índice de Liquidez Seca da Cia. BIG (AC-estoques)/PC 0,95 0,90 0,85 0,80 0,75 19X1 19X2 19X3 Principais índices (liquidez) • Liquidez Seca: LS – Visa medir o grau de excelência da situação financeira da empresa. – Abaixo de determinados limites pode indicar alguma dificuldade financeira, mas raramente tal conclusão será mantida quando o índice de Liquidez Corrente for satisfatório. – A Cia BIG tem bons índices, mas esta em queda. 53
  • 54. Análise Através de Índices • Índices relacionados com a rentabilidade: – Mostram as rentabilidade dos capitais investidos; ou seja o grau de êxito econômico da empresa. Principais índices 1 (rentabilidade) • Giro do Ativo: GA – Fórmula: Vendas Líquidas Ativo – Indica: quanto a empresa vendeu para cada $ 1 de investimento total. – Interpretação: quanto maior, melhor. 54
  • 55. Posição das contas na demonstração de resultados Exercício 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 Receita Líquida de Vendas 4793123 4425866 5851586 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 3273530 4218671 LUCRO Bruto 1171593 1152336 1632915 (-) Despesas Operacionais 495993 427225 498025 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 742692 1162667 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 442816 863298 LUCRO Operacional 410546 307438 305304 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 307438 305304 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 167116 165956 Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 55
  • 56. Principais índices (rentabilidade) • Giro do Ativo da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Vendas 4793123 4425866 Ativo 2726178 3984050 GA 1,76 1,11 Vendas Líquidas 1 Obter Ativo Estes dados Principais índices (rentabilidade) • Giro do Ativo da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Vendas 4793123 4425866 5851586 Ativo 2726178 3984050 5653335 GA 1,76 1,11 1,04 Vendas Líquidas 1 Ativo 56
  • 57. Giro do Ativo da Cia. BIG GA 2,00 1,50 1,00 0,50 0,00 19X1 19X2 19X3 Principais índices (rentabilidade) • Giro do Ativo: GA – Nota-se uma queda no volume de vendas da Cia BIG. – Retração do mercado? – Perda da participação? – Estratégia da Empresa? 57
  • 58. Principais índices 2 (rentabilidade) • Margem Líquida: ML – Fórmula: Lucro Líquido ×100 Vendas Líquidas – Indica:quanto a empresa obtém de lucro para cada $ 100 vendidos. – Interpretação: quanto maior, melhor. Posição das contas na demonstração de resultados Exercício 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 Receita Líquida de Vendas 4793123 4425866 5851586 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 3273530 4218671 LUCRO Bruto 1171593 1152336 1632915 (-) Despesas Operacionais 495993 427225 498025 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 742692 1162667 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 442816 863298 LUCRO Operacional 410546 307438 305304 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 307438 305304 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 167116 165956 58
  • 59. Principais índices (rentabilidade) • Margem Líquida da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Vendas 4793123 4425866 Lucro Líquido 223741 167116 ML 4,67% 3,78% Lucro Líquido 2 ×100 Obter Vendas Líquidas Estes dados Principais índices (rentabilidade) • Margem Líquida da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Vendas 4793123 4425866 5851586 Lucro Líquido 223741 167116 165956 ML 4,67% 3,78% 2,84% Lucro Líquido 2 ×100 Vendas Líquidas 59
  • 60. Margem Líquida da Cia. BIG ML 6,00% 4,00% 2,00% 0,00% 19X1 19X2 19X3 Principais índices (rentabilidade) • Margem Líquida: ML – Como se pode notar houve uma sensível queda na margem de lucro da empresa. – A hipótese de a empresa ter diminuído vendas em função da margem de lucro fica descartada. 60
  • 61. Principais índices 3 (rentabilidade) • Rentabilidade do Ativo: RA – Fórmula: Lucro Líquido × 100 Ativo – Indica:quanto a empresa obtém de lucro para cada $ 100 de investimento total. – Interpretação: quanto maior, melhor. Posição das contas na demonstração de resultados Exercício 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 Receita Líquida de Vendas 4793123 4425866 5851586 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 3273530 4218671 LUCRO Bruto 1171593 1152336 1632915 (-) Despesas Operacionais 495993 427225 498025 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 742692 1162667 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 442816 863298 LUCRO Operacional 410546 307438 305304 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 307438 305304 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 167116 165956 61
  • 62. Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 Principais índices (rentabilidade) • Rentabilidade do Ativo da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo 2726178 3984050 Lucro Líquido 223741 167116 RA 8,21% 4,19% Lucro Líquido 3 × 100 Obter Ativo Estes dados 62
  • 63. Principais índices (rentabilidade) • Rentabilidade do Ativo da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Ativo 2726178 3984050 5653335 Lucro Líquido 223741 167116 165956 RA 8,21% 4,19% 2,94% Lucro Líquido 3 × 100 Ativo Rentabilidade do Ativo da Cia. BIG RA 10,00% 5,00% 0,00% 19X1 19X2 19X3 63
  • 64. Principais índices (rentabilidade) • Rentabilidade do Ativo: RA – É uma medida do potencial de geração de lucro da parte da empresa. – É ainda uma medida do desempenho comparativo da empresa ano a ano. – Na empresa BIG esta havendo uma apreciável queda de rentabilidade entre os anos analisados. – Segundo dados do ano 19x1, a empresa demoraria 9 anos para dobrar o Ativo. – Segundo dados do ano 19x2, a empresa demoraria 17 anos para dobrar o Ativo. Principais índices 4 (rentabilidade) • Rentabilidade do Patrimônio Líquido: RPL – Fórmula: Lucro Líquido ×100 Patrimônio Líquido Médio – Indica:quanto a empresa obtém de lucro para cada $ 100 de capital próprio investido. – Interpretação: quanto maior, melhor. 64
