CAMINHADA DA FRATERNIDADE<br />
VIVEMOS PARAPERPETUAR A MEMÓRIA DE QUEM AMAMOS<br />1 Jo 1,1 Aquilo que existia desde o princípio, <br />o que ouvimos, <b...
2  Porque a Vida se manifestou<br />nós a vimos, <br />dela damos testemunho, <br />e lhes anunciamos a Vida Eterna. <br /...
3  Isso que vimos e ouvimos<br />Nós agora o anunciamos a vocês, para que vocês estejam em comunhão conosco. <br />E a nos...
Jo 19,26 Jesus viu a mãe <br />e, ao lado dela, o discípulo que ele amava. <br />Então disse à mãe: <br />Mulher, eis aí o...
28 Depois disso, sabendo que tudo estava realizado<br />Jesus disse: Tenho sede.<br />Amarraram uma esponja ensopada de vi...
Mc 15, 33 Ao chegar o meio-dia, até às três horas da tarde,<br />houve escuridão sobre toda a terra. <br />34 Pelas três h...
37 Então Jesus lançou um forte grito, e expirou. <br />38 Nesse momento, a cortina do santuário se rasgou de alto a baixo,...
40 Aí estavam também algumas mulheres, olhando de longe<br />Entre elas estavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o men...
Jo 19 Vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas<br />34 mas um soldado lhe atravessou o lado com uma lança, e...
Por que caminhamos?<br />
Rm 5,1 Justificados pela fé, estamos em paz com Deus<br />por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. <br />2 Por meio dele e a...
3 E não só isso. Nós nos gloriamos também nas tribulações,<br />sabendo que a tribulação produz a perseverança, <br />4 a ...
6 De fato, quando ainda éramos fracos<br />Cristo, no momento oportuno, morreu pelos ímpios. <br />7 Dificilmente se encon...
O AMOR NOS MOVE<br />13,4  O amor é paciente,  <br />o amor é prestativo;  <br />não é invejoso, <br />não se ostenta,  <b...
6 não se alegra com a injustiça<br />mas fica alegre com a verdade. <br />7  Tudo desculpa, <br />tudo crê, <br />tudo esp...
Sl 104 hino ao Senhor da vida <br />1 Bendiga a Javé, ó minha alma! Javé, meu Deus, como és grande! Vestido de esplendor e...
4 Tu fazes dos ventos os teus mensageiros, e das chamas de fogo os teus ministros! <br />5 Assentaste a terra sobre suas b...
 7 Diante da, porém, elas fugiram, precipitaram-se, ao fragor do teu trovão.  tua ameaça<br /> 8 Subiram pelos montes, des...
10 Tu fazes brotar fontes de água pelos vales, e elas correm por entre as montanhas. <br />11 Dão de beber a todas as fera...
13  De tuas altas moradas regas os montes, e a terra se sacia com tua obra fecunda.<br />14 Tu fazes brotar relva para o r...
16   As árvores de Javé se saciam, os cedros do Líbano que ele plantou<br />17 Aí se aninham os pássaros, no seu topo a ce...
20 Mandas as trevas e vem a noite, e nela rondam as feras da selva; <br /> 21 rugem os leõezinhos em busca da presa, pedin...
24 Como são numerosas as tuas obras, Javé! A todas fizeste com sabedoria. A terra está repleta das tuas criaturas.<br /> 2...
27 Todos eles esperam de ti que a seu tempo lhes atires o alimento:  <br />28 tu o atiras e eles o recolhem, abres tua mão...
30 Envias o teu sopro e eles são criados , e assim renovas a face da terra. <br />31 Que a glória de Javé seja para sempre...
