<ul><li>Curso NÍVEL II </li></ul><ul><li>CONCEITOS BÁSICOS  </li></ul><ul><li>DO SOCIALISMO CIENTÍFICO </li></ul>
Aula Introdutória  <ul><li>O significado Histórico do  </li></ul><ul><li>Marxismo-Leninismo </li></ul>
Tópicos de Conteúdo da Aula Introdutória <ul><li>I. Marxismo – produção teórica e prática revolucionária. </li></ul><ul><l...
<ul><li>I a III – Nereide Saviani e Olívia Rangel </li></ul><ul><li>IV – José Carlos Ruy </li></ul>
PARTE  IV  <ul><li>Elementos da História do Marxismo-Leninismo no Brasil </li></ul><ul><li>José Carlos Ruy </li></ul>
1. A pré-história do marxismo no Brasil   <ul><ul><li>Referências a Marx e ao marxismo antes da década de 1920: </li></ul>...
2. O marxismo no movimento operário antes da fundação do Partido Comunista do Brasil <ul><li>Silvério Fontes  e o  Centro ...
3. A fundação do Partido Comunista do Brasil e a introdução do marxismo no Brasil <ul><ul><li>Astrojildo Pereira difunde e...
<ul><li>4. Anos 20 e 30 - primeiras turmas de estudantes brasileiros em Moscou </li></ul><ul><li>5. Década de 1930 - influ...
6. Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.1. O domínio do marxismo melhora a partir da década de 1950, quando dirigentes comunis...
Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.3. A crise do XX Congresso  </li></ul><ul><ul><li>Uma conseqüência da crise foi a migraçã...
Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.4. Em 1958, professores universitários criam o “Grupo de Marx&quot; (ou Seminário Marx), ...
Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.5. O Instituto Superior de Estudos Brasileiros  (ISEB) e a influência marxista no pensame...
Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.6. No Partido, influência do pensamento de </li></ul><ul><li>Mao Tze Tung  </li></ul><ul>...
7.  Anos 60 e 70 <ul><li>7.1. debate sobre a natureza da formação social brasileira; </li></ul><ul><li>7.2. debate sobre o...
8.  Décadas de 1980 e 1990 <ul><li>8.1. Os cursos “panorâmicos” do PCdoB </li></ul><ul><li>8.2. Crise do socialismo no Les...
Anos 90 <ul><li>Retomada dos estudos sobre a formação social brasileira: </li></ul><ul><ul><li>ênfase no estudo da dialéti...
Anos 2000 <ul><li>Restabelecimento  do equilíbrio entre: </li></ul><ul><li>o trabalho de pesquisadores e professores unive...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Tema 00 introdução parte iv (j c ruy).ppt 04

1,191 views

Published on

Segunda parte da introdução do Curso Nível II

Published in: News & Politics
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,191
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
224
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tema 00 introdução parte iv (j c ruy).ppt 04