  • 65. Posição das contas na demonstração de resultados Exercício 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 Receita Líquida de Vendas 4793123 4425866 5851586 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 3273530 4218671 LUCRO Bruto 1171593 1152336 1632915 (-) Despesas Operacionais 495993 427225 498025 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 742692 1162667 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 442816 863298 LUCRO Operacional 410546 307438 305304 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 307438 305304 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 167116 165956 65
  • 66. Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 Principais índices (rentabilidade) • Rentabilidade do Patrimônio Líquido da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Lucro Líquido 223741 167116 PL inicial 821827 1070861 PL final 1070861 1407185 PL médio 946344 1239023 RPL 23,64% 13,49% Lucro Líquido 4 Obter × 100 Estes Patrimônio Líquido Médio dados 66
  • 67. Principais índices (rentabilidade) • Rentabilidade do Patrimônio Líquido da Cia. BIG: 19X1 19X2 19X3 Lucro Líquido 223741 167116 165956 PL inicial 821827 1070861 1407185 PL final 1070861 1407185 1667827 PL médio 946344 1239023 1537506 RPL 23,64% 13,49% 10,79% Lucro Líquido 4 × 100 Patrimônio Líquido Médio Rentabilidade do Patrimônio Líquido da Cia. BIG RPL 30,00% 20,00% 10,00% 0,00% 19X1 19X2 19X3 67
  • 68. Principais índices (rentabilidade) • Rentabilidade do Patrimônio Líquido: RPL – A verificação pura e simples do valor do lucro líquido de uma empresa não é esclarecedora. É preciso comparar esse valor com o Capital Próprio Investido. – Mostra qual a rentabilidade do Capital Próprio. – Esta taxa pode ser comparada com a de outros rendimentos alternativos do mercado (poupança, CDB, fundos, aluguéis, etc...) – A Cia BIG esta remunerando cada vez menos o Capital Próprio. Relatório sobre os índices • A Cia. BIG aumentou seu endividamento de 155%, em 19X1, para 183% em 19X2 e 239% em 19X3, e passou a depender muito mais de capitais de terceiros. Entretanto, em 19X2, alterou o perfil de sua dívida, pois o percentual de dívidas de curto prazo, que era 81% no ano anterior, passou a ser de 55% e 49% respectivamente, dando-lhe mais prazo para pagamento dos mesmas. O grau de imobilização do Patrimônio Líquido que era de 72% em 19X1, subiu para 122% em 19X2 e 163% em 19X3, absorvendo assim todo o patrimônio líquido e ainda uma parcela de capital de terceiros. 68
  • 69. Relatório sobre os índices • Com isto a empresa ficou sem Capital Circulante Próprio a partir de 19X2. Entretanto, a imobilização de recursos não correntes permaneceu dentro de níveis equivalentes garantindo Capital Circulante Líquido. Por não ter Capital Circulante Próprio o índice de liquidez geral caiu para 0,88 (19X2) e 0,74 (19X3). A relativa tranqüilidade de 19X1 deixa de existir a partir de 19X2, pois a longo prazo a empresa dependerá de geração de recursos para manter boa liquidez. Contudo, em decorrência do Capital Circulante Líquido, a empresa conseguiu melhorar ligeiramente a liquidez corrente; isto indica que no curto prazo não haverá problemas de liquidez. Quanto a liquidez seca houve queda insignificante. Relatório sobre os índices • Do ponto de vista econômico a situação piorou completamente. Para cada $1,00 investido na empresa percebe-se uma queda nas vendas. A margem líquida também é decrescente. Devido a estes fatos, a rentabilidade do ativo decresce de forma significativa neste três anos. Em quanto em 19X1 a empresa levaria 9 anos para dobrar seu ativo, já em 19X2 levaria cerca de 17 anos e em 19X3 cerca de 24 anos. Como reflexo, a remuneração do Patrimônio Líquido vem caindo, conseguindo remuneração modesta de seu capital. 69
  • 70. Alguns índices das empresa brasileiras Desde 1974, a exame tem contribuído com os indicadores das 500 maiores empresas do Brasil, por meio da edição “Melhores e Maiores”. Vejamos alguns índices de 1974 a 2000. Os porcentuais são a mediana, significando 50% das empresa estarão acima, e os outros 50%, abaixo. Endividamento Geral Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo Ativo Endividamento Geral 70 60 58,7 55,4 55,6 51,9 50 49 48,7 41,7 42 42,8 41,3 40 37,9 % dívida 30 20 10 0 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 Ano 70
  • 71. Liquidez Geral Ativo Circulante + Realizável a Longo Prazo Passivo Circulante + Exigível a Longo Prazo 1,4 1,2 1,15 1,14 1,09 1 0,99 1,01 0,98 0,96 0,93 0,87 Liquidez Geral 0,8 0,81 0,7 0,6 0,4 0,2 0 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 Ano Liquidez Corrente Ativo Circulante Passivo Circulante 1,38 1,37 1,36 1,34 1,32 Liquidez corrente 1,3 1,3 1,28 1,26 1,25 1,24 1,24 1,24 1,22 1994,5 1995 1995,5 1996 1996,5 1997 1997,5 1998 1998,5 1999 1999,5 Ano 71
  • 72. Giro do Ativo Vendas Líquidas Ativo 1,8 1,6 1,62 1,56 1,58 1,57 1,54 1,4 1,41 1,2 1,22 1,13 1 Giro Ativo Giro 0,87 0,8 0,79 0,77 0,6 0,4 0,2 0 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 Ano Margem Líquida Lucro Líquido ×100 Vendas Líquidas 7 6,4 6 5,7 5 4,9 4,4 4 3,6 3 3 Margem líquida 2,5 2,4 2 1,7 1 0 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 -1 -1,8 -2 -2 -3 Ano 72
  • 73. Rentabilidade do Patrimônio Líquido Lucro Líquido ×100 Patrimônio Líquido Médio 20 16 15 13,8 14 12,7 10 Rentabilidade PL 9,2 6,5 5 5 4,2 3,1 0 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 -2,7 -3,6 -5 Ano Rentabilidade e ramos de atividade Lucro Líquido Vendas Líquidas ×100 Vendas Líquidas Ativo Empresas Margem Giro TRI 01 - Telesp 54,2% X 0,19 = 10,4% 02 - Rhodia Nordeste 29,8% X 0,30 = 8,8% 03 - Votorantim 28,3% X 0,35 = 9,8% 04 - Suzano 18,3% X 0,51 = 9,3% 05 - Açonorte 13,2% X 0,72 = 9,5% 06 - Brahma 8,4% X 1,22 = 10,2% 07 - Petroflex 6,9% X 1,55 = 10,7% 08 - Arapuã 4,7% X 2,09 = 9,8% 09 - Goodyear 3,6% X 2,16 = 7,8% 10 - Sé Supermercados 3,2% X 3,31 = 10,7% 11 - Cooxupé 2,9% X 3,35 = 9,6% 12 - Sto. Amaro (Veíc.) 2,4% X 4,27 = 10,3% 13 - Atlantic 1,6% X 6,03 = 9,7% 73