33 Vou cantar para Javé, enquanto eu viver, louvarei o meu Deus, enquanto existir.<br /> 34  Que o meu poema lhe seja agra...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Caminhada da fraternidade 2011

353
-1

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
353
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
2
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Caminhada da fraternidade 2011

  1. 1. CAMINHADA DA FRATERNIDADE<br />
  2. 2. VIVEMOS PARAPERPETUAR A MEMÓRIA DE QUEM AMAMOS<br />1 Jo 1,1 Aquilo que existia desde o princípio, <br />o que ouvimos, <br />o que vimos com nossos olhos, <br />o que contemplamos <br />e o que nossas mãos apalparam: <br />- falamos da Palavra, que é a Vida.<br />
  3. 3. 2 Porque a Vida se manifestou<br />nós a vimos, <br />dela damos testemunho, <br />e lhes anunciamos a Vida Eterna. <br />Ela estava voltada para o Pai e se manifestou a nós.<br />
  4. 4. 3 Isso que vimos e ouvimos<br />Nós agora o anunciamos a vocês, para que vocês estejam em comunhão conosco. <br />E a nossa comunhão é com o Pai e com o seu Filho Jesus Cristo.<br />4 Essas coisas, escrevemos para vocês, a fim de que a nossa alegria seja completa.<br />
  5. 5. Jo 19,26 Jesus viu a mãe <br />e, ao lado dela, o discípulo que ele amava. <br />Então disse à mãe: <br />Mulher, eis aí o seu filho. <br />27 Depois disse ao discípulo: <br />Eis aí a sua mãe. <br />E dessa hora em diante, o discípulo a recebeu em sua casa.<br />
  6. 6. 28 Depois disso, sabendo que tudo estava realizado<br />Jesus disse: Tenho sede.<br />Amarraram uma esponja ensopada de vinagre numa vara, e aproximaram a esponja da boca de Jesus. <br />30 Ele tomou o vinagre e disse:<br />Tudo está realizado.<br />E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. <br />
  7. 7. Mc 15, 33 Ao chegar o meio-dia, até às três horas da tarde,<br />houve escuridão sobre toda a terra. <br />34 Pelas três horas da tarde, Jesus deu um forte grito:<br /> Eloi, Eloi, lamásabactâni?, que quer dizer: <br />Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? <br />
  8. 8. 37 Então Jesus lançou um forte grito, e expirou. <br />38 Nesse momento, a cortina do santuário se rasgou de alto a baixo, em duas partes. <br />39 O oficial do exército, que estava bem na frente da cruz, <br />viu como Jesus havia expirado, e disse: <br />De fato, esse homem era mesmo Filho de Deus!<br />
  9. 9. 40 Aí estavam também algumas mulheres, olhando de longe<br />Entre elas estavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o menor, e de Joset, e Salomé. <br />41 Elas haviam seguidoe servido a Jesus, desde quando ele estava na Galiléia. <br />Muitas outras mulheres estavam aí, pois tinham subidocom Jesus a Jerusalém.<br />
  10. 10. Jo 19 Vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas<br />34 mas um soldado lhe atravessou o lado com uma lança, e imediatamente saiu sangue e água.<br /> 35 E aquele que viu, dá testemunho, e o seu testemunho é verdadeiro. <br />E ele sabe que diz a verdade, para que também vocês acreditem<br />
  11. 11. Por que caminhamos?<br />
  12. 12. Rm 5,1 Justificados pela fé, estamos em paz com Deus<br />por meio de nosso Senhor Jesus Cristo. <br />2 Por meio dele e através da fé, nós temos acesso à graça, <br />na qual nos mantemos e <br />nos gloriamos, <br />na esperança da glória de Deus. <br />
  13. 13. 3 E não só isso. Nós nos gloriamos também nas tribulações,<br />sabendo que a tribulação produz a perseverança, <br />4 a perseverança produz a fidelidade comprovada, <br />e a fidelidade comprovada produz a esperança. <br />5 E a esperança não engana, pois o amor de Deus foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado. <br />
  14. 14. 6 De fato, quando ainda éramos fracos<br />Cristo, no momento oportuno, morreu pelos ímpios. <br />7 Dificilmente se encontra alguém disposto a morrer em favor de um justo... <br />8 Mas Deus demonstra seu amor para conosco porque Cristo morreu por nós quando ainda éramos pecadores. <br />
