Your SlideShare is downloading. ×
Fora dos trilhos - Folha de S.Paulo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Fora dos trilhos - Folha de S.Paulo

316
views

Published on

Published in: News & Politics

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
316
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. 28/03/2011 Folha de S.Paulo - Editoriais: Fora dos t… ASSINE BATE-PAPO BUSCA E-MAIL SAC SHOPPING UOL São Paulo, segunda-feira, 28 de março de 2011 Próximo Texto | Índice | Comunicar Erros Editoriais editoriais@uol.com.br Fora dos trilhos O leilão do trem-bala precisa ser adiado mais uma vez, até que o governo esclareça por que a obra é prioritária e se existe viabilidade econômica Aproxima-se, mais uma vez, a data final para a entrega das propostas para o leilão do trem-bala que ligaria Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. Repete-se, também, a desconfiança de investidores, especialistas e até integrantes do próprio governo quanto à viabilidade e à urgência do projeto. A duas semanas do novo prazo -o leilão já fora adiado no final do ano passado- , apenas um consórcio, formado por empresas sul-coreanas, é tido como certo. Outras concorrentes se articulam, e uma nova interessada, a espanhola Talgo, pediu a prorrogação do prazo, para que tenha tempo de formular sua proposta. Diante das dúvidas que se avolumam sobre o trem-bala, o melhor que o governo tem a fazer é adiar o leilão. O custo da obra, antes estimado em menos de R$ 20 bilhões, chega agora a R$ 33,1 bilhões, e mesmo esta cifra parece pouco confiável. O projeto de engenharia não foi concluído, e o valor das desapropriações no trajeto não passa de estimativa -entre outras questões que ainda carecem de respostas. A própria extensão do envolvimento governamental na obra precisa ser questionada. Sairão dos cofres públicos, de pronto, R$ 3,4 bilhões para formação de uma nova estatal, que será parceira do projeto. Outros R$ 19,9 bilhões serão financiados pelo BNDES. Se nos primeiros anos o número de passageiros ficar abaixo do estimado -e nada garante que não fique-, até R$ 5 bilhões adicionais serão subsidiados. Enquanto isso, a infraestrutura do país segue rumo ao colapso, com aeroportos superlotados, rodovias esburacadas e mal…uol.com.br/fsp/…/fz2803201101.htm 1/2
  • 2. 28/03/2011 com aeroportos superlotados,- rodovias esburacadas e mal Folha de S.Paulo Editoriais: Fora dos t… sinalizadas e portos defasados, com capacidade esgotada. O governo está a dever um esclarecimento convincente sobre a razão para fazer da construção do trem-bala uma obra prioritária -tanto mais agora que promete ajuste fiscal de R$ 50 bilhões. Tem de explicar, também, como uma obra que o Palácio do Planalto diz ser viável depende em um grau tão elevado de patrocínio estatal. Do modo como está, o trem-bala parece preencher apenas o desejo de colocar o país nos trilhos de um "Brasil Grande", a predileção por obras faraônicas que a sociedade prefere deixar para trás, com o período de governos autoritários em que floresceu. Próximo Texto: Editoriais: Reforma atrofiada Índice | Comunicar Erros Copyright Empresa Folha da Manhã S/A. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.…uol.com.br/fsp/…/fz2803201101.htm 2/2