  • 74. Margem versus giro 60,00% Telesp 50,00% 40,00% Empresas que ganham na margem Rhodia Margem 30,00% Votorantin Empresas que ganham no giro 20,00% Suzano Aço Norte 10,00% Brahma Petroflex Goodyear Cooxupé Atlantic Santo 0,00% Arapuã Sé Super Amaro 0 1 2 3 4 5 6 7 Giro Fórmula Du Pont Rentabilidade do Ativo = Margem líquida x Giro do Ativo LL LL Vendas = x Ativo Vendas Ativo Rentabilidade do PL = Margem líquida x Giro do Ativo x Multiplicador do PL LL LL Vendas Ativo = x x PL Vendas Ativo PL 74
  • 75. Estudo de caso Calcular os 11 índices estudados para uma empresa de sua escolha para os últimos 3 anos Dividir a turma em equipes de 2 elementos; Preparar um relatório sobre a análise destes índices; Como avaliar os índices • Há três tipos básicos de avaliação de um índice: – pelo significado intrínseco; – pela comparação ao longo de vários exercícios; – pela comparação com índices de outras empresas. 75
  • 76. Índices-Padrão A análise de Balanços através de índices só adquire consistência e objetividade quando os índices são comparados com padrões, pois, do contrário, as conclusões se sujeitam à opinião. A idéia é comparar o desempenho da empresa com um grupo de empresas. Índices-Padrão (exemplificação) Toma-se inicialmente o maior número possível de empresas do ramo de certa localidade. Por exemplo, suponha-se 200 empresas do ramo têxtil de São Paulo. Haverá 200 índices de cada tipo. Toma-se inicialmente os 200 índices de Liquidez Corrente (AC/PC). Estes índices devem ser colocados em ordem crescente. São tomados os decis, distribui-se os dados em fatias, cada uma com 10% dos elementos. 76
  • 77. Posição dos decis na distribuição normal Índices-Padrão (exemplificação) Ativo Circulante LC = Passivo Circulante a) Anota-se os valores de 30 empresas do ramo de tintas e vernizes, que apresentam os seguintes índices de Liquidez Corrente: 1,76-0,89-1,01-1,40-0,80-1,05-1,14-1,22-1,13-1,66- 1,80-1,54-1,34-1,43-1,60-1,20-1,26-1,09-1,50-1,82- 1,07-0,93-1,11-1,21-1,70-0,82-1,47-1,24-1,18-1,30. 77
  • 78. Índices-Padrão (exemplificação) Ativo Circulante LC = Passivo Circulante b) Coloca-se as informações em ordem de grandeza crescente: 0,80-0,82-0,89-0,93-1,01-1,05-1,07-1,09-1,11-1,13- 1,14-1,18-1,20-1,21-1,22-1,24-1,26-1,34-1,40-1,43- 1,47-1,50-1,54-1,60-1,66-1,70-1,76-1,80-1,82. Índices-Padrão (exemplificação) c) Estes valores serão separados em grupos, definidos pela divisão em decis, o primeiro decil é o valor que deixa 10% dos elementos do conjunto abaixo de si e 90% acima. No caso em análise: 0,89 + 0,93 10 decil = = 0,91 2 78
  • 79. Índices-Padrão (exemplificação) d) Demais decis: 20 decil = 1,06 60 decil = 1,32 30 decil = 1,12 7 0 decil = 1,45 40 decil = 1,19 80 decil = 1,57 50 decil = 1,23 90 decil = 1,73 Índices-Padrão (exemplificação) e) Figura mostrando as posições das medidas estatísticas em relação aos elementos desse conjunto. 79
  • 80. Percentual acumulado de elementos do conjunto Ativo Circulante LC = Passivo Circulante Índices-Padrão • Em resumo para obtenção dos índices: – Separam-se as empresas em ramos de atividade; – De cada empresa, dentro de um mesmo ramo, toma-se determinado índice financeiro; – Os índices assim obtidos são colocados em ordem crescente de grandeza. – Os índices-padrão são dados pelos decis. 80
  • 81. Índices-Padrão • Cuidados a serem considerados na obtenção de tabelas de índices-padrão: – definir os ramos de atividade próprios para o fim a que se destinam; – criar subdivisões dentro deste ramos; – separar grandes, pequenas e médias empresas; – para cada um dos subconjuntos assim obtidos, calcular os decis. Índices-Padrão • Utilidades: – comparar determinada empresa com outras semelhantes; – representam elementos extraordinariamente úteis para análise macroeconômicas; – ramos de atividades podem ser comparados entre si. 81
  • 82. Índices de vários setores Para se fazer uma avaliação qualitativa e quantitativa dos índices de determinada empresa Escala para índices que quanto maior melhor Decil Piso 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Teto Conceito Péssimo Deficiente Fraco Razoável Satisfatório Bom Ótimo Nota 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Escala para índices que quanto menor melhor Decil Piso 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Teto Conceito Ótimo Bom Satisfatório Razoável Fraco Deficiente Péssimo Nota 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 82
  • 83. Tabela para avaliação Razoável Péssimo Fraco Satisfatório Bom Ótimo Deficiente Índice 1 decil 2 decil 3 decil 4 decil 5 decil 6 decil 7 decil 8 decil 9 decil Quanto maior melhor Liquidez AC/(PC+ELP) Liquidez Geral AC/PC Liquidez Corrente (AC-estoques)/PC Liquidez Seca Rentabilidade 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 GA (V/AT) Giro do Ativo ML (LL/V) Margem líquida RA (LL/AT) Rentabilidade do Ativo RPL (LL/PL) Rentabilidade do Patrimônio Líquido Quanto menor melhor Estrutura 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 CT/PL Participação de capitais de terceiros PC/CT Composição de individamento AP/PL Imobilização do PL AP/(PL+ELP) Imobilização dos recursos não correntes Ótimo Bom Razoável Deficiente Satisfatório Fraco Péssimo Passos para a avaliação Primeiro passo: listagem dos índices; Segundo passo: tabela de índices padrão; Terceiro passo: posição relativa de cada índice; Quarto passo: avaliação dos índices; Quinto passo: avaliações gerais. 83