  15. 15. O AMOR NOS MOVE<br />13,4 O amor é paciente, <br />o amor é prestativo; <br />não é invejoso, <br />não se ostenta, <br />não se incha de orgulho.<br />5 Nada faz de inconveniente, <br />não procura seu próprio interesse, <br />não se irrita, não guarda rancor.<br />
  16. 16. 6 não se alegra com a injustiça<br />mas fica alegre com a verdade. <br />7 Tudo desculpa, <br />tudo crê, <br />tudo espera, <br />tudo suporta.<br />8 O amor jamais passará. <br />
  17. 17. Sl 104 hino ao Senhor da vida <br />1 Bendiga a Javé, ó minha alma! Javé, meu Deus, como és grande! Vestido de esplendor e majestade, <br />2 envolto em luz como num manto, estendendo os céus como tenda, <br />3 construindo tua morada sobre as águas. Tomando as nuvens como teu carro, caminhando sobre as asas do vento. <br />
  18. 18. 4 Tu fazes dos ventos os teus mensageiros, e das chamas de fogo os teus ministros! <br />5 Assentaste a terra sobre suas bases, inabalável para sempre e eternamente. <br /> 6 Cobriste a terra com o manto do oceano, e as águas pousaram por cima das montanhas. <br />
  19. 19.  7 Diante da, porém, elas fugiram, precipitaram-se, ao fragor do teu trovão. tua ameaça<br /> 8 Subiram pelos montes, desceram pelos vales, para o lugar que tinhas fixado para elas. <br /> 9 Marcaste um limite que elas não podem transpor, e não voltarão a cobrir a terra. <br />
  20. 20. 10 Tu fazes brotar fontes de água pelos vales, e elas correm por entre as montanhas. <br />11 Dão de beber a todas as feras do campo, e os asnos selvagens aí matam a sede. <br /> 12 Junto a elas se abrigam as aves do céu, desferindo seu canto por entre a folhagem. <br />
  21. 21. 13 De tuas altas moradas regas os montes, e a terra se sacia com tua obra fecunda.<br />14 Tu fazes brotar relva para o rebanho, e plantas úteis para o homem. Dos campos ele tira o pão, <br />15 e o vinho que alegra seu coração; o azeite, que dá brilho ao seu rosto, e o alimento, que lhe dá forças.<br />
  22. 22. 16 As árvores de Javé se saciam, os cedros do Líbano que ele plantou<br />17 Aí se aninham os pássaros, no seu topo a cegonha tem sua casa. <br /> 18 As altas montanhas são para as cabras, e os rochedos um refúgio para as ratazanas. <br /> 19 Tu fizeste a lua para marcar os tempos, o sol conhece o seu próprio ocaso. <br />
  23. 23. 20 Mandas as trevas e vem a noite, e nela rondam as feras da selva; <br /> 21 rugem os leõezinhos em busca da presa, pedindo a Deus o sustento.<br />22 Ao nascer do sol se retiram e se entocam nos seus covis. <br />23 O homem sai para sua faina, e para o seu trabalho até à tarde. <br />
  24. 24. 24 Como são numerosas as tuas obras, Javé! A todas fizeste com sabedoria. A terra está repleta das tuas criaturas.<br /> 25 Eis o vasto mar, com braços imensos, onde se movem, inumeráveis, animais pequenos e grandes. <br />26 Aí circulam os navios, e o Leviatã, que formaste para com ele brincares. <br />
  25. 25. 27 Todos eles esperam de ti que a seu tempo lhes atires o alimento: <br />28 tu o atiras e eles o recolhem, abres tua mão, e se saciam de bens. <br />29 Escondes tua face e eles se apavoram, retiras deles a respiração, e expiram, voltando a ser pó. <br />
  26. 26. 30 Envias o teu sopro e eles são criados , e assim renovas a face da terra. <br />31 Que a glória de Javé seja para sempre; que ele se alegre com suas obras! <br /> 32 Ele olha a terra e ela estremece, toca as montanhas e elas fumegam.  <br />
  27. 27. 33 Vou cantar para Javé, enquanto eu viver, louvarei o meu Deus, enquanto existir.<br /> 34 Que o meu poema lhe seja agradável, e eu me alegrarei com Javé. <br /> 35 Que os pecadores desapareçam da terra, e os injustos nunca mais existam.<br /> Bendiga a Javé, ó minha alma! Aleluia! <br />
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×