  1. 1. <ul><li>Curso NÍVEL II </li></ul><ul><li>CONCEITOS BÁSICOS </li></ul><ul><li>DO SOCIALISMO CIENTÍFICO </li></ul>
  2. 2. Aula Introdutória <ul><li>O significado Histórico do </li></ul><ul><li>Marxismo-Leninismo </li></ul>
  3. 3. Tópicos de Conteúdo da Aula Introdutória <ul><li>I. Marxismo – produção teórica e prática revolucionária. </li></ul><ul><li>II. Contexto de surgimento do marxismo / fontes teóricas e partes constitutivas. </li></ul><ul><li>III. Leninismo – o marxismo da etapa do imperialismo. </li></ul><ul><li>IV. Elementos da história do marxismo no Brasil. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>I a III – Nereide Saviani e Olívia Rangel </li></ul><ul><li>IV – José Carlos Ruy </li></ul>
  5. 5. PARTE IV <ul><li>Elementos da História do Marxismo-Leninismo no Brasil </li></ul><ul><li>José Carlos Ruy </li></ul>
  6. 6. 1. A pré-história do marxismo no Brasil <ul><ul><li>Referências a Marx e ao marxismo antes da década de 1920: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Tobias Barreto; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Manuel Bomfim; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Clóvis Bevilacqua; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Higino Cunha; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Euclides da Cunha ; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>e outros. </li></ul></ul></ul>
  7. 7. 2. O marxismo no movimento operário antes da fundação do Partido Comunista do Brasil <ul><li>Silvério Fontes e o Centro Socialista de Santos; </li></ul><ul><li>Afonso Schmidt e o Grupo Comunista Brasileiro Zumbi; </li></ul><ul><li>O Grupo Clarté , do Rio de Janeiro (Evaristo de Moraes, Nicanor Nascimento, Maurício de Lacerda, Agripino Nazaré, Everardo Dias, Joaquim Pimenta); </li></ul><ul><li>Antonio Piccarolo e o reformismo. </li></ul>
  8. 8. 3. A fundação do Partido Comunista do Brasil e a introdução do marxismo no Brasil <ul><ul><li>Astrojildo Pereira difunde escritos marxistas entre as lideranças sindicais e operárias; </li></ul></ul><ul><ul><li>Otávio Brandão traduz o Manifesto do Partido Comunista: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>escreve, depois, Agrarismo e Industrialismo , primeira tentativa de análise marxista da situação social brasileira. </li></ul></ul></ul>
  9. 9. <ul><li>4. Anos 20 e 30 - primeiras turmas de estudantes brasileiros em Moscou </li></ul><ul><li>5. Década de 1930 - influência da Internacional Comunista  era um domínio ainda inicial: </li></ul><ul><li>Caio Prado Jr; </li></ul><ul><li>(mais tarde), Nelson Werneck Sodré. </li></ul>
  10. 10. 6. Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.1. O domínio do marxismo melhora a partir da década de 1950, quando dirigentes comunistas vão para cursos na URSS. </li></ul><ul><li>6.2. No Brasil, difundem-se os cursos Stálin e Lênin. </li></ul>
  11. 11. Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.3. A crise do XX Congresso </li></ul><ul><ul><li>Uma conseqüência da crise foi a migração do marxismo, do Partido para a universidade (diz José Carlos Barriguelli) </li></ul></ul><ul><ul><li>Marxismo &quot;amaciado“ – ênfase no método, e não na luta política. </li></ul></ul>
  12. 12. Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.4. Em 1958, professores universitários criam o “Grupo de Marx&quot; (ou Seminário Marx), para debater O Capital – influência existencialista e, depois, weberiana: </li></ul><ul><ul><li>José Arthur Giannotti </li></ul></ul><ul><ul><li>Fernando Novaes </li></ul></ul><ul><ul><li>Paul Singer </li></ul></ul><ul><ul><li>Octávio Ianni, </li></ul></ul><ul><ul><li>Leôncio Martins Rodrigues </li></ul></ul><ul><ul><li>Fernando Henrique Cardoso </li></ul></ul><ul><ul><li>Roberto Schwarz </li></ul></ul><ul><ul><li>(entre muitos outros) </li></ul></ul>
  13. 13. Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.5. O Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB) e a influência marxista no pensamento avançado. </li></ul><ul><ul><li>Difusão na universidade de correntes marxistas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Althusser </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Gramsci </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Escola de Frankfurt </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Lukács </li></ul></ul></ul></ul>
  14. 14. Décadas de 1950 e 1960 <ul><li>6.6. No Partido, influência do pensamento de </li></ul><ul><li>Mao Tze Tung </li></ul><ul><li>6.7. No PCB, eurocomunismo e apropriação do pensamento de Antonio Gramsci. </li></ul><ul><li>6.8. Outras organizações (ALN) </li></ul><ul><ul><li>Che Guevara e teoria do foco insurrecional; </li></ul></ul><ul><ul><li> tendências trotskistas </li></ul></ul>
  15. 15. 7. Anos 60 e 70 <ul><li>7.1. debate sobre a natureza da formação social brasileira; </li></ul><ul><li>7.2. debate sobre os rumos e a natureza da revolução brasileira: </li></ul><ul><ul><li>partido leninista x foco </li></ul></ul><ul><ul><li>luta armada x via pacífica para o socialismo </li></ul></ul>
  16. 16. 8. Décadas de 1980 e 1990 <ul><li>8.1. Os cursos “panorâmicos” do PCdoB </li></ul><ul><li>8.2. Crise do socialismo no Leste Europeu  declínio da influência eurocomunista </li></ul><ul><li>8.2. Crise do marxismo </li></ul>
  17. 17. Anos 90 <ul><li>Retomada dos estudos sobre a formação social brasileira: </li></ul><ul><ul><li>ênfase no estudo da dialética (João Amazonas) </li></ul></ul><ul><ul><li>esforços para o desenvolvimento de um marxismo com feições nacionais. </li></ul></ul>
  18. 18. Anos 2000 <ul><li>Restabelecimento do equilíbrio entre: </li></ul><ul><li>o trabalho de pesquisadores e professores universitários marxistas </li></ul><ul><ul><li>Exemplo: Centro de Estudos Marxistas (Cemarx), da Universidade Estadual de Campinas, que realiza simpósios e debates sobre o pensamento de Marx; </li></ul></ul><ul><li>e as iniciativas ligadas a organizações da luta popular. </li></ul><ul><ul><li>Exemplos: as escolas nacionais do PCdoB e do MST, que formam, com regularidade, centenas de militantes anualmente. </li></ul></ul>

×