  • 84. Primeiro passo: listagem dos índices (Cia BIG) Índice 19X1 19X2 19X3 Estrutura CT/PL Participação de capitais de terceiros 155% 183% 239% PC/CT Composição de individamento 81% 55% 49% AP/PL Imobilização do PL 72% 122% 163% AP/(PL+ELP) Imobilização dos recursos não correntes 55% 67% 74% Liquidez AC/(PC+ELP) Liquidez Geral 1,18 0,88 0,74 AC/PC Liquidez Corrente 1,46 1,61 1,50 (AC-estoques)/PC Liquidez Seca 0,90 0,87 0,83 Rentabilidade GA (V/AT) Giro do Ativo 1,76 1,11 1,04 ML (LL/V) Margem líquida 4,67% 3,78% 2,84% RA (LL/AT) Rentabilidade do Ativo 8,21% 4,19% 2,94% RPL (LL/PL) Rentabilidade do Patrimônio Líquido 23,64% 13,49% 10,79% Segundo passo: tabela de índices padrão (339 empresas do ramo de produtos elétricos - ano 19x1) Índice 1 decil 2 decil 3 decil 4 decil 5 decil 6 decil 7 decil 8 decil 9 decil Estrutura CT/PL 47% 66% 85% 114% 146% 171% 218% 262% 430% PC/CT 52% 64% 73% 80% 86% 93% 100% 100% 100% AP/PL 22% 33% 42% 51% 57% 67% 81% 98% 130% AP/(PL+ELP) 20% 27% 34% 41% 47% 53% 61% 68% 83% Liquidez AC/(PC+ELP) 0,84 0,97 1,06 1,13 1,23 1,37 1,55 1,74 2,22 AC/PC 1,04 1,19 1,30 1,43 1,54 1,7 1,93 2,22 2,76 (AC-estoques)/PC 0,50 0,66 0,76 0,87 0,98 1,08 1,22 1,38 1,37 Rentabilidade GA (V/AT) 0,71 0,92 1,14 1,21 1,3 1,42 1,59 1,71 2,12 ML (LL/V) -2,80% 0,20% 1,30% 2,30% 3,40% 4,50% 6,70% 8,40% 12,20% RA (LL/AT) 5,00% 0,30% 1,50% 3,20% 5,01% 6,87% 8,31% 11,06% 15,97% RPL (LL/PL) 8,50% 2,00% 5,13% 9,20% 13,41% 16,63% 23,35% 32,07% 48,80% 84
  • 85. Terceiro passo: posição relativa de cada índice (Cia BIG - ano 19x1) BIG Índice 1 decil 2 decil 3 decil 4 decil 5 decil 6 decil 7 decil 8 decil 9 decil Estrutura 155% CT/PL 47% 66% 85% 114% 146% 171% 218% 262% 430% 81% PC/CT 52% 64% 73% 80% 86% 93% 100% 100% 100% 72% AP/PL 22% 33% 42% 51% 57% 67% 81% 98% 130% 55% AP/(PL+ELP) 20% 27% 34% 41% 47% 53% 61% 68% 83% Liquidez 1,18 AC/(PC+ELP) 0,84 0,97 1,06 1,13 1,23 1,37 1,55 1,74 2,22 1,46 AC/PC 1,04 1,19 1,30 1,43 1,54 1,7 1,93 2,22 2,76 0,90 (AC-estoques)/PC 0,50 0,66 0,76 0,87 0,98 1,08 1,22 1,38 1,37 Rentabilidade 1,76 GA (V/AT) 0,71 0,92 1,14 1,21 1,3 1,42 1,59 1,71 2,12 4,67% ML (LL/V) -2,80% 0,20% 1,30% 2,30% 3,40% 4,50% 6,70% 8,40% 12,20% 8,21% RA (LL/AT) 5,00% 0,30% 1,50% 3,20% 5,01% 6,87% 8,31% 11,06% 15,97% 23,64% RPL (LL/PL) 8,50% 2,00% 5,13% 9,20% 13,41% 16,63% 23,35% 32,07% 48,80% Terceiro passo: posição relativa de cada índice (Cia BIG - ano 19x1) Índice Valor Posição em relação aos padrões Decil mais próximo Estrutura CT/PL 155% Pouco acima da mediana 5 PC/CT 81% Pouco acima do 4 decil 4 AP/PL 72% Acima do 6 decil 6 AP/(PL+ELP) 55% Pouco acima do 6 decil 6 Liquidez AC/(PC+ELP) 1,18 Pouco abaixo da mediana 5 AC/PC 1,46 Pouco acima do 4 decil 4 (AC-estoques)/PC 0,90 Pouco acima do 4 decil 4 Rentabilidade GA (V/AT) 1,76 Acima do 8 decil 8 ML (LL/V) 5% Acima do 6 decil 6 RA (LL/AT) 8,21% Pouco abaixo do 7 decil 7 RPL (LL/PL) 23,64% Pouco acima do 7 decil 7 85
  • 86. Quarto passo: avaliação dos índices (Cia BIG) Razoável Péssimo Fraco Satisfatório Bom Ótimo Deficiente Índice 1 decil 2 decil 3 decil 4 decil 5 decil 6 decil 7 decil 8 decil 9 decil Quanto maior melhor Liquidez AC/(PC+ELP) Liquidez Geral AC/PC Liquidez Corrente (AC-estoques)/PC Liquidez Seca Rentabilidade 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 GA (V/AT) Giro do Ativo ML (LL/V) Margem líquida RA (LL/AT) Rentabilidade do Ativo RPL (LL/PL) Rentabilidade do Patrimônio Líquido Quanto menor melhor Estrutura 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 CT/PL Participação de capitais de terceiros PC/CT Composição de individamento AP/PL Imobilização do PL AP/(PL+ELP) Imobilização dos recursos não correntes Ótimo Bom Razoável Deficiente Satisfatório Fraco Péssimo Quarto passo: avaliação dos índices (Cia BIG) Índice Nota Conceito Estrutura CT/PL 5 Satisfatório PC/CT 6 Satisfatório AP/PL 4 Razoável AP/(PL+ELP) 4 Razoável Liquidez AC/(PC+ELP) 5 Satisfatório AC/PC 4 Razoável (AC-estoques)/PC 4 Razoável Rentabilidade GA (V/AT) 8 Bom ML (LL/V) 6 Satisfatório RA (LL/AT) 7 Bom RPL (LL/PL) 7 Bom 86
  • 87. Quinto passo: avaliações gerais (Cia BIG) Conhecida a avaliação de cada índice, sabe- se o que esta bem e o que esta mal. Neste passo atribui-se uma nota, para cada grupo (Estrutura, Liquidez e Rentabilidade). As notas são atribuídas de acordo com fórmulas. Quinto passo: avaliações gerais (Cia BIG) Índice Fórmula Nota Estrutura NE=0,6E1+0,1E2+0,2E3+0,1E4 4,8 CT/PL E1 5 PC/CT E2 6 AP/PL E3 4 AP/(PL+ELP) E4 4 Liquidez NL=0,3L1+0,5L2+0,2L3 4,3 AC/(PC+ELP) L1 5 AC/PC L2 4 (AC-estoques)/PC L3 4 Rentabilidade NR=0,2R1+0,1R2+0,1R3+0,6R4 7,1 GA (V/AT) R1 8 ML (LL/V) R2 6 RA (LL/AT) R3 7 RPL (LL/PL) R4 7 Nota Global da Empresa NGE=0,4NE+0,2NL+0,4NR 5,62 87
  • 88. Quinto passo: avaliações gerais (Cia BIG) Quadro final para NL atribuição das notas 4,3 NR NE Nota 0 1 2 3 4 4,8 5 6 7 7,1 8 9 10 Conceito Pessimo Deficiente Fraco Razoável Satisfatório Bom Ótimo NGE 5,62 • NE - Razoável • NGE - Razoável • NL - Razoável • NR - Satisfatório Sexto passo: avaliações dos 3 anos (Cia BIG) - Notas Índice 19X1 19X2 19X3 Estrutura CT/PL 155% 183% 239% PC/CT 81% 55% 49% AP/PL 72% 122% 163% AP/(PL+ELP) 55% 67% 74% Liquidez AC/(PC+ELP) 1,18 0,88 0,74 AC/PC 1,46 1,61 1,50 (AC-estoques)/PC 0,90 0,87 0,83 Rentabilidade GA (V/AT) 1,76 1,11 1,04 ML (LL/V) 4,67% 3,78% 2,84% RA (LL/AT) 8,21% 4,19% 2,94% RPL (LL/PL) 23,64% 13,49% 10,79% 88
  • 89. Sexto passo: avaliações dos 3 anos (Cia BIG) – Notas dos e anos Índice 19X1 19X2 19X3 Estrutura CT/PL 5 4 2 PC/CT 6 10 10 AP/PL 4 1 0 AP/(PL+ELP) 4 3 3 Liquidez AC/(PC+ELP) 5 1 0 AC/PC 4 7 6 (AC-estoques)/PC 4 5 5 Rentabilidade GA (V/AT) 8 4 3 ML (LL/V) 6 5 5 RA (LL/AT) 7 5 4 RPL (LL/PL) 7 5 4 Sexto passo: avaliações dos 3 anos (Cia BIG) – Notas dos 3 anos Índice Fórmula 19X1 19X2 19X3 Estrutura NE=0,6E1+0,1E2+0,2E3+0,1E4 4,8 3,9 2,5 CT/PL E1 5 4 2 PC/CT E2 6 10 10 AP/PL E3 4 1 0 AP/(PL+ELP) E4 4 3 3 Liquidez NL=0,3L1+0,5L2+0,2L3 4,3 4,8 4 AC/(PC+ELP) L1 5 1 0 AC/PC L2 4 7 6 (AC-estoques)/PC L3 4 5 5 Rentabilidade NR=0,2R1+0,1R2+0,1R3+0,6R4 7,1 4,8 3,9 GA (V/AT) R1 8 4 3 ML (LL/V) R2 6 5 5 RA (LL/AT) R3 7 5 4 RPL (LL/PL) R4 7 5 4 Nota Global da Empresa NGE=0,4NE+0,2NL+0,4NR 5,62 4,44 3,36 89
  • 90. Sexto passo: avaliações dos 3 anos (Cia BIG) - Notas Estrutura de capital Liquidez Rentabilidade Global ano ano ano ano Categoria 19X1 19X2 19X3 19X1 19X2 19X3 19X1 19X2 19X3 19X1 19X2 19X3 Ótimo Bom Satisfatório * Razoável * * * * * * * * Fraco * * * Deficiente Péssimo Avaliação final Comentários gerais: • “A CIA. BIG apresenta elevados níveis de endividamento e imobilização, em 19X3, que pioraram significativamente em relação à posição dos exercícios anteriores. A sua liquidez é razoável em 19X3, mas também declinou relativamente aos anos anteriores. Destaca-se negativamente o índice de liquidez geral em 19X3. Os resultados da empresa foram fracos em 19X3. Os resultados eram melhores em 19X1. De maneira geral, a empresa caiu do nível razoável para o nível fraco de 19X1 para 19X3”. 90
  • 91. Avaliação final (resumo) Deve-se repetir para os outros 2 anos toda o procedimento realizado para o ano de 19x1; Para cada análise deve-se usar os índices do setor do ano do estudo; Pode-se assim verificar a evolução da empresa através dos anos; No caso da empresa BIG ela esta com uma tendência geral declinante. Exercício Avaliar a empresa Santista em relação as outras empresas do setor textil brasileiro, e atribuir uma nota e um conceito a esta empresa. 91
  • 92. Quarto passo: avaliação dos índices (Santista) Razoável Péssimo Fraco Satisfatório Bom Ótimo Deficiente Índice 1 decil 2 decil 3 decil 4 decil 5 decil 6 decil 7 decil 8 decil 9 decil Quanto maior melhor Liquidez AC/(PC+ELP) Liquidez Geral AC/PC Liquidez Corrente (AC-estoques)/PC Liquidez Seca Rentabilidade 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 GA (V/AT) Giro do Ativo ML (LL/V) Margem líquida RA (LL/AT) Rentabilidade do Ativo RPL (LL/PL) Rentabilidade do Patrimônio Líquido Quanto menor melhor Estrutura 10 9 8 7 6 5 4 3 2 1 0 CT/PL Participação de capitais de terceiros PC/CT Composição de individamento AP/PL Imobilização do PL AP/(PL+ELP) Imobilização dos recursos não correntes Ótimo Bom Razoável Deficiente Satisfatório Fraco Péssimo Exercício Avaliar a sua empresa escolhida em relação as outras empresas brasileiras do mesmo setor, e atribuir uma nota e um conceito a esta empresa. 92
  • 93. Análise Vertical/Horizontal Uma vez tendo realizado a avaliação geral da empresa, pode-se aprofundar a análise com o uso de técnicas adicionais. A análise Vertical/Horizontal se presta a isto. Análise Vertical Baseia-se em valores percentuais das demonstrações financeiras; Calcula-se o porcentual de cada conta em relação a um valor base; Para esta análise calcula-se o porcentual de cada conta em relação ao total do ativo. 93
  • 94. Análise Vertical Análise Vertical 94
  • 95. Análise Vertical Análise Horizontal Baseia-se na evolução de cada conta de uma série de demonstrações financeiras em relação à demonstração anterior e/ou em relação a uma demonstração financeira básica, geralmente a mais antiga da série. 95
  • 96. Análise Horizontal ATIVO 31/12/19X1 AH 31/12/19X2 AH 31/12/19X3 AH CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 100 26309 76 25000 72 Aplicações Financeiras 128969 100 80915 63 62000 48 Subsoma 163634 100 107224 66 87000 53 OPERACIONAL Clientes 1045640 100 1122512 107 1529061 146 Estoques 751206 100 1039435 138 1317514 175 Subsoma 1796846 100 2161947 120 2846575 158 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 100 2269171 116 2933575 150 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 100 156475 217 228075 316 Imobilizado 693448 100 1517508 219 2401648 346 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 100 1714879 224 2719760 355 TOTAL DO ATIVO 2726178 100 3984050 146 5653335 207 O que este número significa? O estoque aumentou em 75% relativamente a 19X1! Análise Horizontal PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 100 639065 90 688791 97 Outras Obrigações 275623 100 289698 105 433743 157 Subsoma 984159 100 928763 94 1122534 114 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 100 83429 126 158044 239 Duplicatas Descontadas 290633 100 393885 136 676699 233 Subsoma 356798 100 477314 134 834743 234 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 100 1406077 105 1957277 146 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 252 1494240 475 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 372 2028231 645 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 156 3985508 241 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 100 1194157 182 1350830 206 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 100 213028 51 316997 77 SOMA 1070861 100 1407185 131 1667827 156 TOTAL DO PASSIVO 2726178 100 3984050 146 5653335 207 96
  • 97. Análise Horizontal Exercício 31/12/19X1 AH 31/12/19X2 AH 31/12/19X3 AH Receita Líquida de Vendas 4793123 100 4425866 92 5851586 122 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 100 3273530 90 4218671 116 LUCRO Bruto 1171593 100 1152336 98 1632915 139 (-) Despesas Operacionais 495993 100 427225 86 498025 100 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 100 742692 109 1162667 170 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 100 442816 156 863298 304 LUCRO Operacional 410546 100 307438 75 305304 74 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 100 307438 75 305304 74 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 100 167116 75 165956 74 Análise Vertical/Horizontal (objetivos) Vertical: • mostrar a importância de cada conta em relação a demonstração financeira a que pertence e, através da comparação com padrões do ramo ou com porcentuais da própria empresa em anos anteriores, permitir inferir se há itens fora das proporções normais. 97
  • 98. Análise Vertical/Horizontal (objetivos) Horizontal: • mostrar a evolução de cada conta das demonstrações financeiras e, pela comparação entre si, permitir tirar conclusões sobre a evolução da empresa. Análise Vertical/Horizontal ATIVO 31/12/19X1 AV AH 31/12/19X2 AV AH 31/12/19X3 AV AH CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 1 100 26309 1 76 25000 0,4 72 Aplicações Financeiras 128969 5 100 80915 2 63 62000 1,1 48 Subsoma 163634 6 100 107224 3 66 87000 1,5 53 OPERACIONAL 0 0 0 Clientes 1045640 38 100 1122512 28 107 1529061 27 146 Estoques 751206 28 100 1039435 26 138 1317514 23 175 Subsoma 1796846 66 100 2161947 54 120 2846575 50 158 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 72 100 2269171 57 116 2933575 52 150 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO 0 0 0 PERMANENTE 0 0 0 Investimentos 72250 3 100 156475 4 217 228075 4 316 Imobilizado 693448 25 100 1517508 38 219 2401648 42 346 Diferido 0 40896 1 90037 2 SOMA 765698 28 100 1714879 43 224 2719760 48 355 TOTAL DO ATIVO 2726178 100 100 3984050 100 146 5653335 100 207 98
  • 99. Análise Vertical/Horizontal PASSIVO 31/12/19X1 AV AH 31/12/19X2 AV AH 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 26 100 639065 16 90 688791 Outras Obrigações 275623 10 100 289698 7 105 433743 Subsoma 984159 36 100 928763 23 94 1122534 FINANCEIRO 0 0 Empréstimos Bancários 66165 2 100 83429 2 126 158044 Duplicatas Descontadas 290633 11 100 393885 10 136 676699 Subsoma 356798 13 100 477314 12 134 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 49 100 1406077 35 105 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO 0 0 Empréstimos 314360 12 792716 20 252 1494240 Financiamentos 0 378072 9 533991 SOMA 314360 12 1170788 29 372 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 61 2576865 65 156 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0 0 Capitais e Reservas 657083 24 100 1194157 30 182 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 15 100 213028 5 51 316997 SOMA 1070861 39 100 1407185 35 131 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 100 100 3984050 100 146 5653335 Análise Vertical/Horizontal Exercício 31/12/19X1 AV AH 31/12/19X2 AV AH 31/12/19X3 AV AH Receita Líquida de Vendas 4793123 100 100 4425866 100 92 5851586 100 122 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 76 100 3273530 74 90 4218671 72 116 LUCRO Bruto 1171593 24 100 1152336 26 98 1632915 28 139 (-) Despesas Operacionais 495993 10 100 427225 10 86 498025 9 100 (+) Receitas Operacionais 8394 0 17581 0 27777 0 683994 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 14 100 742692 17 109 1162667 20 170 (+) Receitas financeiras 10860 0 7562 0 5935 0 (-) Despesas financeiras 284308 6 100 442816 10 156 863298 15 304 LUCRO Operacional 410546 9 100 307438 7 75 305304 5 74 Resultado não operacional 1058 0 0 0 Lucro antes do IR 411604 9 100 307438 7 75 305304 5 74 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 4,67 100 167116 3,78 75 165956 2,84 74 99
  • 100. Estudo de caso Fazer a análise vertical e horizontal para a empresa escolhida, para os últimos 3 anos; Equipes de 2 alunos; Preparar um relatório sobre a análise; Fórmulas de Previsão de Falências Análise Discriminante Poderosa técnica estatística capaz de dizer se determinado elemento pertence a uma população X ou a uma população Y O mecanismo pode ser resumido assim: escolhem-se dois grupos: empresas solventes e insolventes Coletam-se dados e busca-se uma equação matemática, baseada em vários índices, que melhor separe os dois grupos. A variável dependente da função é comparada a um número fixo, chamado ponto crítico, que indica se a empresa é solvente ou insolvente. 100
  • 101. Fórmulas de Previsão de Falências Fórmula de Kanitz FI = 0,05x1 + 1,65x2 + 3,55x3 – 1,06x4 – 0,33x5 FI = Fator de insolvência X1 = Lucro líquido/patrimônio líquido X2 = Ativo circulante + realizável a longo prazo / exigível total X3 = Ativo circulante – estoques / passivo circulante X4 = Ativo circulante / passivo circulante X5 = exigível total / patrimônio líquido Se FI for menor que –3 a empresa estará insolvente. Se estiver entre –3 e 0, sua situação estará indefinida e, se estiver acima de 0 estará na faixa de solvência Para a empresa BIG: FI = 3,1 2,2 1,8 Fórmulas de Previsão de Falências Fórmula de Pereira Z = 0,722 – 5,124E23 + 11,0116L19 – 0,342L21 – 0,048L26 + 8,605R13 – 0,004R29 Z = Total de pontos E23 = Duplicatas descontadas/duplicatas a receber L19 = Estoques (final) / Custo das mercadorias vendidas L21 = Fornecedores / vendas L26 = Estoque médio/Custo de mercadorias vendidas R13 = (LO + Desp. Fin) / (AT – Investimento médio) R29 = Exigível total /(LL – 0,1 Imobilizado médio + Saldo devedor da CM) Se Z for menor que 0 (zero) a empresa estará insolvente. 101
  • 102. PLANEJAMENTO DE CAIXA Índices de prazos médios Prazo Médio de Renovação de Estoques - PMRE Prazo Médio de Recebimento de Vendas - PMRV Prazo Médio de Pagamento de Compras - PMPC Índices de prazos médios Devem ser analisados em conjunto Análise separada dos outros índices analisados Permitem a análise dos ciclos operacional e de caixa Fundamentais para a determinação de estratégias empresariais A partir destes índices são construídos modelos de análise de capital de giro e de fluxo de caixa 102
  • 103. PRAZO MÉDIO DE RENOVAÇÃO DE ESTOQUES - PMRE PMRE=(E/CMV) * 360 (dias) E - Estoques CMV - Custo da Mercadoria Vendida PRAZO MÉDIO DE RECEBIMENTO DE VENDAS - PMRV PMRV=(DR/V) * 360 (dias) DR - Duplicatas a receber V - Vendas 103
  • 104. PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO DE COMPRAS - PMPC PMPC = (F/C) * 360 (dias) F - Fornecedores C - Compras Índices de Prazos Médios, Ciclos Operacional e de Caixa Ciclo Operacional COMPRAS VENDAS RECEBIMENTOS PMRE PMRV PAGAMENTOS ou Ciclo Financeiro PMPC Ciclo de Caixa 104
  • 105. Índices – situações possíveis Fornecedores financiam totalmente os estoques e parte das vendas Ciclo Operacional COMPRAS VENDAS RECEBIMENTOS PMRE PMRV PAGAMENTOS PMPC Ciclo de Caixa Índices – situações possíveis Fornecedores financiam apenas parte dos estoques Ciclo Operacional COMPRAS VENDAS RECEBIMENTOS PMRE PMRV PAGAMENTOS PMPC Ciclo de Caixa 105
  • 106. Prazo Médio de Renovação de Estoques (Cia BIG) 19X1 19X2 19X3 Estoques 751206 1039435 Custos das mercadorias vendidas 3621530 3273530 PMRE=360*(E/CMV) 75 114 Obter Estes dados PMRE=(E/CMV) * 360 (dias) Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 106
  • 107. Posição das contas na demonstração de resultados Exercício 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 Receita Líquida de Vendas 4793123 4425866 5851586 (-) Custo dos Prod. Vendidos 3621530 3273530 4218671 LUCRO Bruto 1171593 1152336 1632915 (-) Despesas Operacionais 495993 427225 498025 (+) Receitas Operacionais 8394 17581 27777 LUCRO Operacional antes result. Financeiro 683994 742692 1162667 (+) Receitas financeiras 10860 7562 5935 (-) Despesas financeiras 284308 442816 863298 LUCRO Operacional 410546 307438 305304 Resultado não operacional 1058 Lucro antes do IR 411604 307438 305304 Lucro (Prejuízo) Líquido 223741 167116 165956 Prazo Médio de Renovação de Estoques (Cia BIG) 19X1 19X2 19X3 Estoques 751206 1039435 1317514 Custos das mercadorias vendidas 3621530 3273530 4218671 PMRE=360*(E/CMV) 75 114 112 PMRE=(E/CMV) * 360 (dias) 107
  • 108. Prazo Médio de Recebimento de Vendas (Cia BIG) 19X1 19X2 19X3 Duplicatas a receber 1045640 1122512 Vendas 5960227 6043114 PMRV=360*(DR/V) 63 67 Obter Estes dados PMRV=(DR/V) * 360 (dias) Posição das contas no balanço ATIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE FINANCEIRO Disponível 34665 26309 25000 Aplicações Financeiras 128969 80915 62000 Subsoma 163634 107224 87000 OPERACIONAL Clientes 1045640 1122512 1529061 Estoques 751206 1039435 1317514 Subsoma 1796846 2161947 2846575 TOTAL DO ATIVO CIRCULANTE 1960480 2269171 2933575 REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PERMANENTE Investimentos 72250 156475 228075 Imobilizado 693448 1517508 2401648 Diferido 40896 90037 SOMA 765698 1714879 2719760 TOTAL DO ATIVO 2726178 3984050 5653335 108
  • 109. Prazo Médio de Recebimento de Vendas (Cia BIG) 19X1 19X2 19X3 Duplicatas a receber 1045640 1122512 1529061 Vendas 5960227 6043114 7820143 PMRV=360*(DR/V) 63 67 70 PMRV=(DR/V) * 360 (dias) 109
  • 110. Prazo Médio de Pagamento de Compras (Cia BIG) 19X1 19X2 19X3 Fornecedores 708536 639065 Compras 3001587 2766402 PMRC = 360*(F/C) 85 83 Obter Estes dados PMPC = (F/C) * 360 (dias) Posição das contas no balanço PASSIVO 31/12/19X1 31/12/19X2 31/12/19X3 CIRCULANTE OPERACIONAL Fornecedores 708536 639065 688791 Outras Obrigações 275623 289698 433743 Subsoma 984159 928763 1122534 FINANCEIRO Empréstimos Bancários 66165 83429 158044 Duplicatas Descontadas 290633 393885 676699 Subsoma 356798 477314 834743 TOTAL PASSIVO CIRCULANTE 1340957 1406077 1957277 EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Empréstimos 314360 792716 1494240 Financiamentos 378072 533991 SOMA 314360 1170788 2028231 CAPITAIS DE TERCEIROS 1655317 2576865 3985508 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Capitais e Reservas 657083 1194157 1350830 Lucros (Prej.) Acumulados 413778 213028 316997 SOMA 1070861 1407185 1667827 TOTAL DO PASSIVO 2726178 3984050 5653335 110
  • 111. Prazo Médio de Pagamento de Compras (Cia BIG) 19X1 19X2 19X3 Fornecedores 708536 639065 688791 Compras 3001587 2766402 3387266 PMRC = 360*(F/C) 85 83 73 PMPC = (F/C) * 360 (dias) 111
  • 112. Posicionamento dos índices da CIA BIG 19X1 19X2 19X3 PMRE 75 114 112 PMRV 63 67 70 PMPC 85 83 73 Ciclo Operacional 138 181 183 Ciclo de Caixa 53 98 110 Padrões 19X1 19X2 19X3 PMRE 66 67 70 PMRV 75 79 77 PMPC 69 76 78 Ciclo Operacional 141 146 147 Ciclo de Caixa 72 70 69 Relatório sobre os índices • A Cia. BIG tinha, em 19X1,ciclo de caixa inferior ao padrão mediano do ramo: a empresa tinha uma folga de 20 dias em relação ao padrão, necessitando de prazos menores para financiamento de seu giro. Isto se devia a seu menor ciclo operacional e a um maior prazo de pagamentos de seus fornecedores. 112
  • 113. Relatório sobre os índices • A empresa não consegue manter esta performance nos últimos exercícios, não mantendo o prazo de fornecedores acima da média do ramo e aumentando o seu ciclo operacional, que cresceu em virtude do aumento do prazo médio de renovação de estoques, que passou de 74 (19X1) para 112 (19X3) dias. • Parece haver um descontrole com a política de estoques da empresa. Com isto o ciclo de caixa passou para 110 dias muito acima da média do ramo. EVA – Economic Value Added • Estimativa do lucro econômico da empresa para o ano • Representa o lucro que excede ao custo de recuperação do Capital (Capital Próprio e Exigível a Longo Prazo EVA = NOPAT – WACC * Capital’ EVA = Lucro operacional líquido depois dos impostos – (Custo médio ponderado de capital) * (Patrimônio Líquido + Exigível a Longo Prazo) 113
  • 114. Custo Médio Ponderado de Capital - WACC Ativo Passivo Passivo Circulante Circulante (1000) (2000) Exigível a LP RD = Dessa forma: D (2500) 10 % D / (D + E) = 25% Permanente Cap Próprio E / (D + E) = 75% (9000) E RE = (7500) 15 % τ = 34% WACC = E / (D + E) x RE + D / (D + E) x RD x (1 – τ ) WACC = 0,75 x 15 % + 0,25 x 10 % x (1 – 0,34) = 12,90 % TMA EMPRESA = 12,90 % NOPAT Receita líquida de vendas 10000 - custo dos produtos vendidos -5200 Lucro bruto 4800 - despesas operacionais sem desp. financeiras -2000 Lucro Operacional antes dos resultados financeiros (EBIT) 2800 - Despesas Financeiras -250 Lucro operacional 2550 - + resultado não operacional 0 Lucro antes do imposto de renda 2550 - imposto de renda e contribuição social - 867 Lucro líquido 1683 NOPAT = Lucro Operac. antes result fin x (1 - imposto renda e contrib. social) NOPAT = 2800 (1 – 0,34) = 1848 114
  • 115. EVA – Economic Value Added EVA = NOPAT – WACC * Capital’ EVA = 2800 * (1- 0,34) – 12,9% * (7500 + 2500) EVA = 1848 – 1290 = 558 MVA – Market Value Added É a diferença entre o valor de mercado do patrimônio líquido da empresa e a quantia de capital próprio que foi fornecida pelos acionistas. MVA = (ações em circulação)*(preço da ação) – Patrimônio Líquido total Brigham, Eugene F e outros (2001) 115
  • 116. MVA – Market Value Added Suponha que a empresa analisada tenha 11826 ações ao preço de mercado de $ 1. Dessa forma o MVA é: MVA = 11826 – 7500 = 4326 MVA – Market Value Added Outra forma de cálculo do MVA: MVA = NOPAT / WACC – Capital’ Ou MVA = EVA / WACC MVA = 2800 * (1- 0,34) / 12,9% - (7500 + 2500) MVA = 4326 Ou MVA = 558 / 12,9% = 4326 116
  • 117. Análise de Ações • Uso da Internet ou do Economática para obtenção da dados • Avaliação do comportamento das ações da empresa nos três anos de análise • Cálculo da Média, Desvio Padrão e Beta • Cálculo da taxa requerida pelos acionistas através do Modelo de Precificação de Ativos - CAPM Como obter os dados pelo Yahoo.com.br • Ir para http://br.financas.yahoo.com/ • Pesquisar símbolo de sua empresa: 4 letras e um número Exemplo: ASTA4 (Santista preferencial) • Entrar com símbolo em cotações • Buscar cotações dos último 3 anos em “histórico” • Defina faixa da datas e faça o download do histórico no excel • Use “converter texto em tabela” do Word, com separador “,” • Copie tabela no excel e substitua os pontos por vírgulas. 117
  • 118. Pelo Economática 118
  • 119. Variação Santista versus IBOVESPA Santista PN Ibovespa Variação Variação Data SATA4 IBOV Santista Ibovespa abr/02 8,01 13085 mai/02 7,01 12861 -12,5% -1,7% jun/02 7,01 11139 0,0% -13,4% jul/02 7,53 9762 7,4% -12,4% ago/02 7,89 10382 4,8% 6,4% ……. set/06 17,00 36449 -9,1% 0,6% out/06 16,00 39262 -5,9% 7,7% nov/06 16,20 41931 1,3% 6,8% dez/06 17,85 44473 10,2% 6,1% jan/07 17,00 44641 -4,8% 0,4% fev/07 19,20 43892 12,9% -1,7% mar/07 16,00 45804 -16,7% 4,4% abr/07 24,85 48956 55,3% 6,9% mai/07 24,50 50518 -1,4% 3,2% Variação Santista versus IBOVESPA 4,5 4 3,5 3 2,5 Santista cresc 2 Ibovespa cresc 1,5 1 0,5 0 1 5 9 13 17 21 25 29 33 37 41 45 49 53 57 61 119
  • 120. Conceitos de risco Risco Total = risco sistemático + risco não-sistemático Risco não-sistemático = risco específico da empresa ou do setor, pode ser diversificado através de carteiras Risco Sistemático = risco de mercado, não há como ser diversificado Não há prêmio de retorno devido ao risco não- sistemático, pois ele pode ser reduzido pela diversificação Há prêmio apenas pelo risco sistemático, que é do mercado e não pode ser diversificado Conceitos de Risco O risco total pode ser medido pelo desvio-padrão dos retornos das ações. Considerando dados de maio de 2002 a maio de 2007: Parâmetro Ibovespa Santista Média 2,4% 2,5% Desvio-Padrão 11,1% 7,3% 120
  • 121. Conceitos de Risco O risco sistemático pode ser medido pelo Beta da ação Se considerarmos no eixo x as variações (retorno percentual) do mercado (Ibovespa) e, no eixo y, as variações da ação A, o Beta é o coeficiente angular da reta que representa os pontos Beta maior que 1: Risco sistemático da ação maior que do mercado Beta menor que 1: Risco sistemático da ação menor que do mercado Conceitos de Risco 30,00% yCemig = 1,0915x + 0,0009 20,00% 10,00% 0,00% yAmbev = 0,5677x + 0,0049 -20,00% -15,00% -10,00% -5,00% 0,00% 5,00% 10,00% 15,00% 20,00% -10,00% -20,00% -30,00% Cemig tem mais risco sistemático que o mercado e deve dar retorno maior, enquanto que Ambev tem risco menor que mercado, podendo dar retorno menor 121
  • 122. Modelo de precificação de ativos - CAPM Retorno de uma ação = retorno livre de risco (Rf) + Prêmio pelo risco da ação Ri = Rf + Prêmio pelo risco da ação Prêmio pelo risco da ação = Beta x Prêmio pelo risco do mercado Prêmio pelo risco do mercado= Retorno mercado – Retorno livre de risco Modelo de precificação de ativos - CAPM Supondo, para uma longa série histórica: Retorno mercado = 16% ao ano Retorno livre de risco = 9% ao ano Prêmio pelo risco do mercado= 16% – 9% = 8% Prêmio pelo risco da ação = Beta x 8% O modelo CAPM fica assim: Ri = 9% + Beta x 8% 122
  • 123. Modelo de precificação de ativos - CAPM O retorno esperado pelos acionistas da Cemig é: RCemig = 9% + Beta x 8% RCemig = 9% + 1,09 x 8% = 17,7% ao ano Este é o custo de Capital próprio da cemig: 17,7% ao ano O retorno esperado pelos acionistas da Ambev é: RAmbev = 9% + Beta x 8% RAmbev = 9% + 0,56 x 8% = 13,5% ao ano Este é o custo de Capital próprio da Ambev: 13,5% ao ano Variação Santista versus IBOVESPA y = 0,1889x + 0,0191 60,0% 2 R = 0,0155 50,0% 40,0% 30,0% 20,0% 10,0% 0,0% -20,0% -10,0% -10,0%0,0% 10,0% 20,0% -20,0% -30,0% 123
  • 124. Variação Santista versus IBOVESPA Considerando dados de janeiro de 2003 a abril de 2006: Parâmetro Ibovespa Santista Média 2,4% 2,5% Desvio-Padrão 11,1% 7,3% Beta 1 0,19 •O risco total (7,3%) é mais alto que o do mercado, mesmo com média bem abaixo. •O risco sistemático beta (0,19) é menor que 1, ou seja, bem abaixo do mercado Modelo de precificação de ativos - CAPM O retorno esperado pelos acionistas da Santista é, teoricamente: RSantista = 9% + Beta x 8% RSantista = 9% + 0,19 x 8% = 10,52% ao ano Este seria o custo de Capital próprio da santista: 10,52% ao ano 124
  • 125. A taxa mínima de atratividade (TMA) a ser usada pela Santista é, baseada no WACC: Ativo Passivo Passivo Circulante Circulante (1000) (2000) Exigível a LP RD = Dessa forma: D (237.000) 8% D / (D + E) = 32% Permanente Cap Próprio E / (D + E) = 68% (9000) E RE = (516.000) 10,52 % τ = 34% WACC = E / (D + E) x RE + D / (D + E) x RD x (1 – τ ) WACC = 0,68 x 10,52 % + 0,32 x 8 % x (1 – 0,34) = 8,9 % TMA EMPRESA = 8,9 % Avaliação final Cia. BIG small 125